Você está na página 1de 5

Gerenciamento de Transporte e Frotas – Unidade 4 – Especificação e Avaliação de Veículos

Técnicas e Procedimentos Inerentes à Especificação

Para se chegar a uma solução a respeito da escolha correta do equipamento, algumas etapas devem ser
vencidas:

A. Definição e Caracterização do Problema: é feita a partir do levantamento de diversos dados:

a.1. Características da carga:

 Tipo – sólida, granel, sacaria etc.;

 Peso específico (Kg/m3) ou unitário e volume (m3);

 Fragilidade, tipo de embalagem;

 Limite de empilhamento;

 Possibilidade de unitização;

 Temperatura de conservação, nível de umidade admissível;

 Prazo de validade;

 Legislação.






a.2. Características do transporte:

 Identificação dos pontos de origem e destino;

 Determinação da demanda e frequência do atendimento;

 Sistemas de carga e descarga;

 Horários de funcionamento dos pontos de origem e destino;

 Dias úteis disponíveis por mês;

 Tempo de carga e descarga (espera, pesagem, conferência etc.).

a.3. Características das rotas:
Gerenciamento de Transporte e Frotas – Unidade 4 – Especificação e Avaliação de Veículos


 Distância entre os pontos de origem e destino;

 Tipo de estrada e topografia;

 Pesos máximos permitidos em pontes e viadutos;

 Legislação de trânsito (federal, estadual, municipal).

B. Levantamento das Alternativas: determinação das características técnicas necessárias aos veículos:

• Relação potência/peso e torque;

• Tipo de tração;

• Tipo de pneumático;

• Manobrabilidade;

• Tipo de cabine;

• Espaçamento entre eixos;

• Peso bruto total;

• Carga líquida;
• Autonomia;

• Tipo e dimensões da carroceria;

• Equipamentos auxiliares para carga e descarga etc.

C. Avaliação das Alternativas: nessa etapa avalia-se o investimento inicial, os custos de operação e
aspectos técnicos:

c.1. Investimento inicial:

Sua análise deve levar em consideração os seguintes aspectos: o número de equipamentos necessários (n),
o custo unitário inicial do equipamento (c), a vida útil do equipamento (v) e as condições de
financiamento oferecidas (f). Para cada opção de equipamento, deve-se calcular:

CF (Custo total de aquisição da frota) = n x c

CA (Custo de aquisição por ano de uso da frota) = CF/v

Gerenciamento de Transporte e Frotas – Unidade 4 – Especificação e Avaliação de Veículos

 O custo total de aquisição deve ser considerado devido às diferentes capacidades de equipamentos
distintos;

 Se as condições de financiamento oferecidas para opções distintas de equipamentos sejam as
mesmas, o investimento anual (CA) de equipamento deve ser o fator determinante para a escolha.

c.2. Custos de operação:

Nessa etapa o que interessa saber não é o custo por quilômetro rodado (CKm), mas sim o custo por
tonelada transportada (Ctt), da seguinte maneira:



Onde, Km é a quilometragem a ser percorrida por mês.

c.3. Aspectos técnicos:

Devem ser considerados adicionalmente ao investimento e aos custos operacionais, sendo os principais os
seguintes:

 Compatibilidade com carga de retorno;

 Versatilidade da frota;

 Qualidade e disponibilidade de assistência técnica e peças de reposição;

 Possibilidade de padronização da frota;

 Disponibilidade de mão-de-obra para manutenção e operação.


Métodos e Sistemáticas de Avaliação do Desempenho

 Principais Variáveis e Indicadores para Caminhões

• Velocidade Operacional: Em linhas gerais, quanto maior o percurso, maior é a importância e mais
significativos são os benefícios obtidos com o aumento da velocidade operacional, obedecidos os
parâmetros de segurança;

• Tempo de Carga e Descarga: Um aumento nesse tempo leva a uma diminuição na utilização do veículo.
Ademais, pode-se concluir que, quanto menor o percurso, mais significativos são os benefícios obtidos
com a diminuição do tempo de carga e descarga;

Gerenciamento de Transporte e Frotas – Unidade 4 – Especificação e Avaliação de Veículos

• Horas de Trabalho: O aumento das horas de trabalho resulta em aumento proporcional na quilometragem
mensal de um veículo, qualquer que seja o tamanho do percurso;

• Consumo de Combustível: Está se tornando cada vez mais relevante para a escolha do equipamento. Os
principais fatores que influenciam esse consumo são: velocidade, condições de tráfego, peso do veículo,
entre outros.


 Principais Variáveis e Indicadores para Caminhões

Essas variáveis influenciam diretamente a utilização do veículo que, por sua vez, está diretamente
relacionada à sua produtividade. A utilização do veículo (UV) é determinada pela seguinte relação:





 Principais Variáveis e Indicadores para Ônibus

• Velocidade de percurso;

• Custo diário total;

• Taxa de passageiros em pé por metro quadrado – indicador de conforto;

• Tempo no interior do veículo e tempo de espera – rapidez;

• Regularidade do serviço – confiabilidade.



Implicações da Homogeneidade da Frota na Manutenção e Operação dos Veículos

A padronização da frota traz uma série de vantagens:

•Preço dos veículos: maior poder de barganha para negociar com os fornecedores;

•Especialização da mão-de-obra;

•Peças de reposição: necessidade de menor nível de estoque, já que as peças necessárias são comuns a
todos os veículos;

•Manutenção: a análise de dados históricos permite uma manutenção preventiva mais eficiente;
Gerenciamento de Transporte e Frotas – Unidade 4 – Especificação e Avaliação de Veículos


•Dados de custos: a padronização torna mais fácil a obtenção de dados consistentes sobre custos, o que
contribui para a tomada de decisão acerca da renovação da frota;

•Layout da oficina e assistência técnica.