Você está na página 1de 11

REGIAO

AUTÓNOMA

DA

MADEIRA

CANAVIAIS, AÇUCAR E ENGENHOS

BlBLIOGRAFIA FUNDAMENTAL

A bibliografia sobre a temática é vasta. Desde o século XVIII que se

i

sucedem inúmeros estudos que procura aclara a História das culturas da cana

sacarina e beterraba,

transformação do fabrico trazidos pela Química. A incidência desta produção

literária tem a ver com o empenho de cada pais ou império na produção e comércio de açúcar. É em língua inglesa que encontramos o maior número de publicações, mas também não é desprezível o numero no idioma alemão e

francês, A maior parte dos que escrevem sobre o tema, mesmo sobre a História,

estão de uma forma ou de outra, envolvidos profissionalmente com a cultura e indiistria. É no campo da Engenharia Química e da Agronomia que eiicontrainos o maior número de estudiosos e de estudos. No domínio da História sobressaem dois autores, como clássicos da abordagem da matéria. Edrnond von Lippmann, químico alemão publicou em

1890 a sua História, que teve várias edições (1 929, 1934, 1938) e uma tradução

no Brasil (1941-42). Noel Derr ficou conhecido pela "History of Sugar",

publicada em 1949-50, mas não deverá esquecer-se os contributos no âmbito da

química e tecnologia. Para periodos mais recentes temos o texto de J. H. Galloway (1989), os encontros de ~otril'e do ~unchal~,que culminaram em

das tecnologias usadas e

dos

novos

processos

de

': Publicaram-se seis volumes: Actas del Primer Semimrio Internacional. La C.aE:ana de

Tiempos de 10s Grandes Descubrimientm, 1450-1550, Motríl, 1990. Actas de/ Segundo

Seminario Internacional. Lo Cak de Azucar en e1 Mediterrâneo, Motril 199 1. Actas de1 Tercero

AzJcar en

i Serninorio Inte~.laacional.Prod~lcciÓny comercio del Anicar de Cak en Época Preindirstrial.

1993, Actas de1 Quarto Seminario InternrmcionaL1492 Lo Dulce a la Conquista de

Europa, Motril, 1994. Actas de1 Quinto Seminario 1nternacional.Paisajes de/ Azucnr, Motril.

Motril,

1 1995. Actm de1Sexto Seminario Internacional. Agun Trnbajoy Azucar, Motril, 1996.

2003 com a criagão da Associação Internacional de Hisfóriu e Civilizaqão

Açúcar, com sede no Funchal.

O acervo bibliográfico da História da cultura e fabrico do produto é o qu

assume menor dimensão no conjunto da bibliografia existente. Maior incidência

foi dada a partir de meados do século XIX as questões que se prendem com a

Agronomia, Tecnologia e Quimica. E nos dois últimos domínios que a profusão de estudos surge, tendo como factor dinamizador a beterraba. Foi o uso da nova i cultura para o fabrico do açúcar que eu o arranque definitivo para os estudos e avanços tecnol6gicos e químicos. A temática qucareira mereceu um desusado interesse do inercado editorial a partir do século XVIII. O período que decorre entre finais da centúria oitocen- tista até h segunda Guerra Mundial foi crucial para a evolução da História do produto, marcada pela evolução tecilológica e consoljdação das principais áreas produtoras. Este interesse foi também marcado por projectos de investigação em diversas áreas. Para isso surgiram complicações de textos de bibliotecas espe- cializada~,como é o caso da Biblioteca do congresso3, do Museu Tecnológico de praga4. A estes somam-se as primeiras tentativas de compilação exaustiva dos títulos publicados5.Esta orienhção bibliográfica tem merecido nos últimos anos nova valoração no debate cientifico. As análises criticas da bibliografiaGe

Alberta Vieira, coord.: Escravos com e sem nçaicar. Funchal:

CEHA,1996; IDEM,

Hisboria e tecnologia do uçricrar. Funchal (Madeira): CEHA,2000. IDEM: História do nçricar. Rotas e mercados. Funchal (Madeira): CEHA,2002.

MEYER, Hermann Henry Bernard, Selecf lisa of Refemnces, on sugar. chiefiy in its

Econohic A~spects,Washington, Gov. printing Office, 19 10 STEINEROVASvatava, Bibliografie Dejin cs. cubovarniclvi, Praga, Rozpravy Nhodniho Technického Muse% 1965.

the Literature of Sugor. A book of Referente Jbr

Chemists. Botanists, Librarians, Manufacturers and Plunters, Wifhcomprehensive Subject index,

Londres, Kegan Pau[, Trench, Trubner & Co., Limited, 1890, SANDOVAL. Bernando Sartc?lomé.

' ROTH, Henry Ling A

Guide of

1954.

MORENO FRAGINALS, Manuel. The sugarmil/: the socioeconomic conlplex of'seigar ia Cubo.

Bib/iogrofia General de1 AzUcar, México, Uni611Nacional de Productores de Azúcar, S.A

1760-1860. Trmslated by Cedric Beifrage. New York,

Monthly Review Press

[c19761 -E/

Ingenio. Complejo económico social cubano de1 anícar.Tomos 3. Editorial de Ciencias Sociales. La Habana. 19783 vols. (In ed., 1968). MOCOSO, Francisco, Ingenios, Producción y Comercio de1 Azúcar. Andalucia, e1 Atlântico, ei Caribe y Brasil. Bibliografia General, Revista de1 Cenfro de Investigaciones Histbricas, 1O(Rio Pedras-I 998),237-268. RAMOS, Pedro, A Agroindustria Canavieira do Brasil.

Referencial Historiográfico, Temas e Fontes, Fuentes y A1guno'~Problemas Interpretativos.

11(México, 19991, 59-72,

SCHARRER TAMM, Beat~iz,Fuentes para e1 Estudio de Ia Tecnologia Azucarera. Siglos XVII y

XVIII, Fuidentes y Algunos Problemas Interpretativos. Amirica Latim en ia Historia Económica.

Boktín de Fuentes, 11 (Mbico, 1999), 25-34. CAMPI, Daniel, Maria CeIia Bravo, La Agroindustria Azucarera Argentina. Resumen Historiográko y Fuentes, Fuenfes y Algunos

Problemas Interpretativos, América Latim en Ia Historio Econón~icu.Bolefin de Fuentes, I I

América Latina

en

Ia

Historia Económica.

Boletim de

Fuentes,

(Mkxico, 19991, 73-94.

o estudo biográfico dos principais especialistas7,que nos legaram obra tem sido uma constante. Na actualidade a mais importante referência dos estudiosos da

temática é o World Sugar Newslebter publicado por Jock Galloway, de forma bienal, desde 1982, que vai no niimero 34'.

A bibliografia é extensa mas reduzido o número de títulos que merece a

atenqão de todos. São textos fundamentais que todos nós nos sentimos na obri-

gação de manusear na hora de iniciar qualquer estudo especializado sobre a

temática. Os séculos XVIII e XIX revelam-nos os primeiros títulos, de que des- tacamos os mais referenciados: Andre João AntoniI[1649 ou 50-171619,Jean

Baptiste ~abat'*(1663- 1738), Henri Louis de ~onceau"(1 700- 178 1), Jacques

François Dutrone de la ~onturel*(1 749-1 8 141, C. R. ~orter'~( 1 792- 1 852),

A. ~ubrufaut'~(1 797- 188 1), Alvaro

'

~eynoçci~~(1 829-1 8881, Guilford Lawsoi~

Oscar Zanotti Lecuona e outros,,Noel Deerr en lã Guagana Británica, Cuba y Puerto Rico

( 1897-1921) Revista Mexicana de1 Caribe, 11 (2001), 57- 154.

'

0s nomeros 1-25(1982- 1997) estão disponiveis na Interna: http:llwww.chass.utoronto.

caí-blancharlwshd

ANTONIL,

Andre João, Cultura

e

opnlencia

do

Brasil

Lisboa: Oficina Real

Deslandesiana, 171 1. IDEM. Cultura e opuiemia do Brasil por suas drogas e minas / com anotações de Orlando Valverde. Rio de Janeiro: IBGE1Conselho Nacional de Geografia 1963.

IDEM, Cultura e opulencia do Brasil / com um estudo biobibliografico por Affonsa de E.

Taunay; nota bibliografica de Femando Sales; vocabulario e indices antroponirniw. toponimico e de assuntos de Leonardo Arroyo. -2. ed. - Brasilia: INL; São Paulo: Melhoramentos. 1976. Idem. Cultura e opulência do Brasil I Jogo Antonio Andreoni; introd. e vocabulario por a. P. Canabrava. - S%oPaulo: Cornp. Ed. Nacional, 1967. 3 16 p.: il. - Reprduçb &similar da folha de rosto e texto da edição de 17 1 1, publicado em Lisboa. 'O LABAT, Jean Baptiste [1663-17381, Du Sucre & de Tout ce qui Garde sa Fabrique & ses

Differentes Especes, in Nouveau voyage aux Isles de I 'Amerique, Paris, 1724.

'' MONCEAU, Henri Lortis Duttameider, I 'Art de Rafiner !e Sucre, Paris. 1764.

''DUTRONE DE LA COUTURE. Jacaues-Franwis. 1749-1 814. Pwcis sur ia canm et sur

.

.

Ies moyens d'en extraire [e sei essentieel. suivi de plusieurs memoires sur le snicre, sur /e vin de

canne

&

sur I'etai achrel de Saint-Domingue

A

Paris, Chez Duplain

1790 (segunda ediqfiu

em 1791).

13 PORTER. George Richardson, 1792-1852. The nature and properties of the sugar cone:

with practical directions for ihe improvement ofits cultures, and lhe manufacture ofits products.

Philadelphia, Carey & Lea, 183111London, Smith, Elder and co., 1843.

l4 DUBRUNFAUT, Augustin Pierre, 1797-1 881

Art de fabriquer ie sucre de bettemves:

contenant

cette racine:

avec de grah avaritages: snivi d'un essai d'maíyse chimique de Ia betterave propre a ecluirer Ia theorie des operations gui onr pour objet d'en separer Ia matiere mcree, Paris: Bachelier, 1825.

'' REYNOSO, Alvaro, 3829-1889. Ensayo sobre a1 cultivo de Ia cana de amcar, La Habank Impr. De1 Tiempo, 1862. [La Habana, 19631, IDEM, Ensayo sobre e1 culiivo de iu cana

de azucar. 2. ed. correg. y aum. - Madrid: Imp. y Estereotipia de M. Rivadeneym 1865. IDEM'

Ia descri;orion des meilieures rneihodes usitees pour la cufture ei Ia conservulion de 1'expmi:ion detaillee des procedes et appareils utiles pour en extraire le sucre

spencerI6 (I 858-1925), Edmund Oskar von

~i~rnann"(1857-1940),

~eerr"(1874-1953), H. C. Prinsen ~eerli~s'"l864-1953),P. Horsin D

(1902). Para os trabalhos mais recentes podemos salientar Jock Gallow

Sidney ~inti?~e Jose Perez ~idal~~.

Emayo sobre el Cultivo de Ia Cana de Azúcar, Paris, 1878 (I0 1865}, IDEM, Ensayo sobre cultivo de !Q cam de amcar I por Alvaro Reynoso: prologo por Pelayo Garcia. -4. ed. corr. y aurg

- Habana: [s.n.], 1925. l6 SPENCER, Guielford, Cane Sugar Handbook New York, 1945 (1"ed., 1889). " LIPPMANN, Edmund 0. von (Edrnund Oskar), b. 1857. Geschichte des zuckers seit deii

dltesten zeifen bis zum beginn der rübenzucker-fabrihtion; ein beitrag zui. kulturgeschichte, von

professor dr. Edmund 0. von Lippmann

A primeira foi Leipzig, Hesse, i8901. IDEM, Geschichte des Zuckers seit den altesten Zeiren bis zum Beginla der Rubemucker-Fubrikation: ein Beitrug zur Knilturgeschfchte, Niedenvalluf bei Wiesbaden: Martin Sadig, 1970. 11" ed. Em 1890, com acrescentos nas edições de 1934. 19383 Idem, Historia do açucar desde a época mais remota até o começo da fabricação do açucar de beterraba, 2 vols. Traduçb de Rodolfo Coutínho, edição do Instituto do açucar e do alcool. , Imprint Rio de Janeiro, 1942. Ia DEERR, Noel, Cone sugar: a kxt-book on lhe sugor cone, the manufacture of cwe sugar

and tlne amlysis of sugar hoarse products, altrincham, Eng. : Norman Rodger, 1911. IDEM, Classic papers ofn sugar cane technologist I compiled by John Howard Payne. Amsterdam: New York: Elsevier; New York, N.Y.: Distributors for the U.S. and Canada, Elsevier Science Pub. Co., 1983.1DEM, Histoty ofsugur. 2 vois, Londres, Chapman and Hall, 1949-1950. j9 GEERLIGS, H. C. Prinsen, The Worid's Cone Sugar Indnrstqy - Pmt and Present, Manchester, 1912. IDEM. Cane sugar a& its manufacture London: N. Rodger, 1909,1924. IDEM.Chemical conirol in cane sugar factories, Rev. and enl. ed. - London: N. Rodger, 1917. IDEM. Methods of chemical control in cane sugar factories, Altrincham, Manchester: Norman Rodger, 1905. idem, Practical whife sugar manufacture, or. the manufacture ofplantution white sugar directlyfrom the sugar cane London: N. Rodger, 1915. 20 HORSiN-DEON, Paul, -1902. h sucre et I'industrie sncriere : sucre de bete~ruve.sucre de canne, raflmge, amlyses / avec 83 figures intercalees dom !c texte. Paris: S. 3. BaiI1iere,

guide du chitniste-fabricani

et Cie, 1882, e tomos. IDEM, L'industrie sucrière

par Paul Horsin-Dmn

Imprint

Berlin, J. Springer, 1929 [2"edição aumentada.

1894.IDEM, Traite theorique et pratique de

Paris, E. Bernard

la fabrication du sucre:

finçaise, étrang2re et,exotique: apporei!~et modes de fabrication les pIus en usage et les ~I~LF nouvemx. Extrait des hdes sur l'Exposition, publids par E. Lacroix. Paris, E. Lacroix [I 8791. GALLOWAY, J. H. Th sugar cane industty: nn historical geography from its origins io

1914, Carnbridge pnglandl; New York: Cambridge Uníversity Press, 1989. l2 MINTZ, Sidney, Sweetness and power. The Plnce of the sugar in Modern Histoty, New York, Viking-Ptnguin, 1985; Duhra y Poder. E1 lugar de1 uzMcar en Ia historiu moderna. Siglo , XXI Editores. México, 1996.

23 PEREZ VIDAL, José. La cultwo de ia cana de &cor

epi e1 Levante espafiol. Madrid

[Consejo Superior de Investigaciones Cien~ificaç,Instituto "Miguel de Cervantes," Departamentr de Dialectología y Tradiciones Populares] 1973.

A realidade que envolve o cultivo e processo de fabrico do açiicar é tão rica e dominante do quotidiano das regiões qucareiras, que merecem a atenção de todos, mesmo de romancistas e poetas.

A tradição anota em 1764 o poema "The Sugar-cane" de James Grainger

E1721?/17663, mas será nas centúrias seguintes que o tema despertou mais inte- resse na trama dos romancistas e poetas24.A incidência da tematica lia criação literária acontece de forma especial nas regiões açucareiras. É o caso do Brasil, donde podemos salientar José Luis do Rego [1901-1957]~~e os poetas Ascenso

Ferreira [I895-19651'~e João Cabra1 de Mello Neto [I 920-199912'. Nas Anti- lhas podemos assinalar para a Martinica o caso de Raphael Confiant [195 I/-] e em Cuba a Carolina Garcia-Aguilera [I949/-1~~-~'.Assinale-se ainda o caso do texto de Jorge Cela Trulock [1932/-13*.No mundo de língua inglesa temos Sugar and Rum. A nove! (1988) de Barry Unsworth [1930/-1. No caso da Madeira assinala-se a obra de Horácio Bento de Gouveia [1901/1983], nomea- damente os romances a Canga e Águas Mansas (1963j3',onde traça o retrato da situação da freguesia de Ponta Delgada, e João França com a A Ilha e o

Tempo(I972).

A MADEIRA

As grandes questões deste período prendem-se com a importância da Madeira com a expansão dos canaviais no espaço atlântico e da afirmqão do

açúcar no mercado europeu. Durante muito tempo o estudo que teve maior visi-

bilidade internacional foi o de Virginia ~au~~e Borges Macedo sobre o livro dos

24 Na Madeira regista-se uma coledhea de poemas de João Dionisio com o título: Os Açzicares ou o Ruido do Silêmio. Funchal, 1995. Sobre as Caraibas veja-se John Lockard. "Sugar

Realism in Caribbean Fiction, "Jolour~ialof Commonwealrh and Postcoionial Srudies 1 (1995) 2.

80-1 03.

25 Romances publicados com o subtítulo "Ciclo da cana de Açúcar": Menino de Engenho

(19321, Banguê(1934), Usina (1936), Pedro Bonita (19381, Riacho Doce (1 9391, Fogo Morlo (19431, Doidilzho (1933), O Moieque Ricardo (1 935), Usina (1936), Fogo Morto ( t 943) e Mms

Verdes anos (1956).

26 Edição dos poemas em 195 1 por Souza Barros : Ccitimbd, Cana caiam, XenhenhGn.

27 Poesias eomplefas, (1940-196fi), 4" edição, Rio de Janeiro, 1986. Bitter Sugar-A Larpe Solaiao Mystety, W. Y ork, 200 1. 29 Comrnrandenr du sucre, Paris, 2000; Régisew du Rhum, Paris, 2000.

30 La Fábrica de Azncar. Re/ato, Madrid, 1996.

31 Cf. Islenha 30 (Jan-Jun 2002), número dedicado a Horácio Bento de Gouveia.

32 RAU, Virgínia e MACEDO, Jorge, O uçnicnr nn Madeira no século XV. Funchal, 1992.-

"The setlement of Madeira and the sugar cane plantation", in A.A.G. Bijdrugegen, 11. Wageningen.

1 964,3-12.

estimos de 1494, em que a abordagem fundamental é sobre a questão dii propriedade. Depois tivemos as alusões de Vitorino Magalhães Godinho, na monumental obra sobre os descobrimentos portugueses33.A Historiografia rnadeirense não ficou alheia a esta realidade. Deste modo às prolixas referências

do Padre Fernando Augusto da Silva, no Elucidário Madeirense, devemos

juntar os ensaios de Alberto Artur ~armento'~.AS décadas de cinquenta e sessenta foram momentos áureos da produção historiográfica em que a tematica

açucareira mereceu desusada valoração. Tivemos assim os textos de Fernando'

Jasmins

que como Carlos Montenegro ~i~uel~~,Joel senão3', Ernesto

~on~alves~~,não tiveram muito divulgação.

A incidência temática foi quase só nos aspectos relacionados com o sis-

tema de propriedade e o comércio do açúcar no mercado europeu, ficando

esquecidos aspectos fundamentais como a tecnologia dos engenhos e fabrico do

açúcar.

33 GODINHO, Vitorino Magalhães. "O açúcar dos arquiptlagos atlSnticos", in Os desco- brimentos e a economia mu~dial.vol. IV, Lisboa, pp. 69-93. 34 SARMENTO, Alberto Artur, História do Açucar na Ilha da Madeira, Funchal. 1945.

l5

PEREIRA, Fernmdo Jasmins.O oçricor Mndeirense de 1500 n 153 7 Produção e preços.

Lisboa: Instituto Superior de Ciências sociais e Politica Ultramarina [1970?]. Sep. de Estudos políticos e Sociais. Vol. VII, n"" 1, 2 e 3, 1969. -Estudos Sobre Histbria da Madeira, Funchal,

CEHA. 1991

36 MIGUEL, Carlos Montenegro, "Os estrangeiros na Madeira e a cultura da cana sacarina, in Dm Artes e da História da Madeira, vol. IV,no.22 (1956); - "Oaçucar. Sua origem e diliisito".

in Arquivo Histórico da Madeira, XII, Funchal, 1960-61,pp. 55-123. - Provisões do Poder Central acerca do cultivo do açúcar na Madeira. In Das Artes e da História da Madeiro. Funchal. Vol. 111. N.' 16,1953,p. 39.-Contribui- para a História da Madeira. In Das Artes e da História da Madeira. Funchal, Vol. 11, N.O8, 1951, p. 22: N.'9, 1951, p. 16: N.' 10. 1952. p. 32. -O Açúcar e a sua importância na Economia Insular. In Das Artes e da Hist6ria da Madeira. Funchal,

Vol. 111, N." 15, 1953, p. 33. - O Comércio na Ilha da -Madeira. Nas Centurias de 500 e 600. In

Das Artes e da História da Madeira. Funchal, Vol. V,N."28, 1953,p. 19.- Um Cicio Econárníco

- O Açiicar. In Das Artes e da História da Madeira. Funchal, Vol. IV.N."19 e 20,1955. p. 13. " SERRAO,Joel,"Nota sobre o comtrcio de açiicar entre Viann do Castelo e o Funchal de 1561 a 1587 e sobre a decadencia do açúcar rnadeirense a partir de finais do skulo XVI". in Revista de Economia, vol. III? Lisboa, 1950. -"O Rendimento da Alfandega do arquipélago da

Madeira (1 581 -1 587) " in DAHM, no 56, Funchal, 195 1.

38 GONÇALVES,Emesto. Dom Manuel I e a Madeira. Pelo Dr. Ernesto Gonçalves. In Das

Artes e da Histdria da Madeira. Funchal. 1948-1949.p.185 - Funchal, 1470. Pelo Dr. Ernesto Gonçalves. In Das Artes e da História da Madeira. Funchal, 1948-1949.p. 9.- João Comes da 1lha e Duarte de Brito. Pelo Dr. - Ernesio Gonçalves. InDas Artes e da His#Óriada Madeira. Fun- chal, 1948-1949, p, 105.- João Afonso do Estreito Pelo Dr. -Ernesto Gonçalves. In Das Artes e da

História da Madeira. Funchal, Vol. 111, N." 17 e 18, 1954, pgs. 4 e 44.- O Duque D.Jogo,

Terceiro Senhor da Madeira. Pelo Dr. Ernesto Gonçalves. In Das Artes e da Hislíiria dcr Madeira.

Funchal, Vol. V, no 26, 1957. p. I. - João Gomes da Ilha. In Arquivo Histdrico da Madeira.

r

Nos Últimos decénios do século XX,por força da realização de

f

I

e da existencia de revistas4', a ternhtica açucareira voltou a motivar de novo o

interesse dos estudiosos. Aqui é de assinalar os estudos de David Ferreira

f ouve ia^', que equaciona alguma problemática de forma inovadora. Merece

ainda realce os ensaios de alguns estrangeiros, que contribuimm

para a

divulgação da temática nos mundos de língua inglesa e francesa42.Também nos

fomos cativados pela importância da temática na História econ6mica do arqui- pélago, dedicando-lhe vários trabalhos, dispersas, em colóquios, publicações

conjuntase livros43.

" EVERAERT, John G., "Marchands flarnandes a Lisbonne et exportation du siicre de

Madere (1480-1 530)",

in Actas do I Colbquio Internacional de História da Madeira. 1986.

Funchal, 1989, pp. 442480. Stegagno-Picchio, Luciana, O Sacro Coltgio de Alfenirn. in Actas do

I1 Colbquio Internacional de Hist6ria da Madeira, Lisboa. 1990, pp.I8 1-1 90. RIBEIRO. Joilo

Adriano, "A casquinha na roia das navegações do Atlhntico norte nos séculos XVI-XVllI". in

III CIHM, Funchal, 1993, pp. 345-3 52. IDEM, A Cam-de-açiicar na

Funchal, 1992 40 BRAGA, Paulo Drumond, "O açbcar da ilha da Madeira e o mosteiro de Guadalupe", in Isbnha, 9, 1991, 43-49. SOUSA, João José Abreu de, 'Wo ciclo do açúcar", ín Isleríka. no 5

(1989), pp. 5 1-59. -"A indiistria de conservas na Madeira. SCculo XV-XIX,ín Diririo de Noticias.

Funchal, I de Abril de 1984.

.Madeira. Séculos XVIII-XIX.

''

GOUVEIA, David Ferreira de, "O

açiicar da Madeira. A manufactura aqucareira

rnadeirense (1420-1550)", Atlântico, no 4, 1985, pp. 260-272. - "A manufactura açucareira madeimse (1420-1450). Influencia madeirense na expansão e transmissão da tecnologia açucareira, in Atlântico, no 10, 1987, pp. 115-1 3 1 -" O açúcar e a economia madeirense (1420- 1550). Pdução e acumulação", in Ailüntico. n.' 16, 1988, pp.262-283. -"O açúcar e a economia

madeirense (1420-1 550). Consumo de excedentes", Isfenha no. 8 ( 1991). pp. 1 1-22. -"Gente

d'engenho", in Islenha, no.13. 1993, 8 1-95 - "Açúcar confeitado na Madeira", in Islenha, no.1 I. 1992, pp. 35-52. 42 GREEWIELD, Sidney M.,"Madeira and the heginings of sugar cane cultivation and

Worid Plantaiím Societies, New York

plantation slavery", in Comparative Perspectiws on New

Apusnls of the New YorkAcademy of Sziences.vol. 292, New York,1977, pp. 236-252. VERLINDEN,

Charles, "hdébuts de Ia production ef I' éxportation du wcre a Madere. Que1 role y jouerent ,les

italiens,, in Studi in memorin de Luigi de/ Pane, Bolonha 1982, pp. 308-310.

Martial de, "La pmduciion du sucre a Madere au XVeme siecle d'aprks un rappori au capiiaine de I'ille

WlTTE, Chartes-

au Roi Manuel Id, ín Bullefin des Eiudes Portugaises et

Bresiliems, no4243, Lisboa, 198 1-

19%.

43 VIEIRA, Alberto, O Com6rcio Inter-irisular nos séculos XV e XVI, Funchal, CEHA. 1987.- "Consequênciasdo povoamento e o ciclo do açúcar na Madeira nos skculos XV e XVI ", in

Portugal no Mundo, vol. I, Lisboa, 1989, pp. 212-224. - O Regime de Propriedade na.Madeira. O Caso do Açucar (1 500-1 537), in Actas do I Col6quio Internacional de Hisíbria da Madeira.1986, Funchal, DRAC, 1989, pp.539-61 I.-"0 Açúcar na Madeira: pdu@o e wrntrcio nos skulos XV

e XVI", in II Semidrio Jnfernacional. Prpduccion y comercio de1 ozucar de caiia en epncn

preindwial, Motril, 1993. - "O açúcar na Madeira. Séculos XVII e XVIII". in IIl CIHM,

Funchal, 1993, gp.324-352.- Água, Trabalho e Açdcar. O Casa da Madeira nos séculos XV e

XVII, in Agua, Trabalho Y Aziicar. Actas de1 Sexto Seminário Internacional sobre Ia Caina de Rzúcar, Motril, 1996.-(comFrancisco Clode), A Rota do Açúcar na Madeira, FunchaI, ARAP,

1996, -Escravos com e sem Açúcar na Madeira, in Escrovos com e sem Açticar. Actas de

Seminário Internacionai, Funchal, CEHA, 1996, pp.93-102. - A Madeim, a Expansão e Histbria

O segundo momento de retorno da cultura foi marcado pela polémica em torno da chamada "questão ~inton''~.A política de proteccionismo sacarino

da Tecnologia do Açiicar, in, Hist6ria e Tecnologia do Açticar, Funchd, CEHA, 2000, pp.7-27- Les Juik, I'iIe de Madtre et I'expansion culturale et cornmercialt du Sucre dans L'anilantique, in

E. Eadie, La Rmte Du Sucre du VIIf au Xa,IIf siècle, Sloelcher, 2000. pp.89-100-A Madeira e o

mercado do Açúcar. Stculos XV-XVI,i? Histdria do Açiícar. Rotas e Mercados, Funchal, 2002,

pp.55-89. Canaviais. Engenhos. Açúcar e Aguardente wi Madeiro.skulos XV a XX, Funchal,

2004. " Uma acçdo civil contra o Sr. W Hinton fabricante de assucar E aguardente na cidade do

Funchal (ilha da Madeira)

Teixeira de Sousa Pinto). A @estão Sacarina.1918; ARAUJO,Juvenal Henriques de. A Questão

Sacarina da Madeira. Anhlise ao decreio n.' 15.831 de 10 de Agosto de 1928. S6rie de artigos

publicados no ~lDibrio dn Madeiraa. Lisboa: Tip. Jo~Mel 10 Lda.,

A Nova Questão Hinron. Artigos publicados no JormI NO Paiziu [por] um amigo dn Madeiro. Lisboa: Typ. do Annuario Comercial, 191S. CALÇADA, Visconde da (Diogo de Ornellas de

França Carvalhal

,

Funchal, 1884; AMARAL, Júlio do (Jiilio Augusto do Amawl

1929. BRANCO, Joào Soa=$.

Frazgo Figueiroa). Jarstifcação do Visconde da Calçada a arguiçdo que; lhe joi

feiia e apreciacão do processo crime instaurado na comarca occidental do Funckal promovido por Drogo Perestrello da Camara por um amigo do accusado. Lisboa: Typ. Universal de Thomaz Quintino Antunes, Impressor da Casa Real, 1873. CAMACHO, Manuel de Brito. A caminho de dfiica. Lisboa 1923. CANNAVIAL, Conde do (Dr. João da Csmara Leme Homem de Vas- concellos). R Conipornhio Fabril do Assucar Mudeireme. Roberto Leal e o Or. Turquino T. da C.

Lomelinino. Funchal: Typ. Popular, 1879. CANNAVIAL, Conde do {Dr.João da Câmara Leme

Um privilegio Industrial. Cartas a diversos jornaes pelo Visconde do

Homem de Vasconce.los).

Canmial. Funchal: Typ. Funchaiense, 1883. CANNAVIAL, Conde do (Dr. João da Clrnara

Leme Homem de Vasconcellos). Uma acção civil contra o Sr. I I

V. Hinton, fabricante

de

assucar e de aguardente rh Cidade da Funchal ([/hda Madeira) como contrafactor de um

processo indusfrial de que tem- patente de invento Dr. João da Camara Leme de Varconcellos.

Visconde do Cannavial. Funchal: Typ.

Popular, I 884. Diplomas Principaes que interessam ao

Regimen Saccharino da Madeira, S.]., sd. ; OS DONOS das fabricas não matriculados no Sul,

I."' mtorgantes; Wm Hinton & Sons e José Julio de Lemos, donos dos fabrica mntriculados, 2.O. outorgnntes; os dom das fabricas não mafricu~adarrdo Norte, 3."' outorganies. Funchal:

Typ. Esperança, 1908. EMPRESAS Assuc~irasda Afiico Portuguêsa. A rnova Questão Hinton,

Resposta dar Emprezm Assucareiras da Africa Portuguesa ao folheto da firma W.Hinton R SOM. Lisboa: Typ. Universal, 1915. FREITAS, Luiz Alberto de. A Lei Hornung. Em Defesa da Madeira e de Hinton. Lisboa: Germano da Silva, 1915 [imp.]. IN~S,Amir. Um bodo Indecoroso. (A burla do açúcar). Lisboa: Editorial Republica, 1933. JESUS, Quirino Avelino de. A questão snchrina da Madeira.Lisboa: Lisboa: Typ.de «A Editora», 1910. JESUS, Quirino Avelino de. A Nova Questão Hinton. Lisboa: Germano da Silva, 1915 [imp.]. JOm Augusto d'Orriellns e o Nova Fabrica do Assucar. FunchaI: Typ. Variedades, 1871. A Nova Questão Hinton. Resposta das Empresas Açucareiras da Áfiica Porlugilezo aofolheto da firma W Hinton & Sons, Lisboa. 1915. NUNES, Chio. Politica Sacarina. Funchal: ed. do A,, 1940. (Cadernos Madeirenses; n.O 1). ORNELLAS, Jogo Augusto d'. A Companhia Fabril de Assacar Madeireme os seus credores E O Sr. Dr. Jodo da Cawiara Leme. Funchal: Typ. do Direito, 1879. PESTANA JUNIOR. Manuel Gregório. O problema sacarina da Madeira. Subsidim para o estudo e resolu~ãoda chamada @estão Hintoni. Funchal : Tip. 'Espemnça, I 918.A questão sacharitw do Mudeira. Lisboa: Typ. de ctA Editora', 1910. R questão sacarina da Madeira: Analise ao Decreto n. '15831 de 10 de Agasto de 1928. Srie de Artigos Publicados no Diario da Madeira. Lisboa: José de Melo, 1929. Ramos Taborda, Regime Sacarino da Madeira, Didrio de Notícias, 4 de Outubro de 1962,RegimeSacarino do Madeira, Lisboa, I928.RODiUGUES,Jos6 Agostinho. As questões vinícola e sacarina da Madeira e e decretos n. O' 13.990, 14.167 e 14.I68 respectivamente de 23

da indústria açucareira na fabrica do

que até 1986, altura do encerramento fabricou açiicar. A questão

ais da centbria oitocentista e os pri-

e historiograf~amadeirense até

ca dos engenhos e açúcar não

istória do arquipélago. Temos ape- rnentaqão empresarial parece que

ignora-se o paradeiro do acervo

importante para a História contemporânea da Madeira. tivemos oportunidade de ter acesso ao arquivo particular de

ida inteira dedicada à indústria e

gerente técnico do engenho do ~intod'.A correspondência e cadernos

reender a hist6ria do engenho, a evoluçeio da tecnologia, através das múltiplas experiências no campo

i o

de Julho e 25 de Agosto 1927. Comoforam e como devem ser wsoividas estas questões a bem dos superiores e dos legítimos interesses do Arquipélago da Madeira por José Agostinh Rodri~es Coronel-Medico. Lisboa: Tip. Pomigal, 1928. SILVA, F. A., "Hintm questão", in Elucidario Madeireme, vol. I!, pp. 117-118. SILVEIRA, Jod Marciliano da. A Companhia Fobril de

- Asmar Madeireme os seus credores o *Athleta* e o Snr. Dr. João da Camara Leme. Por J. M.

'

I '

S Funchal: Typ. da Voz do Povo, 1879. TRINDADE E VASCONCELLOS, Joaquim Ricardo

da Resposta aos Fundamentes do Recurso Interposto perante o Conselho de Estado por S. Majestade a Imperatriz D.Arrelia e outros do despacho pelo qual o governador civil concedeo licença para a fhdação duma fabrica de rrssucur e de distfliação &aguardente na Cidade cio

Fumhal. Pelo Recorrido o Bacharel Joaquim Ricardo de Trindade e Vasconcellos. Funchal:

Imprensa da Revista Judicial, 1867.

ICS, 2002.-

A ConcentraçSo Industrial do Sector do Açúcar Madeirase. 1900- 19 18, in História e Tecnologia do Açúcar, Funchal, CEHA, 2000, pp.419-422.-A Madeira e o Proteccionismo Sacarino (1895-

19 I 8), in AdILPe Social, vol. XXXIII ( 145), 1998, pp. 1 17-143. ROCHA, Francisco Canais,

Perfeito de Carvalho contra o monopólio Hinton, Histkia, no.1-44, 199 1, pp.494 i. RODRIGUES,

Miguel, A questão Hinton, in História e Critica, no.6, 1980, pp.15-27. Costq Jost Pereira da e Fernando Jasmins Pereira, Livros & Contas da Ilha do Madeira.

45 CÃMARA,

Benedita,

A

Economia da Madeira

(1850-1914). Lisboa,

da Madeira.

1504-1537. 11. Registo da PduçAo de Açúcar, Funchal, 1989. Melo, Luis Francisco de Sousa, Tombo l0 do Registo Geral da Câmara Municipal do Funchal. Ia parte, in Arquivo Histórico da

Madeira, vols. XV-XVIII, Funchal, 1972- 1974.iDEM, Tomlm 1' do Registo Geral da Câmara

Munici ai do Funchal. 2" parte, in Arquivo Histórico da Madeira, vols. XIX, Funchal, 1990.

1504-1537.1- Almoxar$dos e Alfandegm, Coimbra, I 985- Livros de Co~mda Ilha

"Livro de Armm&n. Conhecimentos ÚteN do ossucor e molo.p,

,

18751-, 58 fls. Copiodor

de cartas. 1898-1905,200 fis, Livro de notas sobre a fabrica~dodassucar e áIcool e tabellas de

ccilculae de João Higino Ferraz, 1903-1 910, 207 fls. Copiador de carim, 1905-1913,

69 fls.

Copiador de cartas. 19 1 7-1 9, i00 fls. Copiador de cartas. 1919-1920,49 fls. Copiador de cartas, 1927-1929, s.n., Agenda Poriirguesa. 1928 e 1929 (notas dihias da actividade) Copiador de cartas, 1929-1930, s.n., Copiadar de cartas , 1930-1936, sem numeraç80.

BIBLIOTECAS

Algumas bibliotecas reúnem acervos significativos sobre o tema, ftu

bibliotecas pessoais ou de instituições especializadas na tematica. Neste â assinalam-se em Cuba as Bibliotecas do Ministério do Açúcar e da A

de técnicos Açucareiros de Cuba. No Brasil a Biblioteca Central Blan da Fundaeo Jmquim Nabuco disponibiliza uma base de dados biblio contendo informações sobre livros, folhetos, teses e artigos de revistas naci

e estrangeiras, relacionados com o tema açúcar [http:l/m.fundaj.g

isis/acucar.html]. É um caso raro de aposta na reunião de textos clássicos

o aqúcar. Junta-se ainda o acervo Documental da Ernbrapa com referências bibliográficas, abrangendo a produção científica de seus p dores, teses e literatura nacional e internacional [http:l/bdpa.cnptia.em

brlfr inicial.html]. Na Colornbia temos desde 1977 a CEMCANA [Cen

investigacibn de da de azucarjcorn uma base dados bibliográfica sob

cultivo

e

pmssamento

da

cana

de

açúcar

[http:/lwww.cenicana.

documentacion/snica.htm] Das bibliotecas gerais podemos assinalar a do Congresso em Washingt

Pública de Nova York vew York Public Library: http://www.nypl.org]. informação pode ser complementadacom o acervo das bibliotecas nacionais, que destacamos: Espanha [http:/lwww.bne.es], França [http://www.bnf.frJ,Cu

[http:l/www.lib,cult.culJ O Brasil merece uma referência especial através das iniciativas do Insti

do Açúcar e do Ákool (1933) e a Fundação Joaquim Nabuco (1944). O

para além da ediçgo de em avista, com o titulo Brasil Açucareiro (

19671, apostou em 1969 numa colecção cana vieira com 16 livros publicad

entre

1969 e 1975. Em 1961 o IAA, por sugestão de Gil de Methodio Maranhã

criou em Recife o Museu do Açúcar, que a partir de 1977 passou para a alçada

da Fundação Joaquim Nabuco, criada em 1949.

Alkrto Vieira (Organização), Canaviais, ~~6car~Engeribos-

Ewdment$tl, [onliae],

AIidCA,[

disponlvek :ma

Internet

~~L:~i'Pwww~.h~~.org/htmlibibIt&gdi'&ktnmi], Arquivo

de.^ ;d,20Dk

'