São Paulo, 29 de Abril de 2010.

Resumo crítico do artigo publicado na folha de São Paulo Por Raquel Simoso e Giuliana Lelis-2°B

Colisão de partículas reproduz inicio do universo e abre nova era na física
Foi promovida uma experiência realizada pelo Cern, Centro Europeu de pesquisa Nuclear ,em um túnel subterrâneo entre a Suíça e a França , na qual cientistas tentaram reproduzir as condições existentes na origem do universo. Foi a maior e mais cara experiência já realizada, sendo apoiada por 30 países. O experimento permitirá que os cientistas descubram o que ocorreu um nanossegundo após o BigBang.Procurando entender como a expansão do universo ocorre, explicando por que a matéria tem massa, como as forças do universo se mantém coesas, descobrir a origem da massa e a presença da matéria negra. Será realizado através de um acelerador de partículas, o maior já construído, o LHC. É composto por: centro de c ontroles, quatro detectores (são eles: Alice, Atlas, CMS e LHCB)responsáveis pelos registros das colisões, um pré acelerador e os dois feixes de prótons acelerados em sentidos opostos. O Processo inclui: Dois feixes de prótons circulando em direção oposta, cada um com energia de trilhões de eletrovolts, colidem e liberaram uma energia Record. Essas colisões produzem partículas menores, que surgem e desaparecem em frações de segundos, essas pequenas partículas são fundamentais para entender como funciona o universo. As partículas são aceleradas a uma velocidade tão alta que cada próton dá 11 mil voltas por segundo no anel. Essa experiência foi considerada o início de uma nova era. Os resultados ainda demorarão meses ou até mesmo anos para serem concluídos. A construção da máquina levou 16 anos, e custou 10 bilhões de dólares. Na prática as descobertas poderão ter aplicações médicas ou industriais. Por enquanto, os cientistas apenas conseguiram fazer com que as partículas se chocassem sem precedentes. O LHC só atingirá a potência total em 2013. A primeira tentativa ocorreu em 2008, porém um sério acidente comprometeu o equipamento. Em 2009 o acelerador voltou a funcionar, mas com apenas a metade de sua potência. A preocupação agora é garantir a precisão dos dados, calibrando os equipamentos. Cada colisão de partículas gera uma explosão. São cerca de 50 choques por segundo, e o volume de dados gerados a cada 2 segundos equivale ao de um arquivo em DVD.

As preocupações envolvendo o LHC, são referentes aos buracos negros produzidos, dos quais algumas pessoas acreditam que possam causar sérios problemas para a Terra, ou até mesmo sua destruição. Os cientistas do CERN admitem que o acelerador seria capaz de produzir buracos negros, mas alegam que estes teriam escala subatômica e que entrariam em colapso quase imediato, e as massas dos prótons são muito pequenas. Outra preocupação inclue o medo de radiação e o fato de que produzirá as colisões de partículas de mais elevada energia já vistas na Terra. O CERN afirma que o LHC é extremamente seguro, com isolamentos espessos que inclui 100 metros de terra sob o túnel. Além disso, não haverá pessoas presentes no subsolo durante as experiências. Quanto às colisões, afirmam que elas ocorrem o tempo todo na natureza, com altas energias, os raios colidem com o Sol, com a Lua e com outros planetas, sem existirem sinais de danos. Raquel Simoso e Giuliana Lelis-2°B

Vídeos relacionados ao assunto: http://video.br.msn.com/watch/video/o-gigantesco-colisor-de-hadronslhc/aoj6z85a http://www.youtube.com/watch?v=aPpWKy3F9Bw&feature=related

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful