Você está na página 1de 6

A ÉTICA DA

MENTIRA
 REVISÃO BIBLIOGRÁFICA
 A MENTIRA
 JUSTIFICATIVAS PARA A MENTIRA
 ÉTICA PROFISSIONAL E MENTIRA
 SIMULAÇÃO E OCULTAÇÃO TOTAL DA VERDADE
PERANTE A ÉTICA PROFISSIONAL
 A Mentira

• Mentira é o nome dado as afirmações ou negações falsas ditas por


alguém que sabe (ou suspeita) de tal falsidade.

• Dizeres falsos quando não se sabe de tal falsidade ou se acredita que


seja verdade, não são considerados mentira, mas sim erros.

• Mentir é contra os padrões morais de muitas pessoas e é tido como um


"pecado" em muitas religiões.

• Mentir de uma maneira que piore um conflito em vez de diminuí-lo, ou


que se vise tirar proveito deste conflito, é normalmente considerado
como algo antiético.
 Justificativas para a Mentira

• A mentira torna-se uma sátira com propósitos humorísticos quando deixa


explícita pelos excessos na fala e no tom divertido que de fato é uma
mentira, não sendo imoral, esta é bastante praticada por humoristas,
comediantes, escritores e poetas.

• O uso da linguagem é um dom humano, mas a arte da mentira não


nasceu conosco.

• Mentir é moralmente errado. Sobre isso até os mentirosos estão de


acordo. A prova disso é o extremo cuidado que tomam em ocultar suas
mentiras.

• Algumas mentiras não são condenáveis, como a dos artistas que são
mestres ilusionistas. A experiência da arte requer que se creia de boa fé
nas mentiras e fantasias alheias.
 Justificativas para a Mentira

• Ao ler um bom romance, por exemplo, vivemos intensamente uma


realidade que não é a nossa.

• A vida se tornaria incrivelmente difícil se ocorresse uma espécie de


choque de transparência, não poder mais confiar uns nos outros, já
imaginaram saber tudo o que os outros pensam?
• O coroamento da arte da mentira é a curiosa
capacidade do ser humano de mentir para si
mesmo e acreditar na mentira. Assim como um
jovem jura amor eterno, estará mentindo?

• O auto-engano é uma mentira que contamos para


nós mesmo, ela é pior do que a que contamos
para os outros.
 Ética profissional e mentira:
Simulação e ocultação total da verdade perante a ética profissional

• Por natureza e índole a pessoa deve ser seriamente comprometida com


a verdade, no desempenho do seu serviço não deve mentir.

• Existem casos, entretanto, que a verdade pode chegar a ser penosa dita
com toda a dureza, ou também para a proteção de uma virtude maior,
como a do sigilo, exige a ocultação da realidade.

• Isso ocorre quando um médico que sabe de um caso insolúvel e para


amenizar a dor e ansiedade do paciente, fale que vai melhorar, pois está
sob seus cuidados.

• Schopenhauer, afirmou que mesmo às pessoas queridas, devemos fazer


entender que podemos viver sem elas, para assim atá-las mais
próximas, uma mentira para um bem maior, mas não deixando de ser
uma mentira.
 Ética profissional e mentira:
Simulação e ocultação total da verdade perante a ética profissional

• No campo profissional existe uma tolerância para a mentira , em


face de convivências benéficas, mas jamais isso pode justificar a
negligência, a ausência de uma completa diligencia na solução dos
problemas de um cliente e, muito menos, algo que possa resultar
na quebra de confiança.

• Como a patologia estuda as anomalias do corpo, como a auditória


depende do estudo das fraudes e o direito
envolve a matéria de delitos, também a ética
analisa a mentira, como objeto de
conhecimento.