Você está na página 1de 34

Introdução à Macroeconomia

Pedro Telhado Pereira


António Almeida
As raízes da Macroeconomia
• A Grande Depressão – Anos 30 do Séc. XX
nos E.U.A. – Colapso dos preços da Bolsa
• Outubro de 1929 1,5 milhões de
desempregados
• 1933 13 milhões de desempregados
(em 51 milhões de trabalhadores)
• 27% menos de produção em 1933 do que em
1929.
• Desemprego superior a 14% até 1940.
Teoria Clássica
• Adam Smith (1723 - 1790) - '' A Riqueza das
Nações'' (1976) - a ideia de uma mão invisível.
• Aplicação de modelos microeconómicos
Exemplo: excesso de oferta de trabalho,
diminuição dos salários até novo equilíbrio.
• Recessões seriam passageiras porque com o
aumento do desemprego os salários decresciam e os
produtores contratariam mais trabalhadores,
aumentando a produção.
• Isto não aconteceu durante a grande depressão.
A revolução Keynesiana
• The General Theory of Employment,
Interest and Money, por John Maynard
Keynes, publicada em 1936.

• O governo devia intervir na alturas de


recessão para levar a uma recuperação.
Como funcionou a Teoria
Keynesiana?
• Grande parte da teoria macroeconómica
recente se baseia nos trabalhos de Keynes. As suas
“recomendações” pareceram funcionar nos anos
60s, mas nos 70s e 80s aparece a estagnação
acompanhada de inflação, ou seja períodos de
grande inflação e alto desemprego.
• A teoria keynesiana é posta em causa.
• Actualmente existem várias escolas
macroeconómicas como veremos neste curso.
Quais as preocupações principais
dos Macroeconomistas?

• Inflação

• Crescimento do Produto

• Desemprego
Inflação

• Aumento generalizado dos preços

• Os problemas que a hiper-inflação origina:


– Dificuldade de planeamento a médio e longo prazo
– Perca de poder de compra das pessoas com
rendimentos constantes
– …
ÍNDICE DE PREÇOS NO CONSUMIDOR

 
(BASE 100: 2002)
PORTUGAL

TOTAL
Variação média
Variação Variação
dos últimos
Índice do mês mensal homóloga
12 meses
% %
%
Anos
2002 2003 2002 2003 2002 2003 2002 2003
Meses
Janeiro 98,2 102,1 0,2 0,1 3,5 4,0 4,3 3,7
Fevereiro 98,0 -0,2 3,2 4,1
Março 98,4 0,4 3,2 4,0
Abril 99,3 0,9 3,6 3,9
Maio 99,9 0,6 3,3 3,8
Junho 100,2 0,3 3,4 3,7
Julho 100,3 0,1 3,4 3,6
Agosto 100,5 0,2 3,7 3,6
Setembro 100,4 -0,1 3,7 3,6
Outubro 101,1 0,7 4,0 3,6
Novembro 101,8 0,7 4,0 3,6
Dezembro 102,0 0,2 4,0 3,6
Crescimento do Produto no médio e
longo prazo

• Produto – montante de bens e serviços


produzidos durante um certo período,
normalmente um ano

• Recessões – quando o período decresce


pelo menos em 2 trimestres consecutivos
Evo luç ão d o PIB re al

12

10

4
Série1
2

0
1 950 1955 1 960 1 965 1 970 1975 1 980 1 985 1990 1 995 2000

-2

-4

-6
a no
Dados recentes:
• Do Destaque do INE
• “Produto Interno Bruto cresce 0,5% em 2002
• O Produto Interno Bruto (PIB) português cresceu, em termos reais,
0,5% no ano 2002, em desaceleração face ao crescimento verificado
em 2001 (1,6%). Este abrandamento derivou da evolução da procura
interna, que recuou 0,4% face ao ano anterior, particularmente
condicionada pelo investimento.
• A procura externa líquida, por outro lado, contribuiu positivamente
para o crescimento do PIB, em virtude do comportamento das
Exportações de Bens e Serviços, que cresceram 2,0% em relação ao
ano anterior.”
• “O primeiro semestre do ano foi caracterizado por um
crescimento relativamente elevado, de 1,6% em volume
face a igual semestre do ano anterior. Este período
beneficiou fundamentalmente da procura interna,
conjugada com um interessante ritmo de crescimento das
Exportações de Bens e Serviços.
• Pelo contrário, o 2º semestre de 2002 foi marcado pela
contracção do PIB, em 0,7% face ao período homólogo,
em virtude do pronunciado arrefecimento da procura
interna, com especial destaque para o Investimento.”
Desemprego:
• Taxa de desemprego - Percentagem da
população activa desempregada.

• Como veremos mais adiante a taxa de


desemprego zero não é o objectivo.
Evo luç ão d a t axa d e d e s e mp re g o

1 2,0%

1 0,0%

8,0%

6,0% Sér ie1

4,0%

2,0%

0,0%
1 950 1 955 1 960 1 965 1 970 1 975 1 980 1 985 1 990 1 995 2000

Ano
População e Condições Sociais

                                                                                                                                                                               
Intervenção na Economia
• Política Fiscal (Governo)
– Impostos
– Despesa Pública
• Política Monetária (Banco Central)
– Taxa de desconto
– Reservas obrigatórias
• Políticas estruturais (Governo)
– Novo enquadramento jurídico
Componentes da Macroeoconomia
Os três mercados da Macroeconomia

• Mercado dos bens e serviços

• Mercado Monetário (Financeiro)

• Mercado do Trabalho
Metodologia em Macroeoconomia

• Fundamentos Microeconómicos

• A procura e a oferta agregada


– Procura agregada – procura total por bens e
serviços
– Oferta agregada – oferta total de bens e
serviços.
Procura e Oferta Agregadas
• Não confundir com a procura e oferta no
mercado individual
– Relembrar o que se mantém constante.
Medição da actividade económica

• Produto Interno Bruto – PIB (GDP em


inglês)
– É a soma dos valores monetários do consumo,
do investimento bruto, das compras de bens e
serviços pelo Estado e das exportações líquidas
produzidos num país durante um ano.
ou
• GDP is the total market value of a country's
output. It is the market value of all final
goods and services produced within a given
period of time by factors of production
located within a country.
Algumas notas
• Bens finais
– Logo não inclui os bens intermediários
– Falamos de valor acrescentado
• Produzidos num dado territorial
– Logo não inclui bens produzidos no estrangeiro por
nacionais
• Bens novos
– Logo não inclui bens usados nem simples transacções
monetárias
Cálculo do PIB
• Óptica da Despesa

• Óptica do Rendimento

• Equivalência entre as duas ópticas


Óptica da Despesa
• Consumo (C)

• Investimento Privado (I)

• O Consumo e Investimento Públicos (G)

• As exportações líquidas (EX – IM)


PIB = C + I + G + (EX – IM)
Óptica do Rendimento
• PIB = Rendimento Nacional +
Amortizações + (impostos indirectos –
subsídios) + pagamentos de factores
líquidos ao resto do mundo + outros

• Outros – inclui transferências entre


empresas e erros de colecta de dados
Rendimento Nacional
• rendimento total obtido pelos nacionais
detentores de factores de produção
– Salários
– Rendas
– Juros
– Lucros
Rendimento disponível - RD
• PIB  PNB

• PNB  PNL

• PNL  RN

• RN  RD
Verifique a igualdade entre a
poupança e investimento
I+X=PS+GS
Investimento interno mais
exportações líquidas é igual poupança
privada mais o excedente orçamental
Para além das contas nacionais
• Trabalho não contabilizado
– Exemplo – trabalho das donas de casa

• A economia subterrânea

• Prejuízos ambientais
Distinguir valores reais e
nominais
O índice de preços ou deflator