Você está na página 1de 12

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICO DISPESP

ALCEMIR CORDEIRO CAMPELO

COMPARAÇÃO ENTRE O DESENVOLVIMENTO DOS TRABALHADORES DA INDÚSTRIA E O TRABALHO DOCÊNTE

Síntese solicitado pela disciplina Ética na Formação Docente do curso de Docência em Educação Profissionalizante e Tecnológica da CEFET

MANAUS 2006

aluno de pós-graduação do curso Docência do Ensino Profissionalizante e Tecnológico do Centro Federal Tecnológico do Amazonas. considerando que eficaz seja atingir o objetivo e eficiente faça referência a tudo aquilo que se faz para atingir o objetivo.2 COMPARAÇÃO ENTRE O DESENVOLVIMENTO DOS TRABALHADORES DA INDÚSTRIA E O TRABALHO DOCÊNTE Alcemir Cordeiro Campelo1 RESUMO Este ensaio pretende confrontar o desenvolvimento dos trabalhadores da Indústria e os trabalhadores a da Educação. Eliané Maquiné e os textos de Luiz Antônio Franco “Capitalismo e Trabalho” e de Niconor Palhares Sá “O aprofundamento das Relações Capitalistas no Interior da Escola” . . compreensão e tomada de decisão. PALAVRAS-CHAVES: educação. é o caminha para se fazer uma intervenção na realidade de uma maneira eficaz. 1. o mercado de trabalho não busca profissionais eficientes e sim eficazes. encontramos que o professor enfrenta um desafio muito grande. surgindo uma problemática que exige a percepção aguçada do professor possibilitando a compreensão para ajudar a seus alunos a superar as adversidades do cotidiano. cada um possui um universo único e que se integram aos demais. de um lado sua carga de trabalho não lhe permite um tempo suficiente para pesquisar e buscar atualização através de cursos e pesquisas nos diversos meios disponíveis. do outro. Introdução Percepção. capitalismo. trabalho escola. os problemas sociais de seus alunos. tendo como base as aulas ministradas pela prof . A analista Socioeconômica Norma Bentes (2005) mostra os problemas enfrentados pela massa manauara no texto a seguir: 1 Graduado em engenharia mecânica pelo Instituto de Tecnologia da Amazônia. Levando em consideração que cada aluno é singular. Examinada a realidade dos nossos sistemas de ensino. MSc.

Isto exige pesquisa e reflexão. 47) 2. Procurarei explorar. convivem com a falta de água. de transporte coletivo. cuja tendência deve ser percebida pelo professor. sobre a presença dos valores na ação humana. cuja ética fará com que o docente reflita sobre os fundamentos daquilo que irá ensinar aos seus alunos. sistemática. Além da luta pelo sustento da família. Reflexões sobre as exigências do mercado de trabalho Analisada esta realidade. de postos de saúde. (P. dentre outras necessidades.3 Na cidade de Manaus.19) Logo qual será a atitude de um professor ético diante desta realidade? Se a ética é uma reflexão filosófica do fundamento dos valores. logo sua atitude será de refletir sobre as necessidades ou pseudonessecidades de seus alunos. Já me dirijo. ao terreno da ética. portanto. com mais profundidade. São os desafortunados urbanos. mas na universidade – era um aluno universitário no sentido pleno da palavra. Masetto (2003) relata esta necessidade no texto a seguir: Tal definição trouxe modificações claras quanto à organização curricular. denotando também a flagrante ausência do poder público nas áreas localizadas na periferia da cidade. refiro-me á presença dos valores na realidade. Terezinha Azevedo (2005) retrata a ética como uma reflexão filosófica no texto a seguir: Ao perguntar “de que vale?“. encontramos as diversas exigências que o mercado de trabalho impõe aos futuros profissionais. voltando para eles minha investigação. se o conteúdo programado para ensinar seja realmente eficaz para sua aprendizagem. dilacerados na sua condição de cidade e da possibilidade de melhoria de suas condições de vida. procurando atualizar os conteúdos programados com a realidade do mercado de trabalho. mais adiante. Durante os dois primeiros anos ele aprenderia a pesquisar. O aluno ingressava não em um curso determinado. espaço da reflexão filosófica que se define como a reflexão crítica. (P. de escolas. os moradores dos bairros periféricos têm ampliados ainda mais os processos de segregação sócio-espacial e exclusão que enfrentam no cotidiano. a questão da historicidade desses valores e da própria ação humana. trabalhar .

sem a qual o homem não . enquanto que os problemas sociais que afligem nossa população são cada vez mais graves: desemprego. é uma confluência entre o velho e o novo. Examinado a realidade de nosso país. O acelerado avanço tecnológico trás como conseqüência uma verdadeira revolução no universo do conhecimento humano. Depois desse período. é conciliar a invariância e a mudança. o desenvolvido e o subdesenvolvido. aqui cabe a citação de Perrenoud (2001) que sugere devemos nos atualizar sem perder nossa identidade: Educar ou instruir é permitir que o aprendiz mude sem perder sua identidade. absorver novos saberes. A organização escolar também deve se renovar sem se desfazer. a educação e o ensino oscilam entre reprodução e mudança.(S/P).) Mas as tecnologias sem a educação. 33) Diante de tal reflexão. (P. transmissão de uma herança e preparação para uma nova sociedade. etc. levam-nos apenas a fazer mais rápido e em maior escala os mesmos erros. Isto lhe permitia conhecer a realidade brasileira de modo crítico e científico. por sua natureza. continuidade com o passado e antecipação do futuro. novos métodos e novas tecnologias sem renegar a herança e sem deixar entender que tudo o que se fazia antes não tinha nenhum sentido. produzir trabalhos científicos acompanhando professorespesquisadores de diversas áreas que estudavam problemas nacionais. Na escola da sociedade. podemos afirmar com segurança que a filosofia tem um papel crucial no resgate da identidade do homem.. o qual é citado por Dowbor (2001): As tecnologias não são ruins (. conhecimentos e sabedoria que permite organizar o seu real aproveitamento. A escola. prostituição infantil. (P. Vivemos entre o novo e o velho.. isto trás um grande desafio para o mundo da educação.. miséria. 21)..4 intelectualmente. marginalidade. o aluno. um pouco mais maduro quanto ao que fazer na universidade e já razoavelmente consciente quanto aos problemas nacionais. novos programas. o espantoso é o curto espaço de tempo que o acúmulo de conhecimento tem se multiplicado.. escolhia uma carreira profissional para nela se formar. tanto para as pessoas quanto para o sistema entre antigo e moderno. favelamento. onde o avanço tecnológico das nossas fábricas cobra profissionais bem treinados e capacitados. constatamos que vivemos em um mundo de contraste.

Santomé (1998) relata: Este processo de “despersonalização” e de preparação da juventude para incorporar-se e assumir as regras do jugo de um modelo de sociedade. que a principal justificativa declarada por ambas as partes é a necessidade de orientar as ações educacionais e. seja indústria. que os futuros professores tenham em sua formação a informática incluída nas disciplinas curriculares.. É inegável. futuros profissionais. em um mundo globalizado. comércio. mesmo o profissional recém formado que não encontra ou não se ajusta em uma atividade empregatícia na indústria ou em um outro ramo de .(P. em qualquer ramo de atividade. de produção e relações de trabalho no qual se pretende que a maioria das pessoas não possa intervir e decidir. logo concluímos que. Não há dúvidas sobre as exigências do mercado de trabalho mobilizarem a atenção daqueles que planejam a educação. seja educacional ou não. tem atraído atenção generalizada em diversos países (. mas também pela própria classe docente e estudantil. e às vezes imobilizadas. para esta realidade presente nos diversos ramos de atividades. é contestado não só pelos movimentos sindicais e partidos políticos progressistas.14) Esta atitude dos docentes citados refere-se aos professores sem ética. é de grande importância. também. que não exercem a criticidade da realidade. Giordan (2005) declara: O uso de Tecnologias da Comunicação e Informação (TCI) na educação.5 poderia questionar os princípios dos valores impostos pela sociedade e que a compreensão da realidade é um ato de maturidade. Outro requisito é o empreendedorismo. em que as oportunidades de trabalho exigem cada vez mais conhecimentos e habilidades para agir com computadores.. a formação dos alunos para as necessidades das sociedades que estão imersas. portanto. pois estes quando professores terão que preparar seus alunos. 3.). As Realidades do Mercado de Trabalho O uso do computador é uma realidade que o aluno irá enfrentar em qualquer atividade profissional. mas serão elas as definidoras dos propósitos das ações educativas que se realizam em sala de aula? (S/P).

é imprescindível que a escola desperte para está nova realidade e promova uma mudança de tal modo que se integre no contexto das tecnologias avançadas. Com a modernização da indústria.). este exige que sejamos pesquisadores por excelência. para atender. manutenibilidade. produtividade. terá que desenvolver uma atividade empreendedora ou ficar no risco da marginalidade. é necessário que o mesmo se adapte constantemente com as inovações impostas pelas matrizes. A atualização por conta do profissional é um outro requisito. saúde ocupacional. . qualidade. produtividade.6 atividade. segurança dos meios produtivos. demanda. por sua vez. pois os mesmos precisam dominar vários campos do saber ou relacionálos para executar com êxito seus objetivos requeridos pelos problemas que os mesmos enfrentam. A automação industrial é uma realidade de modernização dos meio de produção. está exigência abrange: qualidade do produto (este deve atender as necessidades do indivíduo). a qual é responsável pela inovação tecnológica acima citada. por sua vez. Como o trabalho tem sido o fundamento da educação do sistema de ensino em seu conjunto. A interdisciplinaridade é uma realidade enfrentada pelos profissionais da atualidade. segurança. este é um requisito que define o grau de empregabilidade do profissional. como também a constante inovação das linhas de produção para atendendo as mais diversas variáveis dos diversos aspectos da produção (ambiental. alguns autores classificam está nova fase do cenário mundial como Segunda Revolução Industrial ou Revolução da Informática ou Revolução da Automação. etc. problemas ambientais. a inovação tecnológica é uma realidade em todos os ramos da atividade. as quais se desenvolvem e introduzem estas tecnologias em suas filiais. o que o mercado exige (consumidor). para que um profissional permaneça na indústria.

7 Tomaremos como exemplo um profissional da indústria: um mecânico ou técnico mecânico que não consegue compreender a influência da informática/eletrônica/eletricidade/produtividade/qualidade do seu serviço e do produto final/segurança/ambiente. Luck (1994) relatou: O objetivo da interdisciplinaridade é. que é a mecânica. os quais se complementam e ajudam à compreensão da complexidade da realidade. o de promover a superação da visão restrita do mundo e a compreensão da complexidade da realidade. portanto. ao mesmo tempo resgatando a centralidade do homem na realidade e na produção do conhecimento. 25). a formação dos novos profissionais nas e pelas empresas? Não defendemos que a universidade deve se submeter às . situando o aluno como sujeito no contexto da sociedade que o mesmo está inserido. está condicionado a ficar fora do mercado de trabalho e se o mesmo não estiver preparado para enfrentar essa realidade. precisaram considerar o conjunto das disciplinas que fizeram parte de sua formação acadêmica. Os professores das diversas disciplinas deveriam se reunir e discutir as possibilidades de integração. Este exemplo se aplica em qualquer ramo de atividade. ficará a margem da formalidade. A interdisciplinaridade resgata a visão de conjunto dos diversos ramos do saber. Estes temas devem ser abordados em sala de aula. a não-qualificação de mão-de-obra. daí parte o fato de que a interdisciplinaridade deve ser trabalhada desde a formação fundamental para que quando chegar na formação superior este já seja um fato consumado e explorado. no presente como acadêmico e no futuro como profissional. pois quando estes alunos se tornarem profissionais. em seu campo de atuação. a empregabilidade. sabendo que esta é mais uma das realidades enfrentadas pelo profissional no seu campo de atuação. de modo a permitir ao mesmo tempo uma melhor compreensão da realidade e do homem como ser determinante e determinado. (P. Masetto declara: Como enfrentamos em nossas aulas discussões que abordam temas tais como o desemprego.

os riscos da ciência (manipulação genética e nuclear). uma vez que ela. impasses do Terceiro Mundo.). recomposições das nações (reunificação alemã. 4. sob este aspecto. desemprego. evolução para sociedades múltiplas. porém. (P. os quais se constituem um desafio para a educação: AIDS. por exemplo. porém a realidade não é simplesmente complicada. Devemos ressaltar que as exigências do mercado de trabalho não devem minar a autonomia das universidades. mudanças tecnológicas. tem seus próprios objetivos e autonomia para encaminhá-los. os riscos da ciência. e sim de formar personalidades. bastaria decompô-la em eventos simples e tratá-los individualmente. ou mesmo nas próprias indústrias (nosso parque industrial. mecanismos monetários e especulativos sem controle. mas a realidade é composta de vários problemas que interagem entre si. constitui-se em um verdadeiro laboratório). laser no tratamento de cálculos. os temas atuais produzidos pela ciência. como Instituição Educadora. A mesma ciência que compreende e disponibiliza para a humanidade os fenômenos nucleares no tratamento de doença ate então incurável (raio laser no tratamento do câncer.8 exigências do mercado de trabalho. construção européia.33). constatamos que a evolução do conhecimento sem o engajamento ético põe em risco a própria existência do homem. Lembramos que o papel da educação não é de simplesmente ensinar ao homem uma especialidade para que se torne uma máquina utilizável pelas indústrias. desmoronamento do império soviético). Tomando apenas um dos temas citados. Entretanto. A Realidade é Complexa Segundo Imbert a compreensão da realidade é um ato de maturidade. ataques ao meio ambiente dentre outros. Refletindo sobre estes problemas. reconversões industriais. etc. pois se trata de pesquisas realizadas pelas universidades. ressonância magnética. fluxo de imigrantes. pois se assim fosse. produz . não poderá se fechar dentro de si mesma e dessa posição definir o que será melhor para a formação de um profissional de hoje e para os próximos anos. sob a pena de a universidade produzir profissionais desqualificados. há uma necessidade de trazer para discussão em sala de aula.

. os problemas sócio-econômicos (salário dos docentes. Pergunta-se: será que a escola está preparada para enfrentar a complexidade contemporânea? Cabe a cada um de nós a reflexão sob o engajamento ético a compreensão da realidade. onde ressaltamos a singularidade de cada indivíduo (professores. Ler. no final da última guerra mundial: “Prezado Professor. moradia. temos a relação de diversos fatores: natureza humana. Meus olhos viram o que nenhum homem deveria ver. de certo modo. pois os paradoxos.(P. explosão da usina nuclear de Shernobio. Duwbor (2001) relata uma mensagem dirigidas aos professores deixada num campo de concentração nazista. Crianças envenenadas por médicos diplomados. outros). todos os que fazem parte da escola. Seus esforços nunca deverão produzir monstros treinados ou Psicopatas hábeis. as contradições e os conflitos fazem parte da própria natureza da relação pedagógica e do empreendimento da escolarização. Câmaras de gás construídas por engenheiros formados. Meu pedido é: ajude seus alunos a tornarem-se humanos. contaminação ambiental por radiação. familiares). modernidade com exclusão . Perrenoud (2001) relata que a escola não deve ser dormente e nem desmorecer e sim: (.9 também destruição em massa (destruição de Hiroxima e Nagasak). Mulheres e bebês fuzilados e queimados por graduados de colégios e universidades. transportes. tenho minhas suspeitas sobre a Educação. alunos.45) Neste processo..” (S/P). intransponível. desemprego. Recém-nascidos mortos por enfermeiras treinadas.)Enfrentar a complexidade é aceitar o fato de que ela é. escrever e aritmética só são importantes Para fazer nossas crianças mais humanas. Assim. Sou sobrevivente de um campo de concentração.

os quais devem capacitar os educadores para está realidade. os professores se tornam os únicos referenciais.10 social.A educação. por outro. como componente principal do papel profissional.(P. modernidade do parque industrial exigindo mão-de-obra cada vez mais qualificada. O enfrentamento da realidade é inevitável. compreensão e tomada de decisão. onde em muitos casos. devido. reconhecer que faz parte do mundo e também da nossa relação com o mundo. Percepção. às nossas contradições. não é fácil entender a complexidade todos os dias. Para domesticá-la. 205. A Constituição Federal no artigo 205. Perrenoud (2001) escreveu: Devido a divisão do trabalho. segurança pública (no Brasil temos bairros dominados pelo marco tráfico. atentados de quadrilhas contra alvos da própria polícia. ações criminosas diversas). ambivalência. além de proporcionar a escolarização dos discentes. dentre outros. será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade. direito de todos e dever do Estado e da família. mas também dos de formação continuada. é melhor falar dela. que está inserido neste contexto complexo. desestruturarão da instituição familiar. Considerações Finais . ou teremos de mudar de profissão se o descobrirmos tarde demais! Mesmo quando assumimos lucidamente essa responsabilidade. sendo está responsável pela transmissão dos valores morais. em uma organização o responsável é condenado à complexidade! É bom saber disso quando nos tornamos diretores ou professores. A família é a primeira instituição que o indivíduo toma parte. a parte desta análise. às divergências e conflitos entre atores sobre a situação e as decisões a serem tomadas. encontramos: Art. seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho. a escola. visandp ap pleno desenvolvimento da pessoa. são requisitos imprescindíveis no dia a dia do professor. por um lado. ficou com a incumbência de transmitir estes valores. com a sua desestruturação. instabilidade e limites pessoais e. os problemas do cotidiano exigem decisões imediatas. corrupção do poder público. não somente os cursos de formação.30) 5.

um discernimento maduro para que possa tomar decisões eficazes. transmitidos ou transformados para qualquer parte do mundo ao alcance de qualquer um. São Paulo. Neste processo. Editora Cortez. SANTOMÉ.unesp. enfoca o desafio do professor diante de uma realidade complexa.br/pos/revista/pdf/revista11vol2/ar9r11v2. exigindo do mesmo. Diante desta realidade o professor é um mediador da formação do caráter humano. 1998. Globalização e Interdisciplinaridade: o currículo integrado. Cláudia Schilling. Marcelo. som. decidir na incerteza: trad. Porto Alegre. Marcos Tarciso. . só é possível através de uma compreensão mediante a percepção exercitada do docente. 2a edição.pdf. No mundo globalizado não podemos desconsiderar a vertiginosa velocidade que podem ser armazenados. São Paulo. 2001. RIOS. examinado os fundamentos da própria moral tendo como referencial a pessoa humana e sua dignidade. Trad. Competência Pedagógica do Professor Universitário. 2005. a questão ética nos impulsiona a termos uma atitude crítica e sistemática desta realidade. MASETTO. 2003. 2005. Norma Maria Bentes de. PERRENOUD. Editora Artes Médicas Sul Ltda. Jurjo Torres.fc. Ensinar: agir na urgência. Data de acesso: 05/08/2006. Referencial Bibliográfico SOUSA. dos mais vaiados temas e sob diversos enfoques deferentes. a ética tem um papel fundamental. Philippe. textos. http://www. Editora Artmed. Editora Valer. Ética e Competência. imagens. Essa eficácia na decisão. Cláudio Schilling. Editora Summus. Manaus Realidade e contrastes sociais. Terezinha Azevedo.11 “Ensinar: agir na urgência e decidir na incerteza” título de um dos livros de Perrenoud. Manaus. GIORDAN. segundo Imbert (2001:14).

. RJ. Pedagogia Interdisciplinar: fundamentos teórico-metodológico. 1994. LUCK.12 Constituição Federal de 1988. DOWBOR. Heloísa.mhd.Ed. Vozes. Data de acesso: 01/08/2006.org/artigos/dowbor_tecnologias. http://www. Petrópolis.html. Ladislau.