Você está na página 1de 26

PLANEJAMENTO E CONTROLE DA

PRODUÇÃO

Objetivo:
­   Definir Planejamento e Controle da Produção;
- Apresentar a função do PCP;
- Classificar os tipos de PCP;
- Apontar os pré-requisitos do PCP;
- Mostrar a diferença entre planejamento e
controle;
- Apontar os tipos de PCP;
- Definir planejamento e controle de volume e
do tempo de atividade e operações.
PCP – PLANEJAMENTO E CONTROLE
DA PRODUÇÃO
 PLANEJAMENTO E CONTROLE DA PRODUÇÃO
PLANEJAMENTO E CONTROLE DA
PRODUÇÃO
• Definição:
 Slack, afirma  que : “o propósito do PCP é  garantir que a 
produção ocorra eficazmente e produza produtos e serviços 
como deve. Isso requer que os recursos produtivos estejam 
disponíveis:  na  quantidade  adequada;  no  momento 
adequado; e no nível de qualidade adequado.”
 Em  um sistema produtivo, ao serem definidas suas metas 
e  estratégias,  faz­se  necessário  formular  planos  para 
atingi­las,  administrar  os  recursos  humanos  e  físicos  com 
base  nesses  planos,  direcionar  a  ação  dos  recursos 
humanos  sobre  os  físicos  e  acompanhar  esta  ação, 
permitindo  a  correção  de  prováveis  desvios.  Essas 
atividades são desenvolvidas pelo PCP. (TUBINO, 2000, p. 23)
TIPOS DE PCP

 Conforme o tipo de produção o PCP pode ser:


- Por Ordem – para produção repetitiva: (móveis,
eletrodomésticos, autopeças)
- Por Fluxo- para produção contínua: (indústria
química, petroquímica, papel, papelão, cimento e
linha de montagens em geral)
- Por Projetos Especiais – para produção sob
encomenda: (alfaiate, construção de usinas,
plataformas de petróleo).
( RUSSOMANO, 1999, p. 34)
ATIVIDADES DE PLANEJAMENTO E
CONTROLE

 Carregamento: dita o volume de trabalho que é


alocado a cada parte da operação.
 Seqüenciamento: decide a ordem em que o trabalho é
executado dentro da operação.
 Programação: determina o cronograma detalhado de
atividades e quando as atividades são iniciadas e
terminadas.
 Monitoramento e Controle: envolve detectar o que está
acontecendo na operação, replanejando se necessário,
e intervindo de modo a impor novos planos.
( SLACK, 2002, P. 339)
PRÉ – REQUISITOS DO PCP

- Conhecimento detalhado do produto.

- Existência de facilidades industriais e de recursos financeiros


compatíveis com o programa de vendas acertado.

- Planejamento Global da Produção que consiste basicamente


no acerto do programa de produção para um determinado
período (um ano em geral) a partir das perspectivas de
vendas, da capacidade de produção e dos recursos
financeiros disponíveis.

(RUSSUMANO, 1999, P. 41)


DIFERENÇA BÁSICA ENTRE
PLANEJAMENTO E CONTROLE
- Planejamento é o ato de estabelecer expectativas do que
deveria acontecer. Um plano é a formalização do que é
pretendido que aconteça em algum momento no futuro.
- Controle é o processo de lidar com mudanças no plano e na
operação a ele relacionada.
- O equilíbrio entre planejamento e controle muda ao longo do
tempo. O planejamento domina a longo prazo e é,
normalmente feito de forma agregada. No outro extremo, a
curto prazo, o controle usualmente opera dentro das
limitações de recursos da operação, mas faz intervenções na
operação para corresponder às mudanças em circunstâncias
de curto prazo.

(SLACK, 2002, P. 339)


TIPOS DE DEMANDAS

 * Demanda Dependente: é relativamente previsível


porque é dependente de fatores conhecidos.
* A demanda independente é menos previsível, porque
depende de oportunidades do mercado ou
comportamento do consumidor.
 As diferentes formas de responder à demanda podem
ser caracterizadas pelas diferenças nas razões P:D da
operação. A razão P:D é a razão do tempo total de
processo P para o tempo de demanda D, visto pelo
cliente.

(SLACK, 2002, P. 339)


FLUXO DE INFORMAÇÕES NO PCP
( TUBINO, 2000, P. 24)

ENGENHARIA DO
PRODUTO
-itens de materiais PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO
- desenhos DA PRODUÇÃO
ENGENHARIA DE
PROCESSO PLANEJAMWENTO-MESTRE DA
- roteiro de fabricação PRODUÇÃO
- lead time
MARKETING PROGRAMAÇÃO DA
- plano de vendas PRODUÇÃO
- pedidos firmes -ordens de compra
FINANÇAS - ordens de fabricação
- plano de investimentos -Ordens de montagem
- fluxo de caixa
RECURSOS HUMANOS -ACOMPANHAMENTO DA
- programa de treinamento PRODDUÇÃO

- MANUTENÇÃO
-Plano de manutenção
VISÃO GERAL DAS ATIVIDADES DO PCP
( TUBINO, 2000, P. 25)

Planejamento Estratégico
da Produção
•Plano de produção
Departamento de Marketing
Planejamento- mestre
•Previsão de vendas
de produção
• Pedidos em carteira
Plano-mestre de Avaliação de
Produção Desempenho
Departamento de Compras
Programação da
•Pedidos de Compras
Produção Acompanhamento
•Administração dos estoques e Controle
• Seqüenciamento da
• Emissão e liberação de produção
Ordens
OC – OF – OM
Fornecedores
Estoque Fabricação e
Montagem
Clientes
VISÃO GERAL DO PLANEJAMENTO
ESTRATÉGICO
(TUBINO, 2000, P. 34)

MISSÃO

ESTRATÉGIA CORPORATIVA

ESTRATÉGIA COMPETITIVA

ESTRATÉGIA FUNCIONAL

Finanças Marketing Produção


Plano Financeiro Plano de marketing Plano de produção

TÁTICAS

Operações financeiras Operações de marketing Operações de


produção
ESTRATÉGIA CORPORATIVA
( TUBINO, 2000, P. 36)

MISSÃO

ESTRATÉGIA
CORPORATIVA

ESTRATÉGIA
COMPETITIVA ESTRATÉGIA
ESTRATPEGIA COMPETITIVA
A COMPETITIVA C
B
ESTRATÉGIA COMPETITIVA
( TIBINO, 2000, P. 37)

BENEFÍCIOS
PARA CLIENTES

MARGEM DE
ESTRATÉGIA
LUCRO
COMPETITIVA
VOLUME DE
VENDAS

CUSTOS PARA
EMPRESA
ESTRATÉGIA DE PRODUÇÃO
- DEFINIÇÃO DE UMA ESTRATÉGIA PRODUTIVA. ( TUBINO, 2000, P. 39)

Prioridades dos
Critérios de
desempenho
ESTRATÉGIA Políticas da
DE produção
PRODUÇÃO

Áreas de
decisões
PLANO DE PRODUÇÃO
 Como resultado das decisões estratégicas no âmbito da
produção, é elaborado um plano de longo prazo, aqui chamado
de plano de produção, que tem por meta direcionar os recursos
produtivos para as estratégias escolhidas. Esse plano servirá de
base para equacionar os níveis de produção, estoques, recursos
humanos, máquinas e instalações necessários para atender a
demanda prevista de bens e serviços. Na realidade, o
planejamento estratégico da produção e o plano de produção
resultante são realizados em consonância com Finanças e
marketing, envolvendo negociações com relação aos recursos
financeiros (plano financeiro) e esforço de marketing(plano de
marketing) necessários para implementá-lo.
 Em nível tático, o plano de produção servirá de base para
desenvolver o planejamento-mestre de produção, em que as
informações serão desmembradas.
( TUBINO, 2000, p. 49)
ORIGEM DO PLANEJAMENTO-MESTRE DA
PRODUÇÃO (TUBINO, 2000, P. 49)

ESTRATÉGIAS FUNCIONAIS

Plano Financeiro -- Plano de Marketing -- Plano de Produção

Planejamento-mestre da produção
INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS A UM
PLANO DE PRODUÇÃO. (TUBINO, 2000, P. 50)

Informações Descrição

Recursos Equipamentos, instalações, força de trabalho,


taxa de produção
Previsão da Demanda prevista para as famílias de itens
Demanda
Políticas Sub contratações, turno extras, postergação da
Alternativas produção, estoques etc.
Dados de Produção normal, armazenagem, sub
Custos contratações, turno extra etc.
PREPARAÇÃO DO PLANO DE
PRODUÇÃO

 Passos básicos: agrupar os produtos em famílias afins;


estabelecer o horizonte e os períodos de tempo a serem
incluídos no plano; determinar a previsão da demanda destas
famílias para os períodos, no horizonte de planejamento;
determinar a capacidade de produção pretendida por
período , para cada alternativa disponível (turno normal,
turno extra, sub contratações etc); definir as políticas de
produção e estoques que balizarão o plano; determinar os
custos de cada alternativa de produção disponível;
desenvolver planos de produção alternativos e calcular os
custos decorrentes; analisar as restrições de capacidade
produtiva; eleger o plano mais viável estrategicamente.
(TUBINO, 2000, p. 53)
PREVISÃO DA DEMANDA

 A responsabilidade pela previsão da demanda normalmente é


do setor de Marketing ou Vendas. Porém, existem dois bons
motivos para que o pessoal do PCP entenda como esta
atividade é realizada. Primeiro, a previsão da demanda é a
principal informação empregada pelo PCP na elaboração de
suas atividades, e afeta de forma direta o desempenho em
suas funções de planejamento e controle do sistema
produtivo. É essencial o entendimento de como estes dados
foram obtidos, em que base as técnicas de previsão
empregadas estão assentadas e quais suas limitações, de
forma a facilitar as comunicações entre PCP e marketing.
( TUBINO, 2000, p. 64)
ETAPAS DE UM MODELO DE
PREVISÃO
(TUBINO, 2000, P. 65)

Objetivo do modelo

Coleta e análise
dos dados

Seleção da técnica
de previsão

Obtenção das previsões

Monitoração do modelo
AS TÉCNICAS DE PREVISÕES

 As técnicas de previsões podem ser subdivididas


em dois grandes grupos: as técnicas qualitativas e
as quantitativas. As técnicas qualitativas privilegiam
principalmente dados subjetivos , os quais são
difíceis de representar numericamente. Já as
técnicas quantitativas envolvem a análise numérica
dos dados passados, isentando-se de opiniões
pessoais ou palpites. As técnicas quantitativas
podem ser subdivididas em dois grandes grupos :
as técnicas baseadas em séries temporais e as
técnicas baseadas em correlação.

( TUBINO, 2000, P. 68)


PLANEJAMENTO-MESTRE DA
PRODUÇÃO

 O planejamento –mestre da produção está encarregado


de desmembrar os planos produtivos estratégicos de
longo prazo em planos específicos de produtos acabados
(bem ou serviço) para o médio prazo, no sentido de
direcionar as etapas de programação e execução das
atividades operacionais da empresa (montagem,
fabricação e compras).
 Como resultado do planejamento- mestre da produção
temos um plano , chamado de plano-mestre de
produção (PMP), que formalizará as decisões tomadas
quanto à necessidade de produtos acabados para cada
período analisado.
(TUBINO, 2000, p. 88)
HIERARQUIZAÇÃO DOS PLANOS
(TUBINO, 2000, P. 89)

Longo prazo Plano de Produção

Planejamento-mestre da produção
PMP inicial

não
Viável
Médio prazo
sim

PMP final

Programação da Produção
Curto prazo
SEQÜENCIAMENTO E EMISSÃO DE
ORDENS
 O tipo de sistema produtivo define as principais questões inerentes
ao seqüenciamento de um programa de produção. O
seqüenciamento nos processos contínuos privilegiará a ênfase na
velocidade do fluxo, enquanto o seqüenciamento nos processo
repetitivos em, massa buscará equilibrar o ritmo entre os postos de
trabalho. Já o seqüenciamento dos processos repetitivos em lotes
procurará dar prioridade às ordens empregando um sistema de
regras para definir em que seqüência as ordens serão retiradas da
fila de espera e em que recurso elas serão alocadas. Nos processos
por projetos, como cada produto demanda um tempo alto de
execução e difere do anterior , o seqüenciamento será realizado
buscando atender aos prazos definidos pelo caminho crítico de uma
rede PERT/CPM. Uma vez seqüenciado o programa de produção ,
veremos que cabe ao PCP emitir e liberar as ordens para que os
setores produtivos cumpram este programa. ( TUBINO, 2000, p. 146)
ACOMPANHAMENTO E CONTROLE DA
PRODUÇÃO
 Fechando o ciclo de atividades desenvolvidas pelo PCP, temos
a função de acompanhamento e controle da produção dando
suporte ao sistema produtivo no sentido de garantir que as
atividades planejadas e programadas para o período sejam
cumpridas.
 O objetivo do acompanhamento e controle da produção é
fornecer uma ligação entre planejamento e a execução das
atividades operacionais, identificando os desvios, sua
magnitude e fornecendo subsídios para que os responsáveis
pelas ações corretivas possam agir. Quanto mais eficiente
forem as ações do acompanhamento e controle da produção,
menores serão os desvios a corrigir, menor o tempo e as
despesas com ações corretivas. ( TUBINO, 2000, p. 184)
ADMINISTRAÇÃO DE ESTOQUES

 A administração de estoques é a primeira atividade


dentro da gama de atividades da programação da
produção. Para administrar estoques ,
necessitamos diferenciá-los quanto a sua
importância relativa (ABC Pareto),
definir tamanho lotes de reposição (Lotes
Econômicos), estabelecer modelos que permitam
operacionalizar seus controles e dimensionar
estoques de segurança
(modelos que “empurram” as ordens de produção-
MRP).
(TUBINO, 2000, p. 142)