P. 1
A Biblia e a Vida Financeira

A Biblia e a Vida Financeira

5.0

|Views: 3.841|Likes:
Publicado porcarlos_alberto452

More info:

Published by: carlos_alberto452 on Jan 09, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/23/2014

pdf

text

original

ÍNDICE

- JUSTIFICATIVA - DINHEIRO - PROSPERIDADE - HONESTIDADE - ORÇAMENTO - GANÂNCIA - TRABALHO - DÍVIDAS - LIVRANDO-SE DAS DÍVIDAS - DÍZIMO E OFERTAS - ECONOMIZAR - INVESTIMENTOS - EMPRESA CRISTÃ - BIBLIOGRAFIA 2 3 4 6 8 10 12 14 16 20 22 24 26 30

A BÍBLIA E A VIDA FINANCEIRA

1

JUSTIFICATIVA
Não sou um especialista em como viver sem dívidas, pelo contrário, sou um endividado. Porém, cansado desta vida atribulada que traz infelicidade e vergonha para mim e para minha família, resolvi mudar. Aconselhado por uma pessoa que é testemunha viva da transformação que Deus pode fazer na vida do homem, fui em busca de literatura que tratasse do assunto na perspectiva da Bíblia. Após a leitura de vários livros e da Bíblia, conclui que transcrever os pontos mais significativos, juntamente com os versículos bíblicos correspondentes, seria o mais proveitoso para a fixação dos novos conhecimentos que eu estava adquirindo sobre dinheiro, prosperidade e posses na visão do Senhor; desta transcrição, nasceu este estudo. Em 1Pedro 5:7 está escrito: Entreguem todas as suas preocupações a Deus, pois ele cuida de vocês. É o que faço através deste estudo: “Senhor, eis-me aqui! Sem ti não sou nada!”. Carlos Alberto *.*.*

A BÍBLIA E A VIDA FINANCEIRA

2

DINHEIRO
Na Bíblia há dezenas de versículos tratando sobre dinheiro e posses. Jesus falou muito sobre dinheiro, se o senhor falou tanto isso é porque deseja que conheçamos sua perspectiva a respeito desta área crítica da vida. Ele importou-se com a questão do dinheiro porque dinheiro é importante! As igrejas concentram-se em ensinar os seus membros a lidarem com apenas dez por cento de sua renda – a área de contribuições. Embora essa área seja vital, permite-se que os cristãos aprendam a lidar com os outros noventa por cento na perspectiva mundana e não na do Senhor. Como não sabem lidar com o dinheiro de forma bíblica, muitos cristãos têm atitudes financeiras erradas em relação às posses e tomam decisões financeiras incorretas, que levam a conseqüências dolorosas. A desobediência ou ignorância quanto aos princípios financeiros bíblicos, com freqüência, gera problemas com dinheiro. Avareza O Novo Testamento nos incentiva a ter muito cuidado com a busca de riquezas. Jesus não disse que ser rico é errado, mas Ele teve muito a dizer sobre prioridades e atitudes quanto ao dinheiro que temos. Por exemplo, Jesus nos disse para guardar-nos da avareza: Então, lhes recomendou: Tende cuidado e guardai-vos de toda e qualquer avareza; porque a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui. (Lucas 12:15). Escravos do dinheiro Muitas pessoas são escravas do dinheiro. Lutam tanto para ter dinheiro que nem têm tempo para gozar sua prosperidade! O apetite desordenado pelo dinheiro produz efeitos perversos. Ele é uma das causas dos numerosos conflitos sociais que afligem o mundo. Não há nada de errado em ser rico, porém o cristão deve reconhecer que o dinheiro é para ser utilizado como uma ferramenta para boas obras e não nos transformar em seus escravos. Aprender Aprendendo os princípios bíblicos para lidar com o dinheiro, e colocando-os em prática no nosso dia a dia, ficaremos mais próximos de Cristo, iremos nos submeter mais inteiramente a Ele como Senhor, aprenderemos a viver satisfeitos e contentes e a pôr em ordem a área financeira de nossa casa. *.*.*

A BÍBLIA E A VIDA FINANCEIRA

3

PROSPERIDADE
Segundo o dicionário, prosperidade: é uma qualidade ou estado de próspero, propicio, favorável, ditoso, feliz, venturoso, bem sucedido, afortunado, situação próspera. Para ficar mais claro ainda o conceito de prosperidade, vamos verificar também qual a definição das palavras grifadas: - PROPÍCIO: favorável, favorecedor, adequado, apropriado. - DITOSO: feliz, venturoso. - VENTUROSO: feliz, afortunado. - AFORTUNADO: feliz, venturoso, ditoso. Percebam que a palavra FELIZ esta presente na maioria das definições, e se considerarmos Feliz uma característica básica da prosperidade podemos definir prosperidade como: “O crescimento constante da felicidade e a realização crescente e gradual de objetivos nobres”. A prosperidade deve ser consolidada passo a passo, pois a riqueza que chega muito rápida vai embora da mesma forma. Aspectos da Prosperidade São muitos os aspectos da prosperidade; o dinheiro e os bens materiais são apenas um de seus componentes. A abundância material, em todas as suas expressões é uma das coisas que tornam a nossa vida mais prazerosa, mas a prosperidade inclui também saúde, energia, entusiasmo pela vida, relacionamentos compensadores, liberdade criativa, estabilidade física, emocional, bem-estar e paz de espírito. Mesmo que tenhamos tudo isso, permaneceremos insatisfeitos se não cultivarmos as sementes divinas que estão dentro de nós. Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Que daria um homem em troca de sua alma? (Marcos 8:36-37). Faz parte da prosperidade, nos abrirmos e aceitarmos Deus em nossa vida para vivenciarmos a experiência do milagre de Deus em nosso interior. É percebermos Deus em toda parte, em tudo que experimentarmos – no olhar de uma criança, na beleza de uma flor, no vôo de um pássaro. Quando passamos a experimentar a vida como a expressão milagrosa de Deus – não de vez em quando, mas o tempo todo – saberemos o que significa verdadeiramente a prosperidade. O que as Escrituras dizem sobre a Prosperidade Em Provérbios 10:22: A benção do Senhor enriquece, e, com ela, ele não traz desgosto.
A BÍBLIA E A VIDA FINANCEIRA

4

Em Deuteronômio 28:12-13 (Promessa) – O Senhor te abrirá o seu bom tesouro, o céu, para dar chuva à tua terra no seu tempo e para abençoar toda obra das tuas mãos; emprestarás a muitas gentes, porém tu não tomarás emprestado. O Senhor te porá por cabeça e não por cauda; e só estarás em cima e não debaixo, se obedeceres aos mandamentos do Senhor, teu Deus, que hoje te ordeno, para os guardar e cumprir. Segundo o Dicionário: - BÊNÇÃO: Ação de abençoar, graça divina. - ABENÇOAR: Fazer feliz, tornar próspero, proteger. - GRAÇA: Intimidade, dom ou virtude especial concedido por Deus, favor concedido por Deus a uma pessoa, merecer a simpatia, estado de benevolência e paz com Deus. - BENEVOLÊNCIA: Boa vontade, afeto, estima. A prosperidade abençoada pela graça divina é fruto de uma vida de obediência e prática das Leis e ensinamentos de Deus. *.*.*

A BÍBLIA E A VIDA FINANCEIRA

5

HONESTIDADE
As riquezas de nada aproveitam no dia da ira, mas a justiça livra da morte. (Provérbios 11:4). Outra tradução: No dia do julgamento a honestidade livra da morte. Para alcançarmos a prosperidade, devemos viver nossa vida da forma mais honesta possível. A honestidade é fundamental na vida do cristão, sem ela nunca teremos uma prosperidade sólida e duradoura, abençoada por Deus. O dicionário define honestidade como: Qualidade ou caráter de honesto, honradez, dignidade, probidade, decoro, decência. - CARÁTER: Modo de ser de um individuo, conjunto de qualidades (boas ou más) de uma pessoa, e que lhe determinam o modo de agir. - HONRADEZ: Probidade, decoro, honestidade, brio. - PROBIDADE: Integridade de caráter, honradez. - DECORO: Dignidade, honradez, decência. - DIGNIDADE: Honestidade, honradez, decência, decoro, brio. - DECÊNCIA: Honestidade, honradez, decoro no vestir, no modo de agir. - BRIO: Sentimento da própria dignidade, ânimo, coragem, entusiasmo, fogo. Escolhas Diariamente, temos de fazer escolhas sobre lidar com o dinheiro de forma honesta ou não. Você devolve o troco que lhe foi dado a mais? Já mentiu para conseguir uma venda? Num mundo que parece ser dominado pela cultura do “levar vantagem em tudo”, onde a esperteza é elogiada e até admirada, estas decisões ficam mais difíceis de serem tomadas. Conceito próprio Hoje em dia cada pessoa tem seu próprio conceito de honestidade, e este conceito próprio faz com que ajam de uma forma diferente de acordo com as circunstâncias, elas criam uma espécie de “honestidade relativa”. Para Deus esta honestidade relativa não existe, ou se é honesto ou não se é, veja o que dizem as Escrituras, em Provérbios 20:23 – Dois pesos são coisa abominável ao Senhor, e balança enganosa não é boa. E Levítico 19:11 declara: “Não furtareis, nem mentireis, nem usareis de falsidade cada um com o seu próximo”. Quem é honesto o é nas pequenas e nas grandes atitudes da vida: Quem é fiel no pouco também é fiel no muito; e quem é injusto no pouco também é injusto no muito. (Lucas 16:10). Em Provérbios 28:6 Salomão declara que: Melhor é o pobre que anda na sua integridade do que o perverso, nos seus caminhos, ainda que seja rico.
A BÍBLIA E A VIDA FINANCEIRA

6

Impostos Mesmo o governo gastando mal, mesmo nossos representantes no congresso nacional dando maus exemplos na gestão do nosso dinheiro, nós como cidadãos e, acima de tudo, cristãos, devemos cumprir nossas obrigações, e uma delas é o pagamento correto dos impostos. Todo homem esteja sujeito às autoridades superiores; porque não há autoridade que não proceda de Deus; e as autoridades que existem foram por ele instituídas... Porque os magistrados não são para temor, quando se faz o bem, e sim quando se faz o mal. Queres tu não temer a autoridade? Faze o bem e terás o louvor dela... É necessário que lhe estejais sujeitos, não somente por causa do temor da punição, mas também por dever de consciência. Por esse motivo, também pagais tributos, porque são ministros de Deus, atendendo, constantemente, a este serviço. Pagai a todos o que lhes é devido: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem respeito, respeito; a quem honra, honra. (Romanos 13:1,3,5-7). *.*.*

A BÍBLIA E A VIDA FINANCEIRA

7

ORÇAMENTO
No tempo em que trabalhava como contador aprendi que, para uma empresa dar certo e prosperar, “a soma das entradas deve ser sempre maior que a soma das saídas”. Isso vale tanto para uma empresa como para uma casa, se uma família gastar mais do que recebe, vai se endividar e se esta situação perdurar por muito tempo pode gerar uma situação de insolvência. Insolvência Insolvência? O que significa esta palavra? Vamos recorrer ao dicionário. - INSOLVÊNCIA: Situação de não se poder pagar o que se deve. Em Ageu 1:5-6 está escrito: Ora, pois, assim diz o Senhor dos exércitos: Considerai o vosso passado. Tendes semeado muito e recolhido pouco; comeis, mas não chega para fartar-vos; bebeis, mas não dá para saciar-vos; vestis-vos, mas ninguém se aquece; e o que recebe salário, recebe-o para pô-lo num saquitel furado. Saquitel furado é um saco furado, aonde o que entra apertado sai com facilidade, se colocamos nosso dinheiro num saco furado, não temos controle da saída dele. Conseqüência do descontrole nos gastos Em Isaias 28:20 está previsto o que acontece com quem gasta mais do que ganha: Porque a cama será tão curta, que ninguém se poderá estender nela; e o cobertor, tão estreito, que ninguém se poderá cobrir com ele. É o desespero, o endividado não consegue dormir, parece que a cama é curta e seus pés ficam de fora, o cobertor é curto, se cobre a cabeça descobre os pés, se cobre os pés descobre a cabeça. Importância das finanças domésticas Os planos do diligente tendem à abundância, mas a pressa excessiva, à pobreza. (Provérbios 21:5). Então já que as finanças domésticas são tão importantes quanto às finanças de uma empresa, devemos agir com a mesma responsabilidade de um administrador competente, temos que usar um instrumento para controlar as entradas e as saídas de dinheiro, e no caso de uma casa este instrumento é o “orçamento doméstico”.

A BÍBLIA E A VIDA FINANCEIRA

8

Como fazer um orçamento Orçamento é um plano para se gastar o dinheiro, pode ser feito à mão ou numa planilha de computador. A forma de fazê-lo não importa o que importa é que ele só é útil se for usado. Começamos elaborando uma lista cuidadosa e detalhada de todos os gastos durante os 30 dias do mês para determinar a situação atual, anotamos também todo o dinheiro ganho, ao final do mês somam-se as despesas e diminuí-se dos ganhos. Geralmente o saldo será negativo (despesas maiores que os ganhos), é normal, a maioria dos orçamentos começam com as despesas maiores que os ganhos, mas há uma solução para isso. A solução é aumentar os ganhos ou diminuir as despesas, temos de ter em mente que devemos gastar menos do que ganhamos, não há outras alternativas. Com a sabedoria edifica-se a casa, e com a inteligência ela se firma; pelo conhecimento se encherão as câmaras de toda sorte de bens, preciosos e deleitáveis. (Provérbios 24:3-4). *.*.*

A BÍBLIA E A VIDA FINANCEIRA

9

GANÂNCIA
Assim como a honestidade é fundamental para o cristão conseguir uma prosperidade sólida, abençoada por Deus, a ganância e a inveja são a maior causa do prejuízo financeiro. Aquele que tem olhos invejosos corre atrás das riquezas, mas não sabe que há de vir sobre ele a penúria. (Provérbios 28:22). Sementes da ganância no coração Sempre vemos a ganância nos outros e nunca em nós mesmos, a verdade é que as sementes da ganância estão presentes no coração de todos nós. Em alguns, essas sementes vão sutilmente criando raízes e passam a influenciar cada vez mais as decisões, impedindo-nos de alcançar o que mais valorizamos. Ambição sem medida A ganância é um anseio profundo por determinada coisa que gera a disposição de consegui-la custe o que custar, o que define a ganância não é o fato de querer algo, e sim a intensidade com que você o quer. Ganância é uma ambição sem medida. A raiz de todos os males Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males; e alguns nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores. (1Timóteo 6:10). O Senhor sabe que o amor ao dinheiro gera ganância e ela pode destruir nossa vida espiritual, o dinheiro não é um mal, tanto que a bíblia não condena o dinheiro em si mesmo, mas sim o mau uso que fazemos dele. Pobres Desde a promulgação da sua lei, e diante da desobediência dela, Deus estabeleceu práticas para que o pobre não fosse desamparado, a fim de que a sociedade se aproxime do estado de igualdade. Feridas enormes são abertas no corpo da criação quando o pobre e o desventurado, todos criaturas de Deus, são cruelmente explorados. Em provérbios encontramos uma série de advertências contra a exploração do pobre, assim como a orientação de que se deve cuidar dele. O que oprime ao pobre para enriquecer a si ou o que dá ao rico certamente empobrecerá. (Provérbios 22:16). Jesus Cristo apontou para uma nova sociedade, cujo poder governamental seja exercido por meio do serviço a todos.

A BÍBLIA E A VIDA FINANCEIRA

10

Trata-se de uma sociedade em que todos sejam cidadãos, pois só numa sociedade em que o governo assume a sua vocação de servidor de todos é que a cidadania floresce. Informa-se o justo da causa dos pobres, mas o perverso de nada disso quer saber. (Provérbios 29:7). *.*.*

A BÍBLIA E A VIDA FINANCEIRA

11

TRABALHO
Porque, quando ainda convosco vos ordenamos isto: se alguém não quer trabalhar, também não coma. (2ºTessalonicenses 3:10). O propósito básico do trabalho é desenvolver o caráter. Enquanto o carpinteiro constrói uma casa, ele também é construído por ela. A Habilidade, a diligência, a destreza manual e o julgamento são refinados, o trabalho não é somente uma tarefa designada para se ganhar dinheiro, é também designado a produzir o caráter santo na vida do trabalhador. Profissões As escrituras não colocam nenhuma profissão honesta acima de outra. Há dignidade em todo tipo de trabalho, na economia de Deus, a dignidade de um mecânico de automóveis é a mesma que a do presidente da FIAT. Deus deu habilidades únicas a cada um de nós. As pessoas têm habilidades muito variadas, habilidades manuais e capacidades intelectuais. Não é o caso de uma pessoa ser melhor do que a outra, mas o simples fato de terem recebido capacidades diferentes. O trabalho como forma de servir ao Senhor Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como para o Senhor e não para homens. (Colossenses 3:23). A maioria das pessoas deixa Deus fora do trabalho e crê que somente elas controlam seu sucesso. No entanto, quem tem um entendimento bíblico irá relacionar-se com seu trabalho com base num padrão inteiramente diferente, e experimentará um sentimento de contentamento intimo com seu trabalho. Diligência O preguiçoso não assará a sua caça, mas o bem precioso do homem é ser ele diligente. (Provérbios 12:27). Uma outra tradução: “Bens preciosos cabem ao homem diligente”. Diligência é uma habilidade que combina persistência criativa, esforço inteligente, planejado e executado de forma honesta e sem atrasos, com competência e eficácia, de modo a alcançar um resultado puro e dentro do mais alto nível de excelência. Existem quatro passos que podem incorporar definitivamente a diligência à nossa vida e nosso trabalho: 1) 2) 3) 4) Acordar para a realidade. (Acordar e chega de adiar) Definir nossas visões. (Visão clara de onde se quer chegar) Parcerias eficientes. (Buscar orientação externa) Perseguir a sabedoria. (Fazer dela o alicerce da nossa vida)
A BÍBLIA E A VIDA FINANCEIRA

12

Diligência é trabalhar com SABEDORIA. Preguiça Ó preguiçoso, até quando ficarás deitado? Quando te levantarás do teu sono? Um pouco para dormir, um pouco para tosquenejar, um pouco para encruzar os braços em repouso, assim sobrevirá a tua pobreza como um ladrão, e a tua necessidade, como um homem armado. (Provérbios 6: 9-11). Nas Escrituras o trabalho e a diligência são encorajados enquanto que a preguiça é, por repetidas vezes condenada. Nosso trabalho deve ser de nível tão elevado que fará com que as pessoas jamais identifiquem preguiça e mediocridade com Deus. Prioridades Não devemos ser como o preguiçoso, porém nosso trabalho deve ser equilibrado com outras prioridades da vida, e certamente que nossa prioridade maior é o relacionamento com o Senhor: Buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. (Mateus 6:33). Nossa segunda prioridade é a família, se tendemos a ser um “viciado em trabalho”, devemos tomar precauções extras para nos proteger contra a negligência das outras prioridades. Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor, teu Deus; não farás nenhum trabalho, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o forasteiro das tuas portas para dentro. (Êxodo 20:9-10). O modo de agir de Deus é o modelo que o homem deve imitar. Se Deus parou para “retomar o fôlego” no sétimo dia, também o homem deve “folgar” e deixar que os outros, principalmente os pobres, “retomem o fôlego”. O sábado faz cessar os trabalhos do dia a dia e nos concede uma pausa para nos lembrarmos do Senhor, é um dia de protesto contra a escravidão do trabalho e o culto ao dinheiro. *.*.*

A BÍBLIA E A VIDA FINANCEIRA

13

DÍVIDAS
A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, exceto o amor com que vos ameis uns aos outros; pois quem ama o próximo tem cumprido a lei. (Romanos 13:8). Amar o próximo é o cumprimento da Lei; Uma vida sem dívidas é uma boa regra para uma consciência tranqüila. Explosão das dívidas As dívidas das pessoas, das empresas e do governo estão explodindo em nosso país. Nosso governo, que gasta mal, que paga juros exorbitantes sobre sua dívida, não admite perda de arrecadação de impostos e a conseqüente diminuição na entrada de dinheiro nos seus cofres. Mas ao invés de cortar gastos e se adequar a um orçamento menor o governo está incentivando a população a gastar mais, mesmo que seja a custa de novas dívidas. Ao longo dos anos as dívidas vão crescendo devagar e a maioria das pessoas não percebe isso, quando se dão conta, já é tarde demais. Pobreza A pobreza pode ser fruto de má administração, de irresponsabilidade, ou de desobediência ao Senhor. É uma afronta a Deus quando as coisas não funcionam, quando as pessoas vivem vidas medíocres, se nossa pobreza é fruto de nossa mediocridade no aprendizado de técnicas que nos façam lidar melhor com nossas finanças ou da nossa mediocridade no cumprimento das leis e dos mandamentos do Senhor, estamos afrontando a Deus. Precisamos analisar e descobrir os motivos de nossa pobreza para então corrigir nossa atitude e seguirmos nosso caminho de forma que não afronte ao Senhor. Relacionamentos prejudicados As dívidas abalam também o ânimo físico, aumentam o estresse, contribuindo para uma fadiga mental, física e emocional, chegando a inibir a criatividade e a prejudicar relacionamentos. Hoje em dia muitos casamentos não duram “até que a morte os separe”, duram apenas “até que o dinheiro os separe”, casamentos que poderiam durar uma vida inteira, sucumbem por causa das dívidas. Uma pesquisa americana aponta que mais da metade dos divórcios que ocorrem nos Estados Unidos é devido a problemas financeiros dentro do lar.

A BÍBLIA E A VIDA FINANCEIRA

14

Calcular Pois qual de vós, pretendendo construir uma torre, não se assenta primeiro para calcular a despesa e verificar se tem os meios para a concluir? Para não suceder que, tendo lançado os alicerces e não a podendo acabar, todos os que a virem zombem dele, dizendo: Este homem começou a construir e não pôde acabar. (Lucas 14:28-30). Que situação constrangedora, começar a construir, não poder terminar e ainda ter que responder aos amigos e vizinhos que perguntam: “quando a casa vai ficar pronta?”. Por isso antes de começar a construir devemos pedir vários orçamentos e sempre acrescentar neles uns 20%, para depois sentar e calcularmos se o dinheiro dá para começar e acabar as obras, se não der não comecemos, devemos esperar um pouco, guardar mais dinheiro e não fazer dívidas. Gastos supérfluos Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão, e o vosso suor, naquilo que não satisfaz? Ouvi-me atentamente, comei o que é bom e vos deleitareis com finos manjares. (Isaias 55:2). A maioria das dívidas é para satisfazer desejos pessoais, precisamos observar nossas reais necessidades e não inventar desculpas para comprar a última novidade tecnológica ou mais uma peça de roupa. Escravidão econômica O rico domina sobre o pobre, e o que toma emprestado é servo do que empresta. (Provérbios 22:7). Nós os endividados somos todos escravos do sistema financeiro, todos passamos pela humilhação de dar explicações ao banco, temos que nos submeter a tudo que nos cobram, não podemos exigir nada, eles estão com a nossa vida em suas mãos. Toda vez que lembro das várias vezes que fui ao banco pedir para que um cheque meu não fosse devolvido, acredito cada vez mais que o Velho Testamento está certo quando classifica a dívida como uma Maldição: Será, porém, que, se não deres ouvidos à voz do Senhor, teu Deus, não cuidando em cumprir todos os seus mandamentos e os seus estatutos que, hoje, te ordeno, então virão todas estas maldições sobre ti e te alcançarão:...Ele te emprestará a ti, porém tu não lhe emprestarás a ele; ele será por cabeça, e tu serás por cauda. (Deuteronômio 28:l5,44). *.*.*

A BÍBLIA E A VIDA FINANCEIRA

15

LIVRANDO-SE DAS DÍVIDAS
Antes de uma pessoa tentar sair das dívidas, ela precisa se convencer de que estas são perniciosas, devoradoras, e que podem facilmente fugir ao controle. Sair das dívidas é uma caminhada única, cada pessoa tem que realizar a sua, o trabalho é árduo, o fim da caminhada, porém lhe reserva um grande prêmio, você totalmente livre das dívidas. Existem alguns passos que se seguidos, nos darão a vitória sobre a maldição das dívidas. Orar O primeiro passo é o mais importante. Orar, pedir a ajuda e a direção do Senhor em nossa jornada rumo ao fim das dívidas. Deus é tanto previsível quanto imprevisível, é totalmente previsível em sua fidelidade para prover nossas necessidades. Mas o que não podemos prever é a forma como o Senhor fará isso. Ele usa meios variados e, às vezes, surpreendentes para ir ao encontro de nossas necessidades. Pode aumentar nosso salário, providenciar um presente inesperado ou aumentar nossos recursos limitados, de uma forma que nunca imaginaríamos. Independente da forma escolhida para prover nossas necessidades, Ele é absolutamente confiável. Criar e utilizar um orçamento por escrito Como já falei anteriormente, um orçamento só é útil se for usado. Não adianta confeccionar um orçamento e deixá-lo guardado numa gaveta. Um orçamento escrito nos ajuda a planejar o futuro e analisar como gastamos o nosso dinheiro, analisando e cortando todos os gastos supérfluos. Um orçamento bem feito e bem utilizado é o freio ideal para o impulso de gastar. Relacionar todos os bens Devemos fazer um inventário completo de tudo o que temos: Casa, carro, mobília, aparelhos eletrônicos, etc. Para podermos avaliar se devemos vender algum bem. Na maioria das vezes é melhor vender alguma coisa para não perder tudo. Relacionar todas as dívidas As pessoas que devem muito dinheiro geralmente não sabem ao certo o quanto devem.

A BÍBLIA E A VIDA FINANCEIRA

16

Relacionar as dívidas é importante para se ter uma idéia exata da nossa real situação financeira, devemos anotar também os juros que estão sendo cobrados por cada dívida. Ao analisar os juros da lista, descobriremos que os custos das dívidas variam muito. Relacionar e analisar as dívidas vai nos ajudar a estabelecer uma prioridade na redução delas. Elaborar um plano de pagamento para cada credor Ninguém jamais conseguirá livrar-se das dívidas por acidente, todos precisam de um plano por escrito para alcançar o objetivo de livrar-se das dívidas. A decisão de qual dívida liquidar primeiro deve basear-se em dois fatores: O tamanho da dívida e a taxa de juros cobrada. - Liquidação de dívidas pequenas: Temos que nos concentrar em pagar as menores primeiro. Isso nos encorajará à medida que elas forem eliminadas e fará com que mais dinheiro seja liberado para o pagamento das outras. - Liquidação das dívidas de juros mais altos: É muito importante prestar atenção na taxa de juros cobrada em cada dívida e tentar liquidar aquelas que cobram os maiores juros, antes de liquidar as que cobram juros mais baixos. Aumentar o orçamento Muitas pessoas recebem salários que simplesmente não são suficientes para cobrir suas necessidades, mesmo que gastem com sabedoria. Há duas questões importantes com respeito a ter um aumento no orçamento. Em primeiro lugar, decidir antecipadamente a terminar as dívidas com os ganhos adicionais. Nossa tendência é gastar mais do que ganhamos, tanto se ganhamos muito, quanto se ganhamos pouco. Em segundo lugar, ganhar uma quantia adicional sem prejudicar nosso relacionamento com o Senhor ou com a família. Sendo casados, precisaremos ser criativos para encontrar formas de envolver a família toda num projeto que ajude no aumento do orçamento doméstico, ressaltando que este projeto deve unir a família e não separá-la. Existem várias formas criativas para um ganho extra e para se livrar das dívidas com maior rapidez. No entanto, não importa o quanto de dinheiro adicional ganhamos, o sucesso do plano está no compromisso de aplicar todos esses extras na redução da dívida e não aumentar os gastos. Não fazer dívida nova Isso inclui: cartão de crédito, financiamento de carro novo, compra de móveis e eletrodomésticos, etc. Se não podemos comprar a dinheiro agora, não podemos comprar!
A BÍBLIA E A VIDA FINANCEIRA

17

Se você estiver de bolsos vazios e tomar dinheiro emprestado para pagar as suas festas, você vai acabar na miséria. (Eclesiástico 18:33). Sentir-se satisfeito com o que temos Digo isto, não por causa da pobreza, porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. (Filipenses 4:11). Não podemos viver governados pelo poder ditatorial da indústria da propaganda, que tenta nos vender o estilo de vida mais gratificante, consideremos isto: - Quanto mais televisão assistimos, mais gastamos. - Quanto mais olhamos revistas e catálogos, mais gastamos. - Quanto mais formos às lojas, mais gastamos. Os pecadores sempre desejam o que lhes falta, enquanto que as almas plenas de Deus somente querem o que têm. Tendo sustento e com que nos vestir, estejamos contentes. (1Timóteo 6:8). Mudar radicalmente o estilo de vida Um grande número de pessoas diminuiu suas despesas de modo significativo para se livrar das dívidas com maior rapidez. Algumas venderam suas casas e se mudaram para outras menores, alugaram apartamentos ou foram morar com outros membros da família. Muitas venderam carros financiados com prestações mensais altas e compraram carros usados mais baratos para se livrarem das dívidas. Status Social Alguém já disse um dia: “A única igualdade que queremos é com nosso superior”. Muitas pessoas sofrem nas finanças porque tentaram, sem sucesso, igualar-se aos outros. Em oração, submetamos ao Senhor nossas decisões quanto aos gastos, tudo o que possuímos pertence ao Senhor e não devemos gastar somente para impressionar aos outros. Buscar a direção do Senhor para os gastos não significa que jamais gastaremos com alguma coisa que não seja nossa necessidade básica, o entretenimento, as atividades de lazer apropriadas e o descanso são importantes. Pois tudo que Deus criou é bom, e, recebido com ações de graças, nada é recusável. (1Timóteo 4:4). Não desistir! Se as dívidas não estiverem diminuindo não podemos desistir, precisamos rever nosso comprometimento.

A BÍBLIA E A VIDA FINANCEIRA

18

Mudar os hábitos de anos que nos levaram a ter dívidas é muito difícil, mas não impossível, temos de persistir em nosso compromisso de acabar com as dívidas. Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou. (Romanos 8:37). Paciência As dívidas não desaparecem de uma hora para outra, é preciso paciência e acompanhamento rigoroso do progresso. *.*.*

A BÍBLIA E A VIDA FINANCEIRA

19

DÍZIMO E OFERTAS
Dízimo Trazei todos os dízimos à casa do Tesouro, para que haja mantimento na minha casa; e provai-me nisto, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós benção sem medida. (Malaquias 3:10). Alguns assuntos na Bíblia causam muitas controvérsias, e dízimo é seguramente um deles. Por que isso acontece? Talvez porque vivemos em uma sociedade consumista, que tem o dinheiro como prioridade. Outros acham que a igreja é rica e já tem muita gente que dizima e, quando as nossas finanças melhorarem, ‘iremos dizimar’. Ou porque achamos que o dízimo é coisa do Velho Testamento, e agora estamos debaixo da Nova Aliança e não estamos mais debaixo da lei e sim, da graça. Certamente quando não estamos dispostos a crer na Palavra de Deus, vamos conseguir muita argumentação lógica para justificar nossa postura. O dízimo não foi instituído na Bíblia para a nossa chateação, ou para ficarmos irritados com a igreja ou com quem prega sobre o assunto. O dízimo foi instituído para a expansão do reino e a sua glória e também para que, através dele, recebêssemos as bênçãos do Senhor. O cristão diz em prosa e verso que depende de Deus, está debaixo do senhorio de Jesus Cristo, vive na direção do Espírito Santo e ao mesmo tempo não oferta e não dá dízimo! Tem incoerência maior do que esta? Confirmação no Novo Testamento Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir. Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra. (Mateus 5:17-18). Jesus deixou claro que não veio revogar a Lei, mas sim cumpri-la. Jesus deu uma nova dimensão ao tema, o dízimo não deve ser dado por obrigação da Lei, mas por amor. Estando Jesus a observar, viu os ricos lançarem suas ofertas no gazofilácio. Viu também certa viúva pobre lançar ali duas pequenas moedas; e disse: Verdadeiramente, vos digo que esta viúva pobre deu mais do que todos. Porque todos estes deram como oferta daquilo que lhes sobrava; esta, porém, da sua pobreza deu tudo o que possuía, todo o seu sustento. (Lucas 21:1-4). Jesus censurou os fariseus pelo exibicionismo no dizimar, porém não os isentou da responsabilidade: Mas ai de vós, fariseus! Porque dais o dízimo da hortelã, da arruda e de todas as hortaliças e desprezais a justiça e o amor de Deus; devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas. (Lucas 11:42). Deus não está interessado em uma vida religiosa cheia de rituais e exibicionismo, mas sim em uma vida que honre e glorifique o seu nome.
A BÍBLIA E A VIDA FINANCEIRA

20

Ao consagrar o seu dízimo, o fruto das primícias no altar, o cristão está demonstrando com este ato o quanto ele tem um coração agradecido a Deus por tantas bênçãos recebidas. Ele, que sabe que tudo o que recebeu do seu Senhor, veio como um ato de bondade para a sua vida. Assim demonstra sua gratidão trazendo os primeiros frutos ao Senhor. Notemos que são os primeiros frutos e não os últimos. Só o amor incondicional pode explicar o comportamento da viúva pobre. Todo aquele que reconhece e confia no Senhor, sabe que a entrega do dízimo deve ser feita com amor. E ainda que eu distribua todos os meus bens entre os pobres e ainda que entregue o meu próprio corpo para ser queimado, se não tiver amor, nada disso me aproveitará. (1Corintios 13:3). Ofertas Oferta e dízimo não são a mesma coisa. A Oferta é algo que dispomos além do dízimo, e pode ser: Específica e genérica. O cristão pode fazer ofertas para: Missões, construção, sustento missionário, ajudar alguma família pobre da comunidade ou para campanhas que a igreja fizer. O Velho e o Novo Testamento dão muita ênfase à contribuição. Na bíblia, toda forma de cobiça e ganância é condenada, enquanto que a generosidade e a caridade são encorajadas. Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria. (2Corintios 9:7). Ofertar com amor, sem tristeza, porque mais vale o sentimento ao ofertar do que o valor propriamente dito. *.*.*

A BÍBLIA E A VIDA FINANCEIRA

21

ECONOMIZAR
A Bíblia nos diz que é sábio economizar. Tesouro desejável e azeite há na casa do sábio, mas o homem insensato os desperdiça. (Provérbios 21:20). Economizar significa deixar de gastar hoje, para ter uma quantia a ser gasta no futuro. Talvez seja por isso que a maioria das pessoas nunca economiza, é necessária a negação de algo que desejamos hoje, e a nossa cultura não é a cultura da negação, quando queremos algo, queremos agora. Motivos para economizar a) Sustento da família Ora, se alguém não tem cuidado dos seus e especialmente dos da própria casa, tem negado a fé e é pior do que o descrente. (1Timóteo 5:8). Este princípio estende-se para suprir as necessidades na idade avançada e também à herança deixada aos filhos. b) Liberdade para servir ao Senhor Um objetivo de se economizar é diminuir nossa dependência de um salário que supra nossas necessidades. Isso nos torna livres para sermos voluntários com um tempo maior para atuarmos onde quer que o Senhor deseje. c) Montar um negócio É apropriado economizar e investir para acumular capital suficiente para montar o próprio negócio, sem entrar em dívidas, o valor do capital pode variar de acordo com o tipo de negócio. d) Herança Os pais devem deixar uma herança material a seus filhos. O homem de bem deixa herança aos filhos de seus filhos, mas a riqueza do pecador é depositada para o justo. (Provérbios 13:22). A herança, porém não deve ser dividida até que o filho esteja bem treinado a ser um administrador sábio. A posse antecipada de uma herança, no fim não será abençoada. (Provérbios 20:21). Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele. (Provérbios 22:6).

A BÍBLIA E A VIDA FINANCEIRA

22

Como Economizar Quando recebemos uma renda, o primeiro cheque deve ser para a contribuição ao Senhor (dízimo) e o segundo para fazer a nossa economia. A Bíblia não determina uma quantia ou porcentagem a ser economizada, porém uma parábola babilônica contada no livro “O homem mais rico da Babilônia” pode nos ajudar a ter uma idéia do quanto devemos economizar: Disse o homem mais rico da Babilônia aos que foram em busca de seus conselhos financeiros - Para cada dez moedas que colocarem em suas bolsas, não retirem para uso próprio mais do que nove. A bolsa começará a ficar estufada, e seu peso cada vez maior. No inicio, para muitas pessoas isso não é possível, mas se começarmos a ter o hábito de economizar – mesmo que seja apenas um real por mês, conseguiremos. *.*.*

A BÍBLIA E A VIDA FINANCEIRA

23

INVESTIMENTOS
As pessoas que conseguem economizar investem suas economias, esperando aumentar o valor delas. O propósito deste trabalho não é apontar nenhum tipo específico de investimento, mas chamar a atenção para os princípios bíblicos sobre investimento. Empregue seu dinheiro em bons negócios e com o tempo você terá o seu lucro. Aplique-o em vários lugares e em negócios diferentes porque você não sabe que crise poderá acontecer no mundo. (Eclesiastes 11:1-2). É o que nossos avós já nos diziam no seu jeito simples de falar: “Não coloquem todos os ovos numa cesta só”. Evitar investimentos de risco As Escrituras aconselham a evitarmos os investimentos de risco, mas, a cada ano, muitas pessoas perdem dinheiro em especulações e, às vezes em investimentos fraudulentos. O homem que tem dinheiro, mas é inexperiente no seu manuseio, depara-se muitas vezes com situações aparentemente lucrativas. Há três características que em geral, estão associadas aos investimentos de risco: 1) A perspectiva de um grande lucro é “praticamente garantida”. 2) A decisão de investir deve ser tomada rapidamente. Não haverá tempo para investigar o investimento nem aquele que está oferecendo. Esta pessoa agirá sempre como se estivesse “fazendo um favor” ao nos permitir investir. 3) Pouco se falará sobre os riscos de se perder dinheiro e o investimento, em geral, não exigirá esforço de nossa parte. Já falamos neste trabalho sobre os efeitos maléficos da ganância. Por isso devemos ser prudentes e pacientes ao investir, isso aumentará as nossas chances de fazer investimentos de sucesso e evitar quaisquer riscos. Contribuir, economizar e investir. As escrituras permitem a economia e o investimento apenas quando estamos também contribuindo. Jesus contou uma parábola que ilustra o perigo de economizar sem dar. O campo de um homem rico produziu com abundância. E arrazoava consigo mesmo, dizendo: Que farei, pois não tenho onde recolher os meus frutos? E disse: Farei isto: destruirei os meus celeiros, reconstruí-los-ei maiores e ai recolherei todo o meu produto e todos os meus bens. Então, direi à minha alma: tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e regala-te. Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado para quem será? Assim é o que entesoura para si mesmo e não é rico
A BÍBLIA E A VIDA FINANCEIRA

24

para com Deus... Porque, onde está o vosso tesouro, ai estará também o vosso coração. (Lucas 12:16-21,34). Jesus chamou o homem de louco porque ele economizou todos os seus bens, armazenou-os para o seu próprio uso. Não equilibrou sua economia doando de forma generosa. É legitimo economizar e investir apenas quando damos ao Senhor. Mas por quê? Porque, onde está o teu tesouro, ai estará também o teu coração. (Mateus 6:21). *.*.*

A BÍBLIA E A VIDA FINANCEIRA

25

EMPRESA CRISTÃ
Juridicamente não existe uma entidade denominada “empresa cristã”. Uma empresa é uma sociedade ou firma individual, o que pode determinar se uma empresa é ou não uma “empresa cristã”, são os valores dos seus proprietários ou dirigentes. Uma empresa pode ser uma grande ferramenta para a divulgação da palavra de Deus, quando isso acontece ela passa a ser uma “empresa cristã”. Tornai-vos, pois praticantes da Palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos. (Tiago 1:22). A prática da Palavra de Deus deve ser exercida pelo cristão também dentro da empresa que possui, dirige ou trabalha. O cristão que entende os compromissos de uma empresa centrada em Cristo será certamente orientado e dirigido por Deus e gerir uma empresa deste modo valerá a pena economicamente, porém, renderá algo maior e mais valioso, a sabedoria e a paz provenientes de Deus. Não cesses de falar deste livro da lei; antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então farás prosperar o teu caminho e serás bem-sucedido. (Josué 1:8) A promessa de Deus neste texto é a de que se vivermos de acordo com a Palavra, seremos prósperos em qualquer empreitada que tocarmos. Ficaríamos surpresos ao ouvir testemunhos de muitos empresários cristãos, que contam como Deus prosperou os seus negócios, por terem sido praticantes da Palavra. O propósito de uma empresa cristã O propósito de uma empresa cristã é honrar e glorificar a Deus. Cada decisão, cada pagamento, cada ação deve ser praticada em harmonia com a palavra de Deus. Numa empresa cristã nenhuma função é mais importante que a outra cada um deve realizar o seu trabalho com excelência. O que distingue uma empresa cristã das outras? Uma empresa cristã tem algumas características básicas que a torna diferente das demais, estas características são: - Evitar dívidas desnecessárias - Evangelizar - Responsabilidade - Fornecer produtos de qualidade - Honrar os credores - Justiça - Formar seguidores - Contribuir para a obra de Deus - Gerar um lucro justo

A BÍBLIA E A VIDA FINANCEIRA

26

Evitar dívidas desnecessárias O rico domina sobre o pobre, e o que toma emprestado é servo do que empresta. (Provérbios 22:7) Embora às vezes seja necessário contrair uma dívida, especialmente no inicio de novos negócios, não é prudente obter empréstimos para pagar despesas operacionais ou compra de produtos. Evangelizar Uma empresa cristã é uma ferramenta positiva para a evangelização. Uma empresa dedicada a honrar o Senhor através de seus negócios será um exemplo poderoso. O exemplo cristão de negociar dos proprietários, conquistará não só os funcionários, mas também os fornecedores, os credores e os clientes, a chave é o exemplo prático, não a conversa. O empresário cristão deve observar se sua conduta prática nos negócios corresponde ao que ele fala, não pode haver inconsistências entre o discurso e a prática. A coerência entre o que diz e o que fala está sendo observada constantemente pelos funcionários, fornecedores e pelos clientes. Responsabilidade Uma empresa cristã responsável atende as necessidades dos empregados, dos credores, dos clientes, dos donos e da sociedade. Isso é feito pagando pontualmente salários justos, fornecendo materiais e equipamentos necessários para a segurança e bom desempenho das funções exercidas pelos empregados, mantendo em dia os compromissos financeiros com os credores, fornecendo produtos de qualidade a preços justos, gerando um lucro justo para a sobrevivência do negócio e de seus proprietários, recolhendo corretamente os impostos e encargos sociais. Se os empresários aceitarem que responsabilidade é uma parte do plano de Deus, as suas empresas terão um papel efetivo na evangelização e na formação de seguidores. Fornecer produtos de qualidade Fornecer um produto de qualidade a um preço justo não trará prejuízo ao cliente e por conseqüência nenhum prejuízo ao empresário, pelo contrário a satisfação do cliente por ter as suas expectativas atendidas fará com que ele tenha confiança na empresa. Ser consciente nas compras, e não adquirir produtos de baixa qualidade apenas por serem baratos, pode fazer que você tenha um lucro menor, porém justo e ainda conquistará definitivamente a confiança dos clientes.

A BÍBLIA E A VIDA FINANCEIRA

27

Honrar os credores Credores comerciais são tanto os que lhe fornecem produtos, bem como os que lhe emprestam dinheiro. Frequentemente em nosso ambiente empresarial os credores não são tratados com a devida importância que eles merecem. Quando os negócios estão devagar, acha-se normal atrasar os pagamentos aos credores para compensar a redução de dinheiro no fluxo de caixa. Se a situação estiver além do controle dos donos ou gerentes é uma coisa. Porém, se os negócios estão encolhendo e a escolha de atrasar os pagamentos for uma escolha feita simplesmente para operar o negócio, eles estão violando um dos princípios da Palavra. Empresários que continuam comprando, quando há contas vencidas, estão retendo o que não lhes pertence. Não digas ao teu próximo: Vai e volta amanhã; então, to darei, se o tens agora contigo. (Provérbios 3:28). Justiça Trate bem as pessoas, especialmente os empregados e clientes, justiça é uma obrigação e uma oportunidade. Empregador que praticam a justiça compartilha o Cristo com os empregados, porque praticam o que falam. O primeiro passo para se estabelecer o principio de justiça na empresa cristã é reconhecer que todas as pessoas são importantes, independentemente da posição profissional delas. Mas se o empregador mostra parcialidade estará cometendo um pecado e será considerado pela Lei de Deus como transgressor. Se, todavia, fazeis acepção de pessoas, cometeis pecado, sendo argüidos pela lei como transgressores. (Tiago 2:9). Se os empresários cristãos verdadeiramente acreditarem que a sua obrigação deles é ser um exemplo e testemunho fiel do Senhor, o principio de justiça não só se aplicará aos empregados, mas também se estenderá aos credores e clientes. Formar seguidores Um objetivo muito importante para uma empresa cristã é a formação de seguidores. Treinar e encorajar os funcionários a pautarem o seu trabalho e até a sua vida pessoal pelos princípios cristãos, não só ajudará na manutenção da boa reputação da empresa, como servirá para o propósito da evangelização da empresa e ajudará na transformação da comunidade à sua volta. Obviamente isto não é fácil de ser feito nos dias atuais, mas uma empresa administrada centrada em Cristo glorificará e honrará a Deus e este bom exemplo servirá de guia para outros. E o que de minha parte ouviste através de muitas testemunhas, isso mesmo transmite a homens fiéis e também idôneos para instruir a outros. (2 Timóteo 2:2).

A BÍBLIA E A VIDA FINANCEIRA

28

Contribuir para a obra de Deus Quando uma empresa se torna uma empresa cristã, ela passa a contar com a graça de Deus e guiando-se sempre pela Palavra, o Senhor proverá para que além de ter o suficiente para a sua sobrevivência, dos proprietários, dos funcionários, e para honrar os compromissos com os fornecedores, haverá um excedente que deverá ser investido na obra de Deus. Deus pode fazer-vos abundar em toda graça, a fim de que, tendo sempre, em tudo, ampla suficiência, superabundeis em toda boa obra. (2 Coríntios 9:8). Gerar um lucro justo Algumas pessoas podem ficar surpresas com este tópico “gerar um lucro justo”, acontece que na comunidade cristã, muitos cristãos parecem achar que Deus os abençoa gratuitamente, sem que façam qualquer tipo de esforço, seja mental ou físico. O empresário que não cumprir com sua parte na administração de sua empresa quebrará. Quem crê e confia em Deus presta atenção até nos pequenos detalhes de sua empresa. Muitas vezes empresas de cristãos, são as que têm a pior reputação na comunidade, uma empresa que não paga suas contas, ou até mesmo que não paga salários justos aos seus funcionários. E esta é uma situação que não agrada ao Senhor. Talvez esta má reputação não seja por má fé do empresário, talvez seja, falta de conhecimento sobre como calcular corretamente o preço de venda e outras variáveis da administração da empresa. Obter um lucro justo para pagar as contas e salários justos é imperativo para uma empresa cristã. O empresário cumprindo a sua parte na administração da empresa traça os objetivos que quer atingir, porém segundo Salomão é o Senhor quem lhe dirige os passos. O coração do homem traça o seu caminho, mas o Senhor lhe dirige os passos. (Provérbios 16:9). Construa seu negócio como um cristão. Deus será honrado e você será abençoado. *.*.*

A BÍBLIA E A VIDA FINANCEIRA

29

BIBLIOGRAFIA
- Howard Dayton – O Seu Dinheiro – Crown Financial Ministries/2003. - George S. Clason – O Homem Mais Rico da Babilônia – Ediouro/2004. - Deepak Chopra – As Sete Leis Espirituais do Sucesso – Best Seller/2003. - Wellington da Silva Jardim – Administrar a Própria Vida – Editora Canção Nova/2004. - Luís Carlos Ewald – Sobrou Dinheiro! – Bertrand Brasil/2004. - Steven K. Scott – Salomão O Homem Mais Rico Que Já Existiu - Sextante/2008. - Bíblia Sagrada – Almeida Revista e Atualizada – SBB/2008. - Bíblia Sagrada Nova Tradução na Linguagem de Hoje – Paulinas/2005. - Eugene Peterson – Corra Com os Cavalos – Editora Ultimato/2004. *.*.*

A BÍBLIA E A VIDA FINANCEIRA

30

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->