Você está na página 1de 3

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA CURSO DE ARTES VISUAIS – 4º SEMESTRE - 24/02/2012 CIBERCULTURA I DOCENTE: CLAUDIO MANOEL DISCENTE: ZIMALDO BAPTISTA DE MELO – 2010.0408

MANOEL DISCENTE: ZIMALDO BAPTISTA DE MELO – 2010.0408 POÉTICA MÓVEL: A DESARTICULAÇÃO DAS FRONTEIRAS Alvo de
MANOEL DISCENTE: ZIMALDO BAPTISTA DE MELO – 2010.0408 POÉTICA MÓVEL: A DESARTICULAÇÃO DAS FRONTEIRAS Alvo de

POÉTICA MÓVEL: A DESARTICULAÇÃO DAS FRONTEIRAS

Alvo de severas críticas, o projeto Transborder Imigrant Toll se caracteriza tanto como um projeto de ativismo social e intervencionista, como um projeto de software. Com membros da Eletronic Disturbance Theatre / Laboratório BANG, da Universidade da California San Diego e Universidade de Michigan, o projeto é coordenado pelos pesquisadores Ricardo Domingues, professor assistente na UCSD no Departamento de Artes Visuais, Micha Cárdenas, professora no Departamento de Artes Visuais da Universidade da Califórnia, San Diego (UCSD), Amy Sara Carroll, professora Assistente de Cultura Americana / Latino / a Estudos e Inglês na Universidade de Michigan, Elle Mehrmand, uma Performance / artista de novas mídias e música que usa o corpo, eletrônicos, som, vídeo e instalação dentro de seu trabalho e Brett Stalbaum, professor de tempo integral com emprego de segurança em Artes Visuais na UCSD (Senado Académico da faculdade) e coordenador da Computação Interdisciplinar em Artes do Major (ICAM) este projeto põe a prova as relações ambíguas entre arte, política, tecnologia e espaço público, em uma tentativa de quebrar o paradigma da nacionalidade, propondo uma cidadania global. O perigo a que os imigrantes clandestinos se expõem no deslocamento em direção ao norte, a partir da fronteira entre Estados Unidos e México, onde centenas acabam como vítimas mortais no decorrer dos anos, foi o ponto de partida para esse trabalho que se engaja em uma luta política que questiona as políticas transfronteiriças norte-americanas. Isso fez com que o projeto e seus idealizadores se tornassem alvos de duras críticas de alguns seguimentos do governo americano. Para o congressista Duncan Hunter “se outros governos financiassem um iniciativa que ajude imigrantes ilegais entrarem nos EUA, eu tenho certeza que o Departamento de Governo iria ter sérios problemas com isso. Mas como são as universidades americanas que estão fazendo isso, ninguém está protestando”. Segundo seu porta-voz, Joe Kasper, as universidades estariam funcionando como uma plataforma de suporte para imigrantes ilegais, traficantes e contrabandistas invadirem os Estados Unidos. Segundo Kasper “é incrível pensar que os professores universitários, cujos salários são financiados pelos contribuintes, vão realmente criar um aplicativo de GPS destinado a facilitar a entrada ilegal através da fronteira EUA-Mexico”. Em um editorial publicado no San Diego Union Tribune, os membros do corpo docente por trás do TBT defendem a utilização de fundos para o projeto. “Compare a escalada dos custos

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA - UFRB

económicos de travar duas guerras e a construção de um muro na fronteira ($ 65 bilhões) com o custos de salvar vidas e exercer a liberdade de expressão”, diz o texto do editorial. O grupo se mostra aberto para a concorrência para reduzir os custos do projeto. Em declaração feita à imprensa, funcionários da UCSD se recusaram a tomar uma posição quanto ao projeto. Diz a declaração:

A universidade é constituída sobre a liberdade acadêmica do seu corpo docente para orientar suas áreas de pesquisa e investigação. Com uma plataforma para o pensamento inovados que pode desafiar o status quo, a universidade opta por não tomar posições sobre as implicações políticas de trabalhos dos seus investigadores, contando apenas com o mercado de ideias para resolver conflitos ou disputas sobre os méritos desses trabalhos.

Como projeto de software, o Transborder Imigration usa sistemas espaciais de dados e GPS para a simulação, a vigilância, a alocação de recursos, gerenciamento de redes de cooperação e do movimento pré-modelado padrão, um algoritmo que mapeia um potencial perigo e sugere a melhor rota, indicando lugares seguros onde se pode encontrar água deixada por ativistas. A ferramenta consiste em um telefone celular Motorola i455, que pode ser encontrado por menos de 30 dólares, que inclui um applet GPS gratuito. Através de jail break (quebra do sistema) foi possível criar um sistema de navegação, semelhante a uma bússola, simples. Também foi possível colocar outra informações, como onde encontrar água deixada pelos Anjos da Fronteira e referências de estradas e patrulhas. O TBT também é um projeto acadêmico. Segundo Amy Sara Carroll, uma das participantes do projeto, “Um gesto poético desde o seu início, as funções transfronteiriças Ferramenta Imigrantes, via as aspirações de um meio tão móvel, como mídia móveis, buscando perceber as possibilidades de GPS tanto como um "sistema de posicionamento global" o que, Laura Borràs Castanyer e Juan B. Gutiérrez denominaram de “um sistema de poética global”. Mais que uma metáfora inteligente, a pesquisadora afirma:

A ferramenta Transborder Immigrant inclui poemas de consulta psíquica, palavras de

encorajamento e de boas-vindas, o que eu estou escrevendo e co-criação na mentalidade

do pronunciamento Audre Lorde, de que "a poesia não é um luxo."

de Derrida sobre a hospitalidade, indexado como rolagem de texto em "Dubliners", fala ao compromisso global assumido pela ferramenta Transborder Imigrante para a cidadania

Postscriptually, a visão

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA - UFRB

global. Pois, o trecho, se infundido com a "lógica transversal" do poético, atua como uma das bússolas internas da ferramenta Transborder Imigrante, esclarecendo as formas e meios pelos quais eu e meus colaboradores abordam este projecto como eticamente flexionadas, como transcendendo o local da política (bi) nacional, das fronteiras e seu policiamento.

Desafiando as barreiras impostas a mobilidade no mundo, o projeto Transborder Imigrante levanta questionamentos sobre o ativismo acadêmico, a utilização de dinheiro público em prol da superação de axiomas estatais e da dissolução das fronteiras entre o público, o privado e o estatal.

REFERÊNCIAS

http://prezi.com/w6t_sgtogpmb/transborder-immigrant-tool-arte-estetica-e-politica/

http://bang.calit2.net/

http://bang.calit2.net/2010/08/transborder-immigrant-tool-tbt-investigation-ends/

http://bang.calit2.net/xborder/

http://www.lareplay.net/artists/electronic-disturbance/