Você está na página 1de 19

1


O

Obrigações
for growth

1
Obrigações?

Obrigações são um dos produtos financeiros mais
utilizados em todo mundo. Segundo Suresh Sundaresan
(2004, p. 3), cerca de 2/3 de todos os produtos financeiros
emitidos à escala mundial são obrigações clássicas.

2
Empréstimo Bancário

Depósito Empréstimo
Cliente Bank Empresa

4% 8%

3
Obrigações

Depósito
Clientes
Familias
Empresa
Bolsa de Valores

Bancos

Seguradoras
6%

Instituições

4
Mecânica e Procedimento dos Juros

Público em Geral; Empresas


Bancos; Seguradoras;
Fundos de Pensões;
Empresas; Capitais
de Risco; Investidores
Nacionais ou
Estrangeiros; ONG’s,
Governos,
Organismos
Internacionais,
5
Obrigações?

 São empréstimos na sua verdadeira acepção do termo.


Pagam juros, em regra semestrais, sendo que o principal
pago no final da maturidade e são transaccionáveis.

6
Obrigações?

 Combinam:
 Rentabilidade!


Segurança!

 Estabilidade!

 Tradição!

7
Empresas que já Emitiram Obrigações

4.552.352.000 CVE 750.000.000 CVE

Tesouro: OT’s e
BT´s

500.000.000 CVE
600.000.000 CVE
8
Próximas Operações

820.000.000 CVE

1.300.000.000 CVE 1.500.000.000 CVE

9
Vantagens para as Empresas?
 Primeira: A empresa tem a possibilidade de protelar o pagamento do principal para
o final da vida do empréstimo, pagando durante a vida da obrigação apenas os juros.
Não asfixia a empresa em termos de tesouraria.

 Segunda: Na maturidade, a empresa tem ainda a possibilidade de converter as


obrigações em acções ou emitir um novo empréstimo obrigacionista.

 Terceira: As taxas de Juro das obrigações são mais baixas do que nos tradicionais
empréstimos bancários. Porquê?

 1.º- A dispersão de risco entre vários investidores decresce o prémio de risco exigido
= Tx. de Juro = Custo do dinheiro no tempo+ Inflação + Prémio de risco/N

 2.º - Ao abrigo da Lei n.º 39/V/97 de 17 de Novembro as obrigações privadas cotadas


em Bolsa beneficiam de uma redução de 20% do respectivo rendimento para efeitos
do IUR. Repercute na taxa de Juro. Proximo ano 5% . (proposta)

10
Vantagens para os Investidores

 Primeira: As obrigações garantem


rentabilidades superiores aos tradicionais
mecanismos de poupança. Via as Obrigações
os investidores podem ser banqueiros da
empresa assegurando a mesma taxa de
rentabilidade que um banco aufere.

 Segunda: Benefícios fiscais importantes. Os


depósitos a prazo, além de terem taxas mais
baixas que as obrigações, são tributados a
20% e as obrigações a 5% (proposta no OE) .
O que se afigura como um claro estímulo à
poupança.

 Terceira: Privilégios creditórios e segurança


que resultam da Lei.
 Quarta: Estabilidade dos CF’s
11
Vantagens para os Bancos

Primeira: Transmissibilidade – o que permite uma
melhor gestão dos grandes riscos.


Segunda: Benefícios fiscais importantes - Os
rendimentos das Obrigações cotados em Bolsa são
tributados a 12%.


Terceira: A segurança do crivo dos procedimentos da
Oferta na Bolsa de Valores e de Prestação das
Informações materialmente relevantes impostos pelo
mercados regulamentados.


Quarta: Maior diversificação das Carteiras

12
Questões processuais da Emissão
 As disposições legais para a emissão de obrigações estão previstas
no Decreto – Legislativo nº 3/99 de 29 de Março que aprova o
Código das Empresas Comercias; para a admissão á cotação no
artigo 38.º do Código de Valores Mobiliários – Lei nº 52/V/98 de 11
de Maio e no Circular 02/BVC/00;

 A oferta é lançada por um intermediário financeiro que representará


a emitente e submeterá os documentos legais à aprovação junto da
Auditoria Geral do Mercado de Valores Mobiliários;

 É necessário Elaborar o Prospecto e o Anúncio de Lançamento (a


BVC dará todo o apoio necessário para o efeito);

 Segundo o Código das Empresas comerciais, a emissão de


Obrigações está sujeita a registo junto da AGMVM;

 Oferta Pública : 30 dias; Oferta Privada: imediata após o registo

13
Custos das Emissões
 Taxa de Registo na AGVM – 100.000 escudos – artigo 3.º do
Regulamento 1/2005 do BCV.

 Taxa de admissão à cotação 1,5%o (0,0015) com um máximo


de 1500.000 escudos.

 Taxa de Bolsa para a realização da Oferta Pública é de 1,25%o


(0.00125) – artigo 7º do regulamento 1/2005 do BCV.

 A custódia dos títulos desmaterializados é de 0,5%o (0.0005) –


artigo 12.º do regulamento 1/2005 do BCV.

 O Intermediário Financeiro que lidera a operação, cobra um


valor fixo (1%) para a colocação dos títulos no mercado e é
responsável subsidiariamente com a Empresa na emissão.

14
Flexibilidades que incrementam valor
 Reembolso antecipado pelo valor total ou parcial do empréstimo

 Emissões parcelares e graduais

 Taxas variáveis ou fixas

 Novas emissões para a conversão de emissões antigas

 Tranches comportam diversos prazos e maturidades mais alargadas.

 Com vários potenciais investidores a empresa não fica amarada aos


fundos próprios dos Bancos. Um dos sérios problemas do sistema
financeiro nacional.

15
Riscos

EMPRESA
 Não existe nenhum outro risco para a empresa
além do risco normal de um empréstimo
tradicional:


O risco do incumprimento no pagamento de juros ou do
principal .


INVESTIDORES


O risco de Incumprimento

16
Decréscimo de Remessas

17
IT´s

18

Fonte: MFAP
1

O

Obrigações
for growth

19