Você está na página 1de 106

Cosmetologia com a Ju

Cosmetologia Aplicada à Estética


Pele
• Funções
• Maior órgão do corpo humano
• Sensorial
• 10% do peso corpóreo total
• Termo regulação
• ~= 3mm de espessura
• Absorção
• Imunocompetente
• Proteção
• Microbiota Única
• Defesa
• Dividida em 3 camadas distintas
• Pigmentação
• Síntese de vitamina D
Pele e Vida Embrionária
Ectoderma
6 semana (periderme) células germinativas
8 semana – sensibilidade ao tato e reflexão
10 semana – unhas
12 semana – células de langerhans e melanócitos
 15 semana – tecido adiposo e anexos cutâneos
20 semana – glândulas adrenais
... Primeira informação vital passa pela pele
Epiderme
Camada Basal ou Estrato Germinativo
• Camada Basal ou Estrato Germinativo: Constituída de células matrizes (steam
cells), que são células germinativas.

• Os queratinócitos que compõem a camada basal são células alongadas,


alinhadas, perpendiculares à membrana basal.

• Nessa camada encontram-se também outras células com funções


diferentes.
• Existe mais proteína na epiderme quando comparada com a derme.

• As principais células da epiderme são os queratinócitos, células


especializadas que, além de produzir queratina, passam por um
processo de estratificação, gerando corneócitos.

(Harris, 2016)
• Durante o processo de maturação dos
queratinócitos, observam-se algumas
alterações:

• Perda da atividade mitótica, que só


ocorre na camada basal;
• Síntese de novas organelas a partir do
estrato espinhoso;
• Remodelagem da arquitetura,
claramente observada pela
modificação no formato das células e
pelo grau de compactação das
camadas;
• Modificação na membrana;
• Síntese de novos lipídeos e proteínas.
• As células da camada basal se dividem em um ciclo de
aproximadamente 19 dias e podem levar de 26 a 42 dias até atingir o
estrato córneo.

• Como a passagem dessas células queratinizadas pelo estrato córneo


requer aproximadamente 14 dias, o tempo total de renovação
epidérmica é da ordem de 59 a 75 dias(Lever & Schaumburg-Lever, 1991)
• Na camada basal existem estruturas responsáveis por sua ancoragem à
membrana basal: os hemidesmossomos, compostos por fibras de
queratina.
População Celular
• 90% Queratinócitos
• 10% Melanócitos
Camada Espinhosa ou Estrato Espinhoso

• É composto por células espinhosas, poligonais.

• No estrato espinhoso, tem início a formação das subestruturas


lamelares: os corpos lamelares – posteriormente responsáveis pela
formação do manto hidrolipídico e os grânulos de querato-hialina.
Camada Granulosa ou Estrato Granuloso

• Caracteriza-se pela grande presença de grânulos de queratina nas células.

• Após a maturação das células espinhosas, há perda do núcleo e


achatamento dos queratinócitos, com a formação de placas queratina.

• Os estrato Espinho e Granular possuem estruturas filtrantes, conhecidas


como corpos lamelares. Contêm uma mistura de fosfolipídeos, lipídios e
colesterol. Por exocitose, essas estruturas liberam seus conteúdos de
lipídios que inclui no espaço intercelular do estrato córneo, formando uma
importante barreira à prova d’água: o manto hidrolipídico.
• No estrato granuloso, realiza-se a síntese das proteínas responsáveis
pela adequada estruturação do estrato córneo:

a profilagrina, posteriormente convertida em filagrina no estrato


córneo, e a involucrina, agente de sustentação do envelope a ser
formado no estrato córneo.
• A profilagrina é uma proteína grande, insolúvel e altamente
fosforilada, composta por múltiplas unidades de filagrina ligadas por
peptídeos conectores.

• A profilagrina é expressa no estrato granuloso.

• Os corneócitos são envoltos de por um envelope proteico unido às


estruturas lamelares intercelulares por ligações de ésteres, o que
justifica a sua facilidade a hidrólise por ação de agentes alcalinos ou
ácidos.
Estrato Córneo ou Camada Córnea

• A parte mais externa da epiderme (estrato córneo) é constituída por


uma membrana única, sendo perfurada apenas pelos orifícios das
glândulas sudoríparas e dos pelos.

• De forma simples, o estrato córneo pode ser definido como mosaico


de várias camadas, composto por intercalações entre “tijolos”
hidrofílicos (corneócitos) e “cimento” hidrofóbico (estruturas lipídicas
lamelares intercelulares).
• Na pele saudável, os corneócitos possuem altas concentrações de
fator natural de hidratação (NMF), composto por moléculas de baixo
peso molecular, higroscópicas e que se ligam à água, prevenindo a
evaporação.

• São principalmente ácidos pirrolidono-carboxílico (PCA) ou urocânico


(absorvente de raios solares). Também constituem o NMF, o ácido
lático e a ureia.
• Os corneócitos, são revestidos pela involucrina e ligados uns aos outros
por pontes intercelulares, ainda apresentam, contudo, algumas
funções bioquímicas importantes – como a conversão da profilagrina
em filagrina, que será liberada e hidrolisada, fornecendo os elementos
necessários para a composição do fator natural de hidratação (NMF).
(Harris,2016)
• O processo de estratificação e descamação não é homogêneo em todo
organismo.

• A área dos olhos é uma das regiões onde se observa a diferença mais
significativa. Apesar de sua baixa incidência de poros e de sua proximidade à
testa e às bochechas, ela raramente é acometida de acne ou melasma. Essa
região é fina e flexível.

• Seu teor de lipídeos é reduzido se comparado às demais regiões da face,


sendo que a velocidade do seu processo de renovação epidermal é mais
lenta.
(Harris, 2016)
• Perturbações nesse processo, em que a produção de corneócitos seja
aumentada ou sua liberação diminuída, levam a um estado de
acúmulo de células apenas parcialmente desconectadas na superfície,
com ou sem concomitante espessamento do estrato córneo.

• A liberação que ocorre agora em placas, e é observável a olho nu,


pode atingir vários graus de severidade e é comumente referida como
“pele seca” ou “pele xerótica”.
(Harris, 2016)
Membrana Basal
• A membrana basal faz a interface entre a derme e epiderme,
distinguindo-se dos tecidos vizinhos por sua estrutura e composição
molecular.

• Os queratinócitos fixam-se na membrana basal através de


hemidesmossomos, que apresentam diâmetros entre
500nm e 1.000nm.

(Piérard et al., 1974)


• A membrana basal é um filtro de difusão, em relação a elementos
nutritivos e metabólicos, que circulam entre derme e epiderme.

• Graças às papilas dérmicas, favorece a troca entre os dois tecidos.


Derme
• A derme é a camada da pele sobre a qual repousa a epiderme. Com
espessura que varia de 1 a 4 mm, dependendo da região corpo em que se
encontra, seu tamanho, em extensão, chega a dobrar em entre os três e os
setes anos de idade e, posteriormente, também na fase da puberdade.
Com avanço da idade, a derme perde estrutura, elasticidade, espessura e
umidade.

• Diferente dos epitélios, os tecidos conjuntivos geralmente caracterizam-se


por contarem com uma rica vascularização e pela abundante matriz
extracelular presente entre as células que compõem. Sob ponto de vista
funcional, atuam preenchendo os espaços armazenando reservas,
sustentando órgãos e estruturas, transportando células e substâncias
diversas, reparando lesões e defendendo o organismo contra invasores,
entre outras funções.
Componentes
• A Derme pode ser entendida como uma ampla rede de fibras,
especialmente as colágenas, por entre as quais acomodam-se células
e um componente gelatinoso amorfo.

• A porção celular pode ser representada pelos fibroblastos, histiócitos,


mastócitos e linfócitos.

• Matriz celular resulta da interação entre duas porções: a fibrosa e a


não fibrosa.
Porção Fibrosa
• O colágeno é a proteína mais abundante no organismo dos vertebrados. A
denominação “colágeno” é utilizada para referir-se a mais de 20 tipos de
agregados de longas cadeias proteicas, em sua maior parte fibrosos, todos
eles identificados por algarismos romanos.

• Na pele os principais colágenos são: tipo I mais resistente e abundante,


correspondendo a 80% a 85% da matriz extracelular; tipo III, que forma
fibras delgadas chamadas fibras reticulares e representa de 10% a 15% da
matriz; tipo IV, não formador de fibras presente na lâmina basal; tipo V,
corresponde de 4% a 5% da matriz, onde se encontra distribuído de forma
difusa e geralmente associado ao colágeno tipo I com o qual forma fibrilas;
e VI, cujas delgadas compõem a lâmina basal; e VII, também formador de
fibras delgadas, porém presentes na junção dermoepidérmica.
• A elastina corresponde de 2% a 3% do peso seco da pele, onde
proporciona resiliência e elasticidade. Associada quimicamente ao
colágeno e a um componente da porção amorfa chamada de ácido
hialurônico, a elastina contribui para dar origem a uma estrutura
tridimensional, responsável por conferir suporte estrutural à derme.
Porção Amorfa
• Possui consistência gelatinosa e é constituída por proteoglicanos ,
glicoproteínas e água, substâncias que não formam fibras.

• Os proteoglicanos são o produto da associação entre glicoproteínas e


substâncias conhecidas como glicosaminoglicanos (GAGs). Os
glicosaminoglicanos encontrados na derme são: ácido hialurônico,
dermatano sulfato, heparano sulfato, heparina, queratano sulfato e
condroitino sulfato. Deste, o único que não se encontra associado a
glicoproteínas é o ácido hialurônico, o mais abundante na derme e o
que possui maior afinidade com a água.
Derme Papilar e Reticular
• Na derme papilar encontramos as fibras de colágeno e elásticas (fibras
de oxitalana – classificadas como desmoplaquinas: fibras compostas
de elastina e duas glicoproteínas; fibrilina e glicoproteína associada à
microfibrila)

• O colágeno é disposto verticalmente e as fibras elásticas são fixadas na


junção dermoepidérmica.

• A substância fundamental é abundante.


• A Derme Reticular, por sua vez, possui fibras colágenas mais espessas
e dispostas irregular, entre as quais encontram-se os vasos sanguíneos
que conectam os plexos vasculares da derme papilar com vasos de
maior calibre presentes na junção entre a derme e a tela subcutânea.
As fibras elásticas aqui presentes são longas, espessas e seguem a
orientação dos feixes de colágeno.
Plexo Vascular
Permeação Cutânea
• Objetivo da liberação cutânea é promover uma eficaz quantidade da
forma ativa no local da pele e, assim, aperfeiçoar a eficácia,
minimizando efeitos colaterais.

• A principal barreira que a substância deve permear é o estrato córneo.

• O estrato córneo, é queratinizado e semipermeável, as substâncias


devem se penetrar difusão passiva. É a principal barreira limitante da
velocidade de transporte pela via transdérmica. O estrato córneo tem
de 15 a 25 camadas de corneócitos.
• Existem três variáveis que são responsáveis pelas diferenças nas taxas
em que diferentes substâncias podem permear a pela pele: a
concentração da substâncias aplicada, o coeficiente de partição da
substância entre lipídios do estrato córneo e o veículo e a difusidade
da substância dentro do estrato córneo.

• Em resumo, substâncias anfifílicas (aquosa e lipídicas) são boas


candidatas para a difusão através do estrato córneo, epiderme e
derme.
• Considerando a camada córnea em condições de perfeita integridade, podemos,
podemos referir como principais vias de penetração cutânea a via anexial e a via
transepidérmica. Esta última é dividida em vias (transcelular) e (intercelular).

• A via intracelular significa transporte de moléculas através da membrana celular


epitelial. Este inclui transporte passivo de pequenas de pequenas moléculas,
transporte ativo de íons e compostos polares.

• Em condições normais a via transcelular não é considerado como a forma


preferida de transporte, devido à baixa permeabilidade através de corneócitos e
nas camadas intercelulares do estrato córneo e vice e versa. A via intracelular
pode ganhar uma importância quando um promotor de permeação é utilizado,
pois aumenta a permeabilidade dos corneócitos, alterando a estrutura da
queratina.
• Via intercelular significa transporte de moléculas em torno de ou entre
as células nas junções celulares. A via intercelular é considerada a via
predominante na maioria dos casos. A via intercelular é utilizada para
produzir uma absorção mais rápida, devido ao fato do elevado
coeficiente de difusão da maior parte das substâncias dentro da
bicamada lipídica.

• A difusão pelo estrato córneo seja o mecanismo mais postulado,


verificou-se como segunda opção de mecanismo de penetração a
utilização de folículos pilosos ou glândulas.
• Os folículos pilosos são uma estrutura-alvo interessante, pois estão
cercados por uma rede densa de capilares sanguíneos, contribuindo
no processo de permeação.

• Estas vias de permeação não exercem ação unicamente sobre


processo, sendo que a maioria dos compostos possivelmente permeia
a pele por um efeito de combinatório de duas ou mais vias, e a
contribuição relativa de cada uma delas pode ser relacionada com as
propriedades físicos-químicas da molécula permeante.
Influência das propriedades físicas-químicas da
substância permeante
• O processo de permeação pela pele envolve uma série de etapas: a liberação
do permeante a partir do veículo, seguido por difusão através do estrato
córneo, e em seguida, a partição para o ambiente epidérmico mais aquoso
e a difusão para os tecidos mais profundos da pele ou a absorção cutânea
para a circulação sistêmica.

• Estes processos são altamente dependentes da solubilidade e difusidade do


permeante dentro de cada compartimento cutâneo. As propriedades
físicos-químicas da substância permeante, tais como peso molecular,
coeficiente de partição, ponto de fusão, ionização, solubilidade, são
diretamente proporcionais ao coeficiente de difusão em cada
compartimento.
• O peso molecular e a forma do permeante têm na influência na difusidade
pelo estrato córneo. Moléculas de baixo peso molecular têm maior
capacidade de permeação na pele quando comparadas a moléculas com
alto peso molecular.
• Assim, peptídeos e proteínas não são bons candidatos para a liberação na
pele, entretanto, seu transporte pode ser facilitado através de métodos
físicos que permitam a permeação destas macromoléculas.

• Os compostos lipofílicos são mais facilmente solúveis nos domínios


intracelulares e, assim, tendem ao aumento no fluxo. No entanto, a taxa de
permeação da pele também é dependente da concentração de permeantes
que encontram-se dissolvidos no veículo aplicado.
• Se um composto lipofílico tem uma solubilidade limitada em um
veículo tópico, o composto pode ser prontamente particionado no
estrato córneo, resultando na depleção no veículo e reduzindo assim,
o fluxo de permeação.

• O permeante ideal requer solubilidade lipídica, mas também uma


solubilidade aquosa razoável para maximizar o fluxo na pele. Boas
substâncias candidatas para permeação na pele deve ter peso
molecular relativamente baixo.
• A permeação também pode depender do grau de ionização (pKa), de
como a ionização influencia a solubilidade da substância na
formulação e o seu particionamento na pele.
Promotores Químicos

• Promotores químicos são compostos farmacologicamente inativos que


podem sofrer partição, difundir-se na membrana plasmática e interagir
com os componentes do estrato córneo.

• Muitas substâncias têm sido identificadas como promotores de


penetração de substâncias, mas a segurança continua a ser a principal
preocupação, o que limita seu uso clínico.
• Os principais promotores químicos disponíveis: transcutol, etanol,
propilenoglicol, N-metilpirrolidona aumentam o particionamento e a
solubilidade dentro do estrato córneo e, consequentemente, o
aumento do coeficiente de partição.
Promotores Físicos

• Os métodos físicos para promover a permeação cutânea envolvem a


aplicação de técnicas físicas para liberar substâncias através da pele
e/ou alterar diretamente a pele, modificando dessa forma sua
propriedade de barreira.
Procedimentos que alteram a permeabilidade
da pele
Limpeza de Pele
Hidratação Cutânea
Peelings
Alterações no pH
Massagem
Vapor de Ozônio
Calor
Fatores que alteram a permeabilidade cutânea
• Região anatômica: áreas mais vascularizadas e mucosa tem maior
permeabilidade.

• Idade: a diminuição da hidratação com o envelhecimento, favorece o


espessamento do estrato córneo e reduz a permeabilidade.

• Espessura da epiderme: uma pele hiperqueratinizada tem menor


permeabilidade.

• Fluxo Sanguíneo: quanto maior fluxo maior permeabilidade.


Fatores que alteram a permeabilidade cutânea
• Hidratação: quanto mais hidratada mais permeável.

• Concentração: ativo e tamanho da molécula.

• Veículos: vetoriais tem boa permeação.

• Tempo de exposição: quanto maior, mais penetração.


Hidratação Cutânea
• A hidratação pode ser definida como processo fisiológico de
manutenção de água na epiderme. O teor de água da epiderme é um
fator importante tanto para a manutenção da elasticidade e suavidade
da pele quanto para prevenir seu ressecamento e, desta forma,
manter a homeostase cutânea.
• O comprometimento da função
barreira córnea eleva o TWEL,
podendo aumentar a liberação
de citoquinas que, por sua vez,
induzirá um processo
inflamatório e o eczema
Hidratação Fisiológica da Pele

A pele se mantém hidratada graças à presença de lipídios secretados pelas


glândulas sebáceas, à matriz lipídica intercelular na camada córnea, ao fator
natural de hidratação – ou Natural Moisturinzing Factor (NMF) –, à presença
da integridade dos corneodesmossomas – responsáveis pela coesão do
extrato córneo e as aquaporinas.

• A hidratação varia: umidade externa; transporte de água das camadas mais


inferiores da pele para superfície cutânea, velocidade de evaporação da
água, velocidade de queratinização, quantidade e composição da emulsão
epicutânea formada pelos lipídios cutâneos, água e NMF.
Lipídios secretados pelas glândulas sebáceas
• O material lipídico secretado pelas glândulas sebáceas, rico em ácidos
graxos, triglicerídeos, esqualeno e ceras.

• Ele é distribuído sobre a camada córnea formando um filme lipofílico


que dificulta a saída da água da superfície da pele.
Matriz lipídica Intercelular e Corneócitos
• Durante a formação da camada córnea, os queratinócitos produzem e
secretam para os espaços intercorneocitários uma mistura de lipídios
formada, principalmente, por ceramidas 40%, ácidos graxos 20% e
colesterol 25%. Pode-se encontrar ainda sulfato de colesterol,
fosfolipídios e glicoceramidas.

• Estes lipídios respondem por 11% da composição da camada córnea,


se organizam na forma de lamelas que unem corneócitos, apresentado
alternância de domínios lipofílicos e hidrofílicos.
Corneodesmossomas
• A manutenção da espessura da camada córnea é importante para a
homeostasia cutânea. Se a camada se apresentar mais fina ou espessa,
pode trazer consequências para o equilíbrio e hidratação cutânea.

• Os corneodesmossomos precisam apresentar integridade para manter a


hidratação da pele. Ao mesmo tempo, têm que ser degradados durante o
processo de renovação das camadas. A atividade destas enzimas depende
a presença de água.

• Quando as enzimas proteolíticas têm seus níveis e atividades diminuídas,


a degradação dos corneodesmossomas não ocorre de maneira eficiente.
O resultado é um acúmulo de células córneas nas camadas superficiais da
pele, tornando-a mais espessa e com menor hidratação.
NMF – Natural Moisturizing Factor
• Este fator é formado pela degradação das proteínas intracelulares
localizadas nos grânulos de querato-hialina do queratinócitos da
camada granular, associados a outros componentes umectantes da
pele, como ureia e o PCA-Na.

• O NMF tem várias substâncias osmoticamente ativas, que retêm a


água na camada córnea.
Aquaporinas
• As aquaporinas são uma família de 12 proteínas transmembranares
que formam canais de água responsáveis pelo transporte de água.

• AQP3 – Aquaporina 3 ou Aquagliceroproteína –, é a única presente,


encontrando-se principalmente nos queratinócitos basais e
suprabasais.
• Exposição solar e o envelhecimento diminuem a sua
expressão.

• A redução destas proteínas na pele tem sugerido ser


responsável pela alteração da homeostasia cutânea e
diminuição da camada córnea hidratada.
Cosméticos que Hidratam por Umectação
Ativa

• PCA – NA
• Uréia
• Trehalose
• Lactatos de amônio e sódio
• Arginina
• Glicerina
Nutrição
• Alimentos são produtos complexos que, em estado
natural ou processados, são consumidos pelo homem a
fim de satisfazer suas necessidades nutritivas e
sensoriais e que fornecem ao corpo componentes
químicos indispensáveis à vida, denominados
nutrientes.

• Os nutrientes fornecidos pelos alimentos são utilizados,


transformados e incorporados nos tecidos fornecendo
energia para as estruturas corporais, materiais para
construção de órgãos e provendo substâncias para as
funções metabólicas básicas.
• Nos alimentos nos encontramos os seguintes nutrientes:
carboidratos, lipídios, proteínas, fibras, compostos bioativos,
vitaminas, minerais e água.
Índice Glicêmico e Carga Glicêmica
• O consumo de carboidratos, o tipo e a quantidade ingerida podem
afetar desordens estéticas e favorecer o surgimento de algumas
desordens.
• IG de um alimento é definido como o efeito dos carboidratos
presentes no alimento sobre a concentração de glicose plasmática. O
índice permite classificar um alimento com relação à alteração da
glicemia pós-prandial comparada a um alimento de referência.

• CG expressa o efeito de todo carboidrato consumido sobre a glicemia,


associando o índice glicêmico de um alimento ao conteúdo de
carboidrato disponível.
• Pesquisas e ensaios clínicos indicam que há uma correlação positiva
entre dietas de baixo índice glicêmico e baixa carga glicêmica com
redução de mediadores pró-inflamatórios.

• A redução de mediadores como a proteína C reativa, indica que o tipo


e a quantidade de carboidratos ingeridos afetam o processo
inflamatório, podendo ser este mecanismo também envolvido na
patogênese da acne.
Alimentação e Acne
• A inflamação da acne aumenta quando há uma grande secreção de
hormônios, na adolescência. Em mulheres, o excesso de hormônio
andrógenos, como a testosterona, é a causa de desequilíbrios
hormonais, como a S.O.P, nestes casos a acne se prolonga até a fase
adulta.

• A dieta pode ter uma forte influência sobre a acne, mesmo não sendo
o fator desencadeante principal.
• Uma boa alimentação pode colaborar para reduzir a atividade das
glândulas sebáceas, reduzir o estresse oxidativo, repor nutrientes,
modular a resposta inflamatória e melhorar a permeabilidade
intestinal.

• A acne é uma lesão inflamatória, sendo assim, a interleucina-1, que é


uma citocina inflamatória, age como mensageiro celular causando
obstrução dos poros. A interleucina-1 está relacionada à ingestão de
alimentos pró-inflamatórios.
Alimento Inflamatórios
• Óleos vegetais de soja, algodão, milho e girassol.
• Cereais refinados
• Carnes suínas e bovinas gordas
• Embutidos (salsicha, lingüiça e salame)
• Leites e derivados
• Trigo branco
• Refrigerantes
• Bebidas alcoólicas
• Frituras
• Produtos industrializados
Alimentos anti-inflamatórios estão envolvidos na melhora da
acne, por modular o processo inflamatório.
• Peixes de água fria como sardinha, atum, cavalinha, salmão, semente de linhaça e
chia moída (Ômega 3)
• Legumes e verduras (alho cru, cebola, espinafre, tomate, pimentão vermelho)
• Oleaginosas (castanhas e amêndoas)
• Chás de ervas (chá verde e alecrim)
• Frutas (de cores mais intensas)
• Azeite de oliva extravirgem, óleo de abacate e óleo de semente de abóbora
• Gengibre, cúrcuma, pimenta vermelha
• Brócolis, couve-flor, nabo, rabanete, repolho
• Vitamina C
• Tomate
• A modulação da carga glicêmica da dieta é fundamental para pessoas com
lesões inflamatórias. A diminuição da carga glicêmica apresentam bons
resultados em relação aos sintomas da acne melhorando a sensibilidade à
insulina.

• Pesquisadores no mundo inteiro já relacionam alimentos derivados do leite


ao risco de acne na adolescência. Ocorre aumento da permeabilidade
intestinal que pode gerar aumento da absorção de toxinas e
macromoléculas; tais substâncias contribuem para aumentar o estresse
oxidativo e a inflamação sistêmica do paciente, além de reduzir a absorção
de nutrientes, contribuindo assim para agravar o quadro inflamatório da
acne.
• Existe também uma associação do quadro de acne a suplementos
alimentares como wheyprotein. Estudos mostram que após dois
meses de uso de wheyprotein, 100% dos usuários tiveram lesões
inflamatórias.

• O zinco é o principal nutriente envolvido na fisiopatologia da Acne,


tendo em vista que ele inibe a 5-α-redutase – enzima que converte a
testosterona e di-hidro-testosterona (DHT) contribuindo para a
diminuição da secreção sebácea pela glândula. (Simas, 2016)
• Portanto recomenda-se evitar a ingestão de carboidratos de alto índice
glicêmico, laticínios e derivados para diminuir os níveis de IGF-1.

• A administração dietética de Omega -3 melhora e auxilia no


tratamento da acne, é antiinflamatório.

• Dietas que possuem níveis adequados de vitamina A, vitamina E,


vitamina C e zinco podem melhorar e prevenir o quadro de acne
Alimentação e Envelhecimento
• Envelhecimento Intrínseco
• Envelhecimento Extrínseco
• A prevenção é a maneira mais eficaz para tratamento do
envelhecimento da pele.

• Além de um estilo de vida equilibrado , a alimentação deve estabilizar


os radicais livres e reduzir o dano celular em nível de membrana,
mitocôndria e DNA
• Revesratrol: Flavanóide que atua em sítios de ligação específicos na
epiderme e atua diminuindo a apoptose de queratinócitos, atuando na
prevenção do envelhecimento da pele.

• O resveratrol quando associado à vitamina C, vitamina E, Coenzima Q10 e


vitamina B5, promove diminuição do estresse oxidativo, agindo na porção
aquosa e oleosa da membrana celular, potencializando a ação antioxidante
e prevenindo o envelhecimento.

• A vitamina D também é potente moduladora do sistema imune e exerce


papel fundamental na redução da síntese de NF-KB diminuindo
principalmente a inflamação e a formação de radicais livres.
• O licopeno e o betacaroteno têm sido sugeridos nas literaturas
científicas como um fator importante na manutenção da saúde
cutânea.

• Estes estudos apontam que há uma relação positiva entre níveis de


antioxidantes na pele e as rugas, ou seja quanto maior níveis de
antioxidantes, menos aparecem as rugas e linhas de expressão.
• Estes nutrientes possuem capacidade fotoprotetora, que diminui os
efeitos da radiação solar sobre a pele diminuindo o eritema causado
pelo sol e também a incidência de câncer de pele.

• No caso do Betacaroteno, a suplementação deve iniciar 10 semanas


antes da exposição solar, para que ele consiga chegar na superfície e
desenvolver seu papel fotoprotetor.
• Carotenóide é um antiioxidante que pode eliminar o oxigênio gerado
pela exposição aos raios ultravioletas. Sua principal função é agir,
quando o betacaroteno é transformado em vitamina A no nosso
organismo, recuperando a pele e protegendo contra raios solares.

• Fontes alimentares: tomate, pimenta, morango, entre outros.


• É um tocoferol capaz de impedir a degradação lipídica, protegendo o
ataque dos radicais livres nas membranas biológicas. Com ela, os
danos oxidativos são evitados devido à ação antioxidante, assim como
é retardado o fotoenvelhecimento da pele. Além de ser antioxidante, a
vitamina E tem a função de proteger da degeneração por estimular a
proliferação de fibroblastos e a migração de queratinócitos e conservar
a vitamina A.

• Fontes alimentares: grãos cereais, carnes, ovos, produtos lácteos,


brócolis, óleos vegetais, entre outros
• É um antioxidante responsável pela resistência e capacidade elástica
da pele. É um nutriente hidrossolúvel envolvido na hidroxilação da
prolina, formando a hidroxiprolina, participando na formação do
colágeno, tendo papel na fotoproteção quando a exposição solar atua
na desestrutração das fibras elásticas.

• Fontes alimentares: acerola, laranja, goiaba, brócolis, couve, couve-flor,


entre outros.
• Apresentam atividades antioxidantes, quimioprotetoras,
anticarcinogêicas, anti-inflamatórias e podem inibir a síntese de
melanina.

• Alimentos fontes de flavonóides podem fornecer fotoproteção e


diminuição do eritema, aumento do fluxo sanguíneo dos tecidos da
pele e aumento da hidratação e densidade da pele.
• Cacau é rico em polifenóis, que neutralizam os radicais livres gerados
pela radiação UVA e UVB, protegendo também contra o
envelhecimento precoce e o câncer de pele.

• Chá verde: contém catequinas, diminuindo a inflamação cutânea


causada pela radiação ultravioleta.

• Fontes alimentares: chá verde, suco de uva, ameixa, cacau, vinho tinto,
maçã, nozes, entre outros.
• Os ácidos graxos ômega-3 também exercem papel fotoprotetor da
pele devido às suas propriedades antiinflamatórias.

• O óleos de macadâmia e prímula tem sido usados para aumento da


hidratação cutânea
• Sol = degradação colágeno e da elastina
• Aumento das MMPs

• Glicação – AGE’s – Dieta principal fonte exógena de AGE’s.

• Alimentos ricos em gorduras, como manteiga e margarina, carnes e


queijos (especial parmesão), produtos industrializados (cereais
matinais, biscoitos, batatas chips ou fast food) e açúcar.
• Em relação ao colágeno existe uma diminuição natural da sua
produção; aos 50 anos essa diminuição corresponde a 35% do
colágeno que era produzido.

• Com a menor síntese de estrogênio na menopausa, essa produção


diminui ainda mais, pois o colágeno é estrogênio dependente.
• Estudos recentes sugerem a suplementação com colágeno hidrolisado na
dosagem de 5 a 10g/d trás melhora da elasticidade e minimiza as rugas.

• Melhor horário para ingestão de colágeno é no período noturno.

• Durante o sono ocorre a liberação do hormônio do crescimento que é


anabólico e aumenta a síntese de colágeno através da oferta de aminoácido
advindo do suplemento. A vitamina C também participa desta síntese; desta
maneira deve estar presente no suplemento.
Verisol
• A GELITA, uma das maiores fabricantes mundiais de gelatina e colágeno
hidrolisado, desenvolveu VERISOL®, um alimento funcional inovador voltado
aos cuidados com a pele, que age de dentro para fora, atenuando e
prevenindo os sinais do tempo.

• VERISOL® é uma combinação única de Peptídeos Bioativos de Colágeno®,


obtidos a partir de um processo tecnológico especial e patenteado, que
origina peptídeos específicos para atuar nas células dérmicas e, assim,
estimular e restaurar o metabolismo destas células de dentro para fora.
VERISOL® suaviza os sinais do tempo e melhora a elasticidade cutânea,
reduz o volume das rugas e aumenta o conteúdo de colágeno na pele a
partir de 4 semanas de uso contínuo.
Propriedades Se beneficie com o poder natural dos Peptídeos Bioativos
de Colágeno® otimizados de VERISOL®:

Biodisponível
Melhora significativamente rugas e restabelece a elasticidade e hidratação
cutânea;
É o único que contém Peptídeos Bioativos de Colágeno específicos para as células
da pele;
Único otimizado e eficaz na dosagem de 2,5g/dia;
Estimula a produção de colágeno e proteoglicanas na pele, responsáveis por
manter a pele firme e hidratada;
Restaura o metabolismo da pele, recuperando o equilíbrio necessário para
contrabalancear o processo de envelhecimento da pele;
 Atua nas camadas mais profundas da pele de dentro para fora;
Ativo seguro: não causa efeitos colaterais e não apresenta interações com outros
suplementos e medicamentos.
Qual a diferença?
• Os Peptídeos Bioativos de Colágeno® GELITA são constituídos de
diversos peptídeos específicos e otimizados para cada tipo de
necessidade.

• Os peptídeos são derivados a partir de um processo de produção


controlado de colágeno, determinado por condições de hidrólise. Em
decorrência disso, os Peptídeos Bioativos de Colágeno® GELITA
diferem em sua funcionalidade fisiológica, sendo otimizados de modo
a maximizar o estímulo a tipos de células humanas envolvidas na
biossíntese do colágeno.
Síndrome desarmonia corporal
• Sindrome da desarmonia corporal (SDC) se caracteriza pela presença de
Fibro Edema Gelóide (FEG- Celulite), pelo aumento de gordura total e
localizada e pela presença de flacidez tissular e/ou muscular.

• Por se tratar de uma síndrome, o tratamento, a fim de promover ou manter


a harmonia corporal, deve ser integrado, focando em um alimentação e
nutrição focada nas imperfeiçoes estéticas associadas aos procedimentos
estéticos específicos.

• O tecido acometido com a SDC apresenta aumento do número de e do


volume de células adiposias, lipoedema, proliferação das fibras colágenas
que acabam por provocarem engurgitamento tecidual e rompimento das
fibras elásticas e dos vasos linfáticos e sanguíneos.
Nutrientes Importantes
• Silício: auxilia na reorganização da matriz intersticial, do tecido adiposo
e da microcirculação (na falta de nutrientes, a matriz intersticial se
geleifica e as fibras se espiralizam causando repuxamento da pele). O
silício atua na sustentação dessa matriz e do colágeno, permitindo
novamente o fluxo de nutrientes e o descongestionamento das
toxinas.

• As principais fontes de silício são: aveia, salsa, grão integrais, cavalinha,


alfafa, folhas verdes, beterraba, extrato de bambu, algas marinhas,
soja e grãos inteiros.
• Ômega 3: Melhora a circulação, auxilia no combate às reações inflamatórias
e protege os vasos sanguíneos. Fontes: salmão, bacalhau, atum e semente
de linhaça.

• Polifenóides: Protegem os vasos sanguíneos, combatem os radicais livres e


auxiliam no combate a celulite. Fontes: semente e suco de uva e ameixa.

• Quercetina: tem atividade anti-inflamatória, antioxidante e aumentam a


filtração transcapilar de água e proteína, reduzindo o número de poros
capilares, diminuindo assim o edema. Fontes: maça, cebola, brócolis.
Cacti-Nea
• obtido do cacto Opuntia fícus-indica, também conhecido como figo da
índia. Sua composição apresenta vitaminas, minerais, lipídios,
aminoácidos como cisteína e a turina, antioxidantes como glutationa e
flavanóides entre outros compostos fenólicos e betalaínas, que
potencializa o efeito da drenagem linfática.
Flacidez
• É caracterizada pelo afinamento cutâneo causando pela perda de
densidade e espessura dérmica.

• Isso porque há diminuição na síntese de colágeno, elastina e ácido


hialurônico na derme, assim como diminuem também outros
elementos da matriz extracelular característicos do envelhecimento
cronológico, a flacidez pode ser agravada pela MMPs, que são
produzidas durante a fotoexposição, levando à fragmentação do tecido
da pele.
Colágeno

• Com o desenvolvimento de tecnologias que permitiram o isolamento


de peptídeos para consumo oral, a suplementação de colágeno
passou a ser considerada adequada para tratamento e prevenção da
flacidez tissular.

• Para produzir colágeno precisamos de cofatores, como a vitamina C,


zinco, cobre, selênio, manganês entre outros nutrientes.
• Bio-Arct: é um biopeptídeo marinho, rico em citrulyl-arginina e
taurina, bionergizante essencial para metabolismo celular.

• Ácido hialurônico promove a renovação dos queratinócitos, reduzindo


rugas e manchas senis.

• DMAE (dimetilaminoetanol), é uma substância encontrada


principalmente em peixes, como salmão, sardinha e anchova. Melhora
da flacidez facial devido ao efeito tensor.
• Glycoxil é a carcinina estabilizada que apresenta ação antiglicante e
transglicante, ou seja, melhora o rejuvenescimento celular.

• O Exsynutriment é a forma de silício orgânico estabilizada e


concentrada, que atua na organização das fibras colágenas resultando
em firmeza da pele.