Dicas de Contabilidade 2011

Conteúdo
1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. Introdução ............................................................................................................................. 2 O que é contabilizar?............................................................................................................. 2 Códigos de contas ................................................................................................................. 3 Como registar nas contas? .................................................................................................... 5 Contas começadas por 6, 7 ou 8. .......................................................................................... 7 Contas começadas por 1, 2, 3, 4 e 5...................................................................................... 9 Formas de apresentar os movimentos................................................................................ 14 Exemplos de exercícios ....................................................................................................... 20 Os acréscimos e os diferimentos......................................................................................... 25 Notas finais ...................................................................................................................... 27

Elaborado por Cristina Cardoso

( Versão 1.0)

Página | 1

Dicas de Contabilidade 2011
1. Introdução
Devem considerar estas dicas não como o suficiente para conseguir aprender contabilidade mas, sim alguns “atalhos” que poderão utilizar como complemento da aprendizagem. Os registos na contabilidade são um mundo sem fim. As dicas que aqui deixo servem apenas de base e não devem ser consideradas como regra estanque. Na contabilidade, tudo é possível: creditar contas que por natureza seriam só para debitar, fazer movimentos de correcção fora das regras estipuladas, etc. Mas, para fazer os movimentos básicos (que nos ensinam no 1º ano) estas dicas poderão ajudar.

2. O que é contabilizar?
Todos sabemos que quando abrimos uma actividade, uma empresa, temos de ter contabilidade para podermos obter mapas e listagens, sejam para apresentar à Finanças para que consigam verificar os impostos que pagamos, sejam para apresentar no banco para saber se nos emprestam dinheiro, sejam para analisarmos e sabermos como está a “saúde” da empresa. Esses mapas e listagens só são possíveis de obter porque registámos num determinado local (programa, “livro”) todos os factos relacionados com a nossa actividade (ou quase todos!) Mas, para que todos saibam analisar os dados das actividades, esses registos têm regras e mapas iguais para todos. Conseguem compreender que, se cada entidade registasse os factos à sua maneira, a confusão estaria instalada. Essas regras vêm da Comunidade Europeia, são transpostas para o nosso país pela CNC – Comissão de Normalização Contabilística e chamamse SNC – Sistema de Normalização Contabilística. É a CNC que define os procedimentos a adoptar nas entidades que tenham contabilidade. Assim, um Francês consegue perceber as contas do Espanhol ou do Português e até do Americano. Não vou debruçar-me sobre normas ou sobre casos complicados. O meu objectivo é ensinar a base da contabilização e desenvolver os casos mais comuns. O resto, ficará para depois. Voltando ao registo dos factos relacionados com a nossa actividade, que factos afinal é que precisamos de registar? Ora, todos os que digam respeito aos bens da empresa, ao seu património, aos seus direitos e obrigações. O que se pretende é que, no final, os nossos mapas sejam um “espelho” da nossa empresa. Então contabilizar é o quê? Registar factos da empresa num programa ou “livro”. Elaborado por Cristina Cardoso ( Versão 1.0) Página | 2

Os mapas mais comuns e que vamos “ouvir” falar nesta unidade (e noutras unidades) é o BALANÇO e A DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS.4. Malta. as suas obrigações e os seus resultados. E agora.5. 5. o grupo 1 chama-se Meios financeiros líquidos e contém só contas começadas por 1. colocando em causa a igualdade dos mapas entre as empresas. seja em “livro”. Poderemos observar várias “curiosidades” nesses códigos/contas. Mas antes de passarmos aos mapas.º 1011/2009 de 9 de Setembro (que podemos utilizar em exames e P-Folios) que define os códigos que poderemos utilizar para registar os factos das empresas. 3.3. pelo objectivo: obter mapas que demonstrem a verdadeira imagem da empresa: os seus bens.Dicas de Contabilidade 2011 Assim. 7. 6. os seus direitos. seja em programa. vamos a: 3. se olharmos para o quadro resumo da página 6149 dessa portaria (Peguem na portaria e acompanhem!): Estão formadas por grupos com uma conta-título (1. acho que a melhor forma de ensinar é começar pelo fim. foi publicada a Portaria n. Elaborado por Cristina Cardoso ( Versão 1.2. necessitamos de códigos.6. 4. Meios Financeiros Líquidos Contas a receber e a pagar Inventários e Activos Biológicos Investimentos Capital. Reservas e Resultados transitados Gastos Rendimentos Resultados Como exemplo. só temos 8 grupos de contas para trabalhar! Só!!! ☺ Poderemos observar que esses grupos têm títulos: 1. algo que identifique cada facto de forma a podermos fazer o registo.7 e 8) e dentro de cada uma dessas contas-título. iremos chamar o nome correcto a esses códigos: CONTAS.0) Página | 3 . existem outras contas em que o primeiro dígito é sempre igual à contatítulo do mesmo grupo. Códigos de contas Para podermos contabilizar os factos. E para que cada empresa não crie os seus códigos próprios. 8. 2.

se pretendermos registar na 14 um Derivado (que nem me vou dar ao trabalho de explicar o que é). vê-se a conta mãe 1 “Meios Financeiros líquidos” e as filhas 11. se quisermos fazer um registo na conta 14. que eu criei uma filha para esse efeito!” Ora.0) Página | 4 .epa…mas a 14 desdobra-se em 141 e 1411. podemos faze-lo porque a conta 11 não tem mais contas associadas (contas começadas por 11) mas. que eu criei uma filha para esse efeito!”). como a conta 141 também tem “filhas”. mas. “Ok. As contas com um só dígito são contas-mãe. então só poderemos escolher a 1411 ou 1412 para registar. no caso. 13 e 14…. 12. As contas mãe servem de título e para totalizarem os registos de cada filha! Se eu registo 100€ numa “filha A” da conta “mãe 1” e 50€ numa “filha B” da conta “mãe 1”. 12. “Há! Então registamos os factos na mãe” NÃO!!!! Coitada da mãe! Nada de registar em contas-mãe! O papel das contas-mãe é dizer: “registem abaixo sff. Elaborado por Cristina Cardoso ( Versão 1. optamos pela 141. Como é? Facil! Se as contas ainda têm mais filhas por baixo. a conta “mãe 1” soma 150€ (soma das filhas).Dicas de Contabilidade 2011 Poderemos comparar cada grupo a uma família: a mãe que se chama 1 tem quatro filhas: a 11. não podemos porque ela vai dizer “registem abaixo sff. então registamos nas filhas sempre! Ou seja: Se precisarmos de fazer um registo na conta 11. então se não posso fazer registos em contas com um dígito. faço então na 11 ou na 12 ou na 13 ou na 13.13 e 14.” Espera! Vamos ver primeiro se alguma das filhas decidiu ser mãe também! Vamos ver o quadro das contas completo! Na página 6150 da Portaria: Sim.

0) Página | 5 . Ok! E o que é que os mapas têm a ver com o registo nas contas? Porque vamos fazendo registos de entrada e saída nas contas e no final esses mapas vão só mostrar o saldo das contas! Saldo? Sim. Elaborado por Cristina Cardoso ( Versão 1. nunca registarei numa conta que serve de título (conta mãe)! 4. mas como? Para explicar a movimentação vou começar pelo fim: o que queremos obter? Mapas para análise. as “contas-mãe” que não podem ter registos são as contas. Como registar nas contas? Como já vimos. Vou pensar: Que tipo de registo é? Electricidade? Então é 6241! Publicidade? Então 6222. o saldo é a diferença entre as entradas e saídas de valores que registei nas contas. na contabilidade iremos registar factos em contas. ok? Outro exemplo: preciso de fazer um registo na conta 6 e o código de contas mostra que a conta 6 desdobra-se em (só parte da 6): Quer dizer que terei de escolher sempre uma conta “filha”.Dicas de Contabilidade 2011 E agora poderemos deixar as mães e as filhas e começar a chamar Contas e subcontas! Ou seja. e. Terei sempre de escolher a subconta correspondente ao facto que quero registar mas. as contas filhas são as subcontas.

as contas finais das empresas serão sempre anuais. Os registos estão errados. Obviamente que há gestores que pretendem analisar as contas mensalmente. então preciso de debitar alguma(s) outra(s) conta(s) por 200. Vou mostrar: Conta 11 Entrada de dinheiro 100 Saída de dinheiro 25 Saldo = 75 Saldo = entradas-saídas. ou seja. emitimos os mapas sempre que é preciso mas. vamos precisar de fazer os mapas pelo menos uma vez por ano. então está tudo mal. 100 – 25 = 75 E se agora eu dissesse para substituirmos a palavra entrada por DÉBITO e a palavra saída por CRÉDITO? Faria muita diferença? Nem por isso. ora se regista a débito. Ano? Sim.Caixa” no valor de 100€ e depois registei uma saída de 25€ na mesma “conta 11-Caixa”. A regra é TOTAL DOS REGISTOS A DÉBITO = TOTAL DOS REGISTOS A CRÉDITO Se esta regra não for cumprida.0) Página | 6 . Ou seja é para decorar que NÃO HÁ DEBITO SEM CREDITO! Se vou debitar a conta 11 por 100€. Mas uma coisa é certa. Conta 11 Débito 100 Crédito 25 Saldo = 75 Mas o que é o DÉBITO E O CRÉDITO? Será um tipo de registo nas contas. ora se regista a crédito. logo. as contas das empresas são apresentadas anualmente. Então que mapas me interessam para perceber o registo nas contas? BALANÇO e A DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS. Elaborado por Cristina Cardoso ( Versão 1.Dicas de Contabilidade 2011 Por exemplo: registei uma entrada na “conta 11. por isso. então preciso de creditar outra ou outras conta(s) no valor de 100€. se resolver creditar uma conta por 200. para cada facto que eu registar. o valor que debitar em alguma conta terei de creditar noutra ou noutras e vice-versa. Não precisaremos de definições de débito ou crédito para trabalhar mas sim de perceber a sua utilidade e para isso vamos lá para o fim: os mapas que queremos ter no final de cada ano. o meu saldo é 100-25 = 75€! E são esses 75€ que vão aparecer nos mapas finais. Por outro lado. ou seja. Iremos começar com o mapa mais fácil: A DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS.

certo? Para ter resultados! Então esse mapa só vai demonstrar como se chegou ao resultado. Na página 6008 encontramos o modelo: Então: Na Demonstração de Resultados só colocaremos saldos das contas de resultados.RESULTADOS! Isso mesmo. Temos as empresas para quê? Para ter lucro. Esse título…. o dinheiro e os bens que tem. Trata-se da Portaria n. Contas começadas por 6. nada! Só mostra RESULTADOS. Rendimentos 8. Rendimentos menos os gastos é igual ao resultado! Elaborado por Cristina Cardoso ( Versão 1.Demonstrar resultados…. as contas 6.º 986/2009 de 7 de Setembro. O modelo deste mapa também faz parte da legislação que podemos levar para os Exames/PFolios. Gastos 7. Não vai mostrar as dívidas da empresa. 7 ou 8.0) Página | 7 . Resultados Então o resultado será contas 7 – 6 = 8! Sim.7 e 8! 6.Dicas de Contabilidade 2011 5.demonstra resultados…. ou seja.

vou aumentar a conta 6. logo. no exame poderemos consultar esta demonstração e verificar se não nos enganámos no raciocínio. Por exclusão de partes. Humm…isto aumenta os gastos na empresa… vou aumentar os gastos. Mas é registado a débito ou crédito? QUALQUER AUMENTO NUMA CONTA 7 É REGISTADO A CRÉDITO. os meus rendimentos! Então é conta 7! Aumentar uma conta 7? Então é para creditar! Se. as diminuições são registadas a débito! Contas 7 Débito Diminuições Crédito Aumentos QUALQUER AUMENTO NUMA CONTA 6 É REGISTADO A DÉBITO. então tenho LUCRO Se os Rendimentos forem menores que os gastos. até reparamos que as contas 7 apresentam-se com o sinal “+” e as contas 6 com o sinal “-“. ok. Grande ajuda esta… Em caso de dúvida. então tenho PREJUÍZO! Se estivermos um pouco atentos ao mapa. Elaborado por Cristina Cardoso ( Versão 1.Dicas de Contabilidade 2011 Se os Rendimentos forem maiores que os gastos. depois de registar a venda. então é para registar a débito! Outro exemplo: Vendi 20€ de mercadorias.0) Página | 8 . Por exclusão de partes. o cliente me devolvesse as peças é que teria de diminuir a venda. as diminuições são registadas a crédito! Contas 6 Débito Aumentos Crédito Diminuições Um exemplo: Gastei 50€ em electricidade. debitar. Como será fácil de prever. Então tudo o que registar nas contas 7 é rendimento. no final de cada ano as empresas colocam os saldos de cada uma das contas nesta demonstração e assim podem verificar os seus resultados antes mesmo de fazer o lançamento de apuramento de resultados (que explicarei mais tarde). Há! Vou aumentar as minhas vendas. logo.

para o BALANÇO! Poderemos encontrar o modelo do ontrar Balanço na mesma portaria da Demonstração de Resultados: Portaria n. Mas. 1. creditam-se 6.0) Página | 9 . com calma chegamos lá: O Mapa Balanço está dividido em 3 grupos de contas: As contas do ACTIVO. Contas começadas por 1 2. então o resto vai resto. 3. Elaborado por Cristina Cardoso oso ( Versão 1. esse mapa tantes será um pouco mais complexo.º 986/2009. na página 6007. se um mapa só contempla as restantes contas. Como será compreensível. 7 e 8. PASSIVO e as contas dos CAPITAIS PRÓPRIOS. as contas do . Se a Demonstração de Resultados só contempla as 6.Dicas de Contabilidade 2011 7 6 AUMENTA CRÉDITO DÉBITO AUMENTA Lucro ou Prejuízo 8 Resumo: se sempre! Contas começadas por 6: são sempre gastos e em 99% dos casos debitam-se sempre Contas começadas por 7: são sempre rendimentos em 99% dos casos creditam sempre. 4 e 5.

E isso resultou de acontecimentos passados: eu de facto decidi investir numa máquina antes de a comprar! Por outro lado. por exemplo. é minha e controlada por mim e realmente espero ter benefícios futuros com a máquina: irei usa-la na minha produção. etc. cuja liquidação se espera que resulte num exfluxo de recursos da entidade que incorporam benefícios económicos. e b) Do qual se espera que fluam benefícios económicos futuros para a entidade.CONTAS A RECEBER SÃO ACTIVO 2 . etc..) • REGRA: AS CONTAS 3 – INVENTÁRIOS SÃO ACTIVO Estendendo a história a outras contas: • REGRA: AS CONTAS 1 – MEIOS FINANCEIROS LIQUIDOS SÃO ACTIVO. a compra da minha máquina é um ACTIVO! Este exemplo para perceberem que um INVESTIMENTO é UM ACTIVO! Qual o grupo de contas de investimento? 4! • REGRA: AS CONTAS 4 – INVESTIMENTO SÃO ACTIVO.0) Página | 10 . logo vou vender mais…. Dá para perceber? Confuso…. Sobram as contas 2 e 5: Contas 2.Um recurso…controlado pela empresa…que resultou de um acontecimento passado e do qual se espera que fluam benefícios económicos futuros….CONTAS A PAGAR SÃO PASSIVO A definição de Passivo também é das que precisamos perceber: PASSIVO Um passivo é uma obrigação presente da entidade. este ano comprei uma máquina para o sector produtivo da minha empresa. se a comprei.Dicas de Contabilidade 2011 Um dos conceitos que teremos de aprender é: ACTIVO Um activo é um recurso: a) Controlado por uma entidade como resultado de acontecimentos passados. também podemos concluir que as mercadorias que compramos para vender.CONTAS A RECEBER E A PAGAR Este grupo de contas será o único a desmembrar: • • 2 . definitivamente. proveniente de acontecimentos passados. Bem.e quando não a utilizar mais até a vendo! Sim. também são activo! (não vou repetir a história que decidi comprar. Se continuarmos a história. Elaborado por Cristina Cardoso ( Versão 1.

irei pagar mais tarde. decorrentes das suas operações.3. ou seja. é onde está registado o Capital inicial para constituição da empresa bem como os resultados acumulados dos anos anteriores. PASSIVO E CAPITAL PRÓPRIO. Lembremo-nos que a 8 não desapareceu.2. Onde estão os resultados da empresa? Há! Apurei-os na Demonstração de Resultados.PASSIVO Vemos então que todas as restantes contas 1. ou. o registo do débito e crédito como é? Regra: As contas do ACTIVO DEBITAM-SE PELOS AUMENTOS e por exclusão de partes. creditam-se pelas diminuições As contas do PASSIVO E CAPITAL PROPRIO CREDITAM-SE PELOS AUMENTOS e debitam-se pelas diminuições. Corresponde ao património líquido.Dicas de Contabilidade 2011 O nosso exemplo: O investimento que fiz ao comprar a máquina. a minha dívida é um PASSIVO! Por fim. estão na 8! Ok.4 e 5 vão para o BALANÇO e distribuem-se entre ACTIVO.temos o acontecimento passado (pois comprei a máquina) fiquei com uma obrigação e espero liquidar a dívida mais tarde o que irá originar uma saída (exfluxo!) de dinheiro das minhas contas bancárias. De facto. gerou na altura uma dívida ao fornecedor da máquina que. Será mais fácil ainda perceber: ACTIVO = PASSIVO + CAPITAL PRÓPRIO OU CAPITAL PRÓPRIO = ACTIVO .0) Página | 11 . E a movimentação. Hum…. Em esquema: Elaborado por Cristina Cardoso ( Versão 1. as contas 5: São as contas do CAPITAL PRÓPRIO São os recursos originários dos sócios da entidade. Bah! Confuso!!! É mais fácil perceber: entre outras coisas.

4 e 5): Elaborado por Cristina Cardoso oso ( Versão 1.0) Página | 12 .2. poderemos fazer um quadro resumo: As que entram no BALANÇO (1.Dicas de Contabilidade 2011 ACTIVO CAPITAL PROPRIO AUMENTA DÉBITO AUMENTA CRÉDITO PASSIVO AUMENTA CRÉDITO Agora que já explorámos as regras de movimentação de todas as contas.3.

não incluí a 8 no Balanço. quando fizermos o apuramento de resultados e encerramento de contas irão perceber como ela se movimenta. ela entra em ambos os mapas mas.Dicas de Contabilidade 2011 E as que entram na DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS (6. 7 e 8): Sendo: De propósito. Elaborado por Cristina Cardoso ( Versão 1.0) Página | 13 . Na realidade.

Dicas de Contabilidade 2011 7. factura Conta 12 21 Nome Depósitos à ordem Clientes Valor Débito Crédito 100.00 100.100€ Ou De 12…. Formas de apresentar os movimentos Há muitas formas de demonstrar um registo na contabilidade. então.Depósitos à Ordem no valor de 100€ CRÉDITO NA CONTA 21 – Clientes no valor de 100€ Verificação: “O total registado a débito está igual ao total dos registos a crédito?” Sim.. Sem me pronunciar acerca destes termos.. factura Pagto. e sabemos que as contas do activo debitam-se pelos aumentos e creditam-se pelas diminuições. ensinam-nos que o registo pode ser feito no Livro-Diário ou no Livro-Razão.100€ C21…..100€ A 21……100€ Ou 12 A 21……. No 1º Ano. debitei 100€ e creditei 100€. Tomando como exemplo o lançamento: O cliente pagou uma factura por transferência bancária no valor de 100€ No caso. O registo seria: DÉBITO NA CONTA 12. Estamos a funcionar com contas do Activo (conta 1 e conta 2 – clientes). precisamos de demonstrar uma entrada no banco e uma saída do cliente. não falta nada.0) Página | 14 .00 Elaborado por Cristina Cardoso ( Versão 1.100€ Sendo sempre o “DE” a conta a debitar e o “A” a conta a creditar. Poderia apresentar este lançamento de várias formas: D12…. apenas demonstro como se faz: Registo no Livro-Diário: Data Dez Dez Operação Pagto.

em T seria apresentado assim: Como poderemos verificar. indicando as contas que estão a ser utilizadas: No exemplo. poderia também mostrar o movimento. D Conta ABC C DÉBITOS na conta ABC CRÉDITOS na conta ABC No princípio.Dicas de Contabilidade 2011 Registo no Livro-Razão: São os chamados T’s. debitei a debitei por 100€ e que a contrapartida (para que os débitos fiquem iguais aos créditos) foi um crédito (“a”) na conta 21. estou a mostrar no T da conta 12 que. No T da conta 21 estou a indicar que a creditei por 100€ e a sua contrapartida foi um débito na conta 12 (“de”). Nome da conta DÉBITOS CRÉDITOS 1) Coloca-se o nome da conta em cima do T. poderemos habituar-nos a colocar a letra D e C em cada T até ficar “automático”. O mesmo exemplo que referi do pagamento do cliente.0) Página | 15 . teremos de criar um T para cada conta diferente que utilizarmos. o valor que queremos registar a crédito dessa conta. Elaborado por Cristina Cardoso ( Versão 1. A título de informação. o valor que queremos registar a débito dessa conta e no lado direito. 2) Regista-se do lado esquerdo. Tal como o nome indica. um T é uma forma de separar os débitos e créditos em cada conta.

Imaginemos que seguidament tinha pago o valor de 75€ de electricidade por cheque. Factura Receb. conta 6 6. crédito na conta banco no valor de 75 .Dicas de Contabilidade 2011 Esta informação adicional poderá ser muito útil quando utilizamos o mesmo T para muitos movimentos.00 175.00 175.00 75.00 75. nformação também poderíamos apresentar essa informação com um número de lançamento: Elaborado por Cristina Cardoso oso ( Versão 1. como ditam as regras O mesmo registo feito nos T’s que também já tínhamos. logo. Electricidade Conta 12 21 6241 12 Nome Depósitos à ordem Clientes FSE: Electricidade Depósitos à ordem Valor Débito 100. Electricidade lectricidade Pagto.00 Crédito 100.00 Total dos débitos igual ao total dos créditos. seguidamente € 1ª Pensamento: “se paguei.” Pegando no Livro-Diário que já tínhamos começado. 75€” 2º Pensamento: “Preciso de um débito para contrabalançar! Electricidade é um custo. Factura Pagto. dado que precisamos sempre de saber qual foi a contrapartida de cada movimento. será: A informação a azul é facultativa. Para ajudar. GASTO. vamos expressar o movimento: Data Dez Dez Dez Dez Operação Receb.0) Página | 16 . logo. é uma saída do banco. mas ajuda a perceber cada um dos movimentos.

seria 100€ devedor (200-100) Saldo da conta 6241 seria: 75€ devedor O saldo da conta 56 apresentava o valor de 700€ credor E se nos pedissem onde colocaríamos estes valores nos mapas Balanço e DR? Ora. Se acharam aqui confuso. então é ACTIVO (Balanço) no valor do saldo 100€.Electricidade 75 € E se agora quiséssemos saber o saldo de cada conta? Fácil: Saldo = débitos . logo. 21. do Capital Próprio (Balanço).Clientes 200 € 100 € (1) (2) 6241 . Elaborado por Cristina Cardoso ( Versão 1. 56 e 6241 (contas 1. Vamos colocar uma informação adicional: A conta clientes já tinha um saldo devedor de 200€ anterior ao pagamento do cliente e o banco estava com um saldo positivo de 500€. 5 e 6 – relembrem lá atrás!).Depósitos à Ordem 500 € 75 € 100 € (2) Saldo inicial: 21 . E como ficaria garantido que o ACTIVO = PASSIVO+CAPITAIS PRÓPRIOS no Balanço? 1) Se eu fizesse o apuramento de resultados ( anular saldos das 6 e 7 por contrapartida da 81) Transferia o saldo das minhas contas 6 (neste caso só temos 1) para a conta de Resultados. Contas 12 – iria para o ACTIVO (Balanço) no valor do seu saldo: 525€ Conta 21 – Como é uma dívida à minha empresa. Conta 62: é um gasto para a Demonstração de Resultados no valor de 75€ (que é o saldo). 2) Pagamento da electricidade no valor de 75€ Saldo inicial: (1) 12.0) Página | 17 . A conta de Resultados Transitados tinha um saldo credor no valor de 700€.créditos Então. Saldo da conta 21 – clientes. voltem lá atrás à parte das contas que entram em cada mapa. o saldo da conta 12-Depósitos à Ordem é: 500+100-75 = 525€ devedor porque o débito é maior.Dicas de Contabilidade 2011 1) Recebimento do cliente no valor de 100€. temos saldos nas contas 12. Conta 56: É uma conta 5. 2.

Claro que se tivesse feito movimentos nas contas 7 de valor superior a 75€.Dicas de Contabilidade 2011 Como o saldo da 6 estava devedor (a débito). Depois de fazermos a Demonstração de Resultados. Mas. As minhas contas 6 ficariam a zeros e a conta 81 mostrava o resultado: um prejuízo no valor de 75€. no momento. terei de o creditar para o transferir. Debitava a conta de resultados (Se em cima creditei. preciso de um debito). passávamos para o Balanço: Elaborado por Cristina Cardoso ( Versão 1. o resultado seria positivo.0) Página | 18 . fazemos de conta que a empresa apenas fez aqueles 2 movimentos e nem sequer tinha Capital inicial ☺.

00 700.00 75.balançar….00 200.00 700.00 875.00 100. Transitados FSE Movimento Débito Crédito 600.00 700.Dicas de Contabilidade 2011 E agora.00 Saldo Débito 525.0) Página | 19 . se nos pedissem para fazer o balancete destes saldos? Balancete? Sim. BALANCETE CONTAS 12 21 56 62 DESIGNAÇÃO Depósitos à Ordem Clientes Res.00 875.00 75.00 Crédito 700.00 100.00 75. Balancete….00 Lá estão os saldos que vão para os mapas! Elaborado por Cristina Cardoso ( Versão 1.Debito = Credito.

então. já sei o débito! É entrada em Caixa – débito de Caixa! Agora terei de descobrir o crédito para contrabalançar: Se vendi. Exemplos de exercícios 1) Vendi a pronto 10€ de produtos da minha loja. não? Como estamos a falar de empresas. então gerei um rendimento para a minha empresa. O cliente pagou em dinheiro.00 Crédito 10.Vendas 10 € Em Diário: Data Operação Conta 11 71 Caixa Vendas Nome Valor Débito 10. os factos que provavelmente irei registar neste grupo serão relacionados com entradas e saídas de dinheiro.00 00-00-00 Venda nº 1 00-00-00 Venda nº 1 Agora com a variante do IVA: Elaborado por Cristina Cardoso ( Versão 1. Há! Gosto deste grupo! Se registar muitos DEBITOS neste grupo é sinal que está a entrar muito dinheiro na minha empresa! Óptimo! ☺ Não irei gostar muito de registar CRÉDITOS neste grupo pagamentos.Meios financeiros” lembra dinheiro. Até porque as “7” creditam-se pelos aumentos e eu estou a aumentar os meus rendimentos. A palavra PAGOU resolve logo metade do meu lançamento: A palavra do grupo de contas “1 . Em T: 11 .Caixa 10 € 71 . é sinal que ando a fazer muitos GOSTO DE DEBITAR CONTAS COMEÇADAS POR 1! SÃO ENTRADAS! NÃO GOSTO DE CREDITAR CONTAS COMEÇADAS POR 1! SÃO SAÍDAS! Então.Dicas de Contabilidade 2011 8. São os meios financeiros que a empresa terá. . uma 7! Vou creditar a 7. se o exercício diz que o cliente PAGOU em dinheiro então eu recebi! Ok.0) Página | 20 .

o IVA é para entregar ao Estado.30€ O valor do IVA é 2. logo vamos receber 12.00 2.30 € 71 .Vendas 10.30.30€ O rendimento continua a ser de 10€ porque o IVA é um imposto que a empresa recebe do 10€ cliente e que terá de entregar ao Estado. logo 10. deduzindo o IVA das facturas que recebeu dos seus fornecedores. Data Operação Conta 11 71 2433 Nome Caixa Vendas IVA Liquidado Valor Débito 12. Débito de caixa de 12.30€.30 = 12. do IVA é sempre registado a c crédito em IVA LIQUIDADO. o valor Estado. O cliente pagou em dinheiro. Teremos sempre um recebimento por caixa e um rendimento mas. € logo: o O cliente pagará 10.IVA Liquidado 2. Voltando ao nosso exemplo.Dicas de Contabilidade 2011 € 2) Vendi a pronto 10€ de produtos da minha loja ao qual acresce o IVA à taxa de 23%.30 € Elaborado por Cristina Cardoso oso ( Versão 1.30 Crédito 10.00 x 23% = 2. estão não será gasto da empresa. Este exemplo é igual ao anterior mas acresce o IVA. como ditam as regras Em T’s seria: 11 .Caixa 12.00+2.0) Página | 21 .00 € 2433 . da liquidado. Não poderá ser uma conta 6 mas sim.30 12. com que valores? A venda é de 10€ mas acresce 23% de IVA. o registo em Diário seria: lo.30 00-00-00 Venda nº 1 00-00-00 Venda nº 1 00-00-00 Venda nº 1 Total dos débitos igual ao total dos créditos. o IVA é registado numa conta 243 que reflectirá os valores a pagar e/ou a receber do Estado.30€ (valor do IVA) . s Assim.30 12. Sendo o IVA um imposto que o cliente pagou e que a empresa terá de entregar ao Estado. uma conta corrente com o Estado que reflecte os valores a receber e a pagar do Estado. Todas as facturas emitidas aos clientes terão IVA a liquidar ao Estado ou seja. Digamos que a empresa é um mero intermediário que entrega ao Estado o IVA que empresa facturou aos seus clientes. Regra. No caso. logo será registado a crédito d 2433 – IVA so.

123% X …………………… 100% para sabermos o valor do rendimento. Se em vez de pagar a pronto.é o valor do rendimento ( venda) conta 71 8. indica-se que os 10€ já incluem o IVA.0) Página | 22 .Caixa 10.00 € 71 . Verificar depois o que têm de creditar para fique débito = crédito.00 Crédito 8. Como valor achar o valor do IVA? 2 Formas: 1) 10. O cliente pagou em dinheiro.13€ .87 10.IVA Liquidado 1.00 00-00-00 Venda nº 1 00-00-00 Venda nº 1 00-00-00 Venda nº 1 Verificar sempre se os totais dos débitos estão iguais aos totais registados a crédito. substituímos a conta 11-Caixa por 21Clientes Elaborado por Cristina Cardoso ( Versão 1. Nota: em caso de dúvida. X x 23% será o valor do IVA O recebimento é 10€. Ou seja. preencher os T’s com os valores óbvios: entrada em caixa é débito na conta caixa.00 / 123% = 8. Registo no diário: Data Operação Conta 11 71 2433 Nome Caixa Vendas Iva Liquidado Valor Débito 10.Vendas 8. pagasse mais tarde.13 1.00 Registo nos T’s: 11 .87€ .será o valor do IVA a liquidar ao Estado – conta 2433.Dicas de Contabilidade 2011 3) Vendi a pronto 10€ de produtos da minha loja com IVA incluído à taxa de 23%.13 € 2433 . 2) Outra forma é regra de 3 simples: Se 10€ ……………………. os 10€ contêm o valor do meu rendimento (no caso rédito) e o IVA.87 € 10. Temos de os separar. Neste caso.13 x 23% = 1.00€/123%= valor do rendimento Valor do rendimento x 23% = valor do IVA 10.

É uma obrigação. Assim. Venderam-me a crédito. Mas. registo a factura numa conta corrente em nome do fornecedor de modo a que consiga controlar as minhas dívidas. Será um IVA que poderei deduzir ao pagamento do IVA que tiver de efectuar. comprei e registei na conta 31. A factura chegou acrescida de IVA no valor de 115€. Vamos pensar: onde irei colocar fisicamente as mercadorias depois de as comprar? Num armazém para mais tarde vender.00 € 2432 . Irei agora transferir as compras que fiz para o meu armazém 32.00 € 22 .Compras 500. 31 . no caso. os movimentos a efectuar são: 31 .00 € Verificar se o total dos débitos = ao total dos créditos. o valor do IVA é sempre registado em IVA DEDUTIVEL.0) Página | 23 . IVA liquidado . passando o saldo das nossas mercadorias para conta 32 – o nosso armazém.Compras 500. Todas as facturas recebidas dos fornecedores que tenham IVA para deduzir. então utilizamos a conta 31 – Compras. conta 2 que se credita para aumentar.Dicas de Contabilidade 2011 4) Comprei 500€ de mercadoria ao fornecedor XPTO que tenciono pagar dentro de 30 dias. estou a comprar mercadorias para depois vender.IVA dedutível 115. Vamos dar um nome ao nosso armazém: Armazém 32. Também informam que a factura tem IVA no valor de 115€. logo será um Passivo. não poderei movimentar Caixa ou Banco mas. logo. Em relação à valorimetria de existências: Se o inventário é permanente indica que cada vez que movimentamos o nosso armazém temos de efectuar movimentos contabilísticos. Então. não vou já pagar a factura. No caso.00 € 500 € 32 – Mercadorias 500 € A conta “compras” fica anulada. Regra.IVA dedutível = IVA a pagar ou a receber.Fornecedores 615. O registo a efectuar quando compramos mercadorias é: Débito da conta 31 – Compras Regra: Se compramos para vender. Elaborado por Cristina Cardoso ( Versão 1.

Assim.000. (Vejam os 2 critérios de valorimetria que existem nos apontamentos. Para registar a depreciação anual da máquina (imaginemos que durasse 5 anos).00 € Como poderemos observar.300. Utilizaremos a conta 271 – Fornecedores de Investimento.Fornecedores de investimentos 12. Assim.000. o gasto é registado de acordo com a vida útil da máquina e à medida que a máquina vai depreciando.Dicas de Contabilidade 2011 Só quando a mercadoria for vendida é que terei de apurar o Custo das mercadorias vendidas. registamos nas contas 4 (no caso 43) o valor de compra da máquina e depois vamos registando a sua depreciação (gasto) de acordo com a sua vida útil. Imagine-se que a empresa não tinha tido grandes vendas. já não vamos considerar a conta “fornecedores”.300.000. São investimento.00 € 271 . irei dar saída da mercadoria do armazém 32 (creditando) e debitar um gasto na 61. registar um gasto neste valor poderia provocar resultados negativos (prejuízo) na empresa.Activo Fixo Tangível 10. logo. 64 . Irei pagar dentro de 30 dias. Não faria sentido registar um rendimento e não ter o custo associado.Depreciações acumuladas 2. quando chegasse a hora de pagar a factura do meu fornecedor. ao registar a venda. Não quero aqui aprofundar questões mas apenas dar dicas para conseguirem perceber os apontamentos que nos deram na UC. Não seria justo comprarmos uma máquina e registar todo o custo no ano de aquisição. porque estamos a efectuar um investimento (conta 4). registamos um gasto (conta 6) por crédito da 438 (depreciações acumuladas).00 € 2.00 € 2432 . sairia dinheiro do banco (credito) e baixaríamos a nossa dívida (debito da 221) 5) Comprei uma máquina para a fábrica no valor de 12.) Regressando ao assunto. Por isso. que deixamos para as aquisições relativas às compras de mercadorias e outros bens e serviços de consumo.300€ (já com IVA incluído). As máquinas e equipamentos que não se destinam a venda e são para uso da empresa e que tenham uma durabilidade superior a um ano dão registadas em Activo Fixo. 43 . é registado na devida conta de IVA dedutível. Ora.0) Página | 24 .00 € Elaborado por Cristina Cardoso ( Versão 1.Gastos de depreciação 438 .IVA dedutível 2. O IVA também é dedutível.

6262 . Também é comum pagar-se um seguro que diz respeito a um período do ano e outro período do ano seguinte. Como ainda não temos a factura e nem pagámos.”: é para creditar! E essa conta fica com o saldo credor à espera que a factura chegue para anular o saldo. gasto = conta 6 e conta 6 é para debitar pelos aumentos. Assim. Registaríamos a débito da 2722 em vez da conta 6. Também é comum receber-se a factura dos telefones em Janeiro do ano seguinte e no final de contas as chamadas foram efectuadas em Dezembro. vamos acrescer nas contas do ano o que falta no ano. ou seja. Em relação ao IVA. se estão nas contas todos os rendimentos e gastos da empresa.0) Página | 25 . quando fossemos contabilizar a factura em Janeiro.Credores por acréscimos de gastos 50.00 € Reparem que a própria conta 2722 diz “CREDORES POR ACRÉSCIMOS …. as suas obrigações. etc. ou seja. Como? O nosso objectivo é registar em Dezembro o gasto de 50€ de telefones. O objectivo é que o resultado de cada ano reflicta os factos ocorridos nesse ano e não esteja influenciado com valores de outros anos. o nosso crédito só poderá ser: 2722 – Devedores e credores por acréscimo de gastos.Comunicação 2722 . Imagine-se que esperamos uma factura de 50€ + IVA em Janeiro relativa às chamadas de Dezembro. logo. em Dezembro. as empresas têm de verificar se as contas desse ano estão completas. não poderíamos registar novamente o gasto (que era de Dezembro).Dicas de Contabilidade 2011 9. O exemplo dos telefones cuja factura só chega em Janeiro. O caso mais comum é a renda que se costuma pagar em Dezembro e que diz respeito ao mês de Janeiro do ano seguinte. Elaborado por Cristina Cardoso ( Versão 1. não há qualquer registo a efectuar em Dezembro dado que o IVA só poderá ser dedutível quando recebermos a respectiva factura. Se estamos a contabilizar em Dezembro. ACRÉSCIMOS: ENTRA NO ANO O QUE É DO ANO! Acréscimos: Tal como o nome indica. Os acréscimos e os diferimentos SAI DO ANO O QUE NÃO É DO ANO! ENTRA NO ANO O QUE É DO ANO! No final de cada ano.00 € 50. então teremos de ACRESCER esse valor nas contas de Dezembro. teremos de ter o cuidado de verificar se todos os custos e proveitos do ano são efectivamente desse ano e verificar que haverá custos para entrar no ano que estamos a encerrar.

Se vou registar (acrescer às contas) um proveito (rendimento/rédito) que só chega no ano seguinte.000€. logo. Dividimos os 1000€ por 12 meses e multiplicamos por 4 e sabemos o valor do gasto de 2010. A conta diz: “DEVEDORES POR ACRÉSCIMOS…” : é para debitar! Não precisamos de decorar mas pensar: Se vou registar (acrescer às contas) um gasto que só chega no ano seguinte.Dicas de Contabilidade 2011 E se detectássemos que faltava nas contas uma indemnização de um seguro a nosso favor relativo a um sinistro que tinha ocorrido em Novembro? Iríamos registar esse rendimento (conta 7 – crédito) e debitaríamos a conta 2721 – Devedores por acréscimos de rendimentos. É fácil: vamos ver quantos dias (ou meses) do seguro se refere a 2010 e quantos dias (ou meses) do seguro se refere ao ano de 2011. Registamos o gasto de 2010 e DIFERIMOS o valor para 2011.0) Página | 26 .00 € 281 . no valor de 1. é de 2011. lógico!) e a contrapartida tem de ser um débito! Só poderá ser a 2721 – Devedores por acréscimos. O resto. lógico!).200. Elaborado por Cristina Cardoso ( Versão 1.00 € Contas 1 (Caixa ou Banco) 1. então teremos de separar os dois períodos: O que vai de 01/09/2010 até 31/12/2010 e o que vai de 01/01/2011 a 31/08/2011. documentos com gastos que se referem ao ano seguinte: Por exemplo: o pagamento do seguro em 01/09/2010 que se refere ao período de 1/09/2010 a 31/08/2011. remete-nos para o pensamento: é um gasto que só vou reconhecer no ano seguinte. ENTRA NO ANO O QUE É DO ANO! DIFERIMENTOS: SAI DO ANO O QUE NÃO É DO ANO! Facto inverso é quando chegam num determinado ano. 8 meses. 6263 .Gastos a reconhecer 800. debito o gasto (6: débito. credito o rendimento (7:credito. Como o nosso objectivo é que não fique em gasto do ano o que não é desse ano.Seguros 400. A contrapartida é crédito! Só poderá ser a 2722 – Credores por acréscimos…. ou seja. Verificamos que temos 4 meses de 2010 e 8 meses de 2011.00 € A própria conta 281 chama-se: “Gastos a reconhecer”.

em caso de dúvida mandem e-mail criscard999@gmail. chegarão lá.com colocando no assunto “DICAS DE CONTABILIDADE” para eu distinguir no meio de tantos e-emails. Fica a promessa que o farei mais tarde mas. Falta explicar um processamento de salários. Agradeço que me avisem caso detectem alguma falha.Dicas de Contabilidade 2011 No ano seguinte. o apuramento do IVA. Notas finais Propus-me elaborar estas dicas no intervalo de dias entre o 1º e 2º semestre (2010/2011). acho que se perceberem bem esta movimentação das contas e com a ajuda dos apontamentos que têm. Só peço um favor: façam a UC! Elaborado por Cristina Cardoso ( Versão 1. No ano seguinte é que será registado na 7. ACRÉSCIMOS: ENTRA NO ANO O QUE É DO ANO! DIFERIMENTOS: SAI DO ANO O QUE NÃO É DO ANO! 10. Não tive tempo de fazer uma revisão a este documento. o apuramento de resultados.0) Página | 27 . o encerramento das contas e outros movimentos mais comuns. então não é contabilizado em rendimentos mas sim em 282 – Rendimentos a reconhecer. O mesmo raciocínio para os rendimentos: se o rendimento se refere ao ano seguinte. Farei mais tarde e enviarei uma nova versão em caso de alterações. continuar estas dicas. a conta 281 apresentará um saldo de 800€ que irei creditar por débito da conta 6263 – Seguros (gasto) para que o gasto seja reconhecido nesse ano (2011). De qualquer forma. Infelizmente o 2º semestre já começou e não poderei. para já. por agora.