Você está na página 1de 16

Educação Especial

e
Educação Inclusiva
TEMA

A INCLUSÃO DO DEFICIENTE
NO ENSINO REGULAR

Raimundo Ribeiro da Silva


Valdirene Maria de Souza Ramos
JUSTIFICATIVA:
INCLUSÃO ESCOLAR

• É um tema em foco na educação nacional


desencadeando a inserção do individuo com
deficiência,não apenas no ambiente escolar, mas
também em outros ambientes de convívio social.
• Implica uma reforma de grande importância nas
escolas em termo de currículo,avaliação,
pedagogia e formas de agrupamento de alunos
nas atividades de sala de aula.
OBJETIVOS:
• Identificar os determinantes para a construção
de ambientes inclusivos a partir de experiências
de inclusão de crianças deficientes em escolas
regulares do município de Balsas-MA
• Analisar as possibilidades de participação de
crianças, pais, professores e funcionários de
apoio no processo educativo.
• Identificar os indicadores do envolvimento dos
professores e outros profissionais da instituição
com o trabalho educativo, assim como os cursos
de formação desses profissionais.
FUNDAMENTAÇÃO:
 ANÁLISE HISTÓRICA DA INCLUSÃO SOCIAL,

• Discriminação dos deficientes desde os tempos remotos.


• Povos primitivos- O tratamento para os deficientes em
dois aspectos:matavam (grande impecílho), sustentavam
(simpatia dos Deuses )
• Hebreus (punição de Deus ) impedidos de serviços
religiosos.
• Roma- matava os filhos deficientes.
• Esparta- eram lançados do alto do taibeto.
• Povos hindus- Incentivavam os cegos ingressarem nas
atividades religiosas.
FUNDAMENTAÇÃO:
• Idade Moderna-Locomoção aos portadores de
deficiência: cadeira de roda, muletas, bengalas,
bastões, macas, coletes, próteses, veículos adaptados
e camas móveis.
• Século XIX- Surgiu escolas de Educação
Especial.
• Século XX- Integração do deficiente na
sociedade.
• 1988- Constituição Federal- elaboração de
políticas , leis, criação de programas e serviços
voltados ao atendimento das necessidades
especiais de deficientes.
FUNDAMENTAÇÃO:
ASPECTOS TEÓRICO-CONCEITUAIS SOBRE
NECESSIDADES ESPECIAIS

• Apresenta em carácter temporário ou


permanente, significativas diferenças físicas,
sensoriais ou intelectuais, decorrentes de fatores
inatos ou adquiridos, que acarretam dificuldades
na interação com meio social, necessitando de
recursos especializados para desenvolver seu
potencial e superar ou minimizar suas
dificuldades.
FUNDAMENTAÇÃO:
O PROCESSO DE INCLUSÃO DAS PESSOAS
PORTADORAS DE NECESSIDADES ESPECIAIS

• 1990- Conferência Mundial sobre Educação para todos.


• 1994- Declaração de Salamanca - princípios, políticas e práticas das
necessidades educativas especiais e uma linha de ação.

 POLÍTICAS PÚBLICAS PARA INCLUSÃO DOS


DEFICIENTES NO ENSINO REGULAR

• As leis 4.024/61 e 5.672/71


• A constituição do Brasil (1988 )
• Estatuto da Criança e do Adolescente (lei n.8069/90
• A declaração de Salamanca (1994)
• A lei n.9394/96
FUNDAMENTAÇÃO:
 EDUCAÇÃO INCLUSIVA INTERAÇÃO E INTEGRAÇÃO
FAMÍLIA-PROCESSO EVOLUTIVO

• A base da sociedade – a mais primitivas formas de associação


da humanidade, uma instituição de direito natural e de grande
importância para a formação do indivíduo,onde começamos
assimilar hábitos, costumes, crenças, valores e normas.

 INTERAÇÃO FAMILIA-ESCOLA NO PROCESSO


EDUCACIONAL

• Papel da família –exerce um importante papel na


constituição da nossa sociedade.
FUNDAMENTAÇÃO:
• Família é a unidade básica da sociedade humana.
• O dever da família com o processo de escolaridade e sua
presença no contexto escolar é publicamente reconhecido na
legislação nacional e nas diretrizes do Ministério da Educação.

 CONCEPÇÕES DA COMUNIDADE ESCOLAR E FAMILIAR SOBRE


EDUCAÇÃO INCLUSIVA

• Transformar a escola num ambiente de harmonia entre


direção,professores e familiares dos alunos, todos deverão
estar empenhados para atingir seu objetivo: o crescimento e
progresso da cada uma daquelas crianças.
AUTORES PESQUISADOS:
• ARROYO, Miguel G. Oficio do Mestre:
imagens e auto-imagens. Petrópolis: Vozes,
1987.
• BRASIL. Constituição de 1988. Constituição
da República Federativa do Brasil.
Brasília, DF: Senado, 1988.
• BRASIL. Lei de Diretrizes de Bases da Educação
Nacional. Lei nº9394, 20 de Dezembro de 1996.
Brasília, Ministério da Educação, 1996.
AUTORES PESQUISADOS:
• FIGUEIREDO, R. V. Políticas de Inclusão: Escola-Gestão de
Aprendizagem na Diversidade-Rio de Janeiro-2002.
• FONSECA, Vitor da. Educação Especial.Porto Alegre: Artes
Médicas, 1987.
• FRIZZO, Mariza Nunes. Políticas e Formação de Professor.
2003.
• GUEBERT, Mirian Célia Castelliain. Inclusão: uma realidade
em discussão-Curitiba: IBPEX, 2004.
AUTORES PESQUISADOS:
• HERRERO, M. Jesus Presentacion. Educação de
alunos com necessidades especiais_Bauru Edus,
2000. (coleção educar).
• MAZZOTA, Marcos José Silveira. A Educação
Especial no Brasil: História e Políticas Públicas,
Cortez, 2003.
• BRASIL, ONU-Declaração Universal dos
Direitos do Homem. 1948.
• SANTOS, L.T. O Olhar do Deficiente. 1995.
METODOLOGIA:
• Realizado pesquisa de campo em duas escolas da rede
púbica municipal, investigando através de questionários,
com o objetivo de conhecer o ambiente escolar, verificar
as dificuldades e passar para os profissionais o objetivo
do nosso trabalho.
RESULTADO DA PESQUISA:
• 80% dos profissionais não estão aptos a trabalhar com as
deficiências.
• A escola não apresenta condições adequadas para
receber essas crianças.
• Não tiveram problema de rejeição, até porque o acesso e
a permanência de forma igualitária de todas as crianças
no ensino regular são garantido por lei.
• A concepções dos professores, o processo de inclusão,
todos alunos na escola regular, independente de cor,
raça, deficiência, oferecendo oportunidade e participação
de forma igualitária como pessoas capazes de
desempenhar a sua função na sociedade.
CONCLUSÃO DO TRABALHO:
• Superação das dificuldades, reduz a exclusão e
mudanças na prática inclusiva.
• Preocupados em melhorar condição do ensino-
aprendizagem.
• Proporcionar integração família-aluno-escola,
respeitando as limitações das crianças com
necessidades educacionais especiais.