Você está na página 1de 5

OPERAÇÃO DE CORTE

• Caracteriza-se pela separação f ísica de partes do material a ser


estampado, sendo normalmente necessárias várias dessas
operações até se obter o produto f inal.
• Exemplos típicos: arruelas para rolamentos (caso Armco), chapas
para motores e transf ormadores elétricos (caso Loren Sid)

Ferramenta de corte de
chapas de aço para f ins
elétricos (induzidos de
motores elétricos).

8/11/2003 / 22:50
VARIÁVEIS DO PROCESSO DE ESTAMPAGEM
Numerosos f atores af etam, ao mesmo tempo, o processo de
estampagem. Os mais comuns são os seguintes:

• Blank:
dimensões; posição da f erramenta; condição da borda; limpeza;
planicidade.
• Lubrif icação:
tipo de óleo; espessura da película; distribuição sobre a chapa.
• Chapa de aço:
espessura nominal; propriedades mecânicas; rugosidade; tipo de
revestimento, limpeza da superf ície; perf il da chapa.
• Prensa:
guias do punção; velocidade de repuxo; pressão no “prensa
chapa” e sua variação ao longo do perímetro de contato; pressão
no contrabalanço (quando af eta a carga da prensa); rigidez.
• Ferramenta:
guias; alinhamento (na prensa); acabamento da superf ície; tipo de
material; f risos, saliências ou reentrâncias (alteram o atrito); dureza
superf icial; raios do punção e da matriz; revestimento de superfície
(características químicas e mecânicas); f olgas nas buchas e facas;
rigidez.
• Outras:
temperatura da chapa; temperatura da f erramenta

8/11/2003 / 22:50
VARIÁVEIS DO PROCESSO DE REPUXAMENTO
(ESTIRAMENTO)
• Geometria do produto:
prof undidade do repuxo; unif ormidade da prof undidade;
presença de ângulos negativos; f orma das depressões; raios de
conf ormação; espessura do material; qualidade do material.
• Lubrif icantes:
tipo; viscosidade; quantidade e distribuição; temperatura.
• Chapa de aço:
variação na espessura; varição de dureza; variação de “R” e “n”
ao longo da largura e do comprimento; alongamento unif orme;
limite de escoamento; limite de resistência; óleo de usina
(laminação); unif ormidade do revestimento; rugosidade da
superf ície; unif ormidade da superf ície nas duas f aces.
• Blank (peça da chapa de aço a ser processada):
direção de laminação; f orma ou pré-f orma; planicidade; limpeza;
rebarbas; temperatura.
• Ambiente:
temperatura do ar; umidade do ar; limpeza do ar; vento.
• Prensa:
velocidade dos cabeçotes (anel e punção), tonelagem, balanço,
rigidez, f orça do antirugas; guias.
• Frisos:
altura; f orma; conf iguração; quantidade.
• Ferramenta de repuxo:
adequada seleção dos aços da f erramenta; boa homogeneidade;
tratamento da superf ície; precisação e unif ormidade de pontos
de solda no punção e no anel; rugosidade das superf ícies;
rigidez dos respiros; pressão hidráulica e/ou pneumática;
equilíbrio de f orças; calços da f erramenta; desgaste; sujeira.

SIMULAÇÃO DA ESTAMPAGEM
• Está sendo cada vez mais utilizada por Universidades, centros de pesquisa
de Usinas Siderúrgicas e de grandes empresas.
• Antes que se tenha qualquer início de construção de ferramenta, pode-se
visualizar eventuais problemas e proceder a sua correção.
• Softwares conhecidos: Optris, Autoform, Pam-stamp, Isoform, MSC Patran.

8/11/2003 / 22:50
8/11/2003 / 22:50
8/11/2003 / 22:50