P. 1
O Sistema Respiratório Dos Peixes

O Sistema Respiratório Dos Peixes

4.69

|Views: 51.911|Likes:
Publicado porPedro Afonso

More info:

Published by: Pedro Afonso on Nov 09, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/09/2013

pdf

text

original

Ao contrário de outros animais aquáticos

que possuem pulmões e por isso têm de vir frequentemente à superfície para respirar,

os peixes possuem brânquias (ou guelras) que lhes permite captar o oxigénio da água.

 Boca;  Brânquias ou guelras;  Cavidade branquial;  Fenda opercular,  Opérculos (na maioria dos peixes).

Para a entrada da água o peixe abre a boca (fechando o opérculo) e para a saída abre o opérculo (fechando a boca).

A água, depois de chegar à câmara branquial, banha as brânquias. Aí cede ao sangue o oxigénio dissolvido e recebe o dióxido de carbono, saindo, a seguir, pela fenda opercular.

A divisão das brânquias em muitas lamelas permite-lhes dispor de uma grande superfície de contacto, quer com a água quer com o elevado número de vasos sanguíneos que as irrigam, facilitando as trocas gasosas.

Apesar de todos os peixes terem brânquias, nem todos possuem opérculos. Os peixes cartilagíneos como os tubarões e as raias, têm fendas branquiais em forma de pregas.

As trocas gasosas que ocorrem nas brânquias dos peixes são semelhantes às que acontecem nos pulmões: a água expelida pelas aberturas operculares é mais pobre em oxigénio e mais rica em dióxido de carbono do que a que entra pela boca do peixe.

A hematose branquial consiste nas trocas gasosas que se efectuam nas brânquias. Parte do oxigénio dissolvido na água passa para as brânquias (e destas para o sangue) e o dióxido de carbono passa das brânquias (vindo do sangue) para a água.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->