Você está na página 1de 22

A música:

A música: sua
sua essência
essência
e relação
e relação com
com a
a
política
política
Fontes:
 A. Schering "Vom Musikalischen Kunstwerk" (Da obra de arte
musical), Koehler & Amelang, Leipzig, 1951
"O hino de todos", Revista VEJA, No. 1602 (16/6/1999) 164-165
"Dtv-Atlas zur Musik – Bd. 1 u. 2", Deutscher Taschenbuch Verlag,
1977
N. Harnoncourt "Musik als Klangrede" (musica como discurso
sonoro), dtv/Bärenreiter, 1985
H. Hesse "Das Glasperlenspiel" (A Música das Pérolas de Vidro),
Fretz & Wasmuth
"Sobre o íntimo e difícil – relação entre política e música",
Kulturchronik 1998-6 (em alemão)
Platão "Nomoi" (Das leis), Rowohlt Klassiker
F. Reininghaus "Promovida e expatriada? A nova música e o rádio",
Humboldt 65, (1992)
The New Grolier Multimedia Encycplopaedia - release 6 (1994)
CarosAmigos
 J.M. Wisniok “O Som e o sentido”, companhia das Letras, 1989
Conceitos
BOETHIUS (século V):
•Musica mundana: harmonia mundial e espacial.
Harmonia do macrocosmo;
•Musica humana: harmonia no homem (órgãos,
temperamentos; alma – corpo). Harmonia no microcosmo
•Musica instrumentalis: musica produzida por instrumentos
e voz humana.
Significado
H. HESSE (A Música das Pérolas de Vidro)
Futuro:
Uma casta de iluminados zela pela qualidade da vida com a Música das Pérolas de
Vidro.
Com esta música é possível reproduzir todo o conhecimento humano e os valores
espirituais. (fórmulas da matemática, reações químicas, leis da física, valores
sociais, éticos e estéticos, etc.)

Presente (época do Feuilleton (folhetim)): Tempo de insegurança, superficialidade


e falsidade. Surgimento das ciências musicais.

Passado: A música tem um poder de dominação de almas e povos, ela é um


regente dos homens e seus estados. Ideal de uma vida humana sob a hegemonia da
música (China, Grécia)
Significado
Sua exegese é um mistério
Não pode ser definida, mas pode ser entendida

SCHUMANN: provavelmente é o mistério de suas origens


que contribui para o charme de sua beleza

A música possui um significado básico comum, mas está


sujeita a variações e transformações muito intensas, no
tempo e no espaço.(Schering)

Música é a mais matemática e a mais abstrata das artes


(New Grolier Encyclopaedia)
CONFÚCIO: música é o nascimento da emoção
Significado
Novalis: “Toda doença é um problema musical. A cura é
sua solução”
E.T.A.Hoffmann (Ombra adorata - 1814) “quem poderá des-
crever as sensações que me penetravam . Como a dor em meu
interior se dissolveu em saudade que despejou bálsamo
divino sobre todas as feridas. Tudo estava esquecido e eu só
ficava ouvindo os sons que, vindo de um outro mundo, me
encobriam de forma consoladora”
Nägeli (1826) “[A música], sustentada por esse jogo de
formas, paira na região imensurável dos sentimentos ..”

Stravinski “[A música], não pode expressar nada a não ser a si


mesma” Tinoco & Zé Paulo
Significado
Leibnitz: musica est exercitium arithmeticae occulum nescientis se
numerare animi (a música é uma aritmética do incosciente)

Kant, após uma análise crítica, alojou a música entre as artes

Hegel: “música é alma que soa para si mesma e se satisfaz”


Schopenhauer tira a música de sua realidade objetiva e
literária e a aloca no reino do mental. Música é uma
objetivação da vontade. Analogia entre a
música e as idéias que perfazem o mundo.(volta ao passado)
Significado

Wisnik: Música é uma linguagem não referencial,


não designa objetos

Pode provocar angústia mas não faz medo


Pode provocar alegria, satisfação mas não faz rir

HOFSTADTER: Gödel, Escher, Bach


Estrutura físico-
matemática
MUNDO OCIDENTAL (baseado em Pitágoras)
Baseado nas ondas sonoras de uma corda (lá = 870 ondas/seg)

(a) Dó - vibração n (c) Sol - vibração 3/2 n - uma quinta


|
(b) Dó - vibração 2n - uma oitava
CICLO DAS QUINTAS:
dó-sol-ré-lá-mi-si-fa#-solb-lab-mib-sib-fa-dó
PROBLEMA: 7 oitavas = 27 = 128 n
7 oitavas = 12 quintas = (3/2)12 = 531441/4096 = 129.75 > 128 !!

KEPLER: associação entre os planetas e as harmonias (harmonia mundana)


ESCALAS: maior, menor, ..
Afinação:diatonica Cromática, inteira, pentatonica
temperada - desde o barroco dodecafonica, quarto-tons exemplo
Música & Sons
Os quatro componentes de um som:
• altura • duração

• timbre •intensidade

Tipos de música (Wisnik):


• Modal – Àrabes, indianos

• Tonal - Ocidental

• Serial - Contemporânea
Música & Sons
• timbre - envelope
Divisões
Música como arte de comunicação

Ouvinte1
Intérprete1

Compositor
Ouvinte2
Intérprete2

‘Quem ouve música não precisa entender de música,


ele pode gostar da música’
Divisões
Música Instrumental X Música vocal
Wolf (1783) “música verdadeira só pode ser obtida por canções verdadeiras”

Sulzer: “sonatas, sinfonias, concertos são ruídos animados e agradáveis”


Bach: Prel. Messiaen
Skrjabin

Música absoluta X Música de programa Villa Lobos X Vivaldi

MÚSICA POPULAR: integração intérprete e ouvinte


MÚSICA ARTÍSTICA: compositor, intérprete e ouvinte
são distintos
MÚSICA DE SALÃO: mais diversão do que conteúdo
MÚSICA DE CONSUMO: para finalidades específicas
(pescadores, marchas, dança, ...)
Composição
COMPOSIÇÃO: deve ser, ao mesmo tempo, livre e enquadrada
DEBUSSY: o componista não interfere na composição;
ela é que se realiza por si só.

EXPRESSIVIDADE
contrastes Haydn - a criação
Bach - Grande Missa em si menor

amor Beethoven - sonata Kreutzer

Schubert - impromtu
diálogo
Schubert - A morte e a donzela
destino Bach? Cantata
Composição
AS PAUSAS Beethoven: sonata Hammerklavier

???
???

EVOLUÇÃO
Dissociação de sons  associação de
sons
IDADE MÉDIA RENASCENÇA BAROCO
dissociação associação dissociação

CLÁSSICO-ROMÂNTICO MODERNO 5 exemplos

associação dissociação
Interpretação
EXECUTAR + DAR FORMA + DAR ALMA

IMPROVISAÇÃO: combina compositor com intérprete


(ex. Jazz, mus. Oriental, música antiga, cadenças)

INSTRUMENTAÇÃO

Debussy: pegadas na neve


FORMA E ALMA
Debussy: Vento ocidental

Mozart: marcha turca


Política
Platão:
por um lado: defende os direitos de igualdade das mulheres,
por outro lado:criações literárias devem ter censura prévia
Cada ocasião deve ter a sua música adequada, e quem não respeitar
deve ser perseguido.
'música para homens' (que eleva, incentiva a coragem)
'música para mulheres' (bom comportamento, prudência)

V. Lenin: Nunca mais devo ouvir a 'Apassionata' de Beethoven,


senão tenho a impressão de acariciar a cabeça de crianças ao invés
de esmagar a cabeça de meus inimigos.
Política
Hans Eisler: Nossa consciência está acostumada a certos
códigos que têm efeito liberalizador, subversivo ou revolucionário

GOVERNOS E NACIONALISMOS
Hinos nacionais
J. Göbbels: "[O rádio é] a oitava potência do século XX"
E. Piaf: ‘je ne regrette rien”

Händel – Música aquática, oratórios


China: só a música oficial. Perseguições e proibições
Política

BÉLICA

a marcha

ANTI-BÉLICA Beethoven: missa solemnis

L. Hendrix

SUBVERSIVA
VIVALDI: Juditha triumphans

“Viva VERDI” - Viva Vittorio Emmanuele Re d’Italia

REVOLUCIONÁRIA
REVOLUCIONÁRIA Vandré

Chilenos
Política

MULTI-USO

WAGNER: socialista revolucionário


democrata
inspirador do nazismo
BEETHOVEN - 9. Sinfonia: Beethoven

-
•Superioridade alemã (Nazistas)
•Esperança (judeus em Auschwitz)
•Hino da Comunidade Européia – trocou 'todos os homens' por 'todos os europeus'
•Símbolo da queda do muro de Berlim – trocou 'alegria' por 'liberdade'
•Virada do milênio
•Filme Laranja Mecânica de S. Kubrick
Política
SCHILLER: Ode à alegria

Alegria, bela centelha divina,


Filha do elísio,
Pisamos, encantados,
Divina, teu santuário
Teus encantos reúnem
O que a moda separou
Todos homens serão irmãos,
Onde tuas suaves asas se demoram

CORO
Abraçai-vos, milhões!
Este beijo do mundo todo!
Irmãos - sobre a tenda das estrelas
Deve habitar um bom pai
...................
Muito obrigado
Muito obrigado

Bach: Chaconne