Você está na página 1de 1

15 Maio 2009

15 Maio 2009 3 1 AUTOMÓVEL Renault deixa F1 A Renault prepara-se para anunciar a retirada

31

AUTOMÓVEL

Renault deixa F1

A Renault prepara-se para anunciar a retirada do campeonato de F1 do próximo ano. A equipa francesa aponta os mesmos motivos que a Ferrari: a limitação de orçamento decretada pela FIA, pelo que se junta se junta às equipas da Toyota, Red Bull, Toro Rosso e Ferrari .

Toyota anuncia maior perda de sempre

O construtor automóvel japonês Toyota anunciou uma perda líquida de 436,9 mil milhões de ienes (3,3 mil milhões de euros) no exercício 2008-2009, fechado no fim de Março, com resultados bem piores do que o previsto. A empresa advertiu igualmente que continuará no vermelho em 2009-2010. Nas suas últimas previsões, anunciadas no princípio de Fevereiro, a Toyota disse que esperava uma perda líquida de 350 mil milhões, uma perda de exploração de 450 mil milhões e um volume de negócios de 21.000 mil milhões.

Venda de automóveis cai 40 por cento

As vendas de automóveis ligeiros de passageiros caíram mais de 40% desde o início do ano. Só no mês de Abril venderam-se 12 193 veículos desta categoria, o que representa uma descida de 33,9%, face ao mesmo mês de 2008. Os dados da Associação Automóvel de Portugal (ACAP) referem uma descida de 40,3% na comercialização de automóveis ligeiros de passageiros entre Janeiro e Abril, mas a situação é igualmente preocupante nos pesados de mercadorias, onde as vendas desceram 46,3%, tendo-se vendido apenas 1116 pesados desde o início de 2009.

nos pesados de mercadorias, onde as vendas desceram 46,3%, tendo-se vendido apenas 1116 pesados desde o
Diesel idealizou um dos mais importantes sistemas mecânicos da história da humanidade. Rudolf Christian Karl
Diesel idealizou um dos mais importantes sistemas
mecânicos da história da humanidade. Rudolf Christian Karl
Diesel elaborou um motor a combustão interna a pistões
que explorava os efeitos de uma reacção química, um
fenómeno natural que acontece quando o óleo é injectado
num recipiente com oxigénio, causando uma explosão ao
misturar-se. Rudolf Diesel registou, em 1897, a patente do
seu motor desenvolvido para trabalhar com óleo de origem
vegetal. Em sua homenagem, foi dado ao produto oleoso
mais abundante obtido na primeira fase de refinação
do petróleo bruto o nome de diesel.
Lembre-se dele quando
abastecer o seu carro

R udolf Diesel nasceu em Paris a 18 de Março de 1858, filho de Theodor e Elise Diesel, um casal de emigrantes de Augsburg, da Baviera alemã. O pai, artesão que trabalhava com

peles, tinha um pequeno negócio de vão de escada no prédio onde moravam e onde trabalhava bastantes horas por dia. O pai de Diesel era bastante disciplinado, mas péssimo em economizar. Diesel tinha uma irmã mais velha, e um irmão mais novo. Theodor proibia os filhos de conviver com outros meninos, e assim Rudolf cresceu bastante introvertido e tímido, mas curioso e interessado. Tanta curiosidade quase o mataria quando decidiu fazer experiências com o gás canalizado lá de casa. Pequenas mentiras e desleixo não eram tolerados, havendo sempre uma sova â espera do traquina Rudolf. Rudolf revelou-se um excelente aluno, dominando o alemão, francês e inglês, tendo ganho uma bolsa, por excelência. Entretanto, a França entra em guerra com a Prússia em 1869, e os Diesel, sendo alemães, são expulsos do país. A 6 de Setembro embarcam num vapor, em Rouen, com destino a Inglaterra. Com algumas dificuldades, conseguem no entanto sobreviver e Rudolf matricula-se numa escola inglesa. Fica fascinado com os museus britânicos de engenharia e ciência. O seu tio, ainda na Baviera, oferece-se para auxiliar Rudolf nos estudos e convida-o a regressar à Baviera. Em 1880, ingressou na Sulzer, em Winterthu, na Suíça, e começou a aprender

Lançado antes da II Guerra Mundial, o Mercedes-Benz 260D foi o primeiro carro ligeiro movido
Lançado antes da II Guerra
Mundial, o Mercedes-Benz
260D foi o primeiro carro
ligeiro movido a diesel

sobre o fabrico de motores a vapor. O Cupido atacou em 1881 quando conheceu Martha Flasche, e a família desta recebeu o jovem e promissor Rudolf de braços abertos. Rudolf Diesel tenta então iniciar um novo projecto, que se intitulava “Construção de um motor térmico para substituir o motor a vapor e o actual motor de combustão”. Os donos da fábrica aperceberam-se do potencial desta ideia, e com algumas modificações deram início à construção de um protótipo. Pelo sim, pelo não, foram registadas patentes na Inglaterra, EUA e Alemanha, com uma descrição detalhada do funcionamento. Em 17 de Fevereiro de 1894, com a

colaboração das empresas Sulzer e Krupp, o primeiro protótipo de motor Diesel expelia fumo pela primeira vez na História, atingindo 88 rpm. As acções da firma Maschinenfabrik Augsburg subiram imediatamente 30%. Mas havia que melhorar a performance do motor. A

segunda versão deste motor surgiu um ano mais tarde e já era sobrealimentada. Em vez de óleo vegetal, utilizava um produto chamado

gasóleo, porque era

Quando fez quarenta anos, Diesel estava milionário e as fábricas atropelavam-se para conseguir produzir este novo motor. A 17 de Setembro de 1898, Diesel cria a General Diesel Corporation, para lidar com as licenças

mais

barato!

e direitos de produção. Pouco depois, é-lhe diagnosticada uma depressão nervosa e é internado numa casa de repouso. Viaja até aos EUA, de onde volta com a ideia de produzir um motor mais pequeno, com quatro cilindros, que pudesse ser instalado num automóvel. Claro que ganhou logo a medalha de ouro na exposição de Paris desse ano. Convidado por Sir Charles Parson, eminente inventor da turbina a vapor, decide então visitar Inglaterra. A 29 de Setembro de 1913 embarcou no “Dresden”, em Antuérpia, e a tripulação lembra-se de um Diesel afável e conversador. Pouco depois Diesel desaparecia misteriosamente sem deixar rasto, em pleno Canal da Mancha. As suas roupas estavam todas na cabina, assim como o relógio e pertences pessoais. A tripulação procurou por todo o navio, sem sucesso. O navio efectuou uma busca nas redondezas, mas nada foi encontrado. A 10 de Outubro, o cargueiro “Coertsen” descobria o corpo de Diesel no Canal, levantando suspeitas sobre uma possível acção dos serviços secretos alemães que não queriam que os ingleses possuíssem o motor Diesel. Suicídio ou não, o mistério de Diesel persiste até aos dias de hoje, bem como o seu inestimável legado, um motor durável e eficiente que propulsiona o Mundo sob as mais diversas formas. Nos semáforos,

frente TDI,

verifique a traseira do carro à sua

DTI, TDCI, HDI ou simplesmente Diesel… Rudolf vai, decerto, lá estar.

Texto e pesquisa histórica: MIKE SILVA