Tenho observado em algumas estruturas organizacionais do varejo de médio e grande porte, diferentes papéis desempenhados pelas áreas de Prevenção

de Perdas, Gestão de Riscos e Auditoria. Este artigo tem como objetivo traçar um paralelo de conceitos, sinergias e conflitos entre essas 3 áreas o qual tive o prazer de gerenciar em algum momento da minha carreira profissional, que na minha opinião, possuem papéis bastantes diferentes mas com objetivos similares. Primeiramente alguns conceitos Básicos GESTÃO DE RISCOS Ciência que tem como objetivo conhecer os riscos em que as empresas estão expostas, através de uma análise detalhada do ambiente interno e externo da organização, no âmbito estratégico, operacional e financeiro, para que a empresa possa tomar decisões no presente que possam trazer resultados mais satisfatórios no futuro, desde que as ações tomadas sejam viáveis do ponto de vista operacional e financeiro. Essas decisões (planos de ação) tem como objetivo a mitigação do risco, administração ou sua eliminação. A Gestão de Risco tem sua aplicação baseada em normas internacionais e nacionais, além de ser uma boa prática de Governança Corporativa o qual as empresas que possuem capital aberto e estão no Novo Mercado, precisam se enquadrar. Além dos aspectos legais e formais, a Gestão de Riscos, permite a empresa uma Administração com transparência tanto dos seus resultados financeiros quanto dos controles internos, diminuindo as incertezas e surpresas que podem afetar os negócios para resultados indesejados, que podem até ensejar no fechamento da empresa. Pelo aspecto legal, deve possuir Diretoria independente, reportando-se ao Presidente e/ou Conselho de Administração / Comitê de Auditoria. Tem atividade de staff, portando não deve fazer parte do PROCESSO interno da organização, sendo responsável pelas seguintes atividades dentro da organização:
• • • • •

Auxilia na identificação de riscos inerentes às operações Define metodologia para mensuração e sistemática de acompanhamento Acompanha as operações de forma independente Avalia o grau de exposição e assegura que os limites estabelecidos sejam observados Comunica os resultados para a alta administração

AUDITORIA Área que tem como responsabilidade auxiliar a Alta Administração a alcançar seus objetivos estratégicos e operacionais através do acompanhamento e revisão das atividades internas da empresa objetivando avaliar se estão em conformidade com as políticas internas, resoluções e legislação. Assim como a Gestão de Riscos, a Auditoria Interna é mais uma função assessorial que de linha e principalmente independente, para que tenha liberdade para revisar e avaliar as normas, os planos, procedimentos, registros e recomendar melhorias. As atividades da área de Auditoria são as seguintes:
• • •

Revisar e avaliar a eficácia, suficiência e aplicação dos controles contábeis, financeiros e operacionais. Determinar a extensão do cumprimento das normas, dos planos e procedimentos vigentes. Determinar a extensão dos controles sobre a existência dos ativos da empresa e da sua

já a Gestão de Riscos é responsável pelos riscos relacionados aos processos logísticos. formalização dos testes e geração de relatórios. Também realizam testes nos controles. walktrougt. a Auditoria Interna não deve planejar nem implantar procedimentos. Já a Auditoria. recomendam mudanças com base nas boas práticas. das informações e dados contábeis e de outra natureza. que não fazem parte de forma direta da operação. Avaliar os riscos estratégicos e de negócio da organização. preparados dentro da empresa. normalmente. isto é. Outro ponto em comum está relacionado à melhoria dos processos. Tem a função de Auditar todas as áreas da empresa inclusive Gestão de Riscos e Auditoria. de governança além de poder assumir a gestão sobre as perdas físicas. Auxilia a companhia a melhorar seus processos de negócio Pela independência. Avaliar a qualidade alcançada na execução de tarefas determinadas para o cumprimento das respectivas responsabilidades. através da definição de uma amostra. ruptura e quebras operacionais. escriturar registros ou ter participação em atividades que. PONTOS DIVERGENTES E CONFLITANTES O âmbito de controle da Prevenção de Perdas é mais limitado em relação ao da área de Gestão de Riscos que tem uma função mais corporativa embora algumas empresas tenham uma estrutura única para o gerenciamento dessas áreas. Geralmente utilizam a mesma metodologia de Auditoria. através do . embora a Prevenção de Perdas possua algumas atividades operacionais dentro das lojas como a participação no processo de recebimento de mercadorias. de segurança. Revisão e Implementação dos Processos geradores de Perdas Criação e monitoramento dos indicadores de perdas Realização de Treinamentos dos processos internos Avaliação de investimentos em tecnologias Realização de Auditorias Preventivas nos processos geradores de perdas PONTOS SIMILARES Ambas são áreas de staff. riscos identificados e oportunidades. Um exemplo perfeito dessa segregação está relacionado com a Auditoria de Estoques. Determinar o grau de confiança. financeiras. As três áreas se preocupam com a conformidade dos processos internos em relação às políticas da empresa.• • • • proteção contra todo tipo de perda. possui uma função mais abrangente e independente. deve revisar e avaliar. Suas principais atividades são: • • • • • Mapeamento. objetivando a identificação de não conformidades. de crédito. realizando mapeamentos e avaliações de forma permanente e sempre que possível. Possui papel semelhante à área de Controles Internos pois implementa processos para garantir que as perdas tenham o menor impacto possível aos negócios. PREVENÇÃO DE PERDAS Área responsável pelo gerenciamento e monitoramento das atividades da empresa geradoras das perdas físicas. A Prevenção de Perdas tem como foco a gestão sobre as perdas físicas nas lojas e centros de distribuição.

realiza o fechamento da compra. registra o produto. temos os cancelamentos de venda que podem ser realizados por item antes do fechamento do cupom fiscal ou por completo após o seu fechamento. por outro lado. entrega o produto ao cliente e realiza o cancelamento se apropriando ilicitamente do dinheiro. que podem ocorrer da seguinte forma: 1Registro do produto com Apropriação Indébita. Em cada Macro Processo. 2Conluio com o Cliente Nessa modalidade. As perdas estão presentes nos quatro macro processos de uma loja. realiza o cancelamento. ambientes informais. podem comprometer resultados e objetivos traçados. não é recomendado que a execução seja realizada pela área de Prevenção de Perdas. Os cancelamentos de venda podem ocorrer em razão de falha operacional. Como indicador principal. O operador de caixa efetua o registro do produto. Dentre as principais operações geradoras de perdas na frente de caixa. para que o “cliente” tenha um comprovante e posteriormente. a área de Prevenção de Perdas é medida pela redução das perdas e o principal instrumento para a identificação desse índice é o processo de inventário. as perdas oriundas das operações de frente de caixa. porém o presente artigo tem como objetivo tratar das possibilidades de origem fraudulenta. possuem similaridades. independente do segmento. recebe o pagamento do produto. Área de Vendas e Bateria de Caixa. porém. Estoque. . o operador de caixa. Nesse contexto a Auditoria é a área mais indicada para a realização desse trabalho. Embora os papéis possam se conflitar.processo de Inventário. apetite para investimentos e principalmente do porte da empresa. Sendo responsável direto pelo resultado do inventário. pode diminuir o impacto desses conflitos. muitas empresas possuem em sua estrutura organizacional o compartilhamento dessas atividades em uma única área. representados pelo Recebimento de Produtos. Uma política bem estruturada definindo papéis e responsabilidades. em razão da maturidade. encontramos várias causas de perdas cuja relevância pode variar de acordo com o segmento do varejo.

Em razão dessa vulnerabilidade. etc. pois mesmo que a empresa assuma o risco de delegar ao operador a responsabilidade pela aprovação. o produto é reintegrado ao estoque contábil e como fora entregue ao “cliente”. atraso no atendimento. o responsável pela aprovação avalia o motivo do cancelamento. registra o motivo para fins de auditoria e criva o documento. em razão do cancelamento. essa possibilidade é potencializada. em razão de quadro reduzido de colaboradores. Supervisor de Caixa). o processo torna-se mais eficiente e seguro. se o número de cancelamento de cupom for semelhante à falta do inventário. sendo um indicador de alerta importante para um trabalho específico a ser realizado. não podemos esquecer o ditado “Aquilo que não é medido. gera-se uma diferença física x contábil. quando o sistema de automação comercial esta parametrizado para uma aprovação mediante leitura de cartão.Nos dois casos. cabe um estudo mais detalhado através da adoção de Sindicância Interna para a obtenção de uma parecer mais preciso. O objetivo é o de obter o nível médio de registro. identificando colaboradores que estão fora da curva. A fragilidade desse processo é facilmente identificada pelos clientes fraudadores e pelos colaboradores mal intencionados. há a devida baixa no estoque em razão da confirmação do cupom fiscal. Esse trabalho consiste no levantamento do histórico de cancelamentos efetuados no período compreendido entre os inventários e também das faltas constatadas. os cancelamentos sejam monitorados. senha e/ou outro meio de identificação. E. a possibilidade de fraude torna-se provável e quando todo o cancelamento é realizado pelo mesmo operador. Porém. sempre utilizando como base comparativa o tempo de operação X volume de registro de vendas. Essas são algumas das práticas preventivas e detectivas para a prevenção de perdas nos . isto é. Caso sejam identificadas igualdades próximas. A seguir algumas medidas preventivas e detectivas para identificação dessas fraudes: a) Aprovação do Cancelamento por alçada superior Algumas empresas estabelecem em suas políticas. as empresas costumam implementar medidas preventivas de controle e monitoramento dessas operações com o objetivo de identificar a fraude no ato (conceito de auditoria continua) ou através de monitoramento posterior (controle detectivo). b) Acompanhamento da Produtividade O procedimento de estabelecer em política que todo o cancelamento tenha aprovação superior para alguns segmentos. pode engessar o processo. não é Controlado”. é importante que na retaguarda da loja. c) Análise dos Cancelamentos X Falta de Inventário A sincronização dos Bancos de Dados de Inventário e Cancelamento de Cupom é uma das formas de Auditoria mais eficientes para identificação de fraudes. porém. Nesse caso. que todo o cancelamento de cupom deva ser aprovado por um colaborador de alçada superior (Ex. número de check-outs. Uma das formas utilizadas é estabelecer um ranking de produtos mais cancelados ou de operadores que mais cancelam. porém.

Estas falhas são motivadas via de regra por falta de treinamento e falta de valorização das funções de base no varejo. colocando os objetivos profissionais corporativos acima das rivalidades setoriais que não levam a lugar algum. complementam as medidas preventivas relacionadas a processos e gestão de pessoas. por ser um assunto estratégico. pois sabem que. indicadores de performance e pessoas. como exemplo cito as ferramentas de businnes inteligence. Erros causados desde um simples descuido causado pela não aplicação da etiqueta de preço na gôndola até o esmagamento de mercadorias causado pelo empilhamento acima da quantidade recomendada pelo fabricante. trabalhando em um clima organizacional que proporcione criatividade para as ações e sobretudo. as tecnologias não trarão os benefícios ao utilizar esta tecnologia. a Prevenção de Perdas é uma ferramenta que consiste em processos bem definidos. as equipes de Prevenção. destacamos que este não é o único nem mesmo o principal aspecto a ser considerado pelo Depto. as pessoas materializam os resultados dos demais itens. Os membros da organização devem primeiro estar inseridos na cultura de prevenção de perdas – que deve ser patrocinada pela alta administração – para que tenham em seu dia-a-dia o sentido do trabalho que deve ser executado e quais serão os objetivos a serem atingidos. de acordo com a estratégia definida pela empresa. absorvidas e praticadas. o Programa alcançará os resultados desejados. mas sempre defenderemos que as pessoas podem fazer a diferença. faltar motivação e comprometimento. A equipe de Prevenção de Perdas deve estar “fechada” com a equipe de operações e comerciais. ferramentas de auditoria contínua e softwares de integração do CFTV e sistemas de automação comercial para monitoramento das operações. tem nas pessoas a base primordial para que todas as propostas e metas possam ser entendidas. São dicas importantes quando se fala de Gestão de Pessoas em Prevenção de Perdas: . Algumas soluções tecnológicas estão disponíveis para auxiliar a prevenção de perdas no monitoramento dessas operações. De todos estes fatores. monitoramento de frente de caixa. A reunião dessas soluções. softwares para a geração de relatórios de exceção. se os colaboradores não forem capacitados. Prevenção de Perdas. Estamos convictos de que o grande vilão das perdas é efetivamente a ineficácia nas tarefas cotidianas. pois não compartilhamos da ótica aplicada a Prevenção de Perdas apenas no aspecto patrimonial. Se as pessoas estiverem conscientes de seu importante papel no combate e na redução das perdas.cancelamentos de venda. tecnologia. pela sua grande relevância na participação no total das perdas. comercial e prevenção de perdas. CFTV. O apoio destas e outras áreas de um empresa varejista será fundamental para o sucesso do Programa e principalmente na obtenção dos resultados no segmento varejista. As empresas compram e implantam tecnologia de ponta para reduzir suas perdas – coletores de dados para recebimento e expedição de mercadorias. ou seja apesar da óbvias divergências ocasionadas pela postura de auditoria. Encerramos esta abordagem destacando que numa empresa moderna e com visão focada em gestão de resultados através das pessoas. antenas de alarme para lojas. treinamento. como agia a antiga Segurança de Loja. É fundamental que em um programa de Prevenção de Perdas. pois somente com a união das três áreas. são todos estes e mais alguns. O assunto perdas está estreitamente ligado ao setor de operações. Quando a empresa e divulga seu programa de prevenção de perdas. Entendemos que muito embora não possamos descartar o aspecto patrimonial. a Gestão de Pessoas seja tratada com prioridade estratégica e este será o nosso assunto desta edição. são a peça fundamental deste tipo de ação estratégica. Este artigo tem o objetivo de colocar em pauta a importância da aliança necessária entre as áreas operacional . O aspecto operacional aparece como o principal motivo a ser tratado na recuperação das perdas. Comercial e Operação devem estar alinhadas cientes de que para atingir os objetivos será preciso que todos sejam parceiros sempre e aprendam a contornar com habilidade e profissionalismo as divergências que surgem no cotidiano A GESTÃO DE PESSOAS E A PREVENÇÃO DE PERDAS. pessoas devidamente treinadas. temos convicção de que somente assim conseguiremos realizar um efetivo trabalho de combate as perdas. Mas afinal. quais são os maiores motivos de tantas perdas ? Seria a falta de comprometimento das pessoas. falta de monitoramento pela empresa ou falta de treinamento? Seria a falta de líderes na operação que estejam conscientes de seu papel como apoiadores da Prevenção de Perdas ? Seria a resistência e falta de apoio que as equipes de operação e comercial exercem em relação aos Programas de Prevenção de Perdas? Qual destes é a principal razão do atual volume de perdas no varejo? Em nossa visão. ambos os lados devem assumir parceria. Os líderes estratégicos dependem da homogeneidade das informações em todas as faixas da estrutura organizacional. Como já comentamos em artigos anteriores. comprometimento e envolvimento com a empresa. pois não estarão aproveitando ao máximo sua capacidade. entre outros – mas.

para levar-me de novo à sua firma. então o maior patrimônio das empresas é o SER HUMANO. um ambiente organizacional favorável. DO ALTO EXECUTIVO PARA BAIXO. como por exemplo no comércio varejista. Estas pessoas. É possível aplicar esta metodologia em diversos tipos de operações. onde é possível preparar os auditores para medir performance. utilizando a tecnologia e processos definidos e com riscos mitigados. Uma destas ferramentas é o Cliente Oculto. • VISÃO SISTÊMICA E HOLÍSTICA: Uma organização que aprende.. já que é resultado da ação das pessoas. eles simplesmente não voltam. A área de treinamentos deve produzir eventos que mexam com as pessoas. onde são usados até mini microfones e câmeras. na indústria. conhecidas como Cliente Oculto. "CLIENTES PODEM DEMITIR TODOS DE UMA EMPRESA. “. diferenças exorbitantes de preços entre concorrentes." Por este motivo as empresas estão investindo cada vez mais para conhecer seus clientes. do mais simples aos mais especializados. praticamente são inexistentes. verificar se as ações de PP estão sendo seguidas. levando em alguns casos. entre outros itens. tudo o que deviam ter feito era apenas a pequena gentileza. de me enviar um pouco mais de CORTESIA". financeira. Todavia todos os métodos são válidos e importantes para ter um termômetro do atendimento nas empresas.Divirto-me vendo milhões sendo gastos todos os anos em anúncios de toda ordem. pela primeira vez.• CULTURA ORGANIZACIONAL: Não adianta a organização ter processos bem definidos. com treinamento contínuo e reforço cultural constante. fazendo com que os mesmos conheçam seus pontos fortes e suas deficiências. Vamos ler o discurso de Sam Walton. É importantíssimo que as pessoas tenham consciência que a empresa crescerá e que cada um aumentará seus conhecimentos. sempre monitoradas através de indicadores de performance que mostrarão se o rumo está certo. sua produtividade. São pessoas treinadas para abordar as empresas/lojas. que tratam de forma lúdica as ações que devem ser implementadas e motivam os colaboradores com remuneração variável e reconhecimento. se as pessoas não entenderem o sentido das coisas. com estes parâmetros são traçados pontos de medição e dado pontos aos procedimentos encontrados nos locais de trabalho. assim conseguimos saber quem está atuando dentro dos padrões estabelecidos pela empresa. O Cliente Oculto também pode ser utilizado em ações de Prevenção de Perdas. hoje em dia. tocá-las. com cultura organizacional definida. podendo assim aprimorar os fortes e corrigir as deficiências. a adotarem postura de ferir a organização de alguma forma – moral. o trabalho deixa de ser uma obrigação e torna-se uma arte. estimulando a aprendizagem organizacional compõem um conjunto de fatores fundamentais para que o programa de Prevenção de Perdas. SIMPLESMENTE GASTANDO SEU DINHEIRO EM ALGUM OUTRO LUGAR.. é uma organização que tem visão sistêmica e holística para resolver seus problemas. também é possível medir os motivos que levam os clientes a procurarem outros estabelecimentos que não o nosso. com o objetivo de medir a performance do atendimento prestado por esta empresa aos seus clientes. Holística porque leva em consideração como o ser humano irá reagir à decisão tomada para resolver o problema. Sistêmica porque analisa todas as inter-relações entre os setores e processos. Você sabia que: • A maioria dos clientes não reclama do mau atendimento. são formas de envolver as pessoas. Você realmente sabe como seus clientes percebem a qualidade dos serviços prestados pela sua empresa? Hoje em dia grandes diferenças tecnológicas . colocar um sentido maior nas atividades. não estiverem envolvidas com o objetivo maior da empresa. e assim ter ações para fidelizá-lo. • Conquistar clientes novos custa entre 5 e 7 vezes mais do que manter os existentes. seja pessoalmente. não se importam com as metas e objetivos e tampouco se esforçam para alterar este quadro. tem o objetivo traçado pelas normas e procedimentos estabelecidos como padrão pela empresa. fazendo a abertura de um programa de treinamento para seus funcionários. • MOTIVAÇÃO: Colaboradores desmotivados não ligam para os processos da empresa. o treinamento é um dos pontos fundamentais para que as pessoas possam contribuir com a correta aplicação dos processos. Este trabalho é uma ferramenta de gestão imprescindível às empresas que realmente conhece o valor do cliente para seu negócio. etc. e quem não está. • TREINAMENTO: Além do envolvimento cultural. prestam este serviço. campanhas internas e premiações por desempenho. Gerenciar pessoas. Já o cliente insatisfeito pode eliminar 14 potenciais clientes. • Estudos de mercado dizem que um cliente satisfeito tem o poder de atrair para a loja/marca pelo menos 6 novos clientes em média. fundador do WAL MART. por telefone ou via web (B2B). Muitas empresas. sabendo que o resultado obtido será compartilhado com todos. e até no mercado B2B. – o que leva a perdas. tão barata. • CAMPANHAS INTERNAS: Dentro da estratégia. . comércio. Quando pessoas trabalham com um sentido organizacional. efetuando a correção. também não são encontradas. Quando fui lá. e muito além.

os PDV´s. é que nós indicamos cada vez mais. As ações de PP melhoram 100% após este trabalho. desde o fornecedor até o centro de distribuição. pois os mesmos podem simular situações de furto. violação de etiquetas eletrônicas nos provadores. Por sabermos da grande importância de um excelente atendimento para fidelizar um cliente. Neste trabalho são sempre levantados. os pontos mais “mortos” da loja. reduzindo e controlando assim suas perdas. etc. os mesmos se apresentam e pedem para confirmar as informações com a equipe de apoio de Prevenção de Perdas ou auditoria. naqueles fornecedores que não possuem nível de Qualidade Assegurada. Esta ferramenta. no próprio centro de distribuição. Quando existe o mapeamento de processos de uma empresa é o momento que os gestores têm uma visão de como as coisas realmente acontecem dentro da empresa. documentos técnicos. entre outros. nova no mercado. peças sobrepostas (principalmente pretas). tem se mostrado muito promissora e de grande resultado nas ações contra fraudes. 3) Agendamento de Entrega por Fornecedor Programação antecipada das entregas dos fornecedores. desde o fornecedor até o centro de distribuição. os níveis de controle aplicáveis. furtos. é importante avaliar diversos pontos que estão ligadosPartindo do pressuposto de corrigirmos o problema na origem. o fornecedor pode ser qualificado na origem e reduzir a chance de envio de produtos fora do padrão ideal. atitudes suspeitas. que é um dos que possuem mais riscos inerentes são: 1. só que neste momento. no caso do comércio varejista. através de peças piloto.Todavia este método tem que estar bem alinhado com a equipe de PP e auditoria da empresa. verificando assim se diante dos mesmos as equipes de loja estão utilizando as Ações Preventivas estipuladas pela empresa. 1) Qualidade Assegurada no Fornecedor Devem ser realizadas visitas nos fornecedores para verificação na origem dos padrões de qualidade contemplados no processo de compra. nas empresas. Os auditores simulam furtos. Na edição anterior. primeiramente. etc. 4) Controle de Qualidade Amostral no Recebimento Aplicar de forma amostral. para garantir a quantidade de colaboradores no recebimento compatível com a quantidade de volumes/unidades recebidos por dia. E esta é a oportunidade de identificar os riscos existentes e implantar controles eficientes para mitigar estes riscos. 1. ou atitudes suspeitas nas lojas. principalmente em pagamentos em dinheiro. controle de qualidade nos produtos recebidos da mesma forma. 1. demonstrando a necessidade de maior controle interno e de treinamento mais efetivo em PP. os produtos são devolvidos. Se em algum momento da atuação dos auditores suas ações são reprimidas por atitudes preventivas bem colocadas e com a abordagem correta. análise de risco. acondicionamento dos produtos. entre outras. monitoramento dos caminhões. conversamos sobre as operações de Recebimento. os mesmos trazem para a base interna da empresa. Alguns pontos importantes no processo de recebimento. é importante conversamos neste momento sobre as operações de Recebimento. modelo de baú. a equipe de auditores são instruídos em relação as ações esperadas da equipe da loja diante de atitudes suspeitas. Dessa forma. mantendo assim. Não é possível estabelecer um programa de prevenção de perdas sem que os processos da empresa estejam devidamente mapeados e normatizados. então podemos imaginar um furtante profissional. No primeiro momento causa um grande impacto na empresa e para a gerência. capacidade de armazenamento dos caminhões. a mercadoria que foi retirada e em reunião com a gestão das lojas que foram analisadas. 1. para dar todo o suporte às equipes de auditores em campo. furtos. 5) Conferência no Recebimento de Produtos . parabenizando a loja e sua gestão. pois demonstram que uma equipe que corrige processos internos muitas vezes conseguem retirar mercadorias com valores relevantes. Agora vamos avaliar as operações do centro de distribuição até as lojas ou unidades de negócio. conforme item 1. da equipe da loja. perfil dos motoristas. incluindo também o gerenciamento de ações preventivas na loja. Neste momento. entre outros pontos de risco. 2) Padrão de Qualidade no Transporte Estabelecer junto aos fornecedores um documento formal que indique quais são os padrões aceitáveis pela sua empresa com relação à qualidade no transporte: tipo de caminhão. 1. como também a importância de se ter uma equipe interna preparada para reconhecer e minimizar ações de furto e fraudes. o serviço de Cliente Oculto ao mercado. os pontos de risco dentro da empresa. verifica procedimentos suspeitos dos operadores de caixa. os provadores. procuram peças sem etiqueta eletrônica na área de vendas (quando a empresa utiliza). Todavia se os auditores atuam de forma livre. entre outros. e temos uma equipe mais comprometida com os resultados de inventário.

Relacionem produtos em número de nota fiscal. você poderá cair em descrédito. para identificar avarias. Quanto mais os processos no recebimento estão definidos pela empresa varejista junto aos fornecedores e a empresa varejista implanta controles e os aplica de forma eficaz. por isso. pois. Todos estes pontos devem ser analisados pelas empresas para que consigam mitigar os riscos de perdas no processo recebimento dentro da cadeia de suprimentos. 8) Utilização de Sistema WMS Implantação de sistema WMS – Warehouse Management System (Sistema de Gerenciamento de Armazéns) – para garantir maior controle sistêmico das interfaces existentes – pedidos de compra versus nota fiscal do fornecedor. mas com caráter assertivo. o risco tem mais probabilidade de concretizar-se em um evento com impacto financeiro negativo alto que reduzirá o lucro da sua empresa. Ter e preocupar-se com dados saudáveis: Quais as informações que precisam ser relacionadas? Se sua empresa precisa acompanhar as perdas de carnes nobres e não monitora este produto por CFTV.Todos os caminhões recebidos devem ser conferidos para garantir o correto recebimento quantitativo dos volumes de acordo com a Nota Fiscal ou Romaneio Informativo e o correto recebimento qualitativo. Agilidade nas Informações: Ouço sempre dizer que o varejo é Dinâmico e por isso as coisas são pra ontem e não dá para Planejar. eles podem “detonar sua base de dados” com Indicadores que não mostrem a realidade dos Resultados. pois o varejo é desorganizado. Se você precisa de um profissional ou uma equipe assim anote estas dicas: Conhecer o Negócio: O profissional deve obrigatoriamente conhecer o negócio e ser um apaixonado por processos. As informações que estão contidas no ERP da Empresa são atualizadas minuto a minuto. mitigar os riscos. etc. o que está fazendo o campo “Posição das câmeras” na sua base de dados. Procure mapear e contabilizar processos e não somente as perdas. porém. você pode até ser o Capitão dos Riscos e das Perdas. Esta não é uma tarefa fácil. armazenamento imediato no centro de distribuição. mas sua Empresa poderá tomar decisões mais assertivas. como conseqüência as perdas tendem a reduzir e a ficar controladas. mas seus produtos não o são. será comum que lhe traga um relatório cheio de estilos e apresente “dashboards” apontando a quebra das frutas das Lojas de Manaus como mais alta do que Rio Grande do Sul – ou seja. Quinze dias de balsa com mais três dias na carreta de um caminhão em um calor tropical fazem com que nossos amigos Manauaras recebam frutas e legumes em um grau de amadurecimento muito além do da Região Sul. 1. conferência 100% de volumes/unidades e qualidade. para isso você deve ter uma equipe analítica. o profissional de Análise de Dados obrigatoriamente deverá ter intimidades com estas ferramentas por que elas permitem de maneira simples. controle de posições de armazenagem no CD. têm altos índices de perda de inventário e geralmente possuem alto valor agregado – para que sejam controlados de forma específica – agendamento em horário controlado. pois e nossa estratégia anual muda quase que semanalmente. fácil e barata desenvolver análises para tomada de decisões. 1. poderá ser indiretamente um facilitador de perdas da sua Empresa. Cuidado com processos mal desenhados. Controle Específico para Produtos de Alto Risco – PAR A empresa deve identificar quais são seus Produtos de Alto Risco – produtos que são mais visados. doca direcionada. diminuir tempo gasto em reuniões e é claro. 7) Controle de Acesso na Área de Recebimento Formalizar quais são os cargos e funções que podem transitar no espaço reservado ao recebimento de produtos. decisões rápidas sim. desta forma estará agindo preventivamente. pois se eles não relacionam diretamente com os resultados contábeis. mas ele sem dúvida é a sua bússola. o óbvio. e no momento do Inventário as perdas contabilizadas mobilizam toda a Empresa para ações que não resultam em nada. Cuidado com o “bom senso de seus auditores”. Está equivocado quem procura um profissional de TI para esta tarefa. e caso você espere sua contabilidade fechar o balanço para demitir alguém que esteja furtando produtos na sua Loja. Porém. etc. Um profissional analítico não deveria ser contabilizado na Folha de Pagamento com Despesas e sim no Grupo de Ativos como Investimento. 6) 1. você irá relacioná-las com o que? Pessoas são demitidas porque fiscalmente notas são excluídas das bases. em ambientes aonde não existem controles de perdas. desta forma saberá se é um roubo ou dados órfãos. Há mais de seis anos tenho transformando dados em informações para a tomada de decisão. . Não acredito nisso. Amigo do Excel e Access: Excel e Access não foram construídos para montar sistemas por conta de suas limitações.