P. 1
Prova Discursiva Comentada ATRFB 2010

Prova Discursiva Comentada ATRFB 2010

|Views: 218|Likes:
Publicado porprvarao
NH
NH

More info:

Categories:Types, Graphic Art
Published by: prvarao on Mar 13, 2014
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/29/2014

pdf

text

original

PROVA COMENTADA – DISCURSIVA ATRFB 2009/2010 – PROFESSOR GABRIEL CORRÊA PEREIRA

Prova Dissertativa – Analista-Tributário da Receita Federal do Brasil
Como Analista-Tributário da Receita Federal do Brasil, você foi lotado na Delegacia de Uruguaiana (RS). Para sua análise, foi apresentado o seguinte caso: A empresa ZETA Hermanos Ltda., sediada em Rosário, Argentina, devidamente inscrita nos órgãos fiscais daquele país, remeteu a comprador brasileiro (GUGA Comércio e Importações Ltda.), sediado em São Paulo (SP), uma carga de nbutanol, composto químico para uso industrial. Chegando ao posto aduaneiro brasileiro, a carga não foi admitida, uma vez que a fiscalização exigiu Certificado de Origem, conforme portaria da Secretaria de Comércio Exterior (SECEX/MDIC), e também comprovação do recolhimento de direitos antidumping aplicados às importações brasileiras de n-butanol originárias da Argentina e dos Estados Unidos, conforme resolução pertinente da Câmara de Comércio Exterior (CAMEX).
O exportador ingressou com recurso administrativo contra o ato da fiscalização, alegando em síntese que: a) a exigência da SECEX violava o Acordo sobre Regras de Origem e também o Acordo sobre Implementação do Artigo VI (Acordo Antidumping), ambos da Organização Mundial do Comércio (OMC), e em razão disso deveria ser ignorada pela fiscalização; b) de qualquer forma, sendo o n-butanol produzido na Argentina, não lhe deveria ser cobrado direito antidumping; c) ainda, que a não admissão da carga, pela fiscalização, violaria Decisão recente do Conselho do Mercado Comum (CMC) do Mercosul;

d) por fim, informava que também iria comunicar o fato ao governo argentino, que “imediatamente tomará as providências cabíveis nos tribunais internacionais”. A partir da situação hipotética apresentada e considerando, ainda, os questionamentos abaixo, elabore uma dissertação, entre 40 a 60 linhas, emitindo seu pronunciamento a respeito, de acordo com a estrutura jurídica aplicável. - O que são os acordos mencionados pelo Exportador nos itens a) e b)? qual o seu efeito na ordem jurídica brasileira? - Qual o efeito de uma Decisão do CMC/Mercosul para um servidor público brasileiro? Em que hipótese ela deve ser cumprida? - Como está organizado o sistema de solução de controvérsias no Mercosul? O governo argentino poderia, se desejasse, levar este caso a que foro(s)?

1

é importante conceituar “Regras de Origem” e “Dumping”. No entanto. Sendo assim. é importante que o candidato explique os principais conceitos da disciplina. Nessa questão. vale ressaltar que não existe uma resposta única a esse tipo de questão dissertativa. 3) Aspectos textuais: Especificamente nessa questão. repleto de formalidades. o candidato deveria se atentar para o fato de que palavras estrangeiras devem ser destacadas no texto. Entretanto. conforme sua complexidade. produzindo um relatório. O enunciado exige apenas uma dissertação que aborde os três tópicos apresentados ao final da questão. a maioria dos candidatos considerou a prova difícil. existem algumas técnicas de redação que facilitam a obtenção de uma boa avaliação por parte do examinador. Tente construir seu texto de forma a abordar cada tópico exigido em um ou dois parágrafos. mas que abordasse os tópicos levantados pela situação problema. por exemplo. Grande parte dos alunos julgou que esse caso prático era mais complexo e exigia mais detalhes do que as questões teóricas da prova de Auditor. sobretudo se comparada às questões discursivas do concurso de Auditor-Fiscal da Receita Federal que tinham sido aplicadas duas semanas antes. Inicialmente. Contudo. três pontos merecem a atenção do candidato: 1) Paragrafação: É importante ter parágrafos de introdução e de conclusão consistentes e coerentes.PROVA COMENTADA – DISCURSIVA ATRFB 2009/2010 – PROFESSOR GABRIEL CORRÊA PEREIRA COMENTÁRIOS Essa questão elaborada pela banca examinadora na prova discursiva de Analista-Tributário da Receita Federal do Brasil pegou muitos candidatos de surpresa. como são as provas discursivas de concursos. Essa é a dica mais importante dessa questão: não é necessário que se elabore um parecer técnico. como se o candidato realmente fosse o servidor do caso. Nessa prova. 2) Conceituação: Em textos técnicos. ainda que de forma não aprofundada. a divulgação do resultado revelou que a correção não foi tão rigorosa quanto poderia e que o objetivo da banca não era que o candidato produzisse um texto repleto de formalidades e de detalhes. é importantíssimo que o candidato demonstre poder de síntese para que aborde todos os pontos exigidos dentro do espaço limite de sessenta linhas. O enunciado deu a dica para o candidato ao trazer a expressão 2 . como a situação problema envolve várias questões de comércio internacional e os tópicos demandados são bem abrangentes.

apresento uma proposta de solução para a questão. Portanto. pois o acordo apenas traça diretrizes a serem seguidas pelos países ao estabelecerem suas regras de origem. e os sistemas de solução de controvérsia. Além disso. qualquer que seja o tema e o comando da questão. ambos da Organização Mundial do Comércio (OMC). Já o segundo dispõe sobre as condições e requisitos para a aplicação de direitos antidumping. a alegação de que não deveria ser aplicado o direito antidumping pelo fato de o produto ser originário da Argentina. Acredito que ficará evidente a necessidade de o texto ser conciso e objetivo. uma análise adequada deve considerar as normas locais. O dumping é uma prática desleal de comércio em que uma mercadoria é vendida para um país de exportação a um preço abaixo de seu valor normal. com pequenas melhorias que auxiliarão os candidatos. políticas de defesa comercial. para responder às alegações da empresa exportadora. Diante das características do caso. O primeiro estabelece regras mínimas sobre os critérios a serem considerados pelos países membros da OMC na determinação do país de origem da mercadoria. integração regional. regionais e internacionais de comércio internacional. país membro do Mercosul.PROVA COMENTADA – DISCURSIVA ATRFB 2009/2010 – PROFESSOR GABRIEL CORRÊA PEREIRA antidumping em itálico. podendo gerar um direito antidumping. O exportador ingressou com recurso administrativo alegando que as medidas da autoridade brasileira feririam o Acordo sobre Regras de Origem e o Acordo Antidumping. produtos que estejam sendo objeto de direitos antidumping devem apresentar Certificado de Origem. Portanto. Participei desse concurso e tive a felicidade de obter a única nota máxima da prova discursiva no Brasil: 100 pontos. em sua redação. 3 . A prática acaba levando o candidato a alcançar um bom padrão de redação. a proposta de solução apresentada está baseada em minha redação do dia. Em relação à exigência do Certificado de Origem. fica fácil construir seu texto de maneira bem estruturada e organizada. o candidato deveria colocar tal expressão entre aspas. A partir daí. Por fim. PROSPOSTA DE RESOLUÇÃO A situação apresentada refere-se a uma operação de importação que envolve importantes questões do comércio internacional: regras de origem. ainda. conforme disposição do Acordo Antidumping. A seguir. tal prática não contraria as normas do Acordo sobre Regras de Origem. para que a autoridade aduaneira saiba se o produto é originário do país contra o qual foi adotada tal medida. Há. a última dica é a mais óbvia: treine bastante! A melhor maneira de desenvolver suas habilidades de redação é escrever muito e fazer várias dissertações.

para que o patamar de integração desejado seja atingido. além do rito anteriormente descrito. Dessa maneira. 4 . após serem internalizadas por todos os países membros do bloco. no Mercosul. através de decreto legislativo. tornando-o mais complexo. caso desejasse: a Corte Internacional de Justiça. ao invés de usar as instituições regionais. a formação de um tribunal ad hoc. percebe-se que o caso analisado possui várias peculiaridades e envolve normas das esferas local. regional e internacional. e até mesmo optar por levar o caso à OMC. a situação expõe um ponto sensível do bloco regional: a necessidade de maior aprofundamento da institucionalização do Mercosul. de âmbito regional. situado em Assunção e composto por cinco árbitros. vale ressaltar a importância do funcionamento eficaz dos sistemas de solução de controvérsias internacionais para a efetividade do regime de comércio internacional. No Mercosul. Embora o exportador não tenha razão na maioria de suas alegações. elas ainda são toleradas no bloco. É possível. Essa condição não foi verificada no caso da alegação do exportador. por decreto presidencial. de maneira simultânea. Concluindo. como o servidor no caso em tela. o Órgão de Solução de Controvérsias da OMC. embora medidas de defesa comercial não devessem existir em uniões aduaneiras como o Mercosul. Diante da controvérsia que o caso suscitou. ainda. requerer diretamente a apreciação do Tribunal Permanente. na esfera internacional. após serem internalizadas. com três árbitros. é importante ressaltar que as normas internacionais previstas em acordos assinados pelo Brasil somente passam a integrar o ordenamento jurídico pátrio após serem internalizadas pelo Congresso Nacional. próprio para questões comerciais. ou. e promulgadas pelo Presidente. as normas do bloco só entram em vigor. por fim. pois foram internalizados por tal rito. e. Do mesmo modo. podendo contar com intermediadores. os acordos da OMC mencionados devem ser observados pelo Brasil.PROVA COMENTADA – DISCURSIVA ATRFB 2009/2010 – PROFESSOR GABRIEL CORRÊA PEREIRA Contudo. mesmo havendo previsão de eliminação de tais práticas. o sistema de solução de controvérsias do Mercosul. Esse último prevê algumas etapas: negociações diretas. as decisões do CMC/Mercosul só criam obrigações para os brasileiros. Nesse sentido. o recurso ao Tribunal Permanente. Além disso. após as consultas diretas. que analisa conflitos entre Estados. a Argentina poderia procurar três alternativas para a solução da questão.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->