Você está na página 1de 2

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE BIOFÍSICA DIÁLISE Membranas semipermeáveis podem separar concentrações distintas

de um mesmo soluto ou de solutos diferentes, neste caso normalmente um soluto não é difusível, ou não dialisável naquele sistema de transporte. O processo de diálise ocorre nos sistemas biológicos, sendo de extrema importância. É o que observamos, por exemplo, nos capilares que compõem o glomérulo renal, onde pequenas partículas, como sódio, potássio, uréia e água, conseguem atravessar livremente a membrana do capilar, passando para o interior da cápsula de Bowman, porém as macromoléculas, como as proteínas plasmáticas não conseguem atravessar a membrana dos capilares. Neste exemplo, a seleção se dá predominantemente pelo tamanho da espécie a ser transportada, mas outros fatores, como gradientes de pressão e elétrico, presença de carga na espécie a ser transportada e nos canais, temperatura, tempo e forma da partícula podem influenciar o processo de diálise. Diálise é o processo físico-químico pelo qual duas soluções (de concentrações diferentes), são separadas por uma membranasemipermeável, após um certo tempo as espécies passam pela membrana para igualar as concentrações. Na hemodiálise, a transferência de massa ocorre entre o sangue e o líquido de diálise através de uma membrana semipermeável artificial (o filtro de hemodiálise ou capilar). Já na diálise peritoneal, a troca de solutos entre o sangue e a solução de diálise ocorre através do peritônio. O transporte de solutos no processo dialítico ocorre por três mecanismos: Difusão: é o fluxo de soluto de acordo com o gradiente de concentração, sendo transferida massa de um local de maior concentração para um de menor concentração. Depende do peso molecular e características da membrana.

Ultrafiltração: é a remoção de líquido através de um gradiente de pressão hidrostática (como ocorre na hemodiálise) ou pressão osmótica (diálise peritoneal).

Convecção: é a perda de solutos durante a ultrafiltração. Durante a ultrafiltração ocorre o arraste de solutos na mesma direção do fluxo de líquidos através da membrana.

A diálise é demonstrada em aulas práticas nos laboratórios de Biofísica. Metodologia: a partir dos conhecimentos teóricos sobre o processo, elaborou-se um protocolo, usando-se como membrana um saco decelofane, contendo uma solução dialisável de azul de metileno, imerso em água destilada (meio dialisador); variou-se

Aplicações médicas A diálise tem grande renal. através de um fotocolorímetro. Além disso. O processo também pode ser acompanhado visualmente pelo aumento na intensidade da coloração da solução no meio dialisador. os valores obtidos com a temperatura e a concentração maiores. a absorbância das amostras coletadas a intervalos de cinco minutos. Conclusão: os resultados obtidos indicam que o processo dialítico sofre influência da concentração e da temperatura. segundo censo feito em 2010 pela Sociedade Brasileira de Nefrologia. 18% a menos que em 2009. revelam que a difusão se processou mais rapidamente nesses casos. Contudo.a temperatura e a concentração da substância difundível e mediu-se. Resultados: a análise dos dados de absorbância revelou valores crescentes ao longo do tempo em todos os experimentos realizados. Quanto maiores essas variáveis. Em 1999. a absorbância aumentou mais rapidamente. crônica e aguda. 17% dos pacientes que faziam diálise eram hipertensos. nos últimos dez anos. Discussão: o aumento na absorbância indica que a concentração do azul de metileno estava aumentando no meio dialisador ao longo do tempo. . importância na medicina no tratamento da insuficiência Entretanto. nos casos em que a temperatura e a concentração foram maiores. maior a velocidade de difusão das partículas. a hipertensão passou a ser o principal problema associado ao uso da diálise no Brasil.