P. 1
FLOR - BIOLOGIA

FLOR - BIOLOGIA

|Views: 784|Likes:
Publicado porAlan Cristian

More info:

Published by: Alan Cristian on Apr 24, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/11/2013

pdf

text

original

1

Flor
Por definição, temos que a flor é o órgão que reúne as estruturas reprodutivas das Angiospermas.

Na maioria dos casos, as flores são estruturas férteis protegidos por folhas estéreis especiais, cujo conjunto é chamado de flor (flor verdadeira, diferente das gimnospermas que possuem estróbilos). A flor é sustentada pelo pedúnculo, cuja porção superior é alargada e constitui o receptáculo, que porta os apêndices estéreis (sépalas e pétalas) e os apêndices férteis (estames e carpelos) da flor. São formadas por séries concêntricas de elementos: - Externamente as sépalas, constituindo o cálice; - Em seguida, as pétalas formando a corola; - Estames, constituindo o androceu (masculino); - No centro, o ovário que forma o gineceu (feminino). Quando não se podem distinguir as sépalas das pétalas (a não ser pela posição), chamamos tépalas e ao conjunto, denominados perigônio. Ao conjunto de sépalas e pétalas, denominamos perianto.

Perigônio: conjunto de tépalas.2 . Perianto: conjunto de sépalas e pétalas de uma flor. chamamos tépala . formam o cálice da flor e nos estágios iniciais de desenvolvimento envolvem as outras estruturas do botão floral. Flor gamossépala: sépalas unidas entre si. Ex: Lírio. Flor dialissépala: sépalas livres entre si. Ex: Ipê de jardim. Sépalas Geralmente de cor verde. Quando não se podem distinguir as sépalas das pétalas (a não ser pela posição).

3 Péta las Geralmente coloridas. Ex:lírio. Díclina ou unissexual: quando a flor apresenta só androceu (estames) ou só gineceu (ovário). localizam-se internamente ao cálice e formam a corola. Flores monóc linas ou díc lina s Monóclina ou Hermafrodita: quando a flor apresenta androceu e gineceu. Tetrâmeras (4 ou múltiplo de 4 pétalas). Flor dialipétala: quando as pétalas são livres entre si Flor gamopétala: quando as pétalas estão unidas entre si. Típicas de dicotiledôneas.hortência. Trímeras (3 ou múltiplo de 3 pétalas). Só ovários (díclina feminina): flores carpeladas. Pentâmeras (5 ou múltiplo de 5 pétalas). Sóestames (díclina masculina): flores estaminadas. Ex:hibisco. Ex. Típicas de dicotiledôneas. Class ific ação das f lores qua nto ao número de péta las Dímeras (2 pétalas). . Típicas de monocotiledôneas. Típicas de dicotiledôneas.

Flor unissexual diclina masculina.4 A imagem representa uma flor monóclina ou hermafrodita. que apresenta apenas androceu. . que apresenta androceu e gineceu. É uma flor estaminada.

Aclamídea ou nua: quando a flor é formada apenas por estames ou ovário. . É uma flor carpelada. androceu e gineceu). região receptiva para o pólen. Monoclamídea: Quando um dos envoltórios externos (pétalas ou sépalas) está ausente. Flores dic lam íde as.5 Flor unissexual diclina feminina. monocla mídeas ou aclamídeas Diclamídea: quando a flor é completa (sépalas. que apresenta apenas gineceu. No ápice do estilete encontra-se o estigma. pétalas. Gineceu É a parte feminina da flor. O gineceu. tipicamente consta do ovário e de um prolongamento. o estilete.

Car pe los Quando um único carpelo está presente. . ovário com óvulo no seu interior. O número de óvulos contido em cada lóculo é bastante variável e de grande importância para a identificação taxonômica da flor. Cada carpelo é monolocular. pode ser: Apocárpico: formado por vários carpelos livres entre si. Quando mais de um carpelo está presente. constituído por apenas um lóculo.6 Estrutura do gineceu de uma flor: receptáculo floral. O carpelo é cada compartimento (lóculo) do ovário que contém um ou mais óvulos. O gineceu apresenta um ou mais carpelos. O ovário é a porção alargada da base do carpelo que contém um ou mais lóculos. principalmente ao nível de família e subfamília. de acordo com o número de carpelos que o formam. estilete e estigma. isto é. dizemos que a flor possui um ovário simples. Sincárpico: formado por vários carpelos unidos entre si.

cada estilete conduz ao seu lóculo particular correspondente. apocárpico ou sincárpico. Pluricarpelar / Plurilocular: quando mais de um carpelo está presente. mas o conjunto de carpelos apresenta uma única abertura interna. e este carpelo apresenta apenas um lóculo. Neste caso. . Class ific ação quanto a o número de lóculos : Unicarpelar / Unilocular: quando apenas um carpelo está presente.7 Tipos de carpelos existentes nas flores: simples. cada estilete conduz ao mesmo lóculo comum. ou seja. Pluricarpelar / Unilocular: quando mais de um carpelo está presente. apenas um lóculo. Neste caso. e cada um dos carpelos apresenta um lóculo correspondente.

Flor de ovário ínfero. Esta mesma flor também é classificada como epígina. Posiç ão do ov ár io A parte feminina da flor. pluricarpelar / plurilocular. pluricarpelar / unilocular. . Semi-ínfero (ovário acima do plano do receptáculo. parcialmente envolto por ele. mas sem fusão). A flor pode ser: unicarpelar / unilocular. Caráter de importância taxonômica. pode ser classificado segundo a posição do ovário em relação ao receptáculo e a posição do hipanto em relação ao ovário. principalmente na classificação das ordens e famílias: Ínfero (ovário abaixo do plano do receptáculo). Súpero (ovário acima do plano do receptáculo). o gineceu.8 Classificação quanto ao número de carpelos e lóculos do gineceu.

que contém dois microsporângios (tecas).9 Flor de ovário semi-ínfero. Constituído pelo filete. . Esta mesma flor também é classificada como perígina. Esta mesma flor também é classificada como hipógina. O androceu consta do conjunto dos estames de uma flor. Androceu É a parte masculina da flor. Flor de ovário súpero. As duas tecas formam a antera e são reunidas entre si pelo conectivo.

unidas uma à outra pelo conectivo. O tapetum reveste cada saco polínico. mostrando os sacos polínicos com as células mãe no seu interior. que é formada por duas tecas. Constituído pela antera.10 Estame de uma flor. O conjunto fica na extremidade superior do filete. A antera é parte fértil do estame onde serão produzidos os grãos de pólen. o endotécio. Corte transversal de uma antera jovem. . Revestindo a antera externamente temos a epiderme e internamente.

Este é formado dentro do tubo polínico. Grão de pólen. formando dois anterozóides.A exina apresenta rugas que permitirão a fixação no estigma. quando o núcleo reprodutivo se divide. exina (revestimento externo) e intina (revestimento interno). Constituído por dois núcleos (o reprodutivo e o vegetativo). Ainda não é o gameta masculino do vegetal. . Grão de pó len .O grão de pólen é um esporo (micrósporo). . .11 Corte transversal de uma antera madura. para posterior fecundação.Célula binucleada (núcleo vegetativo e núcleo reprodutivo) cercada por duas membranas: a exina (mais externa) e a intina (mais interna). pelos poros. mostrando as câmaras polínicas com os grãos de pólen no seu interior.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->