Você está na página 1de 9

Os anfíbios são vertebrados que passam

obrigatoriamente nas primeiras fases da vida na água


utilizando-se de brânquias para a respiração. Alguns
permanecem na água por toda a vida; a maioria, porém,
torna-se terrestre e passa a respirar o ar atmosférico por
meio dos pulmões desenvolvidos durante a metamorfose,
processo que transforma as formas lavrais em jovens de
aspecto semelhante ao do adulto. Durante esse
processo, alguns anfíbios adquirem membros e perdem a
cauda.
O corpo é coberto por peles sem escamas, rica em
glândulas de muco que constituem proteção eficiente
contra a dessecação.

A pele dos anfíbios é rica em células pigmentadas que,


por ação nervosa, podem acarretar mudanças na cor do
animal. Essa reação funciona como um mecanismo de
defesa, a camuflagem.
A enorme quantidade de brejos e lagoas que existe no
Pantanal, oferece condições ideais para a presença de
uma grande variedade desses animais uma vez que a
água é indispensável à sua reprodução.

Entre eles estão os sapos, rã-pimenta, rã-do-brejo e


as pererecas.

Os batráquios, nome genérico usado para designar


anfíbios de corpo geralmente curto, com os membros
posteriores mais desenvolvidos, que são adaptados para
locomoção, saltos e à natação. Muitos possuem
glândulas de veneno na pele, cujo produto de secreção
pode causar desde reações alérgicas ligeiras, até
intoxicações muito graves, tanto no homem quanto nos
animais.

Quase todos as espécies se comunicam por meio de


coaxar, canto característico, executado pelos machos
para marcar o seu território e atrair as fêmeas na época
da reprodução. As espécies que habitam as proximidades
de cachoeiras, em geral, são mudas. Pertencem todos a
uma única Ordem, a dos anuros.

Ex:
Rã-pimenta : (Leptodactylus labyrinthicus)é uma
espécie de anfíbio de grande porte. Alimenta-se
principalmente de invertebrados e pequenos vertebrados
como aves. É encontrada na região sudeste e centro
oeste do Brasil além de países como Argentina, Bolívia,
Paraguai e Venezuela. São encontrados em brejos,
lagoas e pântanos.
Os machos possuem braços maiores que os da fêmea
além de apresentarem espinhos sexuais na região
toráxica e possuem hábitos noturnos e procuram se
esconder na parte do dia. A carne de rã é bem apreciada
em muitos países, sendo inclusive de alto custo, mas em
função da rã touro ser maior que a rã pimenta ela é muito
mais procurada para ser criada em ranários.
Sapo-de-chifres: Ceratophrys ornata, habitualmente
conhecido por sapo-boi,sapo-de-chifre, ou ainda sapo-
untanha, encontrado na região sul do Brasil, na
Argentina, no Chile fronteira com a Argentina e Uruguai.
É possível que ocorra também no Paraguai e no estado
do Mato Grosso do Sul.

Ordem: Anura
Família: Leptodactylidae
Nome popular: Sapo de Chifre
Nome em inglês: Ornata frog
Nome científico: Ceratophrys ornata

Distribuição geográfica: Sul do Brasil e Argentina


Habitat: Florestas tropicais
Hábitos alimentares: Carnívoro
Reprodução: -
Período de vida: Varia de 6 a12 anos
Pode parecer estranho, mas existe um anfíbio conhecido
popularmente como sapo de chifre. Na verdade ele faz
parte da família das rãs, mas por ser grande e apresentar
pele de textura rugosa lembra muito mais um sapo do
que uma rã.
Originário do sul do Brasil e Argentina, o sapo de chifre
(Ceratophrys ornata) possui elevações acima dos olhos
que lembram dois chifres. Estas elevações servem para
que ele se mostre ameaçador para suas presas, além de
fazer com que seus predadores pensem duas vezes
antes de atacá-lo.
Sua coloração varia entre marrom com bege e verde,
camuflando se com o ambiente onde vive. Possui
aproximadamente 20cm de comprimento, pesando cerca
de 500gramas e podendo viver até 12 anos.
Tem hábito noturno e passam praticamente o dia inteiro
enterrado em meio a folhas, musgos e capins em solo de
florestas tropicais, saindo apenas à noite para se
alimentar e procurar fêmeas para acasalar.
Não é fácil diferenciar machos de fêmeas, os machos
tendem ser maior, e apenas ele vocaliza para atrair a
fêmea, na época de reprodução. O amplexo sexual, ou
seja, a cópula entre os anfíbios, ocorre perto de algum
corpo d´água. Os ovos permanecem depositados durante
alguns dias até que nascem os girinos, que logo se
desenvolvem em anfíbios adultos, que nesta espécie se
tornarão belas rãs ou melhor, sapos de chifre.
O sapo de chifre também é conhecido por muitos como
pac-man (come-come do videogame) pelo tamanho de
sua boca e por ser muito faminto. Sua dieta baseia-se em
invertebrados, pequenos vertebrados e peixes.
O desmatamento, as queimadas, o aquecimento global,
vem destruindo o habitat dos sapos de chifre diminuindo
sua população. Os anfíbios em geral são muito sensíveis
a mudanças em seu ambiente, muitas espécies estão
ameaçadas de extinção e muitas foram extintas, e ele
como os outros animais também têm seu papel na
natureza, assim é fundamental nos preocuparmos em
conservá-los.
Sapo_cururu : O Rhinella marina (antigamente chamado
de Bufo marinus), conhecido como sapo-cururu, sapo-boi
ou cururu, é um sapo nativo das Américas Central e do
Sul. Pertence ao gênero Rhinella, que inclui centenas de
espécies de sapos diferentes, distribuídas principalmente
pelo Brasil.
É um animal fértil devido ao grande número de ovos
postos pelas fêmeas. Seu sucesso reprodutivo deve-se
também, em parte, à variedade de alimentos que podem
constituir a sua dieta, incomum entre os anuros, e que
tanto inclui materiais vivos como mortos. Em geral, os
adultos atingem de 10 a 15 centímetrosde comprimento.
O maior exemplar da espécie de que se tem notícia
media 38 centímetros do focinho à cloaca e pesava 2,65
quilogramas.
O sapo-cururu possui grandes glândulas de veneno.
Tanto os adultos como os girinos são altamente tóxicos
quando ingeridos. Por causa do apetite voraz, foi
introduzido em várias regiões do Oceano Pacífico e dos
arquipélagos caribenhos como método de controle
biológico de pragas, nomeadamente na Austrália, em
1935. Em inglês é conhecido como Cane Toad e, em
espanhol, como Sapo de Caña ("sapo-da-cana" em
ambas as línguas) por ter sido comumente usado no
controle de pragas da cana-de-açúcar. Atualmente, é
considerado uma praga em muitas das regiões onde foi
introduzido, pois sua pele tóxica mata muitos predadores
nativos quando ingerido, além de afetar animais
domésticos e de estimação que os comem.
Bibliografia: http://www.pantanalms.tur.br/repteis_anfibios5.htm
http://www.bichosbrasil.com.br/ra-pimenta/
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ceratophrys_ornata