Você está na página 1de 29

DEVOCIONÁRIO DE NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO E CORREIA

Padroeira da Ordem Agostiniana Recoleta

“Pode-se dizer que o Brasil nasceu sob a proteção da Virgem Consoladora, pois, antes mesmo de Pedro
Álvares Cabral chegar às praias da Terra da Santa Cruz, Vicente Pinzón, navegador espanhol, companheiro de
Colombo em suas viagens ao Novo Continente, descobriu um promontório, que se acreditava ser o cabo de
Santo Agostinho, ou a ponta de Mucuripe, em Fortaleza, ao qual deu nome de
Santa Maria de la Consolación”.
(Nilza Botelho Megale)
APRESENTAÇÃO

Ao longo dos séculos, a Ordem dos Agostinianos Recoletos, ainda que não sendo Mariana, sempre esteve em
íntima relação com a Virgem Maria, de quem, pela poderosa intercessão, recebeu numerosos benefícios
espirituais e temporais, venerando-A com o ilustre título de Nossa Senhora da Consolação e Correia, o qual
dilata o coração humano, enchendo-o de confiança, se o pensamento reportar-se ao que Ela fez pela
humanidade, que vivia a suspirar pelo Esperado. Então, finalmente, quando Deus enviou o mensageiro Gabriel
para anunciar a vinda do Cristo, testemunhou-se o diálogo de prenúncio da salvação: “Ave cheia de Graça, o
Senhor é contigo; Bendita és tu entre as mulheres... Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua
palavra”. Assim, Jesus, o orvalho consolador dos homens, veio para enxugar toda lágrima. E Maria, colaborando
com tal missão redentora, gerou o Consolo do Céu, tornando-se, por conseguinte, a Consoladora da
humanidade, a portadora do Consolador.
Um novo benefício espiritual e especialíssimo consolo recebe a Ordem Agostiniana Recoleta nesse ano de 2004:
a graça de poder celebrar o jubileu dos 1650 anos do nascimento de Santo Agostinho que, quando convertido,
aceitou desde o batismo, divulgar a devoção à Nossa Senhora da Consolação, cingindo-se também com uma
Correia — em memória da Correia Sagrada que a santa usou em vida —, o que se tornou como que um
distintivo dos religiosos Agostinianos a honrar a Virgem Maria. Assim, é certo que o tão solene benefício desse
ano jubilar que chega à Ordem passa pelas mãos da Rainha e Medianeira de todas as graças — a mesma
Consoladora de Santa Mônica, quando chorava os extravios do filho Aurélio Agostinho.
Isto posto, tal qual a Sagrada Correia que cinge e enlaça, ata e prende à prática das virtudes marianas, o
Vicariato do Brasil, da Província de Santo Tomás de Vilanova, como que para ornar o jubileu com os laços
maternos da Consoladora capazes de circundar cada um dos seus filhos de modo único e irrepetível, oferta aos
devotos de Nossa Senhora e demais membros da Ordem dos Agostinianos Recoletos o presente Devocionário,
sinalizando, uma vez mais, que Nossa Senhora é o lugar de consolo que Deus colocou na terra para que os
degradados filhos de Eva pudessem recorrer-lhE com toda confiança. Ali, quando há aflições e incompreensões,
quando não há socorro nem auxílio, está a Mãe, pronta para dar seu colo, atar as feridas e, com Sua Correia,
ligar a terra com o céu, estendendo as mãos virginais em contínuas súplicas.
Chamada por Santo Agostinho de o molde vivo de Deus, a Virgem Maria, na verdade, o é, pois foi nEla que o
Deus-Humanado formou-se, sem perder um só atributo da divindade. E é só nEla que o homem pode ser
formado em Deus, tanto quanto a natureza humana for capaz disso pela graça divina.
Sendo Deus o Senhor absoluto, pode comunicar por Si mesmo o que, ordinariamente, só comunica por
intermédio de Maria. Entretanto, segundo a ordem normal que a Divina Sabedoria estabeleceu, Ele não se
comunica de ordinário aos homens senão por Maria, na ordem da graça, de modo que, como diz Santo Tomás,
para subirmos e unirmo-nos a Ele, seja necessário usar do mesmo meio de que Ele serviu-se para descer até nós,
para se fazer homem e comunicar-nos Suas graças. O meio, portanto, de encontramos as graças, e graças
abundantes, é uma verdadeira devoção à Maria.
Mil, seiscentos e cinquenta anos depois, fazendo bom uso deste singelo Devocionário — instrumento de oração
mariana —, jubilosos como e com Santo Agostinho, cinjamo-nos com a Sagrada Correia de Nossa Senhora da
Consolação, no corpo e na alma, saudando-lhe e honrando-lhe as virtudes com o vibrante desejo de imitá-las.

Frei Miguel Ángel Hernández Domínguez


(Vigário Provincial)
NOVENA EM HONRA DE NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÂO E CORREIA
(exercício de todos os sábados)

Canto ao Espírito Santo


A nós descei, Divina luz / A nós descei, Divina luz!
Em nossas almas acendei o amor, o amor de Jesus.(bis)
Sem vós, Espírito Divino, que poderemos nós fazer?
Depois de um triste desatino / Depois de um triste desatino
Teremos o destino de sempre padecer.

Primeira Oração
Ó Nossa Senhora da Consolação, apresento-me diante de Vós, buscando o Vosso materno consolo, pois, quando
minhas preocupações se multiplicam, vossas consolações me alegram.(1) Vós que estais cingida com essa
sagrada correia — de prontidão para vir em auxílio dos Vossos filhos, enlaçai-me e retirai-me do vale de aflições.
Mostrai-vos também atenta para comigo e, nas minhas necessidades espirituais e materiais, nos meus
descuidos humanos, tomai o atalho mais curto e segredai a Jesus toda a secura de minh’alma, todas as minhas
misérias. Quando não tiver mais o vinho da alegria, animai-me, pois, se perder o sabor, para nada mais sirvo.(2)
Quando não tiver mais o vinho do vigor e do entusiasmo, refazei-me em Jesus — alívio para os cansados e sem
forças.(3) Quando não tiver mais o vinho da saúde, tratai-me, pois Jesus quer que eu tenha vida abundante.
Quando não tiver mais o vinho da paciência, acalmai-me para que não me vingue de quem me fizer o mal.(4)
Quando não tiver mais o vinho da esperança, reacendei-me a fé, pois tudo só é possível àquele que crê.(5)
MQuando não tiver mais o vinho da luz, iluminai-me, para que não ande nas trevas, mas tenha a luz da vida. (6)
Ave, cheia da graça divina, conduzi-me à adega do vinho celeste e ordenai em mim o amor(7): enchei-me, até à
borda, a talha de barro e imperfeição que sou, de uma vida nova, transbordante no Espírito Santo, a fim de que
em mim, onde abunda o pecado do egoísmo e da indiferença, abunde a graça(8) da caridade, do serviço, da
alegria, da entrega, da obediência e da generosidade. Vós que tanto podeis junto a Jesus, Vosso Filho e Vosso
Deus, “adiantai-me” a hora da graça que passa pelas vossas mãos, confirmando-me o dom de uma fé inabalável
nas provações e contrariedades, a fim de que me torne um como vós, a Bem-aventurada que acreditou.(9)
D. Ave Maria, admirável intercessora!
T. Ave Maria, Nossa Senhora Consoladora!
(Pai-Nosso/Ave-Maria/Glória ao Pai)

Segunda Oração
Ó Maria, doce consolo mediador, Vossa sagrada correia é laço que une Deus aos homens, e vossos laços são
laços salutares(10). A Vós, “Virgem oferente” que, no Templo de Jerusalém, oferecestes o pequeno Jesus e um
óbulo de pobre, como povo humilde e pobre que busca a sua esperança unicamente em Deus(11), apresento-
Vos essa minha súplica. Eis meu óbulo de pobre: um coração arrependido e humilhado, que não havereis de
desprezar.(12) Sabeis, ó Mãe, que nesse mundo, o “dragão da maldade”, com seus tantos sinais de morte,
crueldade, violência, tortura, fome, marginalização e injustiça, coloca-se diante de mim pronto para devorar-
me(13) as esperanças e separar-me de Deus. Mas, do dragão, a força, foi por Vós prostrada(14). Podeis, pois,
esmagar-lhe a cabeça(15) e neutralizar-lhe o veneno. Por isso, vossa Consolação diz-me que os meus presentes
sofrimentos são apenas dores de parto: antecedem os novos céus e a nova terra(16) da justiça, da bênção, do
bem e da vida, porque sois a Íris do céu clara(17), que anuncia a chegada da libertação: o Salvador, Jesus Cristo
— vitória do bem sobre o mal. Confiante, pois, no vosso materno consolo, prossigo a minha peregrinação no
meio das perseguições do mundo e das consolações de Deus(18). Ó Consoladora minha, eu me refugio em vós,
não me deixeis indefeso(19). Vós, que tendes duas asas d’águia(20), voai, às pressas, às montanhas das alturas
celestes, ide à casa do Altíssimo, defender essa minha causa. A sombra dEle desceu sobre Vós um dia, tornando-
Vos o reservatório de todas as graças. Agora, ao som dos vossos rogos maternos, ouvindo esse meu humilde
clamor, Seu poder desça à terra árida do meu coração, para livrar-me, sem demora, das opressões do pecado e
fazer-me, enfim, subir à terra fértil da Sua graça.
D. Proteção, luz e guia
T. É a Correia da Virgem Maria!
(Pai-Nosso/Ave-Maria/Glória ao Pai)
Terceira Oração
Doce Mãe da Consolação, Vós que consolastes à santa Mônica, — chorando os extravios do filho, Agostinho, e
que fostes dele, já convertido a Deus, o amparo e a força com que venceu os inimigos de vosso Filho, ouvi a
minha oração e socorrei-me em todas as necessidades. Os vossos olhos misericordiosos a mim volvei, Senhora
da Consolação! Sabeis o que tenho que fazer em casa, com o amigo, com o vizinho, com os dependentes, com o
superior, com o inferior. Sabeis também de que modo Deus oferece-me as ocasiões, de que maneira abre-me a
porta com a sua palavra. Portanto, não queirais viver tranquila até conquistar-me para Cristo, porque vós fostes
conquistada por Cristo(21). Conheço a minha miséria e sei que de nada valem os meus merecimentos. Mas
conheço também o vosso carinho maternal e sei que nunca deixastes sem consolo os que a Vós acorreram,
confiantes na vossa misericórdia, ó Mãe amorosa. A Vós, pois, confio as alegrias e tristezas, as dores e os
trabalhos; o presente e o futuro, esperando que, por vossa bendita Correia, alcanceis para o mundo a paz, e
para nós, vossos filhos prediletos, a felicidade de poder amar-Vos fielmente na terra e louvar-Vos para sempre
com o vosso Filho, no céu. Amém.
D. Ó Mãe Consoladora, que tudo alegrais,
T. Sois vós o consolo dos pobres mortais!
(Pai-Nosso/Ave-Maria/Glória ao Pai)

Consagração à Nossa Senhora da Consolação e Correia


Ó minha Senhora e minha Mãe, Virgem Santíssima da Consolação, Mãe e Rainha da Ordem Agostiniana, eu me
encomendo à vossa bendita fidelidade e singular proteção e, no seio de vossa misericórdia, consagro-vos os
meus trabalhos, meus sofrimentos e alegrias, o meu corpo, a minha alma e toda a minha vida. Eu vos consagro a
minha família. Ó Virgem Maria, livrai-nos de todo o mal, das doenças e do pecado. Abençoai todas as famílias,
os doentes e as crianças. Entrego-vos as horas de hoje, cada dia e, na hora da morte, minh’ alma e meu corpo,
minhas esperanças, consolações e penalidades, toda a minha peregrinação terrestre e o fim dela, para que, por
meio de vossa santíssima intercessão e merecimentos, todas as minhas obras dirijam-se e se disponham
conforme a Vossa vontade e a de Vosso Filho Santíssimo. Assim espero. Assim seja.

Consagração da Ordem dos Agostinianos Recoletos à Santíssima Maria feita pelo Mártir de Cristo Beato
Vicente Soler no Ano de 1926
(para ser rezada todo dia 4 de cada mês)
Amorosa Virgem da Consolação, Mãe de Deus e nossa Mãe! Aqui está, humildemente prostrada aos vossos pés,
esta filha de vossa predileção, nossa amada Ordem dos Agostinianos Recoletos, que hoje se consagra ao vosso
serviço e ao vosso santo amor, e, por vossa mediação ao vosso Santíssimo Filho Jesus. Vós bem sabeis, ó Mãe
Amorosa da Consolação, que desde os primeiros dias da nossa existência, do mesmo berço da Recoleção, fomos
sempre vossos, e vossos queremos ser perpetuamente. Animados pelo espírito dos nossos fundadores,
queremos neste dia renovar em vossa presença aqueles sentimentos de amor e gratidão, de devoção ardente
que vos professaram, fazendo-vos total entrega de quanto somos e temos, para que de agora em diante
disponhais de nós como melhor vos parecer, pois só desejamos cumprir vossa santa vontade. Vós, Senhora
nossa, tendes regido sempre os passos de nossa Ordem e tendes iluminado nossas inteligências para seguir sem
vacilar os ensinamentos da Santa Igreja, e tendes inflamado nossos corações no vosso amor e no amor do vosso
Filho Jesus, para realizar grandes coisas em vossa honra. Desejando caminhar por este caminho de luz e de amor
que nos traçaram nossos antepassados, hoje viemos, ó Mãe Querida, consagrar-vos não só as nossas pessoas e
ações, mas também esta Ordem de Agostinianos Recoletos, da que somos filhos. Consagramo-vos, agora e vos
dedicamos solenemente, e pomos em vossas mãos nossa amada Ordem com todos e cada um dos religiosos que
a formam, e com toda as províncias, conventos, colégios e casas que a integram. Consagramo-vos a ciência dos
nossos sábios, a virtude dos nossos santos, o zelo dos nossos missionários e o heroísmo dos nossos mártires;
fazemo-vos perpétua entrega dos nossos superiores e dos súditos, dos jovens e dos velhos, e de todos os filhos
da Recoleção Agostiniana. Em vossas mãos virginais pomos, ó Mãe Amorosa, nossas almas com todas as suas
aspirações, nosso coração com seus afetos, nossas potências e sentidos, nossos projetos e necessidades, todo
nosso ser, toda nossa vida, todo quanto somos e temos, para que tudo possa assim vos honrar, vos glorificar e
vos amar, e em vós ao vosso divino Filho Jesus. Reinai, Nossa Senhora e Querida Mãe da Consolação, reinai em
nossa Ordem como coisa e propriedade vossa; reinai em todos seus filhos para que todos sejam escravos do
vosso amor, e dignai-vos ratificar diante do vosso amado Filho Jesus, esta consagração que acabamos de fazer,
para que, cumprindo-a como vós desejais, vivamos sempre entregados ao vosso santo amor e morramos no
ósculo do Senhor e amparados sob o manto da vossa maternal proteção. Amém.
OREMOS: Senhor Jesus Cristo, que por inefável providência quisestes que tudo recebêssemos por meio de
Vossa Mãe, Maria, fazei que, venerando-a com o suavíssimo título de Mãe da Consolação, mereçamos gozar
continuamente a alegria do seu auxílio e proteção. Vós que sois Deus, com o Pai, na unidade do Espírito Santo.
T. Amém.

Liturgia da Palavra
Aclamação ao Evangelho
Leitura bíblica
(Homilia)
T. Amém.

Oração dos Fiéis


1. Todas as criaturas são convidadas a bendizer o Criador(22). Para que saibamos utilizar com amor, gratidão e
respeito os bens que a Divina Providência nos concede, rezemos:
T. Nossa Senhora da Consolação, consolai-nos e atendei-nos!

2. Jesus ordenou aos seus Apóstolos: “Não lanceis as coisas santas aos cães” (23). Para que tenhamos respeito
pelo sagrado e o manifestemos corajosamente em nossos pensamentos, palavras e conduta, especialmente em
relação ao Santíssimo Sacramento da Eucaristia e ao culto da Virgem Maria, rezemos:

3. A Escritura ensina que o corpo humano “é santuário do Espírito Santo”(24). Para que saibamos guardar em
nossos cora-ções o Divino Hóspede, com profundo amor e adoração, a-través da prática serena e corajosa da
pureza do corpo e do espírito, rezemos:

4. A Virgem Maria guardava no seu coração a Palavra de Deus e fazia dela objeto de constante meditação(25).
Para que sejamos fiéis aos ensinamentos de Cristo e da sua Igreja, e os vivamos com jubilosa perseverança,
rezemos:
5. Para que, pela amorosa intercessão da Virgem Maria, Rainha e Mãe da Consolação caia por terra a violência
da miséria, do desemprego, da fome, das drogas e dos seqüestros, que, dolorosamente, assolam nossa
sociedade, através do esforço cristão de legisladores, governantes e de todos os demais responsáveis pela
solução de tão graves problemas, rezemos:

6. Para que se fortaleça sempre mais a união e a colaboração entre o Papa, os Pastores da Igreja, os religiosos
e as religiosas, chamados a um estado de maior perfeição, a fim de que, por seu testemunho efetivo de
caridade e humildade, não tarde a raiar o dia da plena união de todos os cristãos, peçamos ao Senhor:

7. Pelos cristãos perseguidos; por aqueles que não têm liberdade de expressar sua fé; pelos apóstolos leigos,
que semeiam no sofrimento a Palavra de Deus, para que não sucumbam perante as dificuldades, mas
perseverem com firmeza no cumprimento de sua missão, rezemos:

Bênção Simplificada da Sagrada Correia, da água e demais objetos


Sacerdote: O Senhor esteja convosco!
Fiéis: Ele está no meio de nós!
Sacerdote: Como a mãe consola o seu filho...,
Fiéis: ...assim eu vou consolar vocês. (26)— diz o Senhor.
Sacerdote: Ó Deus, a quem a fé nos estimula, a esperança nos eleva e o amor nos une. Deus, abaixo de quem
está tudo, em quem está tudo, com quem está tudo. Deus, verdadeira e suprema Vida, em quem, por quem e
mediante quem tem vida tudo o que goza de vida verdadeira e plena(27), em nome de Nosso Senhor, Jesus
Cristo, vítima inocente que aceitastes ser imolada para salvação de todos nós, confiantes, suplicamos que Vos
digneis abençoar + essas correias que cingirão esses vossos filhos, a fim de que, envoltos pela vossa graça e sob
o influxo do Espírito Santo, estejam agora atados à prontidão para Convosco e para com o próximo, como
sempre esteve a Santíssima Virgem Maria. E que presos a elas, sejam vigilantes, permaneçam firmes na fé,
sejam fortes e façam tudo com amor, cooperando como cristãos na Vossa obra de Salvação.(28) Por Vosso
diletíssimo Filho e Nosso Senhor, Jesus Cristo, que convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo.
Fiéis: Amém!
Sacerdote: De igual modo, também Vos suplicamos ó Deus, Todo-Poderoso, que, ainda pela mesma mediação
da Virgem da Consolação e Correia, abençoeis + a água e esses outros objetos que, com devoção sincera, o
Vosso povo trouxe ante Vosso altar. Isso Vos pedimos, por Jesus Cristo, Vosso Filho e Nosso Senhor, na unidade
do Espírito Santo.
Fiéis: Amém.

Bênção Solene da Sagrada Correia, da água e demais objetos


Sacerdote: O nosso auxílio está no nome do Senhor,
Fiéis: que fez o Céu e a terra.
Sacerdote: Ouvi, Senhor, nossa oração!
Fiéis: Que chegue a vós o nosso clamor!
Sacerdote: Como a mãe consola o seu filho...,
Fiéis: ... assim eu vou consolar vocês.(29) — diz o Senhor.
Sacerdote: Ó Deus, que nos despís daquilo que não é e nos revestes daquilo que é. Deus, por quem somos
admoestados a estar atentos. Deus, por quem evitamos as coisas más e seguimos as boas. Deus, por quem não
caímos diante das adversidades. Deus, que nos fortificas. Nós Te invocamos, Deus, por quem vencemos o
inimigo(30), para que volveis, agora, o vosso olhar misericordioso sobre esses fiéis devotos da Consolação e
sobre essas correias com as quais cingir-se-ão, dignando-Vos + abençoá-las, a fim de que, com elas adornados, e
pela materna intercessão da Virgem Maria, que abraçou vossa vontade salvífica com coração pleno(31), deixem-
se cercar, em plenitude, pela Vossa graça, para que nela, atentos e fortalecidos, evitem o que não for bom,
estejam bem firmes: cingidos com o cinturão da verdade(32), que lhes vai atar as feridas(33) do pecado,
tornando-os vitoriosos contra todo poder do mal, geradores e colaboradores da vida e da libertação. Por Vosso
diletíssimo Filho e Nosso Senhor, Jesus Cristo, que convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo.
Fiéis: Amém.
Sacerdote: O Senhor cingiu-nos com rico ornamento(34)
Fiéis: Cingiu-nos com vigor para o combate(35)
Sacerdote: Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, Deus de toda consolação!.(36)
Fiéis: Ele nos consola em todas as nossas tribulações,...
Sacerdote: ...para que possamos consolar os que estão em qualquer tribulação,
Fiéis: através da consolação que nós mesmos recebemos de Deus.
Sacerdote: De igual modo, também Vos suplicamos ó Deus, Todo-Poderoso, que, ainda pela mesma mediação
da Virgem da Consolação e Correia, abençoeis + a água e esses outros objetos que, com devoção sincera, o
Vosso povo trouxe ante Vosso altar. Isso Vos pedimos, por Jesus Cristo, Vosso Filho e Nosso Senhor, na unidade
do Espírito Santo.
Fiéis: Amém.

Bênção do Santíssimo Sacramento


Tão sublime Sacramento / adoremos neste altar,/ pois o Antigo Testamento / deu ao Novo o seu lugar. /Venha
com fé, por suplemento, / os sentidos completar.
Ao eterno Pai cantemos / e a Jesus, o Salvador. /Ao Espírito exaltemos! / Na Trindade, eterno amor. / Ao Deus
Uno e Trino demos / a alegria do louvor. Amém.

Sacerdote: Do céu, lhes destes o pão. (T.P. Aleluia)


T. Que contém todo sabor. (T.P. Aleluia)

Oremos: Senhor, que, neste admirável sacramento, nos deixastes o memorial de vossa paixão, concedei-nos a
graça de venerar de tal modo os sagrados mistérios de vosso corpo e sangue, que possamos experimentar
sempre em nós o fruto de vossa redenção. Vós que viveis e reinais com o Pai e o Espírito Santo.
T. Amém.

Canto de Adoração
Eu Te adoro, Hóstia divina / Eu Te adoro, Hóstia de amor/ És dos anjos, o tesouro, / És dos homens, o dulçor!/
Eu Te adoro, Hóstia divina! / Eu Te adoro, Hóstia de amor!
Eu Te adoro, Hóstia divina, / Eu Te adoro, Hóstia de amor/ És dos fortes, a doçura / És dos fracos, o vigor!/ Eu Te
adoro, Hóstia divina! / Eu Te adoro, Hóstia de amor!
Louvores ao Santíssimo Sacramento
Bendito seja Deus.
Bendito seja seu Santo Nome.
Bendito seja Jesus Cristo, verdadeiro Deus
e verdadeiro homem.
Bendito seja o nome de Jesus.
Bendito seja o seu sacratíssimo coração.
Bendito seja o seu preciosíssimo Sangue.
Bendito seja Jesus Cristo no Santíssimo Sacramento do Altar.
Bendito seja o Espírito Santo, Paráclito.
Bendita a grande Mãe de Deus, Maria Santíssima.
Bendita seja sua Santa e Imaculada Conceição.
Bendita seja a sua gloriosa Assunção.
Bendita seja o nome de Maria, Virgem e Mãe.
Bendito seja São José, seu castíssimo esposo.
Bendito seja Deus nos seus Anjos e nos seus Santos

Oração pela Igreja, pelo Santo Padre e pela Pátria à Virgem da Consolação
Santíssima Virgem da Consolação, Maria, nossa mãe, vosso amado Filho, Jesus Cristo, nos disse: “Pedi e se vos
dará. Buscai e achareis. Batei e vos será aberto”(37). Nós Vos rogamos que olheis, com misericórdia, a vossa
Igreja: dando-lhe santos Pastores e dignos Ministros. Abençoai o Papa e os bispos, os sacerdotes e ministros,
religiosos e leigos. Abençoai a nossa paróquia, o nosso pároco. Lembrai-vos que sois Padroeira poderosa da
nossa Pátria! Abençoai o nosso governo e todas as pessoas constituídas em dignidade, para que governem com
justiça. Olhai com igual misericórdia o povo brasileiro que, com tanta predileção, tendes amado. Conservai-lhe o
Vosso amor, não obstante as suas culpas; mantende-o na fé católica, apostólica romana; conservai-o na sua
unidade, a fim de que sendo pela vossa intercessão defendido contra todos os erros e livre de toda dissensão,
dedicado unicamente ao serviço do vosso Divino Filho, em justiça e santidade, para que possa caminhar,
constantemente, ao fim que o próprio Senhor dispôs, merecendo que Jesus sempre seja o seu Protetor e chefe.
Ó Virgem e Mãe da Consolação. Colocamos sob vosso poderoso amparo a pureza e integridade da Santa Fé no
Brasil, e em todo Continente Americano, pois estamos seguros de que, enquanto vos reconhecermos como
Rainha e Mãe, a América, o Brasil estarão salvos.
D. Mãe da Consolação,
T. dDai ao nosso Brasil a vossa proteção!
D. Graças e louvores se dêem a todo momento
T. Ao Santíssimo e Diviníssimo Sacramento.
(Pai-Nosso/Ave-Maria/Glória ao Pai)

Bênção Final
P. O Senhor esteja convosco!
T. Ele está no meio de nós!
P. Abençoe-vos, Deus, Todo-Poderoso...
T. Amém.

Canto Final

Notas:
(1) Sl 94, 19; (2) Mt 5, 13; (3) Mt 11, 28; (4) Mt 5, 39; (5) Mc 9, 23; (6) Jo 8, 12; (7) Ct 2, 40; (8) Rm 5, 20; (9) Lc 1,
45; (10) Ecl 16, 31; (11) Sf 3, 12; (12) Sl 50, 19; (13) Ap 12, 4b; (14) Ofício da Imaculada Conceição; (15) Gn 3, 15;
(16) 2Pd 3, 13; (17) Ofício da Imaculada Conceição; (18) Sto. Agostinho, De Civitate Dei, XVIII, 51; (19) Sl 141, 8;
(20) Ap 12, 14; (21) Sto. Agostinho; (22) Dn 3,57-88; (23) Mt 7,6; (24) 1 Cor 6,19; (25) Lc 2,51; (26) Is 66, 13; (27)
Sto. Agostinho, Sol 3; (28) 1Cor 16, 13-14; (29) Is 66, 13; (30) Sto. Agostinho, Sol 3; (31) Lumen Gentium, 144;
(32) Ef 6, 14;(33) Os 6, 1; (34) Eclo 45, 6.8; (35) Sl 18, 40; (36) Sl 86, 17; (36) 2Cor 1, 4; (37) Mt 7,7

PEREGRINAÇÂO DA IMAGEM DE NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÂO E CORREIA


Roteiro
I – Rito de chegada da Imagem
Prece de Entrega da Imagem para o Dia de Abertura
(Para ser lida pelo Dirigente à porta de entrada da 1ª casa, quando tem início o ciclo das peregrinações)
A paz esteja convosco!
Peregrinamos até aqui para trazer-lhes essa imagenzinha de Nossa Senhora da Consolação. É singela e pobre —
nem de perto, reproduz a Nossa Senhora que o livro do Apocalipse descreve como “vestida de sol, com
diademas de estrelas e com a lua debaixo dos pés”. É apenas um sinal a nos apontar que a Virgem Maria está no
céu, pronta para sempre socorrer e consolar os seus filhos, neste vale de lágrimas que é a vida. Que esta casa,
pois, receba a imagem de nossa Rainha e Mãe da Consolação: Vida, Doçura e Esperança dos cristãos, a fim de
que também fique cheia do Espírito Santo. Assim seja.

Prece da Família que Entrega a Imagem


(Quando for possível, a família que entrega a imagem fica na porta da casa da família que a recebe e faz esta
oração antes de entrar)
A paz esteja convosco também!
Com minha família, peregrinei até aqui para trazer-lhes essa pequena imagem de Nossa Senhora da Consolação,
que passou o dia de ontem conosco. Lá, em casa, rezamos, meditamos e procuramos passar as horas em
sintonia com o coração dela e do seu Filho Jesus. Esta imagenzinha é singela e pobre — nem de perto, reproduz
a Nossa Senhora que o livro do Apocalipse descreve como “vestida de sol, com diademas de estrelas e com a lua
debaixo dos pés”. É apenas um sinal a nos apontar que a Virgem Maria está no céu, pronta para sempre
socorrer e consolar os seus filhos, neste vale de lágrimas que é a vida. Que esta casa, pois, receba a imagem de
nossa Rainha e Mãe da Consolação: Vida, Doçura e Esperança dos cristãos, para que também fique cheia do
Espírito Santo!

Prece da Família que Recebe a Imagem


(Todos da família que recebe a Imagem rezam em tom vibrante)
Como podemos merecer que a Mãe do Nosso Senhor venha visitar-nos? Bem-vinda, pois, sejais em nossa casa,
Senhora da Consolação!
Não podemos receber-vos em pessoa, mas vos recebemos nessa imagem. A casa é vossa, ela vos pertence.
Entrai!
(Alguém da família recebe a Imagem e a coloca no lugar preparado. Todos entram)
Nós vos recebemos de braços abertos! Não queremos ser como as famílias da antiga Belém, que não tinham
lugar para vós, para São José e para o Menino Deus prestes a nascer. Vinde, doce Mãe da Consolação, peregrina
na Visitação, Estrela da Evangelização! “Onde está a mulher, está o Espírito.” Inquieto está nosso coração ante
vosso convite: “Fazei tudo o que meu Filho vos disser”. Vinde, ó Maria, e como na casa de Santa Isabel, trazei-
nos Jesus, o Filho do Deus Altíssimo, o vosso Filho divino. Trazei consolação para nós e nossos vizinhos. Trazei-
nos a Paz.

II – Rito de Permanência da Imagem na casa


(Esse momento é dedicado às preces em família. Por isso mesmo, durante o dia, todos da casa tirem um tempo
para fazerem juntos, diante da imagem, as orações abaixo e outras mais que quiserem.)

Oração do Casal à Nossa Senhora da Consolação e Correia


Ó Nossa Senhora da Consolação, unidos pelo laço matrimonial, como marido e mulher, vimos diante de vossa
pequena imagem, implorar-vos bênção de proteção e amparo ao nosso casamento. Nesse mundo recheado de
desamor e relações descartáveis, Vossa materna presença em nossa casa torne-a reflexo da de Nazaré, onde
com José vivestes a mais perfeita comunhão espiritual. Haja, portanto, o diálogo, o zelo e a fidelidade entre nós,
além do cuidado de um para com o outro, a fim de que, enlaçados com a Vossa Sagrada Correia, ainda que nas
dificuldades e tribulações, nas cruzes e dores, nas alegrias e êxitos, acima de tudo, vistamo-nos com o amor, que
é o laço da perfeição.(1) Auxiliai-nos, pois, para que sempre reexaminemos nossa união cristã à luz do vosso
amor e do vosso consolo. Ó Mãe de toda Consolação, atai-nos à vossa Sagrada Correia, para que não se desfaça
a aliança de amor nem se desate o vínculo de comunhão que nos juntou um dia, pois o que Deus uniu, o homem
não deve separar.(2) Amém.
D. Ó Mãe da Consolação,
T. Criai entre nós a perfeita Comunhão!
(3 Ave-Marias)

Consagração da Família à Nossa Senhora da Consolação e Correia


(Toda família ou o casal deve rezá-la)
Ó Virgem da Consolação, nós vos consagramos hoje o nosso lar e todos os que nele habitam. Que a nossa casa
seja, como a de Nazaré — uma morada de paz e de felicida-de na prática da caridade e do pleno abandono à
Divina Provi-dência. Sede o modelo de nossa família, ó Maria, regrando-nos os pensamentos, os atos e toda a
nossa vida. É bem me-díocre esse tributo de amor que aqui fazemos, mas aceitai, ao menos, a homenagem que
vem da nossa boa vontade, a fim de que a Vossa doce Consolação tempere-nos a convivência diária com
harmonia e comunhão. Amém.
D. Ó Consolação de Maria,
T. Que vivamos sempre na vossa materna companhia!
(3 Ave-Marias)

Consagração dos Filhos à Nossa Senhora da Consolação e Correia


(Os pais devem rezá-la juntos)
Ó Nossa Senhora da Consolação, à Vossa maternal consolação confiamos os nossos filhos e vo-los consagramos
inteiramente, desde à sua mais tenra infância, a fim de que a vossa poderosa proteção os acompanhe por toda
parte. Velai sobre eles. Conservai-lhes a inocência da alma e a saúde do corpo. Obtende-lhes da divina bondade
a luz às suas inexperiências, o apoio nos momentos de fraqueza, e o freio às suas paixões, a fim de que se
encaminhem sempre pelos caminhos da verdade e do bem. Intercedei, ó Mãe da Consolação, para que o Senhor
envie um raio de seu temor salutar ao íntimo dos nossos filhos — temor que é princípio de toda a sabedoria.
Protegei-os, ó Mãe, na luta enérgica contra o respeito humano, companhias funestas e ocasiões perigosas. E,
depois de terem constantemente servido ao Senhor sobre a terra, possam ser recebidos no céu, por Vós,
ganhando a eterna recompensa pelo curso de uma vida santa e edificante. Assim seja.
D. Nossa Senhora da Consolação
T. Que a nossa família viva na paz e na união!
(3 Ave-Marias)

Consagração da Casa à Nossa Senhora da Consolação e Correia


(Toda família ou o casal deve rezá-la)
Ó Santíssima Virgem Maria, doce Mãe da Consolação, a quem Deus constituiu consoladora dos cristãos, eu vos
escolho como senhora e protetora de minha casa. Enlaçando-a com Vossa Sagrada Correia, dignai-vos mostrar
aqui vossa consolação poderosa, preservando-a dos perigos de incêndio, inundações, raios, tempestades e de
tantas outras catástrofes e calamidades. Preservai-a também da presença de assaltantes, assassinos,
estupradores, sequestradores, malfeitores e de toda e qualquer outra forma de violência. Abençoai, protegei,
defendei e cingi com Vossa Sagrada Correia os que nela vivem como propriedade Vossa, concedendo-lhes,
sobretudo, a graça mais importante: a de viverem sempre na amizade de Deus, evitando o pecado. Dai-lhes a
mesma fé que tivestes na Palavra de Deus e o mesmo amor que nutristes para com o Vosso Divino Filho Jesus e
para com todos aqueles pelos quais Ele morreu na cruz. Ó Consoladora Nossa, rogai sempre por todos os que
vivem nesta casa que agora vos foi consagrada. Amém.
D. Nosso consolo e alegria
T. É a Correia da Virgem Maria!
(3 Ave-Marias)

Oração da Mãe à Nossa Senhora da Consolação e Correia


Ó Minha Mãe querida, doce Virgem da Consolação, fazei de Vossa Sagrada Correia o canal por onde agora
possam chegar todas as graças e bênçãos ao meu materno coração. Cingindo-o, olhai-o, pois está totalmente
aberto e voltado para Vós. Vede as dores, tristezas, preocupações, medos e tantos outros sentimentos ali
guardados e que só mesmo um coração materno pode comportar... Sabeis das minhas muitas falhas e faltas
quando não me espelho em Vós frente aos desafios, cruzes, desassossegos, espinhos e tribulações dessa missão
materna que Deus confiou-me. Mas Vos rogo: enfaixai-me com Vossa Sagrada Correia, de forma que sejam
curadas todas as feridas de minha alma, causadas pelos assaltos da tentação, da confusão, da falta de fé e da
distração. Ó Mãe de toda Consolação, ensinai-me a permanecer na paz e a cultivar a esperança, mesmo quando
não entender os desígnios de Deus na minha vida e na de cada um dos meus filhos, pois Ele sabe tudo. Vós, que,
mesmo sabendo da condição divina de Vosso Filho, não deixastes de transmitir-lhe a Palavra de Deus, ajudai-
me, a fim de que também eu seja sábia educadora na fé dos meus, incutindo-lhes no coração a vivência das
Sagradas Escrituras, para que, em meio às inquietações de seu coração, vejam em Jesus o verdadeiro descanso
salvador para sua vida. Tomai-os agora em vosso colo maternal, e aí, com Vosso amor, consolai-os em todos os
momentos da vida. Amém.
D. Pela vossa Santa Conceição,
T. Cingi-me, ó Mãe de toda Consolação!
(3 Ave-Marias)

Orações para a Família Rezar Unida


• Terço de Nossa Senhora da Consolação
• Ladainha de Nossa Senhora da Consolação

III – Rito de Saída da Imagem


(Para que a família partilhe já com toda a comunidade presente)

Orações Iniciais para Todos os Dias


a) Ao Espírito Santo(3)
Vinde instantemente, ó Espírito Divino, consolador dos aflitos! Vinde, ó Santificador das almas, Mestre dos
humildes, Pai santo dos órfãos, Sustentáculo dos pobres, infundi no íntimo de nossa alma a força da Vossa
divina graça. Sustentai nossas fraquezas com o vosso poderoso braço. Inflamai nossa tibieza com o fogo
santíssimo. Penetrai santamente o nosso coração com uma seta da vossa caridade suavíssima. Dai-nos a provar
uma gota das vossas celestiais doçuras, para que, no futuro, aborreçamos todos os prazeres mundanos, e so-
mente procuremos gozar as doçuras que vêm de vós, ó Espírito Santo. Amém.

b) À Nossa Senhora da Consolação e Correia


D. Vinde, ó Deus, em meu auxílio.
T. Socorrei-me sem demora.
D. Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
T. Como era no princípio, agora e sempre. Amém.
Antífona: À vossa proteção recorremos, santa Mãe de Deus; não desprezeis as nossas súplicas em nossas
necessidades, mas livrai-nos sempre de todos os perigos, ó Virgem gloriosa e bendita. Amém.

• Cântico à Nossa Senhora da Consolação e Correia

Demais Orações para Todos os Dias


• Meditação Diária
• Coroa de Nossa Senhora da Consolação e Correia

Breve Consagração à Nossa Senhora e Correia


Ó Nossa Senhora da Consolação, nós queremos hoje nos cingir com Vossa Sagrada Correia, prendendo-nos à
Vossa autoridade de Mãe e Rainha. Entregamo-Vos e a Vós consagramos, com submissão e amor, nosso corpo
perecível, com os sentidos e membros que estão a serviço de nossa alma, para que de ambos possamos dispor
conforme nos inspirais. Consagramo-Vos também os alimentos que comemos, as roupas que vestimos, a casa
onde moramos, as economias de que dispomos e as demais posses materiais. Consagramo-Vos, ainda, as
virtudes, os dons que o Espírito Santo concedeu-nos, a riqueza de nossa vida sobrenatural, o mérito das santas
ações e tudo mais que por Deus foram-nos concedidos. Fazendo uso da liberdade de filhos de Deus, queremos
dar-Vos inteiro e pleno direito de dispor de nós e de tudo o que nos pertence, sem exceção, segundo Vossa boa
vontade, para maior glória de Deus. Amém.

Oração de Despedida
(Toda família reza unida)
Nossa Senhora da Consolação, Mãe querida e bondosa, lá se foi o tempo de Vossa imagem peregrina
permanecer em nossa casa... Sabemos, entretanto, que quereis visitar também outros vossos filhos. Mas a
saudade fica em nossos corações! Ó doce Mãe de toda Consolação, recompensai os que se empenharam na
organização e direção dessa Vossa peregrinação até nossa casa, especialmente, a Vossa amada Ordem
Agostiniana Recoleta. Favorecei-a com numerosas vocações sacerdotais, leigas e religiosas, intercedendo junto
ao Cristo para tenha operários santos. Enlaçai com Vossa Sagrada Correia todos os que direta e indiretamente
esforçaram-se para o êxito dessa jornada, dispensando-lhes a força e a consolação que reservais aos vossos
filhos fervorosos e piedosos. E a todos nós, por Vossas Mãos, dai-nos a bênção, de Paz e de Consolação, do Deus
Pai, Filho e Espírito Santo. Amém

Notas
(1) Col 3, 14; (2) Mt 19, 6;(3) Sto. Agostinho.

Meditação diária para as peregrinações


1º Dia
HOJE É DIA DE ABERTURA
A) Antífona:
“Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a sua palavra”
B) Leitura: Lc 1, 6-38
C) Meditando e guardando as coisas no coração:
A vida normal de Nossa Senhora foi surpreendida pela inesperada “entrada” de Deus. Encontrando “a porta
aberta”, Ele foi chegando, na figura de um anjo, para pedir-lhe um favor: servir-se do seu seio virginal como se
fosse um altar, a fim de ali, por Sua vontade, iniciar, com Jesus, o sacrifício de salvação da humanidade. Ela tinha
outros planos e sonhos pessoais. Mas, sabendo do valor daquela resposta, da necessidade que Deus tinha dela
no momento para concretizar um sonho há tanto esperado, disse um “Sim” firme e incondicional — consolo
para a humanidade — ainda que se achando pequena e insignificante como uma “serva”, mas sem muito falar
nem fazer mil e uma coisas para impressionar... Também podemos ser surpreendidos pela chegada de Deus
num insignificante peregrino, faminto, enfermo, cativo, sedento ou pedinte..., querendo achar “aberta a porta”
para entrar e pedir favores, que, dependendo do nosso “sim”, podem “salvar-lhes” a vida, concretizando-lhes
um sonho, uma esperança... — independentemente dos planos e projetos pessoais que traçamos. E isso nos faz
aprender com Nossa Senhora que Deus pode estar muito perto, “à porta”, querendo um favor, e que pra deixá-
lo entrar, basta pouco: a boa vontade de abrir a mente e o coração à prática de atitudes concretas que
reflitam compromisso, mas fiel e perseverante, com a Sua santa vontade, que pode resultar em grandes feitos.
D) “Como se fará isso?”
(Motivar um questionamento acerca de se no decorrer do dia disseram “sim” aos acontecimentos por amor ou
por obrigação. Se souberam receber o peregrino, faminto, enfermo, cativo, sedento ou pedinte que lhes cruzou
o caminho, “interferindo-lhes” nos planos e projetos pessoais. Se a “porta interior” esteve aberta ou fechada.)
E) A Correia e o correr da história
O título de Nossa Senhora da Consolação é divulgado no mundo inteiro pela Ordem dos Agostinianos, pois,
segundo uma lenda, a esse título se deve a conversão de Santo Agostinho, que tomou como protetora a
Consoladora dos Aflitos. Assim, seus filhos espirituais, os agostinianos, encarregaram-se de divulgar tal devoção.
Nossa Senhora da Consolação é invocada como padroeira dos lares, promovendo a harmonia no seio das
famílias e a conversão dos filhos desviados, contando com grande número de devotos, pois, que o sentimento
mais profundo do coração humano é o desejo de felicidade. Todavia, o sofrimento é o que há de mais comum
entre os homens, daí por que há a necessidade de consolo. Essa história de devoção para com a Sagrada Correia
da Virgem Maria é bem antiga, e tem origem num costume da Judéia, por conta do qual as mulheres andavam
cingidas com uma correia, desde pequenas, como símbolo de pureza. Logo, como toda judia, a Santíssima
Virgem também usou tal correia, e durante toda sua vida, tendo sido, portanto, com a mesma enterrada.

2º Dia
HOJE É DIA DE VISITA
A) Antífona:
“Maria se levantou e foi, às pressas, às montanhas, a uma cidade de Judá”
B) Leitura: Lc 1, 39-45
C) Meditando e guardando as coisas no coração:
Nossa Senhora é Mãe que sempre acolhe a todos em seu coração. Ela não deixa ninguém esperando por muito
tempo na porta, porque Deus lhe deu um coração compassivo e mi-sericordioso. Quando alguém chama,
quando alguém bate à porta, a Consolação não atende pela janela... Ela sai “às pressas” para receber os filhos
junto à porta bem aberta, quer vistam a túnica perfumada da graça ou os farrapos do filho pródigo... Para
encontrar seu consolo não é preciso marcar dia e hora na agenda, basta apresentar-se diante dEla com um
pouco de boa vontade. De igual modo, aprendamos dEla a capacidade de nos desinstalarmos “às pressas” para
o compromisso com as necessidades dos irmãos.
D) “Como se fará isso?”
(Motivar um questionamento acerca de como acolheram o outro no dia de hoje: se prestigiaram só o da túnica
perfumada e desprezaram o dos farrapos de filho pródigo. Se alguém se desinstalou para consolar um
necessitado(a). Se os favores prestados no dia de hoje foram feitos de coração compassivo e misericordioso ou
só para aparecer.)
E) A Correia e o correr da história
Por ocasião da morte de Nossa Senhora, narra uma tradição muito venerada, achavam-se, por inspiração divina,
reunidos os Apóstolos junto dela, que receberam suas últimas palavras e despedidas, exceto São Tomé, que,
estando muito longe, chegou três dias depois, quando já estava sepultada a Santíssima Virgem. Ele ficou
tristíssimo e com um grande desejo de vê-la. Os Apóstolos, que ainda velavam o sepulcro, para consolá-lo
removeram a pedra que o fechava; porém, com espanto geral viram que o corpo puríssimo de Nossa Senhora lá
não estava, encontrando-se apenas as suas vestes e a correia no meio de rosas que exalavam um suave aroma.
O desconsolado Apóstolo venerou com muito respeito, aquelas preciosas relíquias, que ficaram guardadas na
mesma sepultura. Por devoção e como lembrança da Santíssima Virgem, usou São Tomé, desde aquele dia, uma
correia, e com ela realizou um estupendo prodígio, que a tradição conserva.

3º Dia
HOJE É DIA DE CERTEZAS
A) Antífona:
“Hoje, na cidade de Davi, nasceu para vocês um Salvador, que é o Messias, o Senhor.”
B) Leitura: Lc 2, 1-20
C) Meditando e guardando as coisas no coração:
Hoje, Nossa Senhora vem trazer-nos a certeza de que Deus ouve as nossas preces, pois “O povo que andava nas
trevas viu uma grande luz, e uma luz brilhou para os que habitavam um país tenebroso.”(1). Assim, às trevas das
nossas angústias, tristezas, às trevas das dores, aflições e tormentas, brilha a luz da graça divina na medianeira
intercessão da Virgem Maria, cujo “Sim” trouxe-nos a esperança ao que nos era “tenebroso”, na frágil figura de
uma criança. Frágil como criança é também nossa fé, que, por vezes, balança e, então, duvidamos, chegando
mesmo a crer que Deus não vai, não quer ou não pode agir... Aí entra o colo daquela Mãe bem-aventurada que
acreditou, e, por conta disso, cumpriram-se-lhe todas as promessas que da parte do Senhor lhe foram ditas. É
aquele mesmo colo que envolve com faixas de consolo, conselhos e preces e deita na manjedoura dos braços
divinos. Nossa Senhora faz-nos curativos nas quedas, nutre-nos com seu exemplo, e por sua intercessão, ensina-
nos a andar a passos mais largos na vida de fé, a fim de também sermos bem-aventurados pela capacidade de
crer, pois, pela intimidade que teve com Jesus, pode fazer-nos chegar bem perto dEle. Hoje, apesar do cansaço,
das dificuldades, apesar de todas as barreiras, de todas as frustrações e decepções, a Mãe vem convidar-nos a
recomeçar..., pois para nós “nasceu o Salvador”, isto é, a certeza da libertação de todo jugo opressor das dores,
doenças, dificuldades, e todo revés de provações e privações, pois, “se o Filho libertar, todos ficarão realmente
livres”.
D) “Como se fará isso?”
(Motivar um questionamento acerca de como andou a fé no dia de hoje: se alguém duvidou, ou mesmo,
“balançou”, diante de algum acontecimento, achando que Deus não viria em seu socorro. Se, mesmo diante de
um momento de cansaço, dificuldades ou frustrações, houve disposição para aceitar o convite de Maria. Se
alguém ali, que esteja passando por graves dificuldades, crê, verdadeiramente, que “será livre”)
E) A Correia e o correr da história
De acordo com a tradição, Tomé foi o apóstolo mais arrojado na missão. Seu caráter e suas provas o fizeram um
excepcional. Não se tem muitos dados confirmados sobre seu apostolado, mas lendas e tradições acumulam-se.
Os sírios e os armênios o consideram o grande apóstolo do Oriente, pois pregou a Boa Nova do Evangelho em
várias partes de lá, como Irã, Iraque e Afeganistão, tendo mesmo chegado até a Índia, onde fundou uma
tradição cristã que atravessou os séculos. Com a impetuosidade de seu caráter, quis construir uma igreja em
honra da Mãe de Deus, encontrando uma grande resistência por parte do rei e dos ministros da falsa religião
daquele povo. A providência permitiu que as ondas do mar jogassem na praia uma colossal viga. O rei mandou
que aquela fosse transportada a Meliapor, onde seria empregada nas obras do palácio real que estava em
construção. Para esse transporte foram empregadas máquinas, elefantes, etc., porém, todos os esforços foram
inúteis. São Tomé ofereceu-se, então, para levá-la sozinho se lha dessem para sua igreja. O rei, julgando ser isto
impossível, cedeu, mais por curiosidade e zombaria, do que para agradar ao Apóstolo. O servo de Deus, tendo
feito o sinal da Cruz, atou ao toro a Santa Correia e puxou-o só e sem dificuldade alguma até ao lugar da igreja.
À vista deste milagre, o rei e muitos infiéis se converteram e, desde então, veneraram a Sagrada Correia que, em
reverência de Maria Santíssima, cingia o apóstolo São Tomé.

4º Dia
HOJE É DIA DE OFERTA
A) Antífona:
“Terminados os dias da purificação deles, conforme a Lei de Moisés, levaram o menino para Jerusalém, a fim de
apresentá-lo ao Senhor”
B) Leitura: Lc 2, 22-35
C) Meditando e guardando as coisas no coração:
Nossa Senhora foi ao Templo de Jerusalém e ficou lá, na fila da porta oriental, com outras mulheres, esperando
a vez de apresentar seu menino a Deus, pois era de lei que o filho primogênito fosse de propriedade do Senhor.
Estando longe de casa e do que era seu, tudo o que tinha, além da companhia de José, era aquela criança nos
braços, envolta em panos. Mas, ainda que pobre e peregrina, não reteve a única riqueza que tinha: ofertou, sem
reservas, o fruto de seu ventre. Obediente, não só cumpriu a lei que determinava a “purificação” à mulher que
houvesse dado à luz — embora nem precisasse disso, pois que seu parto fora virginal, como também levou o
humilde pagamento para resgate do filho: um par de rolas e dois pombinhos — preço mínimo, determinado aos
mais carentes, ainda que vivendo a alegria da confirmação de Jesus como Salvador e ouvindo a profecia da
espada de contrariedades e dores pelas quais passaria, que, ainda assim, cooperaria com a obra da Salvação.
Com Nossa Senhora aprendamos a oferecer a Deus tudo o que temos e somos, sem retenções. Apresentemos-
lhe, sobretudo, obedientes e humildes, as contrariedades da convivência em casa, no trabalho, com os amigos,
na vida, além das dores e demais contradições, que, por seus santos desígnios, colaboram também com a obra
da Salvação à qual fomos chamados.
D) “Como se fará isso?”
(Motivar um questionamento acerca de se no dia de hoje alguém praticou alguma doação ou colaborou com a
obra da salvação. Se alguém ofereceu, sem restrições, do que tinha a Deus e de que forma. O que acreditam
poder deixar na novena como oferta espiritual ao Senhor?)
E) A Correia e o correr da história
Passados muitos anos, um novo acontecimento veio dar maior celebridade à Santa Correia: Juvenal, patriarca de
Jerusalém, encontrou no sepulcro da Santíssima Virgem a sua bendita Correia, e a Imperatriz Santa Pulquéria,
que viveu no século V, em Constantinopla, a fez transportar para lá e colocá-la numa magnífica igreja de Nossa
Senhora, construída para este fim. Filha de reis, Pulquéria teve que intervir várias vezes como imperatriz, mas o
lindo é que tudo fez para a glória de Deus. Ainda jovem, fez voto de virgindade a Deus, sendo seguida por duas
irmãs mais novas, formando assim, no palácio imperial, uma comunidade religiosa, contendo regulamentos que
dividiam a vida das princesas entre horas de trabalho, oração e meditação. A edificante piedade desta princesa
contribuiu eficazmente para que aumentasse a devoção à Sagrada Correia entre os fiéis da igreja grega, na qual
se estabeleceu uma festa de sua Invenção e outra de sua Trasladação. Quando morreu o imperador sem
herdeiros, Pulquéria decidiu-se casar com um alto oficial do exército, que com comprovadas qualidades morais,
soube administrar na paz o Império, enquanto a Santa se consumia em obras de caridade para com os pobres,
também empreendendo a construção de Igrejas e hospitais.

5º Dia
HOJE É DIA DE ENCONTRO
A) Antífona:
“Três dias depois, encontraram o menino no Templo. Estava sentado no meio dos doutores, escutando e
fazendo perguntas.”
B) Leitura: Lc 2, 41-52
C) Meditando e guardando as coisas no coração:
Nossa Senhora ficou inconsolável por três dias, sem saber do paradeiro de seu filho. Foram horas de cansaço,
angústia e inquietação que viveram, ela e São José, não por conta de uma negligência para com a criança, mas
sim por vontade própria daquela, que quis ficar no Templo, conversando com os doutores da lei. E porque havia
mesmo muito amor do casal para com Jesus, houve grande alegria e satisfação quando o reencontraram. Hoje,
muitos de nós perdemos Jesus pelo pecado e pela indiferença para com as práticas cristãs, mas sequer nos
angustiamos com isso... Há quem fique pra lá de três dias nessa apatia espiritual e nem se sacrifica por isso,
desperdiçando, assim, a graça divina. Nossa Senhora nos ensina que o “ocupar-se das coisas do Pai” é querer
viver de acordo com as determinações do Pai: oração, confissão, comunhão e misericórdia; do contrário, não há
como iluminar o caminho de volta para Deus. Dela, pois, aprendamos a motivação de não perder Jesus e querer
encontrá-lo em tudo que fizermos, pois “o que procura, acha”.
D) “Como se fará isso?”
(Motivar um questionamento acerca de se no dia de hoje alguém arrumou um tempinho para se ocupar das
coisas de Deus. Se, na vida lá fora, estão todos “ocupando-se” com a reza do Rosário, a Confissão e a Eucaristia.
Como explicam a frase bíblica “O que procura, acha”)
E) A Correia e o correr da história
O culto à Sagrada Correia de Nossa Senhora da Consolação continuou ainda por muito tempo, pois, São
Germano, que era Patriarca de Constantinopla, pelos anos de 720, escreveu e pronunciou diversos sermões em
honra dela, referindo-se a vários milagres sucedidos pelo seu contato. Num dos sermões disse o seguinte: “Não
é possível ver vossa venerável Correia, ó Santíssima Virgem, sem sentir-se cheio de gozo e penetrado de
devoção”. Uma piedosa tradição, antecedente ao achado da Santa Correia pelo Patriarca de Constantinopla,
narra ainda que, se achando Santa Mônica desoladíssima com a morte do marido e com os desvarios do seu
filho, Agostinho, pediu insistentemente à Mãe da Consolação mostrar-lhe como agia e se vestia no tempo em
que passou sobre a terra, depois da morte de seu Filho Jesus, pois que queria muito imitá-la. Nossa Senhora
apareceu-lhe vestida de preto e cingida com uma correia de couro e disse-lhe: “Filha, seja este o teu vestido” e
tirando da cintura a Correia, acrescentou: “Recebe esta Correia sagrada por ter cingido este seio que a Deus
levou, e doravante cinge-te com ela sem a deixares jamais. Incumbe-se de espalhar em minha honra a devoção
desta venerada Correia, pois eu te prometo ter por filhos muitos amados todos aqueles que se apresentarem
adornados com este santíssimo sinal, que será prodígio de todo o mundo”.

6º Dia
HOJE É DIA DE SERVIR
A) Antífona:
Faltou vinho e a mãe de Jesus lhe disse: “Eles não têm mais vinho!” Jesus respondeu: “Mulher, que existe entre
nós? Minha hora ainda não chegou.” A mãe de Jesus disse aos que estavam servindo: “Façam o que ele
mandar.”
B) Leitura: Jo 2, 1-12
C) Meditando e guardando as coisas no coração:
A pedido de Nossa Senhora Jesus mudou a água em vinho naquela festa de bodas. Era comum que as mulheres
mais chegadas à família ajudassem nos festejos, cuja celebração era para muitos dias. Daí por que ela não
tardou em intervir com o seu “Eles não têm mais !”. Mas ninguém lhe pediu isso, não. Ela antecipou-se porque
estava atenta às necessidades de todos; daí por que compadeceu-se da aflição daqueles nubentes. De igual
modo, é seu cuidado para conosco: está sempre atenta à nossa necessidade de mudança, antecipando-se, vindo
em nosso auxílio, adiantando-nos a “hora” de “fazer o que seu Filho disser”. Na linguagem popular, quando
alguém passa por modificações estupendas, diz-se: “Fulano mudou da água pro vinho”, ou seja, mudou pra
valer. E é isso que hoje nos Jesus diz e que Nossa Senhora quer de nós: a mudança das atitudes, ou seja, que
aprendamos sair da indiferença, antecipando-nos ante às necessidades e aflições dos outros. Quer que sejamos
mais prestativos e capazes de servir. Se, de alguma forma, podemos ajudar a aliviar um sofrimento, não há por
que esperar por uma solicitação... — e isso é o que de mais íntimo pode haver entre Jesus e nós.
D) “Como se fará isso?”
(Motivar um questionamento acerca de, pela experiência do dia de hoje ou da semana que passou, onde
acreditam necessitar “mudar da água pro vinho” e por quê?)
E) A Correia e o correr da história
Santa Mônica obedeceu em tudo a Nossa Senhora. Conseguiu que sua filha e netas também se trajassem assim,
e algum tempo depois, quando Santo Agostinho se converteu, aceitou desde o batismo, a mesma Correia,
legando à sua Ordem este distintivo em honra da Rainha do Céu. Crescendo, dia a dia, consideravelmente, o
número de religiosos de Santo Agostinho, com eles espalhou-se a devoção à Sagrada Correia na África, Espanha,
Itália e depois, no mundo inteiro, até chegar ao Brasil com a vinda dos Agostinianos.
7º Dia
HOJE É DIA DE FICAR DE PÉ
A) Antífona:
“Junto à cruz de Jesus estava, de pé, sua mãe”
B) Leitura: Jo 19, 25-27
C) Meditando e guardando as coisas no coração:
“É preciso imaginar o contorno humano, em cujo centro ela está de pé: em primeiro plano, os executores da
sentença, frios e indiferentes; mais adiante os sinedritas, com ar triunfal; depois, a multidão dos curiosos, entre
os quais algumas valentes mulheres que, com suas lágrimas de impotência, manifestam sua simpatia para com o
Crucificado. É preciso colocar-se no meio desse círculo vital e fatal, em que uns lamentavam e outros
celebravam esse triste final. No meio desse redemoinho, a figura digna e patética da Mãe, aferra- da em sua
fé para não sucumbir emocionalmente, entendendo algumas coisas, como a “espada”, vislumbrando outras
confusamente... (...) Quando alguém é batido por um furacão, pensa apenas em não cair. Entender? Saber? Não
é isso o importante. Nossa Senhora também não entendeu... Não é importante o conhecimento mas a fé, e a fé
de Maria escalou então a montanha mais alta. (...) O importante não era entender, mas entregar-se”.(2) Maria,
“obediente à fé”, fiel ao “Sim” que dera um dia ao plano da salvação, manteve-se de pé, abandonando-se nas
mãos de Deus, preferindo amar Sua vontade a angustiar-se com ela. Dela, aprendamos a não fugir das situações
de cruz, tampouco “envergar” em agonia por conta disso, pois, ainda que amargo o sabor do cálice, é preciso ter
em conta que a obra é divina.
D) “Como se fará isso?”
(Motivar um questionamento acerca de como andou a fé de cada um no decorrer do dia; se foram fiéis ao
“Sim”, colaborando de alguma forma com o plano de Deus; se “mantiveram-se de pé”, abandonando-se nas
mãos de Deus n’algum acontecimento difícil ou se fugiram de alguma situação de cruz)
E) A Correia e o correr da história
A veneração à Sagrada Correia de Nossa Senhora da Consolação adquiriu suas maiores proporções desde que o
Sumo Pontífice Alexandre IV resolveu, no ano de 1256, unir todos os filhos de Santo Agostinho sob uma única
autoridade, formando uma só família que se havia de estabelecer nos povos e nas cidades para exemplo e
ensinamento dos fiéis. A canonização de São Nicolau de Tolentino pelo papa Eugênio IV, com uma pompa e
solenidade até então nunca vistas na Igreja, motivada, sem dúvida, pelos inúmeros e estupendos milagres
operados pela intercessão do santo, contribuiu, e muito, para o aumento da devoção da Sagrada Correia e a
ereção de sua Confraria, pois, grande parte destes milagres foram realizados por meio da correia que aquele
usara. Desde o seu nascimento, a Recoleção Agostiniana foi “acalentada” no colo da Mãe da Consolação. Nos
primeiros conventos, capelas, paróquias e arquiconfrarias a Santíssima Virgem sempre esteve presente, velando
por aqueles que quiseram seguir seu Filho, nos passos de Santo Agostinho. A Recoleção não é uma Ordem
Mariana; porém, não se explica sem a intervenção constante daquela que é a sua Consolação.

8º Dia
HOJE É DIA DE CONSOLAR
A) Antífona:
E dessa hora em diante, o discípulo a recebeu em sua casa.
B) Leitura: At 1, 12-14
C) Meditando e guardando as coisas no coração:
Depois do “Mulher, eis aí o seu filho.” e “Eis aí a sua mãe.”, Nossa Senhora tornou-se mãe não só de João como
também de todos os demais discípulos, pois que viviam juntos, tendo tudo em comum. Era ela, portanto, quem
lhes cuidava, aconselhava, animava e consolava, principalmente, nos momentos difíceis, quando perseguidos,
presos ou açoitados por causa de Jesus. Partilhando as experiências pessoais vividas com o Filho, suas palavras
maternas percorriam também as demais comunidades cristãs, iluminando as mentes e animando e ajudando a
construir a Igreja nascente. É fato que não recebeu a missão de “ir ao mundo pregar o Evangelho”, mas é bem
verdade que estava com os Apóstolos no Cenáculo, “assídua à oração”, ajudando-os nos preparativos espiritual
e material para tal partida. Dela, aprendamos que também somos construtores do Reino, que precisam meditar
e guardar a Palavra, testemunhando-a a todos os homens, isto é, sendo capazes de recebê-la em “nossa casa
interior” e torná-la acolhida na “casa” dos outros irmãos, pois que tal testemunho pode animar os caídos,
reerguer os que estão abatidos, consolar os que choram e andam tristes, anunciando a boa nova da salvação.
D) “Como se fará isso?”
(Motivar um questionamento acerca de, se no dia de hoje, foram construtores do Reino e de que maneira. Se no
dia de hoje souberam testemunhar, de alguma forma, a Palavra de Deus aos outros e guardá-la no coração.)
E) A Correia e o correr da história
A partir daquela tradição judaica, os artistas de todos os tempos sempre mostraram a Santíssima Virgem cingida
com um cinto ou correia em suas sagradas vestes. Dificilmente, a Mãe de Deus, em suas imagens ou quadros
venerados nas igrejas, casas, capelas ou caminhos, aparece sem a Sagrada Correia. Desde os ícones orientais até
as mais recentes devoções aprovadas pela Santa Mãe Igreja — como as de Nossa Senhora das Graças, Nossa
Aparecida, Fátima, entre outras —, sempre a Sagrada Virgem aparece ataviada com a Sagrada Correia. O Monge
Eutímio, que viveu por volta do ano de 1088, pregando sobre a Sagrada Correia de Nossa Senhora da
Consolação, dizia: “Nós conservamos a Santa Correia. Vemos conservar-se inteira, depois de novecentos anos:
cremos que a Rainha do Céu cingiu-se com ela”. No seio das Ordens e Congregações religiosas a presença
materna de Nossa Senhora é garantia de fecundidade, renovação e de alegre comunhão fraterna. Foi isso que
aconteceu nos primórdios da Igreja (cf. At 1,14). Assim, uma comunidade religiosa sem Maria é uma família órfã
de Mãe: casa desarrumada, fogo apagado, comida fria, filhos tristes... Um seminário sem Maria é um grande
orfanato, e os jovens que ali se prepararem ao ministério sacerdotal jamais poderão viver a plena alegria de
Jesus Cristo.

9º Dia
HOJE É DIA DE RENASCER
A) Antífona:
Quem nasce do Espírito é espírito. É preciso vocês nascerem do alto.
B) Leitura: Jo 3, 1-8
C) Meditando e guardando as coisas no coração:
Nossa Senhora foi chamada a “cheia de graça” pelo Anjo. Quando saudou Izabel, “encheu” a prima matrona das
graças do Espírito. Quando pediu vinho em Caná, Jesus “encheu-lhe” as talhas até a borda. Rezando no
Cenáculo com os Apóstolos, e o vento impetuoso “encheu” toda a casa. Em outras palavras: onde esteve Maria,
tudo se “encheu” do Espírito Santo. Isso se deve ao fato de que Ele “a cobriu com sua sombra...”, ou seja,
formou-lhe a substância corporal de Jesus e nela permaneceu, acompanhando-lhe e cooperando na gestação do
Menino Deus. O resultado dessa parceria foi que os frutos do Espírito — amor, alegria, paz, paciência, bondade,
benevolência, fé, mansidão e domínio de si(3) fizeram nascer coisas do alto em Nossa Senhora: as virtudes da
pureza, da prudência, da humildade, da fé, da piedade, da obediência, pobreza, paciência, da caridade e da
compaixão. Somos convidados à mesma gestação, à mesma maternidade mariana, ou seja, a “enchermo-nos”
do que está além da carne, do que é do alto, nascendo de novo, mas no Espírito Santo, permitindo-lhe que
opere em nós a mudança interior, a vivência dos seus dons e possamos verter os frutos que Ele nos tem a dar,
crescendo, assim, na prática das virtudes cristãs. Hoje, Nossa Senhora quer que recomecemos uma vida nova, e
Ela, mais que ninguém, é quem pode nos ajudar, pois que desde a Encarnação ao Pentecostes da Igreja
nascente, mostrou-se profunda entendedora das coisas do Espírito... Com Ela, portanto, renasçamos às coisas
do alto.
D) “Como se fará isso?”
(Motivar um questionamento acerca de se no dia de hoje, de alguma forma, aceitaram essa “maternidade
mariana”, gerando algo de bom aos outros. Em que no dia de hoje frutificaram em abundância. Pela experiência
do dia de hoje ou da semana que passou, em que “renasceram às coisas do alto”)
E) A Correia e o correr da história
Lembrando-se, comovida, dos numerosos benefícios espirituais e temporais recebidos pela intercessão de
Nossa Senhora Consolação ao longo dos séculos, a Ordem dos Agostinianos Recoletos consagrou-se
inteiramente à Virgem, pela voz do Mártir de Cristo, Frei Vicente Soler. E, assim como Jesus Cristo já coroou
gloriosa e definitivamente a fronte de sua santa Mãe, proclamando-a Senhora e Rainha do céu e da terra,
também hoje, devemos coroá-la através de nossa consagração a ela. Para isso, não precisamos garimpar
diamantes, tampouco mendigar jóias preciosas à porta das ourivesarias. Podemos fazê-lo de forma bem
simples; porém, não menos significativa: com as pérolas vivas do nosso profundo amor filial e com as brilhantes
virtudes cristãs. Consoladora, Nossa Senhora quer também quer ser consolada, e um autêntico filho Seu
esforça-se para dar-lhe constante alegria, procurando arrancar os espinhos pungentes que os pecados da
humanidade colocaram em forma de coroa dolorosa, na cabeça de Jesus e no Seu Coração Imaculado, pois, os
pecados plantam espinhos; as virtudes, rosas. Portanto, é com a beleza e a fragrância das rosas que devemos
querer alegrar o coração e cingir a fronte da querida Mãe de toda Consolação.
Notas
(1) Is 9, 1; (2) Inácio Larrañaga in O Silêncio de Maria : 86-87; (3) Gl 5, 22

TERÇO DE NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO E CORREIA


SINAL-DA-CRUZ
(Quando rezado em comunidade, pode haver a intercalação com cânticos e contemplação dos mistérios da
Consolação entre as dezenas)

• NA CRUZ DO TERÇO: Credo


• NAS 5 CONTAS INICIAIS: 1 Pai-Nosso / 3 Ave-Marias /
1 Glória ao Pai

• NAS CONTAS GRANDES:


Salve ó excelsa Rainha, do infeliz pecador salvação!
/É de paz e doçura teu nome,/pois és tu, Mãe da Consolação.

• NAS CONTAS PEQUENAS:


Mãe Consoladora, sede nossa protetora!

• AO FINAL DE CADA DEZENA: Glória ao Pai/Contemplação do Mistério

• JACULATÓRIA FINAL:
Mãe da Consolação, rogai pela nossa Salvação!

Mistérios da Consolação
• 1º Mistério: – Maria é consolo da humanidade: Como consolo para toda humanidade, Maria aceita ser a mãe
do Cristo, para a realização dos desígnios salvíficos de Deus. Torna-se a “escolhida” do Pai, “(...) a primeira entre
os humildes e os pobres do Senhor, que confiadamente esperam e recebem dele a salvação”(1). Da parte de
Deus, essa ‘escolha’ é a eterna vontade de salvar o homem, mediante a participação na sua própria vida divina“.
“O Pai das misericórdias quis que a aceitação, por parte da que ele predestinara para mãe, precedesse a
Encarnação. (...) Este fiat de Maria — ‘faça-se em mim’ — decidiu, da parte humana, o cumprimento do mistério
divino(2)

• 2º Mistério: – Maria consola nas aflições: Consolando os aflitos nas bodas de Caná, Maria ”põe-se de permeio
entre seu Filho e os homens na realidade das suas privações, das suas indigências e dos seus sofrimentos. Põe-
se de ‘permeio’, isto é, faz de mediadora, não como uma estranha, mas na sua posição de mãe, consciente de
que como tal pode — ou antes, ‘têm o direito’ — fazer presente ao Filho as necessidades dos homens.(3)

• 3º Mistério: – Maria consola os caídos: Consolo para todo cristão, (...) a Mãe de Cristo (...) é dada ao homem
— a todos e cada um dos homens — como mãe. Este homem aos pés da cruz é João (...) Porém, não é ele como
um só homem (...) Pode-se dizer que, (...) a maternidade de Maria em relação aos homens (...) agora é
claramente precisada e estabelecida... Jesus põe em relevo um vínculo novo entre Mãe e Filho.(4). Assim, Nossa
Senhora “pelo próprio Cristo Jesus moribundo na cruz foi dada como mãe ao discípulo com estas palavras:
‘Mulher, eis aí teu filho(5).
Consolando João e cada um dos Apóstolos — antes do Pentecostes, assíduos e concordes na oração — vê-se (...)
Maria, a Mãe de Jesus (...), implorando com suas orações, o dom daquele Espírito que já tinha estendido sobre
ela a sua sombra, na Anunciação.(6)

• 4º Mistério: – Maria é consolo dos humildes: “Finalmente, a Imaculada Virgem, (...) terminado o curso da vida
terrestre, foi assunta em corpo e alma à glória celeste”.(7) Esse fato é consolação para todo povo de Deus, pois
é a reafirmação da ressurreição àqueles que souberem ser servos; é sinal que indica o fim do caminho aos que
quiserem seguir Jesus.
“Assunta aos céus, (...) por sua multíplice intercessão prossegue em granjear-nos os dons da salvação eterna.
Por sua maternal caridade cuida dos irmãos de seu Filho, que ainda peregrinam rodeados de perigos e
dificuldades, até que sejam conduzidos à feliz pátria.(8)

• 5º Mistério: – Maria é consolo da Igreja: Coroada como Rainha do Céu e da Terra, Nossa Senhora é consolo
para toda Igreja, pois, atuada sob a ação do Espírito Santo, existe uma correspondência singular entre o
momento da Encarnação do Verbo e o momento do nascimento da Igreja. E a pessoa que une esses dois
momentos é Maria.(9) (...) crendo e obedecendo, ela gerou na terra o próprio Filho do Pai, sem conhecer varão,
coberta pela sombra do Espírito Santo, e, como nova Eva, não deu crédito à antiga serpente, mas aceitou sem
mescla de dúvida e falsidade a palavra do mensageiro de Deus.
Por certo a Igreja, (...) imitando-lhe a caridade e cumprindo fielmente a vontade do Pai, mediante a palavra de
Deus recebida na fé, torna-se também ela mãe. Pois pela pregação e pelo batismo ela gera para a vida nova e
imortal os filhos concebidos do Espírito Santo e nascidos de Deus.(10)

• ORAÇÃO FINAL:
Mãe da Consolação, a Vós recorremos para que nos alcanceis de Jesus o desejo de sermos mansos e humildes
de coração,
para que nos livreis do desejo de ser estimados;
para que nos livreis do desejo de ser admirados;
para que nos livreis do desejo de ser consultados;
para que nos livreis do desejo de ser louvados;
para que nos livreis do temor de ser humilhados;
para que nos livreis do temor de ser esquecidos;
para que não procuremos a estima do mundo;
para que todos sejamos vossos devotos e amorosos filhos. Amém.

Notas:
(1) Lumem Gentium, 55; (2) Redemptoris Mater, 8 e 13; (3) Redemptoris Mater, 21;(4) Redemptoris Mater, 23;
(5) Lumen Gentium, 58; (6) Lumen Gentium, 58; (7) Lumen Gentium, 59; (8) Lumen Gentium, 62; (9) Lu men
Gentium, 62; (10) Lumen Gentium, 64.

LADAINHA DE NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO “MARIA, TEU NOME É CONSOLO!”


T. Maria, Teu nome é Consolo!
L. Quando, necessitados de um colo de mãe, Tu nos apresentas o Teu regaço como companhia segura no
desespero.
T. Maria, Teu nome é Consolo!
L. Quando, açoitados pelas dúvidas, Tu nos apresentas, nos Teus braços, a única Verdade.
T. Maria, Teu nome é Consolo!
L. Quando, afligidos pelos nossos pecados, Tu nos apresentas Tua própria pessoa como refúgio dos pecadores.
T. Maria, Teu nome é Consolo!
L. Quando, perdidos nas coisas da vida, Tu nos apresentas a Tua simplicidade, como encontro sereno com
Criador dos seres.
T. Maria, Teu nome é Consolo!
L. Quando, já calejados de levar a cruz de cada dia, Tu nos apresentas a Tua presença de mulher “de pé junto a
cruz de seu Filho”.
T. Maria, Teu nome é Consolo!
L. Quando, separados da graça do Teu Divino Filho, Tu nos apresentas as Tuas mãos para costurar nossa
reconciliação com Deus.
T. Maria, Teu nome é Consolo!
L. Quando agitados, buscamos o que fazer nesta vida, Tu nos apresentas o lema de toda tua existência: “Fazei
tudo o que Ele vos disser”.
T. Maria, Teu nome é Consolo!
L. Quando, adentrados nas noites escuras da vida, Tu nos apresentas o Teu rosto como Estrela da Manhã.
T. Maria, Teu nome é Consolo!
L. Quando a dor toma-nos desde a medula da alma, Tu nos apresentas a Tua intercessão de Mãe e Amiga.
T. Maria, Teu nome é Consolo!
L. Quando, naufragados e cansados no mar da vida, Tu nos apresentas, no Teu colo, a nossa Salvação.

CORÔA DE NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO E CORREIA


D. Em Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
T. Amém.
D. Rezemos 13 Pai-Nossos e 13 Ave-Marias em memória e veneração de Nosso Senhor Jesus Cristo e dos doze
Apóstolos que compuseram o Credo, considerando no mesmo os principais mistérios da nossa santa fé.
Peçamos, para sermos ouvidos, o auxílio da Bem Aventurada Virgem Maria, Mãe da Consolação, do nosso Pai,
Santo Agostinho e de Santa Mônica.
T. À vossa proteção recorremos Virgem Santíssima, Mãe de toda Consolação, não desprezeis nossas súplicas e
ajudai-nos nesta meditação que vamos fazer. Amém.

Artigo 1
T. Creio em Deus Pai Todo Poderoso Criador do Céu e da Terra.
D. Virgem Santíssima, Mãe da consolação, ajudai-nos a desprezar as vaidades terrenas para alcançarmos os
bens do Céu.
(Pai Nosso e Ave Maria)
D. Mãe da Consolação,
T. Rogai por nossa salvação!

Artigo 2
T. E em Jesus Cristo um só seu filho, Nosso Senhor.
D. Virgem Santíssima, Mãe da consolação, ajudai-nos a crer e esperar nEle e amá-lO de todo o nosso coração
porque Ele só é o verdadeiro Salvador do Mundo.
(Pai Nosso e Ave Maria)
D. Mãe da Consolação,
T. Rogai por nossa salvação!

Artigo 3
T. O que foi concebido do Espírito Santo e nasceu de Maria Virgem.
D. Virgem Puríssima, Mãe da consolação, ajudai-nos recobrar e conservar a divina graça que nos faz filhos
adotivos de Deus de quem sois Mãe admirável.
(Pai Nosso e Ave Maria)
D. Mãe da Consolação,
T. Rogai por nossa salvação!

Artigo 4
T. Padeceu sob o poder de Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado,
D. Mãe Aflitíssima fazei que as chagas do Senhor fiquem impressas em nossos corações.
(Pai Nosso e Ave Maria)
D. Mãe da Consolação,
T. Rogai por nossa salvação!

Artigo 5
T. Desceu à mansão dos mortos, ressuscitou ao terceiro dia,
D. Mãe consolada com a vista de seu filho ressuscitado, ajudai-os a ressurgir da culpa à graça e a glória.
(Pai Nosso e Ave Maria)
D. Mãe da Consolação,
T. Rogai por nossa salvação!

Artigo 6
T. Subiu aos céus, está sentado a mão direita de Deus Pai todo poderoso.
D. Virgem Bendita, Mãe da Consolação, ajudai-nos a conseguir a humildade de sofrer e carregar a nossa Cruz
para sermos, depois, levados a gozar da eterna glória no Céu.
(Pai Nosso e Ave Maria)
D. Mãe da Consolação,
T. Rogai por nossa salvação!

Artigo 7
T. Donde há de vir a julgar os vivos e os mortos.
D. Maria, advogada dos pecadores ajudai-nos a praticar o bem nesta vida, para que possamos, depois, naquele
dia tremendo, ser colocados a direita com os eleitos.
(Pai Nosso e Ave Maria)
D. Mãe da Consolação,
T. Rogai por nossa salvação!

Artigo 8
T. Creio no Espírito Santo.
D. Virgem Santíssima, Mãe da Consolação, alcançai-nos, se inflame nosso coração no amor divino, depois de
purificado de todo afeto terreno.
(Pai Nosso e Ave Maria)
D. Mãe da Consolação,
T. Rogai por nossa salvação!

Artigo 9
T. Creio na Santa Igreja Católica, na comunhão dos Santos.
D. Virgem Clementíssima ajudai-nos a dar-lhe graças por tão grande benefício e a estarmos prontos a derramar
nosso sangue e dar nossa vida, se preciso, para confessar a verdade da nossa santa fé.
(Pai Nosso e Ave Maria)
D. Mãe da Consolação,
T. Rogai por nossa salvação!

Artigo 10
T. Creio na remissão dos pecados.
D. Virgem puríssima, Mãe da Consolação, alcançai-nos agora e na hora da morte um ato de verdadeira
contrição, para que, reconciliados com Deus, experimentemos depois, os benignos efeito da divina misericórdia.

(Pai Nosso e Ave Maria)


D. Mãe da Consolação,
T. Rogai por nossa salvação!

Artigo 11
T. Na ressurreição da carne.
D. Virgem Imaculada, Mãe da Consolação, a sagrada correia que trazemos em vossa honra, guarde a nossa carne
livre de toda fealdade, para que resplandeça naquele dia com os esplendores dos eleitos, por toda a eternidade.

(Pai Nosso e Ave Maria)


D. Mãe da Consolação,
T. Rogai por nossa salvação!

Artigo 12
T. Na vida eterna. Amém.
D. Virgem Prudentíssima, Mãe da Consolação, ajudai-nos a usar o bem do tempo presente, conseguindo, assim,
a eterna felicidade no céu.
(Pai Nosso e Ave Maria)
D. Mãe da Consolação,
T. Rogai por nossa salvação.

Artigo 13
D. Maria, Mãe de Deus,
T. Ajudai-nos a contemplar no sagrado cinto que trazemos, a oculta figura de vosso Divino Filho, Nosso
Redentor.
(Pai Nosso e Ave Maria)
D. Mãe da Consolação,
T. Rogai por nossa salvação!
Humilhados aos vossos pés, ó Maria, Mãe da Consolação, vos recomendamos a feliz conservação do Sumo
Pontífice reinante, a extirpação das heresias, a paz entre todos os fiéis e, principalmente, a conversão dos
pecadores e o consolo das santas almas do purgatório.
D. Rogai por nós Santa Mãe da Consolação!
T. Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
D. Rogai por nós, Nosso Pai Santo Agostinho!
T. Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
D. Rogai por nós Gloriosa Santa Mônica
T. Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

ENTRONIZAÇÃO NAS CASAS DA IMAGTEM DE NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO E CORREIA


Exortação
D. Nossa Senhora da Consolação é considerada padroeira, principalmente, do lar, promovendo a harmonia no
seio das famílias e a conversão dos filhos desviados. Embora esteja no céu, sabemos que aprecia ser honrada na
terra, como disse à sua prima Isabel: “Doravante todas as gerações hão de chamar-me de bendita!”(1) A
permanência constante de sua imagem favorecerá momentos de meditação e oração, encontro e fraternidade,
que muito ajudarão nossas famílias. Abram, pois, as portas para Maria! Ela vem com Jesus, o Ressuscitado.
Acolham com reverência e amor este delicado símbolo — gesto bondoso, passagem misericordiosa do Pai no
meio de nós!

Partilhando a Palavra– Lc 1, 39 - 45
D. Vamos acompanhar agora uma passagem da vida de Maria e, em seguida, reflitamos juntos sobre as
implicações para a nossa vida diária.
(Os leitores deverão ser os próprios moradores da casa em que se entroniza a imagem)
L1. Naqueles dias, Maria levantou-se...
T. Feliz és tu que te levantas e acreditas que podes fazer o mundo ser melhor, com o teu esforço e com a tua
oração e teu testemunho.
L2. ...e foi às pressas, às montanhas.
T. Feliz és tu que te apressas para ajudar o irmão que precisa, e acreditas que, se tu não o fizeres, ninguém o
fará por ti.
L1. Entrou na casa de Zacarias e saudou Isabel.
T. Feliz és tu que visitas teu irmão e amigo, levando tua palavra amiga a um lar ou a um coração que precisa
de um gesto gratuito de amor.
L2. Quando Isabel, grávida de seis meses, ouviu a saudação de Maria, a criança estremeceu em seu ventre.
T. Feliz és tu que acreditas que uma criança, é o maior investimento no banco da vida, e por isso cuidas que o
futuro seja melhor.
L1. Isabel ficou cheia do Espírito Santo.
T: Feliz és tu que abres teu coração para que o Espírito de Deus possa alí construir seu mundo de amor, de
perdão e de paz.
L2. Bendita és tu entre as mulheres...
T. Feliz és tu que acreditas que o respeito não passou da moda, mas que continua sendo o grande “enfeite”
das mulheres.
L1. ... e bendito é o fruto do teu ventre
T. Feliz és tu que cumprimentas uma mulher gestante e acreditas que todos que nascem são sinal de que Deus
não perdeu a esperança nas pessoas.
L2. Como pode ser que a Mãe do meu Senhor venha a mim?
T. Feliz és tu que não te julgas grande demais para servir e pequeno demais para pedir.
L1. Mal a tua saudação ressoou em meus ouvidos, a criança estremeceu de alegria em meu ventre.
T. Feliz és tu que sabes parar para ouvir a saudação de um amigo, um coração em pranto, um grito de socorro,
um canto de esperança, uma palavra de fé e de perdão.
L2. Feliz és tu que acreditaste que se cumpria tudo o que te foi dito da parte do Senhor.
T. Feliz és tu que acreditas na vida, nas pessoas, na bondade de Deus que caminha conosco, em todos os
momentos, em todas as situações.

(BREVE REFLEXÃO DO QUE FOI PARTILHADO)

Bênção da Casa
(O ministro, se for Sacerdote ou Diácono, reza de mãos estendidas; se não, de mãos juntas)
D. O nosso auxílio está no nome do Senhor.
T. Que fez o céu e a terra!
D. O Senhor esteja convosco!
T. Ele está no meio de nós!
OREMOS: Favorecei, Senhor Jesus, com os laços da Sagrada Correia de Nossa Senhora da Consolação, Vossa
Mãe e nossa, a casa desses filhos, que, agora, pedem com humildade vossa bênção para ela. Abençoai-a + e
santificai-a. Sede refúgio para os que aqui moram, companheiro dos que saem e hóspede com os que entram,
até o dia em que tenham todos feliz acolhimento na casa do Pai. Vós que viveis e reinais para sempre.
T. Amém.
(O Sacerdote ou Diácono asperge a casa com água benta, enquanto todos os assistentes recitam em voz alta o
Credo.)

Oração do Pai Nosso


D. A mesma Virgem Maria, que rezou com seu Filho Jesus, e, na ausência dEle, consolou os apóstolos,
perseverando unanimemente em oração com eles, com algumas mulheres e com os irmãos de Jesus(2), hoje,
uma vez mais, nos aconselha: “Façam o que ele mandar”(3). Assim, rezando como nos mandou o próprio Jesus,
digamos: Pai Nosso,...

Cerimonial de Entronização
D. Deus eterno e Todo-Poderoso, não reprovais a escultura ou a pintura de imagens de santos, para que à sua
vista possamos meditar os seus exemplos e imitar as suas virtudes. Concedei, pois, a todos desta casa, diante
dessa imagem, venerar e glorificar a presença materna de Nossa Senhora da Consolação e Correia, atando-se à
vivência da pureza, da prudência, da humildade, da fidelidade, da obediência, da pobreza, da paciência, da
misericórdia — virtudes que a Virgem Maria constantemente praticou, a fim de que alcancem, no presente, a
vossa graça e no futuro a glória eterna. Por Cristo, Nosso Senhor.
T. Amém.

(O membro principal da família toma, então, a imagem de Nossa Senhora da Consolação e Correia, coloca-a no
lugar de honra e ajoelha-se com os demais para rezarem o Breve Ato de Consagração)

Breve Ato de Consagração da Família à Nossa Senhora da Consolação e Correia


Ó Nossa Senhora da Consolação, com a Vossa Sagrada Correia enlaçai a frente, os fundos, o telhado, as laterais
e cada cômodo desta nossa casa. Atai também aos laços do Vosso materno amor cada membro da nossa família,
assim vos suplicamos, tornando-nos a imagem viva do Amor. Que das vossas mãos consoladoras escorram-nos
rios de alegria por querermos pertencer-Vos, e fazei da nossa vida um constante hino de gratidão a Deus, Pai,
Todo-Poderoso.
T. Amém!

Preces
D. Rezemos juntos com Maria, Mãe de Jesus e nossa Mãe, para que nos ajude a seguir seu exemplo, tendo a
força de dizermos, como Ela, o nosso “SIM”.
T. Maria, Mãe do Amor, ajudai-nos a viver no amor.
L1. Maria, Mãe da esperança, ajuda-nos a viver e ser esperança para os que encontramos.
L2. Maria, Mãe da justiça, livra-nos da tentação de julgar e ajuda-nos a encarnar a justiça em nosso mundo.
L1. Maria, Mãe do silêncio, ensina-nos que o silêncio é terra fecunda em que a Palavra pode nos renovar e
transformar.
L2. Maria, Mãe da Consolação, ensina-nos a consolar nossos irmãos e irmãs, principalmente quando não têm
ninguém para lhes escutar.
L1. Maria, Mãe das Vocações, ensina-nos a utilizar esta casa para fazermos de cada Encontro, um verdadeiro
encontro com Jesus.
L2. Maria, Mãe da verdade, ensina-nos a sermos verdadeiros, transparentes e libertos da hipocrisia e da
mentira.
L1. Maria, Mãe da Vida, livra-nos da morte do pecado, do egoísmo, e pede para teu Filho ressuscitar-nos para a
vida plena.
T. Por Cristo, Nosso Senhor. Amém!

Últimas Orações
OREMOS: Que a paz de Cristo, reine em nossos corações. Que a Palavra de Deus habite constantemente em nós
para que tudo que fizermos, em palavras e obras, o façamos em nome de Nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo.
T. Assim seja!

Bênção Final

Canto Final

Notas:
(1) Lc 1, 48; (2) At 1, 14; (3) Jo 2, 5.

FÓRMULA DE RECEBIMENTO DA SAGRADA CORREIA DE NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO


Ritos Iniciais
Sacerdote: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém. A graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, o amor
do Pai e a consolação do divino Espírito Santo estejam convosco!
Fiéis: Bendito seja Deus que nos reuniu no Amor de Cristo.
Sacerdote: Queridos irmãos e irmãs, vós fostes escolhidos para receberdes, neste dia, a Sagrada Correia de
Nossa Senhora da Consolação, Mãe e Rainha de nossa Ordem. Que Deus vos cumule de toda sorte de bênção do
céu e que a Virgem Santíssima, Mãe do verdadeiro Consolador, esteja convosco e vos ajude a viver sempre
fortes na fé, para que, perseverando nas boas obras, aguardeis com solicitude a vinda definitiva do Salvador.
Todos: À vossa proteção nos refugiamos, Santa Mãe de Deus, não desprezeis as nossas súplicas, que em
nossas necessidades vos dirigimos, mas livrai-nos sempre de todo perigo, ó Virgem Gloriosa e Bendita.

Escutando a Palavra com Maria (Lc 12, 35-40)


Sacerdote: Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, segundo Lucas. Naquele tempo, Jesus disse a seus
discípulos: Cingido esteja o vosso corpo, e acesas, as vossas lâmpadas. Sede vós semelhantes a homens que
esperam pelo seu senhor, ao voltar ele das festas de casamento; para que, quando vier e bater à porta, logo lha
abram. Bem-aventurados aqueles servos a quem o senhor, quando vier, os encontre vigilantes; em verdade vos
afirmo que ele há de cingir-se, dar-lhes lugar à mesa e, aproximando-se, os servirá. Quer ele venha na segunda
vigília, quer na terceira, bem-aventurados serão eles, se assim os achar. Sabei, porém, isto: se o pai de família
soubesse a que hora havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria arrombar a sua casa. Ficai também vós
apercebidos, porque, à hora em que não cuidais, o Filho do Homem virá. Palavra da Salvação!
Todos: Glória a vós, Senhor!

Oração dos Fiéis


Sacerdote: Oremos com muita confiança ao Senhor por estes nossos irmãos e irmãs, que levarão a Sagrada
Correia, e por cada um de nós, para que sendo servos fiéis e prudentes, vivamos permanentemente a espera do
Senhor.
1. Que o Senhor abençoe aos que receberão a Sagrada Correia, para que fortalecidos com a Sua graça, possam
vencer com maior facilidade os enganos do mundo, do mal e da carne, rezemos.
Fiéis: Intercedei por nós, ó Mãe de toda Consolação!
2. Que o Senhor abençoe, em Sua misericórdia, os que receberão a Sagrada Correia, para que vivendo
evangelicamente a virtude da castidade e da continência, sejam fiéis discípulos de Cristo, rezemos.
3. Que o Senhor abençoe com largueza a todos os membros da Recoleção Agostiniana, para que vivendo com
alegria a consagração religiosa, estendam ao mundo, com zelo apostólico, o Reino de Cristo, rezemos.
4. Que o Senhor abençoe a todos os que estão aqui presentes, para que, levando a Sagrada Correia na cintura,
como com lâmpadas acesas nas mãos, aguardem confiantes o retorno de Nosso Senhor, Jesus Cristo, rezemos.

Sacerdote: Recolhamos todos esses nossos pedidos, rezando, com amor e confiança, a oração que o Senhor nos
ensinou: Pai Nosso...

Bênção da Sagrada Correia


Sacerdote: O nosso auxílio está no nome do Senhor.
Fiéis: Que fez o Céu e a terra.
Sacerdote: Ouvi, Senhor, minha Oração!
Fiéis: Que chegue a vós o meu clamor!
Sacerdote: O Senhor esteja convosco!
Fiéis: Ele está no meio de nós!
Oremos: Deus eterno e todo-poderoso, nos vos pedimos: abençoai estes vossos servos +, que com devoção
levarão a Sagrada Correia, sinal de castidade e continência, e por intercessão da Virgem Maria, Mãe da
Consolação, de Nosso Pai Santo Agostinho e de Santa Mônica, concedei-lhes perseverança em vosso serviço e
crescimento em vosso Amor. Por Cristo Nosso Senhor. Amém.

(Asperge as Correias com água benta)

Entrega da Correia
Sacerdote: Queridos irmãos e irmãs, quereis receber a Sagrada Correia de Nossa Senhora da Consolação?
Fiéis: Sim, quero!
Sacerdote: Atendei, Senhor, as nossas súplicas e dignai-vos abençoar + estes vossos servos e servas a quem
impomos no vosso nome a Correia de nossa Ordem; para que com vossa benevolência, perseverem cristãmente
na Religião. Por Cristo Nosso Senhor.
Fiéis: Assim seja.

(O Sacerdote asperge com água benta. O sacerdote entrega a cada fiel a Sagrada Correia dizendo:)

Sacerdote: Recebei esta Correia como sinal de castidade e temperança.

(Logo após, prossegue:)

Sacerdote: O Senhor que começou em vós esta obra boa, Ele próprio a leve à perfeição, e vos conceda, pelos
méritos da Bem-aventurada Virgem Maria, de Nosso Pai Santo Agostinho e de Santa Mônica, o aumento da
graça e glória. Amém. E eu, pela autoridade do nosso Revmo. Pe. Geral, e pelo indulto apostólico a mim
concedido, vos recebo e aceito a participar de todos os bens espirituais da Ordem Agostiniana Recoleta.

Bênção Final
Sacerdote: O Pai misericordioso, pelo amor que teve à Mãe de seu Filho. Vos conceda saúde do corpo e da
alma.
Fiéis: Amém!
Sacerdote: Jesus Cristo, bendito fruto de Maria Virgem, vos conceda ornamentos de virtudes, que vos tornem
mais agradáveis a ele.
Fiéis: Amém!
Sacerdote: O Espírito Santo, que pairou sobre a Virgem Maria, vos dê a doçura de sua paz e vos recolha unidos
no seio da Mãe Igreja.
Fiéis: Amém!
Sacerdote: Pela Intercessão de Nossa Mãe da Consolação, abençoe-vos Deus todo-poderoso Pai e Filho e
Espírito Santo. Amém!

Oração Final
Todos: Rainha e Mãe Querida da Consolação, fonte de luz e vida, descanso do coração. Rainha e Mãe vos
chama nossa Recoleção, e por onde anda, proclama vossa doce proteção. Dirigi o vosso olhar para o nosso
mundo. Ouvi, Mãe Adorada, a súplica de amor. Não vedes, ó minha Mãe da Consolação, os que de noite e dia,
cantam o vosso louvor? São os vossos filhos queridos da Recoleção, que num amor unidos e um só coração,
levam o estandarte de vossa grande devoção. Mãe, servir-vos e amar-vos é sua melhor razão.

ORAÇÕES PARA DIVERSAS OCASIÕES À NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO E CORREIA


Pelos Enfermos
Ó Mãe da Consolação, que vistes o Vosso único Filho extenuado de dores, flagelado na carne, sem beleza
alguma, nem esplendor, nem aparência amável(1), desfalecido e cambaleante, volvei, agora, aquele mesmo
olhar de consolo e ternura que lhE lançastes no encontro a caminho do Gólgota, a... (dizer o nome do enfermo),
que está atado(a) à coluna da doença, também desfigurado(a) e enfraquecido(a), flagelado(a) pelos tantos
golpes que a enfermidade lhe fez. Pedi a Jesus que carregue as suas dores e tome sobre si os seus
sofrimentos(2), a fim de que Ele, cujo corpo inanimado foi envolto em faixas com aromas(3), envolva agora a...
(dizer o nome do enfermo), em corpo e alma, nas faixas da sua divina Misericórdia, e, como sacrifício de suave
odor(4), ofereça ao Pai Onipotente a cura dessa enfermidade... (lembrar-se da enfermidade), porque é pelas
suas chagas que nós somos curados(5) Ó Mãe Consoladora, Vós que, com o Vosso Filho, percorrestes a via
dolorosa e permanecestes valente e paciente ao pé da cruz, sem desespero ou protestos, consolai a... (dizer o
nome do enfermo) e aos que percorrem com ele(a) esse Calvário. Suplicai a Jesus o mitigar desse sofrimento, o
alívio das dores, o atar e cicatrizar das feridas internas e externas. Permanecei a seu lado, a fim de que, mesmo
exaustos de dor e cansaço, fiquem de pé, não se deixem impacientar, não percam a esperança de que Deus de
tudo dispõe para o nosso bem, tampouco a fé de que tudo é possível àquele que crê. Com o Vosso materno
consolo tocai também o coração dos médicos e enfermeiros que dele(a) cuidam, a fim de que se empenhem,
perseverantes e pacientes, dando o máximo de si para encontrar meios e medicamentos que aliviem o peso
dessa cruz. Consolai ainda os que na vizinhança ou nos leitos dos hospitais estão pregados na cruz de outras
tantas enfermidades, a fim de que na trilha desse sofrimento consigam encontrar a Jesus Cristo.
Atai, pois, todos os enfermos com Vossa Sagrada Correia, levantai-os e apresentai-os diante de Deus,
Misericordioso e Onipotente, para que valendo-se dessa enfermidade, ofereçam-na a Ele no altar desse lenho
de dor para sua própria conversão, purificação dos pecados e chegada à santidade. Isso Vos pedimos porque
sois a Rainha e Dispenseira de todas as graças. Amém!

De Quem Está Enfermo


Ó Mãe da Consolação, eu, ... (dizer seu nome), vos peço: consolai-me, dizendo a Jesus que estou cansado(a),
sem forças e que careço de alívio! Atai-me com a Vossa Sagrada Correia e a Ele levai-me, a fim de que mande
sobre mim a suavidade do Seu peso e a leveza do Seu jugo, curando-me, no corpo e na alma, da enfermidade
que me oprime, acorrenta e escraviza, pois, tão consumado médico Ele é, que nem mesmo as cicatrizes
aparecem!(6) Recebei no Vosso colo materno meu corpo enfermo e debilitado e apertai-o com ternura sobre o
Vosso peito, tal qual fizestes com o Corpo inanimado do Vosso Filho, Jesus, quando descido da cruz. Consolai-
me, pois estou muito triste, vivendo a solidão no leito frio desse quarto! Abrigai-me, portanto, para que possa
repousar nos vossos braços e experimentar um pouco de afago... Vós sabeis que tenho bebido o fel e o vinagre
da provação por conta dessa enfermidade que me despojou dos planos e sonhos que tinha... Porém, confiante
no vosso materno consolo, sei que não mais permitireis que ela deite a sorte sobre minha vida, como fizeram os
soldados com as vestes do Vosso divino Filho. Capacitai-me, entretanto, para que aceite levar essa cruz com
amor até onde Jesus determinar... Suplico, pois, vossa materna visita. Quero, na cruz dessa enfermidade, nas
agonias que ela me traz, abandonar-me ao peso do Corpo de Jesus e inclinar-me na Sua direção, entregando-lhE
meus sofrimentos até para a remissão dos meus pecados. Isso Vos peço, porque sois a Rainha e Dispenseira de
todas as graças. Amém!

Para Conseguir Um Emprego


Ó Mãe operária da Consolação, abri-me uma porta! Convosco, clamo à entrada do coração do Vosso Filho,
Jesus, pois que Ele mesmo disse: “Peçam, e lhes será dado! Procurem, e encontrarão! Batam, e abrirão a porta
para vocês”(7). E se também Ele garantiu-nos: “O que vocês pedirem em meu nome, eu o farei”(8), pedi-lhE que
atenda esse clamor que brota do mais íntimo do meu coração: abri-me uma porta!, pois, quem pode comer e
beber, sem que isso lhe venha de Deus?(9) Vós sabeis como é estreita a porta e apertado o caminho que levam
para a vida de um trabalho digno, e são poucos os que a encontram!(10). Com Jesus, sabeis também do
momento de dificuldades pelo qual eu, ... (dizer seu nome) e toda a minha família estamos passando por conta
do desemprego. Mas, Jesus é a porta. Quem entra por Ele, será salvo. Entrará, e sairá, e encontrará pastagem.
(11). E sei que, consolado(a) por Vós, encontrarei a pastagem de um salário para dar à minha família o pão
nosso de cada dia(12), pois, a felicidade do homem está em comer e beber, desfrutando o produto do seu
trabalho. Contudo, (...) também isso vem das mãos de Deus (13). Por isso, Consoladora minha, eu grito ao
Senhor: Salvai-me, por vossa justiça! Libertai-me! Inclinai depressa o vosso ouvido para mim!(14), porque vós
sois, ó meu Deus, minha esperança.(15). Ó Mãe da Consolação, eu creio que a Deus nenhuma coisa é
impossível.(16). Por isso mesmo, dai-me, ânimo, confiança, destemor e fortaleza, para sair de casa à procura de
trabalho, pois com a certeza de que quem pede, recebe; quem procura, acha; e a quem bate, a porta será
aberta.(17), sei que Vossas Mãos estendidas já se anteciparam a meu favor, batendo à porta do coração de
Jesus, que, agora, por Sua imensa misericórdia, sentencia a meu favor, dizendo-me: Eis que venho (...) e trago o
salário para retribuir a cada um conforme o seu trabalho.(18) Isso espero de Vós, porque sois a Rainha e
Dispenseira de todas as graças. Amém.
(Reze várias vezes ao dia e, principalmente, antes de sair para procurar um emprego: “Jesus Misericordioso,
abri-me uma porta e concedei-me esta graça”)

Para Guardar a Pureza do Corpo


Ó Mãe de toda Consolação, Vós, cujo corpo terrestre e mortal imitou a vida celeste, por uma livre escolha de
amor, conservando-se sem a mancha do pecado e totalmente consagrado a Deus por uma vivência virginal,
ajudai-me, enquanto tiver de conduzir e levar este meu corpo, que eu seja puro(a)(19). Atai-o à Vossa Sagrada
Correia, oferecendo-o a Deus como sacrifício vivo, santo e agradável(20), pois que ele não é para a imoralidade
e sim para o Senhor(21). Orientai-me, portanto, a fim de que viva honestamente.(22), ciente de que meu corpo
é templo do Espírito Santo, que está em mim e me foi dado por Deus.(23). Pela Vossa Imaculada Conceição, ó
Maria da Consolação, tornai puro meu coração e santa a minha alma, motivando-me a fazer uso frequente do
sacramento da Penitência e a aproveitar as muitas oportunidades de receber a graça da fortaleza divina na
Sagrada Eucaristia, resguardando-me, assim, dos ataques espirituais do maligno e dos pensamentos luxuriosos,
sem jamais descuidar do Templo do meu Deus!(24). Tornai-me digno(a) da Sua morada, e que assim possa vir a
habitar no Seu beatíssimo Reino(25). Vós, terrível como um exército em ordem de batalha(26), empunhai Vossa
Sagrada Correia e enlaçai-me, batendo contra os domínios do pecado sexual que me quiserem aprisionar:
desejos desenfreados, masturbação, pornografia, pensamentos impuros, gestos obscenos, palavrões e piadas
imorais. Armai-me com a reza do Santo Rosário contra o inferno, os vícios e o pecado(27) e com a leitura e
meditação da espada do Espírito, que é a Palavra de Deus(28), que penetra até o ponto onde a alma e o espírito
se encontram; (...) sonda os sentimentos e pensamentos mais íntimos.(29). Purificai-me, pois, ó Mãe de toda
Consolação, a fim de que eu purifique o Templo de Javé(30), sendo para os fiéis um modelo na conduta e na
pureza(31), distinguindo, enfim, qual é a vontade de Deus: o que é bom, o que é agradável a ele, o que é
perfeito.(32). Isso Vos peço porque sois a Rainha e Dispenseira de todas as graças. Amém.

Pela Ordem Agostiniana Recoleta


Ó Nossa Senhora da Consolação, atai à Vossa Sagrada Correia cada membro da Ordem Agostiniana Recoleta, a
fim de que unidos, numa só alma e num só coração, na santa convivência fraterna, formem para Vós um rosário
de paz inquieta, cujas contas sejam a Caridade e a Ciência. Assim, ela torne-se um horto de rosas, onde cada
casa é uma roseira; em cada roseira, cada obra é uma rama; em cada rama, cada membro é uma rosa(33). Ó
Mãe Consoladora, a Vós que concebestes, gerastes e nutristes o Cristo(34), por toda Ordem Agostiniana, agora,
suplicamos: Concebei, gerai e nutrí muitas vocações sacerdotais, leigas e religiosas para ela, a fim de que na
seara do mundo, incansavelmente percorra todas as cidades e povoados, ensine, pregue a Boa Notícia do Reino,
levando a cura às enfermidades sociais.(35) Pedi, pois, ao dono da colheita que mande trabalhadores para a
colheita, pois ela é grande, mas os trabalhadores são poucos.(36). Ó doce Mãe da Consolação, Vos foram
confiadas todas as graças do Espírito Santo para serem distribuídas aos homens. Assim, pelos laços da Vossa
Sagrada Correia, todos da Ordem Agostiniana Recoleta — homens e mulheres —, mantenham entre si laços de
paz, para conservar a unidade do Espírito.(37). Sob o influxo do Consolador, e no testemunho de Jesus Cristo,
em cada membro dela, e filho Vosso, haja um coração íntegro, e, no íntimo deles, um espírito novo. Que sigam
os estatutos do Senhor Deus, pondo em prática as normas divinas, a fim de que sejam sempre o Seu povo, e
Javé o seu Deus.(38). Isso Vos pedimos, porque sois a Rainha e Dispenseira de todas as graças. Amém.

Pela Paz(39)
Ó Nossa Senhora Consoladora e Rainha da Paz, porque Vosso divino Filho disse: «Eu deixo para vocês a paz, eu
lhes dou a minha paz,(40) hoje, vimos suplicar-Vos: trazei-nos a paz, pois foi para viver em paz que Deus nos
chamou.(41). Que experimentemos, no coração, a paz que somente Ele nos pode dar. Tornai-nos capazes de
criar laços de paz, pois nosso desinteresse pode destruí-la. Ajudai-nos a aceitar a Paz divina, a vivê-la e difundi-
la, tornando-nos portadores dela e da concórdia, seus mensageiros e testemunhas nesse mundo cheio de
tensões, pois quem aconselha a paz vive tranqüilo.(42) Que, agora, quando há muita falta de paz por todo o
mundo, venha sobre nós uma abundância de paz.(43). Que ela esteja em nossos corações, em nossos anseios e
aspirações, em nossos ambientes e em nossas famílias, e, com a vossa materna intercessão, estejamos todos
abertos aos planos de Deus e aos seus projetos, a fim de colaborar com Ele para a paz e para o bem, ajudando
os outros a conhecê-la, percebê-la e sentirem-se desejosos de procurá-la, pois nossas vidas não são nossas, mas
apenas um dom com o qual devemos alegrá-los e guiá-los à vida eterna. Ó Consoladora nossa, rogai ao Senhor
da paz que nos proteja sob seu manto, ajudando-nos a compreender a grandeza e a importância da paz, a fim
de que ela reine em todo o mundo, que a deseja ardentemente. Atados à vossa Sagrada Correia, convertamo-
nos, reatando os laços que nos unem a Deus, pois a falta de paz é fruto do afastamento dEle. Que a paz,
portanto, corra com um rio pelo mundo inteiro através do Vosso consolo e do nosso testemunho, de forma que
dela não falemos, mas vivamos, a partir da conversão e da oração. Isso Vos pedimos, porque sois a Rainha e
Dispenseira de todas as graças. Amém.

Do Jovem Agostiniano Recoleto - JAR


Ó Mãe de toda Consolação, apresento-me diante de Vós: que hei de fazer para que a minha vida tenha pleno
valor e pleno sentido?(44). Inquieto como o jovem Agostinho, sabeis que tenho necessidades e incertezas: o
futuro, o amor, a felicidade, o emprego e tantas outras angústias... Entretanto, venho pedir-Vos que com a
Vossa Sagrada Correia estendais um laço para mim(45), ajudando-me a preparar meu coração da maneira que
convenha(46) ao Senhor, a fim de que possa alegrar-me na minha juventude e ser feliz nos dias da mocidade,
(47), pois que um coração desorientado é uma fábrica de fantasmas.(48) Como jovem agostiniano recoleto
quero ter o espírito solidário cristão do voluntariado e da missão; quero crescer em comunidade; descobrir,
seguir e anunciar a Jesus Cristo. Cingi-me, pois, a fim de que não me desnorteie nem inverta a direção desse
caminho(49). Amparai-me e levai-me convosco(50), para que não me desvie dos preceitos(51) divinos e em tudo
tenha bom senso.(52). Isso Vos peço, porque sois a Rainha e Dispenseira de todas as graças. Amém.

Contra as Tentações
Nossa Senhora da Consolação, protetora e consoladora minha, cingi-me com a Vossa Sagrada Correia — o
cinturão da verdade(...), a fim de que eu seja sóbrio(a) e fique de prontidão!(53) quando me sobrevierem as
tentações, pois bem sabeis que o espírito está pronto, mas a carne é fraca.(54). Ó forte esquadrão contra o
inimigo(55), a Vós, que vos tornastes uma proteção para o fraco, um apoio para o indigente na hora do seu
aperto, um esconderijo no tempo das águas e uma sombra no sol forte(56), agora suplico: não me deixeis cair
em tentação!(57) Intercedei por mim junto a Jesus para que Ele ajude-me a resistir aos atrativos que o mundo
oferece. Prendei-me à Vossa Sagrada Correia para que, ainda que tropece, não chegue a cair, pois, por ela, sei
que Javé sustentar-me-á pela mão.(58). Sabeis que, por vezes, me sinto fraco(a) diante do poder e da força que
a concupiscência exerce sobre mim; porém, sei também que quando sou fraco, é que sou forte.(59), pois que
ninguém é tentado além do que pode suportar, porque Deus é fiel e não permitirá que seja tentado acima das
forças que tem.(60). Fazei-me ver, então, ó Mãe de toda Consolação, que não é Deus que me tenta, mas, sim,
meu próprio desejo, que me atrai e seduz, concebe e dá à luz o pecado, e o pecado, uma vez consumado, gera a
morte.(61). Porém, eu não quero a morte, pois o Senhor entregou-me como herança a lei da vida(62). Por isso,
Vos suplico: quando caminhar entre perigos, me conserveis a vida(63), pois tenho em mente que posso fazer
tudo o que quero. Sim, mas nem tudo me convém. Que posso fazer tudo o que quero, mas que não devo deixar
que nada me escravize(64). Esse Vosso consolo materno que agora busco é, pois, a maior certeza que tenho de
que Ele, o Deus de toda graça, fará com que eu seja inabalável, (65) dando-me os meios de sair das tentações e
a força para suportá-las.(66) E, uma vez provado(a), receberei a coroa da vida, que prometeu àqueles que o
amam(67), e ouvirei Sua sentença favorável: Uma vez que você guardou a minha ordem para perseverar, eu
também guardarei você da hora da tentação.(68) Isso tudo peço e espero de Vós, porque sois a Rainha e
Dispenseira de todas as graças. Amém.

Notas:
(1) Is 53, 3; (2) 2. Is 53, 4; (3) Jo 19, 40; (4) Ef 5, 2; (5) Is 53, 5; (6) Sto. Agostinho, IX Ep. Jo. 2; (7) Mt 7, 7; (8) Jo
14, 13; (9) Ecl 2, 25;(10) Mt 7, 14; (11) Jo 10, 9; (12) Mt 7, 9; (13) Ecl 2, 24; (14) Sl 71, 2; (15) Sl 71, 5; (16) Lc 1, 37;
(17) Lc 11, 9-10; (18) Ap 22, 12; (19)Sto. Agostinho, Sol 1, 6; (20) Rm 12, 1; (21) 1Cor 6, 13; (22) .Rm 13, 13ª; (23).
1Cor 6, 19; (24) Ne 10, 40; (25) Sto. Agostinho, Sol 1, 6; (26) Ct 6, 4.10; (27) 3ª Promessa feita por Maria
Santíssima a São Domingos; (28) Ef 6, 17; (29) Hb 4, 12; (30) 2Cro 29, 5; (31) 1Tm 4, 13; (32) Rm 12, 1-2; (33) Pe.
Isidoro de Jesus Maria, sermão recoleto do Século XVII; (34) Lumen Gentium, 61; (35) Mt 4, 23; (36) Lc 10, 2;
(37) Ef 4, 3; (38) Ez 11, 20; (39) Oração feita a partir da junção das Mensagens de Nossa sobre a paz, em
Medjugorje, no período de 1984/1998; (40) Jo 14, 27; (41) 1Cor 7, 15; (42) Pr 12, 20; (43) Jr 33, 6; (44) . João
Paulo II, Carta aos jovens, 3, 1995; (45) Sl 119, 110ª; (46) Sto. Agostinho, in Ps. 131, 3-6; (47) Ecl 11, 9; (48)Sto.
Agostinho, in Os 80, 14; (49) Is 3, 12; (50) Sto. Agostinho; (51) Sl 119, 110; (52) Tt 2, 6; (53)1Pd 5, 8; (54) Mt 26,
41; (55) Bernardino de Bustis, Ofício da Imaculada Conceição da Virgem Maria; (56) Is 25, 4; (57) Lc 11, 4; (58) Sl
37, 24; (59) 2Cor 12, 10; (60)1Cor 10, 13; (61) Tg 1, 12-15; (62) Eclo 17, 9; (63) Sl 138, 7; (64) 1Cor 6, 12; (65) 1Pd
5, 8-11; (66) 1Cor 10, 13; (67) Tg 1, 12; (68) Ap 3, 10.

CÂNTICOS À NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO E CORREIA


1. Ave Maria Consoladora
Vindo de longe ou de perto / pelos caminhos da vida / Chego aos teus pés, Mãe querida/buscando consolação /
Nos pés, o pó da estrada/Na alma, o fogo do amor / Tu me sorris do andor. / Te entrego o meu coração.

AVE MARIA, AVE MARIA / ADMIRÁVEL INTERCESSORA / AVE MARIA, AVE MARIA, / NOSSA SENHORA
CONSOLADORA.

Vindo de longe ou de perto, / trazendo a flor ou a cruz / encontro aqui teu Jesus / que quer minha conversão /
Trago pedidos na alma / Trago esperança e fé / Trago pecados até / Pedindo a Deus o perdão.

Vindo de longe ou de perto / Venho pedir a saúde / Que teu poder me ajude a nunca desanimar / E no meu
pranto te peço / Aumenta a confiança / Que eu nunca perca esperança / Que eu saiba me conformar.

Vindo de longe ou de perto / Venho só por ti Maria / Por teu Filho que me envia a levar libertação / Libertação
que é verdade / De quem é caminho e luz / Contigo e com teu Jesus / Levarei consolação.

2. Neste Dia de Graça e Beleza


Neste dia de graça e beleza / Eis teus filhos que querem te honrar / Ostentando a correia preciosa / O Emblema
que vieste nos dar./ Nesta vida de incertos roteiros / o perigo anda em volta de nós / Mas, se o manto desdobra,
Mãe Pia / Não ficamos em trevas, nem sós.

SALVE, SALVE Ó EXCELSA RAINHA / DO INFELIZ PECADOR, SALVAÇÃO! / É DE PAZ E DOÇURA TEU NOME, / POIS
ÉS TU, MÃE DA CONSOLAÇÃO (BIS).

No trabalho, nas lutas ou festas / Como é grato o teu nome invocar / Alegria, contigo, é mais doce / E na dor tu
nos vens consolar./ Do teu nicho, entre luzes e flores / A nós baixa o teu cândido olhar / Pois vimos, Senhora,
confiantes / Teu consolo de mãe invocar.

3. Virgem Mãe, Doce Consolo


VIRGEM MÃE, DOCE CONSOLO/ VIRGEM MÃE,DO MEU AMOR / ESCUTAI, DESTE O CÉU / ESTA DOR DO
PECADOR.

Qual passarinho ferido / Que buscara doce ninho / Minh’alma dolorida / Busca um colo pra chorar / Tu
somente, ó Mãe, compreendes / Suas queixas e desencantos / Tu somente lavas o pranto / E acolhes seu
penar / E acolhes seu penar.

És tu, Virgem bendita / Fonte de eterna alegria / Mãe de Deus, Virgem Maria / Santo emblema da dor / Rico
favo que lavraram / Os anjos lá do céu / Virgem Mãe, doce Consolo / Virgem Mãe do meu amor / Virgem Mãe
do meu amor.

4. Mãe e Rainha da Consolação


Ó MÃE E RAINHA DA CONSOLAÇÃO / AMOR E TERNURA PARA TODOS NÓS / FAROL E BONANÇA DA
RECOLEÇÃO / AVE, DOCE ESPERANÇA / SALVE, MÃE E RAINHA DA CONSOLAÇÃO.
Seguimos os passos do bom Jesus / Por terra e mares, difícil missão / Tu és, ó Maria, essa clara luz / Luz que
ilumina nossa vocação / Mãe da Consolação, ilumina nossa vocação.

Unidos no amor e fraternidade / Uma só alma e um só coração / Tu és, ó Maria, doce caridade / Caridade e
comunhão / Mãe da Consolação, crie entre nós a comunhão.

Diferentes raças, gentes e culturas / Esperam Jesus, a Salvação / Tu és, ó Maria, paz e doçura / Paz e doçura,
reconciliação / Mãe da Consolação, sede vós nossa salvação.

Nas horas difíceis e nas incertezas / Quando a gente perde a ilusão / O teu conselho e a tua pureza / Traz alegria
e renovação / Mãe da Consolação, purifica nosso coração.

Na Eucaristia Jesus é comida / E o vinho é o sangue da Redenção / E tu Maria, mãe do Pão da Vida / Dai-nos o
Vinho novo da conversão / Mãe da Consolação, acrescenta nossa devoção.

5. Salve, Filha de Deus Diletíssima


Salve, Filha de Deus diletíssima / Salve, Esposa do Amor de todo amor / Salve, Mãe de Jesus Sacratíssima /
Consoladora do pecador.

Virgem das Virgem, mais que o sol formosa / Foi imensa qual mar, tua amargura / Porque tanto choraste, mãe
bondosa / És fonte de doçura e consolação.

Com ternura de amor infinito / regalaste a Agostinho e a Mônica / A Correia, presente bendito / penhor certo de
santa pureza / E de fortaleza e Consolação.

Nós cingimos, com santa ufania / A Correia que a nossa Mãe cingiu / Pertencemos à Arquiconfraria / Rica em
graças, qual nenhuma existiu.

Fervorosos, cantemos a Maria / Que é a Rainha do nosso coração / Procuremos sua glória todo dia / Salve!
Salve! Mãe da Consolação (bis).

6. Com Maria na Caminhada


Entre todas as mulheres, bendita / Maria, Mãe de Deus, Maria nossa mãe / Do Espírito Santo, esposa / Dos
homens a “Consolação”.

MARIA, JUNTO A TI QUEREMOS / OS PASSOS DE CRISTO SEGUIR / E UNIDOS NO ESPÍRITO SANTO NUM SÓ
CORPO / A DEUS IREMOS SEGUIR (BIS).

Difícil será o caminho / Cansativa a jornada / Porém a teu lado, Maria, / seremos firmes na estrada.

E como farol a nos guiar / teu Santo Espírito nos levará / A sermos fiéis discípulos / Para o teu Reino anunciar.