Você está na página 1de 4

Sessão n.º 4 - Tarefa n.

2
1.ª Parte do trabalho

“Se ao lado da biblioteca houver um jardim, nada faltará.”


Cícero

O vínculo entre a BE, a escola e o sucesso educativo é hoje um facto assumido,


no entanto, é primordial reconhecer que o papel da BE está condicionado por uma série
de agentes intrínsecos à sua estrutura interna, às condições físicas, sendo ela própria um
sistema integrado “e aberto à influência de outros sistemas, a nível micro, meso e
macro, com os quais interage”.
As relações que se estabelece entre a escola e a biblioteca escolar podem
assumir-se como determinantes ou inibidoras do seu sucesso, dependendo sempre da
gestão e da liderança do Professor Bibliotecário.
Saber gerir a mudança e saber liderar, é com toda a certeza um dos maiores
desafios para a BE e para o seu Coordenador.
As novas competências envolvidas na gestão da Biblioteca Escolar são muitas,
desde:
 a criação de hábitos de leitura e promoção das literacias;
 a pesquisa de informação;
 o relacionamento com os utilizadores, as TIC;
 a gestão de conteúdos e conhecimentos;
 a identificação e validação das fontes de informação;
 a gestão global da informação;
 a comunicação institucional;
 a formação e acção pedagógicas;
 a difusão, a gestão orçamental, o marketing;
 a gestão de recursos humanos;
 a comunicação audiovisual;
 a gestão de projectos e planeamento;
 o diagnóstico e a avaliação.
Neste âmbito o Professor Bibliotecário deve ter um papel determinante na
dinâmica das escolas
Em virtude do modelo de Auto-Avaliação estar a ser implementado pela
primeira vez, este ano lectivo, e de eu estar pela primeira vez neste papel de professor

Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares no contexto da Escola/Agrupamento - 16 a 21


de Novembro de 2009
Formanda: Teresa Olaio - Agrupamento de Escolas de Valongo do Vouga
bibliotecário, devo referir que neste momento, o levantamento de evidências, bem como
o seu tratamento ainda não são suficientes para o reconhecimento dos factores
inibidores. No que diz respeito à realidade da minha escola, devo referir que não existe
uma verdadeira cultura de auto-avaliação, o que poderá constituir um constrangimento à
implementação do Modelo de Auto-Avaliação da BE.
A escolha desta tarefa, prende-se com o facto de possibilitar um estudo
aprofundado do novo modelo, preparando-me assim para acções futuras.

Domínios Factores Inibidores Acções para melhoria

- Falta de Formação por parte de toda a - Organizar acções informais de formação


Equipa da Biblioteca Escolar; sobre a BE junto dos docentes;

- A utilização da Biblioteca Escolar por parte - Melhorar a comunicação entre a BE e os


dos docentes e dos alunos, como espaço órgãos pedagógicos do Agrupamento no
somente para consulta do fundo documental e sentido de facilitar a actualização e
para estudo; adequação dos recursos às necessidades;
A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular

- Carência de programas que integram a - Apresentar aos docentes sugestões de


literacia da informação e leitura nos currículos trabalho conjunto em torno do tratamento
numa perspectiva transversal; de diferentes unidades de ensino ou temas;

- Resistência à mudança e à inovação; - Promover reuniões da BE com os


docentes;
- Insuficiente articulação com as áreas
curriculares no campo do desenvolvimento de - Aumentar o nível de formação de todos os
competências de localização, análise, síntese, elementos da Equipa da BE;
aplicação e avaliação das aprendizagens, de
modo a promover competências - Incluir na Equipa da BE elementos
determinantes para o sucesso dos alunos. provenientes de áreas disciplinares
variadas ou com formações diferentes;

- Produzir e partilhar materiais utilizados


noutras escolas e BE;

- Aumentar o nível de incorporação das TIC


nos serviços informativos e educativos
oferecidos pela BE;

- Implicar a BE nos projectos planos e


politicas existentes na escola na área das
TIC e da gestão de informação;

- Reforçar a articulação entre a BE e o


trabalho de sala de aula.

Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares no contexto da Escola/Agrupamento - 16 a 21


de Novembro de 2009
Formanda: Teresa Olaio - Agrupamento de Escolas de Valongo do Vouga
Domínios Factores Inibidores Acções para melhoria

- A BE ainda não é reconhecida como um


espaço aberto e com recursos que podem - Utilizar a WEB e outras fontes de
facilitar as aprendizagens e o sucesso dos informação na prospecção e identificação
alunos; de materiais do interesse das crianças e
jovens;
- Falta de aproveitamento dos recursos
existentes na BE por parte de muitos - Reforçar o trabalho articulado com
B. Leitura e Literacias

docentes; departamentos, docentes e a abertura a


projectos externos;
- Carência de um programa e /ou plano de
integração da literacia da informação e da - Reforçar a formação dos elementos da
leitura nos currículos, numa perspectiva equipa nas áreas da literatura infantil e
transversal; juvenil e sociologia da leitura;

- Falta de formação por parte dos docentes e - Trabalhar articuladamente;


da própria Equipa da BE na área das literacias
da informação e das novas tecnologias; - Definir prioridades e traçar uma estratégia
de melhoria a propor ao Conselho Directivo
- Falta de articulação da BE com os variados e à escola, partindo dos resultados
departamentos na implantação de estratégias analisados em conselhos de turma.
de trabalho para a promoção da leitura por
prazer;
C. Projectos, Parcerias e Actividades Livres e

- Falta de hábito dos alunos e professores de - Promover a maior participação da BE em


aproveitarem o espaço da BE para realizarem Projectos e parcerias ao nível do
tarefas de ocupação de tempos livres; Agrupamento;

- Carência dos alunos proporem, e - Aumentar o grau de intervenção da BE na


de Abertura à comunidade

organizarem autonomamente Projectos e escola através da concepção de projectos


actividades; relevantes de sua iniciativa;

- Falta de produção materiais formativos e de - Desenhar com os Pais/EEs, um programa


apoios destinados aos Pais/EEs. de promoção da leitura envolvendo as
famílias;

Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares no contexto da Escola/Agrupamento - 16 a 21


de Novembro de 2009
Formanda: Teresa Olaio - Agrupamento de Escolas de Valongo do Vouga
Domínios Factores Inibidores Acções para melhoria

- Falta de formação ao nível dos Assistentes - Realização de reuniões de Conselho de


Operacionais e Equipa da BE; Docentes/Departamentos que discutam e
definam os objectivos e a missão da BE;
- Falta de visão do Agrupamento na inclusão
da missão, princípios e objectivos estratégicos - Promover, em articulação com a Escola
e operacionais da BE; e/ou Centros de formação, conhecimentos
com vista à aquisição de competências
- Falta de visão da BE como recurso para o exercício das tarefas inerentes;
fundamental no desenvolvimento do gosto
pela leitura, na aquisição das literacias - Ser proactivo;
fundamentais, na progressão nas
D. Gestão da Biblioteca Escolar

aprendizagens e no sucesso escolar; - Sensibilizar o Conselho para a


necessidade de uma abertura alargada;
- Falta de recursos multidisciplinares na
Equipa da BE; - Construção de instrumentos de recolha de
informação qualitativa e/ou quantitativa;
- Carência por parte do Órgão de Gestão de
estratégias visando a articulação entre a BE, - Reforçar a acção da BE no apoio ao
os vários departamentos e os órgãos de funcionamento da escola e às actividades
Planificação; de ensino/aprendizagem;

- Desenhar e planificar, conjunta e


articuladamente com os docentes,
projectos/actividades inerentes ao
cumprimento dos diferentes domínios
implicados no funcionamento da BE;

- Incentivar os membros da equipa a


procurar formação formal junto de
Universidades, Centros de Formação de
Professores ou de outras entidades
formadoras;

- Detectar os pontos fracos da colecção e


reforçar as áreas com carências
identificadas;

- Conseguir o apoio do Conselho Directivo.

Bibliografia Utilizada:

o Texto da sessão, disponibilizado na plataforma;


o Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares. Modelo de Auto-
Avaliação das Bibliotecas Escolares (2009). http://www.rbe.min-
edu.pt;
o Todd, Ross (2002) “School librarian as teachers: learning outcomes
and evidence-basead practice”.
http://www.ifla.org/Vifla68/papers/084-119e.pdf.

Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares no contexto da Escola/Agrupamento - 16 a 21


de Novembro de 2009
Formanda: Teresa Olaio - Agrupamento de Escolas de Valongo do Vouga