Você está na página 1de 8

A má-fé da instituição

escolar
Estado + Micropoder
•Estado: •Micropoder
• Planejamento • Relações de poder cotidianas
• Decisões • Indivíduos podem,
dependendo do seu lugar na
• Recursos hierarquia social, mobilizar de
forma diferente recursos
materiais e simbólicos das
instituições
Estado e desenvolvimento histórico da
instituição escolar
• Brasil-colônia:
• Educação restrita a uma minoria (donos de terra)
• Alheia à realidade colonial
• Oferecia cultura geral básica (aulas ministradas por jesuítas)
• Caráter escolástico, autoritário e literário, pouco afeito à criatividade
• Não qualificava para o trabalho
• Não contribuía para modificações estruturais na vida econômica e social
Estado e desenvolvimento histórico da
instituição escolar
• Pós-independência
• Educação restrita a uma minoria (donos de terra+camada intermediária que
ascendeu devido à urbanização, ao rudimentar mercado interno e oferta de
serviços)
• Alheia à realidade
• Caráter escolástico, autoritário e literário, pouco afeito à criatividade
• Não qualificava para o trabalho
• Não contribuía para modificações estruturais na vida econômica e social
Estado e desenvolvimento histórico da
instituição escolar
• Capitalismo industrial – pós-revolução modernizadora de 1930
• Manteve-se restrito quanto ao acesso: Elites rurais e camadas médias que,
juntas, correspondiam apenas a uma pequena parcela da população;
• O crescimento destas camadas médias, somadas à demanda dos setores
econômicos levou o Estado a ampliar a oferta de ensino
• O sistema educacional manteve a brutalidade da seletividade, separando
“CAPAZES”
• Ascenção da classe média exigiu a oferta de ensino médio público e gratuito,
indústria exigia qualificação mínima
• A ampliação do sistema educacional reproduzia a seletividade da sociedade,
formando um funil, continuava acadêmica e aristocrátiva, mera difusora de
conteúdos
• Todas as reformas tinham (e tem) como fim a CLASSE MÉDIA
Micropoder /Classe média /Pequeno-burguês
• Relação de poder:
• PROFESSOR (sensação de pertencimento a classe superior) x aluno (RALÉ)
• Relação que torna INCOMPREENSÍVEL para o professor a situação e
dificuldades do aluno
• As péssimas condições oferecidas pelo Estado ampliam a violência da relação
• A própria existência da ralé dá melhores condições de crescimento à classe
média, por formarem o contingente de subempregados que lhes fornece,
com sua mão de obra, algo precioso: Disponibilidade de tempo para se
dedicar ao seu próprio desenvolvimento;
• Soma-se a isso o ressentimento da classe média quanto à possibilidade de
ascenção da ralé.
Resultado
• Transforma a crueldade de um SISTEMA HISTÓRICO em fracasso
individual e naturaliza a situação ao adiar mudanças.
• Forma um ciclo: Organização familiar desestruturada -> Falta de
estímulo -> Dificuldades no ensino -> Estigmatização por parte do
micropoder -> Evasão escolar -> Subemprego...
Eu acho assim, o meu sonho é... Eu queria...
Se eu fosse pedir
alguma coisa pra mim ter, se eu tivesse um
sonho pra mim ter
é que eu tivesse do nada um estalo e eu [ele
estala os dedos]...
Ficasse finalmente bom pra estudar
[Anderson].