Você está na página 1de 8

Universidade Estácio de Sá

Planejamento educacional – M ͣAugusta


Pedagogia – 2 ͣPeríodo

Projeto de Ensino Aprendizagem


Plano de curso – Ensino fundamental I

Por,

Maria Juliérika Lopes dos Anjos-Mat.: 200901358226; Nadja Agra – Mat.:


201001389832; Edislândia – Mat.: 201001388755; Ana Luiza – Mat.: 201001203830;
Antonia Cícera – Mat.: 201001459059; Sabrina – Mat.: 201001340469

Dezembro/2010
PROJETO DE ENSINO-APRENDIZAGEM
PLANO DE CURSO - ENSINO FUNDAMENTAL I

DADOS GERAIS

ESCOLA: Escola Fruto do Saber

SERIE: 2 ͦ ano Fundamental I

N ͦTOTAL DE AULAS: 200 dias letivos

TURMAS: 2 A, 2B, 2C, 2D, 2E E 2 F

ANO LETIVO: 2011

PROFESSORES: Nadja Agra, M ͣ Julierika, Antonia Cícera, Sabrina Saíres, Ana Luiza,
Edislândia.

ANALISE DA REALIDADE:

A escola se situa na Rua Gilka Machado,n ͦ 2537 no bairro da Recreio dos


Bandeirantes. Funcionando nos turnos matutino e vespertino com o ensino
fundamental I.
Dispondo de um espaço físico com: vinte e três salas de aula, uma biblioteca, um
laboratório de informática, duas quadras, uma secretaria, uma recepção, uma cantina.
Nossa escola irá atender classe media do recreio, temos convênios e vagas para
alunos bolsistas.
Nossa linha pedagogia se baseia na metodologia piagetiana, onde o educando interage
o tempo todo com o seu próprio aprendizado.

JUSTIFICATIVA / NECESSIDADE

“A idade média de sete anos, que coincide com o começo da escolaridade da


criança, propriamente dita, marca uma modificação decisiva no desenvolvimento
mental. Em cada um dos aspectos complexos da vida psíquica, quer se trate da
inteligência ou da vida afetiva, das relações sociais ou da atividade propriamente
individual. Observa-se o aparecimento de formas de organizações novas, que
completam as construções esboçadas no período precedente, assegurando-lhes
um equilíbrio mais estável e que também inauguram uma série ininterrupta de
novas construções”.

Jean Piaget - Seis Estudos de Psicologia

“A criança de 7 anos começa a se liberar de seu egocentrismo social e intelectual,


tornando-se, então, capaz de novas coordenações, que serão da maior importância,
tanto para a inteligência quanto para a afetividade. Para a inteligência, trata-se do
inicio da construção lógica, que constitui, precisamente, o sistema de relações que
permite a coordenação dos pontos de vista entre si.

Para a afetividade, o mesmo sistema de coordenações sociais e individuais


produz uma moral de cooperação e de autonomia pessoal.

Observando (as crianças) maiores, fica-se surpreendido por um duplo progresso


(em relação à atividade dos pequenos, em que não se distingue a atividade privada
daquela feita em colaboração), concentração individual, quando o sujeito trabalha
sozinho e colaboração efetiva quando há vida comum,

A partir dos sete anos, inicia-se o processo de descentração da criança,


tornando-se ela cada vez mais capaz de cooperar, porque começa a distinguir seu
próprio ponto de vista do ponto de vista do outro. As discussões tornam-se
possíveis, as explicações se desenvolvem no plano do pensamento e não somente
no da ação material.

Quanto ao jogo de regras, as crianças a partir de sete anos, mesmo sem


conhecer de cor todas as regras do jogo, asseguram-se da unidade das regras
admitidas durante uma mesma partida e se controlam mutuamente, mantendo uma
igualdade frente a uma lei única. O termo ganhar assume sentido coletivo: é ser bem
sucedido após uma competição com regras. É claro que o reconhecimento da vitória
de um jogador supõe discussões bem orientadas e definidas.

Jean Piaget - Seis Estudos de Psicologia

OBJETIVOS GERAIS DA SERIE

• Dividir o trabalho com o colega.


• Discutir as opiniões sobre a situação-problema proposta para o grupo.
• Usar o conhecimento em situações da sua vivência.
• Seguir regras avaliadas pelo grupo.
• Utilizar sua independência e iniciativa tanto em soluções pedagógicas
(pensamento divergente) quanto em situações de organização (precisando da
direção do adulto para se situarem).
• Investigação e descoberta – Propiciar a construção ativa e significativa do
conhecimento através de investigações e descobertas.
• Competências cognitivas – Desenvolver habilidades e competências cognitivas.
• Pensamento crítico – Estimular o pensamento crítico e a capacidade de resolver
problemas.
• Trabalho em grupo – Incentivar o senso de cooperação e o respeito ao outro.
• Atitudes científicas – Desenvolver atitudes científicas como a curiosidade, o
reconhecimento de evidências, a criatividade e o respeito à vida.
AREA DISCIPLINAR: Matemática
NUMERO DE AULAS: 50
PERIODO: 1 bimestre
UNIDADE I: Lógica

OBJETIVO ESPECÍFICO DA ÁREA

• Distinguir atributos e valores de conjuntos dados;


• Classificar matérias estruturadas de todas as formas possíveis;
• Reconhecer o conjunto união de conjuntos dados;
• Nomear e etiquetar conjuntos concretos através de suas propriedades;
• Combinar valores de materiais estruturados (2 atributos);
• Retirar e organizar informações em quadros de dupla-entrada;
• Retirar informações de diagramas sagitais;
• Seriar materiais estruturados e não estruturados através de suas diferenças e
semelhanças.

CONTEUDO PROGRAMÁTICO

• Conjuntos concretos
• Quadros de dupla – entrada
• Formas
• Diagramas sagitais
• Valores
• Livro de matemática

RECURSOS

Materiais diversos como :


Feijão
Arroz
Milho
Palito de sorvete
Folhas de Atividades
Cola
Folhas de avaliação
UNIDADE II : Numeração/ Operações
PERIODO: 2 BIMESTRE

OBJETIVO ESPECÍFICO DA ÁREA

• Numerar o conjunto dos números Naturais;


• Internalizar o conceito de dezena, centena e milhar;
• Reconhecer as vizinhanças numéricas;
• Relacionar o conceito da adição com a união de conjuntos;
• Resolver o algoritmo da adição sem reserva até milhar;
• Resolver o algoritmo da adição com reserva até milhar;
• Refletir sobre situações concretas de subtração;
• Resolver problemas abertos de subtração, multiplicação e divisão;
• Estabelecer relações entre adição e subtração;
• Saber lidar com o vocabulário dezena, meia dezena, 1 dúzia, meia dúzia, o dobro,
metade;
• Resolver mentalmente situações de adição até 1000;
• Saber mentalmente todas as adições com parcelas de 1 a 9 (tabuada de adição):

CONTEUDO PROGRAMÁTICO

• Adição
• Vocabulário matemático
• Relacionar adição e subtração
• Multiplicação e divisão
• Algoritmos
• Conjuntos dos números naturais
• Conceito de dezena
• Antecessor e sucessor

RECURSOS
• Livro de didático
• Folhas de tarefas
UNIDADE III: MEDIDAS / GEOMETRIA
PERIODO: 3 BIMESTRE

OBJETIVO ESPECÍFICO DA ÁREA

• Estabelecer todas as relações possíveis num mesmo mês (dia, semana, feriado,
nº de fins de semana etc.);
• Seriar os meses do ano;
• Conservar o tempo (idade).
• Trabalhar com uma única medida arbitrária;
• Reconhecer o metro como medida padrão;
• Dada uma figura simples bidimensional, reconhecer seu interior, exterior,
fronteiras (Ex.: labirintos);
• Perceber a vizinhança de regiões em figuras com algum nível de complexidade
(Ex.: mapa);

• Completar situações concretas (tridimensionais) e gráficas (bidimensionais) com


certo grau de complexidade de forma a torná-los simétricas;
• Descobrir nas figuras bidimensionais a existência ou não de eixos de simetria.
Lidar com situações concretas que utilizem nossa moeda;

CONTEUDO PROGRAMÁTICO

• TEMPO
• COMPRIMENTO
• TOPOLOGIA
• SIMETRIA
• SISTEMA MONETÁRIO

RECURSOS

• Relógio
• Folhas com desenhos geométricos
• Folhas com gráficos
• Livro didático

UNIDADE IV : Probabilidade/ Estatística


PERIODO: 4 BIMESTRE
OBJETIVO ESPECÍFICO DA ÁREA

• Prever numericamente (até 1000) resultados aproximados;


• Interpretar gráficos de barra;
• Executar gráficos de barra relacionados ao cotidiano.

CONTEUDO PROGRAMÁTICO

• Números ate 1000


• Gráficos relacionados ao cotidiano

RECURSOS

• Livro didático

METODOLOGIA

Diferente do método tradicional, em que o aluno recebe o conceito pronto e faz


exercícios, em nosso Sistema, desde a Educação Infantil ,o educando interage o tempo
todo com o seu próprio aprendizado. Ele é convidado a participar, trabalhando suas
experiências, vivências, conhecimentos já adquiridos. Ele pensa, responde e, aos
poucos, um "novo" conceito é criado. Nossa escola tem toda uma preocupação com o
contexto, isto é, com a realidade em que vive o aluno. Ele só poderá interagir realmente
se for abordado algo significativo e pertinente ao seu cotidiano. Hoje em dia, sabemos
que todo aluno, sem nenhuma exceção, traz conhecimentos prévios e experiências
variadas. O nosso material busca, em vista disso, relacionar os conceitos que precisam
ser transmitidos à realidade concreta do aluno.

AVALIAÇÃO

Através da observação em relação ao interesse, à participação, ao desempenho, aos


trabalhos produzidos oralmente ou por escrito, individuais ou coletivos e às provas
escritas e orais.
BIBLIOGRAFIA

PIAGET, J. Seis estudos de psicologia. Editora Forense , ?


BOGODE,Antonio José Lopes e GIMENEZ, Joaquim. Matemática do cotidiano e suas
reflexões.editora FTC S.A. São Paulo.2005.Capitulo 1 .
BUENO, Ana Maria, LEITE, Antonieta Moreira e LIMA, Selma Alves de. Pensar e
viver.editora Ática .São Paulo.2006. Edição 1. Cap. 2 , 3 e 4.