Você está na página 1de 28

Infecção do Trato

Urinário

Palestrante: Marcos André de Alcântara Silva


Infecção do Trato Urinário
Afecção muito comum, e responde por grande parte
dos processos infecciosos, comunitários e hospitalares.

Caracteriza-se pela presença de microorganismos


nas vias urinárias, habitualmente, bactérias.

Infecção por fungos é incomum.

Raramente, pode ocorrer infecção por vírus.


Classificação

• ITU Baixa
• Bexiga: Cistite
• Bacteriúria assintomática

• ITU Alta
• Infecção parênquima renal:
Pielonefrite aguda.
Classificação

ITU NÃO-COMPLICADA ITU COMPLICADA


- sexo feminino, não grávida; - sexo masculino;
- ausência de alterações -obstrução urinária;
anatômicas do trato urinário; - alterações anatômicas do trato
- ausência de alterações urinário;
funcionais do trato urinário; - alterações funcionais do trato
- ausência de cateteres urinário;
urinários; - patógeno multirresistente;
- ausência de alterações da - corpo estranho;
imunidade; - imunossupressão;
- adquirida na comunidade. - cateteres urinários;
- presença de cálculos urinários
e/ou nefrocalcinose.
Epidemiologia

É mais comum no sexo masculino, no


primeiro ano de vida.
Após tal período, passa a ser mais
freqüente no sexo feminino.
A incidência volta a aumentar no sexo
masculino após a 5ª e 6ª década .
É o tipo mais freqüente de infecção
adquirida no hospital
Estatística de internações no HRPN, no período de
27/07/2009 a 17/08/2009.

TOTAL DE INTERNAÇÕES: 105


Estatística do número de casos de ITU, por meses, no
ano de 2008, no HRPN.
20 Janeiro
20
18 Fevereiro
16 15 15 15 Março
14
14 13 13 Abril
12 12 12
12 11 Maio
10 Junho
8
8 Julho
6 Agosto
4 Setembro
2 Outubro
0 Novembro
1 Dezembro

Total de casos (2008)=160


Estatística do número de casos de ITU em relação ao
número de internações,no ano de 2008, no HRPN.

160; 6%

TOTAL
ITU

2386; 94%

Total de internações: 2386


Total de ITU:160
Infecção do Trato Urinário
Patogênese

Via Ascendente
Via Hematogênica
Via Linfática
Infecção do Trato Urinário

•Agentes Etiológicos:
• Escherichia coli (> 85% ITU
comunitárias e 50% ITU
hospitalares).
• Staphylococcus saprophyticus
• Proteus sp (cálculos ou tumor)
• Klebsiella sp
• Pseudomonas sp
• Serratia sp
• Enterobacter sp
• Enterococo, etc.
Infecção do Trato Urinário
Mecanismos de defesa do hospedeiro

• Urina
• Fluxo urinário e esvaziamento vesical.
• Válvula vesicoureteral.
• Microbiota vaginal.
• Mucosa trato urinário e Inibidores
urinários da adesão bacteriana.
Infecção do Trato Urinário
Fatores predisponentes

Obstipação crônica Tumores


Baixa ingesta hídrica Gravidez
Nefropatia diabética
Vida sexual ativa Defeitos anatômicos
Hipoestrogenismo HPB
Retardar Bexiga neurogênica
demasiadamente a Cateteres
micção Nefrolitíase
Manifestações Clínicas:
Cistite Aguda

ITU baixa: Cistite Aguda


 Não há febre ou febre baixa + Queda
do estado geral
QC: disúria,polaciúria,tenesmo vesical
e dor hipogástrica.
EF: dor a palpação supra-púbica.
Manifestações Clínicas:
Pielonefrite

ITU alta: Pielonefrite


Febre alta + calafrios + dor lombar (60%).
 Queda estado geral + sintomas
inespecíficos.
 Sintomas ITU baixa (30%).
 EF: sinal de Giordano presente.
 Diagnóstico diferencial: Nefrolitíase,
apendicite e colecistite.
Bacteriúria assintomática

ITU baixa: Bacteriúria assintomática


Bactérias em urocultura (>100.000 UFC/ml).
Ausência de sinais e sintomas clínicos de infecção.
Tratamento somente naqueles pacientes com alto risco
de desenvolvimento de bacteremia.
Geralmente abrigam microrganismos menos virulentos
que as infecções sintomáticas.
Infecção do Trato Urinário
Diagnóstico laboratorial

• URINA TIPO I :

São sugestivos de ITU:


 Leucócitos >10 por campo de grande
aumento.
 Bacteriúria.
 Teste do nitrito demonstra a presença de
bactéria porem sua negatividade não exclui.
 Observar contaminação ( presença de células
epiteliais).
 Bacteriúria assintomática deve ser
comprovada com urocultura.
Infecção do Trato Urinário
Diagnóstico laboratorial

Fonte: www.pathology.washington.edu
Infecção do Trato Urinário
Diagnóstico laboratorial

Confirmação diagnóstica:
Urinocultura quantitativa – diferenciar
contaminação da urina e ITU, com coleta
adequada.
Resultado mais confiável é a partir de
aspiração supra púbica.
Procedimento padrão para culturas
quantitativas é com amostra de urina de
jato médio.
Paciente deve estar bem informado
Infecção do Trato Urinário
Diagnóstico laboratorial
Infecção do Trato Urinário
Diagnóstico laboratorial

Mais de uma espécie em cultura indica


contaminação.
Pseudomonas aeruginosa não converte
nitrato em nitrito.
As hemoculturas devem ser realizadas
em todos os pacientes com suspeita de
pielonefrite ou sepse.
Em pielonefrite aguda: PCR elevada,
pode ter cilindros leucocitários.
Infecção do Trato Urinário
Diagnóstico laboratorial

A bacteriúria de ITUs complicadas: >= 100.000


colônias/ml, com ou sem piúria em 2 amostras
consecutivas de urina colhida no jato médio.
 >= 100 colônias/ml (urina do jato médio) em
mulher com cistite não-complicada+ piúria;
 Qualquer crescimento em urina colhida através de
punção supra púbica;
>=10.000 colônias/ml+ piúria em homem
sintomático e mulheres com pielonefrite não-
complicada.
Colhido por sonda 100 UFC/ml é positivo.
Urina I – Exame Dependente da Qualidade da Amostra
Coleta de amostras
Urina I – Exame Dependente da Qualidade da Amostra
Coleta de amostras

© Ary
Tratamento das infecções do
trato urinário
Todos os tipos de ITUs sintomáticas devem
ser tratados.
Tratamento precoce visa reduzir o risco de
progressão de pielonefrite.
O tratamento na maioria dos casos é
iniciado empiricamente.
O tempo de tratamento da pielonefrite
recomendado é de 14 dias.
A bacteriúria em pacientes com cateteres
não deve ser tratada,a menos que haja
sintomas de infecção sistêmica.
Tratamento da cistite
Antibióticos usados
ANTIBIÓTICO DOSE E DURAÇÃO
SMX-TMP 80/400 mg de 12/12 h por 3 dias ou
320/1600 mg dose única
Nitrofurantoína 50 mg de 8/8h por 5-7 dias
Amoxacilina/clavulanato 500 mg de 8/8 h por 5-7 dias
Cefuroxima (2ª) 250 mg de 8/8 h por 5-7 dias
Cefixima (3ª) 400 mg por dia por 5-7 dias
Ceftibuten (3ª) 400 mg por dia por 5-7 dias
Cefprozil (2ª) 250 mg por dia por 5-7 dias
Norfloxacin 200 mg de 12/12 h por 7 dias
Ciprofloxacin 250 mg de 12/12 h por 7 dias
Levofloxacin 250 mg por dia por 7 dias
Fosfomicina 400 mg em dose única
Tratamento da Pielonefrite
Antibióticos Injetáveis
ANTIBIÓTICO DOSE COMENTÁRIOS
Infecções Adquiridas Comunidade
SMX-TMP 160/800 mg 12/12 h

Cefipima (4ª) 2 g de 12/12 h Infecções nosocomiais


Infecções Adquiridas Comunidade
Cefotaxima (3ª) 1g de 12/12 h
.
Infecções Adquiridas Comunidade
Ceftriaxona (3ª) 2 g por dia
Infecções Adquiridas Comunidade
Cefuroxima (2ª) 750 mg de 8/8 h

Amicacina 1,5 mg/ Kg/Dia Monitorar função renal

Gentamicina 4,5 mg/Kg/ Dia Monitorar função renal

Netilmicina 4,5 mg/Kg/ Dia Monitorar função renal

Tobramicina 4,5 mg/Kg/ Dia Monitorar função renal

Ciprofloxacin 200 mg de 12/12 h

Levofloxacin 250 mg por dia


Tratamento da Pielonefrite
Antibióticos Orais
ANTIBIÓTICO DOSE COMENTÁRIOS
Amoxacilina/clavulanato 500 mg de 8/8 h Apenas como terapia de transição

Cefuroxima (2ª) 250 mg de 12/12 h Apenas como terapia de transição

Cefixima (3ª) 400 mg por dia Apenas como terapia de transição

Ceftibuten (3ª) 400 mg por dia Apenas como terapia de transição

Cefprozil (2ª) 250 mg por dia Apenas como terapia de transição

Norfloxacin 400 mg de 12/12 h

Ciprofloxacin 100 mg de 12/12 h

Levofloxacin 250 mg por dia


Bibliografia

Cecil – Tratado de Medicina Interna, Editora Elsevier,


tradução da 22ª Edição,2005;

INFECÇÕES DO TRATO URINÁRIO: DIAGNÓSTICO.


Projeto Diretrizes Associação Médica Brasileira e Conselho
Federal de Medicina. Sociedade Brasileira de Infectologia e
Sociedade Brasileira de Urologia. 4 de junho de 2004.

INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO. Medicina, Ribeirão


Preto, 36: 365-369, abr./dez.2003.Simpósio: URGÊNCIAS E
EMERGÊNCIAS INFECCIOSAS