Você está na página 1de 26

Direitos de cidadania e a luta por

reconhecimento
Escola de Formação Popular
UFABC/Associação Estrela Azul,
Jardim Zaíra, Mauá, SP.
Hello!
Eu sou Raquel Paiva
Gomes
Doutoranda do Programa de Planejamento e Gestão do Território da Universidade Federal do
ABC. Mestrado em Planejamento e Gestão do Território pela UFABC (2013) .
Especialização em Avaliação de Projetos e Programas Sociais pela CEATS/USP (2005).
Graduação em Serviço Social pela Faculdade Paulista de Serviço Social de São Caetano
do Sul (2003). Assistente social que compõe a equipe do Setor Técnico Serviço Social-
VIJ- Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo na Comarca de São Bernardo do
Campo. Experiência profissional na implementação e execução de políticas urbanas e
habitacionais, especificamente na execução e gestão do trabalho social e processos
participativos inerentes aos programas e projetos de habitação de interesse social.
Serviço Social no âmbito da Justiça da Infância e Juventude e da Família (elaboração de
estudos, laudos e pareceres). Mediação de Conflitos. Trabalho em Rede (Rede
socioassistencial).
• Bairro: Jardim Zaira 1952
Transformações...

https://mauamemoria.blogspot.com/2017/01/conheca-historia-do-
bairro-jardim-zaira.html
O SURGIMENTO DO CONCEITO DE
CIDADANIA
• O conceito de cidadania aparece na
Grécia antiga, na experiência social da
Pólis –
• “Política – a arte de governar a cidade”.
• Segundo Aristóteles, o Homem é
essencialmente um animal político
(zoopolitycon) e seu campo natural de
atuação seria as próprias dimensões e
limites da cidade-Estado.
Para Aristóteles (384 a.c), o homem é um animal
político por natureza, que a cidade é natural e que o fim
do homem é a felicidade. Essa felicidade, contudo, só se
atinge plenamente na cidade (pólis).
O homem é um animal político?
- Somente os homens nascidos na polis exerciam esse
direito. Mulheres, escravos e estrangeiros eram
politicamente marginalizados.

- Apesar da expansão civilizatória dos gregos pelo


Mediterrâneo, o conceito e a prática da cidadania
permaneceram na dimensão limitada da polis.
CIDADANIA EM ROMA

• Em Roma o conceito de cidadania também foi cultivado


inicialmente na civita, porém sofre uma revolução pragmática
ampliando suas dimensão para os limites territoriais do
Império.

• Estrangeiros livres, contribuintes de impostos e submetidos às


leis possuíam cidadania romana.

• Um exemplo clássico disso foi o apóstolo Paulo, que se valeu


dessa prerrogativa para trafegar no império e pregar o
Evangelho, uma concepção de cidadania universal religiosa
que seria institucionalizada pela Igreja Católica.
A UTILIZAÇÃO DO CONCEITO DE CIDADANIA
ROMANA EM OUTROS MOMENTOS DA HISTÓRIA

• Na Idade Média só existia a cidadania utópica do céu e do


batismo (catolicismo) como possibilidade de inclusão social.
• No início da Era Moderna o conceito ressurge nas cidades européias
durante a Renascença , mas logo a idéia passa a ser reprimida pelo
clero e a nobreza, detentores dos privilégios estamentais (terra). A
Inglaterra vitoriana adotou esse modelo nos séculos 19 e 20 para
combater a escravidão e propagar o liberalismo industrial.

http://tudosimehistoria.blogspot.com/2015/06/mapa-politico-da-europa-no-seculo-xvi.html
CIDADANIA UNIVERSAL
• Na baixa Idade Moderna, entre os
séculos 17 e 18, respectivamente
na Inglaterra (1640), Estados
Unidos (1776) e França (1789)
surge, por força do racionalismo
empírico, da Revolução Industrial e
do Iluminismo, o conceito do
Cidadão Universal.

• Este é fruto do contrato social e da


idéia de igualdade perante a lei.
Porém esse é o famoso cidadão de
papel, ou seja, a lei existe mas
quase sempre não é cumprida por
interferência das diferenças
sociais. Teoricamente somos todos
iguais perante a lei, mas
socialmente diferentes.