Você está na página 1de 1

Cardápio Mórbido – Capitulo 1

Naquele dia me levantei com um péssimo humor, eram por volta das 10 horas da manhã
e eu ainda estava deitado, encarando a parede como se houvesse algo ali para se
admirar. Me levantei e fui para o banheiro,pois no dia anterior não havia
tomado banho e não queria ir para a escola fedendo,e antes que me perguntem,sim,eu
sou um estudante,e tenho que admitir que não sou um dos melhores.Enquanto sentia a
água cair sobre a minha cabeça,ficava pensando em uma garota que eu gostava
muito,ela se chamava Ana Gabriela,mas as pessoas lhe chamavam apenas de
Gabi.Antes de sair de casa peguei uma certa coisa que eu havia preparado e coloquei no
bolso.

Ao chegar na escola,me sentei em um dos velhos e sujos bancos de madeira que o


governo havia posto ali,eu realmente odiava a escola, me sentia como se estivesse
perdendo grande parte do meu tempo sentado naquela cadeira,escutando aquela mesma
ladainha,como ia dizendo,estava sentado naquele banco quando vejo um cara vindo na
minha direção.Ele parou na minha frente e estendeu a mão,esperando o dinheiro que eu
sempre levava,coloquei minhas mãos dentro do bolso e tirei meu canivete,em um
instante a mão dele estava perfurada pela minha arma e sangrando bastante.Que se
danem as conseqüências disso,pensei eu,eu estava realmente de saco cheio daquele
mundo e daquela vida.

Obviamente,um monte de estudantes curiosos vieram ver o que estava acontecendo


quando ouviram os gritos daquele cara,fizeram uma espécie de roda ao nosso redor,na
hora eu me arrependi um pouco e tentei sair,mas aquela multidão parecia que estava
querendo que eu me desse mal.A Diretora da escola chegou ao local junto com dois
policiais que me pegaram pelos braços,não sei por qual motivo eles não me
algemaram,mas sim me seguraram pelo braço e me levaram para a viatura,que também
já estava bastante desgastada..Mal nós entramos e um homem estranho e todo cheio de
sangue se jogou por cima do carro,ele estava desferindo golpes fortes no vidro,que
estava aos poucos se rachando,os dois policiais desceram e tentaram falar com ele,um
deles recebeu uma mordida no nariz,arrancando este fora.Já o outro não quis esperar e
disparou na perna daquele homem,mas não foi o suficiente,ele se jogou em cima do
policial e começou a arrancar suas entranhas.

Eu estava horrorizado com aquilo e tentei sair da viatura,mas infelizmente ela não abria
pelo lado de dentro,eu tentava socar o vidro mas parecia feito de aço,quando eu olho
para a frente vejo apenas aquele ser me encarando,com seus olhos famintos e suas bocas
ainda sujas com as tripas do policial.

Interesses relacionados