Você está na página 1de 2

Universidade Federal de Pernambuco

CCEN - Departamento de Fı́sica


Primeiro Exercı́cio Escolar - Fı́sica Geral I (2008.1)
Data: 04/04/2008

Nome: Turma: CPF:


Só serão consideradas respostas acompanhadas de seu desenvolvimento.
NÃO é permitido o uso de calculadoras.

Questão 1) Uma partı́cula se move ao longo do eixo x por uma distância de 24.000 m (trecho AC na
figura). No primeiro 1/3 do percurso (trecho AB), a partı́cula é acelerada de forma que sua posição em
função do tempo é dada por x(t) = αt3 , onde α = (1/64) m/s3 . No restante do percurso (trecho BC) sua
velocidade permanece constante (igual à velocidade em B). Em t = 0 a partı́cula se encontra no ponto A.
a) (1,0) Determine a expressão da aceleração em
função do tempo para cada trecho do percurso.
b) (1,5) Sabendo que o tempo para percorrer o
A B C x
trecho AB é de 80 s, calcule: i) a velocidade ins-
tantânea da partı́cula no ponto C; ii) a velocidade x= α t 3 v= constante
média da partı́cula no trecho AC.
c) (1,0) Se a partı́cula mantivesse uma velocidade constante no trecho BC, mas no trecho AB sua aceleração
fosse constante e igual a 10 m/s2 , quanto tempo a partı́cula levaria para percorrer os 24.000 m?

Questão 2) Um projétil, inicialmente localizado na origem de um sistema de coordenadas, é atirado do


solo em t = 0 com uma velocidade inicial ~v0 = (10ı̂ + 30̂) m/s (onde ı̂ e ̂ representam, respectivamente,
os vetores unitários ao longo dos eixos x e y, como ilustrado na figura).
Quaisquer efeitos de resistência do ar ou atrito são despre- y
zados, e o vetor aceleração da gravidade no local é dado por
~g = −10̂ m/s2 . Considerando o instante em que a compo- g
nente horizontal da posição do projétil é x = 50 m, determine:
v0
a) (1,5) a altura (coordenada y) do projétil em relação ao solo;
b) (1,0) o vetor velocidade ~v , escrito em termos de ı̂ e ̂; ^
j
c) (0,5) se o movimento do projétil é ascendente ou descen-
solo
dente. Justifique sua resposta. ^
i x

Questão 3) (“fortemente baseada” no problema 23 do cap. 6 da 7a edição do livro-texto)


Quando os três blocos na figura ao lado são
liberados a partir do repouso, eles se movem a
com aceleração de módulo a. Há atrito entre
m2 e a mesa horizontal. As polias podem ser m2
consideradas ideais (sem massa e sem atrito
nos eixos), bem como os fios (sem massa e m1
inextensı́veis). g m3
a) (1,5) Escreva a segunda lei de Newton
para m1 , m2 e m3 , explicitando as forças que
atuam em cada um dos blocos.
b) (1,0) Suponha agora que m1 = M, m2 = 2M, m3 = 3M e a = g/4. Quanto vale o coeficiente de atrito
cinético µc entre m2 e a mesa?
c) (1,0) Nas condições do item (b), calcule a tensão na corda que sustenta m1 e a tensão na corda que
sustenta m3 (sua resposta deve ser expressa em termos de M e g).
Gabarito
Questão 1)
dx dv
a) No trecho AB temos v = = 3αt2 e a = = 6αt . No trecho BC, a = 0 pois v é constante.
dt dt
b) Por definição vC = vB . Usando a expressão do item anterior para v(t), em t = 80 s temos vB =
3(1/64)802 = 300 m/s .
Para obter a velocidade média, calculamos o tempo para percorrer o trecho BC. Como a velocidade neste
trecho é constante, temos tBC = (16.000 m)/(300 m/s) = (160/3) s. O tempo total no trecho AC será
então 80 + (160/3) = (400/3) s. A velocidade média é v̄ = ∆x/∆t = [24.000/(400/3)] = 180 m/s .
1
c) Em caso de aceleração constante, terı́amos x = at2 = 5t2 . O tempo para percorrer AB seria
q 2
tAB = 8.000/5 = 40 s. A velocidade no trecho AB obedeceria v = at, portanto em t = tAB terı́amos
vB = 10 × 40 = 400 m/s. O tempo para percorrer BC seria tBC = (16.000 m)/(400 m/s) = 40 s. Portanto,
o tempo total seria tAC = tAB + tBC = 40 + 40 = 80 s .

Questão 2)
1
a) Como o movimento é uniformemente acelerado na vertical, temos y = y0 + v0y t − gt2 = v0y t − 5t2 .
2
Na direção horizontal temos x = v0x t. Substituindo t = x/v0x na equação para y, obtemos
2
x x
  
y = v0y −5 .
v0x v0x
Substituindo os dados do enunciado (v0x = 10 m/s, v0y = 30 m/s e x = 50 m), obtemos y = 30(50/10) −
5(50/10)2 = 150 − 125 = 25 m .
x 50
     
b) ~v = vx ı̂+vy ̂ = v0x ı̂+[v0y −gt]̂ = v0x ı̂+ v0y − g ̂ = 10ı̂+ 30 − 10 ̂ = (10ı̂ − 20̂) m/s .
v0x 10
c) Como para x = 50 m temos vx > 0 e vy < 0, o movimento é descendente .

Questão 3)
a) Como a figura indica que m2 se move para a direita, a 2a lei de Newton na horizontal para este
bloco fica:
T3 − T1 − Fat = m2 a , (1)
onde Tj corresponde à tensão na corda que sustenta o bloco mj (j = 1, 3) e Fat é a força de atrito que
a mesa exerce sobre m2 . Na direção vertical temos m2 g − N = m2 a2y = 0 ⇒ N = m2 g. Para m1 e m3
basta considerarmos as forças na direção vertical:

T1 − m1 g = m1 a (2)

m3 g − T3 = m3 a . (3)
b) Somando as equações 1, 2 e 3, obtemos m3 g − m1 g − Fat = (m1 + m2 + m3 )a. Lembrando que
Fat = µc N = µc m2 g, resolvemos em µc para obter

m3 − m1 (m1 + m2 + m3 ) a 2M 6M (g/4) 1
µc = − = − = = 0,25 .
m2 m2 g 2M 2M g 4

g 5
 
c) A partir da equação 2 obtemos T1 = m1 (g + a) = M g + = Mg . Similarmente, da equação 3
4 4
g 9
 
obtemos T3 = m3 (g − a) = 3M g − = Mg .
4 4