Você está na página 1de 16

FENÔMENOS DE TRANSPORTE INDUSTRIAIS

Aula 9- Radiação Térmica


Fenômenos de transporte industriais

Conteúdo Programático desta aula

 Corpo negro e corpo cinzento;


 Emissividade;
 Lei de Stefan – Boltzmann;
 Fator forma.

RADIAÇÃO TÉRMICA – AULA9


Fenômenos de transporte industriais

RADIAÇÃO

A RADIAÇÃO PODE SE DEFINIDA COMO O PROCESSO PELO


QUAL CALOR É TRANSFERIDO DE UM SUPERFÍCIE EM ALTA
TEMPERATURA PARA UM SUPERFÍCIE EM TEMPERATURA MAIS
BAIXA QUANDO TAIS SUPERFÍCIES ESTÃO SEPARADOS NO
ESPAÇO, AINDA QUE EXISTA VÁCUO ENTRE ELAS. A ENERGIA
ASSIM TRANSFERIDA É CHAMADA RADIAÇÃO TÉRMICA E É
FEITA SOB A FORMA DE ONDAS ELETROMAGNÉTICAS.

RADIAÇÃO TÉRMICA – AULA9


Fenômenos de transporte industriais

:
• TODOS CORPOS EM TEMPERATURA ACIMA DO ZERO
ABSOLUTO EMITEM CONTINUAMENTE RADIAÇÃO
TÉRMICA;

• AS INTENSIDADES DAS EMISSÕES DEPENDEM


SOMENTE DA TEMPERATURA E DA NATUREZA DA
SUPERFÍCIE EMITENTE;

• A RADIAÇÃO TÉRMICA VIAJA NA VELOCIDADE DA


LUZ, 300.000 KM/S.

RADIAÇÃO TÉRMICA – AULA9


Fenômenos de transporte industriais

A RADIAÇÃO TÉRMICA SE PROPAGA ATRAVÉS DE


ONDAS ELETROMAGNÉTICAS DE MANEIRA SEMELHANTE ÀS
ONDAS DE RÁDIO, RADIAÇÕES LUMINOSAS, RAIO-X, RAIOS-Γ,
ETC,
DIFERINDO APENAS NO COMPRIMENTO DE ONDA ( Λ ).

RADIAÇÃO TÉRMICA – AULA9


Fenômenos de transporte industriais

A RADIAÇÃO TÉRMICA SE PROPAGA ATRAVÉS DE ONDAS


ELETROMAGNÉTICAS DE MANEIRA SEMELHANTE ÀS ONDAS DE
RÁDIO, RADIAÇÕES LUMINOSAS, RAIO-X, RAIOS- Υ, DIFERINDO
APENAS NO COMPRIMENTO DE ONDA ( λ )

RADIAÇÃO TÉRMICA – AULA9


Fenômenos de transporte industriais

• A EMISSIVIDADE É O PODER DE EMISSÃO, É A ENERGIA


RADIANTE TOTAL EMITIDA POR UM CORPO, POR UNIDADE
DE TEMPO E POR UNIDADE DE ÁREA ( KCAL/H.M2 NO
SISTEMA MÉTRICO ).

• A INTENSIDADE DE RADIAÇÃO TÉRMICA DEPENDE DA


TEMPERATURA DA SUPERFÍCIE EMISSORA.

RADIAÇÃO TÉRMICA – AULA9


Fenômenos de transporte industriais

• A FAIXA DE COMPRIMENTOS DE ONDA ENGLOBADOS PELA


RADIAÇÃO TÉRMICA FICA ENTRE 0,1 E 100 Μ ( 1 M = 10-6 M).

• ESSA FAIXA É SUBDIVIDIDA EM ULTRAVIOLETA, VISÍVEL E


INFRAVERMELHA.

• O SOL, COM TEMPERATURA DE SUPERFÍCIE DA ORDEM DE


10000 °C EMITE A MAIOR PARTE DE SUA ENERGIA ABAIXO DE
3 Μ.

• UM FILAMENTO DE LÂMPADA, A 1000 0C, EMITE MAIS DE 90 %


DE SUA RADIAÇÃO ENTRE 1 Μ E 10 Μ.

RADIAÇÃO TÉRMICA – AULA9


Fenômenos de transporte industriais

CORPO NEGRO

Corpo Negro, ou irradiador ideal, é um corpo que emite e


absorve, a qualquer temperatura, a máxima quantidade
possível de radiação em qualquer comprimento de onda. O
corpo negro é um conceito teórico, padrão com o qual as
características de radiação dos outros meios são
comparadas.

RADIAÇÃO TÉRMICA – AULA9


Fenômenos de transporte industriais

CORPO CINZENTO

Corpo Cinzento é o corpo cuja energia emitida ou absorvida


é uma fração da energia emitida ou absorvida por um corpo
negro. As características de radiação dos corpos cinzentos se
aproximam das características dos corpos reais.

RADIAÇÃO TÉRMICA – AULA9


Fenômenos de transporte industriais

EMISSIVIDADE

É A RELAÇÃO ENTRE O PODER DE EMISSÃO DE UM CORPO


CINZENTO E O DO CORPO NEGRO

RADIAÇÃO TÉRMICA – AULA9


Fenômenos de transporte industriais

RADIAÇÃO TÉRMICA – AULA9


Fenômenos de transporte industriais

FATOR FORMA

AO DETERMINAR A FRAÇÃO DA RADIAÇÃO DIFUSA QUE


DEIXA UMA SUPERFÍCIE E É INTERCEPTADA POR OUTRA E
VICE-VERSA, CALCULAMOS A FRAÇÃO DA RADIAÇÃO
DISTRIBUÍDA QUE DEIXA A SUPERFÍCIE AI E ALCANÇA A
SUPERFÍCIE AJ QUE É DENOMINADA FATOR FORMA PARA
RADIAÇÃO FIJ.

RADIAÇÃO TÉRMICA – AULA9


Fenômenos de transporte industriais

A ENERGIA QUE DEIXA A1 E ALCANÇA A2: q12 = En1 A1 F12

A ENERGIA QUE DEIXA A2 EM DIREÇÃO A A1: q21 = En2 A2 F21

Q = q12 - q21

RADIAÇÃO TÉRMICA – AULA9


Fenômenos de transporte industriais

RADIAÇÃO TÉRMICA – AULA9


Fenômenos de transporte industriais

UM CASO BASTANTE COM EM APLICAÇÕES INDUSTRIAIS É


QUANDO A SUPERFÍCIE CINZENTA QUE IRRADIA É MUITO
MENOR QUE SUPERFÍCIE CINZENTA QUE RECEBE A
RADIAÇÃO ( POR EXEMPLO UMA RESISTÊNCIA ELÉTRICA
IRRADIANDO CALOR PARA O INTERIOR DE UM FORNO ).
PARA ESTE CASO ESPECÍFICO, O FATOR FORMA É
SIMPLESMENTE A EMISSIVIDADE DA SUPERFÍCIE
EMITENTE.

RADIAÇÃO TÉRMICA – AULA9