Você está na página 1de 39

ABORDAGEM

SÓCIO-HISTÓRICA DO
DESENVOLVIMENTO
GRUPO:
ALBERTO
ANA CAROLINA
BÁRBARA
BIANCA

PROFESSORA: CLAUDIA BROETTO ROSSETI


QUEM SOMOS NÓS?
Eu faço mestrado Bianca Meireles
46 anos,
Me formei em 2019 na Barbara Frigini De
psicólogo UFS, entrei na turma de
Burini, 24 anos
Marchi – 30 anos
2020 no mestrado da
formado em
UFES Fonoaudióloga –
2009, policial Eu gosto muito de Psicóloga –
Clínica/Domiciliar
militar trabalhar com temas SESA/HEAC
"Seja luz por onde
(cavalaria), player relacionados a jogos e 1o ano do
for!"
gosto de desenhar no Doutorado
1 ou 2, tanto faz. meu tempo livre Mestrado
OBJETIVOS
1. Contexto Histórico;
2. Natureza humana x condição humana;
3. Subjetividade;
4. Mundo psíquico;
5. Cultura;
6. Categorias de análise;
7. Aplicações;
Como nos tornamos quem somos?

Como ocorre o desenvolvimento das funções psicológicas superiores?

De onde surgem as capacidades humanas?


https://www.youtube.com/watch?v=rTqWOsAjPeI
Psicologia sócio- Psicologia ocidental
histórica moderna

Estuda o fenômeno psicológico dos


humanos do século XXI
O MOMENTO HISTÓRICO DE
CONSTITUIÇÃO DA
PSICOLOGIA SÓCIO-
HISTÓRICO
Revolução de 1917, na Rússia;

Analfabetismo;

Ciência baseada no marxismo;

Novo mundo, novo homem;

Vygostky, Leontiev e Luria;


Nascimento: 17 de novembro de
1896, Orsha, Bielorrússia
Falecimento: 11 de junho de 1934,
Moscou, Rússia
PRINCÍPIOS BÁSICOS DA
TEORIA DOS AUTORES
Linguagem e pensamento;
Consciência e comportamento;
Funções superiores do homem.

Estrutura teórica Marxista de Vygotsky

Fenômenos como processos em permanente movimento e


transformação;
O homem se constitui e transforma ao atuar sobre a
natureza;
Não se pode construir o conhecimento a partir do aparente;
Vida que se tem que se determina a consciência.
A CONCEPÇÃO DO HOMEM NA
PSICOLOGIA SÓCIO-HISTÓRICA:

Instrumento
Natureza humana X Condição humana
O homem como ser ativo, social e histórico
SUBJETIVIDADE
Para a Psicologia sócio-histórica, as várias Psicologias
fizeram de seu objeto de estudo, o fenômeno psicológico,
algo existente a priori nos sujeitos, independente de suas
vivências.

O ser humano e seu mundo psíquico são estudados como


construções históricas e sociais da humanidade: o fenômeno
psicológico não pertence a uma natureza humana.

Vygostky utilizava termos como “funções mentais” e


“consciência” para designar processos denominados
cognitivos (La Taille, Oliveira & Pinto, 2000).
MUNDO PSÍQUICO
Formas de subjetivação: Como pensamos? Como agimos?
Como significamos as experiências vividas?

A Psicologia sócio-histórica não serve para compreender


qualquer ser humano: é uma Psicologia ocidental moderna,
que estuda e dá visibilidade ao fenômeno psicológico dos
humanos do século XXI da sociedade ocidental (Bock,
Furtado & Teixeira, 2008).
SUJEITO E MUNDO:
ÂMBITOS DE UM MESMO
PROCESSO
Sujeito e mundo são domínios diferentes, mas criados
no mesmo processo. Não são antagônicos, se
completam e se referem um ao outro.

Subjetividade individual e subjetividade social

Não se pode compreender o que o ser humano sente,


pensa e age sem conhecer seu mundo. É preciso
conhecer o mundo social no qual está imerso e é
construtor, em um processo de humanização
permanente.
A IMPORTÂNCIA DA
CULTURA
CULTURA
Melhor expressão do avanço da humanidade
Nossas conquistas estão depositadas nos objetos e
ideias que construímos ao longo do desenvolvimento

Humanização do mundo material

EXEMPLO:
caderno, lápis
mesas,cadeira,
camas..
CULTURA
Criamos um mundo a nossa volta, humanizado. E
estamos em cada coisa que criamos

Objetos, rituais, ciência, religião, arte...

São possibilidades humanas de ser e estar no mundo


que correspondem em objetos/símbolos

Criamos
palavras
CULTURA
Carrega possibilidades psiquícas de subjetividade que
vamos reconstruindo em nós

Humano
Diferente em
Não é algo "igual"
suas
repetitivo (capacidades)
singularidaes

Linguagem
AS CATEGORIAS DE ANÁLISE DA
PSICOLOGIA SÓCIO-HISTÓRICA
"Forma de ver o processo e o movimento humano"
ATIVIDADE

Categoria do psiquismo

Relações sociais
Pensar na
comportamento
subjetividade
sobrevivência
CONSCIÊNCIA

Desenvolve-se no cérebro como capacidade


superior

Nessa teoria não


é apenas uma
atividade
cognitiva
CONSCIÊNCIA

Mesclam sentimentos, conhecimentos,


imagens , palavras ....

Representam a
forma que o sujeito
vive, pensa e sente
o mundo
"(...) Consciência e atividade se encadeiam e se determinam
reciprocamente, ao mesmo tempo em que se confrontam e
se superam, intermediadas pela reflexão."

Ação refletida
criticamente
(Nível
psicológico)
LINGUAGEM E PENSAMENTO
2 funções distintas

Intercâmbio social:
comunicação

Pensamento generalizante:
Instrumento do pensamento
LINGUAGEM E PENSAMENTO

Caminham juntas, mas passam por 2


processos distintos;

1. Fase pré intelectual do pensamento


(inteligência prática) - Ex: Pegar objeto

2. Fase pré intelectual da linguagem


EX: Choro como alívio emocional - Lgg não
verbal
LINGUAGEM E PENSAMENTO

" Nesta fase do desenvolvimento, a criança embora não


domine a linguagem enquanto sistema simbólico, já
utiliza manifestações verbais (Oliveira, 1997, p.47)"

papa,
dada,
mama Meio de
contato social
LINGUAGEM PENSAMENTO

"Momento crucial no desenvolvimento da espécie


humana, momento que o biológico se transforma no
sócio-histórico (Oliveira,Salto
1997 p.45)".
Intelectual
LINGUAGEM E PENSAMENTO

Desenvolvimento de FORA para DENTRO

INTERPSIQUÍCO Fala
egocêntrica Fase de
"verbaliza os transição
pensamentos" (2 a 3 anos)
INTRAPSÍQUICO
APLICAÇÕES
Políticas públicas Escolas

Cíntia Regina Lacerda Rabello


(2015)
Revista Brasileira de Linguística
Aplicada – Qualis A1
Objetivo:
identificar como as interações realizadas no SRS
contribuíram para a construção colaborativa de
conhecimentos

Delineamento:
estudo exploratório e qualitativo

Participantes:
professora-pesquisadora e 57 alunos de Relações
Internacionais (2012)

Instrumento:
o mural do ambiente virtual da rede social
Resultados e discussão:
77 postagens; 409 comentários; 214 curtidas

Análise de três episódios de interação


Ampliação do contexto de ensino-aprendizagem
Criação de zonas de desenvolvimento potencial
Expansão das interações
Elaboração de conceitos científicos
Redes sociais digitais
Espaços virtuais de ensino e aprendizagem
Construção colaborativa do conhecimento

Mundo psíquico & sociedade moderna


Novas perspectivas e possibilidades para a educação formal
Ambientes pouco estruturados e não hierarquizados
"Através dos outros, nos tornamos nós mesmos".

Obrigado!
REFERÊNCIAS
Bock, A. M. B., Furtado, O., Teixeira, M. L. T. (2008). Psicologias: uma introdução ao estudo da psicologia (14
ed.). São Paulo: Saraiva

La Taille, Y. J. J. M. R., Oliveira, M. K., & Pinto, H. D. S. (2000). Piaget, Vygotsky, Wallon:teorias psicogenéticas
em discussão. São Paulo: Summus.

Lucci, M.A. (2006). La propuesta de Vygotsky: La psicología sociohistórica. Revista de currículum y formación del
profesorado, 10 (2).

Rabello, C. R. L. (2015). Interação e aprendizagem em Sites de Redes Sociais: uma análise a partir das concepções
sócio-históricas de Vygotsky e Bakhtin. Revista Brasileira de linguística Aplicada, 15(3), 735-760.
https://doi.org/10.1590/1984-639820156288

Oliveira, M. K. (1997). Vygotsky: aprendizado e desenvolvimento: um desenvolvimento sócio-histórico. São Paulo:


Scipione,