ALLAN KARDEC Hyppolyte Léon Denizard Rivail, nascido em 03/10/1804 em Lion (França), já era, aos 18 anos, mestre Colegial

de Ciências e Letrase, desde os 20 anos, renomado autor de livros didáticos, alcançando, pouco mais tarde, notoriedade na profissão de educador, na qual fora aprimoradamente preparado na Suíça. Lingüista exímio, Denizard conhecia a fundo os idiomas francês, alemão, inglês, italiano, espanhol, além do holandês. As qualidades de homem bom, gentil e jovial, aliavam-se seu refinado bom-senso e seu discernimento criterioso, características marcantes de sua personalidade de homem de saber. Em 1855, como professor de francês, aritmética, pesquisador de astronomia e magnetismo, foi convidado por um amigo a assistir às manifestações das chamadas mesas girantes, atrações públicas que ocorriam nos salões da capital francesa. Rivail era discípulo de Pestalozzi chamado de o pai da pedagogia moderna - e casado com Amélie Gabrielle Boudet. Deveras já ouvira sobre o assunto das mesas giran tes e não entendia ao certo do que se tratava. Homem criterioso, Rivail não se deixava levar por modismos e como cientista estudioso do magnetismo humano acreditava que todos os acontecidos poderiam estar ligados à ação das próprias pessoas envolvidas, e n ão de uma possível intervenção espiritual. O professor Rivail, então, participou de algumas sessões e algo começou a intrigá-lo. Percebeu que muitas das respostas emitidas através daqueles objetos inanimados fugiam do conhecimento cultural e social dos que faziam parte do "espetáculo". Como os móveis, por si só, não poderiam mover-se, fatalmente havia algum tipo de inteligência invisível atuando sobre os mesmos, e respondendo aos questionamentos dos presentes. Rivail presenciava a afirmação daqueles que se manifestavam, dizendo-se almas dos homens que viveram sobre a Terra. Foi então, que uma das mensagens foi dirigida ao professor. Um ser invisível disse -lhe ser um Espírito chamado Verdade e que ele, Rivail, tinha uma missão a desenvolver, que seria a codificação de uma nova doutrina . Atento aos dizeres do Espírito, e depois de muitos questionamentos à entidade, pois não era homem de impressionar -se com elogios, resolveu aceitar a tarefa que lhe fora incumbida. O Espírito de Verdade disse-lhe ser de uma falange de Espíritos superiores que vinha até aos homens cumprir a promessa de Jesus, no Evangelho de João, capítulo XIV; versículos 15 a 26: "E eu rogarei ao Pai e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre; o Espírito de Verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conhecereis, porque habita convosco e estará em vós... Mas, aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito". Através dos Espíritos, Rivail descobriu que em uma de suas encarnações

em várias partes da Europa e América. fenômeno que ficou conhecido como psicografia. Nas bordas das cestas. O Livro dos Médiuns (1861). de nome Allan Kardec. pessoas com capacidade de receber mais ostensivamente a influência dos Espíritos. que não mantenham contato entre si. que todos os qu e tivessem contato com a Boa Nova a aceitassem pelo seu teor racional e sua metodologia objetiva. Disto. toda comunicação espiritual será uma opinião particular do Espírito comunicante. estabeleceu-se dentro da Doutrina Espírita que qualquer informação vinda do Plano Espiritual só terá validade para o Espiritismo se for constatada em vários lugares. Kardec lançou um periódico mensal chamado "Revista Espírita". Kardec utilizou um novo mecanismo. duas adolescentes de 14 e 16 anos respectivamente. Com o decorrer do tempo. Estes livros contêm toda a teoria e prática da Doutrina. pois estes médiuns não mantinham contato entre eles. um conhecido educador que as estivesse divulgando. colocavam suas mãos. O Evangelho Segundo o Espiritismo (1864). a chamada cesta -pião: um tipo de cesta que tinha em seu centro um lápis. Allan Kardec preparou o lançamento das cinco Obras Básicas da Doutrina Espírita. O primeiro livro da Codificação foi publicado em 18 de abril de 1857: O Livro dos Espíritos. e através de movimentos involuntários. Assim. independente de quem a divulgasse ou a apoiasse. A Codificação A partir daí foram 14 anos de organização da Doutrina Espírita. Durante a Codificação. no ano de 1858. Foi então que resolveu adotar este pseudônimo durante a codificação da nova doutrina. os médiuns. Isso para que as colocações dos Espíritos tivessem a credibilidade necessária. Com todo um esquema coerentemente montado. o codificador viajou por cerca de 20 cidades. a cesta-pião foi dando lugar à utilização das próprias mãos dos médiuns. ao tomarem conhecimento dos novos ensinamentos espirituais. O Céu e o Inferno (1865). Kardec assim procedeu para que as pessoas. Fora isso. As mesmas perguntas respondidas pelos Espíritos através das médiuns eram submetidas a outros médiuns. que viria a se chamar Doutrina Espírita ou Espiritismo. as frases respostas iam se formando. No início.anteriores foi um sacerdote druida. Mas sim. fenômenos . os princípios básicos e as orientaçõe s dos Espíritos sobre o mundo espiritual e sua constante influenciação sobre o mundo material. não os aceitassem por ser ele. e A Gênese (1868). comentava notícias. assim. Nele. Julie e Caroline Baudin. dentro do bom senso necessário para tal. ou seja. Posteriormente foram lançados os demais. para receber dos Espíritos as respostas sobre os objetivos de suas comunicações e os novos ensinamentos. através de diversos médiuns. Todas as perguntas e respostas feitas por Kardec aos Espíritos eram revisadas e analisadas várias vezes. foram as médiuns mais utiliz adas por Kardec no início. há o controle sobre a veracidade das informações. somente com Kardec. pois.

primitivo. o primeiro dos livros de Kardec. O mundo espiritual é o mundo normal. da audição e do tato. em alguns casos. A alma é um Espírito encarnado. soberanamente justo e bom. dos Espíritos.mediúnicos e informava aos adeptos da nova Doutrina o crescimento da mesma e sua divulgação. O homem é constituído por: 1) corpo físico. indefinido. mas que pode tornar-se algumas vezes visível e mesmo tangível. é um ser real. que constitui para ele um corpo etéreo. único. definido. que. 2) Espírito encarnado neste corpo físico e 3) por um corpo espiritual. O Espírito conserva o perispírito. invisível para nós no estado normal. o corpo físico. Criou o universo. como ocorre no fenômeno das aparições. Espiritismo O Espiritismo é um conjunto de princípios e leis que foram codificados por Allan Kardec em cinco livros referenciados como Obras Básicas. . portanto. A morte é a destruição do envoltó rio mais grosseiro. preexistindo e sobrevivendo a tudo. todo -poderoso. aos 65 anos. sendo o corpo apenas o seu envoltório. Os seres materiais constituem o mundo visível ou corporal. denominado perispírito que é o laço que une o Espírito ao corpo físico e é uma espécie de envoltório semimaterial do Espírito. No mesmo ano. o mundo invisível ou espiritual. Constituída legalmente. O mundo corporal é apenas secundário. Kardec viria a fundar a Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas. ou seja. cuja destruição pela morte lhes devolve a liberdade. imutável. Allan Kardec desencarnou em 31 de março de 1869. entre partidários e contrários ao Espiritismo. imaterial. local de estudos e incentivadora da formação de novos grupos. Servia várias vezes como fórum de debates doutrinários. que somente o pensamento pode conceber. O Espírito não é. avaliado pelos sentidos da visão. que compreende todos os seres animados e inanimados. pode ser reconhecido. Segue um resumo extraído e adaptado do Livro dos Espíritos. vítima de um aneurisma. poderia deixar de existir ou nunca ter existido. Resumo da Doutrina Espírita Deus é eterno. materiais e imateriais. a entidade passou a ser a sociedade central do Espiritismo. O Espírito veste temporariamente um corpo material perecível. sem alterar a essência do mundo espiritual. A Revista Espírita foi a semente da imprensa doutrinária. os ser es imateriais. eterno. Sua persistência e estudo constantes foram essenciais para a elaboração do movimento espírita e organização dos ensinos do Espírito de Verdade. um ser abstrato.

Todos melhoram ao passar pelos diferentes graus da hierarquia espírita. mas o tempo necessário para progredir depende dos esforços de cada um para chegar à perfeição. Esse progresso ocorre pela encarnação. a malícia e a irresponsabilidade parecem ser sua diversão: são os Espíritos desajuizados ou levianos. Disso resulta que todos nós tivemos muitas existências e que ainda teremos outras que. nos aperfeiçoarão. vendo -nos numa presença contínua. isto é. até que tenham atingido a perfeição absoluta. ao ciúme. desse modo. O Espírito. os das classes inferiores são inclinados à maioria das nossas paixões: ao ódio. A alma tinha sua individualidad e antes de sua encarnação e a conserva depois que se separa do corpo. com os quais estará um dia. Os das outras classes não atingiram ainda essa perfeição. quando encarnado. Na sua reentrada no mundo dos Espíritos. Os Espíritos não pertencem perpetuamente à mesma ord em. Para alguns é imposta como uma nova oportunidade de reparar as faltas e os erros de vidas passadas. Para outros a encarnação é dada como miss ão. etc. Aquele que se deixa dom inar pelas más paixões e coloca todas as alegrias da sua existência na satisfação dos apetites grosseiros se aproxima dos Espíritos impuros. Eles agem sobre a matéria e o pensamento e constituem uma das forças da natureza. são mais trapaceiros e importunos do que maus. são as do Espírito que está encarnado em nós. As qualidades da alma. pela pureza de seus sentimentos e seu amor ao bem: são os anjos ou Espíritos puros. Os Espíritos exercem sobre o mundo moral e o mundo físico uma ação incessante. A vida material é uma prova que devem suportar várias vezes. Os da primeira ordem são os Espíritos superiores. está sob a influência da matéria. Os Espíritos encarnados habitam os diferentes globos do universo. e o homem perverso a de um Espírito impuro.Os Espíritos pertencem a diferentes classes e não são iguais em poder. o homem de bem é a encarnação do bom Espírito. porque nele predomina a natureza animal. que se distinguem dos outros por sua perfeição. Eles se satisfazem no mal. saber e nem em moralidade. à inveja. seja em outros mundos. . As diferentes existências corporais do Espírito são sempre progressivas e o Espírito nunca retrocede. O homem que supera essa influência pela elevação e pela depuração de sua alma aproxima -se dos bons Espíritos. É uma espécie de exame severo ou de depuração. aos poucos. sua proximidade de Deus. causa determinante de uma multidão de fenômenos até agora inexplicável ou mal explicada e que apenas encontram esclarecimento racional no Espiritismo. estão por todos os lugares no espaço e ao nosso lado. ao orgulho. entre eles há os que não são nem muito bons nem muito maus. as qualidades morais. Ainda assim formam agrupamentos conforme seu estado de desenvolvimento. A encarnação dos Espíritos se dá sempre na espécie humana. seja na Terra. seus conhecimentos. de onde saem mais ou menos purificados. é um erro acreditar que a alma ou o Espírito possa encarnar no corpo de um animal. a alma reencontra todos aqueles que conheceu na Terra e todas as suas existências anteriores desfilam na sua memória com a lembrança de todo o bem e de todo o mal que fez. inteligência. de acordo com suas ações ao longo da vida. O Espírito deve passar por várias encarnações. É toda uma população invisível que se agita ao nosso redor. Os Espíritos não encarnados não ocupam uma região determinada e localizada.

o hipócrita será desmascarado e todas as suas baixezas descobertas. Nas sucessivas existências. mesmo para as suas menores ações.Allan Kardec O QUE É O ESPIRITISMO . que ao estado de inferioridade e de superioridade dos Espíritos equivalem punições e prazeres que desconhecemos na Terra. As comunicações ocultas ocorrem pela influência boa ou má que exercem sobre nós sem o sabermos. mediante os seus esforços e desejos de melhoria no caminho do progresso. despre zando as futilidades mundanas e amando o próximo. Obras Básicas da Doutrina Espírita O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO . em todos os instantes. o orgulho e a sensualidade são paixões que nos aproximam da natureza animal. daqueles com quem agimos mal é um dos castigos que nos estão reservados. Os bons Espíritos nos atraem e estimulam para o bem. As comunicações dos Espíritos com os homens são ocultas ou ostensivas. cabe ao nosso julgamento discernir as boas das más inspirações.Allan Kardec O LIVRO DOS MÉDIUNS . ou seja. Os maus nos sugestionam para o mal..Allan Kardec PRECES DO EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO . muitas vezes por médiuns que lh es servem de instrumento.Allan Kardec O CÉU E O INFERNO . sustentando -nos nas provações da vida e ajudando -nos a suportá-las com coragem e resignação. O homem encontra neste princípio a re gra universal de conduta.Allan Kardec A GÊNESE . sua destinação final. que cada um de nós deve se tornar útil segundo as capacidades e os meios que Deus nos colocou nas mãos para nos provar. que a presença inevitável. como a de Cristo.As relações dos Espíritos com os homens são constantes. o homem avança sempre e alcança a perfeição. As oportunidades de reparar os erros de vidas passadas sempre serão permitidas através da reencarnação. da palavra ou outras manifestações materiais. se aproxima da natureza espiritual. Ensinam que no mundo dos Espíritos nada pode ser escondido. é um prazer para eles nos ver fracassar e nos assemelharmos a eles. Ensinam também que não há faltas imperdoáveis que não possam ser apagadas. prendendo -nos à matéria. As comunicações ostensivas ocorrem por meio da escrita. que o forte e o poderoso devem apoio e proteção ao fraco. Existirá uma vida após a morte? . fazer o bem e não o mal. Eles nos ensinam que o egoísmo.Allan Kardec O LIVRO DOS ESPÍRITOS .Allan Kardec O Espiritismo Em poucas palavras. A moral dos Espíritos superiores se resume.. que o homem que se desliga da matéria já neste mundo. neste ensinamento evangélico: 'Fazer aos outros o que quereríamos que os outros nos fizessem'. pois aquele que abusa de sua força e de seu poder para oprimir seu semelhante transgride a Lei de Deus.

não pode ser determinado. ou seja. Como afirmava Allan Kardec. Nestas sessões. nos testemunhos destes últimos e no aprendizado daí resultante. O espiritismo estuda em profundidade os depoimentos dos médiuns e conclui assim. Algumas trazem a prova da sobrevivência da alma após a morte. dado que se trata de fenômenos naturais inerentes à condição humana. a que denominamos dimensão espiritual. pois nenhuma conclusão pode ser extraída de um depoimento isolado. nos Estados Unidos. observáveis de resto nas mais diversas culturas e tradições. Pessoas vieram de todos os lugares para verificarem o fenômeno. o espiritismo se fundamenta nos diversos fenômenos liga dos à mediunidade. Muitos tiveram então a iniciativa de entrar em comunicação com os espíritos participando de reuniões com essa finalidade. em diversos graus. à medida que ia recebendo respostas. Iniciou -se então a moda . o sentido da vida e a natureza do homem.Será que os que se foram podem de onde se encontram entrar em contato conosco? Muitas pessoas afirmam conseguir perceber a presença de entes que partiram. Contudo. Daí resultou um verdadeiro deslumbramento da alta sociedade da época pelas "noites mediúnicas". no decorrer do século XIX. o qual se manifestava por meio de pancadas. o maior pensador do Espiritismo: ³Fé inabalável só é a que pode encarar frente a frente a razão. o espiritismo acumulou ensinamentos gerais de ordem filosófica sobre o universo que nos cerca. em todas as épocas da humanidade. na possibilidade de comunicação com os espíritos. da comunicação entre os dois mundos. perceber os espíritos e até comunicar-se com eles são denominadas ³médiuns´ e possuem uma faculdade chamada ³mediunidade´. técnica rudimentar de comunicação que necessita naturalmente a presença de um médium. estabelecendo uma comunicação com os que já deixaram a vida biológica e se encontram na outra dimensão. O Espiritismo História O início dos fenômenos mediúnicos. Em resumo. em todas as épocas da Humanidade´. Mas ele se interessa também pela essência das comunicações obtidas através da interação dos espí ritos com os médiuns: O que nos dizem os espíritos? Quais são suas novas condições de vida? Que tipo de relação têm eles conosco? As respostas propostas pelo espiritismo representam o fruto da observação cuidadosa e da comparação entre as inúmeras comunicações obtidas. Deste modo. os participantes tentavam comunicar -se com os espíritos utilizando pranchetas e um alfabeto. onde duas irmãs se tornaram conhecidas por terem estabelecido comunicação com um espírito em sua própria casa. Estas pessoas que tem a capacidade de. os fenômenos mediúnicos se popularizaram à partir das manifestações em Hydesville. a existência de uma vida após a morte.

ditadas por centenas de espíritos diferentes. Entre esses médiuns. fundad or de uma escola em Paris (Instituto técnico Rivail). pondo -se a girar. Redigiu várias obras sobre o assunto sob o pseudônimo de Allan Kardec. Francisco Cândido Xavier foi o mais importante. seguido de outro movimento no Brasil. bem como da sua relação com o mundo físico". Desde então. ficou intrigado com estes acontecimentos tão comuns à época. com o qual se podia discutir assuntos variados. chama -se: "O livro dos Espíritos" cuja primeira edição surge em 1857 e engloba 1019 perguntas dirigidas aos espíritos. Perguntas estas que abrangeram assuntos como: ³a imortalidade da alma. e a mais notável. a vida presente. a natureza dos Espíritos e suas relações com os homens. e certas vezes a bater no chão: manifestação física produzida por espíritos. professor e autor.das "mesas girantes" por constatar-se que a mesa ao redor da qual estavam sentados os participantes erguia -se muitas vezes. A primeira delas. sobretudo em Paris onde residia. Kardec afirma que "o Espiritismo é uma ciência que trata da natureza. A constatação da presença de um interlocutor. antigo aluno da escola de Henri Pestalozzi em Yverdon. os espíritas consideram as obras de Allan Kardec como sendo a base fundamental do Espiritismo. tanto quanto um instrumento de avaliação único das inúmeras contribuições ulteriores que complementam sem cessar este conjunto de conhecimentos. que atravessou todo o século XX estendendo-se ao século XXI. escrevendo mais de 400 obras. invisível e inteligente. que nos transmitem obras inteiras ditadas pelos espíritos. a vida futura e o porvir da humanidade´. É assim que veio à luz uma literatura abundante. como indica o subtítulo da obra. as leis morais. Importante ressaltar que Kardec comparava e verificava o valor de cada resposta pelo inte rmédio de vários médiuns. sendo seus adeptos conhecidos como espíritas. Homem de ciências por sua formação. destacamos a grande amplitude do movimento espírita na França até o início do século XX. homem experiente. despertou a curiosidade geral tanto nos Estados Unidos quanto na Europa. Para diferenciá-lo do espiritualismo corrente. Rivail decidiu designar este conjunto de conhecimentos pelo nome Espiritismo. Rivail decide organizar uma síntese precisa e completa de suas constatações. ora escrita por aqueles que estudaram o espiritismo. Dentre os movimentos marcantes da história do espiritismo. Com base em numerosas observações e experiências. ora escrita pelos médiuns. que as responderam com o concurso de numerosos médiuns. da origem e do destino dos espíritos. dedicou grande interesse às "mesas girantes" mantendo uma rigorosa atitude científica. um pedagogo francês. O Espiritismo O Espiritismo hoje . Hipolytte Léon Denizard Rivail (1804-1869).

Por outra parte. . sendo que a Suíça o integra desde 1998. os espíritos respondem ³Deus é a inteligência suprema. o que o torna o país mais "espírita" do mundo. negando assim a idéia que todas as coisas seriam o fruto do acaso. Por sermos sempre detentores do livrearbítrio. Existe também o Conselho Espírita Internacional que reúne as uniões de 28 países. filosofia segundo a qual o espírito imortal pode reencarnar em um novo corpo físico tantas vezes quantas se fizerem necessárias na senda da sua ev olução. da sua origem. Além dessa primeira afirmativa. acrescentando aos seus fundamentos as contribuições de novas descobertas e investigações pluridisciplinares feita s no mundo inteiro. Hoje. do seu destino. conclui -se que é no presente que se encontram as nossas oportunidades.- O Brasil conta hoje com mais de 20 milhões de adeptos e cerca de dez mil centros de estudos. Em face desta vasta perspectiva. Mas por quais meios? A resposta é pela reencarnação. que segue incessantemente rumo às qualidades ma is elevadas do Amor e da perfeição. mas também em outros planetas do universo onde uma vida inteligente se desenvolveu. visto ser abundante a lit eratura que faz referência a estudos e observações voltados para este objetivo. Tal é o seu destino. Este evolui permanentemente. (vide o documento ³Prática do Espiritismo na Suíça´). O Espiritismo Filosofia e ética espírita Não nos estenderemos aqui sobre a vasta filosofia espírita proveniente dos espíritos. causa primária de todas as coisas´ (O Livro dos Espíritos. bem como a sua prática. respondem às nossas perguntas a respeito do homem. portanto. Propomos aqui simplesmente alguns princípios. Esta vastidão de informações e estudos sérios. Todos os espíritos proclamam a existência de Deus. o contexto de nossa vida atual é o fruto do nosso passado e também a nossa oportunidade de aprendizado e de progresso para um futuro melhor. Por isto ele requer daquele que deseja descobrir sua extensão e riqueza. procurar os bens do espírito. que sobrevivem e nos acompanham on de nosso espírito estiver se tornando aquisição definitiva deste. À pergunta ³Que é Deus?´. É certo que a evolução completa não se faz somente no planeta Terra. Sua finalidade situa-se antes no estudo teórico do espiritismo e na sua aplicação útil. Cabe-nos. um estudo paciente e profundo. os valores espirituais. pergunta 1). eles nos falam da evolução dessa alma ou espírito. constituem o chamado Espiritismo. os centros de estudo espíritas já não têm mais como objetivo demonstrar a sobrevivência do espírito. segundo o princípio da caridade ao próximo. determinamos pelas nossas escolhas de hoje o nosso futuro (lei de causa e efeito). Depois de ter -nos dado o testemunho da sobrevivência da alma à morte biológica.

ele é considerado como sendo o espírito mais perfeito que encarnou na Terra e persiste sendo um guia e protetor de toda a humanidade. Para muitos. Este axioma resume segundo os espíritos a essência da moral divina e deve guiar nos para a verdadeira felicidade espiritual. sendo os princípios apresentados e discutidos para poderem ser aceitos livremente por todos os que se interessarem. Sem julgar as tradições religiosas. Com efeito. ou melhor. dogmas ou rituais. independente da cultura. propõem -nos seguir o ensinamento de Jesus: "ama ao teu próximo como a ti mesmo".Quanto à interação entre o nosso mundo material e o mundo dos espíritos. Vale ressaltar o fato de que os grandes espíritos colaboram para o bem de todos. não se importando com as diferenças e separações que conhecemos sobre a Terra. ao encontro com a nossa consciência onde estão inscritos o senso do bem e da justiça. nos princípios que tocam qualquer ser humano. Quanto às referências freqüentes feitas à Jesus na prática espírita. para lhe servir de guia e modelo?´. Podemos assim concluir que o espiritismo se situa por um lado numa continuidade da tradição judaico -cristã. entre o mundo dos espíritos encarnados e o dos espíritos desencarnados. ela é constante. elas decorrem do que dizem os espíritos a seu respeito. os espíritos responderam: ³Vejam Jesus´. sem que a maioria de nós tenha consciência disto. do grupo social ou da crença dos seres humanos que a compõem. Além do seu aspecto filosófico. No espiritismo não há imposições. e guiar a humanidade para a união solidária de todos os povos. da origem. a pergunta ³Qual o indivíduo mais perfeito que Deus ofereceu ao homem. e de outro. O espiritismo procura assim contribuir para o estabelecimento de uma ética universal que leve em conta o bem individual e o coletivo. No Livro dos Espíritos. Recordam -nos que a via da evolução é a da melhoria moral. . os dois mundos coabitam dentro de uma mesma realidade universal e interagem de maneira continua. os testemunhos dos espíritos convidam -nos sempre à introspecção.