Você está na página 1de 18
Prof. Marcus Biage Fonte: Carlos Roberto Gonçalves Flavio Tartuce
Prof. Marcus Biage
Fonte: Carlos Roberto Gonçalves
Flavio Tartuce
CCONCEITOONCEITO Poder familiar é o conjunto de direitos e deveres atribuídos aos pais, no tocante
CCONCEITOONCEITO
Poder familiar é o conjunto de direitos e deveres atribuídos aos
pais, no tocante à pessoa e aos bens dos filhos menores, não
emancipados, tendo em vista a proteção destes.
Necessidade natural. (educá-los e dirigi-los)
“ O ente humano necessita durante sua infância, de quem o crie e
eduque, ampare e defenda, guarde e cuide dos seus interesses,
em suma, tenha a regência de sua pessoa e seus bens”
Poder familiar é um munus público, imposto pelo estado aos
pais, a fim de que zelem pelo futuro dos seus filhos. É instituído
no interesse do filhos e da família, não em proveito dos genitores.
(obrigação de cuidar dos filhos)
A denominação “poder familiar” é mais apropriada que “patrio
poder” do CC de 1916.
CCARACTERÍSTICASARACTERÍSTICAS Não pode ser alienado ou renunciado. (nulo). Irrenunciável e indelegável.
CCARACTERÍSTICASARACTERÍSTICAS
Não pode ser alienado ou renunciado. (nulo).
Irrenunciável e indelegável.
Imprescritível (não decai por não exercitá-lo)
Instituto da Tutela somente será deferido se forem
suspensos o poder familiar.
Art. 1.630. Os filhos estão sujeitos ao poder familiar,
enquanto menores.
(adotivos ou não, havidos no casamento ou não,
Cessa o Poder familiar com a maioridade (18 anos) ou
com a emancipação.
TITULARIDADETITULARIDADE DODO PODERPODER FAMILIARFAMILIAR Patria potestas: CC 1916. Marido e na falta poderia ser
TITULARIDADETITULARIDADE DODO PODERPODER FAMILIARFAMILIAR
Patria potestas: CC 1916. Marido e na falta poderia ser exercido
pela mulher.
Lei 4.121/62 (Estatuto da mulher casada) Exercendo o marido
com a colaboração da mulher. Divergência = recorrer ao juiz
CF/88, Art. 226, §5º: “os direitos e deveres referentes à sociedade
conjugal são exercidos igualmente pelo homem e mulher”
ECA, art. 21: Igualdade de condições.
CC. 2002, art. 1.631. Durante o casamento e a união estável,
compete o poder familiar aos pais; na falta ou impedimento de
um deles, o outro o exercerá com exclusividade.
Parágrafo único. Divergindo os pais quanto ao exercício do poder
familiar, é assegurado a qualquer deles recorrer ao juiz para
solução do desacordo.
TITULARIDADETITULARIDADE DODO PODERPODER FAMILIARFAMILIAR Art. 1.632. A separação judicial, o divórcio e a
TITULARIDADETITULARIDADE DODO PODERPODER FAMILIARFAMILIAR
Art. 1.632. A separação judicial, o divórcio e a dissolução da união
estável não alteram as relações entre pais e filhos senão quanto ao
direito, que aos primeiros cabe, de terem em sua companhia os
segundos.
Se for estabelecido a guarda em favor de um deles, este ficará com a
parcela maior, restando ao outro cônjuge o direito de visitação e de
fiscalização da manutenção e educação dos filhos. Há um
enfraquecimento do poder de família ao genitor privado da guarda.
O filho havido fora do casamento ficará sob o poder do genitor que o
reconheceu. E se ambos o que revelar melhores condições para exercê-
la.
O filho não reconhecido pelo pai fica sob o poder familiar da mãe.
Art. 1.633. O filho, não reconhecido pelo pai, fica sob poder familiar exclusivo
da mãe; se a mãe não for conhecida ou capaz de exercê-lo, dar-se-á tutor ao
menor.
CONTEÚDOCONTEÚDO DODO PODERPODER FAMILIARFAMILIAR Art. 1.634. Compete aos pais, quanto à pessoa dos filhos menores:
CONTEÚDOCONTEÚDO DODO PODERPODER FAMILIARFAMILIAR
Art. 1.634. Compete aos pais, quanto à pessoa dos filhos menores:
I - dirigir-lhes a criação e educação;
II - tê-los em sua companhia e guarda;
III - conceder-lhes ou negar-lhes consentimento para casarem;
IV - nomear-lhes tutor por testamento ou documento autêntico, se o
outro dos pais não lhe sobreviver, ou o sobrevivo não puder exercer o
poder familiar;
V - representá-los, até aos dezesseis anos, nos atos da vida civil, e
assisti-los, após essa idade, nos atos em que forem partes, suprindo-
lhes o consentimento;
VI - reclamá-los de quem ilegalmente os detenha;
VII - exigir que lhes prestem obediência, respeito e os serviços próprios
de sua idade e condição.
CONTEÚDOCONTEÚDO DODO PODERPODER FAMILIARFAMILIAR Art. 1.634. Compete aos pais, quanto à pessoa dos filhos menores:
CONTEÚDOCONTEÚDO DODO PODERPODER FAMILIARFAMILIAR
Art. 1.634. Compete aos pais, quanto à pessoa dos filhos menores:
I - dirigir-lhes a criação e educação;
* sustento, formação a fim de torná-los úteis a si, à sua
família e à sociedade. Formação Moral. Caráter.
Infração ao dever de criação configura crime de abandono
material (CP art. 244) e constitui perda do poder familiar.
1.638 CC) A perda desse direito não desobriga os pais de
sustentar os filhos.
Prover ao menos educação primária caracteriza abandono
intelectual. (CP art. 246)
CONTEÚDOCONTEÚDO DODO PODERPODER FAMILIARFAMILIAR Art. 1.634. Compete aos pais, quanto à pessoa dos filhos menores:
CONTEÚDOCONTEÚDO DODO PODERPODER FAMILIARFAMILIAR
Art. 1.634. Compete aos pais, quanto à pessoa dos filhos menores:
II - tê-los em sua companhia e guarda;
Pode reclamar de quem os detenha ilegalmente por meio
de ação de busca e apreensão, pois lhe incumbe fixar o
domicílio.
Entregar o filho a pessoa inidônea pode configurar crime
previsto no art. 245 do CP
CONTEÚDOCONTEÚDO DODO PODERPODER FAMILIARFAMILIAR Art. 1.634. Compete aos pais, quanto à pessoa dos filhos menores:
CONTEÚDOCONTEÚDO DODO PODERPODER FAMILIARFAMILIAR
Art. 1.634. Compete aos pais, quanto à pessoa dos filhos menores:
III - conceder-lhes ou negar-lhes consentimento para casarem;
IV - nomear-lhes tutor por testamento ou documento autêntico, se o
outro dos pais não lhe sobreviver, ou o sobrevivo não puder exercer o
poder familiar;
V - representá-los, até aos dezesseis anos, nos atos da vida civil, e
assisti-los, após essa idade, nos atos em que forem partes, suprindo-
lhes o consentimento;
VI - reclamá-los de quem ilegalmente os detenha;
VII - exigir que lhes prestem obediência, respeito e os serviços próprios
de sua idade e condição.
Castigo físico moderado. Castigos imoderados consideram
crime de maus-tratos e causa perda do poder familiar.
Lei da palmada (projeto de Lei nº 2.654/2003
QQUANTOUANTO AOSAOS BENSBENS DOSDOS FILHOSFILHOS O Código civil transferiu toda a seção que trata dos
QQUANTOUANTO AOSAOS BENSBENS DOSDOS FILHOSFILHOS
O Código civil transferiu toda a seção que trata dos bens dos filhos para o
Título II.
Do usufruto e da administração dos bens de filhos menores (1.689 CC)
Art. 1.689. O pai e a mãe, enquanto no exercício do poder
familiar:
I - são usufrutuários dos bens dos filhos;
II - têm a administração dos bens dos filhos menores sob sua
autoridade.
Art. 1.690. Compete aos pais, e na falta de um deles ao outro, com
exclusividade, representar os filhos menores de dezesseis anos,
bem como assisti-los até completarem a maioridade ou serem
emancipados.
Parágrafo único. Os pais devem decidir em comum as questões
relativas aos filhos e a seus bens; havendo divergência, poderá
qualquer deles recorrer ao juiz para a solução necessária.
O USUFRUTO LEGAL DISPENSA PRESTAÇÃO DE CONTAS
QQUANTOUANTO AOSAOS BENSBENS DOSDOS FILHOSFILHOS Art. 1.691. Não podem os pais alienar, ou gravar de
QQUANTOUANTO AOSAOS BENSBENS DOSDOS FILHOSFILHOS
Art. 1.691. Não podem os pais alienar, ou gravar de ônus real
os imóveis dos filhos, nem contrair, em nome deles,
obrigações que ultrapassem os limites da simples
administração, salvo por necessidade ou evidente interesse
da prole, mediante prévia autorização do juiz.
Parágrafo único. Podem pleitear a declaração de
nulidade dos atos previstos neste artigo:
I - os filhos;
II - os herdeiros;
III - o representante legal.
Art. 1.692. Sempre que no exercício do poder familiar
colidir o interesse dos pais com o do filho, a
requerimento deste ou do Ministério Público o juiz lhe dará
curador especial.
QQUANTOUANTO AOSAOS BENSBENS DOSDOS FILHOSFILHOS Art. 1.693. Excluem-se do usufruto e da administração dos pais:
QQUANTOUANTO AOSAOS BENSBENS DOSDOS FILHOSFILHOS
Art. 1.693. Excluem-se do usufruto e da administração dos
pais:
I - os bens adquiridos pelo filho havido fora do casamento,
antes do reconhecimento;
II - os valores auferidos pelo filho maior de dezesseis anos,
no exercício de atividade profissional e os bens com tais
recursos adquiridos;
III - os bens deixados ou doados ao filho, sob a condição de
não serem usufruídos, ou administrados, pelos pais;
(indignidade)
IV - os bens que aos filhos couberem na herança, quando os
pais forem excluídos da sucessão.
EEXTINÇÃOXTINÇÃO EE SUSPENSÃOSUSPENSÃO DODO PODERPODER FAMILIARFAMILIAR Art. 1.635. Extingue-se o poder familiar:
EEXTINÇÃOXTINÇÃO EE SUSPENSÃOSUSPENSÃO DODO PODERPODER FAMILIARFAMILIAR
Art. 1.635. Extingue-se o poder familiar:
I - pela morte dos pais ou do filho;
II - pela emancipação, nos termos do art. 5 o , parágrafo
único;
III - pela maioridade;
IV - pela adoção;
V - por decisão judicial, na forma do artigo 1.638.
EEXTINÇÃOXTINÇÃO EE SUSPENSÃOSUSPENSÃO DODO PODERPODER FAMILIARFAMILIAR Art. 1.638. Perderá por ato judicial o
EEXTINÇÃOXTINÇÃO EE SUSPENSÃOSUSPENSÃO DODO PODERPODER FAMILIARFAMILIAR
Art. 1.638. Perderá por ato judicial o poder familiar o pai ou
a mãe que:
I - castigar imoderadamente o filho; (lei da palmada)
II - deixar o filho em abandono;
III - praticar atos contrários à moral e aos bons costumes;
(libertinagem, falta de pudor. Vadiagem. mendicância
IV - incidir, reiteradamente, nas faltas previstas no artigo
antecedente.
EEXTINÇÃOXTINÇÃO EE SUSPENSÃOSUSPENSÃO DODO PODERPODER FAMILIARFAMILIAR Art. 1.637. Se o pai, ou a mãe, abusar
EEXTINÇÃOXTINÇÃO EE SUSPENSÃOSUSPENSÃO DODO PODERPODER FAMILIARFAMILIAR
Art. 1.637. Se o pai, ou a mãe, abusar de sua autoridade,
faltando aos deveres a eles inerentes ou arruinando os bens
dos filhos, cabe ao juiz, requerendo algum parente, ou o
Ministério Público, adotar a medida que lhe pareça
reclamada pela segurança do menor e seus haveres, até
suspendendo o poder familiar, quando convenha.
Parágrafo único. Suspende-se igualmente o exercício do
poder familiar ao pai ou à mãe condenados por sentença
irrecorrível, em virtude de crime cuja pena exceda a dois
anos de prisão.
EEXTINÇÃOXTINÇÃO EE SUSPENSÃOSUSPENSÃO DODO PODERPODER FAMILIARFAMILIAR O dispositivo autoriza não somente a
EEXTINÇÃOXTINÇÃO EE SUSPENSÃOSUSPENSÃO DODO PODERPODER FAMILIARFAMILIAR
O dispositivo autoriza não somente a suspensão, mas,
outras medidas de Poder Familiar.
A) descumprimento dos deveres inerentes ao pai.
B) arruinar o patrimônio do filho.
Deveres inerentes aos pais:
Art. 7º ao 24 do ECA
Art. 227 da CF
SANÇÕES SÃO APLICADAS PELO JUIZ.
EEXTINÇÃOXTINÇÃO EE SUSPENSÃOSUSPENSÃO DODO PODERPODER FAMILIARFAMILIAR A Suspensão é temporária. (até quando
EEXTINÇÃOXTINÇÃO EE SUSPENSÃOSUSPENSÃO DODO PODERPODER FAMILIARFAMILIAR
A Suspensão é temporária. (até quando se mostre
necessária.
A Suspensão poderá ser em sede de liminar.
Perda do poder familiar por abuso sexual de pai para filho.
Participação do MP
OBRIGADO
OBRIGADO