Você está na página 1de 32

QUINZENÁRIO INDEPENDENTE AO SERVIÇO DAS COMUNIDADES DE LÍNGUA PORTUGUESA

1 a Quinzena de Maio de 2009


Ano XXIX - No. 1062 Modesto, California
$1.50 / $40.00 Anual

As Capas mais lindas do Mundo!

RECONHECIMENTO Extraordinária foto de Jackson Nichols, fotógrafo freelance, em Gustine


2008. Jackson vai publicar um livro de fotos sobre as Festas.
São Jorge reconhece
Batista Vieira e Tributo
A Câmara Municipal das Velas, São Jorge, no SATA reduz $400.00
na viagem de 8 de Junho
dia do seu padroeiro a 23 de Abril, atribuíu
Medalhas de Prata a Batista Vieira e ao Con-
junto Musical Tributo, pelo grande contributo
que ambos têm dado ao desenvolvimento so-
Como resposta à pouca afluência de viajantes para os de Junho, com regresso a 29 do mesmo mês. A passagem
cial e cultural do Municipio das Velas. Açores, devido à crise económica, a SATA resolveu re- ida e volta custará $850.00 mais taxas.
Parabéns a todos. duzir em $400.00 dólares o preço da passagem do dia 8 Ver anúncio na página 23.

ARTE C o n v en ç ã o Es p e c ia l e m Junho vai de c idir


Que é feito do nosso
Teatro?
Já nem nos lembramos qual foi a ultima vez
União da IDES, SES,
UPEC e UPPEC
que houve teatro na nossa Comunidade. Já
foi há tanto tempo.
Vimos outro dia uma foto de 1986 de uma
peça de teatro, onde estava Cunha de Olivei-
O Conselho Supremo da Irmandade do Espírito Santo do unir-se, tomando o nome de PORTUGUESE FRATER-
ra, Antonieta, Luciano Cardoso, Inês Eiras, Estado da California (I.D.E.S), Conselho Supremo da So- NAL SOCIETY OF AMERICA.
Hélio Paiva. Outros tempos. ciedade do Espírito Santo do Estado da California (S.E.S.), Nos dias 20 e 21 de Junho vai haver uma Convenção Es-
Com tantos bons actores que temos na nos- Conselho Supremo da União Portuguesa do Estado da pecial para a aprovação oficial da união.
sa comunidade (basta vê-los nos Bailinhos California (U.P.E.C.) e o Conselho Supremo da União Tudo leva a crer que esta convenção dará o seu apoio a
de Carnaval) podia-se e bem fazer um bom Protectora do Estado da California (U.P.P.E.C.) resolveram esta união de fraternais.
grupo de teatro a nível de toda a California.
Quem dá o primeiro passo? portuguesetribune@sbcglobal.net • www.portuguesetribune.com • www.tribunaportuguesa.com
2 SEGUNDA PÁGINA 1 de Maio de 2009

Crónicas do Perrexil
O teste da porta J. B. Castro Avila
EDITORIAL e o Dia da Mãe

F
SATA mais barata... ez esta semana seis congregação religiosa tem nossas Ilhas. Desde peque- é uma planta endémica

A
anos que nos mu- os mesmos direitos que o no que sou um apaixonado da Macaronésia e Europa
dámos para Mo- homem? Pode a mulher por esse produto e quando Ocidental.
s páginas das Festas do Espirito Santo e não vou às Ilhas fico um bom Se nunca experimentaram
só, e que são elaboradas com muito traba- desto. Parece que ascender aos cargos que os
foi ontem, mas já vimos homens ascendem?” bocado a olhar para ele, não sabem o que estão a
lho pela Irmandade do Espirito Santo IDES, a parti-lo e a cheirá-lo. perder.
Modesto crescer substan- Não, diziam eles. En-

E
ocupam cinco páginas do nosso jornal. Rece- Chama-se simplesmente
cialmente, já temos mais tão despedíamo-nos e eu
bemos muitos telefonemas por causa desta lista. Já agora netos, muitos mais amigos convidava-os a regressar PERREXIL, ou como é sta cena passou-
vou-vos pedir um favor. Façam sentir aos responsáveis e estamos mais velhos. O quando a Igreja ou a reli- conhecido noutras terras se em Tracy nu-
das vossas festas, que forneçam todas as informações Tribuna evoluíu imenso gião deles tivesse a mulher o Funcho do Mar. Até há ma tarde de toiros
das festas no principo do ano, para assim a IDES po- no seu aspecto gráfico e no mesmo pedestal que uma cidade no Brasil com há anos. No in-
der atempadamente publicar as mesmas quer na internet de colaboradores, enfim, tem o homem. este nome. tervalo passei por um gru-
quer através do Tribuna. Não se esqueçam disso. Infe- foram seis anos de muitas Isto aconteceu talvez uma Perrexil em curtume é algo
po de homens, todos eles
coisas boas. duzia de vezes. Infeliz- de fabuloso, para acom-
lizmente muitas organizações não compreendem o be- já bastante idosos, onde se
É normal quando uma mente nunca mais me ba- panhar pratos de peixe e
neficio desta lista. derivados. Uma maravi- discutia acaloradamente a

A
pessoa se muda que as teram a porta. É pena, não primeira parte da corrida.
congregações religiosas é? lha da terra. Na Graciosa
SATA baixou os preços na viagem de 8 de havia muito perrexil, mas “Uma autêntica miséria,
te batam a porta a ofere- Já agora lembro o artigo 1
Junho com regresso a 29 do mesmo mês, em lembro-me que a primeira Isto está cada vez pior,
cerem os seus préstimos. da Declaração Universal
$400.00 dólares por pessoa. Decisão acertada Aconteceu-nos em Milpi- dos Direitos do Homem: vez que fui à Boca do In- Estas Corridas de Praça
e queremos crer que em outras datas poderá tas e em San José. ferno, no Guincho, Sintra não prestam para nada, Os
acontecer a mesma coisa. A crise económica mundial Também sucedeu o mesmo “Todos os seres humanos em 1960, fiquei pasmado Toiros parecem bezerros”.
obriga a que as companhias aéreas sejam inovadoras, in- em Modesto. nascem livres e iguais em com a abundância do per- Enfim, era tal a sinfonia de
teligentes e acompanhem os desejos dos seus clientes. A cena era interessante de dignidade e em direitos. rexil. Enchi dois sacos de palavras dignas de registo.
Esperemos que a SATA possa responder bem à nossa recordar. Batiam à porta e Dotados de razão e de plástico e ofereci-os aos
Um dos mais velhos, nun-
ao abrir as pessoas diziam consciência, devem agir meus tios que viviam em
comunidade. ca disse nada e quando o

D
donde vinham. Educada- uns para com os outros Queluz. Eles nunca tinham
visto daquilo e ficaram disse, falou assim: “Ó seus
evemos sentir-nos bem, quando um dos nos- mente eu dizia mais ou em espírito de fraterni- toleirões. Vocês alguma
menos isto: “Olhe, eu vou- dade.” também viciados.
sos é reconhecido na sua terra natal. Infeliz-

E
O ano passado em con- vez viram toiros de Praça
lhes fazer uma pergunta
mente a RTP Açores deu a noticia tão apres- versa com uma senhora, na nossa terra?”
muito simples. Se respon- stava a pensar dar
sadamente que só conseguimos reconhecer derem sim, os senhores um nome a esta numa das nossas festas, “T’ás doido ou quê, eram
os cabelos brancos de Batista Vieira em menos de 5 se- podem expor as suas ideias nossa conversa. ela dizia-me que tinha um vinte escudos, eu não os
gundos, mas logo a seguir a mesma RTP Açores (desca- e nós conversaremos o Levei algum tem- canteiro cheio de perrexil. tinha para o gastar, res-
radamente) gastou quase 4 minutos a falar no jogo Santa tempo que for preciso, se po a pensar que título é Eu prometi-lhe ir visitá- ponderam todos quase em
Clara-Boavista. Critérios que não se compreendem. À responderam não, a con- que haveria de dar. E então la, mas perdi o contacto e uníssono”. Voltem lá para
atenção do nosso amigo Pedro Bicudo.. versa acabará aqui. Está uma luz apareceu no fun- agora peço-lhe que me te- a segunda parte e apren-
bem? Perguntava eu? Sim do do tunel. Lembrei-me lefone, pois eu irei alegre dam a ver toiros.. seus ba-
Obrigado RTP Açores pelo mau servico que prestaste. Já
senhor, respondiam eles. de um nome de uma coisa e prazenteiramente a sua nanas.
estamos acostumados. casa encher um saco plas-
Muito bem, a pergunta é que eu adoro e que não é E a segunda parte come-
Noticiários assim nem no tempo do Chico Baeta. tico para curtir. O Perrexil
esta - “a mulher na vossa muito comum em todas as çou 15 minutos atrasada.
jose avila

Year XXIX, Number 1062, May 1, 2009


COLABORAÇÃO 3

Tribuna da Saudade A Guerra das Bandeiras


Ferreira Moreno popular e concorrido restaurante militares. Assembleia dos Cravos, numa
“Angra do Capitão”, onde se bebe Mas o meu afilhado (benza-te, decisão peremptória e inabalá-
bem e come-se melhor. Deus) não arredou pé, nem tão vel, receando o reaparecimento

P
Pelos vistos, um disfarçado ge- pouco se acobardou perante a fantasmagórico de Steinbeck,
or razões a que até o “Captain’s Cove”, situado em neral, com medalhas pregadas no ameaça do general. E tal qual o concordaram polifonicamente na
próprio diabo não tem a Cannery Row, cidade de Monte- cu das calças, fora inaculado p’ra nosso compatriota Zé dos Cocos resolução oficial de que as três
mínima expectativa de rey, teve de comparecer na Câ- fazer inspecção ao comércio e in- ripostou: “Antes morrer empan- bandeiras, içadas à entrada do
acesso ou possível com- mara Municipal a fim de explicar dústria, localizados na Avenida turrados que em paz desconsola- restaurante Angra do Capitão,
preensão, aparentemente conti- e justificar a presença de três ban- das Canarías, na cidade de Lata dos”. eram parte integral do patrimó-
nua acesa nos Açores a contro- deiras (americana, portuguesa e de Sardinhas, imortalizada pelo Claro, o general perdeu as estri- nio local.
vérsia àcerca da legitimidade em açoriana), em frente do edifício. laureado John Steinbeck, autor beiras e foi às nuvens. E num ar- P’ra selar este voto de tamanha
içar nos quartéis locais a bandeira A esse respeito, na minha coluna das novelas Cannery Row e Tor- roto de intensidade sismográfica, magnitude, comercial e indus-
representativa da Região Autóno- “Pois é, c’más coisas é”, publiquei tilla Flat. O despacho oficial não cheirando a vinha d’alhos, gritou trial, foi adicionada uma propos-
ma dos Açores. a mini-paródia que ora passo a se fez esperar: “Você tem de re- a plenos pulmões: ta de lei p’ra que a próxima reu-
Não é minha intenção destacar transcrever do (já extinto) jornal tirar imediatamente as bandeiras “Tu vais mas é p’ró xelindró”. nião da assembleia tenha lugar na
pormenores ou apontar nomes “Portugal-USA”, edição de 10 de em frente ao restaurante”. Imperturbável, o Francisco das Casa de Pasto do meu afilhado, a
da oposição, incluindo militares Dezembro, 1986. O título, fácil Tudo isto porque o meu rico afi- Olivas retorquiu: “Ó seu pedaço quem eu já aconselhei que ofe-
de alta patente e comando. Igual- de adivinhar, foi precisamente “A lhado, que se preza de ser simul- d’asno, se pretende spika inglês, reça como repasto gastronómi-
mente, não tenciono memoriar Guerra das Bandeiras”. taneamente um grande patriota diga City Hall e não xelindró”. co umas apetitosas e suculentas
o que aconteceu com as bandei- “Estava eu na minha oficina de e um bon vivant, tem três ban- E, sem mais delongas, o meu Sopas do Espírito Santo e Polvo
ras ao tempo do governo de Mota trabalho rindo-me a bandeiras deiras a adornar a entrada do seu afilhado dirigiu-se à Assembleia Guisado com canjirões de vinho
Amaral. De preferência, atrevo- despregadas com as últimas al- mui atractivo estabelecimento de dos Cravos, onde disparou o ulti- verde.
me a narrar uma caricata situa- voradas àcerca das brigas das comes-e-bebes. Ora estas ban- mato: “As minhas bandeiras con- O restaurante “Captain’s Cove”
ção que, aqui há anos na Califór- bandeiras entre generais e ilhéus, deiras (a americana, a portugue- tinuarão hasteadas pois que, abriu em 1974 e fechou em 1999.
nia, se criou à volta de bandeiras quando alvoraçado me entra sa e a açoriana), que de há muito além de serem símbolos polifór- Na lista de cocktails, confeccio-
expostas na frontaria dum restau- p’la porta dentro o meu afilhado se desfraldam, garridas e catitas, micos, elas representam a Liber- nados pelo Franklin, destacava-
rante pertencente a um açoriano. Francisco das Olivas. Este rapaz, marcando uma autêntica presença dade Yankee, o Império Alfa- se PORRA TONTA, preparado à
Franklin de Oliveira, presen- por sinal muito esperto, trata-me poliglótica nessa zona turística, cinha e a Autonomia Regional. base de rum, licor de maracujá e
temente aposentado, quando sempre por Godfather (padrinho), foram consideradas uma afronta Nestas bandeiras estão espelha- sumo de ananás.
era proprietário do restaurante ainda mesmo antes de abrir o seu à supina soberania dos escalões das a hamburger, a caldeirada e Da “Sapateia Açoriana”, de Vi-
a alcatra. O mesmo não se pode torino Nemésio, este par de qua-
aplicar àqueloutras bandeirolas dras:
no fim da Avenida das Canarías,
em frente ao Balneário das Lon- Bandeira do Espírito Santo
tras (Aquarium)”. Posta de sangue coalhado,
Aparentemente, a simples men- Com borlinhas como em manto
ção do recém-inaugurado bal- P’ra príncipe encantado.
neário avolumou-se em trunfo e
bisca, pois que rumores de nepo- No dia de ajustar contas,
tismo, favorecendo aquela nova Se as dos bodos não chegarem,
atracção turística e aquática, es- Teremos bandeiras prontas,
tavam já a escoar e a escorrer P’ràs torres que nos restarem.
p’la cidade Lata de Sardinhas.
Tanto assim que os membros da
4 COLABORAÇÃO 1 de Maio de 2009

Da Música e dos Sons


When I was a kid...
Nelson Ponta-Garça by root beer was gone, he used those looked at the pictures they took
npgproductions@gmail.com Christine Mittelstead jugs to bottle up his homemade on this trip, all in black and white,
Tulare vinho. Seems like there was showing all the relatives they left
always one of those jugs under behind. The little stone houses
the kitchen sink, in their house and rock fences. The pictures
Presente e futuro da A camera pans across a few head
of black and white cows grazing and in ours. It tasted like pretty don’t show the natural beauty of
Juventude na Comunidade across lush green rolling pastures
criss-crossed by hedges of wild
potent stuff whenever I got bra-
ve enough to take a sip from my
the islands, what my avos grew
up seeing every day. The pictures
Portuguesa blue hydrangeas, the teal blue sea mom’s glass. My avos also had
a huge fig tree by the garage.
don’t show the emotion of mis-
sing loved ones either. The pictu-
in the background.
Part II (Conclusão) My avo always had hydrangeas Warm ripe figs right off the tree, res just looked kind of dismal, so
growing in her yard. They were the best. He grew taro and kale in when I was a kid it made sense to
Continuação dos excertos da minha apresentação na not always the favored blue color, a small garden. He used to have a me that they left to come to Ame-
dairy, and even in his retirement rica. I’ve never lived anywhere
Conferencia Luso American Education Foundation mostly they were pink. But she
he always kept a few head of cat- else but California, but as I get ol-
always had those plants in her
yard. tle around. der the feeling of nostalgia to go
- É cristalinamente inquestionável que no passado, qualquer grupo My avo, my mom, and my aunt see where my people came from
étnico tinha grande dificuldade em assumir as suas raízes por My mom never grew hydrange-
as that I remember. Now, after used to play guitar and sing on gets stronger. My mom never got
questões de integração social. Aconteceu com os Portugueses, the Portuguese radio when the the chance to visit the islands and
Irlandeses, Italianos e Ingleses ao longo das ultimas décadas. Hoje, seeing this video I think unders-
tand why they were always there girls were young. When I was a I’ve always felt sad for her that
felizmente, não é assim. Temos ídolos em que nos revemos e é kid, my mom and avo would sing she didn’t.
moda ser-se de outro País. Jovens não fogem a regra... at my avo’s house. Just like I un-
derstand more now why my avo songs from the old country at the Saudade, so many meanings. It
- Em geral penso que a abordagem a presente situação da comuni- special programs the radio station not only means homesickness for
dade deve ser positiva mas sempre baseada na necessidade de re always grew the big purple grapes
over the arbor by the garage and would put on. I didn’t really un- your or your ancestor’s homeland,
estruturação, baseada em mediadas e acções sólidas, realistas e derstand what they were singing it also means a longing to have the
progressivas. then made his own wine. When
I was a kid, I liked the fact that about, but they always sounded people you miss most and the
- Já não somos os Portugueses “pobrezinhos que imigraram há so sad. times you remember spending
muitos anos”. Somos um povo estabelecido. there was always a gallon jug of
A&W root beer in the refrigera- My avos only went back to the with them back in your life.
- Existem realidades extremistas! Por um lado, aqueles que vivem Azores once, around 1959. I’ve
fechados na comunidade Portuguesa com uma integração mínima tor during the summer. When the
no país de acolhimento. Outros, completamente integrados, mas
com um distanciamento assustador da realidade de quem nasceu ou
viveu em Portugal.
- A continuidade das organizações Portuguesas no próximo século, A Outra Voz
na minha humilde opinião, ira depender da capacidade de transmis-
são de “testemunho” entre as gerações que edificaram a presença
Portuguesa no estrangeiro e os seus filhos e netos.
Goretti Silveira
-Há que se acabar com o conceito de se fazer algo porque já se faz
30, 40 ou 50 anos!

P
Soluções?
recisamente um ano Já há vários anos que se falava Finanças foi consultado? Quando
antes de celebrar o seu na possibilidade de fechar a es- uma paróquia investe o que a
Consolidação das entidades no sentido de se tornarem mais efecti-
Quinquagésimo Aniver- cola por falta de alunos e sabe-se nossa Paróquia das Cinco Chagas
vas e menos “Tribalistas” ou bairristas.
sário, a Escola das Cinco que o assunto chegou a ser discu- investiu numa escola, e quando
Renovação, baseada nos elementos que nos levaram a edificação do
Chagas, melhor conhecida por tido em reuniões do Conselho de existem dívidas relacionadas com
Presente Património das Comunidades Portuguesas, de que muito
Five Wounds School, vai fechar Finanças da Paróquia das Cinco essa escola, que nós os paroquia-
nos devemos orgulhar.
Chagas. Inesperadamente, no nos teremos que pagar no futuro,
Novos mecanismos de comunicação no sentido de aproximar os as suas portas para sempre. A Es-
dia 29 de Março, os paroquia- acho que a decisão deveria ter
cada vez mais dispersos Luso Descendentes. Nos dias de hoje cola das Cinco Chagas pertence
nos das Cinco Chagas, aqueles sido nossa. No mínimo, as assi-
comunica-se e estabelecem-se redes sociais de uma forma muito à Diocese de San Jose, a segun-
que foram à missa, receberam naturas do nosso Conselho de Fi-
diferente. Já não é a volta da fogueira ou a rezar o terço… (devia da maior instituição educacional
uma carta assinada pelo Páro- nanças da Paróquia deveriam ter
ser...) Mas, é através de redes virtuais online, com tudo de bom e de do Condado de Santa Clara. Das
co, o Padre Anthony J. Mancu- estado presentes numa carta com
mau que isso acarreta: Email, Myspace, facebook, Star Tracker… trinta e três escolas primárias ca-
so e pelo Director da Escola das o cabeçalho impresso da Igreja
Apostar no poder político e na continuidade da representação que os tólicas da Diocese de San Jose,
Cinco Chagas, Rod Tieman. No Nacional Portuguesa das Cinco
Portugueses tem fora de Portugal. vinte e uma são anteriores às entretanto, estranhei que o ca- Chagas ou Five Wounds Portu-
Acabar, sem preconceitos e com confiança com tradições rituais e Cinco Chagas e onze posteriores. beçalho impresso da carta fosse guese National Church, mesmo
outras manifestações sociais que já não fazem sentido e iniciar no- A primeira, Saint Claire, em San- da Escola das Cinco Chagas e que fosse “Só para inglês ver”.
vas actividades, sempre baseadas nos princípios dos nossos antepas- ta Clara, foi fundada em 1856; não da Igreja das Cinco Chagas Admito que nada sei sobre o pro-
sados mas com uma nova contextualização. a última, Sacred Heart Nativity e que faltassem as assinaturas tocolo indicado no encerramento
Coragem dos lideres fundadores dos alicerces da nossa comunidade School, em San Jose foi fundada dos nove membros do Conselho duma escola. Sei sim que existem
Portuguesa na diáspora de efectuarem mudanças. Agora! Antes que em 2001. de Finanças da Paróquia que, muitas maneiras de fechar uma
seja tarde de mais. A escola Five Wounds School embora existam simplesmente escola tal como existem muitas
foi fundada há quarenta e nove na capacidade de apoiar e acon- maneiras para abrir uma escola.
Vamos reflectir… Imagine-se uma comunidade Portuguesa edifi- anos pelo Reverendo Padre Ma- selhar o Pároco, normalmente E, agora também sei, que encer-
cada por um fenómeno de imigração como aconteceu na altura do rio B. Cordeiro para apoiar os ocupam lugares importantís- rar uma escola é doloroso e que
vulcão dos capelinhos, mas no ano 2009! filhos de imigrantes portugueses simos na vida duma paróquia. deve ser feito com muita conside-
da paróquia e abriu em Setembro Também, como membro da pa- ração e compaixão. São muitas as
Como seria a comunidade Portuguesa 10, 20, 30 anos depois… de 1960 sob a administração das róquia senti-me excluida da dita vítimas: professores desemprega-
Uma realidade muito diferente... Irmãs Franciscanas Hospitaleiras carta datada do dia 24 de Março. dos e alunos deslocados mas não
da Imaculada Conceição. Des- Agradece-se à comunidade da só.
de o início, atraiu crianças das escola, professores, pais, alunos,
diversas etnias representadas na antigos alunos, e amigos.
vizinhança como o atesta as fotos Tudo indica que a decisão foi fei-
e os apelidos dos alunos daquele ta a nível de escola e não de pa- Conclui na página 12
tempo. róquia. Será que o Conselho de

Luso-American Life
Insurance Society
License # 0825403

Serving our Portuguese


Communities for over 140 anos OUR ANNUITIES ARE CURRENTLY

• Life Insurance PAYING 4.5 % INTEREST


• Annuities For more information call
• IRA’s
• IRA Rollover Vice-President/Secretary Joseph Resendes.
• Education Savings Account 408-438-6740 or our LUSO Offices at
877-525-5876.
COLABORAÇÃO 5

Muito Bons Somos Nós Estado policial


Joel Neto “Que os médicos devem começar a cumprir horários, não duvido. Obrigá-los a fazê-
lo quando os hospitais continuam escassos, disformes, sobrecarregados e fundamen-
neto.joel@gmail.com talmente perigosos, é um absurdo.”

T
anto quanto diz respeito inclusive, os subscritores da universidade, de centro de saúde gosos, é um absurdo. Obrigá-los ção começada pelo tecto.
à esmagadora maioria maior parte dos seguros de saúde em seminário (e, naturalmente, a fazê-lo quando a própria classe
dos portugueses, ape- existentes no mercado se sentem telefonando ciclicamente para continua depauperada em várias in revista NS
nas uma pequeníssima inseguros também. um sítio ou para outro, avisando especialidades, sugada em toda
parte dos problemas da nossa No meio disto, uma classe profis- que houvera um acidente, que o a sua energia pelo excesso de ex-
Saúde vem diagnosticada na Car- sional foi, durante décadas, privi- banco se complicara, que não po- pectativas e recorrentemente de-
ta de Princípios de Coimbra. Diz legiada e extorquida: os médicos. diam comparecer). masiado esgotada para procurar
o documento, elaborado por um Poucos em número e apoucados Bem vistas as coisas, foi o siste- um mínimo de qualidade de vida
think tank avalizado pelo próprio em meios, os médicos portugue- ma e saúde que nos obrigou a ver para si própria, quanto mais para
Ministério, que os doentes onco- ses habituaram-se a ir a todas, os médicos como deuses, canga o paciente, é uma desumanidade.
lógicos não têm todos acesso aos numa correria desenfreada entre que nenhum deles merecia ter Um absurdo, uma desumanidade
mesmos tratamentos. Que os tra- hospitais e universidades, entre sido obrigado a transportar – e é – e, aliás, como tantas vezes com
tamentos que lhes são ministrados centros de saúde e seminários, de novo o sistema de saúde que este Governo, mais uma constru-
nem sempre são alvo de decisão entre clínicas privadas e contra- nos quer obrigar agora a vê-los
colegial entre as especialidades tos de prestação de serviços. An- como demónios, canga sobre to-
competentes. Que muitas vezes davam sempre atrasados, claro – das as outras injusta. Apesar de
os hospitais não conseguem dar e não raras vezes acabavam por tudo, foram os médicos quem
resposta atempada a casos atem- telefonar, quando havia já pacien- mais se empenhou em disfarçar
padamente diagnosticados. Que tes à espera há horas, a avisar de o terceiro-mundismo em que du-
regra geral os serviços de oncolo- que, afinal, não iam poder com- rante tantos anos o sector teve
gia estão pouco optimizados – e parecer. As suas contas bancárias de viver. Se ganharam muito di-
que, de resto, faltam especialistas metiam inveja. A sua qualidade nheiro, é o menos: tanto quanto
na matéria, tanto em resultado de vida metia dó. No essencial, me diz respeito, talvez até de-
de uma abertura insuficiente de eram missionários – e, natural- vessem ter ganho mais, tantos e
vagas anuais como de uma peda- mente, continuaram a compor- tantos foram os turnos de 16 e 24
gogia que esgota o entusiasmo do tar-te como missionários muito horas que tiveram de fazer, tantas
candidato muito antes de efecti- depois de a missão começar, em e tantas foram as noites que tive-
vamente o colocar em contacto algumas especialidades, a reve- ram de dormitar numa sala de in-
com a área. E, no entanto, não diz lar-se dispensável. As universi- ternamento, tantas e tantas foram
tudo. Não diz, por exemplo, que a dades produziam agora licencia- as vezes que tiveram de sacrificar
situação é a mesma (e muitas ve- dos em maior escala. Os médicos as suas famílias em prol da sobre-
zes pior) numa série de outras es- espanhóis invadiam o mercado. vivência desse sistema que agora
pecialidades. Que os rostos desta Brasileiros, ucranianos, romenos pretende diabolizá-los. Que de-
coisa toda, portanto os hospitais, – outros médicos começavam a vam passar a cumprir horários,
são em muitos casos Babilónias imigrar vindo das mais variadas não duvido. Que devam passar a
de aspecto (e às vezes de funcio- latitudes. Cansados, tantas vezes ser alvo de inspecções de assidui-
namento) rigorosamente terceiro- envelhecidos, os nossos perma- dade, como acontece com os pro-
mundistas, onde se entra com um neciam, no entanto, na sua corre- fissionais de qualquer outra área,
resfriado e se sai com uma pneu- ria. Se ainda tinham vida pessoal, também não. Obrigá-los a fazê-lo
monia. E que, de resto, não só os já nem se questionavam sobre o quando os hospitais continuam
utentes do Serviço Nacional de que isso pudesse significar – e escassos, disformes, sobrecarre-
Saúde se sentem inseguros como, aí andavam eles, de hospital em gados e fundamentalmente peri-

I.D.E.S OF ALVARADO STREET PROGRAMA


SAN LEANDRO, CALIFORNIA 10 de Maio de 2009 a 15 de Maio de 2009
Reza do Terço às 19:30 Horas

Festa Anual do Sábado, 16 de Maio de 2009

Divino Espírito Santo


14:00 horas Abertura oficial da Festa com Missa na Capela seguida da bênção
da carne, pão e vinho

16:00 horas Içar das bandeira e Troca das Coroas.


10 a 17 de Maio de 2009 Toque dos hinos Português e Americano e do Hino do Divino Espírito
Santo pela “Sociedade Filarmónica Recreio do Emigrante Português”
de Newark
790 Antonio Street
17:00horas Danças folclóricas pelo “Grupo Folclórico Alma Ribatejana” de
San Leandro, California Fremont.

18:00 horas Concerto pelas banda de música “Sociedade Filarmónica Recreio do


Emigrante Português”

19:00 horas Jantar de “Caçoila” seguido de baile abrilhantado por


Alcides Machado
Jantar e Baile – $10.00 por pessoa

21:00 horas Apresentação das Rainhas e Aias

Domingo, 17 de Maio de 2009

11:30 horas Inicio da formação da Procissão

12:00 horas Partida da Parada para a Igreja de St. Leander acompanhadas pelas
bandas Sociedade Filarmónica Recreio do Emigrante Português” e
“Sociedade Filarmónica União Popular”

12:30 horas Celebração da Santa Missa em Português

Come and Join us on this weekend of religious mea- 13:30 horas Saída da Igreja e regresso ao Salão
ning, Azorean traditions, and popular folklore
14:30 horas “Sopas e Carne” servidas a todos os presentes. Leilão e Concerto
musical durante a tarde.
YOU ARE ALL INVITED
6 COMUNIDADE 1 de Maio de 2009

Nascimento
Estes dois gémeos,
Mason e Landon,
Coisas & Loisas
nasceram no dia 4 de
Fevereiro no Hospital
do Kaiser Permanen- As nossas Coisas & Loisas desta quinzena vao ser preenchidas por
te em Santa Clara. Os uns versos de uma amiga deste jornal, que alem de mae tambem e
pais são Nelson e Jen- avo e no mes das Maes e tao bom ler quadras vindas do coracao.
nifer Gomes. Os avós
paternos são Joaquim
e Sãozinha Gomes e Ser mãe é o melhor do mundo
os maternos, Manuel Uma vida se gera em nós
e Maria Meneses. São Mas p’ra o sentirmos mais profundo
sobrinhos-netos do Temos que ser mães e avós
Padre João de Brito
Meneses, da Ilha Terceira. Fui mãe fiquei orgulhosa
Tribuna Portuguesa envia parabéns às familias Gomes e Meneses. Dois seres nasceran de mim
Um cravo e uma rosa
P’ra alegrar o meu jardim
Falecimento Foi Fundador e primeiro Presidente da
Associação de Patinagem do Pico. Mem-
bro do Conselho Superior da Federação São eles a luz dos meus olhos
Amilcar Quaresma Portuguesa de Patinagem, Director Carinhos dos meus afetos
1943-2009 Técnico de Patinagem dos Açores. Foi E agora agradeço a Deus
Treinador do Futebol Club da Madalena Porque já me deram três netos
Faleceu a 24 de Abril de 2009 em Alma- em 1989-90 e também Treinador do Sport
da, Portugal, o picoense Amilcar Goulart Lisboa e Benfica em 1990-91 e 1993-94 Ethan, Tiago e Vanessa
Quaresma, nascido em Março de 1943. de Corridas em Patins. A razão do meu viver
Ficou sepultado na Vila da Madalena, Amilcar Quaresma possuía cursos de lhe faço uma promessa
Pico, sua terra natal. Treinador de Futebol, Hóquei em Patins, de amá-los até morrer
Deixa de luto sua esposa Lucilia Mota Ténis de Mesa e era Juíz de Corrida em
Marques Quaresma e filhos Sofia Quares- Patins e Comissário Desportivo de Auto-
Lhes quero com tal ardor
ma e João Quaresma, além de seu irmão mobilismo.
Helder Quaresma, residente em San José, Que me enche o coração
Era diplomado em Educação Física pelo
California. Ser avó é um amor
Centro Espanhol de Educação Física de
Amilcar era filho de João Pires Quares- Barcelona. Que não tem explicação
ma e Ema Faria Goulart Quaresma, já Escreveu vário livros - “Manual de
falecidos. Corridas de Patins” (1973), “Aquecimento Mães e avós quero saudar
Amilcar Quaresma teve uma vida muito dinâmico nas Corridas de Patins” (1994), Com carinho e amor
activa em diversas vertentes. “Treino da Condição Física nas Corridas Que tenham saude em seu lar
Foi condecorado na Guerra Colonial com em Patins” (1994). E a santa paz do Senhor
a Medalha de Mérito Militar em Cam- Foi Redactor da Revista “Cascais Des-
panha, jogou futebol no Faial Sport Club porto 2000”. Teve colaboração dispersa Maria Pires
nos juniores em 1959-60 e seniores 1962- em muitos jornais: “Benfica”, “Cais Livingston
63, sendo campeão. Dez”, “Correio da Horta”, “O Dever”,
Jogou hóquei em patins e durante sete “Ilha Maior”, “O Telégrafo” e “Revista
anos foi o guarda-redes do Faial Sport Cultural Património”. Contribuíu para o
Club. texto dos livros do 5° e 6ª anos do Ensino
Foi Campeão da FNAT em Atletismo, Basico “Hoje há Educação Física”.
Andebol de Sete e Ténis de Mesa. Tribuna Portuguesa envia sentidas condo-
Até foi árbitro de futebol durante duas lências a toda a família Quaresma.
temporadas. Paz a sual alma.

DISH Network
Muito Mais por Menos
RTP $4.00 + Turbo bronze ($9.99 ao mês,
válido por seis meses com contrato) = $13.99
ao mês
Ligue agora mesmo.

Falamos Português 1-559-435-1276


Cell 1-559-347-8257

Costa Electronics
Dealar autorizado do Dish network
Email - costatv@comcast.net

Oração ao Senhor Santo


Espírito maior que seja a ilusão material, não será
Espírito Santo, vós que me esclareceis o mínimo de um dia estar convosco e to-
tudo, vós que me iluminais todos os cami- dos os meus irmãos na glória perpétua.
nhos, para que eu atinja o meu ideal, vós Obrigada mais uma vez.
que me dais o dom divino de perdoar e es- A pessoa deve fazer esta oração tres dias
quecer o mal que me fazem, e que a todos seguidos, sem dizer o pedido.
os instantes da minha vida estais comigo, Dentro de tres dias será alcançada a graça,
eu quero neste curto diálogo, agradecer- por mais difícil que seja.
vos por tudo, e confirmar mais uma vez, Publicar assim que a receber.
que nunca me quero separar de vós, por
Filomena
COLABORAÇÃO 7

Rasgos d’Alma
Amigo’s New Hope
Luciano Cardoso
lucianoac@comcast.net

I
t hurts so bad to hear some of our lips, regressou a casa são e salvo, tal como do ilusório império ultramarino – pretensa Mal o cargueiro norteamericano foi assal-
own Portuguese immigrants cons- os restantes membros da sua emocionada potência mundial, deixando os espoliados tado e o seu capitão apreendido, Obama,
tantly knocking down the native tripulação. indígenas locais em sangrenta guerra ci- tambem ele de linhagem genèticamente
country they once left behind, bad- A pirataria moderna nas remotas costas vil, na miséria, à mingua, a morrerem de africana, (certamente encantado com o
mouthing our beloved Portugal at every d’África, fruto primàriamente da agoni- fome… formidável contributo do seu conselheiro
step of the way and belittling the current zante fome e miséria que teima em asso- Legitima superpotência mundial da era particular, David Barcelos e do seu fotó-
Portuguese generation by saying they lar aquele depauperado continente, é um moderna, perante estas e outras “exempla- grafo privado, Pete Sousa), decidiu apres-
can’t do anything anymore to makes us massacrante pesadelo que tem vindo a res” descolonizações, os Estados Unidos, sar a vinda do último elemento luso do seu
proud, as we once were: one of the prou- aumentar e promete credenciado staff – um espirituoso cachor-
dest nations on earth, with an history dar muito mais que ro preto de raça sumamente inteligente –
and demeanor second to none. falar. The Portuguese Water Dog – cuja medi-
To those cynical doubters I’ll simply re- ática reputação nos expõe favoràvelmente
phrase the reigning “American Idol”, Portugal e os portu- aos olhos do mundo inteiro.
Barrack Hussein Obama, with his trium- gueses jamais pode- Amigo’s New Hope – BO – mal chegou,
phant and decisive: rão negar os densos ladrou, viu e ajudou logo Obama a vencer
YES WE CAN! laços históricos que um belicoso teste na sua jovem liderança.
nos ligarão para Três balas certeiras – três mortes instan-
O histórico orgulho português acaba de sempre ao martiri- tâneas – o inimigo é derubado e o felizar-
ladrar eufòricamente no quintal da Casa zado continente afri- do capitão Philips liberto para regressar a
Branca. Foi a distinta familia preta que lá cano. casa como herói aplaudido e adulado pelo
mora a dar-nos essa imensa alegria com a O nosso extenso garboso patriotismo americano, radiante
sua refrescante opção canina de há poucos “reino” colonial du- com o vitorioso desfecho deste dramático
dias. rou séculos seguidos episódio.
BO – The cute Portuguese Water Dog e valeu-nos riqueza Feridos no seu orgulho e nada contentes
– cujo nome oficialmente registado é acumulada ao nivel com a brincadeira de mau gosto, os piratas
Amigo’s New Hope – foi honrosamente es- das grandes super- juraram vingança forte e feia que promete
colhido para fazer companhia presidencial potências mundiais. farejando fortunas fáceis, começaram a in- vir a dar que falar. E, tanto para o presi-
aos ‘Obamas’ durante os próximos quatro Demos novos mundos ao mundo, rasgamos tensificar a sua intrusiva navegação pelas dente como para todos nós, não deixa de
anos que, dependendo do seu favorável mares e horizontes, fundamos missões e aliciantes rotas d’África em filantrópicas nos preocupar.
desempenho, poderão eventualmente vir a colónias, caçámos tesouros e piratas, tra- missões de auxílio humanitário com olhos Mas, para isso, descontraído e descomple-
tornar-se em oito. ficámos escravos e lucrámos com a escra- postos na cobiçada riqueza bruta do conti- xado, lá está BO – our brilliant Amigo’s
Há quem diga que a escolha foi acertada e vatura mas, lastimosamente, acabamos nente mais pobre do planeta. New Hope.
que até já começou a pagar dividendos. tambem por nos escravizarmos da tirana Só que, tal como a miséria e o desespero, a
Aparentemente, especialista laureado em ideia do falso poder de querermos manter pirataria tem vindo a aumentar nas costas Now, my dear Portuguese friends, tell me
relações aquáticas, BO chegou viu e ganiu à força aquilo que não nos pertencia. menos policiadas da África mais remota. we can’t still be an influential and formi-
ao inspirar Obama a vencer a sua primeira A nossa rude cegueira expansionista Navios de diversas nações tem sido ata- dable force in critical times to the crucial
batalha naval. Resumindo o tenso episó- levou-nos a bater de mau jeito com a ca- cados e os seus tripulantes sequestrados decisions facing the highest office on the
dio ocorrido há dias na costa da Somália, beça na parede, forçando-nos a abandonar como refens em demanda louca de com- planet?
como todo o mundo sabe, os três piratas inglòriamente as Áfricas de mãos vazias. pensações escandalosas, exigidas pelos YES, WE CÃO!
foram mortos a tiro ao alvo e o destemido Foi mais ou menos por essa altura que seus criminosos captores.
capitão do navio Alabama, Richard Phi- abandonamos tambem essa ridicula mania Foto de Charles Dharapak / AP

Catarina Freitas
900 H Street, Suite G
Modesto, CA 95354
Phone: 209.338.5500
Cell: 209.985.6476
Fax: 209.338.5507
cat@trustomega.com
8 COLABORAÇÃO 1 de Maio de 2009

Lufada de Ar Fresco Pergunte à Judite


Paul Mello Judy Teixeira
pjmello87@yahoo.com judy.teixeira@ssa.gov

P
Autismo, uma doenca cada vez mais comum rimeiro quero pedir des- Voce pode aplicar para esta ajuda

O
culpa. Recentemente na internet: www.socialsecuri-
que é o Autismo? Vá- consequência o Brandon co- tantos outros pais continuam mudei-me para outro es- ty.gov/precriptionhelp, telefo-
rios leitores estarão meçou a ter aulas de expressão sem ter uma resposta concre- critorio e não tive tempo nar 1-800-772-1213 para pedir a
por ventura a fazer linguística. Por esta altura a mãe ta sobre a causa da doença dos de aparecer mais vezes. Por favor aplicação, ou visitar o escritorio
esta pergunta após do Brandon questionou o seu Pe- filhos. Alguns estudos revelam não se esqueçam de mandar as do seguro social. Para mais in-
lerem o título deste artigo. Não diatra sobre a possibilidade do que a transmissão genética é de- suas perguntas ou telefonar-me formação sobre o Medicare par-
saber o que é o Autismo pois Brandon ter Autismo. O Pediatra terminante assim como factores para 916-979-2070 ext 200. te D, telefone 1-800-633-4227
trata-se de uma doença que não disse-lhe que ele não mostrava ambientais, como a exposição a ou visite: www.medicare.gov.
é tão falada como o Cancro, sintomas compatíveis com o Au- mercúrio. Outra forte possibili- Em Maio, todos vós vão receber
Alzheimer’s ou doenças cardio- tismo pois ele conseguia olhar dade apresentada por cientistas um cheque de $250.00 do “Ame- Mudei a minha conta do ban-
vasculares. O Autismo é uma olhos nos olhos, brincava nor- é a intensa vacinação a que os rican Recovery and Reinvestment co. Que devo fazer para in-
desordem no desenvolvimento malmente com brinquedos, mos- jovens de hoje são sujeitos des- Act of 2009” que é um benefício formar o seguro social?
global das funções neuro- de pequenos. Aliás, a mãe que o Presidente Obama autorizou
para ajudar a economia. Todos que Pode contactar o banco direita-
lógicas que afecta a habi- do Brandon acredita forte-
recebem pagamentos do Seguro mente para mudar o seu pagamen-
lidade que pessoa tem de mente nesta última pois as
Social or SSI vão também receber to para a nova conta. Também
organizar e compreender diferenças observadas no
$250.00 em Maio. O pagamento pode telefonar: 1-800-772-1213
informações transmitidas filho coincidiram com o (tem empregados que falam em
pelos seus sentidos. Uma período pós vacinação. é automatico, não precisam fazer
nada… Se receber um telefonema portugues). Podem mudar a in-
pessoa autista geralmente Hoje, o rigoroso programa formação pela internet ou visi-
apresenta dificuldades na diário de tratamentos do ou alguém visitar a sua residencia
para “ajudar” em receber este pa- tar o escritorio. Necessitamos
interacção social, padrões Brandon continua assim o número do banco (routing
gamento, por favor tenha cuida-
de comportamento restri- como continuam a aumen- number) e o número da conta.
do! Não se dá informação como o
tos e repetitivos, défices de tar os milhares de dóla-
seu nome, data de nascimento ou
comunicação (verbal e não res desembolsados pelos numero do seguro social. Se eles Quando é que posso rece-
verbal) assim como falta de seus pais nos respectivos pedem esta informação e porque ber e continuar a receber os
imaginação e interesses. tratamentos. A verdade eles querem algo de vós. Se recebe beneficios do seguro social?
O Autismo é uma doença é que os sinais de recu- o seu pagamento do seguro social
relativamente pouco co- peração começam a ser por correio, as $250.00 virão pelo Depende na sua idade. Se tem
nhecida mas tem mereci- cada vez mais evidentes. mesmo modo. Se recebe automá- a idade completa para o seguro
do especial atenção nos Hoje o Brandon já domina ticamente na sua conta do banco social (66+) você pode trabalhar
tempos recentes devido ao princípios de linguagem (que é a maneira mais segura!) vai e não contamos contra o seguro
crescimento no número de gestual, tenta articular receber as $250.00 na sua conta. social. Se tem menos da idade
casos, particularmente nos algumas palavras, mostra Pode visitar: www.socialsecurity. completa (62 até 66 anos) vamos
Estados Unidos. Estima-se emoção apropriada, con- gov/payment ou www.recovery. reduzir o pagamento do seguro
que actualmente 1 em cada segue dormir continua- gov para mais informação, tele- social por $1.00 por cada $2.00
150 crianças é diagnostica- mente e já não grita sem fonar: 1-800-772-1213 ou visi- que ganha acima do maximo que
tar o escritório do seguro social. em 2009 é $14,160.00. Quando
da com Autismo nos Esta- qualquer motivo como fa-
você chega à sua idade máxima,
dos Unidos e este número zia anteriormente. Apesar
O Medicare Parte D: por exemplo, começa a receber
está em crescimento. do progresso do Brandon
Se recebe o benefício de Medi- quando tinha 62 anos e agora
Decidi escrever sobre o ser bastante positivo, ain- tem 66 anos, vão reduzir o seu
Autismo nesta edição pois o pas- trava afecção, sorria, e revelava da existem várias componentes care e recebe menos de $16,245
por ano para um indivíduo ou pagamento $1.00 por cada $3.00
sado mês de Abril foi apontado ter interesses. do seu comportamento que têm que recebe acima do máximo
como mês de “Autism Aware- À medida que os meses iam pas- de ser trabalhadas. Uma coisa $21,855 por o casal, e tem menos
de $12,510.00 de valor para o in- que em 2009 é de $37,680.00.
ness” nos Estados Unidos, o que sando, os pais do Brandon repa- é certa, o Autismo é tratável se
dividuo ou $25,010 para o casal
traduzido para Português, seria raram que este já não apontava for diagnosticado a tempo e para
-- pode talvez qualificar-se para
“mês da consciência do Autis- para objectos, já não dava “pal- que isso aconteça os pais têm de
o Medicare Parte D que tem va-
mo”. Para além disto, o Autismo minhas”, tinha deixado de fazer estar alertados para tal possibi- lor de $3,900 em medicamentos.
é uma doença que eu acompanho imitações, andava nas pontas dos lidade.
com particular atenção devido pés quando estava ansioso, tinha
ao facto de, em 2008, o meu pri- fezes de coloração variante, por Nota: a família do Brandon par-
mo, Brandon Rodrigues ter sido vezes gritava sem qualquer mo- ticipará no “Walk now for Au-
diagnosticado com tal doença. tivo, e na maioria do tempo pare- tism” que terá lugar em Modes-
O Brandon Rodrigues, é filho de cia surdo e mudo. A preocupação to no próximo mês de Outubro.
Jose e Velma Rodrigues e neto dos pais do Brandon aumentava Os pais de Brandon estão mui-
do meu tio José Rodrigues (já fa- e a mãe de Brandon, sendo uma to agradecidos pelas generosas
lecido) e da minha tia Maria Ro- pessoa de educação superior, contribuições que têm recebido
drigues (mais conhecida como pôs-se a fazer investigações so- por parte de familiares, amigos,
Teresinha Rodrigues). O Bran- bre os sintomas do filho na in- e de algumas instituições Por-
don nasceu em Outubro de 2006 ternet, passando várias horas em tuguesas locais. (http://walkno-
e desde então parecia estar a vi- bibliotecas consultando livros e wforautism.org/centralvalley/
ver uma vida normal, animado e fazendo anotações diárias sobre brandonrodrigues)
rodeado de amor e carinho dos comportamento do seu filho.
seus familiares. Sendo filho de Na próxima visita de Brandon
pai Português e mãe Mexicana, ao Pediatra, os pais deste apre-
o Brandon cresceu influencia- sentaram todos os dados reco-
do por três idiomas diferentes. lhidos e após análise cautelosa
Quando o Brandon completou o Pediatra confirmou o que eles
16 meses, os seus pais notaram mais temiam: o Brandon tinha
que o vocabulário do seu filho perturbações do Espectro do
estava desaparecendo. Preocu- Autismo. A tristeza acabaria por
pados com os acontecimentos, inundar os seus pais e toda nossa
os pais do Brandon consultaram família e era necessário procu-
o seu Pediatra e este disse-lhes rar soluções o mais rapidamen-
que os sintomas eram normais te possível. O Brandon foi visto
e que o miúdo provavelmente por um especialista em casos
estaria apenas confundido os di- de Autismo e em Novembro de
ferentes idiomas. Passados pou- 2008 iniciou vários tratamentos
cos meses, o Brandon não tinha incluindo terapia de comporta-
adicionado qualquer palavra ao mento, ocupacional (incluindo
seu vocabulário. Os seus pais dietas especiais), e terapia da
voltaram ao Pediatra e exigiram fala.
avaliações mais rigorosas. Os Quando souberam da doença do
exames revelaram que a capaci- filho os pais do Brandon tenta-
dade de expressão de linguagem ram saber o que teria levado ao
do Brandon estava 1 ano atrasa- aparecimento de tal doença. A Custo: $150,000.00 dolares.
da em relação ao normal e como verdade é que eles, assim como Aceitam-se ofertas
COLABORAÇÃO 9

Sabor Tropical Contribuição portuguesa à


Elen de Moraes gastronomia brasileira
elendemoraes_rj@globo.com

“Deus quere, o homem sonha, a obra pesca. “Esse inhame” descrito na carta era e ingredientes trazidos da terra natal,
nasce. a nossa conhecida mandioca; as sementes tais como: bolos, pães-de-ló, folhados,
Deus quiz que a terra fosse toda eram os feijões e as favas e as frutas eram sonhos, baba-de-moça, doce d’ovos, ge-
uma, o abacaxi, o cajá, a goiaba, o maracujá, o madas, mães-bentas, cremes e manjares.
Que o mar unisse, já não separasse... umbu, o mamão, o caju, etc. Do milho ela fez bolos, canjicas e pu-
... Cumpriu-se o mar... Os escravos trouxeram da África a pal- dins. Do arroz, fez arroz doce cozido no
(Fernando Pessoa) meira do azeite de dendê, o quiabo, o inha- leite de vaca ou no leite de coco, servido
me, a erva-doce, o gergelim, o amendoim com canela.

P
africano, a melancia e outras variedades Do açúcar surgiu a aguardente que é a
elos 200 anos da chegada da Fa- de coco e banana. A banana da terra já bebida alcoólica brasileira, conhecida
mília Real Portuguesa ao Brasil, existia no Brasil. como cachaça.
foi lançado um selo comemora- Do milho, o negro criou o angu, um mingau A famosa feijoada brasileira tem, para
tivo destacando a influência por- mais consistente que o pirão português. O sua origem, algumas vertentes: uns cre-
tuguesa e sua inestimável contribuição à legitimo pirão brasileiro, que acompanha ditam aos escravos a sua criação com as O bacalhau não foi invenção de um por-
gastronomia brasileira. Nele estão o cozi- os cozidos e as moquecas de peixes e ca- sobras de carnes de porco cozidas no feijão tuguês (como foi a saudade, no entender
do e o quindim. marões, é feito com farinha de mandioca. preto; outros afirmam ser a feijoada ins- de Jose M. Raposo, em sua poesia), por-
Da miscigenação de índios, portugueses A farinha e o feijão são dois alimentos na- pirada no cassoulet francês, que também que os romanos já o conheciam fresco, os
e africanos, nasceram os brasileiros e da tivos brasileiros que ainda hoje constituem leva feijão no seu preparo e a maioria dá vikings usavam-no seco ao sol, sem sal e
mistura da cozinha desses três povos teve nossa base alimentar. aos portugueses o mérito da sua invenção, o comiam cru e os bascos introduziram
origem a nossa culinária. Os portugueses plantaram o figo, a romã com receitas das regiões da Estremadu- a salga, mas continuaram a comê-lo cru.
Na carta que enviou ao Rei de Portugal - e cítricos como a laranja, a lima, o limão ra, das Beiras de Trás-os-montes e Alto- Entretanto, a culinária com o bacalhau
certidão de nascimento do Brasil - Pero e semearam arroz. Cultivavam abóbora, Douro, que misturavam feijões (menos o seco, salgado e depois demolhado, foi in-
Vaz de Caminha escreveu, referindo-se gengibre, mostarda, hortelã, alho, manje- preto), lingüiças, paios e carnes de porco. venção portuguesa, sim, Senhor! Portanto,
aos índios: “Eles não lavram nem criam. ricão, cebola, berinjela e cenoura. O que O certo é que a feijoada brasileira tem a o habito brasileiro de saboreá-lo é herança
Não há aqui boi, nem vaca, nem cabra, não se produzia no Brasil, como azeite mestria dos fumeiros de Portugal, douto- da colonização portuguesa, mas só com a
nem ovelha, nem galinha e qualquer outra doce, azeitona, queijo do reino, eles im- res nos defumados paios, toucinhos e nas chegada da Família real ao Brasil e de co-
alimária, que acostumada seja ao viver dos portavam. lingüiças, tem os ingredientes indígenas merciantes lusos, no inicio do século XIX,
homens. Nem comem senão desse inhame, A cozinha portuguesa tinha identidade como o indispensável feijão preto e a cria- seu consumo entre nós foi impulsionado e
que aqui há muito, e dessa semente e fru- própria, mas possuía grande influencia tividade africana de incorporar ao prato difundido.
tos que a terra e as árvores de si lançam. E moura no cultivo do açafrão, tomilho, etc. as partes do porco menos nobres para os Embora tenhamos recebido, também, in-
com isto andam tais tão rijos e tão nédios, e nas combinações dos alimentos. Nos europeus, como as orelhas, o rabinho e os fluência de outras culturas, depois da abo-
que o não somos nós tanto, com quanto tri- temperos, o português impôs o gosto pelo pés. É servida com arroz branco, couve lição da escravatura, com a chegada dos
go e legumes comemos”. sal e também pelas especiarias, como o picadinha, farofa de farinha de mandioca colonos italianos, alemães e japoneses, foi
E num trecho mais adiante: “Deram-lhes cravo-da-india, a canela, a erva-doce e o e ovos, laranja cortada em pedaços (para maior a contribuição portuguesa para nos-
ali de comer pão e peixe cozido, confeitos, alecrim. ajudar na digestão), molho de pimenta e a sa gastronomia que se vestiu com o nosso
fartéis, mel e figos passados... Trouxeram- Quanto aos nossos doces, com sua grande famosa caipirinha - cachaça, limão, açú- jeitinho de ser e deu à arte da nossa cozi-
lhes vinho numa taça...” habilidade a mulher portuguesa criou-os car e gelo. nha o saboroso paladar brasileiro.
Pero Vaz menciona o palmito como único saborosíssimos com nossas frutas tropi- A sopa, prato substancial para os portu-
alimento nativo que os portugueses gos- cais, temperando-os com as especiarias gueses (e europeus em geral), marca a pre-
taram. que para cá trouxeram, além das sobre- sença das canjas e dos caldos verdes em
Outrossim, os índios viviam da caça e da mesas preparadas com velhas receitas nossas mesas.

Ao Sabor do Vento
Os olhos de tua mãe
José Raposo
jraposo5@comcast.net

H
á anos, quando eu to- forma alguma, sermos da mesma a dizer que eu tinha os olhos da mos! Mas, a culpa foi do meu tio Não sei lá como foi isso,
cava na Fillarmónica família. sua mãe. avô que Ela tomou a dianteira
“Recreio do Emi- E todas as vezes que ela me via, Os anos foram passando e eu E do meu avô o chouriço
grante Português”, a lá dizia -Tens os olhos da minha nunca consegui descobrir coisa Fugiu um dia p’rá Terceira Rebentou co’a frigideira.
Benilde, esposa do Teotónio, ao mãe. alguma e todas as vezes que ela
ver-me pela primeira vez disse: Um belo dia a Filármonica veio me via, dizia o mesmo. E armou uma brincadeira Ainda bem que nos encontramos
-Tu tens os olhos da minha mãe. à festa de Novato e convidei Um belo dia fui levar minha mãe Com tua bela tia avó naquele dia no aeroporto e estou
Como ela é uma pessoa assim os músicos para virem à minha ao aeroporto de Oakland para ela E uma vez ela, coitada, contente, Benilde, por os meus
como eu , que acha sempre algo casa. A maioria veio. Nadaram regressar aos Açores. Estava tão excitada olhos te recordarem os olhos de
para dizer, pensei com os meus na piscina, comeram nêsperas e Estava lá a Benilde e eu contei Que até nos metia dó! tua mãe.
botões: - Esta mulher está malu- mais uns aperitivos que se arran- à minha mãe a história, dizendo
ca. jou à última da hora. A Benilde, que tinhamos que deslindar essa

A
Eu sabia que ela era da Terceira e ao entrar na nossa sala de estar, coisa.
eu sendo de São Miguel achei que
seria impossível haver qualquer
depara com uma foto antiga da
minha família e diz: - Eu já vi
uma foto igual a essa em casa de
Começaram as duas a falar e che-
garam à conclusão que havia uma
família, lá da minha freguesia,
jude os nossos patro-
parentesco. No entanto, pergun-
tei-lhe na brincadeira: - “Como meu irmão, na Terceira. que ambas conheciam e que tinha
o alcunho de Carithelos. Ela diz cinadores compran-
que era descendente dessa gente
e minha mãe diz que pelo lado
da minha avó vinhamos dessa fa-
do os seus produtos
mília e às tantas acrescenta que
um tio avô meu tinha ido para
a Terceira nos mil novecentos e
troca o passo e que nunca mais
tinha regressado a São Miguel.
- Oh diabo! Exclamei. Afinal
quem está maluco sou eu e não
ela.
Depois de apurarem os parentes
e os aderentes, ficou esclarecido
que eu e a Benilde somos primos
em terceiro grau.
se chamava o teu avô?” Diz ela de novo: - Eu bem te dizia
José de Oliveira Vicente disse- Aí pensei que a mulher ou era que tu tinhas os olhos da minha
me, ao que respondi: -Pois é esse, mesmo maluca ou então tinha mãe.
também, o nome do meu avô. Po- que haver qualquer verdade nessa Eu disse: - Ò mulher, os olhos
rém, confesso que fiquei sempre história. E ela acrescenta que eu que eu tenho são meus, não da
a pensar que não era possivel, de tinha que ser família dela e volta tua mãe. Que somos família, so-
10 COLABORAÇÃO 1 de Maio de 2009

Reflexos do Dia–a–Dia
Diniz Borges
25 de Abril forever and ever, foi o aconteceu o 25 de Abril de 1974. via, lia e ouvia na comunicação
feliz título que o editor do Tribu- A partir de então tudo mudou! social e em alguns jornais portu-
d.borges@comcast.net
na, o nosso amigo José Ávila, deu De repente, Portugal é notícia gueses que me chegavam às mãos
à edição de 15 de Abril de 2009 nos órgãos da comunicação so- com semanas, alguns com meses, Universidade da Califórnia em do velho regime: Fado, Fátima e
deste jornal na qual continha vá- cial americana. De repente, fala- de atraso. No mundo americano Berkeley, durante o qual a Deo- Futebol.
rias alusões à histórica data. Ti- se, durante largos tempos, sobre falava-se de Portugal, na comuni- linda, eu o José Luís da Silva, fa- Termino com esta situação que,
nha 15 anos quando aconteceu o Portugal. São as notícias sobre dade, para além do que ouvia da lamos sobre Abril, cantamos com embora caricata, aconteceu, e até
25 de Abril. Estava no segundo uma revolução romântica, sobre voz corajosa e descomplexada de os alunos o Grândola (obrigado pode ser vista como os sinais dos
ano da escola secundária e an- a utopia de se construir uma so- Lúcia Noia e mais um ou outro lo- José Ávila por colocares a letra tempos: Como citei, os 25 anos
tes e depois das aulas, ordenha- ciedade verdadeiramente justa. cutor, a revolução por vezes tinha na primeira página) e marchamos do 25 de Abril foram celebrados
va vacas com o meu pai. Tinha Até na nossa rádio portuguesa menos importância e dava menos com os alunos empunhando cra- com grande dignidade em Tulare.
acabado, há um ano e meio, de local há uma transformação (eu que falar no adro da igreja, ou na vos vermelhos nas mãos e o povo Até cravos vermelhos tínhamos
regressar das férias da minha que era desde que cá cheguei festa comunitária, do que uma unido jamais será vencido nos para cada casal que assistisse ao
vida: 4 meses na ilha Terceira. com 10 anos, um assíduo ouvinte tarde de touros famosa ou um lábios; se não fosse este ou aque- banquete comemorativo. Cinco
A memória estava ainda fresca da rádio em língua portuguesa), bailinho de Carnaval divertido, le órgão da comunicação social, anos mais tarde, já sem simpósio,
com as recordações das ilhas. particularmente no programa de que ocorrera lá na ilha. como este jornal; se não fosse o por razões que um dia publicarei,
Estava a ultrapassar um período, rádio de Lúcia Noia, que mudou Hoje, no ano de 2009, acabamos que eu e o meu colega José Luís continuava-se a celebrar a parte
que então considerava difícil. É de nome e de formato. Acabara- de celebrar o 35º aniversário da da Silva, assim como outros co- popular do acontecimento. Con-
que vivia, verdadeiramente, entre se o Sol de Portugal e começa o revolução dos cravos. E o silên- legas fazem nas aulas de língua vidaram-me para fazer o discurso
dois mundos, sem saber conjugá- Portugal Novo. E tal como em cio comunitário sobre a efemé- portuguesa, quer no ensino se- da noite. Fi-lo com muito gosto e
los. Num, o mundo dos meus Portugal começou-se a ouvir ride é assustador. É que há 10 cundário quer no superior, o 25 falei um pouco dos 30 anos do 25
pais, o mundo açoriano, o mesmo músicas diferentes, como Zeca anos, em 1999, ainda se realizava de Abril, e particularmente este de Abril. Pedi a um amigo meu,
mundo dos meus colegas e ami- Afonso, Adriano Correia de Oli- o simpósio literário Filamentos 35º aniversário tinha ficado com- que ainda estava na organização
gos que como eu também tinham veira, Sérgio Godinho, Paulo de da Herança Atlântica, e nesse ano pletamente esquecido na Califór- da festa popular, o favor de relem-
emigrado. No outro, o mundo dos Carvalho, entre outros. A mi- o simpósio foi dedicado às bodas nia. Alguns dirão que o que fize- brar à comissão que estávamos a
meus colegas e amigos da escola, nha percepção de Portugal, pou- de prata da revolução portuguesa. mos no ensino foi muito pouco, celebrar os 30 anos de Abril e que
todos eles muito americanos, ou co a pouco se transformou. Os E a pequena cidade de Tulare foi muito pouco mesmo. Concordo! talvez fosse simpático, e até mes-
porque já eram luso-americanos meus amigos americanos (mes- palco duma das mais interessan- Porém o que se fez a nível comu- mo interessante, ter-se um cravi-
de segunda ou terceira gerações mo aqueles que eram de descen- tes comemorações do 25 de Abril nitário é vergonhoso. Há um nho vermelho para cada casal que
ou porque eram de outros grupos dência portuguesa) começaram a em todo o mundo. Celebrou-se medo de celebrar Abril que nunca lá estivesse. Disse-me que sim e
étnicos. Recordo-me, que vivia falar-me de Portugal. Que viam com colóquios, sessões de poe- compreendi, particularmente no que a comissão tinha concorda-
esta dualidade de dois países, o meu país de origem em festa, sia, lançamentos de livros, expo- baluarte das democracias. Mais, do. Para meu espanto, e também
duas línguas e duas culturas com que a democracia tinha chegado a sição de artista plástico açoriano, Celebrar Abril, não significa ape- do meu amigo, os cravos eram
muita ambiguidade. Em Portu- Portugal, que Portugal tinha tido simpósio juvenil, música e festa nas uma sessão no 25 de Abril, brancos. Quando perguntámos
gal, na antiga quarta classe, tinha uma revolução, que Portugal ia popular. Cá estiveram nomes embora essa sessão faltou e nem se não havia cravos vermelhos
aprendido que éramos um impé- ficar socialista, que a América ia consagrados de Abril como o a entidade consular se lembrou de disseram-nos, claro que havia,
rio e que a nossa “raça” era su- salvar Portugal. Enfim, as mais Major de Abril (agora tenente-co- a fazer. Mas pode-se e deve-se mas não dizia com a decoração.
perior. Aqui ninguém conhecia variadas frases e opiniões, algu- ronel) Victor Alves, os cantores e celebrar Abril nos nossos bodos Salvou-se o cravo, não se salvou
Portugal. Nas escolas públicas mas mesmo disparatadas, mas artistas de Abril: Manuel Freire, de leite, no nosso Carnaval, nos a cor. Um dia destes até poderá
americanas nem uma palavra so- o que é certo é que falavam de Carlos Alberto Moniz, Zeca Me- nossos desfiles, nas nossas fes- haver quem mude a bandeira do
bre esse “grande império”. Aliás, Portugal. Por outro lado, quando deiros, entre outros. tas populares. É que ao fim e ao Espírito Santo para dizer com o
nada se ouvia, nada se lia, nada ia às festas portuguesas, os meus Mas como dizia, 35 anos mais cabo estaremos a celebrar o 35º vestido da rainha.
se via sobre Portugal. Daí que o amigos que como eu tinham emi- tarde o mesmo silêncio que eu aniversário da revolução dos cra- Ao menos aos 30 anos houve cra-
Portugal que conhecia era pelos grado dos Açores, nada diziam. ouvi, aos meus quinze anos, é vos até 25 de Abril de 2010. Aí vos. Este ano, nem um!
olhos saudosistas dos meus pais e Era como se nada tivesse acon- repetido. Há uma amnésia total celebraremos o 36º. Mais, o 25
pela memória dos primeiros dez tecido no nosso país. A minha quanto a esta efeméride. Se não de Abril veio em parte para que
anos vividos na ilha. Até que euforia ficava circunscrita ao que fosse o Portuguese Youth Day na passássemos dos famosos três F’s

Memorandum
João-Luís de Medeiros
Natal da Poesia
jlmedeiros@aol.com
(18 de Abril de 1842)

N
ão rejeitaria o simpá- do Poeta... na sua cruciante mas mente admirado pela comunidade ultrapassar o saudável desassos-
tico veredicto “culpa- suavisadora tortura de fazer de estudantil como “príncipe-per- sego que antes produzira “Odes
do” porventura atri- cada dia, e de cada hora, uma es- feito” da espontaneidade varonil; Modernas” (com apenas 23 anos,
buído à circunstância tação de análise agudíssima, cuja aqueles que privavam com ele 1865), seguido de “Primaveras
de comparecer repetidamente fórmula não é se não esta: “viver são inequívocos no juízo de que o Românticas”, que abrem com o
nesta página para celebrar o ani- para sentir e sentir para realizar.” seu prudente distanciamento em poemeto “Beatrice”:
versário natalício de Antero de Não me consta que Antero de relação às mulheres nada tinha .
Quental. Celebrar o dia de natal Quental tenha deixado atrás de misógino. Lamentavelmente, ../...
da poesia anteriana faz parte da inimigos famintos de vingança acontece que em todas as épocas Irmã! dá-me do manto alvíssimo
benigna teimosia (aliás incurá- pessoal. Houve alguns mestres pululam os “fiscais de isqueiros” uma ponta,
vel) que há meio século se insta- de psiquiatria que tentaram esca- da moralidade alheia. Num bre- Onde me envolva todo um raio
lou no íntimo do signatário. Não rafunchar a puberdade do Poeta ve olhar comparativo, diria que dessa luz...
fica mal relembrar que no dia 18 para embandeirar, maliciosamen- as suspeitas sobre a vida privada Não é a cruz quem vê o dia mal
de Abril de 1842, a estremecida te, nas páginas da nosografia do de um dos “melhores cinco sone- desponta?
esposa do morgado Fernando do Pensador considerado “génio que tistas da literatura portuguesa” Tu és a minha cruz.
Quental deu à luz a um rapazinho, era um santo”. Lamentavelmente, são tacticamente semelhantes
na sua residência de Ponta Delga- temos que denunciar a diligente àquelas que pretendiam confir- acompanhou em Bellevue, Fran- Antes de interromper esta breve
da, mais precisamente na Rua do ciumeira psico-literária do nos- mar o contubérnio de Hegel com ça, durante o tratamento sugerido conversa, gostaria de convidar
Lameiro, depois rebaptizada Rua so conterrâneo Teófilo Braga, Michelet, de Taine com Renan, pelo famoso Charcot (este médi- os interessados a reflectir nestes
do Visconde de Castilho. (Curio- considerado gigante de trabalho, de Fernando Pessoa com... co veio a falecer dois anos após fragmentos da herança sócio-his-
samente, foi naquele mesmo edi- todavia muito carecido de ge- Ora é sabido que o nosso Poeta o suicídio do seu enfermo açoria- tórica do pensamento anteriano,
fício que em 1890 ficou instalada nialidade temperamental para se amou muitas mulheres: uma pri- no...). escritos há mais de um século,
a Escola Gonçalo Velho Cabral, esquivar com elegância ao aleive ma de Tomar; aquela mulher ca- Em relação ao seu “refúgio” em em “Causas da Decadência dos
mercê do famoso plano educacio- bufado sobre a inteireza moral do sada dos arredores de Coimbra, Vila do Conde (como inquilino Povos Peninsulares”:
nal previsto pelo decreto de 22 maior poeta açoriano. Resta lem- referida num artigo de Gustavo duma casa onde frequentemente “(...) ... éramos mandados, somos
de Agosto de 1889, da autoria de brar a polémica então desencade- André (aliás pseudónimo de Fer- confraternizava com Luiz de Ma- agora governados: os dois ter-
Emídio Navarro). ada a propósito das “Considera- nando Leal) que a dado trecho galhães, Batalha Reis, Alberto mos quase que se equivalem. Se
Não nos comove qualquer atitude ções sobre a filosofia da história relata: “... uma senhora honesta Sampaio, sobretudo com Oliveira a velha monarquia desapareceu,
de genuflexão junto ao historial literária portuguesa”, proferidas que nunca soube da paixão que Martins) havia quase sempre a conservou-se o velho espírito
da fidalguia micaelense. Como pelo Mestre Teófilo, que entrou inspirava (...) Antero quase todas presença do seu sobrinho, Jorge monárquico (...) ... herdámos um
modesto discípulo anteriano, no perigoso terreno das “alusões as tardes ia a pé desde Coimbra do Quental, cuja educação foi em invencível horror ao trabalho e
sinto-me dispensado de barre- à vida particular de Antero.” Os até Buçaco, à Cruz Alta, para de parte preparada pelo poeta-filó- um íntimo desprezo pela indús-
lar memórias consagradas pelo jornais do tempo noticiam que o lá ver, muito ao longe, a casa de sofo. Foi naquele “retiro” quase tria... (...) preferimos ser uma
academismo oficioso. O nosso “arraial de porrada” foi adiado campo onde ela habitava”. Mas monastical que o poeta-filósofo aristocracia de pobres ociosos, a
cuidado-comum é o de integrar a por um triz, na periferia do café há mais: a linda moça que conhe- escreveu as “Tendências gerais ser uma democracia próspera de
formatura da ‘guarda-de-honra’ portuense Águia d’Oiro... ceu em Halifax, na sua atribulada da filosofia na segunda metade do trabalhadores...
aos ideais de Justiça que norte- Ainda em Coimbra, consta que viagem à América do Norte; a século XIX” onde expõe a teoria
aram o sentimento e a vontade Antero de Quental era fraternal- meiga enfermeira francesa que o da santidade, numa tentativa de
COLABORAÇÃO 11

Temas de Agropecuária
Sabores da Vida
Egídio Almeida
almeidairy@clearwire.net Quinzenalmente convidaremos uma pessoa a
dar-nos a receita do seu prato favorito, com uma
condição - que saibam cozinhá-lo.

Futuras oportunidades... A nossa convidada nesta quinzena é Lina Goulart, nascida no


Faial, residente em Denair e casada com António Goulart.
...estão
surgindo nos mer- sua economia. Desde essa época deroso é naturalmente a China.
cados internacionais. O os Japoneses cresceram para se- Enquanto que esta tem a sua pro- Bacalhau à Gomes de Sá
rem os maiores consumidores de pria industria agropecuaria, está
que fazer? produtos de lacticínios na Asia, ainda na sua infância, e não se

D
Num pirex põe-se um bocadinho
tornando-se o mais actrativo espera um robusto crescimento de azeite, e vai-se fazendo cama-
epois de uma série mercado daquela região. em menos de uma década. En- das de batata crua em roldanas, um
de trabalhos com um Olhando em frente para 2009 a tretanto a oportunidade existe de pouco de sal, bacalhau já cozido e
tom negativo, quan- China está-se preparando para exportar para este país para for- desfiado. Leva cebola partida em
ta a agropecuária, contribuir com 70% do cresci- necer a crescente demanda deste quatro e depois às roldanas, salsa
pareceu-nos oportuno apresentar mento global do (GDP). Como potencioso mercado. Ross Chris- picada miudinha, azeitonas sem
o resultado de sondagens patro- resultado, o país, e os seus visi- tiesson preve que este mercado caroço partidas. Deita-se azeite
cinadas por “California Milk nhos, Korea, Indonesia e as Phi- cresça aproximadament 15% por por cima e vai ao forno até cozer
Advisory Board” (CMAB) e exe- lipinas estão debaixo da visão do ano nos próximos cinco anos, a batata. Tira-se do forno, deita-se
cutadas por “Ross Christiesson, “California Milk Advisory Bo- O desafio em frente de (CMAB), os ovos às roldanas por cima.
International”. ard”. Juntas com o Mexico, estas segundo Christiesson é a limi-
Enquanto países à volta do globo cinco nações estão em foco num tada relação que os produtores Bom apetite!
estão ficando mais ricos, os seus projecto multi-market desenha- dos E.U. tem com a China. Em
cidadãos vão-se habituando a no- do para expor os consumidores a contrapartida Nova Zelandia e
vos hábitos alimentares, particu- agropecuaria californiana. Australia tem negociado com os
larmente produtos de lacticínios. Para (CMAB) e para todos os Chineses por mais de 20 anos e
Christiesson observou que (GDP) propositos intensivos, o Mexico essas relações a longo prazo dão-
“Gross Domestic Product” cres- é uma extensão do mercado do- lhe vantajens competitivas.
ceu 3.8% por ano nos ultimos 50 mestico dos Estados Unidos, sen- No entanto a California tem a
anos e o consumo do leite e pro- do isso uma cortesia do “North facilidade de produzir produtos
dutos do mesmo cresceu essen- America Free Trade Agrrement” de superior qualidade e segun-
cialmente ao mesmo ritmo. (NAFTA) que criou mercados de do esta sondagem a manteiga da
Históricamente quando a econo- facil acesso com grandes oportu- Nova Zelandia por exemplo é de
mia dos países cresce, os seus nidades a este diversificado mer- inconsistente qualidade e fre-
cidadãos começam a alimentar- cado. O segmento do queijo, “the quentement cheira como as vacas
se com alimentos de maior qua- Asiatico entusiasmou a produção rar que mediante uma robusta re-
Real California Cheese” parti- e tem gosto a erva verde dos pra-
lidade, incluindo carnes e produ- de leite californiano, chegando- cuperação económica na segunda
cularmente tem visto um cres- dos. O resultado do hábito cultu-
tos de lacticínios. Por exemplo, o cimento substancial e está a ser ral da produção de leite a base da se a pensar que tinha vindo para metade do corrente ano, se vies-
Japão nos anos que se seguiram à comercializado em 1.200 cadeias alimentação das vacas produtoras ficar mas tal não aconteceu. Ten- se a reconquistar os mercados
segunda guerra mundial experi- e establecimentos comerciais. nas pastagens. do em conta a crise global que perdidos.
mentou uma tremenda subida na Na Asia, o parceiro mais po- Em 2007-2008 este mercado atravessamos, não seria de admi-
12 PATROCINADORES 1 de Maio de 2009

42ª Festa do Espírito Santo


(S.E.S.) de Elk Grove
Maio 17 - 24, 2009
Domingo 17, Maio - Quarta-feira 20, Maio
8:00 pm Recitação do Terco
Quinta - feira, Maio 21
7:00pm Rosário, seguido de Missa para os Doentes de Elk Grove
Sexta - feira, Maio 22
7:00 pm Recitação do Terço, seguida de Missa.
9:00pm Grande Noite de Fados, com Arminda Alvernaz (Pico), Soria Mejdoubi
(Toronto), Avelino Teixeira (Toronto), Isalino dos Santos (Stockton). Trio “Sete
Colinas” - Helder Carvalheira, Manuel Escobar, João Cardadeiro.
Sábado, Maio 23
1:00pm Almoço de bife e ostras para os amigos da festa (donors)
3:00pm Vacada no Parque dos Automóveis
6:00pm Recitação do Terco
7:00pm Jantar de Caçoila
9:00pm Apresentação das Rainhas e Baile com Alcides Machado
Domingo, Maio 24
8:30am Pequeno almoço para os participantes da parada
9:30am Parada desde o Salão do SES
10:45am Missa pelo Padre Eduino Silveira
1:30pm Sopas e carne para todos os presentes
2:30pm Arrematações no Salão de Jantar
8:00pm Jantar de Sopas
9:00pm Baile para todos pelo Conjunto “Progresso”

Segunda-feira, 29 de Maio
Corrida de Toiros às 8 horas
Praça de São João de Thornton
Cavaleiro - Sário Cabral
Matador - Mário Miguel
Forcados do Aposento de Turlock
Forcados de Merced
6 Bravos e Nobres Toiros 6
Ganadaria de Manuel do Carmo
Admissão $20.00 - Menores 10 anos grátis

A Outra Voz (conclusão da página 4)


Jantar dos Finalistas do Clube Português
São vítimas todos os paroquia-
nos desde os fundadores até aos
indispensável que reconheçamos
as nossas limitações e humilde- de San Jose High Academy
de hoje que de uma maneira ou mente peçamos ajuda e conselho
outra contribuíram para o desen- aos que estão em posição de o
volvimento da Escola das Cinco fazer. A paróquia não pode ser O Clube Português de San Jose High Academy promove o seu Décimo Segundo Jan-
Chagas; desde as senhoras co- um clube exclusivo e elitista e tar Anual dos Finalistas com o fim de angariar fundos para bolsas de estudo que serão
zendo massa sovada às quatro da ninguém se deve sentir excluido.
manhã até aos senhores cuidan- oferecidas a membros do clube que continuarão a sua educação a nível universitário. O
Claro que nada podemos fazer
do do bingo no I.ES.; desde os com as mãos atadas e, franca-
jantar terá lugar no salão da Banda Portuguesa de São José (100 N. 27th St.), na sexta-
pais da escola trabalhando horas mente, neste momento sinto-me feira, dia 15 de Maio, a partir das 6:30 horas da noite. O preço do jantar completo de
infinitas até aos que abriram a deveras impotente frente aos no- “tri-tip” é $23 por pessoa ($12 para crianças até aos 12 anos). Ao jantar seguir-se-á o
carteira uma segunda vez du-
rante a colheita do domingo para
vos acontecimentos na nossa pa- reconhecimento dos finalistas, um pequeno espectáculo que inclui folclore e uma
róquia e à grande falta da devida rábula pelos alunos do programa de português da escola, e dança ao som de dj.
ajudar a escola; desde os grandes
comunicação.
benfeitores que ofereceram mi-
lhares de dólares, aos pobres que Para bilhetes, é favor contactar a presidente do clube, Crystal Mendes (408) 348-1508.
sempre encontram uma moeda
para dar à igreja. Não serão vendidos bilhetes à porta.
Lamento o encerramento da
escola Five Wounds School. É Para mais informação, contacte em San Jose High Academy o professor José Luis da
pena que não completasse o seu Silva ou a professora Nancy Pereira pelo telefone (408) 535-6320.
Quinquagésimo Aniversário.
Só espero que, desta vez, os pa-
roquianos sejam incluidos nas Venha ajudar o Clube Português de San Jose High Academy, a única escola secun-
decisões quanto ao aproveita- dária na área da Baía de São Francisco que oferece um programa de português.
mento do edifício de forma que Participe neste evento, apoie o ensino do português e promova a educação da nossa
este passe a fazer parte da vida
da nossa comunidade. Somos juventude!
poucos e precisamos de todos. É
COLABORAÇÃO 13

Agua Viva
Filomena Rocha
Concerto dos LAFORA
filomenarocha@sbcglobal.net em Livinsgton
Vivemos ou não vivemos num
mundo livre?

T
odos falam de Democracia, de direitos iguais,
de livre discurso e bla-bla-bla… É só conver-
sa fiada! Quando porém, chegam os interesses
particulares ou de colectividades, os direitos de
cada um deixam logo de existir para se converterem em
propriedade de manipuladores, abusadores, ou de quem se
julga no pleno direito de governar o pensamento alheio, a
vontade da pessoa humana, e só falta mesmo que se inven-
te o machado que corte o resto da raíz ao pensamento. E
digo o resto, porque já criaram um que descobre quando Nos anos sessenta havia um anúncio em Portugal que dizia isto: “Quem não lê, chapéu!” Neste caso devemos
alguém está mentindo ou dizendo a verdade. Até aqui já dizer, que “quem não houve desta boa música portuguesa, poderá ter tendência a ficar surdo mais cedo”.
chegámos. Alguns até que deveriam ser sugeitos ao detec- Numa organização da Fundação Portuguesa de Educação do Vale Central, realizou-se um concerto de musica
tor de mentiras e verdades… portuguesa no Salão Portugues de Livingston. Pouco mais de 70 pessoas, ouviram, entusismaram-se com a beleza
da nossa música. Autores como Luís Represas, Fausto, Rui Veloso, Rita Guerra, Resistência, Delfins, etc, além
Pessoas há que têm tal poder de persuasão, que as suas das nossas mais bonitas e tradicionais musicas açorianas, encheram o salão de boa musica. Vale a pena ouvir os
palavras têm o efeito de anular o que na realidade os ou- LAFORA. Como diria o Paul Mello, é mesmo “uma lufada de ar fresco”.
Embaixo: Roberto Lino, Leslie Pavão, António Zeferino, além de um ouvinte muito atento a tudo o que se passava no
tros pensam e sentem e estes, por sua vez, têm de fazer
palco. Assim se aprende a ouvir boa música desde pequeno.
um esforço desmedido para não se deixarem seduzir pelo
encanto da serpente. Pior ainda se se trata de pessoas que
têm peso na Comunicação Social, porque se aproveitam
para enganar e chantagear os menos preparados ou os
mais vulneráveis, nos mais diversos aspectos.

Um facto que mais recentemente me chamou a atenção,


embora eu não tivesse visto o desenrolar do acontecimento,
foi o da Miss USA. Que fantochada! Para além de algumas
humilhações a que se sugeitam as concorrentes, e tudo em
nome da beleza e umas quantas futilidades, ainda ter que
perder o título e respectiva corôa, por causa de uma res-
posta “atravessada”, como diriam os antigos, porque não
caíu bem, porque não agradou, porque não era da mesma
opinião do membro do Júri. Quer isto dizer então que no
fim de todas as provas, esta resposta era a coisa mais im-
portante de todas, pois conseguiu reprovar a bonita jóvem
da California Carrie Brejean, com todas as probabilida-
des de ser a Beleza número um da América. Mas que raio
de critério é este que se baseia nas opiniões pessoais para
ainda depois lhe chamar nomes feios, sem um mínimo de
respeito e sem escrúpulos. Então agora somos todos obri-
gados a dizer que sim, a concordar com o casamento entre
pessoas do mesmo sexo? Mas, que é isto agora? Um pateta
destes, que pelos vistos, sem vincada formação, se atreve
a desconsiderar uma pessoa que defende os princípios em
que foi educada…

Mas quem é Perez Hilton, aquele palhaço, para se injuriar


de forma tão grosseira, contra uma pessoa que apenas lhe
deu a sua opinião, que fosse qual fosse, e ainda que não do
seu agrado, ele devia ter respeitado. Pois bem, o seu ver-
dadeiro nome é Mario Armando Lavandeira Jr., às tantas é
Português, que é só o que nos faltava, nascido na Flórida,
de pais cubanos originários da Galiza, tirou uns quantos
cursos universitários, tendo estudado primeiro num colé-
gio Jesuíta de Nossa Senhora de Belém, para no fim de
contas se dedicar à arte do mexerico e mal-dizer. Fora o
resto… Para o que nem sequer há paciência…

Será que estamos todos a ficar doidos de remate ou isto é


impressão minha? A verdade é que este assunto de casa-
mento entre pessoas do mesmo género está tomando sérias
e alarmantes proporções no mundo inteiro. E que ninguém
se atreva a contradizer! “O que não é por mim é contra
mim”.

O Mundo está ao contrário! E parece não haver quem o


detenha, sobretudo desde que começaram a sair todos os
esqueletes dos armários… Salve-se quem puder!!!

1600 Colorado Avenue


Turlock, CA 95382
Telefone 209-634-9069
14 COMUNIDADE 1 de Maio de 2009

MVPA (Most Valuable Portuguese-Americans)

A associação estudantil SOPAS (Society of Portuguese-


American Students) das três escolas secundárias de Tula-
re, apresenta no domingo, 17 de Maio a partir das 18h00
(6 horas da tarde) o seu terceiro anual evento dedicado a
distinguir membros da comunidade que se tenham distin-
guido nos variados campos. Daí que neste ano de 2009, o
evento terá lugar no auditório Tulare Community, adjacente
à escola secundária Tulare Union, seguindo-se um beberete
oferecido pela associação estudantil a todos os presentes.
Toda a comunidade está cordialmente convidada a assistir
este evento em que se distingue pessoas que têm servido a
língua e acultura portuguesas nas mais variadas vertentes.
A entrada é livre e todos são convidados.
Este ano serão distinguidos alunos do ano, directores da
associação SOPAS do ano, o professor do ano, o cidadão
não português do ano que tenha contribuído para a língua e
cultura portuguesas, a associação do ano, o negócio do ano,
o empresário da agro-pecuária do ano, o voluntário do ano,
o artista do ano, a inspiração do ano (este ano dado a uma
pessoa que tem infundido o serviço público na nossa comu-
nidade), e por último o mais prestigioso galardão a indução
de uma pessoa da nossa comunidade no SOPAS Portuguese-
American Hall of Fame.
Convidamos a nossa comunidade a estar presente neste
evento, que os jovens intitularam de os “oscars” portugue-
ses. É uma noite de gala para homenagear aqueles que se
têm distinguido no mundo escolar e na sociedade em geral.
Venham todos no domingo, 17 de Maio a este evento único
na nossa comunidade.
Para além de vários alunos das três escolas secundárias
que serão homenageados, serão distinguidos os seguintes
elementos da nossa comunidade local:

Professor do Ano - Dave Caetano, professor de ciências


agrárias nas escolas secundárias de Tulare
Organização do ano - SPDES de Tipton a celebrar os seu
60º aniversário.
Negócio do Ano - Maciel’s Photography Studios
Leitaria do Ano - Joe Pinheiro e Filhos de Tipton.
Honorary Portuguese-American of the Year - Howard
Berger, Superintendent do Distrito Escolar de Tulare
Voluntária do Ano - Professora Carmen Pinheiro
Pessoa Inspiradora do Ano de 2009 - Manuel Sousa de
Tipton
Artista do Ano - Emily
SOPAS Portuguese-American Hall of Fame - Professora
Doutora Deolinda Adão.
PATROCINADORES 15
16 FESTAS 1 de Maio de 2009

Festa de Santo Antão de Stevinson

2° VP, Dominic e Joanna Barroso; 1°VP, Frank e Maria Dores; Padre Domingos Machado, Jacinta e Germano Soares (Presidente), PP, Jose e Fatima Jorge, Dianne Alves, Tesoureira

Já se mencionou na edição passada os objectivos desta


festa, mas vamos repeti-los para que todos se apercebam da
importância deles:

“Construir um Lar para a Terceira-Idade, continuar


com as Bolsas de Estudo para estudantes de Ciências
Animais, Continuar a apoiar a Paróquia do Santo Rosá-
rio (Hilmar) e de Santa Maria (Stevinson), conforme as
suas carências.”

É a primeira festa do ano e por muito simples que seja esta


festividade, é sempre bem recebida por quem vive nas
redondezas.
No Sábado houve o Bodo de Leite e Pézinho, seguido de
cacoila bem feita e saborosa. À noite dançou-se ao som da
música e das canções do Alcides Machado.
No Domingo, Procissão, Missa da Festa com o Pároco da
Cidade de Oxnard, Domingos Machado. Depois serviram-se
Sopas e Carne, confeccionadas por Maria Sidónio Cardoso
e marido.
Muitas arrematações se seguiram e à noite houve novamente
baile com o Alcides e a Emily.

Estão de parabéns todos aqueles que fizeram, ajudaram e


participaram numa festa com objectivos tão belos.

Padre Domingos Machado, pároco de Oxnard, foi o convidado da Festa de Santo Antão
Embaixo: aspecto do remodulado Salão de Stevinson, cheio de gente para saborear as primeiras Sopas da temporada festiva de 2009
FESTAS 17

A Imagem de Santo Antão desfilando no Bodo de Leite acompanhado pela Lira Açoriana.
Embaixo: Cheyenne Veríssimo já gosta do Pézinho e de comer pão de leite com queijo de São Jorge - Direita: Enquanto se espera pelas Sopas ouve-se boa música.

A Lira Açoriana aquecendo os “metais” antes da Procissão

José Ribeiro, António Azevedo, Adelino Toledo, Manuel dos Santos acompanhados por Uma grande equipa de ajudantes sob o comando de Maria Sidónio Cardoso (avental roxo
Pedro Reis e Dimas Toledo com emblema)
18 FESTAS 1 de Maio de 2009

Festa de Nossa Sa. de Fátima, Oakdale


A Festa em Honra de Nossa
Senhora de Fátima em Oakdale
começou em 2005 e celebrou-se
no mesmo dia da de Santo Antão
de Stevinson.
Duas Festas recentes e com ob-
jectivos diferentes, mas sempre
muito procurada pelos fiéis da
Virgem que um dia apareceu em
Portugal aos três Pastorinhos e
que é celebrada em toda a Cali-
fornia em diferentes ocasiões.
O serviço religioso esteve a
cargo do convidado Padre Luís
Dutra, pároco da freguesia de
Castelo Branco, Ilha do Faial.
Durante a semana que antece-
deu a festa houve terço e missas
diáriamente.
No Domingo, dia 19 de Abril,
houve a tradicional Procissão e
no fim desta serviu-se almoço a
todos os presentes.
Festa nova mas já muito concor-
rida.
Manuel e Fatima Melo; Duarte e Maria Bento; Presidente Joe e Maria Rodrigues; Mario Rodrigues (Secretario) e esposa ; Joe Parreira (Tesourei-
ro) e Rosa Maria Parreira fotos de Jorge Avila “Yauca”
COMUNIDADE 19
20 COMUNIDADE 1 de Maio de 2009

Torneio de Golfe
do Portuguese Athletic Club
em colaboração com Franklin Oliveira

Dia 16 de Maio de 2009

Del Monte Golf Course


em Monterey

Para inscrições, telefonar


para o PAC 408-287-3313

Hole-in-One = $10,000.00 dólares


Haverá muitos outros prémios e surpresas
Se gosta de Golfe, não falte!
PATROCINADORES 21

LUSO AMERICAN LIFE


FRATERNAL ACTIVITIES
OF THE SOCIETY
Luso American Fraternal Federation
Sociedade Portuguesa Rainha Santa Isabel

May 2009 LAFF


Date Time Council City Location
Friday, 15th 7:00 pm All Luso F r e m o n t - SDES Hall
9:30pm members Union City 30846 Watkins
are invited P r e s i d e n t s St, Union City,
Visit CA
S a t u r d a y , 6:00 pm All Luso San Pablo Mapple Hall
16th 7:00 pm members P r e s i d e n t s 1 Alvarado Squa-
are invited Visit re, San Pablo

Sunday, 17th 12:00 pm All Luso M o d e s t o / MRPS Hall


4:00 pm members Manteca 133 N Grant St
are invited P r e s i d e n t s Manteca, CA
20-30’s Visit
Testimo-
nial
Friday, 22nd 6:30 pm All Luso Chino Chino DES Hall
9:30 pm members P r e s i d e n t s 5216 Riverside
are invited Visit Drive, Chino

May SPRSI
Saturday, 9th 2 P r e s i d e n t s TBA
79 Visit

Sunday, 17h 134 P r e s i d e n t s Fresno


Visit

Monday, 18th 13 P r e s i d e n t s TBA


Visit

We d ne sd ay, 18, 31, 64, P r e s i d e n t s TBA


27th 107 Visit

20-30’s Associate President Liz SPRSI Presidents:


Alves, State President Liz
Rodrigues, State Youth Constance Brazil, Tisha Cardoza,
President Gary Resendes Brianne Mattos
Contact LAFF 925-828-4884
22 DESPORTO 1 de Maio de 2009

LIGA SAGRES

Dragões seguem em frente

A quatro jornadas do fim do campeonato, o quando podia tê-lo feito tranquilamente, Naval a cuidados redobrados nas partidas
tetra é cada vez menos uma miragem, ape- face ao volume ofensivo. que se avizinham.
sar de na concorrência haver quem acredite Foi, também, em sofrimento que o Benfica O adeus à 26ª ronda fez-se com dois em-
em milagres. Concluída a 26ª ronda, os cin- ganhou ao Marítimo, a segunda vitória se- pates, o primeiro em Matosinhos (2-2) e o
co primeiros venceram, com maior ou me- guida depois de uma fase negra, com duas segundo na Mata Real (1-1). Braga voltou
nor dificuldade, e deixaram tudo na mesma derrotas de uma assentada na Luz. Os en- a marcar seis meses depois, e por duas ve-
no topo da classificação. carnados estiveram a vencer por 3-0, mas zes, como aconteceu no Dragão a 25 de
Sem Lucho e Hulk, Lisandro tratou de ga- terminaram com um 3-2. Cardozo bisou Outubro. O Leixões já não é o mesmo que
rantir que o campeão nacional mantinha a pela segunda vez (a terceira nos últimos encantava (todos) os adeptos, mas conti-
vantagem de quatro pontos para o Spor- quatro encontros) e reduziu a diferença nua de olho no Sp. Braga e na Liga Europa
ting, assinando o primeiro bis da tempora- para Nené (Nacional) no topo dos melho- (ex-Taça UEFA); tal como o V. Guimarães
da na Liga. O espectáculo não o foi, mas o res marcadores. também já não é aquele que inquietava os
V. Setúbal também não ajudou. Foi a sexta Na luta europeia, a vitória do Sp. Braga torcedores com maus resultados.
vitória consecutiva do F.C. Porto na prova, na recepção ao Trofense, com um golo de A Académica vive a recta final do campeo-
um dia depois de o Sporting ter alcançado Alan ao fechar do pano, obrigava o Nacio- nato como há muito não acontecia, confor-
o mesmo registo. nal a sair do Restelo com três pontos, o que tável no meio da tabela. Renovado espírito
Desde o nulo no Dragão que os dois pri- aconteceu. O Belenenses esteve mais perto que partilhou com o adversário P. Ferreira,
meiros não desarmam na frente, mantendo de vencer, mas terminou a jornada nova- finalista da Taça de Portugal e com a manu-
a distância e com o perseguido mais sere- mente na zona de despromoção. tenção praticamente assegurada.
no que o perseguidor. Sem Vukcevic, Ro- E se os últimos classificados não viram os
chemback, Izmailov, Grimi, Derlei e João marcadores fazerem-lhes justiça, a sorte In Maisfutebol
Moutinho (estes dois castigados), o Spor- resolveu dar o braço ao Rio Ave, que ga-
ting venceu o Estrela, em Alvalade, pela nhou na Figueira da Foz, recuperando o
diferença mínima (2-1) e sob pressão, significado de permanência e forçando a

III Divisão Série Açores - 2ª Fase


Vitória derrota Madalena e ganha 1° lugar

A duas jornadas do final do campeonato, a Série Açores conheceu em tons de azul e branco, e a vitória do Desportivo de Rabo de
mais um líder, desta feita o Vitória, que em casa bateu o Madalena Peixe coloca pressão sobre o União Micaelense, que ainda vai pro-
por uma bola a zero curar anular a desvantagem de quatro pontos nos dois jogos que
Todavia, a equipa de Celestino Ribeiro apenas vai disputar mais estão em falta, depois da derrota de ontem no Bom Jesus.
um encontro, pelo que esta recta final de campeonato promete Em Angra do Heroísmo, o líder Lusitânia cedeu um empate a
emoção e decisão do campeão até ao lavar dos centos. duas bolas perante o já despromovido Marítimo, tendo folgado o
Em São Roque do Pico, o Vitória, graças ao madrugador golo de Vilanovense.
Luciano, levou a melhor sobre o vizinho Madalena que assim bai-
xou ao segundo lugar e irá, nas duas últimas rondas, discutir o
título com a equipa de Celestino Ribeiro, e o Angrense, que folgou in AO
nesta ronda, e tem menos um ponto que a formação orientada por
Fernando Orge.
Fora da luta ficou o Boavista. Os axadrezados de São Mateus não
foram felizes na deslocação a São Miguel , tendo perdido no Jáco- Promoção
me Correia com o Capelense por duas bolas a zero.
Gervásio e Eurico marcaram os tentos que deram aos capelenses a
primeira vitória na segunda fase da prova. Resultados Proxima Jornada
No Grupo da Despromoção, a luta pelo segundo lugar está agora
Vitoria Pico 1 Madalena 0 Madalena - Capelense
Capelense 2 Boavista SM 0 Boavista SM - Angrense

Despromoção
Resultados Proxima Jornada

Rabo de Peixe 2 U Micaelense 1 U. Micaelense - Lusitania


Lusitania 2 Maritimo PDL 2 Maritimo PDL-Vilanovense
PATROCINADORES 23

Aliança Velha
Aguardante $ 9.99

Casal Mendes - Rosé


e Branco $1.99
24 TAUROMAQUIA 1 de Maio de 2009

Quarto Tércio
Às vezes até o Quinto Toiro José Ávila
é bom
Corrida da Festa de Santo Antão Toiro a investir bem. Ladeia. Cita e cavalo preto.
josebavila@gmail.com

de Stevinson crava mas a reunião foi muito larga e Kyle Parker fechou-se bem numa boa Atiro o meu
o ferro caíu no chão. pega, bem ajudado por todo o grupo. chapéu três vezes
Cavaleiro - Sário Cabral Sario tentava entusiasmar o toiro ao ar, para agradecer
Matadores - Alfredo Gutierrez e novamente e ficou em sorte. Citou e Alfredo Gutierrez aos donos da Praça de
Jose Luis Angelino cravou um pouco descaído, sem re- Stevinson terem feito
Forcados Amadores de Turlock mate. No segundo toiro a primeira série de burladeros, quer para
Banda Lira Açoriana Sário estava dando conta do recado. derechazos de Alfredo Gutierrez foi a Imprensa, Forcados,
Director - João Gonçalves O toiro tanto quer como desiste de boa mas o toiro tinha pouca força. Porteiros, Paramedi-
Toiros de Manuel da Costa (3) e vez em quando. Toiro teve tendência As restantes séries, quer pela direira cos. Custou, mas foi.
Manuel do Carmo (3) de enquerençar nos tércios. Sario la- quer pela esquerda não convenciam. A segurança das
deia, e cita bem, e crava bem à tira. Toiro ficou curto e complicado. Hou- pessoas deve estar
Quando se escreve a primeira cróni- Actuação positiva do Sário nesta sua ve passes sem haver toureio. sempre em primeiro lugar.
ca da temporada está-se sempre com primeira prestação da temporada.
medo do lápis partir-se na quinta li- Ladeou sempre que poude. O terceiro toiro para Jose Luis Ange- A Ganadaria do Tio Manuel de Sousa tem novo nome -
nha. Isso não aconteceu este ano. O Pediu mais um ferro. Sario procura lino, colorado, foi parecido com o se- Ganadaria Pico dos Padres, da Família Sousa.
lápis aguentou-se bem, até porque os colocar o toiro em sorte. Cita bem e gundo. Um bom par de bandarilhas Esperemos que a mudança de nome seja prenúncio de
intervenientes estavam interessadsos crava bem numa tira mais curta. salvou a primeira parte da sua faena. uma nova fase da vida da mais antiga Ganadaria da
em fazer figura, caso a matéria prima Mais um ferro. Cita o toiro, crava um Cabeça revolta, curto, pouco ou nada California, ainda a correr toiros.
assim colaborasse. belo ferro, sem remate. se podia fazer.
Bela pega de Michael Lopes com o Os ganaderos do Canadá têm vindo à California com-
Sário Cabral grupo a aguentar bem já perto das O tal quinto toiro prar cavalos e toiros. Bom sinal para os aficionados de
tábuas. lá. E há uma praça nova em construção. Olé!
O primeiro toiro da temporada tinha O Sario recebeu bem o seu segundo Não há quinto toiro manso diz a tra-
o numero 80, era colorado e da Ga- toiro, preto e com peso, da Gana- dição, mas não é sempre bem verda-
nadaria Manuel da Costa. daria de Manuel do Carmo, que se de este desejo de ver o quinto sem-
O toiro teve nos primeiro minutos portou, aqui e ali com alguns bons pre em boa forma. O toiro teve um
um comportamento não muito bom. pormenores. primeiro tércio fraco, sem interesse.
Desinteressado. Sário citou para o A lide decorreu em bom ritmo, com Alfredo Gutierrez desforrou-se com
primeiro comprido mas o toiro não os compridos e curtos, só foi pena a muleta melhor pela direita do que
investia, distraído. Tentou interessá- que a cravação não tivesse sido cons- pela esquerda. Foi um faena longa,
lo, mas o toiro não queria. Tentou tante em sítio como no primeiro toi- calma e boa para o começo da tempo-
cravar, mas a reunião estava muito ro. Sário passou o exame. Precisa rada. Estão de parabéns o ganadero e
distante e o ferro não partiu. Reu- sómente de tourear mais, com mais matador. Pena que Fernando Ochoa
niões muitos largas. O seu primeiro calma, com menos velocidade, sem não tivesse toureado este toiro, que
ferro foi bom e com bom remate. nunca perder de vista o objectivo de era bravo e nobre.
Toiro investia e o Sario tentava colo- ter de colocar o toiro onde melhor ele O sexto toiro não foi bom. Ponto fi-
cá-lo em sorte para o segundo com- investir. Tentar evitar desperdiçar nal.
prido. Bom cite, boa tira e boa cra- tempo em voltas perdidas sem resul- Foi uma corrida com pormenores
vação. Muda de cavalo, preto, muito tados. Mas também, precisa de dar interessantes e queremos crer que o
bonito. show, muito em especial com o seu futuro poderá trazer novas alegrias. Sario Cabral começou bem a temporada. Agora é só rever
pormenores da corrida, continuar a treinar e a tourear

Em cima: Pega de Kyle Parker ao quarto toiro - Direita: pega de Michael Lopes

Esta gravata preta ficará aqui até que as nossas organiza-


ções taurinas aprendam a devolver os bilhetes dos toiros
depois dos porteiros os cortarem.
O que acontece na California desde há anos, é que os
patrocinadores pagam para que os seus serviços sejam pu-
blicitados nos bilhetes de toiros e depois mal se compram
entrega-se ao porteiro, este fica com ele e no fim da corrida
vai tudo para o lixo. Alguém pode compreender isto?
Por lei, todo o cidadão, em qualquer país do mundo, tem di-
reito a ter o seu recibo, mesmo que o bilhete seja oferecido.
PATROCINADORES 25

Maio

VISITAS OFICIAIS PARA O MÊS DE MAIO

15 de Maio : 6:00PM – Official Visit, Co. # 99 (with Co. #68)


Gustine
Tel: (209) 854-6604

6.:00PM – Official Visit, Co. #68 (with Co. #99)


Newman
Tel: (209) 862-2405
26 ARTES & LETRAS 1 de Maio de 2009

Charlas sobre a Língua Portuguesa - Apenas


alguns dos deslizes mais comuns de linguagem, Duas
Palavras
de Cristovão de Aguiar
que existem normas e re-
Diniz Borges
gras para a Língua Por- d.borges@comcast.net
tuguesa – Charlas Sobre
a Língua Portuguesa – Nesta edição trazemos aos nossos lei-
alguns dos deslizes mais tores uma recensão do nosso amigo e
comuns de linguagem distinto colaborador o poeta Victor Rui
(Almedina, 2009), escrito Dores, sobre o novo livro de Cristóvão
pelo professor (aposenta- de Aguiar. No começo do seu texto Vic-
do) e escritor (no activo) tor Rui Dores escreve: “Isto significa
Cristóvão de Aguiar. que é um dever de cidadania defender, a
Estas Charlas andavam todo o custo, a Língua e Cultura portu-
dispersas em blogosferas guesas, bem como promover a Lusofo-
nia. Para isso, os nossos jovens devem
e em jornais continentais
Victor Rui Dores e açorianos e, agora, em
ser ensinados a cultivar, com esmero, a
língua de Camões, num tempo em que,
boa hora “enfeixadas” em em Portugal, o futebol é que “induca”
volume, conhecem uma e a televisão é que “instrói”…” Tais
O filho da terceirense Maria Madalena Pi- nova respiração e uma palavras fazem-nos reflectir sobre as
nheiro Nogueira, de seu nome Fernando outra eficácia. nossas comunidades açor-americanas
Pessoa, chamava-nos a atenção, no ano de Estamos perante uma sé- e a presença da língua portuguesa nas
1929, para o nosso imenso e valioso patri- rie de notas, comentários, mesmas.
mónio linguístico ao escrever uma simples apontamentos e contri- É do conhecimento geral que cada vez
frase que vale toda uma literatura: “A mi- butos, de inegável valor se fala menos a língua portuguesa nas
nha pátria é a língua portuguesa”. didáctico-pedagógico, comunidades portuguesas da América
do Norte. Não há que fazer nenhum
Com cerca de 240 milhões de falantes, dis- sobre alguns dos erros
drama porque faz parte da integração
persos por oito países, a língua portuguesa mais comuns praticados das comunidades, o mesmo tem acon-
é, actualmente, a 6ª mais falada em todo o por falantes da Língua tecido com outras comunidades e ou-
mundo (atrás do mandarim, do hindi, do Portuguesa. tros grupos étnicos, como os italianos
castelhano, do inglês e do bengali), sendo Não sendo linguista nem e os polacos, entre outros. Negar esta
a 3ª mais falada no mundo ocidental. E não gramático, mas possuin- realidade é fugir à realidade. Alias, é o
nos esqueçamos que existem 6.700 línguas do consciência literária, que acontece, infelizmente, em muitos
faladas neste planeta globalizado onde ha- linguística e histórica, sectores do nosso movimento associa-
bitamos… Cristóvão de Aguiar dá tivo. Clausulam-se num mundo do seu
Isto significa que é um dever de cidadania exemplos práticos desses português de há 40 anos e ignoram a
defender, a todo o custo, a Língua e Cul- erros e formula e funda- metamorfose que acontece à sua volta.
Porém, essa realidade, é ainda mais
tura portuguesas, bem como promover a menta a sua correcção
agravada pelo abandono a que as comu-
Lusofonia. Para isso, os nossos jovens de- em textos de leitura mui- nidades têm sido sujeitas pela parte do
vem ser ensinados a cultivar, com esmero, to agradável. No final de governo central português de Lisboa.
a língua de Camões, num tempo em que, cada “lição”, o “professor” recapitula a E, para ilustrar e contextualizar o que diz, Nas nossas comunidades, ou a língua
em Portugal, o futebol é que “induca” e a matéria dada. E, coisa rara de acontecer vai contando apetecíveis histórias. portuguesa passa a ser parte integrante
televisão é que “instrói”… entre alguns linguistas da nossa praça, o Falando de deslizes linguísticos através dos sistemas de ensino norte-america-
É certo que têm faltado políticas efi- de terminologia adequada (vade retro a nos, uma realidade cada vez mais afas-
cientes e eficazes de defesa do nosso Terminologia Linguística para os En- tada, ou então continuaremos a verifi-
património linguístico. Mas dificil- sinos Básico e Secundário - TLEBS), car o seu declínio. Não se pode pedir
mente tal seria possível se atentarmos aos clubes e às associações que fiquem
o autor aproveita também para lançar
nestes dados inapeláveis: em 35 anos com a enorme responsabilidade do en-
olhares (críticos e irónicos) ao estado sino da língua e cultura portuguesas. É
de democracia portuguesa, tivemos 28 das coisas em Portugal – ao nível do que se é verdade que as famílias já não
ministros de Educação (incluindo os social, do político e do cultural. Alguns ensinam aos seus filhos a falar portu-
dos governos provisórios), sendo que dos comunicadores televisivos (todos guês em casa (porque muitos dos pais já
desses 28 ministros só 3 concluíram eles detentores de licenciaturas) levam não comunicam português), não é me-
as suas legislaturas: Roberto Carneiro, valente bordoada pelos deslizes… Alvo nos verdade que, como comunidades,
Marçal Grilo e, até ver, Maria Lurdes de farpas são também aqueles que in- não podemos dizer a banalidade que a
Rodrigues. Aliás, o que nós temos no sultam, na televisão, na rádio e nos língua portuguesa está viva nas comu-
nosso sistema educativo resulta da- jornais, a Língua Portuguesa. E não é nidades porque duas dúzias de jovens
quilo que criámos – reformas atrás de assim que se educa um país. Não nos aprenderam a recitar duas dúzias de pa-
reformas, as quais, a todos os níveis, lavras para um bailinho ou um “acto de
esqueçamos que, em matéria de portu-
conseguem um surpreendente efeito: variedades.”
guês falado, quem, na pantalha, leva a A situação da língua portuguesa nos Es-
cada qual é pior que a anterior. primazia são os jogadores e treinadores tados Unidos e no Canadá não é a mais
O resultado está à vista de todos. As de futebol. Literatura, cultura e escri- saudável. Existem inúmeros desafios.
escolas ensinam cada vez mais sobre tores? Só na RTP 2, e depois da meia- Portugal desde sempre que se esquivou
cada vez menos. O “simplex” tomou noite… da sua responsabilidade de concretizar
conta dos programas de ensino. Pre- Por conseguinte, estas Charlas são de e apoiar cursos de língua e cultura por-
valece a pedagogia do lúdico em de- uma gritante actualidade e, por isso tuguesas nas escolas do ensino oficial
trimento de uma cultura de trabalho, mesmo, devem merecer a nossa leitu- norte-americano. Aliás, nem tão pouco
Cristovão de Aguiar por Eugénio Macedo
esforço e rigor. A língua portuguesa é, ra mais atenta. E esperemos que, para apoiou a rede de escolas comunitárias
diariamente, maltratada e agredida. As- fruição nossa, as ditas conheçam se- que já foram (e em algumas comuni-
sistimos, quase indiferentes, a pontapés na dades ainda são) o único meio possível
quelas.
sintaxe, calinadas na gramática, fífias na para se ensinar a língua e a cultura.
Resta-nos a “inducação” do futebol,
ortografia, topadas no léxico… E não só autor exemplifica e simplifica sem cair em
porque ainda há jovens que ainda vêem
a nível dos órgãos de comunicação social. facilitismos e, esclarecendo e contextua-
alguns jogos da primeira liga e os jogos
Há por aí muito pseudo-escritor (de brin- lizando, chega a conclusões. Recorre, por da selecção, e a “instroição” da televi-
co na orelha) que confunde vernaculidade vezes, ao inglês para efeitos de comparação são nas casas que têm a ligação da RTP-
com caprichos semióticos, hermetismos (não é impunemente que se é germanista e internacional e que os jovens espreitam
inócuos e originalidades de estilo… se teve Paulo Quintela como Mestre), por de vez em quando.
Acabo de ler um livro que nos vem lembrar ser língua mais concisa do que a nossa. Abraços Diniz
28 1 de Maio de 2009
29
30 1 de Maio de 2009
31

Tribuna Portuguesa agradece à IDES ter


autorizado a publicação da sua Lista de
Festas de 2009 no nosso jornal.

Partilhem-na com os vossos amigos!


A Lista das Festas é patrocinada por SANTA CLARA REALTY
32 ÚLTIMA PÁGINA 1 de Maio de 2009

Interesses relacionados