Você está na página 1de 9

MARÇO / 2010

MANHÃ

CONHECIMENT
CONHECIMENTOS OS BÁSICOS
VOGADO(A) JÚNIOR E AUDIT
ADV
AD OR(A) JÚNIOR
UDITOR(A)
LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.
01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material:
a) este caderno, com os enunciados das 50 questões objetivas, sem repetição ou falha, com a seguinte distribuição:

LÍNGUA PORTUGUESA LÍNGUA INGLESA


Questões Pontos Questões Pontos
1a6 1,0 31 a 34 1,0
7 a 12 1,5 35 a 38 1,5
13 a 18 2,0 39 a 42 2,0
19 a 24 2,5 43 a 46 2,5
25 a 30 3,0 47 a 50 3,0

b) 1 CARTÃO-RESPOSTA destinado às respostas às questões objetivas formuladas nas provas.


02 - Verifique se este material está em ordem e se o seu nome e número de inscrição conferem com os que aparecem no CARTÃO-
RESPOSTA. Caso contrário, notifique IMEDIATAMENTE o fiscal.
03 - Após a conferência, o candidato deverá assinar no espaço próprio do CARTÃO-RESPOSTA, a caneta esferográ-
fica transparente de tinta na cor preta,.
04 - No CARTÃO-RESPOSTA, a marcação das letras correspondentes às respostas certas deve ser feita cobrindo a letra e
preenchendo todo o espaço compreendido pelos círculos, a caneta esferográfica transparente de tinta na cor preta,
de forma contínua e densa. A LEITORA ÓTICA é sensível a marcas escuras; portanto, preencha os campos de
marcação completamente, sem deixar claros.

Exemplo: A C D E

05 - Tenha muito cuidado com o CARTÃO-RESPOSTA, para não o DOBRAR, AMASSAR ou MANCHAR.
O CARTÃO-RESPOSTA SOMENTE poderá ser substituído caso esteja danificado em suas margens superior ou inferior -
BARRA DE RECONHECIMENTO PARA LEITURA ÓTICA.
06 - Para cada uma das questões objetivas, são apresentadas 5 alternativas classificadas com as letras (A), (B), (C), (D) e (E);
só uma responde adequadamente ao quesito proposto. Você só deve assinalar UMA RESPOSTA: a marcação em
mais de uma alternativa anula a questão, MESMO QUE UMA DAS RESPOSTAS ESTEJA CORRETA.
07 - As questões objetivas são identificadas pelo número que se situa acima de seu enunciado.
08 - SERÁ ELIMINADO do Processo Seletivo Público o candidato que:
a) se utilizar, durante a realização das provas, de máquinas e/ou relógios de calcular, bem como de rádios gravadores,
headphones, telefones celulares ou fontes de consulta de qualquer espécie;
b) se ausentar da sala em que se realizam as provas levando consigo o Caderno de Questões e/ou o CARTÃO-RESPOSTA;
c) se recusar a entregar o Caderno de Questões e/ou o CARTÃO-RESPOSTA quando terminar o tempo estabelecido.
09 - Reserve os 30 (trinta) minutos finais para marcar seu CARTÃO-RESPOSTA. Os rascunhos e as marcações assinaladas no
Caderno de Questões NÃO SERÃO LEVADOS EM CONTA.
10 - Quando terminar, entregue ao fiscal O CADERNO DE QUESTÕES E O CARTÃO-RESPOSTA e ASSINE A LISTA DE
PRESENÇA.
Obs. O candidato só poderá se ausentar do recinto das provas após 1 (uma) hora contada a partir do efetivo início das
mesmas. Por motivos de segurança, o candidato NÃO PODERÁ LEVAR O CADERNO DE QUESTÕES, a qualquer momento.
11 - O TEMPO DISPONÍVEL PARA ESTAS PROVAS DE QUESTÕES OBJETIVAS É DE 3 (TRÊS) HORAS e
30 (TRINTA) MINUTOS, findo o qual o candidato deverá, obrigatoriamente, entregar o CARTÃO-RESPOSTA.
12 - As questões e os gabaritos das Provas Objetivas serão divulgados no primeiro dia útil após a realização das
mesmas, no endereço eletrônico da FUNDAÇÃO CESGRANRIO (http://www.cesgranrio.org.br).
LÍNGUA PORTUGUESA os resultados esperados. Assim, o profissional que
quiser crescer nas organizações precisa ser criativo,
Texto I a fim de achar novas soluções para os problemas do
50 dia a dia.
O PROFISSIONAL DO FUTURO - Tendo todo um novo mundo de informações dis-
Num mundo globalizado poníveis e conhecendo bem essas regras do jogo, você
poderá destacar-se e inovar. Concentre-se em obser-
A magnitude e a velocidade das mudanças em var essas pequenas diferenças entre os profissionais,
todo o mundo têm trazido um impacto dramático so- 55 lembrando-se sempre de que o jogo pode mudar a
bre as pessoas e seus locais de trabalho nos últimos qualquer hora. E apenas um bom profissional, que
tempos. O ritmo das mudanças é muito rápido. E o entenda e conheça tudo que acontece ao seu redor,
5 futuro nos acena com uma aceleração ainda maior em será capaz de se adaptar a essas mudanças que sem-
termos de inovação, tecnologia e globalização. pre acontecem.
Quando há uma era de profundas modificações, 60 E procure se lembrar sempre de que os líderes
o conhecimento se expande e aumenta em valor e em não gostam de dois tipos de colaboradores: os que
poder. Uma das maiores mudanças é a transforma- não fazem o que eles pedem e os que só fazem o que
10 ção de uma economia baseada em indústrias para uma eles pedem. Busque fazer sempre mais. E melhor. A
economia baseada em informações. Atualmente a melhoria contínua deve ser o maior desafio do ser
quantidade de conhecimento disponível é imensa, sen- 65 humano.
do necessário saber selecionar o que devemos apren- JORDÃO, Sonia.
der e onde investir nosso tempo para nosso cresci- Disponível em:<http://www.endeavor.org.br/wp- content/themes/endeavor/
15 mento intelectual e profissional. downloads/artigos/O%20PROFISSIONAL%20DO%20FUTURO.pdf>
(Com adaptações)
Precisamos nos esforçar para melhorar nossa fle-
xibilidade, velocidade e qualidade do trabalho realiza-
do e ainda dar importância para o que permanece como 1
uma das medidas mais importantes: a produtividade. Segundo o texto, o “...impacto dramático...” (A. 2) ocasio-
20 Isto porque as organizações sabem que os clientes nado pelas mudanças deve-se
não apenas exigem produtos e serviços rápidos e com (A) ao crescente despreparo técnico dos profissionais.
qualidade impecável: eles também querem que os pro- (B) aos danos psicológicos causados aos profissionais.
dutos e serviços não sejam caros. (C) à velocidade com que estas ocorrem.
Tudo mudou, está mudando e deverá mudar no (D) à incapacidade de adaptação do profissional às mu-
25 futuro com uma rapidez cada vez maior. Por isso, nas danças.
organizações e até mesmo em nossa casa, existem (E) à dificuldade de os profissionais perceberem tais mu-
mudanças na maneira como nos relacionamos, na for- danças.
ma como buscamos uma vida mais longa, mais sau-
dável e mais feliz. 2
30 Todos os trabalhadores, independente de trabalha- Em “o conhecimento se expande e aumenta em valor e
rem nas linhas de produção ou nos escritórios, preci- em poder.” (A. 8-9), devido a provocar alteração do senti-
sam ver-se como um empresário, um vendedor espe- do, o vocábulo em destaque NÃO pode ser substituído por
cializado de serviços com uma marca especial, que seja (A) alastra. (B) amplia.
conhecida por todos – VOCÊ. Então, se você não con- (C) espalha. (D) dissipa.
35 seguir vender-se, não conseguirá atingir o sucesso. (E) difunde.
A cada dia mais os profissionais precisam preo-
cupar-se em se conhecer para saber quais caracterís- 3
ticas possuem, para poder fortalecer as qualidades e De acordo com o 2o parágrafo, confrontando-se a quanti-
trabalhar os seus defeitos na área profissional. [...] dade de informações que surgem com o tempo real dispo-
40 Uma boa maneira de conseguir diferenciar-se nes- nível para apreendê-las, pode-se inferir que a relação
se novo contexto do mercado de trabalho é usar ao estabelecida entre eles só NÃO se marca pela(o)
máximo a sua criatividade. Veja que isso é simples- (A) inadequação.
mente buscar fazer de forma diferente aquilo que to- (B) despropocionalidade.
dos fazem de uma forma igual. Pensar uma nova ma- (C) dissociação.
45 neira, mais prática, melhor, mais barata ou mais rápi- (D) irregularidade.
da de fazer as suas atividades, para conseguir atingir (E) descompasso.

2
CONHECIMENTOS BÁSICOS
ADVOGADO(A) JÚNIOR E AUDITOR(A) JÚNIOR
4 9
Em relação às ideias apresentadas no 3o parágrafo do O sentido que a oração reduzida de gerúndio “Tendo
Texto I, é INCORRETO afirmar que a(o) todo um novo mundo de informações disponíveis...”
(A) “...produtividade.” (A. 19) caracteriza-se como uma (A. 51-52) apresenta no Texto I é de
medida importante por estar relacionada a qualidade e (A) conformidade. (B) condição.
baixo preço. (C) concessão. (D) finalidade.
(B) produtividade, em meio a tantas mudanças, é o que (E) consequência.
persiste sob um novo enfoque.
(C) capacidade de adaptação é característica necessária ao 10
profissional nessa nova realidade. Considere as afirmativas apresentadas a seguir.
(D) pronome “Isto...” (A. 20) faz referência semântica, preci-
samente, a “...flexibilidade, velocidade e qualidade do I - Em “que seja conhecida por todos –” (A. 33-34), o
trabalho realizado...” (A. 16-18). travessão indica uma mudança de interlocutor.
(E) profissional deve ser capaz de aliar destreza à exce- II - Em “Então, se você não conseguir...” (A. 34-35), a
vírgula separa uma palavra conclusiva de uma
lência no trabalho que realiza.
oração subordinada deslocada.
III - Em “...de que os líderes não gostam de dois tipos
5 de colaboradores:” (A. 60-61), os dois pontos ante-
Segundo as ideias apresentadas no Texto I, é correto afir- cedem um aposto.
mar que
(A) todas as qualidades do profissional, preconizadas Está correto APENAS o que se afirma em
pela empresa, têm como principal objetivo a capacida- (A) I. (B) II.
de de interrelacionamento da equipe. (C) III. (D) I e II.
(B) as mudanças se restringem ao contexto profissional. (E) II e III.
(C) o autoconhecimento acelera a produtividade e garante
o êxito profissional. 11
(D) o autoconhecimento oportuniza ao profissional tentar Em “Assim, o profissional que quiser crescer nas organi-
adequar-se às expectativas da empresa em que atua. zações...” (A. 47-48) o conector destacado introduz um(a)
(E) a múltipla visão dos profissionais especializados, (A) contraste. (B) especificação.
especialmente nas linhas de produção, aprimora a (C) restrição. (D) conclusão.
qualidade do trabalho. (E) conformidade.

6 12
Com base no segundo período do 7o parágrafo do Texto I, Em desigual e infeliz, os prefixos destacados têm sentido
a criatividade é uma característica profissional importan- de negação. O prefixo que apresenta esse mesmo senti-
te, pois possibilita do está na palavra
(A) inovar o habitual. (B) rechaçar o inusitado. (A) expatriar. (B) imigrar.
(C) ratificar o usual. (D) manter o padrão. (C) reação. (D) anarquia.
(E) relegar o novo. (E) decapitar.

7 13
o
Segundo o 8 parágrafo do Texto I, o sentido de “...regras do A função sintática do que difere da dos outros trechos em
(A) “que seja conhecida por todos – “ (A. 33-34)
jogo” (A. 52) é(são) a(s)
(B) “...que todos fazem de uma forma igual.” (A. 43-44)
(A) fluidez do tempo em relação ao momento presente.
(C) “...que quiser crescer...” (A. 47-48)
(B) efemeridade das normas em relação às tendências
(D) “que entenda...” (A. 56-57)
vindouras. (E) “...que sempre acontecem.” (A. 58-59)
(C) relatividade do tempo em relação às tendências do
momento. 14
(D) exigências relativas às tendências do momento. Para _______ , o maior desafio do ser humano são os
(E) permanências de uma tendência de outrora. relacionamentos na organização. Desse modo, para
_______ ascender profissionalmente, preciso acabar
8 com as diferenças que há entre _______ e _________ .
No último período do último parágrafo do Texto I, “...melhoria A sequência que completa corretamente a frase acima, se-
contínua...” (A. 64) significa, no contexto em que se insere, gundo o registro culto e formal da língua, é:
(A) manutenção das ideias. (A) mim – mim – eu – tu.
(B) cautela nas ações. (B) mim – eu – mim – você.
(C) comedimento nas decisões. (C) eu – mim – eu – você.
(D) persistência nas atitudes. (D) eu – eu – mim – ti.
(E) capacidade de superação. (E) eu – mim – mim – ti.

3
CONHECIMENTOS BÁSICOS
ADVOGADO(A) JÚNIOR E AUDITOR(A) JÚNIOR
15 “Não sei... Um trabalho desses não deve ser mole.”
Dentre as apresentadas a seguir, as palavras NÃO “Claro que não”, ele retrucou. “Mas duro mesmo é a
cognatas são: 45 vida de quem revira o lixo à procura de comida. A gente
(A) pedra e empedrar. pelo menos não chegamos lá.” Em seguida, ele entrou
(B) caminho e caminhar. na boleia, os dois homens de amarelo terminaram a
(C) pura e depurar. coleta e subiram na carroceria. O caminhão arrancou
(D) atrás e atrasado. e eu fiquei pensativo, enquanto esperava o “busun”.
(E) mudança e emudecer. SANTOS, Jorge Fernando dos.
Disponível em <http://umacoisaeoutra.com.br/cultura/jorge.htm>.
Texto II Acesso em 10 dez. 2009.

Uma lição de vida 16


Em “Uma coisa que sempre me comoveu (e intrigou)...”
Uma coisa que sempre me comoveu (e intrigou) (A. 1), substituindo a expressão “Uma coisa” por outra mais
é a alegria da rapaziada da coleta de lixo. Dia sim, dia específica semanticamente, a opção é
(A) Um modo. (B) Um detalhe.
não, o caminhão da SLU desce a minha rua e eles
(C) Uma atitude. (D) Uma situação.
fazem aquela algazarra. Quase sempre estão brincando, (E) Uma observação.
5 tirando sarro uns com os outros, sorridentes e solícitos
com os moradores. Mesmo na pressa de apanhar os 17
sacos de lixo, encontram tempo para gritar “bom dia, O Texto II, quanto à tipologia discursiva, é predominante-
patrão” ou para comentar a vitória do Galo, a derrota do mente
Cruzeiro ou vice-versa. (A) narrativo. (B) descritivo.
10 Dia desses levantei de bom humor, o que nem (C) injuntivo. (D) argumentativo.
sempre acontece nas manhãs quentes de verão. No (E) expositivo.
momento em que saía de casa, vi surgir no topo da rua
o grande caminhão amarelo. E eis que de sua traseira
18
Em “Quase sempre estão brincando, tirando sarro uns com
saltou um negão todo suado, com um sorriso branco os outros, sorridentes e solícitos com os moradores.”
15 no meio da cara. A vizinha do lado estava lavando o (A. 4-6), devido a alterar o sentido do texto, o vocábulo des-
passeio, desperdiçando água como já é de costume. tacado NÃO pode ser substituído por
O sujeito limpou o suor na manga da camisa e a (A) temerosos. (B) prestimosos.
cumprimentou. “Será que a senhora me deixa beber (C) cuidadosos. (D) prestativos.
um pouco d’água?”, ele perguntou sem rodeios. “Essa (E) zelosos.
20 água não é boa”, ela disse. “Espera um pouco que eu
busco água filtrada.” “Que é isso, madame? Precisa não. 19
Água da mangueira já está bom demais.” Em “Mesmo na pressa de apanhar os sacos de lixo,”
Ela estendeu o jato d’água e ele se deliciou. (A. 6-7), o elemento destacado, no contexto em que se in-
Depois de beber boas goladas, meteu a carapinha sob sere, tem valor argumentativo de
25 a água e se refrescou. O sol no céu azul estava de (A) exclusão. (B) inclusão.
(C) retificação. (D) designação.
arrebentar mamona e o alto da rua oscilava sob o efeito
(E) restrição.
do calor. O negão agradeceu a “caridade” da minha
vizinha e seguiu correndo atrás do caminhão amarelo, 20
dentro do qual atirava os sacos de lixo apanhados no Em “No momento em que saía de casa, vi surgir no topo
30 passeio. da rua o grande caminhão amarelo.” (A. 11-13), os fa-
Na esquina de baixo, o caminhão parou, pois o tos acontecem numa relação concomitante de tempo.
condomínio em frente sempre produz muitos sacos Ocorre essa mesma relação temporal entre os fatos apre-
plásticos. Quando passei pelo negão e seu companheiro, sentados em
ambos atiravam sacos no triturador do caminhão. Parei (A) “O sujeito limpou o suor na manga da camisa e a
35 na sombra de uma quaresmeira para observar o cumprimentou.” (A. 17-18)
trabalho deles enquanto esperava ônibus. (B) “Ela estendeu o jato d’água e ele se deliciou.” (A. 23)
O motorista saiu da boleia com um cigarro na boca (C) “Depois de beber boas goladas, meteu a carapinha sob
a água...” (A. 24-25)
e perguntou se eu tinha fósforo. Emprestei-lhe o isqueiro
(D) “O negão agradeceu a ‘caridade’ da minha vizinha e
e, enquanto ele acendia o seu “mata rato”, comentei: seguiu correndo atrás do caminhão amarelo,”
40 “Sempre admirei a alegria com que vocês trabalham.” (A. 27-28)
O motorista soprou a fumaça, devolveu-me o isqueiro (E) “enquanto ele acendia o seu “mata rato”, comentei:”
e comentou: “E por que a gente devia de ser triste?” (A. 39)

4
CONHECIMENTOS BÁSICOS
ADVOGADO(A) JÚNIOR E AUDITOR(A) JÚNIOR
21 26
Qual passagem encerra uma censura, uma crítica? Duas palavras cuja acentuação NÃO ocorre, segundo o
(A) “E eis que de sua traseira saltou um negão todo registro culto e formal da língua, pela mesma regra, são:
suado,” (A. 13-14) (A) já e lá.
(B) “...desperdiçando água como já é de costume.” (A. 16) (B) solícitos e ônibus.
(C) “ “Espera um pouco que eu busco água filtrada.” ” (C) vitória e água.
(A. 20-21) (D) está e vocês.
(D) “...meteu a carapinha sob a água...” (A. 24-25) (E) saía e condomínio.
(E) “O negão agradeceu a ‘caridade’ da minha vizinha...”
(A. 27-28) 27
Assinale a opção em que o termo em que tem a mesma
22 função sintática do destacado em “No momento em que
Caracteriza-se como uma descrição a seguinte passa- saía de casa,” (A. 11-12).
gem: (A) Na casa em que ela morava antigamente não faltava
(A) “Ela estendeu o jato d’água e ele se deliciou.” (A.23 ) água.
(B) “O sol no céu azul estava de arrebentar mamona e o (B) Existem determinadas histórias em que, às vezes, não
alto da rua oscilava sob o efeito do calor.” (A. 25-27) acreditamos.
(C) “Na esquina de baixo, o caminhão parou,” (A. 31) (C) Foi providencial a época em que conheci pessoas tão
(D) “Parei na sombra de uma quaresmeira para observar o generosas.
trabalho deles...” (A. 34-36) (D) O argumento em que você se baseava foi rejeitado
(E) “O caminhão arrancou e eu fiquei pensativo, enquanto pelo diretor.
esperava o “busun”.” (A. 48-49) (E) O projeto de reciclagem em que tinham absoluta con-
fiança foi indeferido.
23
Qual é o trecho que corresponde à fala do personagem- 28
narrador? A opção em que a concordância nominal está correta,
(A) “ ‘Será que a senhora me deixa beber um pouco segundo o registro culto e formal da língua, é
d’água?’ ” (A. 18-19) (A) Eu mesmo, disse a senhora, providenciarei a água
(B) “ ‘Espera um pouco que eu busco água filtrada.’ ” filtrada para o gari.
(A. 20-21) (B) No condomínio em frente, havia menas gente cuidadosa.
(C) “ ‘Sempre admirei a alegria com que vocês trabalham.’ ” (C) Haja visto o seu bom humor, pedi-lhe que me ajudasse
(A. 40) nas tarefas.
(D) “ ‘E por que a gente devia de ser triste?’ ” (A. 42) (D) Ao recolher os sacos de lixo, eles estavam feliz.
(E) No verão, água gelada é bom para minimizar o calor.
(E) “ ‘Mas duro mesmo é a vida de quem revira o lixo à
procura de comida.’ ” (A. 44-45)
29
24 Segundo o registro culto e formal da língua, há ERRO em
Em “Na esquina de baixo, o caminhão parou, pois o (A) A rua por que transitava o caminhão de lixo estava muito
condomínio em frente sempre produz muitos sacos plásticos.” esburacada.
(B) Sentei-me à sombra da mangueira porque precisava
(A. 31-33), o operador destacado introduz, em relação
descansar.
ao enunciado anterior, um argumento
(C) Os catadores de lixo estão quase sempre brincando,
(A) alternativo. (B) conclusivo.
por que?
(C) aditivo. (D) explicativo.
(D) Só queria saber o porquê de tanta algazarra.
(E) comparativo.
(E) Saiu correndo porque precisava apanhar logo todos os
sacos de lixo.
25
As palavras são grafadas, respectivamente, com as mes- 30
mas letras destacadas nas palavras “algazarra” e “isquei- O elemento mórfico destacado NÃO está classificado cor-
ro” em retamente em
(A) limpe___a / pr___vilégio. (A) beber – desinência modo-temporal.
(B) improvi___ar / irr___quieto. (B) trabalham – tema.
(C) qui___erem / ___mpencilho. (C) vizinha – desinência de gênero.
(D) cateque___e / p___riquito. (D) sol – radical.
(E) valoro___o / car___stia. (E) triste – vogal temática.

5
CONHECIMENTOS BÁSICOS
ADVOGADO(A) JÚNIOR E AUDITOR(A) JÚNIOR
LÍNGUA INGLESA Yet full development of the fields will pose serious
geological challenges. The onset of a sharp global
Consider Text I to answer questions 31 to 40. economic slowdown will throw up further complications,
50 as financing constraints hinder investment and lower oil
Text I prices bring into question the government’s preference
The next oil giant? for a production-sharing (rather than concessionary)
framework.
Mar 19th 2009 The reserves are located in the so-called “pre-
From the Economist Intelligence Unit ViewsWire 55 salt” area (below the thick salt layer and more than 4km
below the sea bed, under a series of layers of rock and
In the past two years Brazil has discovered the
salt). Until now, Brazil’s reserves have been found in
largest oil deposits in the country’s history and the world’s
post-salt formations—above the salt layer.
most promising fields since the discoveries made in
The depth of the oil reservoirs is not the main
Kashagan in Kazakhstan in 2000. This has put Brazil
60 challenge, since Petrobras ranks among the world’s best-
5 well on its way to becoming a major producer in the
qualified companies in offshore deep-water exploration
future, but technological and financial hurdles will have
and is already exploring fields located at a similar depth.
to be overcome first.
The depth and thickness of the salt formation poses more
The finds are located in the Santos oil Basin, 300
problems. Unlike drilling through rock, which can be
km from the coast at Rio de Janeiro in south-eastern difficult owing to its thickness but once drilled remains
65
10 Brazil. The first discovery—the giant Tupi field—was stable, it is tough to maintain the dimensions of the hole
made in November 2007. Potential reserves are after drilling through salt. Another challenge is the
estimated by Petróleo Brasileiro (Petrobras, the state- temperature shock of the oil as it travels up to the surface.
controlled oil company) at 5-8bn barrels of oil equivalent The technology needed and the subsequent
(boe), which should make it the largest-ever deep-water 70 development and maintenance of the reservoirs will be
15 oilfield discovery. Partner company British Gas is more expensive. The development cost of each sub-salt well
optimistic, estimating that the field could contain 12-13bn is estimated at US$100-150m, and Tupi alone could
boe. require as many as 200 wells. Developing the entire Tupi
The Tupi discovery was followed by other large area could cost around US$600bn over the life of the
finds, including Sugar Loaf, to the south-west of Tupi, in 75 wells. Unexpected geological or operational issues—
20 December 2007, and the Jupiter natural-gas field, such as longer drilling times, and increases in the rental
located east of Tupi, in January 2008. The three fields costs of rigs—could further raise costs. The availability
constitute the largest hydrocarbons discoveries in the of deep-water rigs could also delay Brazil’s oil plans, as
cluster area of the Santos Basin. The government globally these are in short supply.
estimates reserves at Sugar Loaf could be even larger
Extracted from THE ECONOMIST
25 than those of Tupi, at around 33bn boe, and that the http://www.economist.com/
Jupiter field could have “similar dimensions” to Tupi. displaystory.cfm?story_id=13348824&source=login_payBarrier,
retrieved on 22 December 2009.
Other discoveries in the area include Parati, Bem te-vi,
Carioca, Iara, Tupi Sul and Iati. 31
The president of the Agência Nacional de Petróleo The overall intention of Text I is to
30 (ANP, the industry regulating agency) puts total potential (A) discuss which oil deposit is the world’s largest reservoir
reserves in the Santos Basin at 80bn boe. If the new in the present century.
discoveries are found to be commercially viable, Brazil (B) convince readers of the problems that might arise in
could become one of the world’s major oil-producing exploring the new Brazilian oil finds.
and exporting countries. (C) defend the position that no costly investment should be
35 Two successful wells—Caramba and Guara— made in the new Tupi reserves.
have already been drilled in the Sugar Loaf field by (D) persuade the government not to invest in product-
Petrobras in association with Portuguese Galp Energy sharing mechanisms of oil exploration.
in the first case, and with BG and Spanish Repsol in the (E) expose the author’s contradictory arguments on the
second. Projected initial production at Tupi is estimated technical difficulties of exploring deep oil reservoirs.
40 at 100,000 barrels/day under a pilot project scheduled
to start next year. In the medium term, production from 32
Tupi alone is expected to reach around 1m b/d by 2012. Text I informs that the largest oil reserve in Brazil nowadays
With oil production averaging 1.9m b/d in 2008, the is predicted to be
extra capacity might lift Brazil’s output to levels similar (A) Sugar Loaf (B) Caramba
45 to Latin America’s two main oil producers, Venezuela (C) Jupiter (D) Parati
and Mexico, who both produce 2.5-3m b/d. (E) Tupi

6
CONHECIMENTOS BÁSICOS
ADVOGADO(A) JÚNIOR E AUDITOR(A) JÚNIOR
33 38
Venezuela and Mexico are mentioned in paragraph 5 (lines The author of this article, in paragraph 8 (lines 59-68), claims
35-46) because they that
(A) announced output levels similar to those of Brazil for (A) the major issue to be dealt with in drilling oil from the
2012. new reserves is the salinity of the fields.
(B) will associate with Petrobras in exploring the Santos
(B) the main problem to be found in developing Tupi is the
Basin.
fact that the rock formations are hard to explore.
(C) are currently known as the main oil producers in Latin
America. (C) Petrobras already has the full technology to explore the
(D) rival with Brazil in terms of projected initial production pre-salt area as it is a world-leader in off shore deep-
for their new oil reserves. water technology.
(E) struggle to be Latin America’s two most productive (D) other problems, such as the large number of wells to
nations in energy capacity. be explored, make the exploration of the Tupi field
completely unfeasible.
34 (E) major technological developments need to be
The problematic issues raised in paragraph 6 (lines 47-53) conquered to control factors of stability and temperature
include all of the following, EXCEPT during oil drilling in such conditions.
(A) global economic slowdown.
(B) concessionary framework.
39
(C) geological challenges.
(D) financing constraints. “Tough conditions and high cost” can be used as a
(E) lower oil prices. heading for the section comprised between lines
(A) 1 and 17.
35 (B) 18 and 34.
The word in bold type expresses the idea in parenthesis in (C) 29 and 46.
(A) “Yet full development of the fields will pose…” - line 47 - (D) 47 and 53.
(condition). (E) 54 and 79.
(B) “as financing constraints hinder investments…” - line
50 - (comparison). 40
(C) “since Petrobras ranks among …” - line 60 - (contrast). The following extracts were taken from the article “Is Brazil
(D) “Unlike drilling through rock,” - line 64 - (result).
the “New Saudi Arabia’, published in Money Morning, on
(E) “such as longer drilling times,” - line 76 - (exemplification).
March 18th, 2009. The extract which is NOT aligned with
36 the information found in Text I is
The verb phrase in bold conveys less certainty in the (A) ‘As rich and expansive as Brazil’s oil reserves may be,
fragment they are also very difficult to access.’
(A) “but technological and financial hurdles will have to be (B) ‘Experts say that such high production of barrels of oil
overcome first.” (lines 6-7). would be a remarkable find and enough to catapult
(B) “which should make it the largest-ever deep-water Brazil into the world’s oil-producing elite. ‘
oilfield discovery.” (lines 14-15). (C) ‘Petrobras …announced last November that the
(C) “production from Tupi alone is expected to reach reserve [Tupi] contained between 5 billion and 8 billion
around 1m b/d by 2012.” (lines 41-42). barrels of light oil and gas.’
(D) “the extra capacity might lift Brazil’s output to levels
(D) ‘It was Petrobras that first triggered the rush on Brazil’s
similar to…” (lines 43-45).
energy sector when, in November 2007, the company
(E) “which can be difficult owing to its thickness…”
(lines 64-65). announced the Tupi discovery – an underwater field
that could contain as much as 80 billion barrels of oil
37 equivalent.’
The referent of the pronoun is indicated in (E) ‘Petrobras will begin to extract its first crude oil from
(A) “...its...” (line 5) ® “...Kazakhstan...” (line 4). Tupi on May 1. The inaugural output from the Tupi field
(B) “...it...” (line 14) ® “Petrobras” (line 12). is expected to be around 15,000 barrels per day, then
(C) “...those...” (line 25) ® “...reserves...” (line 24). rising to 30,000 barrels a day during a later stage of
(D) “...it...” (line 68) ® “...temperature shock...” (line 68). testing, and eventually reaching about 100,000 barrels
(E) “...these...” (line 79) ® “...oil plans,” (line 78). per day by 2010.’

7
CONHECIMENTOS BÁSICOS
ADVOGADO(A) JÚNIOR E AUDITOR(A) JÚNIOR
Consider Text II to answer questions 41 to 50. 50 work on new concepts like underground coal gasification
could be accelerated.
Text II
The $2.4 trillion the International Energy Agency
Clean Coal, a Global Failure in the Making says we should spend researching clean coal should
By Chris Morrison | Oct 30, 2009
also be spent other ways; research and investment into
55 renewables like geothermal and solar power come to
Here’s a bit of unalloyed pessimism for you: mind, and it’s also enough money to buy several hundred
Carbon capture and sequestration (CCS), more widely nuclear plants.
known as clean coal technology, is not going to work If we do insist on clean coal, the concept needs a
out. Governments and the coal industry are trying to bite rethink. Trying to figure out the most cost-effective way
5 off too much at once. 60 to scrub CO2 is enough of a challenge. The additional
In theory, clean coal is a fine idea. The process of problem of permanently sequestering it underground
burning coal releases gases, which all modern plants adds too much expense and uncertainty.
already “scrub” off harmful substances like sulfur dioxide. There are better ways. One would be to use the
To fight global warming, coal mine and plant owners want CO2 to create liquid fuels for transportation. Oddly, this
10 to do the same for carbon dioxide. 65 idea is rarely brought up in the debate over clean coal,
Sounds great, except that a fairly average-sized although scientists are already working on ways to use
1,500 megawatt coal plant produces about three billion CO2 they captured from ambient air for fuel.
tons of CO2 yearly (update: This figure is closer to yearly It’s a more energy-intensive process (read:
emissions from all U.S. coal plants. A reader notes that expensive) process to capture CO2 from the air around
15 the correct number is around 12 million tons per year, 70 us than the flue of a coal plant, where it’s already highly
per plant.). All that CO2 has to be separated out, a concentrated. But the attitude toward CO2 from coal is
process that uses up a lot of the energy the plant that it must be buried, because it’s new to the atmosphere
produces. Then, according to current thinking, we must — nevermind whether the fuel could replace a petroleum
bury the CO2 and hope that it doesn’t come back up. product, which also emits new CO2.
20 That’s a hell of a challenge. A report released 75 But the thinking on clean coal is, for the moment,
Thursday by the pro-CCS Global Carbon Capture and quite rigid. One can only hope that, in the wholesale
Storage Institute (GCCSSI) helps outline just how much. rush toward what seems immediately sensible, we don’t
A few bullet-points: projects exist today, and all are forget one of our best weapons — creativity, and
attached to gas plants adaptation to new circumstances.
25 • The GCCSSI expects national governments to Chris Morrison, a reporter on energy, renewables and climate change,
coordinate to give $100 billion yearly to CCS research. is the former lead cleantech writer for VentureBeat.
• Provided the money is forked over immediately, we http://www.energytribune.com/articles.cfm?
aid=2517, retrieved on 22 December 2009.
might have 20 plants by 2020.
• And if those initial plants work out as expected it will 41
30 take until 2030 to have a significant number operating. The author’s communicative intention in Text II is to
• If the technology works as expected, it will add an (A) comment on the advanced stage of clean coal research
average of 78 percent to the cost of electricity from at the present time.
coal. (B) criticize coal mine and plant owners who do not use
Anyone familiar with the basics of risk wouldn’t clean coal technology.
35 bet on that many “ifs”, especially given the looming (C) assure that by 2030 a relevant number of plants will be
difficulty of not only coaxing governments to throw trillions able to use clean coal.
of dollars into research, but also share the technology (D) justify why clean coal technology may not be a feasible
as it develops. solution to fight global warming.
Nevertheless, everything could work out perfectly (E) suggest that coal burning is definitely the best idea to
eliminate sulfur dioxide from the environment.
40 and clean coal could be spreading in 2030. By that time,
CO2 concentrations in the atmosphere may be over
42
500ppm. That’s no problem if the climate change skeptics
In “Governments and the coal industry are trying to bite off
are right; if the 97 percent of climatologists who study too much at once.” (lines 4-5), “bite off too much at once”
climate change are right, that number would mean we’re means
45 in for some major upheaval. (A) react in a totally unpredicted way.
In other words, we need better solutions, right (B) eliminate complaints immediately.
now. For coal, there are already some available. Old, (C) eliminate an unpleasant activity in record time.
inefficient plants can be shut down in favor of new ones (D) accomplish their regular tasks in a very short time.
that operate at a much higher thermal efficiency, and (E) attempt something beyond their capacity straight off.

8
CONHECIMENTOS BÁSICOS
ADVOGADO(A) JÚNIOR E AUDITOR(A) JÚNIOR
43 48
In “That’s a hell of a challenge.” (line 20), ‘’that’’ refers to The aim of the information given in parenthesis in lines 13 -
(A) using up a lot of the energy coal plants produce. 16 and in lines 68-69 is to
(B) burying carbon dioxide and hoping that it doesn’t come (A) give details on the figures that came before.
back. (B) illustrate the arguments that had just been presented.
(C) generating about three billion tons of carbon dioxide
(C) exemplify the facts that were exposed immediately
yearly.
(D) separating 12 million tons of carbon dioxide per year, before.
per plant. (D) support the preceding issue with the author’s point of
(E) identifying the yearly emissions of carbon dioxide from view.
all U.S. plants. (E) add a side comment to amend previously given
information.
44
In “Nevertheless, everything could work out perfectly and 49
clean coal could be spreading in 2030.” (lines 39-40),
In the last paragraph (lines 75-79), Morrison mentions that
“nevertheless” can be correctly replaced by
(A) in fact. (B) however. creativity and adaptation to new circumstances are our best
(C) therefore. (D) moreover. weapons because he believes that
(E) as a result. (A) more ingenious alternatives to clean coal should be
considered.
45 (B) researchers have not been able to convince society to
The explanation given for the numerical figure corresponds avoid petroleum products.
to the information in Text II in (C) scientists have not been resourceful enough in exposing
(A) “...1,500 megawatt...” (line 12) - the amount of energy their views on renewable sources of fuel.
generated by all American coal plants.
(D) energy-intensive processes that capture CO2 from the
(B) “...$100 billion...” (line 26) - the amount of money to be
spent in CCS research in the next year. air is a very hopeful solution.
(C) “...78 percent...” (line 32) - the estimated increase in the (E)alternatives, such as new thermal efficient plants, are
cost of electricity from coal. not reasonable solutions for CCS.
(D) “...97% percent...” (line 43) - the percentage of
climatologists whom skeptics consider to be right about 50
climate change. Chris Morrison believes that a more desirable alternative
(E) “...$2.4 trillion...” (line 52) - the figure actually spent on to CCS would be to
clean coal research.
(A) close down several hundred nuclear plants.
46 (B) avoid underground coal gasification technology.
In terms of meaning, (C) scrub off sulfur dioxide in the process of burning coal.
(A) “...looming...” (line 35) and emerging are synonyms. (D) develop higher thermal efficient new coal processing
(B) “...throw...” (line 36) is not equivalent to invest. plants.
(C) “...spreading...” (line 40) cannot be replaced by (E) transfer investments in geothermal and solar power
expanding. plants to clean coal research.
(D) “...upheaval.” (line 45) and change are antonyms.
(E) “...scrub...” (line 60) is similar in meaning to release.

47
The expression in bold type and the item in parenthesis
are semantically equivalent in
(A) “All that CO2 has to be separated out, a process that
uses up a lot of the energy the plant produces.” - lines
16-18 - (saves).
(B) “Provided the money is forked over immediately, we
might have 20 plants by 2020.” - lines 27-28 -
(demanded).
(C) “Old, inefficient plants can be shut down in favor of
new ones that operate at a much higher thermal
efficiency,” - lines 47-49 - (closed).
(D) “Trying to figure out the most cost-effective way to scrub
CO2 is enough of a challenge.” - lines 59-60 - (justify).
(E) “this idea is rarely brought up in the debate over clean
coal,”- lines 64-65 - (discarded).

9
CONHECIMENTOS BÁSICOS
ADVOGADO(A) JÚNIOR E AUDITOR(A) JÚNIOR