Você está na página 1de 1

Tarefa n.

º2: comentário ao trabalho da colega Alice Almeida

Escolhi este trabalho aleatoriamente, mas dei uma vista de olhos aos
outros, e de facto cheguei à conclusão que todos eles assentavam sob a
mesma tónica: que o modelo de auto-avaliação, é ou vai ser, bastante útil e
pertinente, pois permitirá, tal como refere e muito bem a colega, a
identificação dos pontos fracos e fortes e orientará a BE para o fim a que
ela se destina “…constitui um contributo essencial para o sucesso
educativo, sendo um recurso fundamental para o ensino e para a
aprendizagem”. Eu iria ainda mais longe, dizendo que jamais poderemos
encarar a avaliação da BE como uma ameaça, mas sim como uma
oportunidade, como uma melhoria de regulação e melhoria contínua, pois
este modelo aponta para uma mudança de paradigma através da reflexão
colectiva e auto-responsabiliza a BE e a Escola em geral.
Estamos todos ansiosos por aplicar este modelo, pois temos
consciência que muito já foi feito, mas muito ainda está por realizar, e cada
escola é cada escola, podendo este modelo ser adaptável à realidade de
cada estabelecimento.
Ao Professor Bibliotecário, tal como a colega refere, cabe a tarefa de
ser um bom comunicador, um bom gestor de serviços e recursos, e eu
penso que também deverá ser acima de tudo, um bom líder e conhecedor da
sua realidade, pois só assim poderá usufruir em pleno da aplicação deste
modelo.
Há que ser optimista, pois a pouco e pouco nós conseguimos!!!

Um abraço,

Teresa Olaio