Você está na página 1de 7

Jornal TRI - Outubro 2009

Agência Experimental de Comunicação

Ano 10, N˚ 23,


Novo Hamburgo

Amigo se adota: voluntários O 3º Madrugadão atraiu dez O jornalista Tariq Saleh fala sobre
ajudam a evitar o abandono de equipes de universidades de todo o sua trajetória até a BBC de
animais (página 3) Rio Grande do Sul (páginas 6 e 7) Londres (página 8)
2 3
Bicho
Expediente
Caindo de Kombi no Set
Jornal Laboratório da Agência
Texto LEONARDO DE OLIVEIRA
Experimental de Comunicação Rafa, a Laís, o Daniel e o motorista torista que ligaríamos se a pre-

E
AGECOM | FEEVALE ra quarta-feira e o dia esta- Ivan fomos de Novo Hamburgo até miação terminasse mais cedo do

Jornal TRI - Outubro 2009


não é presente
va ensolarado. Estávamos Porto Alegre cantando músicas que esperávamos, então fomos
Jornal TRI - Outubro 2009

Presidente da Aspeur dentro da Agecom, contan- que animavam o passeio. Esta- até a entrada da PUC procurá-lo.
Argemi Machado de Oliveira do as horas para irmos à premia- vam no nosso repertório: Fresno, Tentamos contato, mas...
ção do Set Universitário da PUC Reação em Cadeia, NX Zero e - Esse telefone encontra-se fora da
Reitor Voluntários da grande Porto Alegre ajudam a evitar
em Porto Alegre. Concorríamos Belo. Belo, só eu curtia. O porque área de cobertura ou desligado!
Ramon Fernando da Cunha com mais de cinqüenta trabalhos! eu não sei. Pronto! Era só o que faltava, fica-
o abandono e a comercialização excessiva de animais
A euforia era grande e só faltava a Já eram 17h40min quando final- mos todos desanimados e com o Texto e diagramação RAQUEL RECKZIEGEL
Pró-reitor de Planejamento Zafira com quatro portas, ar con- mente chegamos na PUC. Já na mesmo pensamento: teríamos
e Administração Foto SOLANGE BIEGELMEYER
dicionado e direção hidráulica da entrada, a Raquel quase se de- que ficar até as 21h30min, que


Alexandre Zeni Feevale chegar para nos buscar. sentendeu com um segurança por era o horário combinado caso
Amigo não se compra, se mica. “Encontrei uma
A saída estava programada para ele perguntar coisas demais. A não saíssemos antes.
Pró-reitora de Ensino as 16 horas. O tempo passava e Maiara e a Laís estavam à procura O relógio já marcava 20h30min adota”: esse é o lema da- cadelinha que estava
Inajara Vargas Ramos o relógio já marcava 16h30min de um banheiro com urgência, e o quando um sujeito meio estra- queles que, todos os dias, grávida, e eu não queria
quando a nossa mega-auxiliar resto estava com fome. nho, parecido com um seguran- dão a sua contribuição para que que ela tivesse os filho-
Pró-reitor de Pesquisa e Inovação administrativa – a Fran! – chegou Após fazermos todas as nossas ça, veio para perto da gente e fi- menos animais de estimação vi- tes na rua”.
Cleber Cristiano Prodanov com uma notícia um pouco assus- necessidades, fomos até o local cou nos observando durante uns vam nas ruas. Foi procurando abrigos
tadora: onde seriam premiados os ven- 10 minutos. Ficamos olhando No dia quatro de outubro foi que Solange encontrou
Pró-reitora de Extensão e Assuntos – Pessoal, eu aluguei uma Kombi cedores do Set. Vimos uma apre- para ele e tentando falar com o comemorado o Dia Mundial Dona Marina, uma senho-
Comunitários que vai sair da área coberta, vocês sentação de um conjunto que motorista pelo telefone, sem ne- do Animal. Mesmo assim, mi- ra de 73 anos que cuida de
Angelita Renck Gerhardt vão em sete pessoas para o Set. aparentava ser legal, mas depois nhum resultado. lhares de cães e gatos são 300 cães em sua casa, so-
Por 2 minutos nenhuma palavra de tocarem quase 20 músicas O tempo passava e já estava abandonados todos os dias, zinha. Por isso, Solange começou desde abril.
Diretor do Instituto de foi dita. Corremos para a área co- com o mesmo ritmo, mudamos chegando 21h quando o Daniel enquanto outros tantos, consi- a ajudar da maneira que podia. O “Às vezes
Ciências Sociais Aplicadas berta do Campus II. Foi quando de opinião. olhou mais de perto e percebeu
Juarez Buriol
derados “de raça”, são vendi- problema? “As pessoas abando- fica bem
do começo do asfalto do prédio Quando chegou a hora de anun- que era o nosso motorista.
dos a preços altíssimos. nam e a Dona Marina sempre reco- p e s a d o , com o dinheiro, o traba- Como ajudar?
azul escutamos: ciarem os vencedores, cruzamos Pois é: o Ivan estava sem os
Coordenador do Curso de A comercialização de animais, lhe. Eu tiro um cachorro e entram lho e a faculdade. Mas vale a pena. Cuidar dos animais é um proces-
- Bréééé bruuuuum,bréééé brééééé! os dedos e torcemos. Dos 50 óculos escuros e ninguém o re-
Comunicação Social Era ela: a Kombi. trabalhos enviados, quatro ga- conheceu. Mas finalmente, o hoje, atinge níveis exorbitantes. outros quinze”, disse. Cada um que sai do abrigo é uma so de sensibilização e conscien-
Cristiano Max Pinheiro Entramos naquela maravilha da nharam um prêmio! Tá valendo, motorista estava ali e todos esta- A média de atendimentos de Solange vai até São Leopoldo, onde vitória”, relatou, feliz. “Não tem como tização. Quem não pode ou não
idade média e sentamos nos con- né! Os premiados da noite foram: vam prontos para ir embora. Foi uma pet shop, em Novo Ham- Dona Marina reside, tira fotos dos salvar todos, mas esses 50 que já quer adotar ainda pode dar a sua
Orientação fortáveis bancos de couro. Mateus Andreoli Trindade, Caro- quando Ivan largou a bomba: burgo, é de aproximadamente cães e gatos e as posta no site da conseguimos, não tem dinheiro que contribuição. É possível apadri-
Professora Donesca Calligaro A nossa querida amiga adesivada line Pilger, Juliano Martins e Iara - Não sei onde eu deixei a Kombi. 35 cães por dia. Além de ofe- Organização Não- Governamental pague”, concluiu, feliz. nhar um animal até que ele seja
com o logo da Feevale se destaca- Teresinha Averbeck, nas catego- Aquilo foi motivo pra muita risada. recerem serviços veterinários (ONG) Bicho de Rua e no Orkut, adotado, custeando ração e/ou
Projeto Gráfico va em meio aos carros e a poluição, rias de Programa de rádio - Ra- E por incrível que pareça, acha- e estéticos, grande parte das deixando o seu contato. Os interes- Como adotar? consultas ao veterinário.
Professora Rosana Vaz Silveira pelo simples fato de levar consigo diorevista, Publicação Impressa, mos a magnífica rapidinho e vol- lojas ainda disponibiliza cães de sados ligam e, se realmente esti- Adotar é fácil – o difícil é escolher Além do apadrinhamento, o site
sete pessoas que sonhavam em Publicação Impressa – Projeto tamos para a Feevale, cantando raça para venda. verem dispostos a adotar o animal, com qual dos bichinhos você se Bicho de Rua oferece diversas
Capa ganhar algo naquela noite. Experimental e Artigo. músicas, para variar, só que, des- Assim como outras pessoas que ele é retirado do abrigo e entregue identificará mais. Quem estiver doi- opções àqueles que se sentirem
Rafael Shunck e Renan D’Ávila Eu, a Raquel, a Maiara, a Carol, o Tínhamos combinado com o mo- sa vez, com outro repertório. se voluntariam para trabalhar em ao dono depois de castrado. “Algu- do para ter um em casa pode en- sensibilizados com a causa. En-
abrigos e auxiliar na adoção de mas pessoas só adotam os animais trar no site http://www.bichoderua. tre elas estão a divulgação das
Reportagem Carta ao leitor
Gustavo Henemann, Kátia Heller, animais, Solange Biegelmeyer, para a reprodução e venda de fi- org.br, especificar o tipo de animal, ações feitas pela ONG, doações
Dia das Crianças, Dia do Professor, eventos que aconteceram durante o E como não poderia deixar de ser, acadêmica de Biomedicina da lhotes”, afirmou Solange. Por essa o sexo e até a idade. Uma página de ração, assessórios pet e lares
Leonardo de Oliveira, Maiara
Dia dos Animais... foram muitas as mês de outubro, na Feevale, também fizemos um texto em homenagem
Sparrenberger, Márcia Andrade Feevale, não concorda com essa razão, ela e a amiga Carmem Rho- com dezenas de opções aparece- temporários. Em qualquer uma
datas comemoradas durante o mês chamaram a nossa atenção. Nosso a todos os professores, que têm
e Raquel Reckziegel de outubro. Núcleo de Jornalismo esteve presen- em suas mãos o poder de passar forma de comercialização. den organizam rifas para arrecadar rá e, a partir daí, é só entrar em das opções, é necessário pre-
Resolvemos homenagear algumas te durante o 3º Madrugadão cobrin- o bem mais precioso que existe: Solange trabalha no Laborató- fundos para a castração, além de contato com o guardião temporário encher um cadastro, o que pode
Diagramação delas, produzindo matérias para do o evento, juntamente com outros o conhecimento. rio Municipal Especializado, em procurarem veterinários parceiros. do bichinho. ser feito através do link “Como
Raquel Reckziegel chamar a atenção dos leitores so- acadêmicos de jornalismo em uma Ufa! Foi um mês de muita corre- São Leopoldo e, em meio aos Quando não conseguem, tiram o di- Mas atenção: adote apenas se ti- ajudar”, no site http://www.bicho-
bre alguns aspectos que considera- atividade chamada de Jornalismo ria jornalística - mas gostamos do estudos e ao emprego, encon- nheiro do próprio bolso. “Pagamos ver plena capacidade de cuidar do derua.org.br.
Contato mos importantes. Experience. Participamos, também, que fazemos, e dedicamos todos
trou tempo para procurar um ração, veterinário e vacinas. Vamos animal. Solange Biegelmeyer ga- Mais informações também po-
E-mail: tri@feevale.br O abandono de animais, em Porto do 2º Encontro Anual de Repórteres os nossos esforços em todas as
lar para animais abandonados. dando vinte reais aqui, quarenta rantiu que todos os guardiões se dem ser obtidas com Solange,
(51) 3586-8800 Ramal: 8775 Alegre e na região do Vale dos Si- Mirins, um evento organizado pelo tarefas, por mais mínimas que
nos, chega a níveis alarmantes. Por projeto de extensão Nosso Bairro em possam parecer. Afinal, assim nos “Sempre gostei de bichos, mas ali...” contou a voluntária. certificam plenamente se o ado- através do e-mail solangeb_21@
isso, desenvolvemos uma matéria Pauta, dando oficinas de texto jorna- ensinaram os nossos professores! estou mais empenhada nisto Com um pouco de esforço, Solan- tante cuidará bem do escolhido. yahoo.com.br, ou do telefone
sobre adoção de cães e gatos! Mas lístico para blogs e TVWeb. Parabéns a todos os mestres! desde abril”, contou a acadê- ge ajudou a efetivar 50 adoções, Adote com responsabilidade! (51) 9110 6898.
4 5
Quando o imaginário
Pase, comentou sobre o assunto. fessor André Pase. estão passando por treinamentos sumidor”. As ex-
“A questão da interatividade que Faz pouco tempo que os primeiros visando a operação dos equipa- pectativas não
a grande maioria tem em mente conversores com o software Ginga mentos novos. Eu que sou da na param por aí,
ainda vai levar um tempo para ser integrado estão disponíveis no mer- área técnica, por exemplo, fui ao segundo o pro-

torna-se real
Você já imaginou ter o poder de organizar sua própria implantada no Brasil. A TV Digital cado. No entanto, somente algumas Japão para aceitação e treinamen- fessor do curso

Jornal TRI - Outubro 2009


Jornal TRI - Outubro 2009

grade de programação na televisão? Ou, quem sabe, brasileira poderia ter sido uma re- pessoas já tem conhecimento des- to dos Transmissores Toshiba e de- de Comunicação
comprar um produto através do controle remoto enquan- volução muito maior, pena que o sa mudança e, por isso, a maioria mais equipamentos”, esclareceu. Social da PUC-
to vê o comercial? Com a tecnologia da TV Digital, esta governo não permitiu”, lamentou. dos brasileiros adquiriu (e está ad- “Além disso, esta ‘capacitação’ RS, a publicida-
“Futuramente, acredito que os te- quirindo) um conversor digital sem o também se estenderá aos cenários de estará cada
interatividade está bem próxima de se tornar realidade
Texto e diagramação MAIARA SPARRENBERGER
O que preciso ter? lespectadores poderão interagir
com as emissoras de várias for-
Ginga. Para André Pase, esta falta
de informações trará complicações
e camarins, que irão necessitar de
cuidados mais especiais em fun-
vez mais dentro
do próprio con-
Primeiramente, a casa precisa e converte-lo à TV. Em relação mas: opinando, respondendo en- no futuro. “Agora isso não está cau- ção da alta resolução de imagem”, teúdo da emis-
J
á se passaram quase
60 anos desde o sur-
gimento da televisão no
brasileiro tem a previsão de encer-
rar o período de transição daqui a
sete anos. Em 2016, o sinal analó-
estar localizada em uma área
que receba bem as transmissões
ao aparelho de televisão, qual-
quer televisor de tubo, mesmo
quetes, comprando produtos que
apareçam nos programas e, até
sando grandes problemas, mas no
futuro, quando a interatividade re-
completou João Bernardi.
O professor do curso de Comuni-
sora. “Acredito
que será possível
dos canais de UHF (Ultra High um que tenha apenas 14 pole- mesmo, estudando em cursos via almente estiver presente na TV di- cação Social da PUC-RS, André concretizar a pró-
Brasil. Hoje, vive-se ou- gico de televisão sai do ar. Quem
Frequency - Freqüência Ultra gadas, tem condições de “pe- TV”, completou o professor. gital brasileira, os compradores de Pase, também ressaltou a questão pria compra pelo
tra realidade: a TV digital. No não possuir um aparelho HD ou um
Alta). A antena UHF é que faz o gar” TV digital, desde que tenha No Brasil, a ferramenta criada para conversores sem o Ginga se darão da qualidade da imagem. “Na no- controle remoto da TV. Além
país, a estréia desse modelo de conversor de sinal, não poderá ver
sinal de alta definição chegar até entrada de áudio e vídeo, lem- permitir a interatividade é o softwa- conta de que compraram um equi- vela ‘Viver a vida’ da Rede Globo, disso, a publicidade não es-
transmissão aconteceu no dia 2 TV.
as casas, por isso, cada indiví- brando de que o televisor deve re Ginga, que foi desenvolvido por pamento inútil, que não lhes permite por exemplo, tem os gêmeos que tará presente apenas entre
de dezembro de 2007. Porém, No entanto, poucas pessoas sa-
duo deve informar-se sobre qual estar acompanhado da antena pesquisadores da Universidade interagir”, explicou. são interpretados pelo mesmo ator um programa e outro, mas
antes dessa decisão, ocorreu bem o que devem fazer para des-
modelo (interno ou externo) é o UHF e do conversor digital, cita- Federal da Paraíba (UFPB) e da A interatividade com possibilidades e tu notas claramente que aquilo é sim incluída neles: se o te-
muita polêmica sobre qual mo- frutar da TV digital. João Bernardi,
mais adequado para sua região. dos anteriormente. Pontifícia Universidade Católica do mais amplas deverá ganhar força um efeito de sobreposição de ima- lespectador gostar da roupa
delo de tecnologia de transmis- gerente técnico da Rede Record
O segundo passo é adquirir um Outra opção que o mercado Rio de Janeiro (PUC-RJ). O Gin- aos poucos. “No futuro, a expec- gem. Então tem que se ter muito de algum personagem da
são seria adotado: americano, do Rio Grande do Sul, apontou
conversor digital (set-top box), oferece, atualmente, é adquirir ga permite que os telespectadores tativa é de que os telespectadores mais cuidado com o refino de ima- novela, por exemplo, existirá
europeu ou japonês. Quase seis como ponto negativo da TV digital,
que deverá ser ligado ao televi- o televisor com conversor inte- usem outros aparelhos, além do possam ler a sinopse do filme, or- gens”, ressaltou o professor. Além a possibilidade de adquiri-la,
anos após muita discussão, em a questão da falta de informação e
sor e à antena UHF. O conversor grado para TV digital, sendo ne- controle remoto, para trocar infor- ganizar sua própria programação, disso, André Pase citou outras caso esteja à venda”, acres-
29 de junho de 2006, o presi- divulgação. “Existem muitas pes-
tem a função de receber o sinal cessário apenas ligá-lo a uma mações com as emissoras. Outra ver diferentes ângulos de câmera características que exigirão mais centou André Pase.
dente Luiz Inácio Lula da Silva soas que não sabem o que estão
digital enviado pelas emissoras antena UHF. característica importante é que o em um mesmo canal, entre várias atenção por parte das empresas As empresas de comunica-
assinou um decreto regulamen- comprando, sem falar naqueles
sistema, inventado pelos pesquisa- outras promessas de interatividade de comunicação. “O apresentador ção, a partir da TV digital, te-
tando a escolha do padrão japo- que vendem sabendo menos ain- Se você ainda não sabe o que pre- rificada promessa que essa nova
dores brasileiros, apresenta várias que a TV digital traz. Agora é espe- tem que cuidar para não ter nenhu- rão a possibilidade de estar
nês para a TV digital brasileira. da. Alguns confundem televisor de cisa para usufruir da TV digital, veja tecnologia traz é a interatividade.
características de um computador. rar para ver”, finalizou André Pase. ma marca na pele. A câmera tem mais perto do seu telespec-
plasma e de LCD com TV Digital”, o quadro acima. Quase dois anos após a implan-
Falta de Informação Segundo a pesquisa Nacional por que ser muito estável e a edição tador e consumidor. Além
comentou o gerente técnico. João tação da TV Digital no Brasil, a Fazer comunicação
Interatividade Amostra de Domicílios de 2008 necessitará de mais tempo. Então disso, as emissoras televi-
Atualmente estamos no “perío- Bernardi acredita que “levaremos questão da interação ainda deixa
- PNAD, divulgada pelo Instituo A chegada da TV digital não inter- tem uma parte de repensar a pró- sivas e as agências publici-
do de transição” da TV analó- algum tempo até que isso seja me- No primeiro momento, a melhoria a desejar. Em entrevista ao TRI,
Brasileiro de Geografia e Estatís- fere somente na maneira dos teles- pria televisão que está em curso”, tárias apresentarão novas
gica para a digital. Segundo a lhor compreendido e, nesse meio da imagem e do som são os prin- o Doutor em Comunicação Social
tica - IBGE, apenas 31,2% dos pectadores assistirem à televisão. finalizou. possibilidades de faturamen-
Agência Nacional de Teleco- tempo, algumas pessoas podem cipais diferenciais da TV digital. pela PUC-RS e atual professor
domicílios brasileiros apresentam O modo das empresas de comu- A TV digital também permite e exi- to e terão que reinventar o
municações (Anatel), o governo tirar proveito da ocasião”, finalizou. Porém, de forma geral, a mais glo- da área nesta instituição, André
computadores e, entre esses, só nicação realizarem seu trabalho ge que o próprio ramo da publicida- seu conteúdo, já que os te-
23,8% possuem acesso a Internet. também passa por modificações. O de se modifique. Os publicitários te- lespectadores terão a opção
Considerando esses números, “a gerente técnico da Rede Record do rão que inovar o modo de divulgar de simplesmente “pular” o
TV digital permitirá que pessoas Rio Grande do Sul, João Bernardi, seus clientes e os produtos. O pro- que não lhes interessa. En-
que nunca viram um computador afirmou que alguns profissionais da fessor André Pase acredita que “as quanto isso, o telespectador
entrem em contato com um siste- empresa já passaram, e outros ain- propagandas poderão trazer infor- irá se deparar com um leque
ma semelhante, o que certamente da passarão, por um “treinamento” mações adicionais sobre o produto maior de opções, através de
pode ser considerada uma forma para trabalhar com a TV digital. anunciado ou sobre o anunciante, novos canais de acesso a
de inclusão digital”, afirmou o pro- “Todos os profissionais envolvidos com dados relevantes para o con- produtos e serviços.

Aprenda fazendo
6/
7 De pé durante a MADRUGADA Ciclo de Palestras da Comunicação
Texto MÁRCIA ANDRADE

Jornal TRI - Outubro 2009


O
Jornal TRI - Outubro 2009

CIPCOM (Ciclo de Palestras


da Comunicação), realizado
Texto e diagramação RAQUEL RECKZIEGEL Madruga lovers na Feevale nos dias 30 de se-

O
Texto DANIELA MALLMANN e FERNANDA GALVÃO Foto DANIELA MALLMANN
que você estava fazendo naquela madrugada fria do dia 2 para o dia 3 tembro e 1º de outubro, contou com o
Não, não são somente as 10 equipes que participam do 3º Madrugadão da Feevale. principal intuito de estimular o aprendiza-
de outubro? Fazendo festa? Batendo papo no MSN? Dormindo?
Ao andar pelos corredores e pelos ambientes externos podemos notar a grande mo- do dos alunos e apresentar as problemá-
Nós estávamos participando do 3º Madrugadão. As dez equipes de várias universidades do Rio Grande do Sul,
vimentação de pessoas que vieram acompanhar as instituições e até mesmo alunos ticas das profissões relacionadas às três áreas
inclusive da Feevale passaram a noite feito corujinhas, criando uma campanha publicitária para o Beco 203, casa noturna de Porto Alegre da Feevale. Atraídos pelas diversas atividades disponibilizadas, como tenda de mas- da comunicação: Publicidade e Propaganda, Relações Públicas
famosa pela irreverência de suas festas e do público frequentador. O Núcleo de Jornalismo da Agecom participou do evento organizando o sagem, games, karaokê, show de bandas entre outros atrativos, os madruga lovers e Jornalismo. No primeiro dia do evento, Rodrigo Falcão, respon-
Jornalismo Experience, onde alunos da Feevale e das universidades visitantes puderam ter um gostinho da profissão, cobrindo o Ma- também marcam presença nesse evento. Este é o caso da estudante de publicidade sável pela linha editorial dos programas Esporte Record e Rio
drugadão, postando matérias no blog e no Madrugadão News, jornal criado especialmente para o evento. e propaganda Ana Paula Weber, que viajou por duas horas para acompanhar seus Grande no Ar, e André Conti Silva, Coordenador do Departamen-
Nada melhor para mostrar um pouquinho da correria jornalística do que co- colegas, e aproveita a noite assistindo filmes, “Gostei da maneira como as pessoas to de Criação da Record, falaram sobre Marketing + Jornalismo =
locar aqui algumas das matérias produzidas pe- nos receberam e da integração que está acontecendo, enquanto as equipes estão Vice na audiência no RS: Case Rede Record. Já no segundo dia,
los acadêmicos durante a noite! trabalhando, nós estamos nos divertindo e conhecendo novas pessoas”. Georgia Petry contou um pouco sobre a construção de case do
Canoas Shopping, e Pedro Oliveira explicou como o Rua da Praia
Abram os olhos: Conforto dos Corujas Shopping está se revitalizando.
Um jogo de RPG que Esportes na madrugada Marketing e jornalismo é uma combinação que pode dar muito cer-
o 3º Madrugadão começou! Texto e foto RAQUEL RECKZIEGEL
Texto CARINE KLEIN Foto ALCIONE MÜLLER
to. Ela resultou na alta audiência que a Rede Record tem hoje. A
Texto ALCIONE MÜLLER, CARINE KLEIN e MAIARA SPARRENBERGER
pode durar mais de 7 horas Enquanto os olhos de alguns começam a fechar Na terra do sapato, participantes do 3º Madrugadão preferem função desempenhada por Rodrigo Falcão e André Conti Silva deve
Texto CRISTIANE WEBER de sono, outros absorvem completamente as o conforto para aproveitar a madrugada inteira de atividades.
Foto LÍDIA DUTRA coincidir com esforço e criatividade, ou seja, a busca por sucesso e
As corujas participantes características da coruja, símbolo do Madruga- A elegância não ficou de fora do evento. Sapatos e botas fize-
Sete pes- resultados satisfatórios deve ser constante. Mostrando suas expe-
da 3ª edição do Madru- dão Feevale. Neste ano, o vôlei foi a bola da ram o estilo de alguns participantes. Outros preferiram mais
soas vidra- riências e ideias, os palestrantes informaram índices de audiência
gadão, promovido pela vez. Uma quadra de mini-vôlei foi montada en- conforto, como pantufas. Há, também, quem se arrepende do
das em uma e enfatizaram que ela é muito importante para definir uma grade de
Feevale, já estão plane- tre os prédios Amarelo e Azul, com uma rede calçado escolhido para a noite de atividades na Feevale. programação. A Record que hoje representa em nível estadual o
jando a campanha pu- única histó- cedida pelo Campus I. Não demorou muito para
2º lugar de audiência, vem, cada vez mais, conquistando o público
blicitária para o cliente ria. Quem os participantes montarem duplas e caírem na “Eu sempre uso sapato. Mesmo de-
com variedade na programação, tentando sempre perceber o que
deste ano. comanda a rede. A ideia partiu da acadêmica de Relações pois de todas as atividade e das par-
o telespectador procura e deseja.
O Madrugadão é uma Públicas Amanda Ebert Zirbes. “É uma atividade de descontração, para tirar o tidas de vôlei, meus pés não estão
roda é o es- A busca por melhorias está presente em todo tipo de trabalho, o
competição divertida en- sono e deixar as pessoas à vontade”, explicou. Guilherme Gebhardt Enghusen, de doendo.”
tudante de que não é diferente na construção de case do Canoas Shopping.
tre estudantes de Publi- 20 anos, foi selecionado para ser monitor da atividade. “Me disponibilizei a ajudar”, Marsal Branco
Jogos Digi- Georgia Petry, gerente de marketing do shopping, relatou sobre
cidade e Propaganda de contou o acadêmico de Publicidade e Propaganda. “Gosto do esporte, embora
“Eu escolhi as botas porque são le- os métodos utilizados para mudar o conceito que os canoenses
diversas universidades tais Guilherme Fernandes, mais conheci- eu não costume jogar tanto”. Guilherme aprovou completamente a ideia do vôlei.
ves, confortáveis e combinam com o tinham sobre o local e através de uma pesquisa que foi realiza-
do estado. Neste ano, ao todo são 10 equipes com 10 integrantes cada do como Roadie, que pratica Role Playing Tinha apenas uma observação a fazer: “Acho que precisava de um espaço um
meu estilo. Agora, tive que colocar os da, identificaram a baixa auto-estima dos moradores da cidade. A
uma. No auditório do prédio Azul, os participantes conheceram quem são Game (RPG) há sete anos. Depois da ter- pouco mais adequado, maior e que desse mais visibilidade”. Quem sabe uma
pés pro ar porque estou cansada.” partir disso, estava identificado o que o consumidor precisava e
os monitores (que os orientam durante toda a atividade) e o padrinho (um ceira troca de curso na Feevale – Roadie melhor de três, no ano que vem? o que gostaria de ter em seus momentos de lazer. Geórgia Petry
Francielle Behrend
profissional que ajuda no planejamento da campanha). ainda deixou um recado para os acadêmicos: “Trabalhem na área
passou pelo Jornalismo, pela Publicidade
Os organizadores do 3º Madrugadão escolheram como cliente a Beco desde o começo, aproveitem todas as oportunidades, se tiver que
203 Produtora. Durante a madrugada, as 10 equipes criarão uma cam-
e agora se aventura nos Jogos – uma Sessão madruganê Vencedores do 3º Ma-
te sujeitar a largar um emprego com um salário legal pra optar por
panha publicitária. No final da manhã, de amanhã, o júri oficial (composto coisa não mudou: a paixão por jogos inte- “Tô de pantufa porque é madrugada,
rativos. “É bacana pensar no que o outro
Texto LUAN MENEZES Foto RODRIGO TEIXEIRA
drugadão Feevale um salário menor para entrar na área, faça. Não abram mão de
por profissionais) escolherá o melhor trabalho, que será o vencedor do porque é quentinho e confortável.” nenhuma oportunidade”, enfatizou.
A galera que
evento. Já o júri especial (composto pelas próprias equipes) vai escolher está projetando, entrar na mente alheia Depois de vi- Luciana Leie.
curte um ci- Pedro Oliveira que é gerente de marketing do Rua Praia Shopping,
o melhor trabalho. rarem a ma-
e continuar o jogo”. O pessoal está bem neminha, um comentou que no momento o local está passando por um proces-
O 3º Madrugadão tem o patrocínio da Red Bull, Totosinho, Crazy Cast, drugada na
concentrado na sessão que pode durar programa so de revitalização, ou seja, muitas medidas estão sendo tomadas
Refeições Klazer e Instituto de Ciências da Saúde (ICS) da Feevale. sala 201 do
oito horas! Haja café e disposição! mais light, “Comprei o tênis ontem e resolvi usar para que o shopping possa mostrar a todos que ele está vivo, que
A partir de agora, as corujinhas já começam a espantar o sono! prédio azul,
está na sala hoje. Me arrependi de não ter trocado não é apenas uma galeria- como muitos definem- e sim, que é um
vestindo ca-
303 do prédio amarelo, onde foi im- de calçado, porque agora tá bem des- estabelecimento completo e que pode oferecer o que o consumidor
misetas azuis,
Chimas e games no bar do Tiririca “A gente trouxe o
provisada uma sala de cinema. En-
a equipe ven- confortável, tô até com calo.” espera. Uma dessas medidas foi o pop-up store, um container com
tre risos e pipocas durante o filme Júlio César Patrício vários produtos com o diferencial de preços baixíssimos e apenas
Texto e foto JULIANE SOSKA e MATEUS TRINDADE
vídeo game para se cedora escolhida pelo representante do
“Sim, senhor”, muitos aproveitam 72 horas disponíveis para compras. Teve como finalidade, aumen-
Conhece o Rudimar Luis de Medeiros? Personagem tradi- distrair. Vamos ficar cliente Beco 203, Guilherme Brasil, e pelos
para acessar a internet em seus tar a compra por impulso e conquistar mais visitantes. Pedro ainda
cional do “comércio” da Feevale, o Tiririca, como é conhe- até às 16 horas de representantes da DEZ Propaganda, Melina
notebooks pelo wireless disponível explica que: “É preciso conhecer a fundo esse público para desco-
cido, ficou acordado a noite toda vendendo seus quitutes amanhã, em um to- Tamelini e Henrique Menezes, foi a UNISI-
dentro do espaço. Os filmes dis- brir o que eles querem. Querendo ou não o marketing faz parte da
no “bar do Tiri”. A dificuldade foi entrevistar esse figura, em tal de 25 horas de NOS! Tendo Como Padrinho Juvenal Costa,
poníveis são: “Quase irmãos”, “X- vida das pessoas”. Como resultado, houve um aumento de 32%
função da música alta, mas mesmo assim ele contou para trabalho”, revelou o da DCS e como Monitora Bruna Chilanti, a
men origens: Wolverine”, “Zohan: nas vendas e também de 17% do fluxo.
gente como é madrugar na Feevale: “Trabalho aqui desde empregado Richard equipe foi a primeira a apresentar sua cam-
o agente bom de corte”, “Velozes e Então, é preciso que os acadêmicos fiquem ligados no que está
98 e já fizemos algumas madrugadas de festas e eventos. Silva, 19 anos. panha, que agradou os jurados por seguir
furiosos 4”, “Watchemen, o filme”, acontecendo no mercado e sempre tentando mostrar seu diferen-
Hoje estou olhando o movimento”. Entre os produtos mais procurados, o café e refrige- o briefing e apresentar mídias alternativas
“Heróis”, “Anjos da noite: a rebelião” cial e competência, para também encontrar resultados satisfatórios
Os funcionários, que jogavam Pro Evoluction Soccer 2009 rante, que foram as bebidas mais vendidas para a ga- viaveis ao cliente. PARABÉNS UNISINOS!
e “The spirit, o filme”. como os cases que foram apresentados.
no Playstation 3, deram um pause para atender o pessoal. lera do Madrugadão 2009 se manter acesa.
8 Ser professor: um sacrifício que compensa 9
BBC
Bate-papo

De Sapiranga à Texto GUSTAVO HENEMANN Ilustração DIOGO FATTURI

Jornal TRI - Outubro 2009


Jornal TRI - Outubro 2009

O jornalista e correspondente internacional da BBC, Tariq lho e me indicou para a redação fomos abordados por esses ho- 5 de outubro é o do que simplesmente dar a
Saleh, visitou a Feevale e conversou com a redação do TRI da BBC Brasil em Londres, e no mens do Resbolah que nos con- seu dia, teacher! matéria. “Não é só trans-
final do ano passado fizeram um vidaram a acompanhá-los. Fo- Transmitir conhe- mitir aos alunos a constru-
Reportagem e fotografia LEONARDO OLIVEIRA
novo convite para eu ser o novo mos interrogados duas ou três cimentos tem sido cada ção do conteúdo, mas sim

A
Feevale rece- jornal Zero Hora e cobrir algo tão correspondente da BBC Brasil no vezes, ficamos 5 horas detidos, vez mais difícil: os alu- formar o cidadão como um
beu, no dia 24 importante como a Guerra do Ira- Oriente Médio e norte da África. até que fomos libertados. Foi nos não prestam atenção todo”, afirmou.
de setembro, a que? uma situação difícil, principal- na aula que o professor Há 13 anos como profes-
visita do jornalista Ta- Tariq - Confesso que, quando eu RT – Por que a guerra te fascina mente para o pessoal da Globo. passou horas planejando sora da Escola de Apli-
riq Saleh, correspon- entrei na redação e vi aquela mo- tanto? Eu já estava acostumado com e não valorizam seu tra- cação da Feevale, Maria
dente internacional da BBC vimentação do pessoal passando Tariq - Tem um pouco a ver com isso e reagi muito bem, e por fim balho. São bolas de pa- Cecília Kurkowski Weber
de Londres, cobrindo o Oriente por mim, aqueles que eu via como a minha história pessoal. Eu sou acabou tudo bem. pel, insultos, deboches, disse que os professores
Médio e a África. Tariq estava ídolos, como Ruy Carlos Oster- filho de palestinos, e isso está no inúmeros trabalhos para têm de que saber lidar com
de férias no Brasil e aproveitou mann, Paulo Sant’Ana, foi fantás- sangue. O Oriente Médio tem in- RT – Qual a sua opinião sobre a corrigir, várias noites mal todas as situações dentro
para visitar seus familiares, que tico. Aprendi muita coisa bacana, fluências de muitas culturas, por queda do diploma? dormidas, críticas ao seu da sala de aula. “Ser pro-
residem na cidade de Sapiran- tentei ao maximo tirar lições e pe- isso tanto conflito. Isso me fasci- Tariq - Vejo que isso se esten- trabalho. Mas nada disso fessor é vocação, tem que
ga, onde cresceu e morou du- gar conselhos. Eu estava no lugar na, pois a guerra em si também deu demais. Já cansou essa fez com que você, pro- ter o dom de saber ensi-
rante sua infância e adolescên- certo, pois queria cobrir assuntos tem sua parte de aprendizado discussão, as organizações de fessor, desistisse do seu nar”, complementou.
cia. Ele nos contou um pouco internacionais, e a guerra estava para que o jornalista cresça numa jornalistas deviam focar suas sonho: fazer do mundo o Para estar dentro de uma
sobre sua trajetória no jornalis- ali. Depois dessa cobertura eu co- situação de muito perigo. Você energias em outras coisas e melhor possível. sala de aula passando to-
mo até chegar à BBC. mecei a sonhar mais alto. nunca mais é o mesmo depois de não só no diploma. [...] Hoje as Os alunos não têm a dos os seus conhecimen-
cobrir um conflito, sua visão so- empresas preferem jornalistas consciência de que, no tos adquiridos durante os
Redação Tri – Por que você RT – Como surgiu o convite para bre o mundo muda e, mais do que formados.Não tem porque se futuro, o diferencial será anos de aprendiz, o profes-
optou pelo jornalismo? trabalhar fora do Brasil? isso, você amadurece. preocupar, o jornalismo é uma o conhecimento adquiri- sor, quando entra na sala benefício para os alunos, pessoas, afinal, o que seria PROFESSOR, mesmo sa-
Tariq Saleh - Na verdade a mi- Tariq - Me mudei pro Líbano em profissão onde só devem traba- do durante a fase escolar. de aula, deve ser profissio- mas para os próprios pro- da cultura e educação sem bendo que, para o profes-
nha primeira ideia surgiu com 2006 e resolvi arriscar. Cheguei RT – Como foi pra você ficar sob lhar pessoas qualificadas. O professor da Escola nal. “Não deve pensar em fessores. “A gente ensina os professores, que nos sor, todo dia é o dia dele.
13 anos quando assisti o filme em um pais estrangeiro aonde a o poder do Resbolah? de Aplicação da Feeva- salário nem em valoriza- e aprende ao mesmo tem- ensinam não só conteúdos “O nosso carinho e gra-
“Gritos do Silêncio” baseado cultura é de uma certa forma dife- Tariq - Eu estava com o pessoal RT – Que dicas você dá a quem le, Fernando Frederico ção, senão não consegue po. Vale a pena mesmo, formais, mas também ex- tidão, a todos os profes-
em fatos reais sobre a guerra rente da minha por eu ter crescido da TV globo, a gente estava numa está pensando em crescer na Bernardes, está em seu seguir em frente”, diz a pro- ser professor”. periências de vida? O tem- sores, que além de trans-
civil no Camboja. Fiquei encan- no Brasil. Um dia um jornalista da região tensa de alta segurança e carreira de jornalista? primeiro semestre como fessora Maria Cecília. Mesmo que a sua rotina seja po pode passar, mas todos mitir seus conhecimentos
tado e fascinado pelo filme e BBC Brasil chegou em Berluchi e estávamos fazendo uma reporta- Tariq - Não existe uma receita professor da instituição. Elizabeth Schmitz Leh- dura e cansativa, professor, sofrem fortes influências de e suas experiências, sou-
decidi seguir na profissão. pediu pra mim fazer um trabalho gem sobre um restaurante temá- única, mas existem dicas bási- Segundo ele, a principal mann, também lecionando você é feliz naquilo que gos- seus professores do passa- beram apoiar-nos em
pra ele. Ele gostou do meu traba- tico no sul de Berlucchi quando cas. Em primeiro lugar você tem função do professor den- há 13 anos, afirmou que ta e faz. É um ser indispen- do. Desejamos a todos os nossas dificuldades.”
RT – Seu primeiro emprego foi que se ver no futuro, traçar seu tro da sala de aula é mais ensinar não é somente um sável na vida de todas as teachers um FELIZ DIA DO Autor desconhecido
em uma agência experimental, objetivo dentro do curso, ir atrás,
como foi o aprendizado?
Tariq - Foi ali o primeiro conta-
ter conhecimento de tudo sobre
aquilo que você pretende seguir. Exponha seus trabalhos aqui!

Relações Públicas
to com a rotina de um jornalis- Ser persistente, pois vão haver

Institucioanais
ta: reunião de pauta, trabalho muitos obstáculos. Acumular co-
em grupo, redação jornalística. nhecimentos é fundamental pois

Audiovisual
Com esse estágio, abriram por- jornalista com pouco conteúdo

Empresarial
tas para o mercado de trabalho. daquilo que quer cobrir não vai
Foi fundamental eu ter ingres- a lugar nenhum. E quanto mais
Jornalismo Televisão
sado logo no inicio. idiomas melhor, isso da um incre-
mento à carreira e ao currículo. E
Anúncio
RT – Como foi trabalhar tão ter sorte, que é o essencial, a sor- Publicidade
cedo na editoria Mundo do Tariq Saleh participou das disciplinas de Introdução ao Jornalismo e Radiojornalismo I te nos acompanha em tudo.
10 Nosso Bairro em Pauta 11
Entre microfones, câmeras
TV Web Fotografia 2
A Oficina de Fotografia 2 aconteceu através de expli-
cações e na prática. Após a explicação os integrantes

e entrevistas...

Jornal TRI - Outubro 2009


saíram para fazer uma caminhada pelo campus, tirando
Jornal TRI - Outubro 2009

fotos um dos outros em diversos lugares, pondo em


prática o que foi dito. Na explicação foi dito como usar
uma câmera, e que para cada tipo de imagem existe um
Publicidade 1 tipo diferente de luz.
Repórteres: Daliane, 11anos e Natani, 13 anos;

C
Entrevistamos o oficineiro Leo- Escola:Machado de Assis e Adolfina Diefenthaler
A oficina proporcionou aos participantes a confecção de um cartaz,
usando o programa Illustrator. A aluna Amanda, de 12 anos, da escola nardo de Oliveira e ele disse que
erca de 250 Marcos Moog contou que estava fazendo um cartaz para o 3° encon- gostou da oficina. Contou que
tro Anual de Repórteres Mirins, que ocorrerá no ano que vem. Renan aprende muito com os alunos e o
alunos da rede
D`Àvila, estudante de publicidade e propaganda e voluntário na Age- contato com as crianças ajuda no “O blog é um diário virtual, é uma página na internet,
municipal de com, que orientou a oficina, disse que os alunos aprenderam o que se crescimento da vida profissional. e nessa página você pode fazer como o seu diário. Nele
ensino de Novo Hambur- pode fazer com o programa na elaboração de cartazes. Conversamos também com a ofici- Blogs você pode colocar fotos, textos etc.” Assim a monito-
neira Caroline Roveda Pilger, e ela ra Renata Arteiro definiu o que é um blog. Na oficina
Repórteres: Wesley Ferreira, 10 anos, Natani, 13 anos e Daliane, 11 anos; Es-
go tiveram uma tarde dife- acha muito legal que nós possamos
colas: João Brizola, Adolfina Diefenthaler e Machado de Assis. os alunos entrevistaram pessoas e montaram textos
rente no dia 29 de setembro. interagir com outras escolas e
para serem publicados no blog www.reporteresmirins.
conhecer coisas que nossas escolas
O 2º Encontro Anual dos Re- não têm. blogspot.com. Renata comentou sobre a oficina “Eu

pórteres Mirins, realizado na


Desenho acho muito importante trabalhar nesse assunto com as
Repórteres: Lucas Baich, 11 anos e crianças, pois estimula a vontade delas aprenderem e a
Feevale, reuniu 26 escolas e Nós fomos até a sala de desenho para descobrir o que esta- Lucas Henrique Filipiake, 10 anos sua curiosidade”. O monitor Gustavo afirmou: “Minha
28 professores da rede públi- va acontecendo naquela oficina. Quando a gente chegou lá, o Escola: Rodrigues Alves e Caldas Junior função aqui na Agecom , é na parte da Web. O blog é
professor estava ensinando os alunos como desenhar. Per- legal pois posso expor minhas notícias.”
ca. Cerca de 20 professores guntamos o que fez ele ser professor de desenho e ele disse
Repórteres: Anelise Padilha e Victória Raupp; Escola: Martha
e acadêmicos do curso de que desde pequeno gostava de desenhar . Quem ensinou ele
Wartenberg
foram as primeiras professoras da escola.
Comunicação Social e Jogos TV
Repórteres: Edi Elizete Lira, 12 anos e Jessica da Silva Freitas, 11
Digitais da instituição minis-
traram 12 oficinas na área da
DIA MUNDIAL DOS ANIMAIS anos; Escola: Olavo Bilac e Elvira Brandi Grin

comunicação e games, bus-


Publicidade 2
cando envolver os estudantes Rádio Perguntamos para o bolsista de publicidade Marco
Depois de algum tempo dentro da Antonio o que estava acontecendo e ele disse: “Está
nos processos de produção e
sala de aula aprendendo a manu-
Fotografia 1 Os oficineiros Mateus e Daniela acontecendo uma oficina de publicidade.”
criação dos diversos meios. sear a máquina fotográfica, os alu- separaram os alunos em quatro Também perguntamos para a aluna Mariana, de 11
nos foram botar em prática tudo o grupos. Os dois primeiros fica- anos, da escola Jorge Ewaldo Koch o que ela estava fa-
O encontro, comemorativo
que aprenderam, tirando fotos de ram juntos na sala dos micro- zendo e ela disse: “muita coisa, como criar o modelo de
aos dez anos do curso de Jor- seus colegas, depois andando pelo fones e os outros dois grupos diagramação de uma revista”.
Campus 2 da Feevale, procurando ficaram no mesmo laboratório, Na oficina de televisão Rodrigo
nalismo, foi uma promoção Repórteres: Keyla Juliara Krodt, 10 anos e Gabriela Maiara Bo-
paisagens para mais fotos. porém na sala de aula ao lado do ensinou as crianças a postura no
do projeto de extensão Nos- vídeo e muitas outras coisas. Por natti, 10 anos; Escolas: Jorge Ewaldo Koch e Arnaldo Reinhardt
estúdio.
Repórteres: Giovanna Bock e Aline
Os grupos que estavam no estú- exemplo: o que é um teleprompter?
so Bairro em Pauta. Os es- Hessler, 11 anos; Escola: Imperatriz
dio faziam um resumo. O primei- É onde os repórteres fazem a lei-
Leopoldina
tudantes aprenderam mais ro grupo fez uma reportagem tura do programa inteiro! Imagine
sobre “o que o SUS está fazendo antigamente quando muitos repór-
sobre as técnicas do rádio,
pelos moradores da cidade de teres usavam folhas, o que não era
da televisão, da publicidade, Novo Hamburgo”. Já o segun- muito bom porque eles tinham que
da fotografia e da web, entre Pintura Digital do, fez uma reportagem sobre ler enquanto olhavam para frente. A oficina de oratória serve para aqueles que têm certo
Mas agora é muito mais fácil, os
outras. Nestas duas páginas
a Coordenadoria da Mulher. Os
alunos pareciam estar bem inte- repórteres podem olhar para frente Oratória pânico ou medo de falar ao público ou em frente às
câmeras. Isto acontece muitas vezes com alunos na
Fomos até a sala de pintura digital e realizamos algumas pergun- e fazer todo o programa.
você vai conhecer um pouco ressados nesse novo exercício. hora de apresentar um trabalho na escola ou em algum
tas aos alunos da oficina. Perguntamos para a Bianca, 11 anos, O Marcelo, de 11 anos, respondeu
de cada atividade realizada da escola Jorge Ewaldo Koch o que ela estava achando da pintura Repórteres: Nicolas, 11 anos, e Ale- outro evento. Os alunos fizeram um planejamento do
as seguintes perguntas: Você quer
digital.“Eu acho interessante o jeito que a gente pinta, não é com o xandre, 10 anos; Escolas: Francisco assunto que iriam falar em frente à câmera, eles co-
nos laboratórios da Feevale, ser repórter quando crescer? “Sim,
mouse é com uma caneta com a ponta branca. É muito diferente”. Xavier Kunst e Marina Garbarino mentaram que não gostariam de usar o microfone para
acho muito interessante isso de ser
através do olhar das crian- Também perguntamos sobre repórter mirim” se apresentar. Logo após os alunos foram ver como se
a expectativa do que fosse a O que você acha do repórter mi- saíram na reportagem. Entrevistamos uma das alunas
ças que participaram da ofi-
pintura digital. Alessandra, de rim? ”Gosto muito de participar! participantes da oficina. Thalia, 11 anos, do colégio
cina de Mídia Impressa. 10 anos, da escola Arnaldo Rei- Porque fazemos reportagens muito Francisco Xavier Kunst, disse: “Eu achei muito legal,
nhardt disse: “Eu esperava que a interessantes”. principalmente para perder a vergonha”.
LAÍS FLORES, LAERTE DORNELES pintura digital fosse com lápis e Nome: Deniele, 10 anos e Maria Edu-
borracha”. Repórteres: Anelise Padilha e Victória Raupp; Escola:EMEF
arda, 11 anos; Escola: Affonso Penna e
E PÂMELA STOCKER Martha Wartenberg
Repórteres: Keyla Juliara Krodt, Cel.Guilherme Gaelzer Neto
FOTOS: RÔMULO KASPAR 10 anos e Gabriela Maiara Bonatti,
(responsáveis pela Oficina de Mídia Impressa) 10anos; Escola: Jorge Ewaldo Koch e
Arnaldo Reinhardt
Quas
Estam
e lá...
os qu
ano, a
e é c se no fim
Jornal TRI - Outubro 2009

desp om u do
edi m
tulaçã da que fa clima de
o da z
Agua gestã emos a r
rdem o do ecap
dade o pró DAC i-
ira m x imo jo e m 20
ensag rnal p 09!
em d ara a
e des ver-
pedid
a...

i-
Goleir y
a
nhas d
Semanaca r ena
i A SA
Acadêm IC

Ca
lo
As ur
se ad
s a
Ge mbl Seriout
ra eia Komba
l

2010, ESTATUTO NO
VO!
Há quem diga que panela
velha é que faz comida boa
, mas este dita-
do popular não se aplica ao
estatuto antigo do Diretório
Comunicação. Por isso, apó Acadêmico de
s várias reuniões com nos
sa equipe e o ad-
vogado do Diretório Centr
al dos Estudantes, a equipe
do DAC decidiu
fazer algumas alterações.
Nos baseamos no estatuto
do DA de Jogos
Digitais. Para quem não com
pareceu à Assembleia Ge
C ... De- convocada por nós atravé
s de e-mail, seguem as prin
ral do dia 05/10,

o DA ora, em da? cipais mudanças:

a d a emb dequa pre- · Redução de dois para um


r ri r ano de gestão;
lei iríamoseispedidalgumas su
a
· Modificação no processo
a de eleição;
Fin ram que uma d emos a · Reconhecimento das entida
des de representação estu-
a em er
Ach bro, s -se! T ... dantil em níveis superiores
zem naram você
s
a d os ls! ·
(ex: DCE)

lig -mai
n g a a r a Organização dos livros do
E p diretório (atas de reuniões
has m e
ue os e
sin assembléias, livros fiscais
, contábeis e demais obriga
Fiq n · Política de identidade visual
mais clara e completa;
tórios);

· Novos regimentos para con


vocação de Assembléias

Equipe DAC