Você está na página 1de 6
BBBBIIIIOOOOLLLLOOOOGGGGIIIIAAAA 1 Devido ao fato de serem muito simples em termos de organização, podemos afirmar
BBBBIIIIOOOOLLLLOOOOGGGGIIIIAAAA
1
Devido ao fato de serem muito simples em termos de
organização, podemos afirmar que os vírus provavel-
mente tiveram sua origem antes do surgimento das
primeiras células procarióticas.

a) A afirmação apresentada pode ou não ser conside- rada válida?

b) Justifique sua resposta.

Resolução

a) A afirmação não é válida.

b) Os vírus são parasitas obrigatórios de células proca- rióticas e eucarióticas.

2 Os quadrinhos retirados da Folha de S.Paulo (03.10.2001) fazem referência ao exoesqueleto.
2
Os quadrinhos retirados da Folha de S.Paulo
(03.10.2001) fazem referência ao exoesqueleto.

a) O exoesqueleto é uma característica exclusiva dos insetos? Justifique.

b) Cite uma vantagem e uma desvantagem adaptativa decorrentes da presença do exoesqueleto.

Resolução

a) Não. O exoesqueleto é encontrado também em ou- tros artrópodes, como aracnídeos e crustáceos, além de ocorrer em alguns moluscos e celentera- dos.

além de ocorrer em alguns moluscos e celentera- dos. b) Uma vantagem é a proteção contra
além de ocorrer em alguns moluscos e celentera- dos. b) Uma vantagem é a proteção contra
além de ocorrer em alguns moluscos e celentera- dos. b) Uma vantagem é a proteção contra

b) Uma vantagem é a proteção contra agentes mecâni- cos e desidratação. Uma desvantagem é dificultar o crescimento.

desidratação. Uma desvantagem é dificultar o crescimento. 3 Nos vertebrados, a presença de ovos com casca
desidratação. Uma desvantagem é dificultar o crescimento. 3 Nos vertebrados, a presença de ovos com casca

3

3

Nos vertebrados, a presença de ovos com casca repre- sentou um grande avanço em termos de adaptação evolutiva.

a) Esse caráter está presente em quais grupos de ver- tebrados?

b) Que novidade evolutiva substituiu a função desem- penhada pelos ovos com casca? Comente sobre uma provável conseqüência do surgimento desse caráter.

Resolução

conseqüência do surgimento desse caráter. Resolução a) Nas classes dos répteis e das aves. Ocorre também
conseqüência do surgimento desse caráter. Resolução a) Nas classes dos répteis e das aves. Ocorre também
conseqüência do surgimento desse caráter. Resolução a) Nas classes dos répteis e das aves. Ocorre também

a) Nas classes dos répteis e das aves. Ocorre também em alguns mamíferos, exs.: ornitorrinco e equidna.

também em alguns mamíferos, exs.: ornitorrinco e equidna. b) A novidade evolutiva foi a placenta. Ela
também em alguns mamíferos, exs.: ornitorrinco e equidna. b) A novidade evolutiva foi a placenta. Ela

b) A novidade evolutiva foi a placenta. Ela realiza várias funções como: nutrição, respiração, excreção, se-

OOOOBBBBJJJJEEEETTTTIIIIVVVVOOOO

UNIFESP (Prova de Conhecimentos Específicos) Dezembro/2001

creção hormonal e imunização, substituindo várias funções que eram exercidas por outros anexos em- brionários (córion, alantóide) e permitindo o desen- volvimento completo do embrião no interior do orga- nismo materno.

completo do embrião no interior do orga- nismo materno. 4 Mamíferos e angiospermas são considerados grupos
completo do embrião no interior do orga- nismo materno. 4 Mamíferos e angiospermas são considerados grupos
4
4
completo do embrião no interior do orga- nismo materno. 4 Mamíferos e angiospermas são considerados grupos

Mamíferos e angiospermas são considerados grupos

de grande sucesso adaptativo, em parte, devido aos seus mecanismos de reprodução. Com relação à re- produção sexuada,

a) descreva como ocorre a fecundação num mamífero.

b) descreva como ocorre a fecundação numa angios- perma.

Resolução

a) A fecundação em um mamífero é interna. Através da copulação, o macho elimina espermatozóides no interior da vagina da fêmea. Os gametas masculinos movimentam-se por quimiotactismo até alcançar o óvulo, fecundando-o. O desenvolvimento embrioná- rio ocorre no útero materno. b) A fecundação de uma angiosperma ocorre no inte- rior da flor, mais precisamente no interior do ovário, onde estão localizados os óvulos. Cada óvulo con- tém os gametas femininos: oosfera e núcleos pola- res. O pólen cai sobre o estigma e germina, for- mando o tubo polínico, que transporta os gametas masculinos, chamados núcleos espermáticos. O tubo polínico cresce, atinge o ovário e penetra no óvulo, onde ocorrerá uma dupla fecundação:

• 1º núcleo espermático + oosfera zigoto 2N • 2º núcleo espermático + núcleos polares zigoto 3N O zigoto 2N formará o embrião e o zigoto 3N, o en- dosperma secundário ou albúmen.

e o zigoto 3N, o en- dosperma secundário ou albúmen. 5 A Síndrome de Down caracteriza-se
e o zigoto 3N, o en- dosperma secundário ou albúmen. 5 A Síndrome de Down caracteriza-se
e o zigoto 3N, o en- dosperma secundário ou albúmen. 5 A Síndrome de Down caracteriza-se
e o zigoto 3N, o en- dosperma secundário ou albúmen. 5 A Síndrome de Down caracteriza-se
e o zigoto 3N, o en- dosperma secundário ou albúmen. 5 A Síndrome de Down caracteriza-se
5 A Síndrome de Down caracteriza-se pela presença de um cromossomo 21 a mais nas
5
A Síndrome de Down caracteriza-se pela presença de
um cromossomo 21 a mais nas células dos indivíduos
afetados. Esse problema pode ser decorrente da não-
disjunção do cromossomo 21 em dois momentos
durante a formação dos gametas. Considerando a
ocorrência de tal não-disjunção, responda.

a) Em quais momentos ela pode ocorrer?

b) Copie em seu caderno de respostas o quadro e os contornos abaixo; utilize os contornos para repre- sentar uma das duas possibilidades, indicando na lacuna pontilhada qual delas foi escolhida para ser representada.

Não-disjunção ocorrendo em

para ser representada. Não-disjunção ocorrendo em O O O O B B B B J J
para ser representada. Não-disjunção ocorrendo em O O O O B B B B J J

OOOOBBBBJJJJEEEETTTTIIIIVVVVOOOO

UNIFESP (Prova de Conhecimentos Específicos) Dezembro/2001

Resolução a) A não-disjunção do cromossomo 21, que acarreta a síndrome de Down, pode ocorrer

Resolução

a) A não-disjunção do cromossomo 21, que acarreta a síndrome de Down, pode ocorrer na primeira divisão da meiose (etapa reducional) ou na segunda divisão (etapa equacional). b) Considerando o que foi afirmado anteriormente, temos:

b) Considerando o que foi afirmado anteriormente, temos: I) não-disjunção na primeira divisão: II)
b) Considerando o que foi afirmado anteriormente, temos: I) não-disjunção na primeira divisão: II)
b) Considerando o que foi afirmado anteriormente, temos: I) não-disjunção na primeira divisão: II)

I) não-disjunção na primeira divisão:

temos: I) não-disjunção na primeira divisão: II) não-disjunção na segunda divisão: 6 A banana que
temos: I) não-disjunção na primeira divisão: II) não-disjunção na segunda divisão: 6 A banana que
temos: I) não-disjunção na primeira divisão: II) não-disjunção na segunda divisão: 6 A banana que
temos: I) não-disjunção na primeira divisão: II) não-disjunção na segunda divisão: 6 A banana que

II) não-disjunção na segunda divisão:

6
6
divisão: II) não-disjunção na segunda divisão: 6 A banana que utilizamos na alimentação tem origem por
divisão: II) não-disjunção na segunda divisão: 6 A banana que utilizamos na alimentação tem origem por

A banana que utilizamos na alimentação tem origem por partenocarpia, fenômeno em que os frutos são for-

OOOOBBBBJJJJEEEETTTTIIIIVVVVOOOO

UNIFESP (Prova de Conhecimentos Específicos) Dezembro/2001

mados sem que tenha ocorrido fecundação. Existem,

porém, bananas selvagens que se originam por fecun- dação cruzada.

selvagens que se originam por fecun- dação cruzada. a) Uma pessoa perceberia alguma diferença ao comer

a) Uma pessoa perceberia alguma diferença ao comer uma banana partenocárpica e uma banana originada por fecundação cruzada? Justifique.

e uma banana originada por fecundação cruzada? Justifique. b) Qual dos dois tipos de bananeira teria
e uma banana originada por fecundação cruzada? Justifique. b) Qual dos dois tipos de bananeira teria

b) Qual dos dois tipos de bananeira teria maior suces- so na colonização de um novo ambiente? Justifique.

suces- so na colonização de um novo ambiente? Justifique. Resolução a) A banana partenocárpica não apresenta
suces- so na colonização de um novo ambiente? Justifique. Resolução a) A banana partenocárpica não apresenta

Resolução

a) A banana partenocárpica não apresenta sementes, já que seus óvulos não foram fecundados. As bana- nas selvagens surgem de ovários que tiveram óvu- los fecundados, portanto, apresentam sementes.

b) A banana que tem sementes apresenta maior varia- bilidade genética, portanto, tem maior chance de se adaptar a mudanças ambientais.

7

7
tem maior chance de se adaptar a mudanças ambientais. 7 Considere os grandes biomas do Brasil:

Considere os grandes biomas do Brasil:

ambientais. 7 Considere os grandes biomas do Brasil: cerrados, florestas, pampas e caatingas. a) Em qual

cerrados, florestas, pampas e caatingas.

biomas do Brasil: cerrados, florestas, pampas e caatingas. a) Em qual deles espera-se encontrar maior abundân-

a) Em qual deles espera-se encontrar maior abundân- cia de anfíbios?

b) Justifique sua resposta, relacionando as característi- cas do ambiente com as deste grupo de vertebra- dos.

Resolução

a) Florestas.

b) Anfíbios são vertebrados adaptados a ambientes úmidos, típicos de biomas florestais.

a ambientes úmidos, típicos de biomas florestais. 8 Observe a figura e o gráfico. O O
a ambientes úmidos, típicos de biomas florestais. 8 Observe a figura e o gráfico. O O

8

8
a ambientes úmidos, típicos de biomas florestais. 8 Observe a figura e o gráfico. O O

Observe a figura e o gráfico.

de biomas florestais. 8 Observe a figura e o gráfico. O O O O B B

OOOOBBBBJJJJEEEETTTTIIIIVVVVOOOO

UNIFESP (Prova de Conhecimentos Específicos) Dezembro/2001

GRÁFICO DA DISTRIBUIÇÃO PROPORCIONAL DE PESO SECO ENTRE DIFERENTES PARTES DA PLAN- TA "CARDO-MORTO" OU

GRÁFICO DA DISTRIBUIÇÃO PROPORCIONAL DE PESO SECO ENTRE DIFERENTES PARTES DA PLAN- TA "CARDO-MORTO" OU "TASNEIRINHA" (Senecio vulgaris, Compositae), DURANTE SEU CICLO DE VIDA.

( Senecio vulgaris , Compositae), DURANTE SEU CICLO DE VIDA. (Modificado de RICKLEFS, R. A Economia
( Senecio vulgaris , Compositae), DURANTE SEU CICLO DE VIDA. (Modificado de RICKLEFS, R. A Economia
( Senecio vulgaris , Compositae), DURANTE SEU CICLO DE VIDA. (Modificado de RICKLEFS, R. A Economia

(Modificado de RICKLEFS, R.

A Economia da Natureza, 1993.)

(Modificado de RICKLEFS, R. A Economia da Natureza , 1993.) A dade é expressa em termos
(Modificado de RICKLEFS, R. A Economia da Natureza , 1993.) A dade é expressa em termos

A

dade é expressa em termos de "peso seco" (massa seca). Analise o gráfico e responda.

a) No caso das plantas, o "peso seco" (massa seca) nos fornece uma indicação indireta de que processo? Por quê?

b) Considerando os principais eventos na vida de uma planta, explique sucintamente os resultados apre- sentados pelo gráfico.

Resolução

biomassa de um organismo, população ou comuni-

a) A massa seca é uma indicação do fenômeno da fo- tossíntese porque é neste processo que ocorre sín- tese de matéria orgânica. b) No ciclo de vida de uma planta, pode-se observar um período vegetativo e outro de reprodução. No período vegetativo, as raízes armazenam reser- vas produzidas nas folhas durante o fenômeno da fo- tossíntese. As reservas das raízes são translocadas para o caule e flores durante a fase de reprodução. Parte dessas reservas será agora armazenada nas sementes.

Parte dessas reservas será agora armazenada nas sementes. 9 A revista Ciência Hoje (nº 140, 1998)
Parte dessas reservas será agora armazenada nas sementes. 9 A revista Ciência Hoje (nº 140, 1998)
Parte dessas reservas será agora armazenada nas sementes. 9 A revista Ciência Hoje (nº 140, 1998)
Parte dessas reservas será agora armazenada nas sementes. 9 A revista Ciência Hoje (nº 140, 1998)
Parte dessas reservas será agora armazenada nas sementes. 9 A revista Ciência Hoje (nº 140, 1998)

9

9

A revista Ciência Hoje (nº 140, 1998) publicou um ar-

tigo relatando que pesquisadores da Fundação Oswal- do Cruz desenvolveram uma vela preparada com o bagaço da semente de andiroba, cuja queima é capaz de inibir o apetite das fêmeas do mosquito Aedes

é capaz de inibir o apetite das fêmeas do mosquito Aedes aegypti . a) Cite uma

aegypti.

de inibir o apetite das fêmeas do mosquito Aedes aegypti . a) Cite uma doença transmitida

a) Cite uma doença transmitida por este mosquito.

aegypti . a) Cite uma doença transmitida por este mosquito. b) Explique, através do mecanismo de

b) Explique, através do mecanismo de contágio, como

b) Explique, através do mecanismo de contágio, como a vela de andiroba pode colaborar na diminuição
b) Explique, através do mecanismo de contágio, como a vela de andiroba pode colaborar na diminuição

a vela de andiroba pode colaborar na diminuição da proliferação desta doença. Resolução

OOOOBBBBJJJJEEEETTTTIIIIVVVVOOOO

UNIFESP (Prova de Conhecimentos Específicos) Dezembro/2001

a) Dengue e febre amarela.

b) A semente de andiroba ao ser queimada é capaz de inibir o apetite das fêmeas do mosquito, que atacam menos intensamente o ser humano, obtendo uma menor quantidade de proteínas sangüíneas huma- nas e, conseqüentemente, produzindo menor nú- mero de ovos, diminuindo a densidade populacional desse inseto e, portanto, diminuindo também a pro- liferação dessas doenças.

diminuindo também a pro- liferação dessas doenças. O O O O B B B B J
diminuindo também a pro- liferação dessas doenças. O O O O B B B B J
diminuindo também a pro- liferação dessas doenças. O O O O B B B B J
diminuindo também a pro- liferação dessas doenças. O O O O B B B B J
diminuindo também a pro- liferação dessas doenças. O O O O B B B B J
diminuindo também a pro- liferação dessas doenças. O O O O B B B B J
diminuindo também a pro- liferação dessas doenças. O O O O B B B B J

OOOOBBBBJJJJEEEETTTTIIIIVVVVOOOO

O O B B B B J J J J E E E E T T

UNIFESP (Prova de Conhecimentos Específicos) Dezembro/2001