Você está na página 1de 257
André Luiz M. Bittencourt BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE – TEORIA E PRÁTICA

André Luiz M. Bittencourt

BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE – TEORIA E PRÁTICA

CONTATOS

EMAIL:

professorandrebittencourt@gmail.com

INSTAGRAM: @profandrebittencourt

FACEBOOK: André Luiz Bittencourt

SITE: www.andrebittencourt.adv.br

Objetivos

Apresentar aos alunos

os conceitos e temas controvertidos bem como posicionamento atual dos Tribunais

Regionais,

Superior

Tribunal de Justiça e Supremo Tribunal

atinentes

aos

benefícios

por

incapacidade.

Auxílio - doença

DIGNIDADE

“Dignidade pode ser considerada como próprio limite do exercício

do

direito

passo que

de

este

autonomia,

não

pode

ao

ser

exercido sem o mínimo de

competência ética”. Dignidade da

pessoa

humana

fundamentais na

e

direitos

constituição

de

1988. Ingo Wolfgang Sarlet. Editora Livraria do Advogado.

“A dignidade como tarefa imposta ao

estado reclama que ele guie suas ações no sentido de preservar a dignidade

existente,

quanto

objetivando

a

promoção da dignidade, especialmente

criando

situações

que

possibilitem

o

pleno exercício e fruição da dignidade, sendo portando dependente (a

dignidade) da ordem comunitária, já que

é

de

se perquirir até que ponto e

possível ao individuo realizar ele próprio, parcial ou totalmente, suas necessidades existenciais básicas ou de que ele necessita, para tanto,

ESPÉCIE DE BENEFÍCIOS

AUXÍLIO-DOENÇA Art. 19 a 23, Lei 8.213/91; Art. 59 a 64, Lei 8.213/91; Art. 71 a

AUXÍLIO-DOENÇA

Art. 19 a 23, Lei 8.213/91; Art. 59 a 64, Lei 8.213/91; Art. 71 a 80 e 337, Decreto 3.048/99; Art. 330 a 339, IN 75/2015.

QUAL É O FATOR QUE DA DIREITO A UM BENEFÍCIO DE AUXÍLIO-DOENÇA?

E O QUE É INCAPACIDADE?

E O QUE É INCAPACIDADE?
E O QUE É INCAPACIDADE?

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE

“QUALQUER REDUÇÃO OU FALTA

(RESULTANTE

DE

UMA

DEFICIÊNCIA OU DISFUNÇÃO) DA CAPACIDADE PARA REALIZAR

UMA

ATIVIDADE

DE

MANEIRA

CONSIDERADA NORMAL PARA O

SER HUMANO, OU QUE ESTEJA

DENTRO

DO

ESPECTRO

CONSIDERADO NORMAL”

JOSÉ ALMANSA PASTOR

“POR INCAPACIDADE LABORAL

PRETENDE-SE

ABRANGER

O

COMPLEXO

DE

MEIOS

INTELECTUAIS,

VOLITIVOS

E

FÍSICOS, QUE PERMITEM USAR,

PROVEITOSAMENTE, A

EFICIÊNCIA

FÍSICA

NO

DESENVOLVIMENTO DE ALGUMA

ATIVIDADE LABORAL”

ESTHER RAYA DIEZ

“A

incapacidade

implica

uma série de dificuldades

adquiridas

pessoa

entorno,

e

por

por

uma

seu

que

requerem

atenção determinada.”

NOS ÚLTIMOS 50 ANOS ...

CARIDADE E BENEVOLÊNCIA

INCAPACIDADE

MÉDICO

OU REABILITADORA

FÍSICA

PSICOLÓGICA

SENSORIAL

REABILITAR

A

PARA

QUE ELA

PESSOA VOLTE A

PRODUZIR!

REABILITAR A PARA QUE ELA PESSOA VOLTE A PRODUZIR!
REABILITAR A PARA QUE ELA PESSOA VOLTE A PRODUZIR!

PORÉM ...

NA EUROPA, NOS ANOS 1960 HOUVE UMA QUEBRA DE PARADIGMA

PORÉM ... • NA EUROPA, NOS ANOS 1960 HOUVE UMA QUEBRA DE PARADIGMA

INCAPACIDADE TRATADA APOIADA NA IDEIA DE “DIREITOS

O MODELO SOCIAL

AS CAUSAS QUE ORIGINAM A INCAPACIDADE DEIXAM DE SER INDIVIDUAIS E PASSAM A SER SOCIAIS, POIS SUAS LIMITAÇÕES DERIVAM DAS LIMITAÇÕES DA SOCIEDADE PARA PROVER SERVIÇOS A PROPRIADOS SEGUNDO A DIVERSIDADE FUNCIONAL DE

SE

CONSTAM

ROL ...

GARANTIDA INTERNACIONAIS;

POR

DE

TAL

NORMAS

O OBJETIVO E INTERPRETAÇÃO DA LEI TEM COMO FIM A EFETIVAÇÃO DA DIGNIDADE;

PROTEGEM PESSOAS OU GRUPOS DE PESSOAS (NOVA APOSENTADORIA)

TEM CARÁTER VINCULANTE ESTADOS SIGNATÁRIOS

SÃO UNIVERSAIS

PARS OS

INCAPACIDADE

O QUE É INCAPACIDADE PARA EFEITOS PREVIDENCIÁRIOS?

INCAPACIDADE PODE SER:

INCAPACIDADE

INCAPACIDADE

SOCIAL

INCAPACIDADE SOCIAL

Súmula 47: Uma vez reconhecida a incapacidade parcial para o trabalho,

o

juiz

deve

analisar

as

condições

pessoais e sociais do segurado para a

concessão

invalidez.

Precedentes:

de

aposentadoria

por

Pedilef

0023291-

16.2009.4.01.3600

(julgamento

29/02/2012),

Pedilef

2007.71.95.027855-4

(julgamento

24/11/2011),

Pedilef

2006.63.02.012989-7

(julgamento

FIQUE DE OLHO!!

FIQUE DE OLHO!!

TNU 0006553- 06.2007.4.03.6303 – SOMENTE QUANDO VERIFICADA A INCAPACIDADE PARCIAL!!!!

INCAPACIDADE

CÓDIGO INTERNACIONAL DE DOENÇAS X CÓDIGO INTERNACIONAL DE FUNCIONALIDADES, INCAPACIDADES E SAÚDE

* Inobservância do princípio da motivação (Art. 2º Lei n.º 9874)

Decreto 7.617/2011

A

concessão

do

benefício

à

pessoa

com deficiência

ficará sujeita

à

avaliação

da

deficiência

e

do

grau

de

impedimento, com base nos princípios da

Classificação

Internacional

 

de

 
 

Funcionalidades,

Incapacidade

 

e

Saúde - CIF, estabelecida pela Resolução da Organização Mundial da Saúde

n o 54.21,

aprovada

pela

54 a Assembleia

Mundial da Saúde, em 22 de maio de

2001.

INCAPACIDADE PASSA A SER MEDIDA ...

SAÚDE

ATIVIDADE

PARTICIPAÇÃO

LEVANDO CONSIDERAÇÃO ... FATORES AMBIENTAIS

EM

FATORES PESSOAIS

PONTO

CENTRAL

DA

INVESTIGAÇÃO ...

A PESSOA!

SOMENTE ELA??

PERGUNTA:

INCAPACIDADE E DEFICIÊNCIA SÃO SINÔNIMOS?

DEFICIÊNCIA == PERDA

DEFICIÊNCIA

PERDA DEDE FUNÇÃO

FUNÇÃO

QUAL O RISCO SOCIAL ENVOLVIDO

IN 75/2015

Art.

300.

O

auxílio-doença

será devido ao segurado que,

após cumprida

a

carência

exigida, quando for o

caso,

ficar incapacitado para o seu

trabalho

ou

para

a

sua

atividade habitual por mais

de quinze dias consecutivos.

ÍNÍCIO DO BENEFÍCIO

EMPREGADO

A PARTIR DO 16º DIA DE AFASTAMENTO, QUANDO REQUERIDO E

EMPREGADO

A PARTIR DO 16º DIA DE AFASTAMENTO, QUANDO REQUERIDO E

COMO FICA O SEGUINTE CASO:

DOENTE BENEFÍCIO

SEMPRE,

POR

APÓS

RECEBER

INCAPACIDADE

JUNTO AO INSS

POR

PRAZO DE

90

DIAS, RECEBE ALTA. PASSADOS 120

DIAS

DA

D.C.B.,

 

FAZ

NOVO

REQUERIMENTO

E

A

PERÍCIA

DETERMINA

QUE

SE

TRATA

DE

MESMA

C.I.D.

E

QUE

A

D.I.I. ESTÁ

FIXADA

40

DIAS APÓS A

D.C.B. DO

BENEFÍCIO ANTERIOR.

NÃO É NOVO BENEFÍCIO; SERÁ INDEFERIDO O NOVO PEDIDO; SERA RESTABELECIDO O BENEFÍCIO ANTERIOR;

A D.I.P. SERÁ O DIA IMEDIATAMENTE POSTERIOR A B.C.B. ANTERIOR, FICANDO A EMPRESA DESOBRIGADA AO PAGAMENTO;

ISSO OCORRERÁ QUANDO:

O FATO GERADOR FOR O MESMO (OBSERVAR SUBGRUPO DA DOENÇA);

INSS DEFENDE QUE SE HOUVER IDENTIDADE DE CID HAVERÁ RESTABELECIMENTO. SE NÃO HOUVER INDENTIDADE, HAVERÁ NOVO BENEFÍCIO;

A NOVA INCAPACIDADE FOR EM PERÍODO DE ATÉ 60 DIAS DA D.C.B. ANTERIOR;

FATO GERADOR

FÍSICA

???

MENTAL

MENTAL

FÍSICA

???

SUJEITO ATIVO

QUEM FAZ JUS AO BENEFÍCIO DE AUXÍLIO- DOENÇA?

COMUM

TODOS

ACIDENTÁRIO

NÃO TEM DIREITO

CONTRIBUINTE

INDIVIDUAL

FACULTATIVO

CARÊNCIA (MP 739/2016)

REGRA GERAL

ISENÇÃO DE CARÊNCIA

ISENÇÃO DE CARÊNCIA

DECORRENTE

DE

ACIDENTE

DO

TRABALHO OU DE QUALQUER NATUREZA;

DOENÇAS

PORTARIA

GRAVES,

2998/01?????;

CONTAGIOSAS

E

INTERMINISTERIAL

SEGURADO ESPECIAL – DEMONSTRAÇÃO DE TRABALHO (AINDA QUE DE FORMA

DESCONTÍNUA)

NOS

ANTERIORES AO FATO;

12

MESES

ROL

DE

CARÊNCIA

ISENÇÃO

DE

IN 45 Art. 152/ D3048 Art. 30

tuberculose ativa;

 

hanseníase;

alienação mental;

neoplasia maligna; cegueira;

paralisia irreversível e incapacitante;

 

cardiopatia grave;

doença de Parkinson;

espondiloartrose anquilosante;

nefropatia grave;

estado

avançado

da

doença

de

Paget

(osteíte

deformante); Síndrome da Imunodeficiência Adquirida-AIDS;

contaminação por radiação com base em conclusão da medicina especializada; ou

hepatopatia grave.

 

O ROL É TAXATIVO?

O ROL É TAXATIVO?

E SE PERDER A QUALIDADE DE SEGURADO?

UM TERÇO DA CARÊNCIA EXIGIDA??

E SE PERDER A QUALIDADE DE SEGURADO?

FATO GERADOR ATÉ 07/07/2016

RESPONDA ...

DILMINHA

“A

GRANDE”

APÓS

TER

TRABALHADO 8 MESES NA EMPRESA DE

LUIZINHO “O BENEVOLENTE” É DEMITIDA E

VEM

A

PERDER

A

QUALIDADE

DE

SEGURADA. RENANZINHO “O

INCORRUPTÍVEL”

 

RECONHECENDO

A

COMPETÊNCIA DE DILMINHA “A GRANDE”,

A

CONTRATA

E,

APÓS

4

MESES

ELA

RECEBE O DIAGNÓSTICO DE F.63 (JOGO

PATOLÓGICO)

E

F.63.2

(ROUBO

PATOLÓGICO. HÁ DIREITO AO BENEFÍCIO???

IN 77/2015

Art.

307,

parágrafo

único.

Havendo a perda da qualidade de segurado e fixada a DII após

ter

cumprido

 

um

terço

da

   

carência

exigida,

caberá

a

   

concessão

do

benefício

se,

somadas

às anteriores,

totalizarem, no mínimo, a

carência

definida

para

o

FATOS GERADORES POSTERIORES

Art. 25. A

concessão

das

prestações pecuniárias do Regime

Geral de Previdência Social

depende dos seguintes períodos

de carência, ressalvado o disposto

no art. 26:

I - auxílio-doença e aposentadoria

por

invalidez:

12

(doze)

contribuições mensais;

FATOS GERADORES POSTERIORES

Art.

27.

......................................................................

..

.......................................................................

....................... Parágrafo único. No

caso

de

perda

da

qualidade de segurado, para efeito

de

carência para a concessão dos benefícios de

auxílio-doença,

 

de

aposentadoria

por

invalidez

e

de

salário-maternidade,

o

segurado deverá contar, a partir da nova filiação à Previdência Social, com

DEVER DE OFÍCIO

IN 77/2015, Art. 308: Por ocasião

da análise do pedido de auxílio-

doença, quando o segurado não

contar com a carência mínima

exigida para a concessão do

benefício, deverá ser observado

se a situação isenta de carência,

conforme especificação do inciso

A INCAPACIDADE DEVE SER AQUELA QUE AFETA TODO TIPO DE ATIVIDADE?

E PRA QUEM EXERCE MAIS DE UMA ATIVIDADE?

E PRA QUEM EXERCE MAIS DE UMA ATIVIDADE?

MAIS DE UMA ATIVIDADE

IN

77/2015,

Art.

312:

Ao

segurado que exercer mais de

uma

atividade

abrangida

pela

Previdência

Social,

e

estando

incapacitado para uma ou mais

atividades,

inclusive

em

decorrência

de

acidente

do

trabalho,

será

concedido

um

único benefício.

IN 77/2015

Art.

214.

A

concessão de

aposentadoria por invalidez, inclusive

decorrente da

transformação de

auxílio-doença concedido a segurado

com mais de uma atividade, está condicionada ao afastamento por

incapacidade

de

todas

as

atividades, devendo a DIB ser fixada levando em consideração a data do último afastamento.

Art. 312, § 2º: Se, por ocasião do requerimento, o segurado estiver incapaz para todas as atividades que exercer, a DIB e a DIP, observadas as disposições constantes no art. 72 do RPS, serão fixadas em função do último afastamento se o trabalhador estiver empregado, ou, serão fixadas em função do afastamento como empregado, se exercer a atividade de empregado concomitantemente com outra de contribuinte individual ou de empregado doméstico.

VALOR DO BENEFÍCIO

VALOR DO BENEFÍCIO

MP 664/14 (PACOTÃO DA DILMA!)

MP 664/14 (PACOTÃO DA DILMA!)

COMO ERA

SEGURADO PODE INGRESSAR AO SISTEMA ESTANDO DOENTE E POSTERIORMENTE PLEITEAR UM BENEFÍCIO POR INCPACIDADE????

ATENÇÃO!!!!!

ATENÇÃO!!!!!

SÚMULA 53 TNU

“NÃO HÁ DIREITO A AUXÍLIO-

DOENÇA OU APOSENTADORIA

POR INVALIDEZ QUANDO A

INCAPACIDADE

PARA

O

TRABALHO

É

PREEXISTENTE

AO

REINGRESSO

DO

SEGURADO NO

REGIME

GERAL DE PREVIDÊNCIA

ESCUTE O CLIENTE!!! INVESTIGUE!!!

ESCUTE O CLIENTE!!! INVESTIGUE!!!
ESCUTE O CLIENTE!!! INVESTIGUE!!!

IMPORTÂNCIA DA ANAMNESE

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA OS SERVIÇOS DE SAÚDE ELABORADO

PELO

MINISTÉRIO

DA

SAÚDE “a

anamnese ocupacional faz parte da entrevista médica, que compreende a história clínica atual, a investigação sobre os diversos sistemas ou aparelhos, os antecedentes pessoais e familiares, a história ocupacional, hábitos e estilo de vida, o exame físico etc

OBSERVAR

EXISTÊNCIAS

 

DE

CONCAUSA

(Art.

21,

I,

Lei

n.º

8.213/91)

Sr.

Estressado da Silva, gerente de

instituição financeira, sofre acidente

vascular

cerebral.

acidentário);

(previdenciário

x

Sr. Dirigindo Sempre, sofre de doença degenerativa na coluna vertebral e teve incapacidade diagnosticada (previdenciário x acidentário)

NA VERIFICAÇÃO

O INSS TRABALHA COMPARANDO O TRABALHADOR COM A MÉDIA DE RENDIMENTO DOS TRABALHADORES DA CATEGORIA;

DEVE SER REALIZADA SEMPRE COM

BASE

NOS

ANTECEDENTES

DO

PRÓPRIO INVESTIGADO;

VOCÊ SABIA???

IN

75/2015,

Art.

301, parágrafo

único. Para fins de concessão de

benefício por incapacidade, a partir

de

de janeiro de 2004,

a

perícia

médica do INSS

poderá solicitar o

PPP

à

empresa,

com

vistas

à

fundamentação do reconhecimento

do nexo técnico previdenciário e para

avaliação

inclusive

de

potencial laborativo,

objetivando

processo de

reabilitação profissional

AIRR 106700-

16.2009.5.04.0012

(

)ENTENDE-SE

QUE

A PATOLOGIA

... DEGENERATIVA NA COLUNA MANIFESTADA DO AUTOR, EMBORA NÃO O TORNE INAPTO PARA O TRABALHO, NOS TERMOS DO ITEM 1

DESTE EDITAL, É INCOMPATÍVEL COM AS

ATRIBUIÇÕESDO

OCUPADO,

POIS

CARGO

COM

O

QUE

SERIA

ESFORÇO FÍSICO

DESPENDIDO, HAVERIA UM COMPROMETIMENTO DE SUA SAÚDE, COM A EVOLUÇÃO DO PROCESSO DEGENERATIVO.”

E O LIMBO???

E O LIMBO???

EMISSÃO DO ASO

NR-7,

ITEM

7.4.4.3:

“O

ASO

(ATESTADO DE SAÚDE OCUPACIOAL) DEVERÁ CONTER NO MÍNIMO: (e) DEFINIÇÃO DE APTO/INAPTOPARA FUNÇÃO ESPECÍFICA QUE O TRABALHADOR VAI EXERCER, EXERCE OU EXERCEU”.

LEI N. 11.709/2009

ART.

30,

PAR.

3:

PRIVATIVAMENTE

AOS

COMPETE

OCUPANTES

DO

CARGO

DE

PERITO

MÉDICO

PREVIDENCIÁRIO

OU

DE

PERITO

MÉDICO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL

...

,

EM

ESPECIAL

A:

(I)

EMISSÃO

DE

PARECER

CONCLUSIVO

QUANTO

À

CAPACIDADE

LABORAL

PARA

FINS

PREVIDENCIÁRIOS”

LEI

605/1949

*Repouso

semanal

remunerado

e

o

pagamento

de salário

nos dias feriados

civis

e

religiosos.

Art. 6º Não será devida a remuneração quando, sem motivo justificado, o empregado não tiver trabalhado durante toda a semana anterior, cumprindo integralmente o seu horário de trabalho.

§ 2º A doença será comprovada mediante atestado de

médico da instituição da

previdência social a que

estiver filiado o

empregado,

e,

na

falta

deste

e

sucessivamente,

de

médico

do

Serviço

Social

do

Comércio ou da Indústria; de médico da empresa ou por ela designado; de médico a serviço de

representação incumbido de

federal,

assuntos

estadual

de

higiene

ou

ou

municipal

de

saúde

pública; ou não existindo estes, na localidade em que

trabalhar, de médico de sua escolha

SÚMULA 15 TST

A justificação da ausência do

empregado motivada por

doença, para a percepção do

salário-enfermidade e da

remuneração do repouso

semanal, deve observar a

ordem preferencial dos

atestados

médicos,

estabelecida em lei.

PORÉM ...

DEVER

DE

ENFATIZAR

POSSÍVEIS RISCOS

A

SAÚDE ADVINDOS DO AMBIENTE DE TRABALHO (ART. 12 E 13 DO CÓDIGO DE ÉTICA MÉDICA)

ART. 76 CFM: “É VEDADO AO MÉDICO REVELAR

INFORMAÇÕES CONFIDENCIAIS

OBTIDAS

QUANDO

DO

EXAME

MÉDICO

DE

TRABALHADORES, INCLUSIVE POR EXIGÊNCIA

DOS

DIRIGENTES

DE

EMPRESAS

OU

DE

INSTITUIÇÕES, SALVO SE O SILÊNCIO PUSER EM RISCO A SAÚDE DOS EMPREGADOS OU DA COMUNIDADE.”

POSSIBILIDADE ...

“O

PACIENTE,

 

RG

,

TEVE

O

PEDIDO DE

_____

,

PRORROGAÇÃO

INDEFERIDO,

E/OU

PEDIDO

DE

RECONSIDERAÇÃO INDEFERIDO, E/OU O TÉRMINO DO

PEDIDO DE AUXÍLIO-DOENÇA EM __

/

/

___

__.

DIANTE DO

EXPOSTO, COM FULCRO NO ART. 482, ALÍNEAS ‘E’ E ‘I’

DA CLT, COMBINADO COM

AS

SÚMULAS

15

E

32

DO

TST,

E

NAS

LEIS

11.907/09 E

605/49, SEM OUTRA

ALTERNATIVA DE CONDUTA, ME SUBMETO À DECISÃO

DO INSS, E QUALIFICO COMO APTO AO RETORNO PARA

O TRABALHO, COM AS DEVIDAS RECOMENDAÇÕES,

ENQUANTO SE AGUARDA O PEDIDO DE

RECONSIDERAÇÃO/RECURSO/NOVA

PERÍCIA/

DECISÃO

JUDICIAL. AS RECOMENDAÇÕES SÃO:

CUIDADO!!!

ENQUANTO SE AGUARDA O RESULTADO DO PEDIDO DE RECONSIDERAÇÃO O CONTRATO DE TRABALHO CONTINUA SUSPENSO.

REQUERIMENTO ADMINISTRATIVO

REQUERIMENTO

ADMINISTRATIVO

QUEM

PODE

FAZER

O

REQUERIMENTO DMINISTRATIVO?

PROCESSO ADMINISTRATIVO (DICAS PRÁTICAS)

Segurado, dependente ou beneficiário; Procurador legalmente constituído;

Representante

legal,

tutor,

curador

ou

administrador provisório;

 

Empresa,

sindicato

ou

a

entidade

de

aposentados devidamente legalizada, na forma do art. 117 da Lei 8213/91.

PROCESSO ADMINISTRATIVO (DICAS PRÁTICAS)

Internet (www.previdencia.gov.br)

telefone (central 135) – seg/sab das 8/23 (brasília);

Unidades de atendimento; APS;

ATENÇÃO!

Qualquer

que

seja

o

canal

escolhido, a data de fixação da (DER) é aquela em que houve a manifestação do interesse.

VEDADA

A

RECUSA

DO

PROTOCOLO – Art. 176 Decreto

3.048/99,

além

de

violação ao

DIREITO

CONSTITUCIONAL

DE

PETIÇÃO.

VIOLA O DIREITO DE PETIÇÃO?

IN 77/2015, Art.

311:

Somente

poderá

ser

requerimento

incapacidade

realizado

novo

de

benefício

por

após

trinta dias,

contados da Data da Realização

do Exame Inicial Anterior - DRE,

ou

da

Data

da

Cessação

do

Benefício

-

DCB,

ou

da

Data

da

Cessação Administrativa - DCA,

Requerimento pode ser feito em qualquer Unidade de Atendimento, INDEPENDENTE do local de domicílio – Art. 670 IN 77/2015.

PODE HAVER PROCESSAMENTO DE OFÍCIO POR PARTE DO INSS?

Art. 5, Lei 9784/99

Em caso de auxílio-doença, segundo

art.

76

do

Decreto

3.048/99

(Ex:

motorista com emissão de médico);

CAT pelo

entendimento doutrinário no

sentido de que quando cessa o auxílio- doença e houve sequela definitiva,

deveria ser processado de benefício de auxílio-acidente;

ofício

o

LEI 9.784/99

Art.

5 o O processo

LEI 9.784/99 Art. 5 O processo administrativo pode iniciar-se de ofício ou a pedido de interessado

administrativo pode

iniciar-se de ofício

ou

a

pedido

de

interessado

"RECURSO CÍVEL Nº 5027660-61.2012.404.7000/PR, Rel. José Antonio Savaris, j. 17/09/2014 Alega o recorrente que seu empregador comunicou o afastamento ao INSS por meio de anotação na GFIP, indicando o documento nomeado OUT12, no evento 1, como prova da notificação da autarquia. De fato, depreende-se da GFIP, a existência da chamada "movimentação" pelo código "P1", que corresponde a

"Afastamento temporário por motivo de doença, por período superior a 15 dias". Essa informação se encontra no manual da GFIP para SEFIP (

Na medida em que INSS faz parte do consórcio que integra

o CNIS, ela detém o dever jurídico de impulsionar, de ofício, o processo administrativo, nos termos do inciso XII, do parágrafo único, do art. 2ª da Lei 9.784/99, verbis: Art. 2o A Administração Pública obedecerá, dentre outros, aos princípios da legalidade, finalidade, motivação, razoabilidade, proporcionalidade, moralidade, ampla defesa, contraditório, segurança jurídica, interesse público e eficiência.Parágrafo único. Nos processos administrativos serão observados, entre outros, os critérios de: XII - impulsão, de ofício, do processo administrativo, sem prejuízo da atuação dos interessados;

Mais especificamente, nos termos do art. 76 do Decreto nº 3.048/99, o INSS deve processar, de ofício, o benefício de auxílio-doença quando tiver ciência da incapacidade, ainda que o segurado não tenha requerido o benefício, in verbis: Art. 76. A previdência social deve processar de ofício o benefício, quando tiver ciência da incapacidade do segurado sem que este tenha requerido auxílio-doença. Nestas condições, o recurso deve ser provido para

PODE ISSO?

IN 77/2015,

Art.

314:

O

processamento do auxílio-doença de

ofício pela Previdência

Social,

conforme previsto no art. 76 do RPS

dar-se-á

nas

situações

em

que

o

INSS tiver ciência da incapacidade do

segurado por meio de documentos

que comprovem essa situação

e

desde que a incapacidade seja confirmada pela perícia médica.

DESATENDIMENTO DE INTIMAÇÃO

Art.

27

da

Lei

n.º

9.784/99

-

O

desatendimento

da

intimação

não importa

o reconhecimento

da

verdade

dos

fatos,

nem

a

renúncia

a

direito

pelo

administrado.

 

Parágrafo

 

único.

No

prosseguimento do processo, será garantido direito de ampla

Lembrando sempre que….

Art.

2 o A

Administração

Pública

obedecerá,

dentre

outros,

aos

princípios

da

finalidade,

legalidade,

motivação,

razoabilidade,

proporcionalidade,

moralidade,

ampla

contraditório, segurança

defesa,

jurídica,

interesse público e eficiência.

X -

garantia

dos

direitos

à

 
 

comunicação,

 

à

apresentação

de

alegações

finais,

à

produção

de

provas

e

à

interposição

de

XIII

-

interpretação da norma

administrativa da forma que melhor garanta o atendimento do fim público a que se dirige, vedada aplicação retroativa de nova interpretação.

LEMBRE SEMPRE!!!!

NA DECISÃO DE ESFERA

ADMINISTRATIVA

O

INSS

DEVE SEMPRE CONCEDER O MELHOR BENEFÍCIO AO SEGURADO!!!

ABRA O OLHO

INSTRUÇÃO INCOMPLETA:

DEVER

DOS

CONSELHEIROS

CONVERTER O FEITO EM DILIGÊNCIA, SENDO VEDADO AO INSS ESCUSAR- SE DE CUMPRIR AS DILIGÊNCIAS SOLICITADAS (ART. 308, PAR. 2 DEC. 3.048/99 e ART. 636 DA IN 45/2010)

QUEM

ATESTA

A

INCAPACIDADE?

ACP nº 5004227-10.2012.404.7200/SC

15 DIAS PARA REALIZAÇÃO DA PERÍCIA

PERÍCIA

RG, Carteira de Motorista/profissional; CTPS; Função; Atividade; Idade; Escolaridade;

ALTA PROGRAMADA

Aplicado desde 09/08/2005 – prazo certo para cessação do benefício (DCB);

TRF 5ª Região – (APELREEX9051/CE) IMPOSSIBILIDADE;

TRU

Região

(IUJEF

0004227-

 

44.2009.404.7154) POSSIBILIDADE;

STF

-

RECURSO

EXTRAORDINÁRIO

COM

AGRAVO:

ARE

672402/MT(precedente importante) ;

A SITUAÇÃO VAI PIORAR!!!!

A SITUAÇÃO VAI PIORAR!!!!

A SITUAÇÃO VAI PIORAR!!!!

“Art.

43.

.......................................................................

..............................................................................................

§ 4º O segurado aposentado por invalidez poderá ser convocado a qualquer momento para avaliação das condições que ensejaram o afastamento ou a aposentadoria, concedida judicial ou administrativamente, observado o disposto no art. 101.” (NR)

A SITUAÇÃO VAI PIORAR!!!!

“Art.

60.

.....................................................................

.............................................................................................

§ 8º Sempre que possível, o ato de concessão ou de reativação de auxílio-doença, judicial ou administrativo, deverá fixar o prazo estimado para a duração do benefício.

§ 9º Na ausência de fixação do prazo de que trata o § 8º, o benefício cessará após o prazo de cento e vinte dias, contado da data de concessão ou de reativação, exceto se o segurado requerer a sua prorrogação junto ao INSS, na forma do regulamento, observado o disposto no art. 62.

§ 10. O segurado em gozo de auxílio-doença, concedido judicial ou administrativamente, poderá ser convocado a qualquer momento, para avaliação das condições que ensejaram a sua concessão e a sua manutenção, observado o disposto no art. 101.” (NR)

A SITUAÇÃO VAI PIORAR!!!!

Art. 62. O segurado em gozo de auxílio-doença, insusceptível de recuperação para sua atividade habitual, deverá submeter-se a processo de reabilitação profissional.

Parágrafo único. O benefício será mantido até que o segurado seja considerado reabilitado para o desempenho de atividade que lhe garanta a subsistência ou, quando considerado não recuperável, for aposentado por invalidez.” (NR)

PRORROGAÇÃO

Existir benefício ativo;

Protocolado

até

15

antes

da

cessação; Pode ser repetido indefinidamente; Depende de novo exame pericial;

Não é pré-requisito para ingresso

de

ação

judicial

(TNU,

PU

2007.70.50.016.551-5/Pr)

OBRIGATÓRIA;

FORÇA

PRORROGAÇÃO

ATENÇÃO!! Resolução

INSS

N.º

97/2010, Art. 1º – “(

...

)uma

vez apresentado pelo segurado

pedido

de

prorrogação,

mantenha o pagamento do benefício até o julgamento do pedido após realização de novo exame médico pericial.”

INCAPACIDADE DIVERSA

IN 75/2015, Art. 306: Constatada incapacidade decorrente de doença

diversa

da

geradora do benefício

objeto de PP ou PR, com alteração do

Código Internacional de Doenças - CID devidamente justificado, o pedido será transformado em requerimento de novo benefício, independente da data de fixação da DII, observando-se o cumprimento do requisito carência se for o caso

COMO FICAM OS CASOS EM QUE O SEGURADO TRABALHOU NO PERÍODO EM QUE AGUARDAVA O DEFERIMENTO DO BENEFÍCIO???

TNU

2008.72.52.004136-1

(18.03.2011)

TNU 2008.72.52.004136-1 (18.03.2011)

EFEITOS FINANCEIROS

RECEBERÁ BENEFÍCIO E O SALÁRIO?

TNU

2008.72.52.004136-1

ANTÔNIO

– (18/03/2011, REL.

SCHENKEL DO AMARAL E SILVA);

SÚMULA 72 TNU (DOU 13/03/2013)

PODE HAVER ALTERAÇÃO

ADMINISTRATIVA

DE

BENEFÍCIO CONCEDIDO NA

ESFERA JUDICIAL??

PODE HAVER ALTERAÇÃO ADMINISTRATIVA DE BENEFÍCIO CONCEDIDO NA ESFERA JUDICIAL??

ART. 60, LEI 8.213/91

§

8º Sempre

que

possível,

o

ato

de

concessão

ou

de

reativação de auxílio-doença, judicial ou administrativo, deverá fixar o prazo estimado para a duração do benefício.

§ 9º

Na ausência de fixação do prazo de que trata o § 8º, o

benefício cessará após o prazo de cento e vinte dias, contado da data de concessão ou de reativação, exceto se o segurado

requerer

a

sua

prorrogação junto ao INSS,

na

forma do

regulamento, observado o disposto no art. 62.

§

10.

O segurado em gozo de auxílio-doença, concedido

judicial ou administrativamente, poderá ser convocado a

qualquer

momento,

para

avaliação

das

condições que

ensejaram a sua concessão e a sua manutenção, observado o

disposto

no

art.

101.

INSS – IN 77/2015

Art.

315.

Os

benefícios

de

auxílio-

doença, concedidos ou restabelecidos por decisão judicial, inclusive os decorrentes de acidente do trabalho, em manutenção, deverão ser revistos preferencialmente, após seis meses da implantação judicial ou do trânsito em julgado, salvo fato novo, conforme os procedimentos previstos na Portaria Conjunta PGF/INSS nº 04, de 2014 ou outra que venha substituir.

CONFRONTO DE LEIS

AGRAVO REGIMENTAL. ESPECIAL. PREVIDENCIÁRIO.

RECURSO

AUXÍLIO-

DOENÇA. CONCESSÃO ATRAVÉS

DE

DECISÃO

JUDICIAL.

CANCELAMENTO

ADMINISTRATIVO.

INADMISSIBILIDADE.NECESSIDADE

DE

AÇÃO JUDICIAL. RECURSO NÃO PROVIDO. 1. È pacífico o entendimento desta Corte no sentido de somente ser possível a

revisão da aposentadoria por

invalidez

concedida judicialmente através de outra ação judicial. 2. Agravo regimental a que

se nega

provimento.(AgRg

no

REsp

1218879/RS, Rel. Ministro JORGE MUSSI,

UINTA TURMA

l

d

18 09 2014

O QUE É

AUXÍLIO-

DOENÇA

PARENTAL?

TRSC 2006.72090007861

TRSC 2006.72090007861

Lei 8.112/90

Art. 83.

Poderá ser concedida

licença ao servidor por motivo de doença do cônjuge ou companheiro, dos pais, dos filhos, do padrasto ou madrasta e enteado, ou dependente

que viva a suas expensas e conste

do

seu assentamento funcional,

mediante comprovação por perícia

médica

oficial.

REABILITAÇÃO

PROFISSIONAL

REABILITAÇÃO

PROFISSIONAL

Decreto 3.298/99

ART. 89, 8.213/91

Art. 89. A habilitação e a reabilitação

profissional

proporcionar

e

social

deverão

ao

beneficiário

incapacitado parcial ou totalmente

para

o trabalho, e às pessoas

portadoras

de

deficiência,

os

meios para a (re)educação e de

(re)adaptação profissional e social indicados para participar do mercado de trabalho e do contexto em que vive

NÃO ESQUEÇA!!!!

DEFICIÊNCIA == PERDA

DEFICIÊNCIA

PERDA DEDE FUNÇÃO

FUNÇÃO

QUAIS MEIOS???

QUAIS MEIOS???

A QUEM SE DESTINA?

A QUEM SE DESTINA?

IN 77/2015

Art. 399. Poderão ser encaminhados para o Programa de Reabilitação Profissional:

I - o segurado em gozo de auxílio-doença, acidentário ou previdenciário;

II - o segurado sem carência para a concessão de auxíliodoença previdenciário, incapaz para o trabalho;

III - o segurado em gozo de aposentadoria por invalidez;

IV - o segurado em gozo de aposentadoria especial, por tempo de contribuição ou idade que, em atividade laborativa, tenha reduzida sua capacidade funcional em decorrência de doença ou acidente de qualquer natureza ou causa;

V - o dependente do segurado; e VI - as Pessoas com Deficiência - PcD.

NÃO É OBRIGATÓRIO

AOS DEPENDENTES;

AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA;

a)

o

A REABILITAÇÃO PROFISSIONAL COMPREENDE:

de

fornecimento

aparelho de prótese,

órtese e instrumentos de auxílio para

locomoção quando a perda ou redução da capacidade funcional puder ser atenuada por seu uso e dos equipamentos necessários

à habilitação profissional;

e

reabilitação social e

  • b) a reparação ou a substituição dos aparelhos mencionados no inciso anterior, desgastados pelo uso normal ou por ocorrência estranha à vontade do beneficiário;

  • c) c) o transporte do acidentado do trabalho, quando necessário.

REABILITAÇÃO

MANUTENÇÃO

DO

BENEFÍCIO

ATÉ

REALIZADO

PROCESSO

DE

REABILITAÇÃO PROFISSIONAL;

REABILITAÇÃO

POSSÍVEL

POR

INTERMÉDIO

DE

ÍNTERVENÇÃO

CIRÚRGICA (ART. 77 Dec. 3.048/99);

LEI 8.213/91

Art. 92. Concluído o processo de

habilitação ou reabilitação social

e

profissional, a Previdência

Social

emitirá

certificado

individual, indicando

as

atividades

que

poderão

ser

exercidas pelo beneficiário, nada

impedindo que este exerça outra

atividade

para

a

qual

se

NÃO GERA VÍNCULO COM A EMPRESA

Dec.

3.01448/99,

Art.

139,

§ 1º: O

treinamento

do

reabilitando,

quando

realizado

em

empresa,

não

estabelece

qualquer vínculo empregatício ou

funcional entre o reabilitando e a

empresa, bem como entre estes

e o Instituto Nacional do Seguro

Social.

E DEPOIS DE REABILITADO??

E DEPOIS DE REABILITADO??

LEI 8.213/91

Art. 93. A empresa com 100 (cem) ou mais empregados

está obrigada a preencher de 2% (dois por cento) a 5% (cinco por cento) dos seus cargos com beneficiários

reabilitados ou

 

pessoas

portadoras

de

deficiência,

habilitadas, na seguinte proporção:

 

I

-

até

200

empregados ...........................................................................

 

2%;

II

-

de

201

a

500

.........................................................................................

 

3%;

III

-

de

501

a

1.000

......................................................................................

 

4%;

IV

-

de

1.001

em

 

...................................................................................

§ 1º A dispensa de trabalhador

reabilitado ou de deficiente

habilitado

ao

final de contrato

por prazo determinado de mais

de

90

(noventa)

dias,

e

a

imotivada, no contrato por prazo

indeterminado,

poderá

ocorrer após a contratação

de

substituto

de

condição

IN 45/2010

Art.

390.

Nos

casos

de

solicitação de novo benefício por

segurado que

tenha

se

submetido

ao

Programa

de

Reabilitação Profissional,

o

perito médico deverá rever o

processo anteriormente

desenvolvido, antes de indicar

novo

encaminhamento

à

IN 77/2015

Art.

403.

Nos

casos

de

solicitação de novo benefício por

segurado

que

tenha

se

submetido

ao

Programa

de

Reabilitação Profissional, o perito

médico deverá rever o processo

anteriormente

desenvolvido,

antes de indicar novo

encaminhamento à Reabilitação

IN 45/2010, Art. 389

Art. 389. Quando indispensáveis ao desenvolvimento do programa de Reabilitação Profissional, o INSS fornecerá aos beneficiários os seguintes recursos materiais:

I

-

órteses:

que

são

aparelhos

para

correção ou

complementação de funcionalidade; II - próteses: que são aparelhos para substituição de membros

ou parte destes; III - auxílio-transporte urbano, intermunicipal e interestadual:

que consiste no pagamento de despesas com o deslocamento do beneficiário de seu domicílio para atendimento na APS e para avaliações, cursos e/ou treinamentos em empresas e/ou instituições na comunidade; IV - auxílio-alimentação: que consiste no pagamento de despesas referentes aos gastos com alimentação (almoço ou jantar) aos beneficiários em programa profissional com duração de oito horas; V - diárias: que serão concedidas conforme o art. 171 do RPS; VI - implemento profissional: que consiste no conjunto de materiais indispensáveis para o desenvolvimento da formação ou do treinamento profissional, compreendendo material didático, uniforme, instrumentos e equipamentos técnicos, inclusive os de proteção individual (EPI); e

IN 77/2015, Art. 402

Art. 402. Quando indispensáveis ao desenvolvimento do programa de Reabilitação Profissional, o INSS fornecerá aos beneficiários, inclusive aposentados, os seguintes recursos materiais:

I

-

órteses:

tecnologia

assistiva

para

correção

ou

complementação

de

funcionalidade;

 

II

-

próteses:

tecnologia

assistiva para substituição de membros ou parte

destes; III - outras tecnologias assistivas: produtos, recursos, metodologias, estratégias, práticas e serviços que objetivam promover a funcionalidade, relacionada à atividade e participação, de pessoas com deficiência, incapacidades ou mobilidade reduzida, visando sua autonomia, independência, qualidade de vida e inclusão social; IV - auxílio-transporte urbano, intermunicipal e interestadual: que consiste no pagamento de despesas com o deslocamento do beneficiário de seu domicílio para atendimento na APS e para avaliações, cursos e/ou treinamentos em empresas e/ou instituições na comunidade; V - auxílio-alimentação: que consiste no pagamento de despesas referentes aos gastos com alimentação (almoço ou jantar) aos beneficiários em programa profissional com duração de oito horas; VI - diárias: que serão concedidas conforme o art. 171 do RPS; VII - implemento profissional: recursos materiais necessários para o desenvolvimento da formação ou do treinamento profissional, compreendendo material didático, uniforme, instrumentos e equipamentos técnicos, inclusive os de rote ão individual (EPI); e

IN 77/2015

Art.

401,

Parágrafo

único.

Os

encaminhamentos que motivarem

deslocamento de beneficiário para

atendimento

Profissional

na

devem

Reabilitação

ser

norteados

pela

verificação

da

menor

distância

de

localidade

de

domicílio

e

reduzidos

ao

estritamente necessário, estando garantido o auxílio para Programa de Reabilitação Profissional fora do

DEC. 3.048/99, ART. 136

§ 1º Cabe

ao

Instituto

Nacional do

Seguro Social promover a prestação

de

que

trata

este

artigo

aos

segurados, inclusive aposentados, e, de acordo com as possibilidades administrativas, técnicas, financeiras e as condições locais do órgão, aos

seus

dependentes,

preferencialmente mediante a

contratação

de

especializados

serviços

APOSENTADORIA

INVALIDEZ

POR

Art. 42 a 47, Lei 8.213/91; Art. 43 a 50, Decreto 3.048/99 e 213 a 224 da IN 77/2015

LEI 8.213/91

Art.

42. A

aposentadoria

por

invalidez, uma vez cumprida, quando

for

o caso,

a

carência

exigida, será

devida ao segurado que, estando ou

não em gozo de auxílio-doença, for considerado incapaz e insusceptível

de reabilitação para

o exercício de

atividade que lhe garanta a

subsistência,

e

ser-lhe-á

paga

enquanto permanecer nesta

condição

IN 77/2015

Art.

213.

A

aposentadoria

por

invalidez,

uma

vez

cumprida

a

carência exigida, quando for o caso,

será

devida

ao

segurado

que,

estando

ou

não

em gozo

de auxílio

doença, for considerado incapaz para

o

trabalho

e

insuscetível

de

reabilitação

para

o

exercício

de

atividade

que

lhe

garanta

a

subsistência,

e

ser-lhe-á

paga

enquanto

permanecer

nessa

FATO GERADOR

????

MENTAL

????

MENTAL

FÍSICA

FÍSICA

NÃO É VITALÍCIA!!!

SÚMULA 78 TNU

Comprovado que o requerente

de

benefício

é

vírus

HIV,

cabe

portador

do

ao

julgador

verificar as condições pessoais,

sociais, econômicas e culturais,

de

forma a analisar a

incapacidade

amplo,

em

sentido da elevada

em

face

estigmatização

social

da

SÚMULA 77 TNU

 

O

julgador

não

é

obrigado a analisar as

condições

pessoais

e

sociais quando

não

reconhecer

a

incapacidade

 

do

requerente

para

a

sua

SUJEITO ATIVO

QUEM FAZ JUS AO BENEFÍCIO DE APOSENTADORIA POR INVALIDEZ?

COMUM

TODOS

ACIDENTÁRIO

EMPREGADO

(EXCETO O

DOMÉSTICO)

AVULSO

SEGURADO ESPECIAL

INCAPACIDADE

Perspectiva de reabilitação;

Incapacidade Incapacidade

20801032030,

parcial

+

Social

(AGRESP

IUJEF

20058300506090/2/PE);

O

Sr.

Incapacitado

de

Oliveira

requereu

benefício

de

auxílio-

doença, porém a decisão foi no sentido de conceder a ele aposentadoria por invalidez. A decisão foi “extra petita”?

STJ

(REsp

293659/SC,

Resp

847587/SP);

 

TRF 5ª

- (AC 2003.82.01.004120-

TEM COMO AGENDAR APOSENTADORIA POR INVALIDEZ NO SITE DO INSS?

PRINCÍPIO CONSTITUCIONAL X PRINCÍPIO PROCESSUAL

“JURIA NOVIT CURIA” – PROVA TÉCNICA SUPERVENIENTE E OUTROS MEIOS DE PROVA

RISCO

SOCIAL

COMUM

(TRF4

AC

00008928120104049999 – 6ª T. Rel.

Des. Luiz Alberto D’Azevedo Aurvalle

PERÍCIA

O

segurado

é

entrada; Anamnese;

Entrevista;

avaliado

desde

sua

História atual e pregressa; Análise de Documentos;

Atestado, Medicação; DID; DII;

Exames,

Receituários,

PERÍCIA

DIÁLOGO SAÚDE;

COM O PROFISSIONAL DA

DECRETO

6.939/09

– PROIBIÇÃO DE

MÉDICOS CONVENIADOS;

MANUAL DE PERÍCIA MÉDICA (INSS);

SOLICITAÇÃO

DE

INFORMAÇÕES AO

MÉDICO ASSISTENTE;

DEVER DO MÉDICO PERITO

IN 77/2015,

Art.

304,§

1º:

Na

análise

médico-pericial deverá ser fixada a data do início da doença - DID e a data do início

da

incapacidade

-

DII,

devendo

a

 

decisão ser fundamentada a partir de

dados clínicos objetivos, exames

complementares,

 

comprovante

de

internação hospitalar, atestados de

tratamento ambulatorial, entre outros elementos, conforme o caso, sendo que os critérios utilizados para fixação

dessas

datas

deverão

ficar

DEVER DE OFÍCIO!!!!

DEVER DE OFÍCIO!!!!

IN 77/2015,

Art. 312,

§

1º:

No

caso

de

incapacidade

apenas

para

o

exercício

de

uma

das

atividades,

o

direito

 

ao

benefício

deverá

 

ser

analisado

relação

com

somente

atividade,

a

essa

devendo a perícia

conhecedora

de

médica ser

todas

as

PERÍCIA

TNU

(PEDILEF