Você está na página 1de 29

Geração de Caracteres – poemas – Lecy Pereira

fakefakefakefakefakefake

Acredite, é tudo seu.


Refinadas taças em cristal
Vinhos sabidos há dois séculos
Brincos reais de Cavalos Marinhos
Fino produto do bicho da seda
É tudo seu, acredite.
Preciosas jóias do castelo
Sinuosos ventres de dançarinas
Guerreiros helênicos da realeza
Reinos inteiros e seus celeiros
Esses pedaços de poemas originais
Garças-olhos-diamantes-corpos-ametistas
Infindáveis festas sonorassensuais
Roupas de uma era ecológica
Cachoeiras de alegrias nostálgicas
Sinta o cinto do conhecimento na cintura
Seu é tudo, acredite.
O hálito de framboesa
Dança de milhões de cores
Amareladas folhas tocadas pelo vento
Roda da fortuna dourada
Raros corais perolados
O Vale dos Enamorados é seu
A diva com lábios violeta é sua
A montanha mágica é sua
Ainda que rompa o relógio solar
São suas as máscaras das dinastias
A realidade nua e sedutora é sua
Seu é o kit dos mistérios gozosos
Acredite: intensidade está para o encanto
Assim como atenção está para o espanto
Acredite, seu tudo é.
Os elementos tremeluzentes
Desse conjunto vazio repleto
Sinta veja espere inspire expire
Acredite, é tudo seu.

2
Geração de Caracteres – poemas – Lecy Pereira

metalinguagemmetaliguag

Agora poesia desce as escadas do palácio rococó


Agora poesia calça um salto alto Prada
Agora poesia decide tomar ahyauasca
Agora poesia mete a língua na caverna

Depois a poesia cansa de ser agora


Depois a poesia decide ser ágora
Depois a poesia manda bala nos poetas
Depois a poesia resolve que é macho
Depois a poesia usa cueca boxer preta
Depois a poesia dá uma banana aos famintos

Antes a poesia nasce entre animais


Antes a poesia é escrava sexual na corte
Antes a poesia nunca delira
Antes a poesia é perfeita e recalcada

Daqui a pouco a poesia dá uma entrevista


Daqui a pouco a poesia faz uma revelação chocante
Sabe-se que a poesia prepara um livro-bomba
Sabe-se que muitos poetas nem dormem mais

Mas antes uma pausa para nossos comerciais


Floricultura Poema
Perfume Poesia

Agora, depois e antes o que diz a poesia?


Voltamos. Com a poesia, a palavra:
Eu desejo do fundo do coração
Que todos os poetas
descansem em La Paz.

3
Geração de Caracteres – poemas – Lecy Pereira

plasticidadesplasticidadesplasticidade

Nada mais se esconde aqui


Vê-se pela tela da transcendência
<O ir e vir> da transparência
Formidáveis cenas ultrapassadas.

4
Geração de Caracteres – poemas – Lecy Pereira

h á h i a t o s d e m a i s a o r e d o r d
o m u n d o s a l v o u m s o r i s o r a s
g a d o s e g u i d o d e u m abraço
concentrado
h á h i a t o s d e m a i s a o r e d o r d
o m u n d o s a l v o u m s o r i s o r a s
g a d o s e g u i d o d e u m abraço
concentrado
h á h i a t o s d e m a i s a o r e d o r d
o m u n d o s a l v o u m s o r i s o r a s
g a d o s e g u i d o d e u m abraço
concentrado
h á h i a t o s d e m a i s a o r e d o r d
o m u n d o s a l v o u m s o r i s o r a s
g a d o s e g u i d o d e u m abraço
concentrado
h á h i a t o s d e m a i s a

HÁ HIATOS DEMAIS
AO REDOR DO MUNDO
SALVO UM SORRISO
o r e d o r d o m RASGADO
u n dSEGUIDO
o s a l v o u m s o
DE UM ABRAÇO
r r i s o r a s g a d o s e g
CONCENTRADO.
u i d o d e u
m abraço concentrado
h á h i a t o s d e m a i s a o r e d o r d
o m u n d o s a l v o u m s o r r i s o r a
s g a d o s e g u i d o d e u m abraço
concentrado
h á h i a t o s d e m a i s a o r e d o r d
o m u n d o s a l v o u m s o r i s o r a s
g a d o s e g u i d o d e u m abraço
concentrado
h á h i a t o s d e m a i s a o r e d o r d
o m u n d o s a l v o u m s o r i s o r a s
g a d o s e g u i d o d e u m abraço
concentrado
h á h i a t o s d e m a i s a o r e d o r d
o m u n d o s a l v o u m s o r i s o r a s

5
Geração de Caracteres – poemas – Lecy Pereira

g a d o s e g u i d o d e u m abraço
concentrado
h á h i a t o s d e m a i s a o r e d o r d
o m u n d o s a l v o u m s o r i s o r a s
g a d o s e g u i d o d e u m abraço
concentrado
h á h i a t o s d e m a i s a o r e d o r d
o m u n d o s a l v o u m s o r i s o r a s
g a d o s e g u i d o d e u m abraço
concentrado.

6
Geração de Caracteres – poemas – Lecy Pereira

ao que mia ao que mia ao que

Que os restos mortais


Se transformem em flores
O QUÊ?
Todas as mulheres saíram de mim.
O QUÊ?
Que todos saibam servi-las.
O QUÊ?
Meu nome não é Chico Buarque.
O QUÊ?
O primeiro me chegou como quem chega do ar.
O QUÊ?
Ciranda-Cirandinha vamos todos mergulhar
O QUÊ?
Que Ferreira Gullar imploda tudo
O QUÊ?
Benditos os que vieram subverter

O QUÊ?
Simbólicos são belos címbalos
O QUÊ?
Não ficará verso sob verso.
O QUÊ?
Após a lágrima vem o prazer
O QUÊ?
Ao que mia
O QUÊ?
Ao que mia
O QUÊ?
Bem-te-vi
Bem-te-vi
O QUÊ?
Lá vem o cão
O QUÊ?
AU-AU-AU-AU
AU-AU-AU-AU
O QUÊ?
Tudo fica, mudo.

7
Geração de Caracteres – poemas – Lecy Pereira

partirpartirpartirpartirparti
For e para Lolis.

A gente vai pro baile


Pelo meio da noite
A gente vai sem saber
Se há voltar
Vai madrugar
Elas com tantas sombras nos olhos
Eles fabricados em músculos
A gente é só olhar
A gente é cabelo assombrado
Após uma batida
Passamos por uma batida
Para acabar tomando uma batida
Nas ruas vazias de lâmpadas amarelas
Tantas horas
Basta tocar o celular de alguém
A gente acaba dançando
Após o cibersamba
Só falta beijar a party girl
Para inteirar o passeio
Pela selva.

8
Geração de Caracteres – poemas – Lecy Pereira

VÍDEO-CLIP VÍDEO-CLIP VÍDEO-CLIP VÍDEO-CLIP

Vídeo-clip
Vídeo-clip
Vídeo-clip

UMA CONOTAÇÃO DOS IRMÃOS LUMIÈRE


VOANDO NAS ASAS SONORAS DO ARTISTA
COMO UM TURBILHÃO DE POSSIBILIDADES
DE EMOÇÕES SUPERPOSTAS SUGERIDAS
EM POUCOS SEGUNDOS COMO UMA ERUPÇÃO
ESTÉTICA PARA O DELEITE DOS OLHOS NUMA
ALUCINADA VANGUARDA FEITA APOTEOSE DA
IMAGINAÇÃO TAL FRAGMENTO EXCITADO
DE UM OLHO ANIMADO.

Vídeo-clip
Vídeo-clip
Vídeo-clip Vídeo-clip
Vídeo-clip
Vídeo-clip

9
Geração de Caracteres – poemas – Lecy Pereira

Vênusvênusvênusvênusvênusvênusvênusvênusvênu

Mundo dos echarpes voluptuosos


Mundo dos chapéus insinuantes
Mundo das divas milimétricas
Essas mulheres fundidas em bronze
Tão helênicas tão hedônicas
Tão biônicas tão efêmeras
Evoluindo por sobre um tapete carmim
Quando flashes espocam
Num cenário de luzes lilases vacilantes
Mundo de fêmeas fatais
Mundo da moda de Vênus.
Vênus.
Vênus.
Vênus.
Vênus.

Vênus.
10
Geração de Caracteres – poemas – Lecy Pereira

Ouro!Ouro!Ouro!Ouro!Ouro!Ouro!Ouro!Ouro!Ouro!

nascessol
nascessol
nascessol
girassol
girassol
girassol
brilhassol
brilhassol
brilhassol
le soleil
le soleil
le soleil
el sol
el sol
el sol
só o sol há de brilhar
só o sol há de brilhar
só o sol há de brilhar
eu sou o sJ l
eu sou o sJ l
eu sou o sJ l
ouro!
ouro!
ouro!
pordossol
pordossol
pordossol.

11
Geração de Caracteres – poemas – Lecy Pereira

AVIS-RARAS-AVIS-RARAS-AVIS-RARAS-

¡ Doce é navegar
Na livre rota das aves
...Suaves...
...Suaves...
...Suaves...
Então posso ver
Em nuvens formando frases:
Ser livre é sentir
A emoção dos capazes
Em chão de estrelas
Nas horas vazias
No ouro do sol
Na sombra dos dias
...Suaves...
...Suaves...
...Suaves...
oásis-miragens-saudades
castelos-tulipas-cidades
lagos-riachos-oceanos
o som genial dos pianos
...Suaves...
...Suaves...
...Suaves...

Sua vez de voar


Sua vez de voar
Sua vez de voar.

12
Geração de Caracteres – poemas – Lecy Pereira

CristalLíquidoCristalLíquidoCristalLíquidoCristal

Minha tela de cristal líquido é assim:


Com um traço torto entre
O curvo e o perpendicular
Tem um quê de mágico
E louco e lúdico
Ela metaforiza
Com seu impulso
O tempo todo ela anarquiza
Rabisca para não explicar
Traça o arco-íris a seu modo
Joga lendas ao vento
Ela é o ícone da vanguarda
Num traço mostra sangria
Feito Picasso
Noutro desenha um coração
Em minha tela de cristal líquido
Única e sonhadora
Apenas Deus deletador.

13
Geração de Caracteres – poemas – Lecy Pereira

PretextoPretextoPretextoPretextoP

Tudo parece um pretexto


para o ser homem
dentro de qualquer contexto
esse homem sem jeito
esse homem suspeito
esse homem perfeito
esse filho da mãe
essa mãe histórica
essa mãe pictórica
essa mãe católica
mãe desse homem bendito
ou melhor, maldito
ou melhor, contrito,
esse homem-defeito,
esse homem contexto
para sempre eleito
homem, filho do pai
de tudo quanto é feito.

14
Geração de Caracteres – poemas – Lecy Pereira

CriativusCriativusCriativusCriati

Tu me compreendes?

Olhe os objetos fora de si


INTUITUS
Perceba os objetos considerados
APPERCEPTIO
Reflita sobre o percebido
REFLEXIO
Crie a sua fantasia
IMAGINATIO
Decida por qualquer coisa
JUDICIUM
Coordene coisas relacionadas
RATIA
Compreenda coisas coordenadas
INTELLECTUS

Tu me compreendes?

Deseje coisas fora de si


DESIDERIUM
Tome as coisas desejadas
APPETITUS
Dê uma forma a essas coisas
CONCUPISCENTIA
Incline-se a tudo decida por nada
PASSIO
Seja pró ou contra qualquer coisa
LIBERTAS
Escolha enfim alguma coisa
ELECTIO
Dê existência ao escolhido
VOLUNTAS

Tu me compreendes?

AMARE
AMARE
AMARE
AMARE
AMARE
AMARE
AMARE

15
Geração de Caracteres – poemas – Lecy Pereira

Máxima Máxima Máxima Máxima

Por mais que se insista


Pedras nunca serão plumas
Mas há instantes em que
Até paquidermes dançam valsa
Para mostrarem que excelência
Não prefere estética

Da mesma forma
Escuridão nada quer ver
Mas luz costuma visitá-la
(em silêncio)
Evitando escarcéus
Coibindo resistências.

16
Geração de Caracteres – poemas – Lecy Pereira

ParqueVirtual Parque Virtual ParqueVirtual

01010101010101
Sob o céu
Há um parque
De muitas diversões
Uns sim
Uns não
Uns sim
Uns não
Uns dez
Uns zero
Uns dez
Uns zero
Outros mistos
Outros brancos
Outros índios
Outros negros
Tiro ao alvo
Ursinho cute!cute!
Algodão doce
Maçã do amor
Carrossel
Bate-bate
Montanha russa
Rodam gigantes
Zero – Um - Zero
Um – Zero - Um
01010101010101

17
Geração de Caracteres – poemas – Lecy Pereira

JONAS E SUTA JONAS E SUTA JONAS E SUTA

Eles estão sentados num


banco de um quiosque de
palha e ao fundo uma praia.
Eles riem-se - são meninos,
filhos de um outro tempo,
alheios a boçalidade dos
adultos inteligentes.
Eles riem-se da meninice,
donos de uma amizade
maior que ideologias
ou que interesses paternos.
Lá estão Jonas e Suta,
felizes no banco da praia.
Eles sabem amar o mar.

18
Geração de Caracteres – poemas – Lecy Pereira

10 COM NEXO 10 COM NEXO 10 COM NEXO 10

I - A lua maquiando-se para


a noite;
II - O ovo preparando um
estratagema;
III - O estômago praticando
magia;
IV - A rapariga em ferrenha
disputa;
V - O hieróglifo lendo a
mão do antropólogo;
VI - O sol brilhando como
ator;
VII - O sexo em férias
gozosas;
VIII - A gestante comprando
nozes pré-natal;
IX - O ladrão campeão em
xadrez;
X - A centopéia a cem
passos do triunfo.

19
Geração de Caracteres – poemas – Lecy Pereira

F L E X I B I L I D A D E FLEXIBI

Querer um amor de borracha


de elástico, de látex
na elasticidade

Querer um amor de geleia


de gelatina, de goma
de mascar

Querer um amor que cede


feito colchão de água
no ato de amar

Querer um amor em flash


que sibila, sem idade.

20
Geração de Caracteres – poemas – Lecy Pereira

ESPERANDO NERUDA ESPERANDO NERUDA ESPE

Num bosque chileno,


donde ele saiu a cantar,
nas areias do deserto,
no Temuco, numa praça
em Santiago, na esquina
de uma canção desesperada,
numa flor de lótus,
com mil caracóis cintilantes,
com máscaras de todas as partes do mundo.
Espero Pablo e não "hablo" espanhol,
ouço seu Canto Geral,
e o aguardo no azul violento.
Espero Pablo no ego d' outros
Poetas menores alheios ao Nobel,
Espero-o nalguma estação do mundo
num dia escuro mais que a noite,
numa taberna de sua mocidade,
nos olhos de um peixe do mar profundo.
Eu o espero no cimo das cordilheiras,
donde é facílimo tocar os céus,
na missiva levada pelo carteiro
ele há de estar, nas pupilas do lavrador
e no cheiro do boldo chileno,
espero Pablo na boca de um ser
apaixonado pela luz,
no mais belo horizonte, por detrás de uma serra,
eu espero Pablo na ternura dum coração de aço
e na fugacidade de toda lágrima.
E então, sobre nuvens à prova de ódio,
cantaremos, até perder a voz
a paz inextinguível.

21
Geração de Caracteres – poemas – Lecy Pereira

Experimente Experimente Exper


Aos irmãos Leonardo de Magalhaens e Vinícius Fernandes Cardoso

Uma nova dicção


Nasce da contradição

Pari Passu

Repare como a flor


A si abre num átimo
Repare como a flor
A si abre num átimo

Homens autoprontos
Homens autoprontos

Tempos evoluidos
Sentimentos diluidos

Pari Passu

Uma nova dicção


Nasce da ebulição

22
Geração de Caracteres – poemas – Lecy Pereira

LETRA DE FORMA

Letra é sinal
Que palavra forma
Língua é letra
Que palavra torna

Língua-palavra
Palavra-língua
Palavra-palavra
Língua-palavra
Palavra-forma

Língua é verbo
Que produz a fala
Fala é forma
De soltar a língua

Verbo-palavra
Palavra-língua
Palavra-palavra
Letra-palavra
Palavra-forma

Verbo
Forma
Língua
Forma
Palavra
Forma
Letra
Forma...

23
Geração de Caracteres – poemas – Lecy Pereira

Este “livro” é dedicado a qualquer Um antes do


Zero

Este “livro” é dedicado a qualquer Um antes do


Zero

Este “livro” é dedicado a qualquer Um antes do


Zero

Este “livro” é dedicado a qualquer Um antes do


Zero

Este “livro” é dedicado a qualquer Um antes do


Zero

Este “livro” é dedicado a qualquer Um antes do


Zero

Este “livro” é dedicado a qualquer Um antes do


Zero

Este “livro” é dedicado a qualquer Um antes do


Zero

Este “livro” é dedicado a qualquer Um antes do


Zero

Este “livro” é dedicado a qualquer Um antes do


Zero

Este “livro” é dedicado a qualquer Um antes do


Zero

Este “livro” é dedicado a qualquer Um antes do


Zero

Este “livro” é dedicado a qualquer Um antes do


Zero

24
Geração de Caracteres – poemas – Lecy Pereira

*Relógio Biológico Relógio Biológico Relógio Bioló

Seres circulares
Seres milenares
Seres seculares
Seres singulares
Seres celulares
Complexo de células emocionadas
Complexo de células emocionadas
Poros expelem
Poros expelem
Poros expelem
Poros expelem
Hai que endurecer-se
Hai que endurecer-se
Hai que endurecer-se
Hai que endurecer-se
Pero perder la ternura jamas
Pero perder la ternura jamas
Seres celulares
Seres singulares
Seres seculares
Seres milenares
Seres circulares

-----------------------------
• Poema contendo adaptação de uma frase
atribuída ao líder revolucionário cubano
Ernesto Guevara.

25
Geração de Caracteres – poemas – Lecy Pereira

Geração de Caracteres

Lecy Pereira
lecysousa@gmail.com

26
Geração de Caracteres – poemas – Lecy Pereira

O autor

Lecy Pereira é servidor público em Contagem - MG atuando


em biblioteca escolar.

Publicou seu primeiro livro de poemas


“Primeirapessoaplural” (2008) pelo selo “Árvore dos
Poemas”, dentro do Projeto Terças Poéticas do Palácio das
Artes em BH. Participa de projetos como “A tela e o texto”
da UFMG, Pão e Poesia do poeta Diovvani Mendonça, Belô
Poético e Poesia na Praça Sete criados pelo poeta Rogério
Salgado. Também participou da fundação da Academia
Contagense de Letras – ACL e foi seu primeiro presidente.

Tendo como praia o experimentalismo, Lecy Pereira gosta de


brincar com as palavras - ainda que elas transmitam
preocupações sociais - a sonoridade que elas proporcionam
em qualquer língua e se surpreende quando isso faz algum
sentido para os leitores. Seus textos, entre contos,
crônicas e poemas estão pulverizados em sites da Internet e
carecem de pesquisa.

Ao longo dos anos o autor vem experimentando os blogs da


Internet. Seu blog mais recente é
www.lecypereira.blogspot.com.
Contatos com o autor: lecysousa@gmail.com e
www.twitter.com/lecypereira

27
Geração de Caracteres – poemas – Lecy Pereira

A Geração de Caracteres

A velocidade parece ser um sinônimo desses


últimos tempos. Não que isso signifique glamour
para todos nós.

Nem sempre as pessoas têm tempo de apreciar um


texto de forma mais detida, uma imagem
artística, enfim.

Geração de Caracteres é um delírio poético que


permite múltiplas interpretações. A palavra ao
sabor do vento, sem gravidades.

No final, restam nossas impressões digitais, o


pano de fundo que é ser e estar em algum lugar.

Não leve tudo tão a sério. Brinque e deixe


brincar poeticamente. Viver é também saber
deixar.

Lecy Pereira.

28
Geração de Caracteres – poemas – Lecy Pereira

“Os outros meninos, um queria ser médico, outro


pirata, outro engenheiro ou advogado, ou
general. Eu queria ser um pajem medieval... Mas
isso não é nada. Pois hoje eu queria ser uma
coisa mais louca: eu queria ser eu mesmo!"
Ideais, Mário Quintana

29