OBJETIVOS GERAIS DE LÍNGUA PORTUGUESA – 1ºBIMESTRE Os Parâmetros Curriculares Nacionais indicam como objetivos do Ensino Fundamental que os alunos

sejam capazes de:  Conhecer e valorizar a pluralidade do patrimônio sócio-cultural brasileiro, bem como aspectos sócio-culturais de outros povos e nações, posicionado-se contra qualquer discriminação baseadas em diferenças culturais, de classe social, de crenças, de sexo, de etnia ou outras características individuais e sociais;  Posicionar-se de maneira crítica, responsável e construtiva nas diferentes situações sociais, utilizando o diálogo como forma de mediar conflitos e de tomar decisões coletivas;  Desenvolver o conhecimento ajustado de si mesmo e o sentimento de confiança em suas capacidades afetivas, físicas, cognitivas, éticas, estéticas, de inter-relação pessoal e de inserção social, para agir com perseverança na busca de conhecimento e no exercício da cidadania;  Utilizar as diferentes linguagens – verbal, matemática, gráfica, plástica e corporal – como meio para produzir, expressar e comunicar suas idéias, interpretar e usufruir das produções culturais, em contextos públicos e privados, atendendo a diferentes intenções e situações de comunicação;  Conhecer e cuidar do próprio corpo, valorizando e adotando hábitos saudáveis como um dos aspectos básicos da qualidade de vida e agindo com responsabilidade em relação a sua saúde e a saúde coletiva;  Questionar a realidade formulando-se problemas e tratando de resolvelos, utilizando para isso o pensamento lógico, a criatividade, a intuição, a capacidade de análise crítica, selecionando procedimentos e verificando sua adequação. OBJETIVOS ESPECÍFICOS  Ler automaticamente diferentes textos e selecionar estratégias adequadas para os abordar.  Reconhecer o tema central do texto;  Identificar o objetivo básico do texto;  Fazer uso correto do dicionário.

CONTEÚDOS ESPECÍFICOS Leitura, compreensão, interpretação e vocabulário.         Textos diversificados; Leitura e identificação de textos informativos; Histórias em quadrinhos; Identificação de parágrafos, características do ambiente; Seqüência lógica e idéia principal do texto; Reprodução oral; Resumo das idéias principais dos textos; Uso do dicionário.

ORTOGRAFIA – Conteúdos a serem trabalhados – Aspectos normativos          Alfabeto e ordem alfabética; Encontro vocálico e consonantal; Palavras com M antes de P e B; O som nasal (se dá com o M ou N no final ou com TIL); Tipos de frases; Palavras com QU/GU; Acento agudo, circunflexo; Palavras com S e SS; Gênero, grau e número de palavras.

GRAMÁTICA – Conteúdos a serem trabalhados – Aplicação dos aspectos normativos Silabas tônica (oxítona, paroxítona, proparoxítona); Dígrafos (CH, NH, LH, RR. SS, QU, GU); Emprego e uso dos acentos, identificando-os pelos sons e escritas; Emprego das pontuações em frases, identificando-os pelos sons e escrita;  Empregar palavras de coesão textual;  Frases: afirmativas, negativas, exclamativas e interrogativas.    

PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS  Despertar nas crianças o gosto pela leitura de histórias em seqüência e pequenos textos literários;  Listar o nome dos rótulos, manchetes, trazidos pelos alunos e pela professora;  Montar e demonstrar histórias em quadrinhos, fazendo com que as crianças recontem a história ou crie uma nova;  Aguçar a curiosidade em descobrir o significado de palavras novas, fazendo o uso do dicionário, aprendendo a grafia das palavras;  Escrita de frases fazendo uso dos sinais de interrogação, afirmação e ponto final;  Apresentação de textos diversificados para que os alunos os leiam (cartazes, livros, gibis, contos, fábulas, manchetes de jornais, cartas e bilhetes);  Leitura silenciosa de textos, destacando palavras novas, exercícios de interpretação das mensagens dos textos e das mensagens do cabeçalho expressas pelos alunos;  Observação, comparação e compreensão no que se refere à aquisição da base alfabética e do funcionamento dos sistemas de representação da linguagem escrita. CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO Os critérios de avaliação devem levar em consideração dos aspectos fundamentais: avaliação da aprendizagem dos alunos e a auto-avaliação do profissional da educação.  Narrar histórias conhecidas e relatos de acontecimentos, mantendo o encadeamento dos fatos e sua seqüência cronológica, ainda que com ajuda;  Demonstrar compreensão do sentido global de textos lidos em voz alta;  Ler de forma independente, textos cujo conteúdo e forma são familiares;  Escrever utilizando a escrita alfabética, demonstrando preocupação com a segmentação do texto em palavras e frases e com a convenção ortográfica.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA - Bragança, Isabela Capaneda Angiolina. Bem-te-li. BIBLIOGRAFIA DE APOIO PCN; Bragança, Angiolina. Porta de Papel. Almeida, Pailo Nunes de. Pipoca. Guedes, Dirce. Festa das Palavras.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS DE HISTÓRIA Espera-se que, ao longo do ensino fundamental, os alunos gradativamente possam ler e compreender sua realidade, posicionar-se, fazer escolhas e agir criteriosamente. Nesse sentido, os alunos deverão ser capazes de:  Organizar alguns repertórios históricos – culturais que lhes permitam localizar acontecimentos numa multiplicidade de tempo, de modo a formular explicações para algumas questões do presente e do passado;  Conhecer e respeitar o modo de vida de diferentes grupos sociais, em diversos tempos e espaços, em suas manifestações culturais, econômicas, políticas e sociais, reconhecendo semelhanças e diferenças entre eles;  Utilizar métodos de pesquisas e de produção de textos de conteúdo histórico, aprendendo a ler diferentes registros escritos, iconográficos, sonoros;  Valorizar o patrimônio sócio-cultural e respeitar a diversidade, reconhecendo-a como um direito dos povos e indivíduos e como um elemento de fortalecimento da democracia;  Questionar sua realidade, identificando alguns de seus problemas e refletindo sobre algumas de suas possíveis soluções, reconhecendo formas de atuação política institucional e organizações coletivas da sociedade civil. CONTEÚDOS ESPECÍFICOS  Conhecendo você - Dados pessoais - Linha do tempo  A família

- A vida em família - As necessidades da família - Árvore Genealógica  Famílias Indígenas Línguas e costumes diferentes Quem é o índio? Aldeia, aldeias O trabalho do índio Trabalho de homem, trabalho de mulher Ser criança Um pouco mais: pesquise e escreva os nomes dos grupos indígenas

 Datas comemorativas Dia do Livro – 15 de Abril Dia da Conservação do Solo- 18 de Abril Dia do Índio – 19 de Abril Tiradentes – 21 de Abril Descobrimento do Brasil – 22 de Abril

PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS Pesquisa sobre membros da família, seus hábitos e costumes; Oralidade e escrita de seus dados pessoais; Pesquisa das datas comemorativas do bimestre; Conversas informais sobre os membros da família, nascidos há mais tempo.

   

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO

Ao final do primeiro ciclo, depois de terem vivenciado inúmeras situações de aprendizagem, os alunos dominam alguns conteúdos e procedimentos. Para avaliar esses domínios, destacam-se de modo amplo, os seguintes critérios:  Reconhecer algumas semelhanças e diferenças no modo de viver dos indivíduos e grupos sociais que pertencem ao seu próprio tempo e espaço. Esse critério pretende avaliar se, a partir de estudos desenvolvidos, o aluno se situa no tempo presente e passado, reconhece diversidades e aproximações do modo de vida, de culturas, de crenças e de relações sociais, econômicas e culturais pertencentes às localidades de seu próprio tempo e localizadas no espaço mais próximo com quem convive (na escola, na família, na coletividade e em uma comunidade indígena de sua região).  Reconhecer a presença de alguns elementos do passado no presente, projetando a sua realidade numa dimensão histórica, identificando a participação de diferentes sujeitos, obras e acontecimentos de outros tempos na dinâmica da vida atual. BIBLIOGRAFIA BÁSICA - Ferreira, José Roberto Martins; Vieira, Vera Lúcia; Berbel, Márcia Regina; Duarte, Geni Rosa; Novo, Nanci L. Primeiras. Noções de História. BIBLIOGRAFIA DE APOIO - Lucci, Elian Alabi; Branco, Anselmo Lázaro. Viver e Aprender.

OBJETIVOS GERAIS DE GEOGRAFIA Espera-se que, ao longo de oito anos do ensino fundamental, os alunos construam um conjunto de conhecimentos referentes a conceitos, procedimentos e atitudes relacionados à Geografia, que lhes permitam serem capazes de:  Valorizar o patrimônio sócio-cultural e respeitar a sócio-diversidade, reconhecendo–a como um direito dos povos e indivíduos e um elemento de fortalecimento da democracia;  Fazer a leitura de imagens, de dados e de documentos de diferentes fontes de informação, de modo a interpretar, analisar e relacionar informações sobre o espaço geográfico e as diferentes paisagens;  Conhecer e saber usar procedimentos de pesquisa da geografia para compreender o espaço, a paisagem, o território e o lugar, seus processos de construção, identificando suas relações, problemas e contradições;  Identificar e avaliar as ações dos homens em sociedade e suas conseqüências em diferentes espaços e tempos, de modo a construir referenciais que possibilitem uma participação propositiva e reativa nas questões sócio-ambientais locais;  Compreender a espacialidade e temporalidade dos fenômenos geográficos estudados em suas dinâmicas e interações. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Espera-se que ao final do primeiro ciclo, os alunos sejam capazes de:  Saber utilizar a observação e a descrição da leitura direta ou indireta da paisagem, sobretudo por meio de ilustrações e de linguagem oral;

 Reconhecer no seu cotidiano, as referências espaciais de localização, orientação e distância, de modo a deslocar-se com autonomia e representar os lugares onde vivem e se relacionam;  Conhecer e começar a utilizar fontes de informações escritas e imagéticas, utilizando, para tento, alguns procedimentos básicos;  Conhecer e comparar a presença da natureza expressa na paisagem local, com manifestações da natureza presente em outras paisagens;  Reconhecer a importância de uma atitude responsável de cuidado com o meio em que vivem, evitando o desperdício e percebendo os cuidados que se deve ter na preservação e na manutenção da natureza. CONTEÚDOS ESPECÍFICOS  O lugar como parte da sociedade Origem Idade Sexo Cor Religião Profissão

 Família - Posição do aluno em relação a sua família. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS  Relatórios orais e escritos sobre os dados pessoais do aluno (filiação) - A história do nome do aluno (pesquisa previa com os pais par a obtenção de dados a esse respeito). - A comparação do nome da criança em relação aos pais, para entendimento do sobrenome.  Com quem a criança convive - Nome, idade, sexo das pessoas e o lugar ocupado na família. - Árvore genealógica com fotos das pessoas.

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO  Reconhecer algumas das manifestações da relação entre sociedade e natureza, presentes na sua vida cotidiana e na paisagem local;  Reconhecer e localizar as características da paisagem local e compará-la com as de outras paisagens;  Ler, interpretar e representar o espaço por meio de mapas simples.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA - Chianca, Rosaly Braga; Teixeira, Francisco M.P. Pensar e Viver Geografia. BIBLIOGRAFIA DE APOIO - Passos, Lucina; Fonseca, Albani; Chaves, Marta. Alegria de Saber.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS DE MATEMÁTICA  Indicar a posição dos números no quadro de valores;  Analisar, interpretar, resolver e formular situações problemas, compreender alguns significados das operações, em especial da adição e subtração;  Construir o significado do número natural a partir de seus diferentes usos no contexto social;  Localizar pessoas e objetos no espaço, fazer uso de pontos de referência;  Identificar unidades no tempo e utilizar o calendário com facilidade;  Identificar e reconhecer os números ordinais e cardinais. CONTEÚDOS ESPECÍFICOS            Leitura e escrita dos números naturais; Calendário: dias da semana, mês e ano; Ordem crescente e decrescente dos números naturais; Unidade, dezena e centena na adição e subtração; Dezenas e centenas exatas (valores); Decomposição e composição numérica; Problemas envolvendo adição e subtração; Números pares e impares; Números ordinais: leitura e escrita; Nomenclatura da adição e subtração e sinais convencionais; Dobro e triplo;

 Multiplicação por dois e três;  Antecessor e sucessor. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS  Reconhecer as ordens e classes que compõem o sistema de numeração decimal;  Atividades variadas de leitura e escrita, composição e decomposição dos números naturais;  Identificação de unidades de tempo (dia, semana, mês e ano), pela construção, uso e interpretação do calendário;  Análise, interpretação, solução e formulação de situações problemas, compreendendo alguns significados das operações: adição e subtração;  Contagem em escalas crescentes e decrescentes de um em um, de dois em dois,..., cinco em cinco, ..., dez em dez. etc., a partir de um número dado;  Observação de critérios que definem a classificação de números (maior que, menor que, estar entre) e de regras usadas nas seriações (mais um, mais dois, mais três, dobro, triplo, metade);  Utilização de diferentes estratégias para: quantificar elementos de uma coleção, identificar números em situações de contagens e medidas;  Reconhecimento dos números naturais no contexto diário. CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO A avaliação de matemática não deve mais se restringir ao julgamento sobre sucessos e fracassos dos alunos. Ela deve ser compreendida como um conjunto de práticas que tem a função de sustentar e orientar a intervenção pedagógica do professor. A avaliação de matemática é considerada como um suporte permanente na realização do trabalho do professor, subsidiando-o com informações para uma reflexão constante sobre a sua prática. Ela deve acontecer de forma contínua e sistemática, durante o ano letivo, com instrumentos e estratégias variadas e aplicados em vários momentos do processo ensino-aprendizagem. Essa avaliação diária dará condições ao professor de auxiliar seus alunos em sua aprendizagem e de reformular seu plano de ensino sempre que julgar necessário. A avaliação se dará:

 Pela observação e registro do professor em relação à participação, ao interesse, a autonomia na resolução de problemas, ao raciocínio usado, aos procedimentos de cálculos, etc;  Resolver situações, problemas utilizando conhecimentos relacionados aos números, aos significados das operações, por meio de estratégias pessoais ou convencionais;  Ler números e escrevê-los usando a representação simbólica para resolver e representar situações do cotidiano;  Ordenar quantidades e localizar números em sua seqüência ou em intervalos numéricos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA - Tosatto, Carla Cristina; Tosatto, Cláudia Miriam; Peracchi, Edilaine do Pilar F.; Estephan, Violeta M. Idéias e Relações nº 2. BIBLIOGRAFIA DE APOIO - Mori, Iracema. Viver e Aprender. - Bonjorno, Regina Azenha; Bonjorno, José Roberto. Pode Contar Comigo. - Teresa, Maria; Carmo, Maria do; Elisabete, Maria; Coelho, Armando. Coleção marcha Criança.

OBJETIVOS GERAIS DE CIÊNCIAS O ensino das Ciências Naturais deverá se organiza de forma que, ao final do ensino fundamental, os alunos tenham as seguintes capacidades:  Saber utilizar conceitos científicos básicos, associados á energia, matéria, transformação, espaço, tempo, sistema, equilíbrio e vida;  Formular questões, diagnosticar e propor soluções para problemas reais a partir de elementos das ciências naturais, colocando em prática conceitos, procedimentos e atitudes desenvolvidos no aprendizado escolar;  Compreender a saúde como bem individual e comum que deve ser promovido pela ação coletiva do conhecimento;  Saber combinar leituras, observações, experimentações, registros, etc, para coleta, organização, comunicação e discussão de fatos e informações. OBJETIVOS ESPECÍFICOS  Seres Vivos - Seres e suas necessidades - Características dos seres vivos

- Classificação dos objetos e seres vivos - Objetos que afundam e flutuam na água  Água Importância e necessidade a água para nossa sobrevivência Estudos físicos da água Cuidados com a água Onde encontramos a água

 O corpo humano - As partes: cabeça, tronco e membros - Os órgãos do sentido PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS            Textos escritos diversos; Gravuras xerocopiadas ou mimeografadas; Desenhos feitos pelos alunos; Recortes e pesquisas de revistas; Pintura; Cruzadinhas; Dobradura; Experiências dos estados da água; Observação do próprio corpo; Objetos diversos (materiais escolares e de uso doméstico); Comparação do consumo de água de um mês para o outro.

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO      Estabelece as posições relativas dos seres vivos e objetos; Reconhece os órgãos dos sentidos e suas respectivas funções; Reconhece o uso dos órgãos dos sentidos; Verifica as relações entre as partes externas do corpo e suas funções; Identifica as características da água para beber, os cuidados necessários para bebermos uma água saudável e a importância da água para a manutenção da saúde.

O aluno será avaliado no dia-a-dia, através de atitudes, ações e mudança de comportamento. BIBLIOGRAFIA BÁSICA - Trivelato, Sílvia; Trivelato, José. Na trilha da Ciência. BIBLIOGRAFIA DE APOIO - Marisco, Maria Teresa; Antunes, Maria Elisabete Martins. Marcha Criança.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS DE ARTES  Observar as relações entre o homem e a realidade com interesse e curiosidade, exercitando a discussão, indagando, argumentando e apreciando arte de modo sensível;  Buscar e saber organizar informações sobre a arte em contato com artistas, documentos, acervos nos espaços da escola e fora dela (livros, revistas, jornais, ilustrações, vídeos, cartazes). CONTEÚDOS ESPECÍFICOS  Utilizar o espaço de acordo com as possibilidades de seu corpo: altura, largura, flexibilidade;  Realizar movimentos ocupando os planos amplos e restritos;  Dominar o movimento de segurar o lápis, pincel, giz de cera, tesoura, etc;  Utilizar memória visual;  Conhecer o espaço, organizando os objetos em relação a um plano horizontal;  Distinguir os sons produzidos na sala de aula e fora dela;  Coordenar os próprios movimentos em relação aos movimentos em relação aos movimentos dos outros;

 Utilizar o corpo como fonte sonora, aproveitando-o como instrumento de percussão. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS  Envolver basicamente em conhecer, apreciar e refletir sobre as formas da natureza, articulando a percepção, a imaginação e a emoção, colocando a criança sensorialmente em tudo que fizer;  Trabalhar a emoção da criança, interagindo-a as variedades de arte (visuais, dança, música, dramatização), organizando o pensamento nas diferentes linguagens. Usando o corpo em atividades variadas, sentindo as formas, os sons, a dança, etc;  Fortalecer o auto confiança, quebrando bloqueios e inibições;  Possibilitar á criança todo e qualquer tipo de contato com a linguagem musical contextualizada a interpretações significativas das diversas culturas;  Favorecer ao aluno qualquer tipo de relacionamento, contato e informações sobre a Arte. CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO  A avaliação será em recurso através do qual o professor poderá fazer um diagnóstico da aquisição de conhecimento para poder dar continuidade ao processo de ensino aprendizagem e através da observação no decorrer das atividades desenvolvidas, considerando os avanços de cada um respeitando suas habilidades.  Serão analisados o interesse, envolvimento e o empenho nas atividades propostas, através de exercício de reflexão constante. Haverá possibilidade do aluno adquirir auto conhecimento e o professor o necessário ajustamento e aprimoramento de suas opções.

2º BIMESTRE OBJETIVOS ESPECÍFICOS – LÍNGUA PORTUGUESA  Participar em situações orais que requeiram: ouvir com atenção, intervir sem sair do assunto tratado, formular e responder perguntas, explicar e ouvir explicações;  Expressar e interpretar a vivência de diferentes formas de manifestação;  Escrever textos dos gêneros previstos para o ciclo, utilizando a escrita alfabética e preocupando-se com a forma ortográfica;  Reconhecer e nomear todas as letras do alfabeto;  Utilizar a linguagem oral, sabendo adequá-la a situações que requeiram conversas num grupo, expressar sentimentos e opiniões;  Compreender o sentido nas mensagens orais e escritas, saber atribuir significados. CONTEÚDOS ESPECÍFICOS Leitura, compreensão, interpretação e vocabulário.

        

Semelhanças e diferenças entre letras e palavras; Leitura de textos diversos; Discriminação de semelhanças e diferenças entre letras e palavras; Leitura de textos informativos; Identificação de parágrafos; História em quadrinhos; Textos diversificados; Seqüência lógica e idéia principal do texto; Uso do dicionário.

ORTOGRAFIA – Conteúdos a serem trabalhados – Aspectos normativos  Palavras com QU e GU;  Acento agudo e circunflexo;  Uso de dois pontos e travessão;  Reprodução de textos com diálogo, usando balões e travessão;  Escrever bilhetes;  Palavras com o M ou N no final com TIL. GRAMÁTICA – Conteúdos a serem trabalhados – Aplicação dos aspectos normativos      Frases: afirmativas, negativas, exclamativas e interrogativas; Manuseio do dicionário; Textos avulsos; Produção e interpretação de diferentes tipos de textos; Organização de parágrafos e sinais de pontuação.

PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS  Leitura silenciosa de textos, destacando palavras novas e exercícios de interpretação;  Recorte de palavras;  Introdução de técnicas de diálogo;  Observação entre textos narrativos com ou sem diálogo;  Produção e interpretação de diferentes tipos de texto;

 Leitura silenciosa de textos, dicionários, jornais e revistas, para que a criança enriqueça seu vocabulário e desperte o gosto pela pesquisa e aprenda a grafia correta das palavras. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Os Critérios de Avaliação das atividades propostas, o aluno deverá ser avaliado continuamente para verificar o seu real desenvolvimento, através de relatos, pesquisas e trabalhos coletivos.  Espera-se que o aluno, ao ler um texto ou ao ouvi-lo, demonstre ter compreendido de maneira global a não de forma fragmentada;  Espera-se que o aluno escreva textos alfabeticamente, preocupando-se com a ortografia, com parágrafos, acentuação e pontuação;  Espera-se que o aluno reconte oralmente as histórias que já ouviu ou leu e narre acontecimentos dos quais participou, procurando manter a ordem cronológica dos fatos. Essas atividades deverão ser realizadas com a ajuda do professor. BIBLIOGRAFIA BÁSICA - Bragança, Isabela Capanema Angiolina. Bem-te-li. BIBLIOGRAFIA DE APOIO PCN; Bragança, Angiolina. Porta de Papel. Almeida, Pailo Nunes de. Pipoca. Guedes, Dirce. Festa das Palavras.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS - HISTÓRIA Espera-se, ao longo do ensino fundamental, os alunos gradativamente possam ler e compreender sua realidade, posicionar-se, fazer escolhas e agir criteriosamente. Nesse sentido, os alunos deverão ser capazes de:  Organizar alguns repertórios histórico-culturais que lhes permitam localizar acontecimentos numa multiplicidade de tempo, de modo a formular explicações para algumas questões d o presente e do passado;  Conhecer e respeitar o modo de vida de diferentes grupos sociais, em diversos tempos e espaços, em suas manifestações culturais, econômicas, políticas e sociais, reconhecendo semelhanças e diferenças entre eles;  Utilizar métodos de pesquisas e de produção de textos de conteúdo histórico, aprendendo a ler diferentes registros escritos, iconográficos, sonoros;

 Valorizar o patrimônio sócio-cultural e respeitar a diversidade, reconhecendo-a como um direito dos povos e indivíduos e como um elemento de fortalecimento da democracia;  Questionar sua realidade, identificando alguns de seus problemas e refletindo sobre algumas de suas possíveis soluções, reconhecendo formas de atuação política institucional e organizações coletivas da sociedade civil. CONTEÚDOS ESPECÍFICOS  A Escola - Origem - Identificar as pessoas com as quais convivem na sala de aula e na escola. - Reconhecer as diferentes atividades desenvolvidas dentro da escola.  Direitos e deveres dos alunos  O trânsito  Datas comemorativas - Dia do trabalho - Dia das mães - Libertação dos escravos - Dia do meio ambiente - Dia de Anchieta - Festas juninas PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS  Conhecer a história da escola;  Conhecer as atividades de cada pessoa dentro da escola  Conversas sobre relacionamentos entre as pessoas que trabalham na Escola;  Conversas sobre relacionamentos entre as pessoas que trabalham na Escola;  Levantamento (listagem) dos Direitos e Deveres do Aluno;  Conscientização da importância do trabalho de todos.

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO Ao final do primeiro ciclo, depois de terem vivenciado inúmeras situações de aprendizagem, os alunos dominam alguns conteúdos e procedimentos. Para avaliar esses domínios, destacam-se de modo amplo, os seguintes critérios:  Identificar as pessoas e atividades exercidas por elas dentro da escola;  Identificar a importância de sua colaboração no relacionamento das pessoas que encontramos na Escola;  A criança deverá participar alegremente das comemorações na escola;  A avaliação é um processo contínuo e se mantém presente em todas as atividades dentro e fora da sala. A avaliação do aluno não se baseará exclusivamente em prova escrita, mas englobará o conjunto de atividades desenvolvidas pelo aluno. BIBLIOGRAFIA BÁSICA - Ferreira, José Roberto Martins; Vieira, Vera Lúcia; Berbel, Márcia Regina; Duarte, Geni Rosa; Novo, Nanci L. Primeiras. Noções de História. BIBLIOGRAFIA DE APOIO - Lucci, Elian Alabi; Branco, Anselmo Lázaro. Viver e Aprender. OBJETIVOS ESPECÍFICOS – GEOGRAFIA Espera-se que ao final do Primeiro Ciclo, os alunos sejam capazes de:  Relatar o caminho de casa até a escola, reconhecendo e tendo noção da distância;  Identificar sua escola, sua história, sua localização e suas pendências;  Identificar a posição, distância, direção e quantidade de objetos na sala de aula;  Relatar o caminho percorrido pelo sol: de manhã, ao meio dia;  Reconhecer as placas de trânsito e quais os cuidados que devemos tomar ao atravessar as ruas e avenidas.

CONTEÚDOS ESPECÍFICOS  Itinerário casa – escola - Identificar as pessoas com as quais convive na sala de aula e na escola.  Conhecer a história da escola, sua localização e dependências.  A sala de aula - Direitos e deveres na escola  O caminho para a escola e o trânsito - Semáforos - Faixas - Placas de sinalização - Guardas de trânsito  Nosso corpo como ponto de referência  Pontos cardeiais PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS  Importância da boa convivência do aluno na escola, com os colegas, funcionários e professores. - As regras a serem seguidas (deveres); - Os seus direitos a serem respeitados.  Localização da escola em seu município - O trajeto de sua casa até a escola; - As diferentes paisagens no trajeto casa – escola; - Pesquisa em família com determinadas perguntas elaboradas pelo professor.  O lugar de vivência do aluno - Observação da criança para posição e movimento do sol; - A relação do homem com a natureza. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

 Ao final do primeiro ciclo, os alunos devem ser avaliados de suas conquistas, numa perspectiva de continuidades aos seus estudos; A avaliação deve ser planejada relativamente aos conhecimentos e utilizada em estudos posteriores, estabelecendo alguns critérios, entre eles:  O aluno consegue relatar o trajeto de sua casa até a escola - O aluno reconhece a importância dos meios de transporte.  O aluno sabe observar, localizar e relatar onde fica sua escola, sua história e suas dependências. - O aluno identifica a sala de aula, a quantidade de objetos, localizando-os na escola.  Sabe relatar o caminho do sol - Sabe identificar o nascente e o poente; - Percebe que a luminosidade do sol muda durante o dia. BIBLIOGRAFIA BÁSICA - Chianca, Rosaly Braga; Teixeira, Francisco M.P. Pensar e Viver Geografia. BIBLIOGRAFIA DE APOIO - Passos, Lucina; Fonseca, Albani; Chaves, Marta. Alegria de Saber. OBJETIVOS ESPECÍFICOS – CIÊNCIAS Criar oportunidades para que a criança ganhe progressivamente capacidade de:  Compreender e relatar os acontecimentos que ocorrem diariamente em suas vidas levando-os a perceber acontecimentos que se repetem dia a dia, o movimento do sol;  Estudar os movimentos da terra e da lua através do planetário para que a criança perceba o dia e a noite, as estações do ano e as fases da lua;

 Entender e observar a posição do sol;  Ler e entender textos, conscientizando os alunos de que não se deve jogar lixo nas ruas e nem desperdiçar materiais plásticos para que não poluam a natureza;  Reconhecer processos e etapas de transformações de materiais recicláveis. CONTEÚDOS ESPECÍFICOS
 O Universo

- Os astros - Os planetas - O sistema solar  Modificação da Lua - Fases da lua - Movimentos da terra - Estações do ano  Cuidado com o lixo - Reciclagem do lixo - Materiais recicláveis  Eco – Educação – Secretaria da Educação - Projeto Animais e Florestas PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS Textos diversos, leitura e escrita; Desenhos feitos pelos alunos; Gravuras xerocopiadas ou mimeografadas; Relacionar os materiais que poluem o meio ambiente, rios e lagos; Relacionar os materiais que são recicláveis; Saber quais são os materiais que causam a poluição do ar, dos rios, do solo e o que fazer para evitá-las;  Cruzadinhas com os nomes dos planetas.       CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO

 Observar e mostrar ao aluno que: - Sem o sol não existiria vida no Planeta Terra; - O sol é a estrela mais próxima da terra.  Pedir aos alunos que desenhem as quatro estações do ano, mostrando as mudanças da temperatura, do clima, enfim, tudo que estiver relacionado com as mudanças da estação;  Levar o aluno a compreender a separação dos lixos recicláveis e quais as conseqüências da poluição no meio ambiente;  É importante que o aluno entenda através de desenhos a posição e o movimento do Planeta Terra em relação ao sol e a si mesmo. Isso permitirá que as crianças visualizem o que acontece no Universo em relação ao nosso sistema solar. O aluno será avaliado no dia-a-dia, através de atitudes, ações e mudanças de comportamento. BIBLIOGRAFIA BÁSICA - Trivelato, Sílvia; Trivelato, José. Na trilha da Ciência. BIBLIOGRAFIA DE APOIO - Marisco, Maria Teresa; Antunes, Maria Elisabete Martins. Marcha Criança.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS - MATEMÁTICA  Construir o significado do número natural a partir de seus diferentes usos no contexto social;  Localizar pessoas e objetos no espaço, fazer uso de pontos de referência;  Identificar unidades de tempo e utilizar o calendário com facilidade;  Indicar a posição dos números no quadro de valores;

 Analisar, interpretar, resolver e formular situações problemas, compreendendo o significado das operações, em especial da adição e subtração;  Identificar e reconhecer os números ordinais e cardinais. CONTEÚDOS ESPECÍFICOS               

Leitura e escrita dos números naturais de 200 a 450; Decomposição e composição numérica; Dezenas e centenas exatas (valores); Unidade, dezena e centena na adição e subtração; Nomenclatura dos elementos de uma adição, subtração, multiplicação e divisão; Tabuadas do 4 e 5; Números ordinais: leitura e escrita; Dobro e triplo; Antecessor e sucessor; Números pares e ímpares; Problemas envolvendo adição e subtração; Calendário: dias da semana, mês e ano, bimestre e semestre; Ordem crescente e decrescente dos números naturais; Divisão; Multiplicação; Projeto para II Mostra de Atividades Pedagógicas – A GEOMETRIA NO DESENVOLVIMENTO DE HABILIDADES.

PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS  Reconhecimento dos números naturais no contexto diário;  Leitura, escrita e ordenação numérica através da compreensão do mecanismo do sistema de numeração decimal, antecessor e sucessor;  Contagem em escalas crescentes e decrescentes de um em um, dois em dois, cinco em cinco, dez em dez, etc., a partir de um número dado;  Análise, interpretação, solução e formulação de situações problemas, compreendendo alguns significados das operações: adição, subtração e multiplicação;  Atividades variadas de leitura e escrita, composição e decomposição dos números naturais;

 Valer-se da escrita numérica, associando-se a materiais concretos (material dourado) para facilitar a identificação e entendimento da quantidade, posição e valor dos algarismos;  Reconhecer a divisão como idéia de repartir, distribuir, dividir e separar quantidades iguais, utilizando materiais concretos;  Reconhecer a multiplicação como a soma de parcelas iguais. CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO A avaliação de matemática não deve mais se restringir ao julgamento sobre sucessos e fracassos dos alunos. Ela deve ser compreendida como um conjunto de práticas que tem a função de sustentar e orientar a intervenção pedagógica do professor. A avaliação de matemática é considerada como um suporte permanente na realização do trabalho do professor, subsidiando-o com informações para uma reflexão constante sobre a sua prática. Ela deve acontecer de forma contínua e sistemática, durante o ano letivo, com instrumentos e estratégias variadas e aplicados em vários momentos do processo ensino-aprendizagem. Essa avaliação diária dará condições ao professor de auxiliar seus alunos em sua aprendizagem e de reformular seu plano de ensino sempre que julgar necessário. A avaliação se dará:  Pela observação e registro do professor em relação à participação, ao interesse, a autonomia na resolução de problemas, ao raciocínio usado, aos procedimentos de cálculos, etc;  Resolver situações, problemas utilizando conhecimentos relacionados aos números, aos significados das operações, por meio de estratégias pessoais ou convencionais;  Ler números e escrevê-los usando a representação simbólica para resolver e representar situações do cotidiano;  Ordenar quantidades e localizar números em sua seqüência ou em intervalos numéricos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

- Tosatto, Carla Cristina; Tosatto, Cláudia Miriam; Peracchi, Edilaine do Pilar F.; Estephan, Violeta M. Idéias e Relações nº 2. BIBLIOGRAFIA DE APOIO - Mori, Iracema. Viver e Aprender. - Bonjorno, Regina Azenha; Bonjorno, José Roberto. Pode Contar Comigo. - Teresa, Maria; Carmo, Maria do; Elisabete, Maria; Coelho, Armando. Coleção marcha Criança.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS – ARTE  Compreender e saber identificar aspectos da função e dos resultados do trabalho do artista, reconhecendo, em sua própria experiência de aprendiz, aspectos do processo percorrido pelo artista;

 Expressar e saber comunicar-se em artes, mantendo uma atitude de busca pessoal e /ou coletiva, articulando a percepção, a imaginação, a emoção, a sensibilidade e a reflexão ao realizar e fruir produções artísticas. CONTEÚDOS ESPECÍFICOS

 Coordenar os próprios movimentos em relação aos movimentos dos outros;  Utilizar expressivamente cada uma das partes do corpo, bem como suas articulações;  Distinguir sua participação de observador daquela em que atua (tanto quanto se movimenta como quando está parado);  Diferenciar e utilizar suportes (sulfite, cartolina, lixa, lousa, papel) em diferentes formas;  Reconhecer a relação entre representação e o objeto representado;  Reconhecer diferentes texturas e espessuras;  Cantar com maturidade, pronunciando bem as palavras, com a respiração correta. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS  Utilizar-se da constante mobilidade da criança para buscar conhecimentos de si mesma e daquilo que a rodeia (ações do seu cotidiano);  Perceber e distinguir sentimentos e sensações;  Possibilitar a criança todo e qualquer tipo de contato com a linguagem musical contextualizada e interpretações significativas das diversas culturas;  Construir o pensamento através de diferentes linguagens, jogos com músicas, com ritmo, etc. Utilizar-se da música, que é forma fundamental da expressão infantil para as crianças, por meio dela, tornarem-se ouvintes sensíveis, capazes de compreender e saber identificar “valores” importantes em que a música se inscreve no tempo e na história.  Favorecer ao aluno qualquer tipo de relacionamento, contato e informações sobre a Arte;

 Colaborar para que os alunos passem por um conjunto amplo de experiência de aprender e criar. CRITÉRIO DE AVALIAÇAO  A avaliação será de forma que o aluno compreenda e aprecie as atitudes como criação coletiva;  Reconhecer e valorizar o desenvolvimento pessoal em música, nas atividades de produção e apreciação, assim como na elaboração de conhecimentos sobre a música como produto cultural e histórico.

PROJETO – COPA DO MUNDO JUSTIFICATIVA

Resgatar os contratos de convivência humana, cidadania, respeitando diferenças entre culturas, respeito, regras e patriotismo. Trabalhar o espírito esportivo na criança. OBJETIVOS GERAIS • Conhecer a visão do mundo (vários países, costumes, bandeiras, localização no globo). • Apreciar o esporte, considerando alguns aspectos técnicos. • Trabalhar com espírito esportivo (mascote, músicas). • Estimular o hábito de leitura. • Adquirir mais conhecimentos sobre o futebol. • Desenvolver e estimular criatividade. • Estimular o gosto por esportes. DESENVOLVIMENTO • • • • • • • • • • • • Trabalhar com estimativa, gráficos de resultados dos jogos. Estimular o gosto pelo esporte. Mostrar para as crianças as diferenças dos horários (fuso-horário). Ensinar as regras do jogo de futebol. Trabalhar com músicas. Cruzadinhas Caça-palavras Localização dos países que estarão participando da copa. Pintura e desenho das bandeiras dos países. Recortes de jornais ou revistas. Pesquisas sobre os países que estão participando da copa. Leitura informativa

CULMINÂNCIA • Será desenvolvido o projeto simultaneamente. • Torneio de futebol de salão com a participação dos alunos. OBJETIVOS ESPECÍFICOS – LÍNGUA PORTUGUESA – 3º BIMESTRE

 Conhecer e saber manusear livros para sentir gosto pela leitura;  Despertar o gosto pela leitura, reconhecer os diversos tipos de textos, interpretando e compreendendo os significados das palavras desconhecidas;  Compreender que as histórias ouvidas ou faladas podem ser escritas com seqüências lógicas e reconstruídas coletivamente ou individualmente;  Compreender que as histórias ouvidas ou faladas podem ser escritas com seqüência lógica e reconstruídas coletivamente ou individualmente;  Compreender e assimilar as regras de comunicação. CONTEÚDOS ESPECÍFICOS

         

Grafia correta das palavras mais usadas; Leitura, compreensão, interpretação e vocabulário; Leitura de textos diversos; Interpretação e produção da idéia principal dos textos; Leitura de histórias em seqüências; Poesias sobre as datas comemorativas: Dia dos Pais, Folclore, Dia do Soldado, Primavera, Dia da Árvore; Usar corretamente a pontuação; Construção de vários textos usando sua própria linguagem; Produção de textos diversificados; Relatos, experiências individuais e coletivas.

ORTOGRAFIA – Conteúdos a serem trabalhados – Aspectos normativos Ordem alfabética; As silabas e suas junções; Ordenação de frases; Cruzadinhas e caça palavras.

GRAMÁTICA - Conteúdos a serem trabalhados – Aplicação dos aspectos normativos - Manuseio do dicionário; - Atividades com resolução de mensagens (decifrando códigos);

- Plural e singular de palavras e frases; - Saber usar a pontuação correta; - Parlendas, canções, quadrinhos, adivinhas, trava-línguas. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS  Leitura de textos variados para observação dos tipos de letras, palavras diferentes e seus significados (uso do dicionário), interpretando o que leu;  Reescrita de pequenas histórias a partir da leitura e interpretação de narrativas infantis;  Palavras e seus significados nos textos;  Manuseio do dicionário quando desconhecer o significado de palavras;  Produção de textos utilizando estratégias de escrita, planejar o texto;  Produção de textos coletivos e individuais. CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO Através da observação diária do aluno, verificar-se:  Expressa-se livremente, sabendo interpretar suas vivências de diferentes formas;  Demonstra assimilação e compreensão das regras de comunicação, saber falar e ouvir;  Demonstra interesse ao ler os diversos tipos de textos e interprete-os;  Conhece e manuseia os livros, demonstrando interesse pela leitura;  Revela familiaridade com a escrita, diferenciando e identificando símbolos, letras e palavras;  Percebe e compreende que a escrita representa a fala e utiliza as letras de acordo com seu valor sonoro convencional. BIBLIOGRAFIA BÁSICA - Bragança, Isabela Capaneda Angiolina. Bem-te-li. BIBLIOGRAFIA DE APOIO

-

PCN; Bragança, Angiolina. Porta de Papel. Almeida, Pailo Nunes de. Pipoca. Guedes, Dirce. Festa das Palavras.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS – HISTÓRIA Espera-se que, neste bimestre, os alunos sejam capazes de:  Perceber que a rua em que mora o aluno é seu ponto de referência, o local onde está situada a sua casa;  Gostar de participar das atividades comemorativas reconhecendo sua importância ou significado;  Entender as razões culturais que justificam as denominações de ruas no Brasil;  Reconhecer a história dos bairros, buscando sua origem e transformações. CONTEÚDOS ESPECÍFICOS  Bairro - As ruas e os quarteirões; - Como são formados os bairros; - A cidade e o campo.  Datas comemorativas do terceiro bimestre de acordo com o calendário escolar - Dia dos pais; - Dia do estudante; - Folclore; - Dia do soldado; - Dia da pátria; - Dia da árvore; - Semana do trânsito; - Início da Primavera. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS  Conhecer a rua em que o aluno mora, saber que cada rua tem seu nome;  Conhecer como são formados os bairros de nossa cidade;  Saber que a rua em que moramos é o ponto de referência do local onde está situada a sua casa;

 As datas cívicas e campanhas educativas serão comemoradas e desenvolvidas com leitura informativa, desenhos, pintura, colagens, músicas e poesias. CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO Ao final do primeiro ciclo, depois de terem vivenciado inúmeras situações de aprendizagem, os alunos dominam alguns conteúdos e procedimentos. Para avaliar esses domínios, destacam-se de modo amplo, os seguintes critérios:  Adquirir noção de tipos de bairros do nosso município e de cidades vizinhas;  Conceitos iniciais sobre a zona urbana e zona rural;  Noções de bairro comercial, bairro residencial e bairro industrial. Como a avaliação é um processo contínuo, devemos lembrar que a avaliação constitui um instrumento bastante complexo que deve ser utilizando como um precioso auxiliar do trabalho didático e não como algo destrutivo e inibidor do aprendizado. BIBLIOGRAFIA BÁSICA - Ferreira, José Roberto Martins; Vieira, Vera Lúcia; Berbel, Márcia Regina; Duarte, Geni Rosa; Novo, Nanci L. Primeiras. Noções de História. BIBLIOGRAFIA DE APOIO - Lucci, Elian Alabi; Branco, Anselmo Lázaro. Viver e Aprender.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS - GEOGRAFIA Identificar as características de diferentes tios de bairros; Observar as diferenças entre o que é rural e o que é urbano; Reconhecer que as condições dos bairros variam por diversos fatores; Discutir a problemática da construção de moradias em espaços públicos.

   

CONTEÚDOS ESPECÍFICOS Tipos de bairros, ruas e quarteirões; As moradias dos espaços rural e urbano; Os estabelecimentos comerciais; O lugar onde o aluno mora.

   

PROCEDIMENTO METODOLÓGICO  Mostrar que a rua em que mora o aluno é seu ponto de referência, o local onde está situada a sua casa;  Solicitar que os alunos anotem os endereços que traduzam referências individuais como a sua casa e referências coletivas como a escola;  Promover passeios ao redor da escola para analisar as condições de limpeza das ruas, praças e jardins;  Condições das construções;  Tipos de construções existentes nos bairros. CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO A avaliação deve ser planejada relativamente aos conhecimentos e utilizada em estudos posteriores, estabelecendo alguns critérios, entre eles:  Reconhecer e localizar as características da paisagem local e compará-la com as de outros locais;  Ler e interpretar o espaço por meio de mapas simples;

 Analisar se o aluno sabe observar e relatar onde fica a escola, sua história e dependências;  Observar se o aluno localiza-se no espaço onde vice, reconhecendo e relatando o que possui no seu bairro e na sua cidade. BIBLIOGRAFIA BÁSICA - Chianca, Rosaly Braga; Teixeira, Francisco M.P. Pensar e Viver Geografia. BIBLIOGRAFIA DE APOIO - Passos, Lucina; Fonseca, Albani; Chaves, Marta. Alegria de Saber.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS -CIÊNCIA Compreender que vivemos na terra, sua superfície; Identificar o que existe na superfície terrestre; Discriminar algumas rochas e minerais; Compreender a formação do solo; Identificar as diferentes espécies de plantas e o ambiente em que vivem; Observar a germinação e o desenvolvimento de plantas; Conhecer plantas que se desenvolvem a partir de sementes e mudas; Conhecer como as sementes se espalham.

       

CONTEÚDOS ESPECÍFICOS  Leituras informativas sobre plantas tóxicas;  Comparação de diferentes tipos de solo para identificar suas características comuns;  Presença de água, ar, areia, argila e matéria orgânica;  Estabelecer relação de dependência entre a luz e os vegetais (fotossíntese);  Plantar algumas sementes e mudas e observar a importância do ambiente adequado para sua germinação (água, ar, luz e calor) e perceber que cada ser vivo dá origem a um ser da mesma espécie;  Fazer uma listagem dos nomes de plantas, classificando-as em: medicinais, ornamentais, alimentícias, tóxicas e matérias primas. CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO  Verificar se o aluno utiliza de observação direta ou indireta e reconhecer que todo ambiente é composto por seres vivos, água, ar e solo, e que os diversos ambientes diferenciam-se pelos tipos de seres vivos e pelas características de solo;  Reconhece os perigos da ingestão de plantas tóxicas;  A importância das plantas na alimentação, remédios e matérias primas;  Reconhecer o solo como um sistema dinâmico onde ocorrem suas transformações;

 Reconhecer as plantas que se desenvolvem a partir de sementes e plantas que se desenvolvem através de mudas. O aluno será avaliado no dia-a-dia, através de atitudes, ações e mudança de comportamento. BIBLIOGRAFIA BÁSICA - Trivelato, Sílvia; Trivelato, José. Na trilha da Ciência. BIBLIOGRAFIA DE APOIO - Marisco, Maria Teresa; Antunes, Maria Elisabete Martins. Marcha Criança.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS – MATEMÁTICA  Identificar unidade de tempo e utilizar o calendário com facilidade;  Indicar a posição dos números no quadro de valores (até 800);  Favorecer o desenvolvimento das habilidades de observação, análise, raciocínio, julgamento, interpretação, síntese de concluir e de aplicar conclusões e conceitos na resolução de situações-problemas do cotidiano;  Ler e interpretar informações contidas em imagens variadas, incluindo o meio ambiente como enchentes, poluição e desmatamento. CONTEÚDOS ESPECÍFICOS  Leitura e escrita dos números naturais, números ordinais, pares e impares;  Calendário: dias da semana, mês e ano;  Ordem crescente e decrescente dos números naturais, antecessor e sucessor;  Unidade, dezena e centena na adição, subtração e multiplicação;  Dezenas e centenas exatas (valores);  Composição e decomposição numérica;  Problemas envolvendo adição e subtração, multiplicação e divisão;  Nomenclatura dos elementos da multiplicação e divisão e sinais convencionais. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS Relacionamento dos números naturais no contexto diário; Relacionar o termo dezena ao conjunto de 10 unidades; Compor e decompor numerais até 999; Identificar a 1ª, 2ª e a 3ª ordem dos numerais que correspondem à unidade, dezena e centena;  Reconhecer a utilização dos algarismos romanos em situações do cotidiano (mostradores de relógios, numeração de capítulos de livros, etc);    

    

Associar o termo unidade a cada elemento de um conjunto dado; Ler, escrever e representar com algarismos romanos numerais até 30; Concluir que a ordem dos fatores não altera o produto; Relacionar a multiplicação à adição de parcelas iguais; Interpretar e resolver problemas orais e escritos que envolvam multiplicação.

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO A avaliação de matemática nos fornece as informações relativas ao alcance global dos objetivos propostos. As atividades de revisão constituem exemplos da aplicação do processo de avaliação somativa. A partir dessas atividades, o professor terá condições ed ampliar, enriquecer e elaborar outras avaliações como forma de recuperar o aluno. Na avaliação será possível saber se o aluno:  Relaciona a multiplicação à adição de parcelas iguais;  Interpreta e resolve problemas de multiplicação;  Interpreta e resolve problemas que envolvem multiplicação ou divisão e sentenças matemáticas;  Reconhece, identifica e escreve números pares e números impares;  Efetua prova oral da multiplicação e divisa;  Lê e escreve corretamente os numerais até 999. BIBLIOGRAFIA BÁSICA - Tosatto, Carla Cristina; Tosatto, Cláudia Miriam; Peracchi, Edilaine do Pilar F.; Estephan, Violeta M. Idéias e Relações nº 2. BIBLIOGRAFIA DE APOIO - Mori, Iracema. Viver e Aprender. - Bonjorno, Regina Azenha; Bonjorno, José Roberto. Pode Contar Comigo. - Teresa, Maria; Carmo, Maria do; Elisabete, Maria; Coelho, Armando. Coleção marcha Criança.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS – ARTES  Expressar e saber comunicar-se em artes, mantendo uma atitude de busca pessoal e /ou coletiva, articulando a percepção, a imaginação, a emoção, a sensibilidade e a reflexão ao realizar e fruir produções artísticas;  Interagir com materiais, instrumentos e procedimentos variados em artes (artes visuais, dança, música, teatro), experimentando-os e conhecendo-os de modo a utilizá-los nos trabalhos pessoais. CONTEÚDOS ESPECÍFICOS  Utilizar o espaço de acordo com as possibilidades de seu corpo: altura, largura;  Realizar movimentos ocupando os amplos e restritos;  Apresentar domínio de movimentos ao modelo, ao montar, ao construir formas tridimensionais;  Cantar com naturalidade, pronunciando bem as palavras, com a respiração correta. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS  Perceber e distinguir sentimentos, sensações, idéias e qualidade, através de estudo das visualidades integrando as diversas culturas e no universo natural;  Favorecer ao qualquer tipo de relacionamento, contato e informações sobre a arte;  Oferecer ao aluno uma situação de aprendizagem com os valores e os modelos de produção artística de cada um, observando como ele se relaciona nas diversas formas de locomoção, de pensamento. Um espaço aberto à harmonia com ressonância espiritual;

 Educar a visão para aprender a ver e ouvir, começando por coisas elementares, fora da visão não há pensamento. CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO  Reconhecer e apreciar vários trabalhos e objetos de arte por meio das próprias emoções, reflexões e conhecimentos;  Valorizar as fontes de documentação, preservação e acervo de produção artística;  Reconhecer e valorizar o desenvolvimento pessoal em música, nas atividades e produção e apreciação, assim como na elaboração de conhecimentos sobre a música como produto cultural e histórico.

OBJETIVOS BIMESTRE

ESPECÍFICOS

LÍNGUA

PORTUGUESA

 O aluno fará no texto que produzir, a concordância ao comparar as variantes dialetais;  Fazer uma leitura lúdica da poesia ou da música;  Escrever textos dos gêneros previstos para o ciclo utilizando a escrita alfabética e preocupando-se com a forma ortográfica;  Os alunos deverão produzir textos com criatividade, seguindo uma seqüência lógica;  Deverá ter noção de parágrafo, travessão, ponto final;  Transcrever diálogos e reconhecer os diferentes tipos de balões. CONTEÚDOS ESPECÍFICOS Leitura, compreensão, interpretação e vocabulário.  Construção de vários textos usando sua própria linguagem;  Ser capaz de fazer sua própria correção, comparando com o texto correto;  Saber usar a grafia correta, a pontuação, acentuação e o travessão dentro de textos variados;  Relatos, experiências individuais e coletivas;  Leitura de textos informativos;  Uso do dicionário. ORTOGRAFIA – Conteúdos a serem trabalhados – Aspectos normativos  Receitas, instruções de uso, listas;  Ordem alfabética;

   

Parlendas, canções, poemas, quadrinhas, trava-línguas; Atividades com resolução de mensagens decifrando códigos; As silabas e suas junções; Jogos, cruzadinhas, caça – palavras;

GRAMÁTICA – Conteúdos a serem trabalhados – Aplicação dos aspectos normativos       Produção e interpretação de diferentes tipos de textos; Palavras com x; Emprego de regência verbal e concordância verbal e nominal; Dígrafos; Encontro vocálico e encontro consonantal; Palavras mudas.

PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS  Através de relatos individuais a professora irá observando as diferentes expressões lingüísticas e sua utilização em momentos diferentes de falar;  Através de histórias em seqüência, pequenas literaturas e manchetes, ir despertando nas crianças o gosto pela leitura;  Manuseio do dicionário para ampliar o vocabulário, aguçar a curiosidade e descobrir coisas novas;  Leitura de textos diversos (revistas, gibis, livros, obras literárias para recreação e para produção de histórias através de desenhos);  Leitura de anúncios e classificados (emprego, venda de produtos diversos);  Leitura de textos sem pontuação e discutir a importância da mesma. CRITÉRIO DE AVALIÇÃO Através da observação diária do aluno, verificar se:

 Nas atividades propostas, o aluno deverá ser avaliado continuamente para verificar o seu real desenvolvimento, através de relatos, pesquisas, entrevistas e trabalhos coletivos;  Demonstrar compreensão do sentido global de textos lidos em voz alta;  Escrever utilizando a escrita alfabética, demonstrando preocupação com a segmentação do texto em palavras e em frases e com a convenção ortográfica.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA - Bragança, Isabela Capanema Angiolina. Bem-te-li. BIBLIOGRAFIA DE APOIO PCN; Bragança, Angiolina. Porta de Papel. Almeida, Pailo Nunes de. Pipoca. Guedes, Dirce. Festa das Palavras.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS - HISTÓRIA Espera-se que neste bimestre os alunos sejam capazes de desenvolver:  A capacidade de reconhecer e relacionar os fatos geográficos, históricos, políticos e sociais nas escolas locais, regionais e nacionais;  O pensamento crítico diante dos problemas sociais, políticos e econômicos;  Habilidades de estudo e pesquisa;  Entender o processo histórico de produção e desenvolvimento do trabalho, desde a pré-história até os dias atuais. CONTEÚDOS ESPECÍFICOS  O trabalho no Município  O trabalho no campo - Agricultura - Pecuária  O trabalho na cidade  O trabalho na Indústria - Matéria prima - Produtos Industrializados - Tipos de Indústria  O governo no Município

- Os serviços públicos  Datas comemorativas - Semana da Criança - Dia do professor - Dia do aviador - Proclamação da República - Dia da Bandeira PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS  As datas cívicas e campanhas serão comemoradas e desenvolvidas conforme sua época, em cada bimestre com a leitura informativa, desenhos, pinturas, colagens, músicas e poesias;  Relatos sobre os produtos naturais, que vem direto da natureza (matéria prima) e os produtos industrializados;  Atividades que estimulam o desenvolvimento do raciocínio e assimilação e conhecimentos novos;  Observação de rótulos de produtos industrializados como: nome do produto, a matéria prima utilizada. CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO O processo de avaliação visa detectar os pontos que precisam ser novamente trabalhados. Para isso o professor deve acompanhar de perto tanto a participação oral quanto à produção escrita do aluno.  Participar das atividades comemorativas, reconhecendo o significado delas;  Reconhece os produtos consumidos industrializados e os nomeia;  Pesquisa para que o aluno saiba como é a sua cidade, o que há nela, quem são seus governantes, quais os serviços públicos existentes. A avaliação é um processo contínuo e se mantém presente em todas as atividades dentro e fora das salas de aula. BIBLIOGRAFIA BÁSICA

- Ferreira, José Roberto Martins; Vieira, Vera Lúcia; Berbel, Márcia Regina; Duarte, Geni Rosa; Novo, Nanci L. Primeiras. Noções de História. BIBLIOGRAFIA DE APOIO - Lucci, Elian Alabi; Branco, Anselmo Lázaro. Viver e Aprender.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS – GEOGRAFIA  Reconhecer os equipamentos urbanos necessários a uma boa qualidade de vida;  Perceber que a conservação dos espaços públicos requer uma responsabilidade compartilhada;  Compreender que as melhorias nas condições de vida, os direitos políticos, os avanços técnicos e tecnológicos e as transformações sócioculturais são conquistas decorrentes de conflitos e acordos, que ainda não são usufruídas por todos os seres humanos. CONTEÚDOS ESPECÍFICOS  Meios de transporte - Aéreo - Aquático - Terrestre  Os meios de comunicação  O trabalho no Município O trabalho na zona urbana O trabalho na zona rural A indústria O comércio

PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS  As diferenças entre o bairro e outro (urbano e rural);  Exploração de outros lugares ou bairros que as crianças conheçam, mostrando outras situações e estabelecendo comparações;  Os meios de transportes que conhecem, os mais lentos, os mais rápidos, etc;  Pesquisa para conhecer quem são os governantes da cidade, quais os serviços públicos existentes;  Os meios de comunicação mais usados. OBJETIVOS ESPECÍFICOS – CIÊNCIAS  Valorizar atitudes e comportamentos favoráveis à saúde em relação à alimentação e à higiene pessoal, desenvolvendo responsabilidade e o cuidado com o próprio corpo e com os espaços que habita;  Observar e identificar algumas características do corpo humano e alguns comportamentos nas diferentes fases da vida, no homem e na mulher, aproximando-se da noção de ciclo vital do ser humano e respeitando as diferenças individuais;  Reconhecer que algumas plantas são tóxicas e que animais podem picar ou morder, prejudicando a nossa saúde;  Reconhecer os cuidados necessários caso ocorra acidentes ou ingestão de algum liquido venenoso;  Reconhecer e conscientizar-se da necessidade de preservar a natureza para melhoria da qualidade de vida;  Perceber a utilidade do ar para os vegetais e para os animais, inclusive o ser humano. CONTEÚDOS ESPECÍFICOS  Os animais - Onde vivem os animais - De que se alimentam os animais - Classificação dos animais vertebrados e invertebrados

-

Os mamíferos As aves Os répteis Os anfíbios Os peixes

 Animais Invertebrados - Como nascem e se desenvolvem os animais - Metamorfose - Os animais e o homem - Animais domésticos e animais selvagens - Animais ameaçados de extinção  Crescimento e desenvolvimento humano - Alimentação - Primeiros socorros - Doenças transmitidas através da água PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS  Esclarecer que atualmente os zoológicos têm funções importante na preservação de muitas espécies de animais em extinção;  Pedir aos alunos para desenharem ou colarem no caderno, figuras de animais mamíferos, vertebrados e invertebrados;  Comentar que certos peixes como os tubarões, as raias e os cações são vertebrados, apesar de terem o esqueleto formado por cartilagem e não por ossos;  Os alunos devem perceber que o que caracteriza os animais vertebrados é a presença da coluna vertebral;  Pedir aos alunos para fazerem uma pesquisa sobre as fases da vida humana;  Orientar os alunos para que façam uma alimentação sadia e também os cuidados na proteção e conservação dos alimentos. CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO  Observar, descrever e comparar animais e vegetais em diferentes ambientes, relacionando suas características ao ambiente em que vivem;

 Identificar e descrever algumas transformações do corpo e dos hábitos de higiene, de alimentação e atividades cotidianas do ser humano nas diferentes fases da vida;  Os alunos, em grupos, podem representar cadeias alimentares em cartazes, mostrando como o ser humano pode interferir nessas cadeias e alterar o meio ambiente;  Ressaltar que a maioria dos mamíferos é vivípara, isto é, os embriões se nutrem e se desenvolvem no interior do útero da fêmea. BIBLIOGRAFIA BÁSICA - Trivelato, Sílvia; Trivelato, José. Na trilha da Ciência. BIBLIOGRAFIA DE APOIO - Marisco, Maria Teresa; Antunes, Maria Elisabete Martins. Marcha Criança.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS – MATEMÁTICA  Interpretar e produzir escritas numéricas, levantando hipóteses sobre elas, utilizando da linguagem oral de registros informais e de linguagem matemática;  Desenvolver procedimentos de cálculo mental, escrito, exato, aproximado pela observação de regularidades e de propriedades das operações e pela antecipação e verificação dos resultados;  Reconhecer grandezas mensuráveis como comprimento, massa, capacidade, e elaborar estratégias pessoais de medida;  Utilizar informações sobre tempo e temperatura;  Associa, escrever e interpretar informações contidas em listas, tabelas e gráficos;  Resolver problemas e construir o significado das operações fundamentais, buscando reconhecer que uma mesma operação está relacionado a problemas diferentes e um mesmo problema pode ser resolvido pelo uso de diferentes operações. CONTEÚDOS ESPECÍFICOS  Leitura de horas, comparando os relógios digitais e ponteiros;  Simetria em figuras planas e não planas;

 Leitura escrita e ordenação numérica através e compreensão do mecanismo do sistema de numeração decimal, antecessor e sucessor;  Reconhecer a multiplicação como a soma de parcelas iguais;  Utilizar cédulas e moedas na resolução de problemas práticos, efetuando compras e vendas, dar troco, pagar prestações;  Reconhecer números pares e impares em situações do cotidiano. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS  Compreender o princípio do sistema de numeração decimal utilizando diferentes estratégias que facilitem a contagem estimativa, correspondência de agrupamento até chegar a troca de dez por um;  Exercícios variados de leitura, composição e decomposição de números;  Reconhecer ordens e classes que compõem o sistema de numeração decimal;  Efetuar a adição e reconhecer suas propriedades;  Reconhecer a multiplicação como soma de parcelas iguais;  Reconhecer a divisão como idéia de repartir, distribuir, dividir e separar quantidades iguais, utilizando materiais concretos. CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO A avaliação nos fornece as informações relativas ao alcance global dos objetivos propostos. As atividades de revisão constituem exemplos da aplicação do processo de avaliação somativa. A partir dessas atividades, o professor terá condições de ampliar, enriquecer e elaborar outras avaliações como forma de recuperar o aluno. Na avaliação será possível saber se o aluno:  Resolve situações-problema que envolvam contagem e medida, significado das operações e seleção de procedimentos de cálculos;  Lê e escreve números utilizando conhecimentos sobre a escrita posicional;  Resolve problemas de multiplicação;  Resolve situações-problema que envolvam operações de subtração e divisão e domine as técnicas operatórias;  Resolve problemas que envolvam contagem utilizando números e as horas, e compreenda o significado das operações;

 Observa e reconhece a duração e sucessão dos dias da semana, meses e ano. BIBLIOGRAFIA BÁSICA - Tosatto, Carla Cristina; Tosatto, Cláudia Miriam; Peracchi, Edilaine do Pilar F.; Estephan, Violeta M. Idéias e Relações nº 2. BIBLIOGRAFIA DE APOIO - Mori, Iracema. Viver e Aprender. - Bonjorno, Regina Azenha; Bonjorno, José Roberto. Pode Contar Comigo. - Teresa, Maria; Carmo, Maria do; Elisabete, Maria; Coelho, Armando. Coleção marcha Criança.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS – ARTES  Observar as relações entre o homem e a realidade com interesse e curiosidade, exercitando a discussão, indagando, argumentando e apreciando arte de modo sensível;  Compreender e saber identificar aspectos da função dos resultados do trabalho do artista, reconhecendo, em sua própria experiência de aprendiz, aspectos de processo percorrido pelo artista. CONTEÚDOS ESPECÍFICOS  Dominar o movimento de segurar o lápis, pincel, giz de cera, tesoura, etc;  Reconhecer as relações entre os objetos: direção, tamanho, profundidade;  Reconhecer diferentes texturas e espessuras;  Rasgar, colar, recortar e montar diferentes formas;  Distinguir sons produzidos na sala de aula e fora dela;  Identificar e utilizar os elementos rítmicos.

PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS  Variar nos desenhos livres, exposição de cartazes, explorando a criatividade do aluno;  Educar a visão para aprender, ver e ouvir, começando por coisas elementares fora da vista não há pensamentos;  Noções de geometria com desenhos, pinturas, recortes, dobraduras, montagens, colagens e conservação do material na sala de aula;  Desenvolver na criança a compreensão de sua capacidade de movimento, através da arte da dança. CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO  Estabelecer relações com o trabalho de arte, produzindo por si e por outras pessoas, sem discriminação artística, étnica e de gênero;  Interessar-se pela dança como atividade coletiva;  Compreender o teatro como ação coletiva;  Compreender e apreciar as diversas formas de teatro produzidas nas culturas;  Compreender a música como um produto cultural histórico em evolução.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful