Você está na página 1de 58

E-book doadopor: Robson Konig

Com exclusividade para:

http://ebooksgospel.blogspot.com
www.ebooksgospel.com.br
Ao Encontro de

DEUS UM GUIA PARA OS QUE


VERDADEIRAMENTE BUSCAM A DEUS

JIM ELLIFF
Ao ENCONTRO DE DEUS

Traduzido do original em inglês:


PURSUING GOD - A SEEKER'S GUIDE

Copyright ©JimElliff

Primeira edição em português – 2004

Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução


deste livro, no todo ou em parte, sem a permissão escrita dos
Editores.

Editora Fiel da
Missão Evangélica Literária
Caixa Postal 81
12201-970 São José dos Campos – SP

ÍNDICE
INTRODUÇÃO

Capítulo um
ENTÃO, QUAL É O PROBLEMA?

Capítulo dois
VOCÊ NÃO PARECE ESTAR BEM!

Capítulo três
DEUS NÃO ESTÁ MAIS IRADO?

Capítulo quatro
SE EU MORRER ANTES DE ACORDAR

Capítulo cinco
MAIS CEDO QUE VOCÊ IMAGINA

Capítulo seis
UM LADRÃO DURANTE A NOITE

Capítulo sete
O EVANGELHO EQÜIVALE A PODER

Capítulo oito
DESTRUINDO O FUTURO

Capítulo nove
A MUNDANÇA DE MENTALIDADE

Capítulo dez
TENTANDO OU CONFIANDO

Capítulo onze
O QUE FAREI?

Capítulo doze
21 DIAS COM DEUS
Introdução

Eu o perdi! Por alguns momentos de agonia, meu filho


havia sumido. Percorri todos os corredores da loja, gritando
seu nome. Tudo o que eu podia pensar era "seqüestro!"
Nada me impediria de encontrá-lo — nada!
Poucos, talvez, tenham procurado por Deus tão
desesperada-mente como o fiz por meu filho. Porém, o que se
espera encontrar é muito mais importante — e tão difícil
quanto se possa imaginar. É um eterno relacionamento com o
próprio Deus, perdão de pecados, vida no céu, o que significa
ser livre do inferno. Deus falou ao povo do Antigo
Testamento: "Buscar-me-eis e me achareis quando me
buscardes de todo o vosso coração" (Jeremias 29.13).
No que diz respeito a tornar-se um verdadeiro cristão,
alguns de vocês podem experimentar momentos de inquietude,
entre períodos de relativa paz. Mas a desesperada necessidade
está sempre presente, obscura em tudo o que vocês fazem e
dizem.
Outros buscam a Deus como se fossem uma criança
brincando de "esconde-esconde". Para eles é intelectualmente
estimulante pensar em Deus, todavia, isto não é uma busca
sincera e profunda. Os interessados, ou seja, aqueles que
buscam verdadeiramente a Deus, não estão brincando em um
jogo mental.
Este livro é para você, que busca a Deus, que pretende
conhecê-Lo plenamente. Não é um livro que procura
convencê-lo de que Deus existe ou de que Cristo é aquilo que
diz ser. Outro livro terá de abordar esses tópicos.
Preferivelmente, este livro é para aquele que sabe que
Deus existe e acredita que, de alguma maneira, deve
relacionar-se com Ele. Mas, de que maneira?
Embora estes capítulos sejam breves, eles têm o
propósito de guiá-lo a um melhor entendimento do problema,
dos perigos, da solução do pecado e da certeza da vida em
Cristo.
De certo modo, cada capítulo é individual, mas juntos
eles apresentam um conteúdo mais completo. Tentarei
simplificar os tópicos difíceis e torná-los mais compreensíveis.
Mas, apesar disso, é o próprio Deus que, enfim, deve abrir
seus olhos. Assim, ore enquanto você busca.
No final deste livro, há um plano para ajudá-lo a ler o
Evangelho de João, que lhe provera as verdadeiras palavras de
Cristo, para ajudá-lo a conhecê-Lo. Talvez você queira pedir a
um amigo ou conselheiro que se reúna com você
semanalmente, para discutir suas perguntas.
Certa vez, o líder bíblico Filipe falava com um etíope,
no deserto. Embora o etíope estivesse lendo a Bíblia, não
entendia a sua mensagem a respeito de Cristo. "Como poderei
entender, se alguém não me explicar?", perguntou ele.
Este livro é a minha maneira de explicar e conduzi-lo a
Cristo.

Jim Elliff
Kansas City, Missouri, EUA
O que Deus pensa a meu respeito?

A resposta a esta pergunta talvez o surpreenda — e o


desaponte. Mas o desapontamento é necessário. Se você não entender
completamente a terrível situação em que o pecado o colocou, talvez
você nunca apreciará suficientemente a vinda e a morte de Cristo, a
fim de tornar você um cristão. Pense desta maneira: você não pode
ser curado com a ajuda de um médico, a menos que antes ele
diagnostique o problema. Em primeiro lugar, você precisa ouvir a má
notícia. Mas os benefícios deste entendimento são inestimáveis e
eternos.
Os primeiros dois capítulos abordam o tipo de pessoa que
você é sem Cristo. No terceiro capítulo, você lera sobre a ira de Deus
para com aqueles que não se achegarão a Ele conforme os seus
termos. Ninguém jamais se converteu a Cristo, sem antes conhecer e
sentir profundamente quão terrível é o pecado ou a sua desesperada
necessidade por Cristo.
Enquanto você lê, peça a Deus que o ajude a entender o
problema do pecado e ajusta disposição dEle para com o pecado.
Capítulo um

Então, qual é o problema?

Um conhecido filósofo cristão, Francis Schaeffer, foi


indagado: "Se você tivesse apenas uma hora em um trem para
falar de Cristo a alguém, o que faria?" Ele respondeu: "Eu
gastaria quarenta e cinco minutos expondo o problema e
quinze minutos mostrando a solução".
Você tem um problema? Talvez não seja fácil percebê-
lo. Se você tem bons relacionamentos, uma profissão
agradável e bem-sucedida; tem uma família que o ama e sente
esperança quanto ao futuro, talvez não imagine que exista algo
para acertar em sua vida. Mas existe. Você tem um problema a
acertar com Deus — um problema bastante sério, que lhe
custará todas as coisas boas por toda a eternidade.
Talvez você não sinta o seu problema agora. Alguém
pode ser considerado culpado e, apesar disso, não sentir-se
culpavel, assim como uma pessoa pode ter câncer e não senti-
lo, nem estar ciente disso. Há a culpa genuína e legítima, mas
também há a culpa emocional. Independentemente de como as
suas emoções estão vivenciando o seu dilema, Deus deixa bem
claro que você tem um problema insuperável.

Então, qual é o problema?


A Bíblia usa várias palavras e frases para ajudar-nos a
entender. Primeiramente, ela diz que você está MORTO — não
doente, não desesperadamente doente, quase à morte, e sim
morto! De acordo com a Bíblia, a conseqüência do pecado em
cada pessoa é morte espiritual: "A alma que pecar, essa
morrerá." (Ezequiel 18.4); "Porque o salário do pecado é a
morte" (Romanos 6.23). A Bíblia prescreve esse destino para
todos aqueles que têm pecado.
Deus quer dizer que cada pessoa, por causa do seu
pecado, começa sua existência neste mundo como alguém que
está espiritualmente morto. Ele pode estar vivo em seu
exterior, mas em seu interior está morto para Deus. Somente
Cristo pode fazê-lo viver. Portanto, a antiga história de que a
salvação é semelhante a um cristão jogando um salva-vidas
para um homem que está se debatendo e afogando, não é
verídica. A situação é pior do que você imagina. Você não está
se afogando, está completamente no fundo do mar!
Em segundo lugar, a Bíblia diz que você está CEGO.
"Mas, se o nosso evangelho ainda está encoberto, é para os que
se perdem que está encoberto, nos quais o deus deste século
cegou o entendimento dos incrédulos" (2 Coríntios 4.3-4).
Assim como alguém numa caverna não pode enxergar suas
próprias mãos, visto que não há luz, assim também você não
pode ver a Cristo, se Deus não resplandecer sua luz na face de
Cristo (v. 6). Em um mundo de pessoas cegas, cada pessoa
imagina sua própria realidade interior, mas não pode ver a
verdade, a menos que Deus lhe dê visão. Ele pode ver
mentiras, mas não pode ver a verdade.
A Bíblia diz que você está PERDIDO. Em Lucas 15,
Jesus descreveu o estado de perdição, contando as histórias da
ovelha perdida, da dracma perdida e do filho pródigo. Não há
nada mais desesperador do que estar perdido; é semelhante a
um homem que está numa ofuscante tempestade de neve, em
que cada desvio parece ser o correto naquele momento, mas
todos são inúteis.
A Bíblia diz que você está CONDENADO. Isto significa
que você está sob o julgamento de Deus, devido à sua
desobediência para com Ele. "O que não crê já está julgado"
(João 3.18). Deus condena todo incrédulo ao inferno, ainda que
ele esteja na parte mais remota da terra. Deus é justo em fazê-
lo, porque os incrédulos têm pecado contra qualquer
conhecimento que tenham a respeito de Deus (ver Romanos 1).
O que estou procurando dizer-lhe é que você realmente
tem um problema, que só pode ser resolvido com ajuda
externa. E, como você é uma pessoa morta, não pode vivificar
a si mesmo; e, como é cego, não pode dar visão a si mesmo; e,
como é perdido, não pode achar o caminho por si mesmo; e,
como é uma pessoa condenada, não pode absolver-se, por si
mesmo, de sua culpa presente. Você tem um problema e, na
realidade, não tem uma solução, a menos que esta solução
venha de outra pessoa.
Tentar resolver seu problema sozinho é uma tarefa
inútil. George Whitefield, o famoso pregador do século XVIII,
disse: "O quê?! Alcançar o céu com suas próprias forças? Seria
mais fácil você tentar subir até à lua em uma corda de areia!"
Você simplesmente não pode cumprir o que Deus requer.
Como Deus resolve o seu problema? Primeiramente, Ele
coloca o seu amor sobre você, desde a eternidade passada.
Pense nisso! Que coisa empolgante é saber que Deus tem
amado eternamente pessoas como você. "Com amor eterno eu
te amei." (Jeremias 31.3)
Em seguida, Ele envia seu Filho, Jesus Cristo, a fim de
pagar o preço dos seus pecados, morrendo na cruz, em seu
lugar. "Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo
fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores"
(Romanos 5.8). Na morte de Cristo, o preço total de todos os
nossos pecados, de todos aqueles que vêm a Ele, está
totalmente pago. Assim, a justiça de Deus é satisfeita e você,
totalmente perdoado. Por isso, Cristo é chamado de Salvador
ou Libertador.
Finalmente, Ele o acompanha através do Espírito Santo,
convencendo-o de sua pecaminosidade, ensinando-o sobre a
natureza da salvação e atraindo-o à beleza e dignidade de
Cristo (ver João 16.9-11; João 6.44-45). Cristo torna-se
irresistível para você. A Bíblia ensina que a própria fé que você
vem a exercitar é um dom outorgado por Deus (ver Efésios
2.8-9).
Você tem um problema, e Deus tem a solução — a única
solução.
Aqueles que já experimentaram esta solução são
chamados de crentes. Eles crêem que Deus os ama desde a
eternidade passada e que Cristo pagou, na cruz, o preço pelos
pecados deles. Eles não resistem a Cristo, e segui-Lo é o seu
maior privilégio. Têm fé em Cristo e no que Ele fez por eles;
confiam em Cristo e olham para fora de si mesmos, olham
para Cristo. Eles crêem.

"Para vós outros, portanto, os que credes, é a preciosidade."


(1 Pedro 2.7)
Capítulo dois
Você não parece estar bem!

Quando a humorista Erma Bombeck viu sua nova foto


para o passaporte, ela ofegou: "Qualquer um que assemelhe a
isso não tem a mínima condição de viajar!" Dar uma boa
olhada em si mesmo pode ser deprimente — é o mínimo que
se pode dizer.
Talvez você se surpreenda em saber que, ao olhar-se no
espelho de seu banheiro, você realmente não se vê. Você vê
exatamente o oposto de si mesmo. Sua orelha esquerda está no
lado direito, e sua orelha direita está no lado esquerdo.
Espiritualmente, a maioria das pessoas pensa que parece estar
muito bem, em comparação com outras pessoas. Mas, será que
isto é verdade?
Em 1975, o físico David Thomas criou um espelho
curvado que na realidade reflete a imagem correta daquele
que o contempla. A Bíblia é esse tipo de espelho para a alma.
Quando você a contempla, vê exatamente como você é diante
de Deus.

Como a Bíblia o descreve?


Paulo juntou algumas passagens das Escrituras do
Antigo Testamento para fazer um retrato exato de nós. Ele
disse:
"Não há justo, nem um sequer,
Não há quem entenda,
Não há quem busque a Deus;
Todos se extraviaram, À uma se fizeram inúteis;
Não há quem faça o bem, não há nem um sequer. "
(Romanos 3.10-12)

Você não é justo. Certa vez, Jesus disse a alguns dos


homens mais religiosos de sua época que eles eram
semelhantes a "sepul-cros caiados.... cheios de ossos de
mortos". Isto não é muito lisonjeiro, mas perfeitamente correto
à vista dAquele que é santo. Um homem pode parecer justo
perante outro, mas diante de Deus não há um justo sequer. A
única justiça que Deus aceita é a dEle mesmo. Quando nos
apresentamos diante dEle em nossa própria retidão, a rejeição
é evidente.
Você não tem entendimento. Um professor pode dar
uma pre-leção sobre "A Natureza da Conversão Bíblica", e
relatar cada fato corretamente, e, apesar disso, não entendê-
los. Quando ele entra na sala dos professores, pode
ridicularizar as convicções que há pouco pronunciou e chamá-
las de insensatas. Devemos acreditar que ele entende que está
rejeitando a Cristo como Deus e a morte de Cristo como
essencial à salvação? Este professor conhece os fatos sobre a
salvação como alguém que tem conhecimento de trivialidades.
Mas, se entendesse isso, ele veria a si mesmo como néscio e a
Cristo como sua única esperança (ver 1 Coríntios 2.14).
Você não tem nenhum anseio por Deus. Buscar
felicidade e significado na vida é muitíssimo diferente de
buscar a Deus. Jesus disse que as pessoas não vêm
naturalmente a Ele. "O julgamento é este", Ele disse, "que a luz
veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a
luz; porque as suas obras eram más" (João 3.19). Se você for
uma pessoa que está buscando a Deus e verdadeiramente
deseja resolver este problema eterno, pode assegurar-se de que
seu anseio por Deus inicia-se nEle mesmo (João 6.44).
Você é rebelde. "Todos se extraviaram", disse o
apóstolo Paulo. A culpa por não pertencer à família de Deus
pertence a você, que tem uma natureza que se distancia dEle e
busca viver independentemente. Paulo disse: "O pendor da
carne é inimizade contra Deus, pois não está sujeito à lei de
Deus, nem mesmo pode estar" (Romanos 8.7).
Você se tornou inútil. A Bíblia afirma que o homem
sem Cristo é realmente inútil; é como um alimento que se
estraga por ser deixado na mesa durante a noite. Isto não
significa, é claro, que Deus não tem um propósito para você.
Mas significa que você viverá e morrerá sem importância
alguma para o Reino de Deus. É óbvio que Deus não se
impressiona com a posição social que alguém possa ter no
mundo.
Paulo continua a descrever, em linguagem figurada, a
visão que Deus tem de você, utilizando palavras bastante
severas, para alguém aceitar à primeira vista. Observe,
conforme você lê, a ênfase sobre destruição e engano como a
verdadeira natureza do incrédulo. Estas duas características
são fáceis de perceber em nossa cultura.

"A garganta deles é sepulcro aberto;


Com a língua, urdem engano,
Veneno de víbora está nos seus lábios,
A boca, eles a têm cheia de maldição e de amargura;
São os seus pés velozes para derramar sangue,
Nos seus caminhos, há destruição e miséria;
Desconheceram o caminho da paz.
Não há temor de Deus diante de seus olhos. "
(Romanos 3.13-18)

Você e seus amigos apreciam isto? Lembre-se de que a


Bíblia muitas vezes descreve o indivíduo a partir do seu
coração (1 João 3.15). As coisas que estão escondidas são
visíveis para Deus. Por exemplo, pessoas que amam a
violência e o derramamento de sangue nos filmes são
sanguinárias, no coração. E alguém que sente ódio também é
um assassino diante de Deus; foi Cristo quem o afirmou com
muita clareza (Mateus 5.21-22).
E, lembre-se, mediante certo grau de aflição, tudo
aquilo que está no coração virá à tona. Jesus disse: "Vós sois do
diabo, que é vosso pai, e quereis satisfazer-lhe os desejos. Ele
foi homicida desde o princípio e jamais se firmou na verdade,
porque nele não há verdade. Quando ele profere mentira, fala
do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira"
(João 8.44).
O verdadeiro problema do homem é que ele não tem,
por si mesmo, como sair desta terrível confusão. Ele não pode
vencer sua natureza pecaminosa. Paulo afirmou: "Todos estão
debaixo do pecado". Embora um pecador tenha boa
moralidade, ou mesmo seja religioso, ele continua sendo um
pecador. Mas é justamente neste ponto que surge a boa notícia.
Cristo morreu por pecadores como você! Ainda que você
mereça a ira de Deus, Cristo satisfez inteiramente a justa ira de
Deus, em relação ao pecado, por aqueles que depositarão sua
confiança nEle. Isto não terá muito significado para você,
enquanto você achar que tudo parece estar muito bem. Mas,
quando você se ver como realmente é, descobrirá na morte de
Cristo pelos pecadores a maior notícia que jamais ouviu.
Capítulo três
Deus não está mais irado?

Quando eu estudava no Ensino Médio, em uma escola


pública, tivemos de ler um trecho de um famoso sermão
chamado Pecadores nas Mãos de um Deus Irado, escrito pelo
falecido pastor americano Jonathan Edwards. Ele retratou os
pecadores como se fossem aranhas penduradas por um fio em
cima do fogo do inferno. Ele também afirmou que Deus está
mais irado atualmente com alguns que estão vivos do que com
outros que já estão no inferno.
Você acredita nisso? Deus está irado? Não creio que
meu professor pensava assim. Quando, mais tarde, estudei
este assunto, na Bíblia, fiquei surpreso com o que descobri.
Aprendi que a ira de Deus é genuína. A ordem bíblica
"irai-vos e não pequeis" nos faz lembrar que existe uma ira que
é justa. Deus sempre tem este tipo de ira santa e perfeita.
O apóstolo Paulo disse: "A ira de Deus se revela do céu
contra toda impiedade e perversão dos homens" (Romanos
1.18).
O rei Davi disse: "Deus é justo juiz, Deus que sente
indignação todos os dias" (Salmos 7.11).
E o apóstolo João disse: "Quem crê no Filho tem a vida
eterna; o que, todavia, se mantém rebelde contra o Filho não
verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus" (João
3.36).
Observe que estes versículos ensinam que Deus não
está somente irado contra o pecado, mas também contra o
pecador. Visto que Deus vê todas as coisas, Ele avalia com
perfeição (Hebreus 4.13). Sempre que Deus está irado, isto
acontece por razões santas.
Às vezes, pensamos em Deus como um juiz assentado
no tribunal, onde passivamente decreta penas aos culpados.
Mas Deus é assim? As palavras originais usadas para
expressar a ira de Deus são impetuosas. Por quê? Porque,
diferentemente dos nossos juizes, o pecado é cometido contra
o próprio Deus.
Observe a emoção no primeiro capítulo da profecia de
Naum, onde Deus é identificado como zeloso, vingativo e
cheio de ira (versículo 2). O versículo 6 é ainda mais severo:
"Quem pode suportar a sua indignação? E quem subsistirá
diante do furor da sua ira? A sua cólera se derrama como
fogo".
Entretanto, mesmo no meio de sua fúria, Deus tem
autocontrole. A Bíblia ensina que Ele é tardio em irar-se
(Naum 1.3), e muitos de nós aprendemos, há muito tempo,
que Deus é amor. Mas, embora um Deus amoroso esteja
disposto a reter seu julgamento, é certo que Ele julgará o
pecado.
Romanos 2.5-6 descreve assim este julgamento: "Mas,
segundo a tua dureza e coração impenitente, acumulas contra
ti mesmo ira para o dia da ira e da revelação do justo juízo de
Deus, que retribuirá a cada um segundo o seu procedimento".
O versículo 16 deste mesmo capítulo afirma que isto ocorrerá
"no dia em que Deus, por meio de Cristo Jesus, julgar os
segredos dos homens".

Por que Deus está tão irado?


Há pelo menos três razões:

1. Por causa de seus inúmeros pecados. Se você pecasse


somente 10 vezes por dia durante o ano, desobedeceria a Deus
3.650 vezes. Mas, se você pecasse 10 vezes por dia durante 15
anos, pecaria 54.750 vezes! Você é um pecador profissional! No
entanto, quantas vezes Adão pecou antes que fosse
amaldiçoado por Deus?
2. Você pecou contra o maior Ser e a mais sublime
Autoridade. Há diferentes níveis de pecado e castigo (Lucas
10.12; 12.42-48). Um crime é examinado cuidadosamente de
acordo com a seriedade da autoridade e da posição da pessoa
que foi a vítima. Uma coisa é desobedecer seu patrão no
trabalho ou seu treinador na escola. Outra coisa é desobedecer
um juiz. Uma coisa é entregar um trabalho escolar atrasado.
Outra coisa é assassinar o presidente. O maior mandamento é
amar "o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, mente, alma e
força". O maior ser é Deus. Toda vez que você peca, comete o
maior crime contra o maior Ser! Deus deve estar irado.
3. Você pecou contra o maior ato de amor de Deus.
Cristo foi enviado ao mundo por amor aos homens e mulheres
(João 3.16). No entanto, muitos de seus amigos, e talvez você
também, têm rejeitado a Cristo até agora. Esta rebelião é um
pecado contra a misericórdia. Devemos nos surpreender com o
fato de que Deus está irado contra aqueles que menosprezam
seu amor?

Como você pode ser salvo desta ira santa?


Apenas mediante a propiciação. Mas, o que isso quer dizer?

A palavra "propiciação" (às vezes, traduzida por


redenção) significa isto: Jesus satisfez completamente ajusta ira
de Deus por pessoas como você, morrendo em seu lugar,
recebendo sobre si mesmo toda a ira que você merece.
Aprendemos sobre isto em Romanos 3.24-25 e Hebreus 2.17. A
justa ira, indignação e furor de Deus pelos pecados foram
lançadas sobre Cristo, em favor de cada pecador que vier a Ele
pela fé.

Esta é uma grande notícia!


Quanto tempo eu tenho para decidir?

A realidade do pecado e do julgamento que acabamos de


apresentar, por mais terrível que seja, freqüentemente não afeta
aqueles que estão sem Cristo. Por quê? Porque eles acreditam que
estão seguros e não perecerão. Aqueles que buscam a Deus
freqüentemente não têm noção da proximidade da vinda de Cristo. Se
você não tem paixão pela vinda de Cristo, talvez os próximos três
capítulos, sobre a brevidade da vida, possam conduzi-lo a Ele.
Desejo que você perceba que deve vir a Cristo agora.
Ninguém jamais se beneficiou por esperar, e a ninguém está
garantida uma oportunidade futura.

Capítulo quatro
Se eu morrer antes de acordar

Você orou estas palavras quando criança?

Agora eu me deito para dormir.


Oro a Deus para minha alma guardar.
Se eu morrer antes de acordar,
Oro a Deus para a minha alma levar.

Nesta pequena oração, há uma sinceridade que nos


comove. Parece estranho ouvir pequenas crianças proferindo
estas palavras, quando mal começaram a viver.
Esta oração identifica duas realidades cruciais:
morreremos e existe algo bom depois da morte, para o que
Deus nos pode levar. Mas isto implica em outra verdade: Deus
não levará todos para lá.
Se um homem ou uma mulher forem sensatos e
meditativos, a realidade da morte importunará a sua mente. A
certeza da morte provoca, pelo menos, intranqüilidade crônica
e, em tempos de vulnerabilidade ou perigo, pode causar males
ainda maiores. É um fato assustador alguém encarar com
sinceridade a morte. A Bíblia chama a morte de inimigo. A
maioria das pessoas a temem e têm razões para isso.
Há aqueles que podem dizer que a morte não é uma
preocupação. Os verdadeiros cristãos, ou seja, aqueles que
vieram a Cristo de acordo com os termos dEle e são
genuinamente convertidos têm certo direito de dizer isso,
conforme veremos. Mas outros estão apenas se iludindo. Ou
acreditam que são invencíveis ou pensam que o simples
declarar que não têm medo da morte altera os fatos. Ambos os
conceitos são enganos.
Temos um coração que bate em nosso íntimo — uma
bateria interna sem fio elétrico que se estende até uma tomada.
E Aquele que tem o poder de mantê-lo funcionando não tem
qualquer razão que O obrigue a mantê-lo batendo nem mais
um minuto. Pelo contrário, a maioria das pessoas está
aumentando resolutamente o número de seus pecados contra
o Único que pode mantê-las vivas e levá-las ao céu. Isto é
aterrorizante.

Mas não tem de ser assim!


Cristo veio para libertá-lo desse medo.

Cristo veio ao mundo, disse o escritor de Hebreus, para


livrar "todos que, pelo pavor da morte, estavam sujeitos à
escravidão por toda a vida" (Hebreus 2.15).
Cristo nos liberta do escravizante temor da morte,
transformando-o em um ganho, em lugar de uma perda
eterna. Ele faz da morte uma passagem para a vida.
É assim que isso acontece. Juntamente com todos os
demais homens na terra, você é um pecador habitual. Os seus
milhares de pensamentos, palavras e ações pecaminosos fazem
com que Deus, que é perfeitamente santo, o julgue merecedor
do inferno. No entanto, a morte de Cristo no lugar de pessoas
pecaminosas, como o legítimo Substituto, nos proporciona o
meio de escape. Deus perdoa aqueles que vêm a Ele, porque
Jesus tomou o castigo no lugar deles. Em termos simples,
podemos dizer que a justa penalidade pelos pecados ou recai
em você ou em Cristo.
A pessoa que vem a Cristo rejeita a vida que estava
levando para se tornar filho do próprio Cristo. Tal pessoa vem
pela fé. Isto é, ela deposita toda sua confiança, no que diz
respeito à eternidade, somente em Cristo como o Único que
satisfez completamente a justiça de Deus, em favor do
pecador. Isto chama-se crê em Cristo. E aquele que crê não tem
motivo para temer a morte. O julgamento do pecado foi
encoberto pelo Substituto.
Jesus disse: "Quem nele crê não é julgado; o que não crê
já está julgado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho
de Deus" (João 3.18).
O verdadeiro cristão sabe que a morte física virá. Ele
pode encará-la face a face. Ainda que venha a sentir a dor
física, ele não sentirá o doloroso processo da morte, visto que a
morte, por si mesma, não é o problema. Visto que ele é um
verdadeiro cristão, sabe que estará no céu após a morte. Como
o apóstolo Paulo afirmou: "O morrer é lucro" (Filipenses 1.21).
Um oncologista judeu, do Sul dos Estados Unidos, viu
este fenômeno. Na realidade, ele se converteu ao cristianismo
porque presenciou a diferença na maneira como os
verdadeiros cristãos e os incrédulos morrem.
Talvez seria útil você meditar nas seguintes palavras
que Cristo proferiu sobre a vida e a morte. Ele disse estas
palavras a Marta, a irmã de Lázaro, o qual acabara de morrer.
E, à medida que você medita cuidadosamente sobre estas
palavras, lembre-se de que Cristo é o único antídoto legítimo
para o temor da morte, porque Ele é o único que pode dizer:
"Eu sou a vida". Estas são palavras dEle. Creia nestas palavras
— creia nEle.

"Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra,
viverá; e todo o que vive e crê em mim não morrerá....Crês isto?"
(João 11.25-26)

Capítulo cinco
Mais cedo que você imagina

Há alguns anos uma emissora de notícias, de Chicago,


informou um incidente ocorrido em uma apresentação local de
pára-quedismo. O vídeo mostrava os pára-quedistas saltando
e se agrupando em um ponto distante da porta aberta do
avião.
Enquanto estava filmando, o câmera saltou. Em poucos
segundos, a câmera começou a arremessar-se
descontroladamente para cima, para baixo e para os lados,
enquanto se precipitava rumo ao chão. Pegando o cordão de
abertura do pára-quedas, o aterrorizado homem descobriu
que, em sua excitação, esquecera de colocar seu pára-quedas!
O triste e silencioso fim daquele vídeo-clipe foi a trágica
lembrança da imprevisibilidade da morte.
O dia da sua morte chegará exatamente no meio dos
seus planos. Aqueles pára-quedistas planejaram ter uma
grande experiência, festejar, voltar para casa e dormir. Mas
Deus tinha outros planos para eles. Ele também pode ter
outros planos para você.
Através do apóstolo Tiago, Deus adverte aqueles que
fazem planos com excessiva confiança: "Atendei, agora, vós
que dizeis: Hoje ou amanhã, iremos para a cidade tal, e lá
passaremos um ano, e negociaremos, e teremos lucros. Vós
não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois,
apenas, como neblina que aparece por instante e logo se
dissipa" (Tiago 4.13-14).
Tiago declarou dois absolutos que têm de ser levados
em conta sempre que você faz planos. O primeiro é este: você
não sabe o que acontecerá amanhã.
Um amigo meu levantou-se, certa manhã, para passear
de carro, antes do café da manhã. O seu café talvez ainda
estivesse sendo preparado, quando a ambulância chegou para
levar o seu corpo sem vida. Ele tinha planos, mas não conhecia
o futuro.
Eis o segundo fato inevitável, observado por Tiago: a
vida é "uma neblina que aparece por instante e logo se dissipa"
— a vida é como "um vapor" — aquela expiração úmida e
quente que sai de sua boca em um dia muito frio. Ela está lá,
mas, logo em seguida, já não existe mais. Quer a sua vida seja
uma breve ou uma longa expiração, ela é apenas um
nanossegundo em termos de eternidade.
Em nossa reunião familiar, eu observava meus filhos
brincando perto das raízes expostas de árvores velhas e
centenárias, em frente à casa da fazenda. Pensei comigo
mesmo: "Eu costumava brincar naquelas mesmas raízes".
Também me lembrei de como minhas tias e tios
pareciam mais velhos, quando eu era menino. Então, cogitei:
"Estou na mesma idade deles agora. E a maioria já morreu!" A
vida se move muito depressa.
Os fatos que acabamos de citar podem criar certo medo
compreensível em qualquer pessoa que os contempla com
seriedade. Mas, espere um minuto! Existe outro fato que Tiago
põe em evidência; e este fato supera completamente os dois
primeiros. Em palavras simples, este fato é: tudo o que
acontece é da inteira competência de Deus!
É verdade que somos propensos a dizer: "Hoje ou
amanhã, iremos para a cidade tal, e lá passaremos um ano, e
negociaremos, e teremos lucros". Mas Deus nos aconselha que
devemos dizer algo muito diferente.
"Em vez disso", Tiago recomenda, "devíeis dizer: Se o
Senhor quiser, não só viveremos, como também faremos isto
ou aquilo" (Tiago 4.15). Em outras palavras, compete a Deus se
viveremos ou morreremos, bem como se faremos isto ou
aquilo.
Se falhamos em dizer (e, naturalmente, em crer): "Se o
Senhor quiser", todo o nosso planejamento é apenas ostentação
e vangloria a respeito de algo sobre o qual não temos controle.
E, pior ainda, tal planejamento, sem o reconhecimento da
soberania divina, é pecado (ver Tiago 4.15-16). Não creio que
temos de utilizar esta frase toda vez que falamos sobre o
futuro, mas o sentimento tem de estar presente em nosso
coração. E aquilo em que você crê, você fala.
No famoso romance "Seqüestrado", o jovem herói está
sendo perseguido por bandidos, em um velho e arruinado
castelo. Ele sobe as escadas na escuridão, um degrau por vez.
E nós podemos ver aquilo que o herói não pode — o próximo
degrau que ele quer pisar não existe!

E o seu próximo passo?


Se você morrer, está pronto para o que vem depois?

A Bíblia diz: "Aos homens está ordenado morrerem


uma só vez, vindo, depois disto, o juízo". Planeje o quanto
quiser, mas você não poderá evitar nada.
À luz da certeza da morte e da incerteza da vida, será
que não faz sentido você colocar sua confiança em Cristo, que
é chamado "A Rocha da Minha Salvação"?
Em 1994, quando o piloto Ayrton Senna fez aquela
curva no circuito de ímola, será que ele sabia que um acidente
lhe ceifaria a vida? Você sabe? Onde você estará, quando
morrer? Em um quarto de hospital? Em um campo de
esportes? Preso em um carro? Virá algum sinal do céu
dizendo: "Este é o momento da sua morte"?
Uma coisa é certa — esse tempo virá, e muito mais cedo
do que você pensa.
Um relacionamento com Deus por meio da fé ou da
confiança em Cristo (um relacionamento que a Bíblia chama de
"crer em Cristo") é a resposta para a insegurança de nossa vida
terrestre. Você precisa ser capaz de viver, ainda que tenha de
morrer. Você precisa ter uma vida que, após a morte, nunca
acabará. Cristo prove ambas as coisas.
Lembre-se do que Jesus disse:

"Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo o que vive e crê
em mim não morrerá. "
(João 11.25-26)

Capítulo seis
Um ladrão durante a noite

Um amigo meu estava dormindo no momento em que


ocorria um roubo em sua casa.
Sua esposa não estava tão desligada. De fato, quando o
homem entrou em seu quarto, ela imediatamente o seguiu
através do corredor. Com esta senhora em seu encalço, ele não
conseguiu levar coisa alguma, exceto aborrecimento. Enquanto
isso, no quarto, meu amigo roncava, totalmente inconsciente
do que estava acontecendo.

O Dia de Deus também virá como um ladrão na noite.


Você está preparado?

"Irmãos, relativamente aos tempos e às épocas, não há


necessidade de que eu vos escreva; pois vós mesmos estais inteirados
com precisão de que o Dia do Senhor vem como ladrão de noite.
Quando andarem dizendo: Paz e segurança, eis que lhes sobrevirá
repentina destruição, como vêm as dores de parto à que está para dar
à luz; e de nenhum modo escaparão."
(1 Tessalonicenses 5.1-3)

Observe a palavra "repentina" !

O Senhor virá enquanto as pessoas estiverem dizendo:


"Paz e segurança". Em outras palavras, a vida estará em seu
curso normal, sem nenhuma razão particular para alarme. No
entanto, a destruição virá repentinamente!
A casa onde minha mãe vivia, em sua infância, acabara
de ser pintada. Todos os membros mais velhos da família
haviam trabalhado arduamente na pintura. Agora, eles
deveriam fazer uma pequena limpeza e, então, desfrutar do
novo visual. Mas, repentinamente, quando se pôs fogo na
lareira, para queimar alguns materiais, todo o recinto explodiu
em chamas. Em poucos momentos, tudo foi destruído.
Quando o dia do juízo divin'o chegar, a maioria das
pessoas se levantará da cama, como em qualquer outro dia, irá
ao trabalho ou à escola, fará suas refeições, falará com seus
amigos, etc, como sempre o fizeram. Um dia comum é
exatamente o tipo de dia em que Deus trará o julgamento. Não
espere alguém anunciar: "Todos precisam preparar-se para o
Dia do Juízo. Você tem 48 horas para acertar as contas com
Deus". Não sabemos o dia ou a época em que a destruição virá
— sabemos apenas que ela está destinada a acontecer, e
repentinamente.
Outro dia, assisti a uma reportagem sobre uma mulher
que havia dado à luz um bebê no automóvel, a caminho do
hospital. De repente, as dores de parto começaram. Ali, estava
um frenético pai tentando conseguir um médico, na
velocidade da luz, ao mesmo tempo em que dizia à sua esposa
que "segurasse". O "segurar" não funcionou. Quando as dores
de parto vieram, o bebê nasceu em seguida. O Dia do Juízo, de
Deus, virá repentinamente, como as dores de parto. Agora leia
mais:

"Mas vós, irmãos, não estais em trevas, para que esse Dia
como ladrão vos apanhe de surpresa; porquanto vós todos sois filhos
da luz e filhos do dia; nós não somos da noite, nem das trevas. Assim,
pois, não durmamos como os demais; pelo contrário, vigiemos e
sejamos sóbrios. "
(1 Tessalonicenses 5.4-6)

O Dia do Senhor virá como um ladrão, isto é,


repentinamente. Mas este dia não deve surpreender o
verdadeiro cristão, como um ladrão; ou seja, o Dia do Senhor
não deve apanhar nenhum verdadeiro crente desprevenido ou
inconsciente, como se ele estivesse despreparado.
O verdadeiro cristão, ou seja, o verdadeiro crente, não é
como aqueles que dormem, e sim como os "filhos do dia".
Portanto, os crentes devem estar alerta e controlados,
antecipando plenamente o Dia da ira e da indignação de Deus
sobre o mundo.
Deus não designou os verdadeiros crentes para
sofrerem essa ira. "Porque Deus não nos destinou para a ira,
mas para alcançar a salvação mediante nosso Senhor Jesus
Cristo", acrescentou o apóstolo Paulo (1 Tessalonicenses 5.9).
Os filhos de Deus podem sofrer todos os tipos de dor
física, até à morte; todavia, a morte não lhes será punitiva.
Para os crentes, a morte é uma passagem para a presença de
Deus. Alguns crentes podem até ser trasladados, não tendo de
passar pela morte, nem mesmo de sentir o cheiro de fumaça.
Por outro lado, quando a destruição ou a morte vier para o
não-crente, sempre o conduzirá ao inferno.
Você é um daqueles que pensa poder acertar
rapidamente suas contas com Deus, logo que percebe estarem-
se formando os problemas? Então, a ênfase desta passagem
bíblica se dirige a você. O Dia virá tão repentinamente, que
você não poderá fazer nada para mudar seu destino. Se você
continuar vivendo como não-crente, não espere a menor
oportunidade de remediar sua situação, quando o juízo
chegar.

Mas há esperança!

Paulo, o autor destas palavras, disse que Cristo "morreu


por nós para que, quer vigiemos, quer durmamos [ele estava
dizendo: 'se estivermos vivos ou mortos'], vivamos em união
com ele" (1 Tessalonicenses 5.10).
A morte de Cristo na cruz é o meio pelo qual você pode
escapar da penalidade que seus pecados merecem. Quando
Cristo foi para a cruz, Ele o fez para suportar os pecados e a ira
de Deus sobre Si, como Substituto de pessoas como você. Por
causa desse ato de amor, sacrificial, você pode escapar da justa
penalidade de seus pecados e viver para sempre com Jesus —
o livramento prometido a qualquer que ponha sua confiança
no Resgatador.

Assim, a palavra "repentina" não será mais aterradora.


Será que Deus pode me transformar?

"O poder de Deus" — estas são as palavras que o apóstolo


Paulo, um dos escritores da Bíblia, usou para designar as boas-novas
a respeito da capacidade de Cristo para nos livrar do pecado e da
morte. Isto é o que você precisa: o poder de Deus. Somente um poder
que fortalece pode mudar sua vida.
Nas páginas a seguir, explicarei essa realidade em um sentido
geral e, embora os pecados sejam enormes e numerosos, para animá-
lo a vir a Cristo, usarei como exemplo o pecado sexual.
Ore para que você conheça e creia no poder de Deus, não
importa quais sejam os seus pecados.

Capítulo sete
O Evangelho eqüivale a poder
Em Buena Vista, uma cidade montanhesa no Estado do
Colorado, meu irmão e eu vimos algo que somente em sonhos
poderia acontecer. Três semanas antes, um grupo de
adolescentes nos havia convidado a vir à cidade. Eles eram um
pouco mais jovens do que nós; haviam abandonado as drogas
e se convertido a Cristo.
Estes estudantes idealizaram encher o ginásio da escola
secundária com todas as pessoas que pudessem convencer a
ouvir-nos falar sobre Cristo. Mas o evento estava
completamente desorganizado. A propaganda deles era a sua
própria vida transformada. Ficamos chocados ao ver o ginásio
repleto de pessoas. No meio da quadra, havia um logotipo
para a escola — The Demons (Os Demônios).
Durante os dias e as noites de palestra,
aproximadamente duzentos jovens haviam professado fé em
Cristo. Estudantes cantando "One Way" (Único Caminho)
cruzavam os corredores da escola, com suas mãos para o alto e
o dedo indicador apontado para cima. Todas as reuniões
estavam impregnadas de alegria e seriedade contagiosas.
Nesta inesquecível experiência, vimos algo do poder trans-
formador do evangelho.
Quer a mensagem alcance somente uma pessoa, quer
alcance muitas, ela é poderosa. Se você já viu pessoas
radicalmente transformadas por esta mensagem, então, sabe o
que eu estou querendo dizer. Isto pode acontecer com você!
Leia o que Paulo disse a respeito desta mensagem:

"Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder


de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro
do judeu e também do grego. "
(Romanos 1.16)

Na década de 1950, as crianças do pós-guerra ouviam


com muita atenção a série radiofônica chamada "Super-
Homem". Ele era "mais rápido do que uma bala; podia
transpor imensos edifícios com um único salto e deter uma
locomotiva poderosa". No entanto, nem mesmo o Super-
Homem poderia fazer o que Deus fez: libertar uma pessoa do
império das trevas e trazê-la para o reino da luz.
Há limites para o que podemos fazer. Um amigo meu,
agora professor em um seminário, costumava levantar pesos,
em um ginásio, com alguns atletas do time de futebol
americano Dallas Cowboys. Em certa ocasião, quando ele tentou
levantar 450 quilos, contraiu uma hérnia e nunca mais foi o
mesmo. Deus, porém, não conhece limites. Não podemos
perdoar os pecados de um homem ou reviver sua alma morta,
mas Deus pode.
O que torna o evangelho tão poderoso? Ele é a
realidade de que Cristo viveu a vida perfeita que não podemos
viver; que Ele morreu sobre a cruz como o perfeito Filho de
Deus, para levar sobre Si os pecados de pessoas pecadoras e
condenadas como nós; e que Ele ressuscitou dentre os mortos,
para vencer o domínio do pecado e da morte. Essa realidade é
poderosa, porque não há nada mais que a substitua, nada mais
que faça a obra que Jesus fez diante de seu Pai, santo e justo.
O próprio Paulo é uma ilustração deste poder. Ele
estava perseguindo os cristãos, quando Deus o transformou
completamente. De súbito, ele passou a amar o próprio Cristo,
a quem perseguia. Como você pode explicar essa
transformação, se não atribuí-la ao poder de Deus?
Quando eu era uma criança de escola primária, os
fabricantes de brinquedos vendiam a preço baixo foguetes que
eram impulsionados por ar comprimido. Talvez você já tenha
visto os foguetes de plástico colocados em uma plataforma,
nos quais você conecta uma bomba de bicicleta. Quando mais
forte você bombear, tanto mais alto o foguete subirá.
Tornar-se um verdadeiro cristão não é apenas bombear
um pouco de religião em sua vida, para que sinta "motivação",
quando estiver emocionalmente abatido. A salvação significa
sair da morte para a vida; ser transformado, como pessoa, em
algo totalmente novo; ser perdoado dos pecados que o
condenavam e ter a vida eterna. Você precisa do poder de
Deus para isso.
Na verdade, você precisa de um poder que o levará por
todo o caminho em direção ao céu! O evangelho, de acordo
com Paulo, é exatamente isto — o poder do próprio Deus para
a salvação completa de todos os que se convertem a Ele, pela
fé.

Nunca limite a Deus!

Capítulo oito
Destruindo o futuro
Assim como muitos estudantes do ensino médio ou da
universidade eu tinha sonhos de encontrar, dentre uma
grande variedade de estudantes, a pessoa certa com quem
dividiria a minha vida. Em meus sonhos, os padrões eram
bastante razoáveis: inteligente, esperta, bonita, personalidade
atraente, capaz de pensar que eu era grande e possuir um
estimulante andar com Deus.
Para muitos de meus amigos, o sonho se tornou um
pesadelo. O sexo antes do casamento os levou a um vôo de
helicóptero que eventualmente os esmagou no asfalto duro,
diminuindo seriamente as chances de terem um casamento
puro e agradável (não mencionando "duradouro").

O que acontece depois do sexo?


As atitudes anteriores dizimam um bom futuro?

Infelizmente, em muitos casos, a resposta é "sim".


Nossas atitudes realmente têm conseqüências. Os explosivos
colocados em uma vida hoje podem ser detonados nos tempos
mais inoportunos. Assim como as minas terrestres letais, tais
atos geralmente deixam como resultado pouco daquilo que
prometia ser tão bom e correto. O sexo antes do casamento,
por exemplo, tem uma longa história de produzir desconfiança
em casamentos e de causar divórcios.
O sexo antes do casamento sempre se realiza sem o
reconhecimento de que a experiência freqüentemente leva ao
hábito. A pessoa que pratica o sexo antes do casamento é uma
presa fácil para a prática de outros pecados. Embora fiquemos
admirados quando ouvimos que alguém teve um caso de
adultério, é provável que ele ou ela mantinha um hábito
sexual, em sua mente ou em seu corpo, durante algum tempo
antes. Um estilo de vida secreto caracterizado por
desobediência sempre resulta de provar o gole inicial das
águas roubadas do sexo — uma experiência ou um
pensamento produz outro, e mais outro, entorpecendo a
consciência e enfraquecendo a determinação.
O maior problema da promiscuidade está no fato de
que ela acaba em ruína eterna. O apóstolo Paulo disse, em 1
Coríntios 6.9-10, que os ímpios não herdarão o reino de Deus:

"Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de


Deus ? Não vos enganeis: nem impuros, nem idolatras, nem adúlte-
ros, nem efeminados, nem sodomitas, nem ladrões, nem avarentos,
nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de
Deus."

Você pode iludir os outros, mas não a Deus; portanto,


não engane a si mesmo. O pecado leva a julgamento. É
verdade que cada pessoa tem pecado e merece o inferno.
Nestes versículos, porém, o apóstolo Paulo estava
apresentando argumentos para que fossem evitadas as
principais tentações enfrentadas pelos crentes de Corinto, uma
sociedade que tinha uma cultura muito semelhante à nossa.
Entretanto, Deus pode transformar uma vida de
promiscuidade sexual. Depois de catalogar vários tipos de
pessoas que não entrarão no céu, Paulo continuou:

"Tais fostes alguns de vós; mas vós vos lavastes, masfostes


santificados, mas fostes justificados em o nome do Senhor Jesus
Cristo e no Espírito do nosso Deus. "
(1 Coríntios 6.11)

Existe muita esperança nestas palavras. Depois de


haver sido apanhado na teia da lascívia, a sua porção tem de
ser um estilo de vida perpetuamente pecaminoso? Não. Por
meio de Cristo, você pode ser libertado; e esta não é uma
declaração absurda. Embora nunca possa haver perfeição
neste mundo, existe uma profunda reversão. Um verdadeiro
cristão será capaz de dizer: "Essa era a minha condição, porém
agora, por causa de Cristo, não é mais".
Deus lava, santifica e justifica — exatamente o que você
precisa para escapar do domínio ditatorial de seus desejos
pecaminosos e ter a certeza de herdar o céu.
Assim, quando Deus o lava, Ele perdoa os seus pecados
e remove a sua culpa, por meio da morte de Cristo. Deus
apaga completamente a sua culpa e lhe dá um coração puro. A
culpa não é apenas um sentimento; ela é uma realidade. É bom
que o sentimento de culpa seja removido, mas o problema é a
culpa propriamente dita.
Deus o santifica, ou seja, Ele o separa para Si mesmo,
como algo exclusivamente dEle. E, depois de separá-lo para o
uso dEle mesmo, Deus pode torná-lo semelhante a Ele mesmo,
por intermédio do Espírito Santo, que Ele colocou em seu
espírito. Esta é a maneira como Deus estampa o nome dEle em
sua fronte, para designar que você é filho dEle para sempre.
E Deus justifica todos aqueles que vêm a Ele. A
justificação significa que você, embora seja uma criatura
pecaminosa, é declarado justo aos olhos de Deus, não por
causa do que você tem feito ou não, mas tão-somente por
causa daquilo que Cristo fez. A morte de Cristo em seu favor é
aceita por Deus em lugar da sua morte. Você é justificado pela
fé na obra de Cristo e não em suas próprias obras.
Eu estaria errando se lhe dissesse que a atividade sexual
fora do casamento não lhe causará problemas sérios. Ainda
que tal atividade pareça bastante provocadora por um
momento, o deixar de seguir os preceitos de Deus referentes
ao sexo é a fórmula para a calamidade. Mas o vir a Cristo, pela
fé, muda as coisas. Quando Deus purifica, santifíca e justifica,
você não é mais a mesma pessoa; e recebe a garantia de um
futuro no céu.
Quando alguém sai do hospital, após uma cirurgia, a
melhora em seu vigor físico torna-se visível a todos. Parece um
novo homem. Mas as cicatrizes ainda estão presentes. Essas
cicatrizes fazem-no recordar o que você era no passado.
Cicatrizes sexuais podem continuar trazendo
recordações, mas os seus erros anteriores não o podem
destruir, se você veio a Cristo. À semelhança de uma lagarta
que deixa o seu casulo, você pode deixar para trás essa
recordação, para sempre.
Onde está a solução?
Quando uma pessoa está doente, o médico prescreve um
medicamento. O que cura o homem ?Éo medicamento ou sua procura
pelo remédio ? Cristo é a única solução para o seu problema de
pecado e de julgamento. Ele é o remédio. Quem, senão Cristo, pode
resgatá-lo e introduzi-lo na família de Deus ? Ele é o único caminho
para Deus. Cristo é um caminho estreito, mas suficiente.
Mas, como você pode responder a Cristo? Através do arrepen-
dimento e da fé. Os próximos capítulos explicam cada uma destas
palavras significativas. É exatamente isto o que você tem de fazer —
arrepender-se e crer em Cristo, com base naquilo que Ele fez por
pessoas como você. Embora a Bíblia descreva o arrependimento e a fé
como graças outorgadas por Deus (pelas quais você deve agradecer-
Lhe), é sua responsabilidade agir. Você saberá que tem estes dons por
meio do seu arrependimento e crença.
Até este momento você ainda não se arrependeu, nem creu.
Você tem optado por esperar. E, se continuar esperando, sempre e
sempre, é claro que você não pretende vir a Cristo. O Senhor disse:
"Buscai o SENHOR enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está
perto " (Isaías 55.6). Há aqueles que buscam a Deus por pouco
tempo, mas nunca O encontram, porque a sua busca é apenas
superficial, e seu amor por si mesmos é permanente.

Capítulo nove
A mudança de mentalidade
O jovem estava morrendo — sem Cristo.

"Eu tenho um hábito", disse ele, enquanto me observava


do leito que havia sido transportado para a sala de estar, a fim
de que ali passasse suas últimas semanas na terra. "Eu sei que
este hábito é pecado e que Deus não o permite. No entanto,
desejo continuar com meu hábito e, sinceramente falando, não
pretendo interrompê-lo. Por outro lado, quero
desesperadamente ir para o céu. Será que posso tornar-me um
cristão?"

Como você responderia esta pergunta?

Eu respondi dizendo que lhe era impossível ser


convertido a Cristo, enquanto amasse seu pecado. É verdade
que todo aquele que vai a Cristo vai com o seu pecado. De
fato, ele se aproxima de Cristo exatamente por causa desse
pecado, isto é, para ser livre dele e de seu terrível resultado.
Mas achegar-se a Cristo e, ao mesmo tempo, amar e agradar o
pecado é totalmente impossível. É como um avião tentando
voar em duas direções!
Eu estava sendo cruel? Não, na realidade eu estava
sendo tão amoroso quanto podia. Eu desejava que o jovem
conhecesse a verdade sobre o arrependimento, porque Jesus
disse: "Eu vo-lo afirmo; se, porém, não vos arrependerdes,
todos igualmente perecereis" (Lucas 13.3).
Quando o apóstolo Paulo subiu a colina de Marte, em
Atenas, para discursar aos filósofos de sua época, ele foi
completamente sincero sobre a necessidade de eles se
arrependerem. Paulo declarou, com ousadia: "Deus.... notifica
aos homens que todos, em toda parte, se arrependam" (Atos
17.30). Se Deus exige arrependimento de todas as pessoas, em
todos os lugares, então, você e eu também estamos incluídos.
O que é arrependimento?

Arrepender-se significa "mudar de mentalidade". Mas


esta mudança não é meramente um novo modo de pensar
acerca de Cristo e da salvação. É muito mais profundo,
afetando as atitudes e ações mais íntimas.
Quando uma pessoa se arrepende, ela se aproxima de
Deus odiando o que antes amava e amando aquilo com o que
ela pouco se importava. Essa intensa mudança na maneira de
pensar sobre o pecado e sobre Cristo resulta em que os crentes
praticam "obras dignas de arrependimento" (Atos 26.20).
Como uma pessoa pensa, assim ela age.
Em certa ocasião, veio a Jesus um homem que
obviamente estava impressionado com o Salvador. Ele
ajoelhou-se para dirigir-Lhe uma pergunta importante: "Que
farei para herdar a vida eterna?" (Marcos 10.17)
A resposta de Jesus foi o inverso do que você poderia
imaginar.
Ele disse: "Sabes os mandamentos: Não matar ás, não adul-
terarás, não furtarás, não dirás falso testemunho, não defraudarás
ninguém, honra a teu pai e tua mãe ".
E o homem respondeu: "Mestre, tudo isso tenho observado
desde a minha juventude".
Mas Jesus, fitando-o, o amou e disse: "Só uma coisa te fal-
ta: Vai, vende tudo o que tens, dá-o aos pobres e terás um tesouro no
céu; então, vem e segue-me".
"Ele, porém, contrariado com esta palavra, retirou-se triste,
porque era dono de muitas propriedades. "
(Marcos 10.20-22)

Você acha que Cristo foi cruel naquilo que exigiu deste
homem? É claro que não. Na realidade, a passagem nos diz
especificamente que Cristo o amou. Mas este homem tinha
outro deus — o dinheiro. Jesus sabia que nenhum homem
pode vir a Ele, enquanto adora outro deus. "Não podeis servir
a Deus e às riquezas" (Mateus 6.24).
O homem queria a vida eterna, mas não o bastante para
abandonar seu deus favorito. Antes, por causa do seu
dinheiro, ele rejeitou a Cristo, embora ficasse triste por não ter
ambos.
Cristo mostrou ao homem que, embora fosse alguém
que tinha a seu favor a obediência à Lei de Deus, ele realmente
era um transgressor da lei. Afinal de contas, ele transgrediu o
primeiro mandamento: "Não terás outros deuses diante de
mim" (Êxodo 20.3).
Esta história é a ilustração de um homem que precisava
arrepender-se, assim como o jovem mencionado no início
deste capítulo. Infelizmente, ambos os homens, pelo que sei,
recusaram-se a abandonar seus deuses baratos em favor de vir
a Cristo. Por conseguinte, tanto um como o outro foram para o
inferno.
Você lembra o que Jesus disse: "Se, porém, não vos
arrepen-derdes, todos igualmente perecereis" (Lucas 13.3)? Ele
exige arrependimento de sua parte, assim como o exigiu destes
dois homens que morreram.
Você tem de rejeitar seus deuses, quaisquer que sejam
eles — dinheiro, sexo, esportes, hábitos pecaminosos,
passatempos, relacionamentos e seu próprio "eu" — qualquer
coisa que dispute com Cristo o lugar legítimo em sua vida. O
que pode ser bom e belo sob a autoridade de Deus, torna-se
um ídolo condenado, se você o amar mais do que a Cristo.
Você se arrependerá e virá a Cristo, pela fé? Ou,
obstinadamente, ficará apegado a um deus que o arrastará ao
inferno, para sempre?
Cristo não é cruel em seu oferecimento. Ele lhe dá vida
abundante, perdão de todos os pecados, o Espírito Santo, para
viver em você, uma família de crentes amáveis, entendimento
do maior livro jamais escrito e vida eterna no céu — tudo isso
em troca do arrependimento.
Até mesmo um cão reconhece a diferença entre um
velho e rançoso osso de galinha, em sua boca, e um bife fresco
e suculento diante dele.

Arrependa-se agora e venha a Cristo.

Capítulo dez
Tentando ou Confiando
Fiquei perplexo. Eu estava explicando a um grupo de
cientistas nucleares a diferença entre tentar obter a salvação
por nossas obras e confiar em Cristo, para obtê-la. Eu pensava
que estava sendo excepcionalmente claro. Todavia, quando eu
estava saindo do local, um homem veio agradecer-me e
observou: "Suponho que preciso tentar arduamente ser um
cristão". Ele ficara sem entender completamente o assunto. Por
que não pôde entender minha explanação?
Ele tinha muita esperança de alcançar a Deus através do
seu esforço humano, assim como o ônibus espacial alcança o
céu. Sem a ajuda do Espírito Santo e a compreensão fornecida
unicamente pela Bíblia, toda pessoa argumenta que tem de
obter o favor de Deus. Mas a Bíblia não diz isso. Ela ensina que
a salvação é um dom — "Não de obras, para que ninguém se
glorie" (Efésios 2.9).
O patriarca Abraão descobriu que ser aceito como justo
diante de Deus (o que chamamos justificação) não acontece
por nossas boas obras, e sim através do oposto — pela fé
somente. Esta fé não está no que fazemos por Deus, e sim no
que Cristo fez por nós.

"Porque, se Abraão foi justificado por obras ", disse Paulo,


"tem de que se gloriar, porém não diante de Deus. Pois que diz a
Escritura ? Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado para
justiça. "
(Romanos 4.2-3)

Se você pudesse ser aceito por Deus com base em suas


obras, você teria motivo para orgulhar-se. Significaria que
você nunca peca. Portanto, visto que não conhecemos
ninguém que seja perfeito, exceto Cristo, o caminho das
"obras", para conduzir ao céu, é um caminho impossível. Mas
existe um caminho possível para sermos justificados — por
meio da crença ou da fé, como Abraão.
Uma vez, no final de uma refeição, com alguns amigos,
perguntei-lhes: "Onde está a conta? Gostaria de pagá-la".
"Você não pode pagá-la", um de meus amigos disse. "Não, por
favor", eu insisti, pensando que ele estava apenas sendo cortês.
"Você não pode pagar", ele esclareceu, "porque a conta já foi
paga!"
Eu devia ter tentado pagar a conta, de alguma maneira?
Ainda que eu pudesse forçar o caixa a receber algum dinheiro,
isto não mudaria a conta. Ela foi paga por outro, e nada
poderia alterá-la. Em vez disso, acreditei em sua palavra e
fiquei tranqüilo quanto ao que havia sido feito por mim.
Cristo pagou totalmente a dívida daqueles que são seus.
Quando Ele sofreu e morreu no Calvário, Ele fez tudo que
poderia ser feito pelo pecado do homem. Este foi o maior ato
possível da graça de Deus. Pensar que você pode ser aceito por
seus próprios esforços em ser bom, menospreza a cruz de
Cristo. Paulo disse: "Não anulo a graça de Deus; pois, se a
justiça é mediante a lei, segue-se que morreu Cristo em vão"
(Gaiatas 2.21).
Se você tem de ser justificado ou aceito como justo
diante de Deus, terá de ser nos termos de Deus, por meio da fé
em Cristo e naquilo que Ele fez por você. "Tentar ser um
cristão" é um insulto a Deus e uma maneira de desprezar o que
Cristo fez na cruz.
Alguns amigos meus assistiram a um evento
catastrófico sobre uma colina bem acima do rio Guadalupe, no
Texas. Um ônibus cheio de estudantes do Ensino Médio havia
descido a colina para cruzar uma ponte logo abaixo. Por causa
das chuvas torrenciais ocorridas rio acima, a ponte estava
coberta de água, mas, contando com a altura das rodas do
veículo, o motorista achou que seria fácil passar por ela.
Todavia, quando estavam na metade da ponte uma parede de
água chocou-se contra a lateral do ônibus e o tombou sobre a
impetuosa corrente.
Logo os estudantes estavam tentando sair do ônibus
submerso. Alguns conseguiram, outros não. Os que saíram
foram rapidamente levados rio abaixo, tentando agarrar-se às
pedras onde poderiam ter um lugar de apoio. Eles não podiam
agüentar mais.
Helicópteros da base militar de Santo Antônio
chegaram no lugar em poucos instantes. Um cabo do
helicóptero foi rapidamente lançado ao redor dos estudantes,
tornando-lhes possível serem erguidos e postos sobre a terra
seca um pouco mais adiante.
Uma menina estava quase enlouquecida de medo.
Quando o soldado chegou até ela, foi com muita dificuldade
que conseguiu pôr-lhe os cintos. Enquanto estava sendo içada
ao ar, bem acima do chão, agitava os braços de modo frenético
— tão intensamente, que acabou se soltando dos cintos que a
prendiam. Meus amigos viram quando ela mergulhou para a
morte lá embaixo.

Se ela tivesse apenas confiado,


poderia ter sido salva.
Deus nunca recompensará o esforço próprio que você
fizer para salvar a si mesmo. Ele não permitirá que você faça
da cruz algo sem significado. Ele não se obrigará a salvá-lo,
porque você fez o que acreditava serem boas obras. No
entanto, existe um caminho possível por causa de Cristo — o
caminho da fé.
"Ora, ao que trabalha, o salário não é considerado como favor,
e sim como dívida. Mas, ao que não trabalha, porém crê naquele que
justifica o ímpio, a sua fé lhe é atribuída como justiça."
(Romanos 4.4-5)
O que está acontecendo?
O que aconteceu, enquanto você estava lendo este livro ? Des-
cobriu que Deus o está chamando para Si mesmo ? Você está ansioso
por seguir a Cristo?
Este capítulo final pode ajudá-lo a entender o que está aconte-
cendo. Depois de ler este capítulo, gaste alguns dias na leitura do
Evangelho de João, usando o plano "21 dias com Deus "; isto o aju-
dará muito a entender o que está acontecendo. Ninguém deve rejeitar
a Cristo, sem antes ler suas palavras. As próximas páginas podem
ser as mais importantes para você.

Capítulo onze
O que farei?
Se você leu até este ponto, mostrou um sério interesse
no assunto mais crítico que já enfrentou. O que você deve fazer
agora?
Em certo sentido, esta pergunta não foi formulada
corretamente. Aquele que verdadeiramente busca a Deus
torna-se um cristão autêntico, porque Deus faz algo, criando o
desejo por Ele e aversão para com o pecado. Se Deus estiver
agindo, você rejeitará sua independência e virá a Ele; porá sua
confiança nEle, porque não existe nada mais nem ninguém em
quem confiar para ser salvo. Você O amará, porque Ele lhe é
irresistível.
Você rejeitará sua vida de desobediência e autonomia,
porque não poderá mais amar esse tipo de vida. O seu
interesse nesse tipo de vida morreu, e você não pode
ressuscitá-lo. Você não pode amar o que agora despreza. Pode
amar somente aquilo que se tornou amável para você.
Em certa ocasião, uma grande multidão que seguia a
Jesus, para observar seus milagres e ouvir sua sabedoria,
voltou-Lhe as costas e O abandonou, por causa do que Ele lhes
disse. Eles não podiam mais apreciar ou aceitar aquilo que
Jesus estava dizendo. Estes discípulos (significando apenas
"seguidores", mas não verdadeiros cristãos, nesta passagem)
não puderam acreditar na verdade sobre Cristo. Eis o que
aconteceu:

"E prosseguiu: Por causa disto, é que vos tenho dito: nin-
guém poderá vir a mim, se, pelo Pai, não lhe for concedido.
À vista disso, muitos dos seus discípulos o abandonaram ejá
não andavam com ele. Então, perguntou Jesus aos doze: Porventura,
quereis também vós outros retirar-vos? Respondeu-lhe Simão Pedro:
Senhor, para quem iremos ? Tu tens as palavras da vida eterna; e nós
temos crido e conhecido que tu és o Santo de Deus. "
(João 6.65-69)
O Espírito Santo havia cativado a mente destes homens
(exceto Judas, sobre o qual Jesus falou em seguida); e eles não
puderam fazer outra coisa, exceto crer e seguir a Cristo. Este
fato é significativo para você.
Você pode estar dizendo a mesma coisa. Agora que
você leu e pensou a respeito, quando lhe dirigimos a pergunta,
você pode dizer: "Eu, realmente, creio em Cristo e, com
alegria, rejeito o viver de maneira independente dEle"? Você
pode dizer: "Não ponho qualquer esperança em nada além de
Cristo, para a minha salvação"? Você está disposto e
verdadeiramente feliz, porque o benevolente Deus é o Senhor
de sua vida sem rebelião? Você deseja segui-Lo, quer na
dificuldade, quer na facilidade, durante toda a sua vida?

Estas são afirmações de um verdadeiro filho de Deus.

Se isto é verdade a seu respeito, você deve contá-lo a


outra pessoa, alguém que seja espiritualmente sábio. Um
amigo crente, um pastor ou um professor de estudos bíblicos
devem ser informados sobre a mudança que ocorreu em sua
maneira de pensar. Peça-lhes que o ajudem a começar sua
nova vida em Cristo.
À medida que você prosseguir em sua nova vida em
Cristo, perceberá os resultados desta obra de Deus em suas
atitudes e comportamento. Você não será perfeito enquanto
não chegar ao céu, mas reconhecerá que o pecado e o senhorio
de Cristo não significam o que você costumava pensar.
Quando você pecar, clamará a Deus para que o mantenha
puro e lhe dê forças para resistir as tentações. Ele é capaz e
está disposto a ajudá-lo.
Você terá o desejo de encontrar uma igreja que
apreciará o que aconteceu com você e o guiará. Você desejará
ser fiel naquela igreja, fazendo perguntas e aprendendo tudo
que lhe for possível. Conforme você sabe, nem todas as igrejas
são iguais. Pelo menos, tente encontrar uma igreja que aceita
com seriedade o que Deus afirma sobre a salvação pela fé (e
não pela obras) e que ensina a Bíblia com fidelidade.
É muito importante que você leia a Bíblia e ore. Neste
livro, encontra-se um guia para a leitura do Evangelho de João
e do restante do Novo Testamento. Será bastante proveitoso
que você se reúna com um dos líderes da igreja ou com um
amigo crente que ouça as suas perguntas e converse com você
a respeito deste grande livro — a Bíblia. Você se sentirá
agradecido por tudo que aprender.
Enquanto você lê a Bíblia, descobrirá que os novos
convertidos a Cristo foram batizados nas águas, como seu
primeiro ato de alegre obediência a Cristo. Jesus disse que
você deve ser batizado, como um testemunho exterior e
simbólico de sua nova vida em Cristo. A igreja que você
freqüentará pode instruí-lo no conhecimento das Escrituras, no
que diz respeito a esta importante e notável maneira de
expressar sua fé.
Fale com seus amigos e familiares sobre o que você
encontrou em Cristo. Você os amará de um modo que, talvez,
nunca os amou antes. Deus pode usá-lo para ajudá-los a
entender a vida em Cristo.
O Senhor Jesus deu a seguinte comissão aos seus
seguidores. Você encontrará nestas palavras o plano que deve
realizar durante toda a sua vida:

"Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide, por-


tanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do
Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as
coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias
até à consumação do século."
(Mateus 28.18-20)
Capítulo doze
21 dias com Deus
Você está começando uma aventura para os próximos
21 dias.
Nestes dias, você procurará encontrar-se com Deus
mesmo, através da oração e do estudo de Sua Palavra. O ponto
de início é o Evangelho de João, o evangelho do coração de
Cristo.
Antes de começar estes dias estimulantes, gaste alguns
minutos lendo as seguintes instruções. A cada dia, você deve:

• Iniciar com uma breve oração, pedindo a Deus que


o ajude a compreender sua Palavra.

• Escrever a data no espaço em branco. Se você perder


a leitura de um dia, não tente compensá-la lendo o material de
dois dias em apenas um. Comece exatamente onde você
parou.

• Ler o capítulo do Evangelho de João designado


para aquele dia. Geralmente, é melhor ler a Bíblia pela manhã,
mas você pode achar mais proveitoso fazê-lo à noite, antes de
dormir. É útil reler várias vezes a passagem completa, se lhe
for possível. Você gastará 21 dias para ler todo o Evangelho de
João.

• Descrever algo especial que aprendeu dos


versículos lidos.
Você pode descobrir exemplos para inspirá-lo, promessas
para animá-lo, ordens para adverti-lo, ensinos para instruí-lo e
fatos que o surpreenderão!

• Sublinhar em sua Bíblia o versículo que você mais


gosta. Reserve alguns momentos tranqüilos para meditar neste
versículo.
Fixe nele o seu coração. Escreva-o no espaço designado
"Versículo que eu mais gosto".

• Recordar suas perguntas. Peça a Deus que o ajude a


encontrar as respostas de que necessita; e, se você tiver um
amigo ou conselheiro capaz de ajudá-lo, peça-lhe que, a cada
semana, converse com você sobre suas perguntas e idéias.

• Terminar com um momento de oração o seu tempo


a sós com Deus. Talvez você queira manter uma lista com os
nomes de pessoas e necessidades especiais que você não pode
esquecer. Quando orar, inclua agradecimentos e louvores a
Deus!

• Dia_______________Leia João 1
Algo importante que aprendi:______________________

Versículo que eu mais gosto:________________________


Uma pergunta a considerar: ________________________

• Dia_______________Leia João 2
Algo importante que aprendi:_______________________
Versículo que eu mais gosto:________________________
Uma pergunta a
considerar:_________________________

• Dia_______________Leia João 3
Algo importante que aprendi:_______________________
Versículo que eu mais gosto:________________________
Uma pergunta a
considerar:_________________________

• Dia_______________Leia João 4
Algo importante que aprendi:_______________________
Versículo que eu mais gosto:________________________
Uma pergunta a considerar:________________________

• Dia_______________Leia João 5
Algo importante que aprendi:_______________________
Versículo que eu mais gosto:________________________
Uma pergunta a considerar:________________________

• Dia_______________Leia João 6
Algo importante que aprendi:_______________________
Versículo que eu mais gosto:________________________
Uma pergunta a
considerar:_________________________

• Dia_______________Leia João 7
Algo importante que aprendi:_______________________
Versículo que eu mais gosto:________________________
Uma pergunta a considerar:________________________

• Dia_______________Leia João 8
Algo importante que aprendi:_______________________
Versículo que eu mais gosto:________________________
Uma pergunta a considerar:________________________

• Dia_______________Leia João 9
Algo importante que aprendi:_______________________
Versículo que eu mais gosto:________________________
Uma pergunta a considerar:________________________

• Dia_______________Leia João 10
Algo importante que aprendi:_______________________
Versículo que eu mais gosto:________________________
Uma pergunta a considerar:________________________

• Dia_______________Leia João 11
Algo importante que aprendi:_______________________
Versículo que eu mais gosto:________________________
Uma pergunta a considerar: ________________________

• Dia_______________Leia João 12
Algo importante que aprendi:_______________________
Versículo que eu mais gosto:________________________
Uma pergunta a considerar: ________________________

• Dia_______________Leia João 13
Algo importante que aprendi:_______________________
Versículo que eu mais gosto:________________________
Uma pergunta a considerar: ________________________

• Dia_______________Leia João 14
Algo importante que aprendi:_______________________
Versículo que eu mais gosto:________________________
Uma pergunta a considerar: ________________________

• Dia_______________Leia João 15
Algo importante que aprendi:_______________________
Versículo que eu mais gosto:________________________
Uma pergunta a
considerar:_________________________

• Dia_______________Leia João 16
Algo importante que aprendi:_______________________
Versículo que eu mais gosto:________________________
Uma pergunta a
considerar:_________________________

• Dia_______________Leia João 17
Algo importante que aprendi:_______________________
Versículo que eu mais gosto:________________________
Uma pergunta a considerar: ________________________

• Dia_______________Leia João 18
Algo importante que aprendi:_______________________
Versículo que eu mais gosto:________________________
Uma pergunta a
considerar:_________________________

• Dia_______________Leia João 19
Algo importante que aprendi:_______________________
Versículo que eu mais gosto:________________________
Uma pergunta a
considerar:_________________________

• Dia_______________Leia João 20
Algo importante que aprendi:_______________________
Versículo que eu mais gosto:________________________
Uma pergunta a
considerar:_________________________

• Dia_______________Leia João 21
Algo importante que aprendi:_______________________
Versículo que eu mais gosto:________________________
Uma pergunta a
considerar:_________________________

Sugestões para a leitura completa do Novo Testamento

• Se você decidir ler um capítulo por dia, terminará o


Novo Testamento em menos de nove meses! Mas, se decidir
que é melhor separar dois ou três dias para ler alguns
capítulos, isso também é perfeitamente correto.
• Não permita que nada o impeça de observar esse
tempo importante, a cada dia. "Organize o seu dia em torno da
Palavra."

• Se você perder em um dia, não tente compensá-lo.


Recomece onde você parou.

• Talvez você decida ler os livros do Novo Testamento


em uma ordem diferente daquela em que foram dispostos na
Bíblia. Alguns livros são mais difíceis e mais extensos do que
outros. Apenas procure terminar a leitura de cada livro que
você começou, antes de passar a outro livro.

• Tenha seu próprio caderno de anotações, a fim de


registrar o que aprendeu. Inclua "Algo especial que aprendi",
"Versículo que eu mais gosto" e "Uma pergunta a considerar",
para cada parte lida das Escrituras. Acrescente uma seção para
sua lista de oração. Você pode querer personalizar seu plano,
de modo que lhe seja mais adequado.

• Não tenha receio de escrever em sua Bíblia.

• Quando você completar o Novo Testamento,


certamente estará preparado para ler mais, incluindo o Antigo
Testamento. O Senhor o guiará a definir que quantidade de
leitura é melhor para você. Leia fielmente e continue a
registrar suas descobertas no seu caderno de anotações. Talvez
um capítulo por dia, em cada Testamento, seria melhor (ou até
dois capítulos, se Deus assim o guiar); todavia, não se obrigue
a fazer mais do que pode. Deus não está com pressa. Ele está
interessado em qualidade.

• Peça ao Senhor que lhe conceda a oportunidade de


encorajar alguém, apresentando-lhe este livro: Ao Encontro de
Deus — Um Guia para os que Verdadeiramente Buscam a Deus.

Deus pode usá-lo para ajudar um amigo a compreender


como encontrar a vida em Cristo.

Contracapa
Muitos, em nossos dias, estão à procura de algum
sentido para sua vida. Dedicam seu tempo e atenção à busca
incessante e inquieta de respostas para perguntas como: "Onde
está Deus?" Esta busca, não raras vezes, termina no
conformismo de respostas superficiais e muitas vezes falsas
que várias seitas oferecem àqueles que procuram a Deus.
Este livrete indica o caminho através do qual o
verdadeiro Deus pode ser encontrado. No entanto, é
necessário compreendermos que esta não é uma tarefa fácil,
nem existe um passe de mágica capaz de nos colocar diante de
Deus. Certo pregador do século XVIII, chamado George
Whitefield, disse: "O quê?! Alcançar o céu com suas próprias
forças? Seria mais fácil você tentar subir até à lua em uma
corda de areia!"