Você está na página 1de 1

.

Minas
PÁGINA 1- BELO HORIZONTE, SEGUNDA-FEIRA, 6/4/2009 - minas@hojeemdia.com.br
.Hoje EM DIA

Y SEGUNDA DE UMA SÉRIE

Realidade
escancarada
CRISTIANO COUTO

GABI SANTOS
ENVIADO ESPECIAL

SANTA CRUZ DE MINAS, ALFREDO


VASCONCELOS E BOA ESPERANÇA - Poli-
ciais que acompanharam a reportagem do
HOJE EM DIA por várias cidades do inte-
rior de Minas afirmam que o tráfico de cra-
ck e outras drogas está instalado na zona
rural e é uma situação grave. Mas, oficial-
mente, a Polícia Militar (PM) não fornece
os dados de ocorrências sobre o assunto.
Segundo o assessor de comunicação da
corporação, capitão Gedir Rocha, “os co-
mandantes dos batalhões do interior se re-
cusaram a fornecer os dados”. Mas o capi-
tão Eduardo Dantas Rosa, comandante da
137ª Cia da PM em Ouro Fino, no Sul do Esta-
do, constata que “uma das mudanças de
comportamento identificadas é que muitos
traficantes moram nos centros urbanos,
mas escondem drogas na zona rural, onde
vendem aos moradores e trabalhadores”.

“Temos um bairro aqui, na di-


visa com a zona rural, onde há pes-
soas que traficam drogas e rou-
bam motocicletas. Mantemos um
policiamento rígido nessas áreas,
e uma das ocorrências mais graves
aconteceu no final de janeiro pas- C. fumava crack escondido da família e dos colegas de trabalho no meio das lavouras, no Sul de Minas
sado, quando quatro homens com
antecedentes por tráfico atiraram
e mataram dois militares da nossa
unidade. O fato, em si, não tem re-
lação direta com drogas na zona
rural, mas os autores, pelo que sa-
cantes já agem na zona rural. O
problema é que ninguém quer ou
C., 32 anos, lavrador
bemos, estão envolvidos com o trá-
fico”, diz.
gosta de falar sobre isso”, comenta
um policial civil de Boa Esperan-
“Estoutentandomelivrardocrack”
Outro oficial que tem coman- ça, no Sul de Minas. Ele também
HOJE - De que forma você começou a usar drogas?
dado buscas de drogas e prisões de pede anonimato, mas revela que a
C. - Comecei com bebida, muito cedo, depois passei para a maconha.
traficantes é o tenente Alexandre Polícia Civil local tem recebido
Isso foi dos 12 aos 20 anos. Depois, experimentei cocaína. O crack foi
Guimarães Lasnor, da PM de Alfre- muitas ocorrências da PM sobre
nesses últimos anos, no lugar da cocaína.
do Vasconcelos, a 160 quilôme- apreensões de drogas na zona ru-
O crack já está levando até os lavradores ao vício?
tros de Belo Horizonte, na Região ral. No município, uma das princi-
Antes, era difícil encontrar drogas na zona rural. Mas, hoje, as drogas
Central, com pouco mais de 5 mil pais ocorrências foi a descoberta,
estão espalhadas por todos os lados, é fácil.
habitantes. “Um grande problema em 26 de fevereiro deste ano, de
Tem muita gente oferecendo e vendendo?
que enfrentamos na região é a re- 1,192 quilo de cocaína preparada
No começo, eu ia para a cidade e comprava. Hoje, não precisa mais,
cusa dos moradores em falar so- em papelotes, além de 137 gramas
tem gente que compra e traz.
bre o tráfico na zona rural. Todos de crack. Essas drogas e uma balan-
A dependência da droga trouxe prejuízo à sua vida?
sabem que os autores das denún- ça de precisão foram encontradas
Sim. As drogas fazem a pessoa perder o emprego, o caráter e a
cias são preservados, mas não escondidas sob um pé de café.
confiança dos outros e do patrão. Já fiquei muito doente. Tenho dois
adianta. A população tem medo Também em Boa Esperança, a PM
filhos pequenos, e o crack prejudicou muito a minha relação com a
de dar informações sobre o uso e a empreendeu uma grande opera-
mulher e as crianças.
venda de drogas. Sabemos que mo- ção, no começo do ano, prenden-
O que tem mais na zona rural, crack ou maconha? Os dois andam
radores da cidade levam drogas pa- do 57 pessoas ligadas ao tráfico.
juntos. As pessoas usam maconha e depois querem algo mais forte,
ra vender a lavradores e adolescen- como o crack. Daí, quem tem pouco dinheiro para comprar passa
tes. Uma de nossas atividades nes- DESABAFO E PEDIDO DE
para o crime.
sa área é visitar escolas e entida- SOCORRO DE UM VICIADO
Você já usou droga para trabalhar e produzir mais?
des para fazer palestras a crianças C., 32 anos, é trabalhador rural.
Já, muitas vezes.
e adolescentes, mostrando a reali- Em grande parte de sua vida traba-
Você sabe dizer se o consumo de crack e outras drogas está
dade das drogas e o perigo que re- lhou nas colheitas de café, no Sul
crescendo nas vilas, povoados e na zona rural?
presentam. Posso afirmar que te- de Minas. Alto, forte, educado,
Está crescendo, sim. Muitas pessoas que moram nesses lugares
mos obtido sucesso nessas pales- confessa que o crack só lhe deu pre-
começam a usar por curiosidade, porque os amigos e conhecidos
tras”, afirma. juízos. O sofrimento da família foi
comentam.
Em Santa Cruz de Minas, na Re- grande, quando a sua dependên-
gião Central, a 210 quilômetros da cia foi descoberta. A distância dos
capital, já existe disputa entre tra- amigos e, o que é pior, o abandono
ficantes, segundo informação de por parte da mulher e dos filhos fo-
um militar que pediu para que ram outras tragédias pessoais. Ho-
não fosse identificado. Ele conta je, solitário, considera que chegou dades. “Peço que as autoridades Para o lavrador, os motivos
que brigas e ameaças acontecem ao fundo do poço. Ele conta que, trabalhem para que os dependen- que levam trabalhadores e adoles-
entre os criminosos por causa do antes, usava maconha. Depois, tes consigam assistência e trata- centes a usarem droga são muitos,
domínio de áreas de tráfico na ro- passou para o crack, fumando as mento melhores. O Governo deve mas ele aponta problemas familia-
ça. “Todo mundo sabe que os trafi- pedras escondido, nas lavouras, ampliar os centros que recebem res como os principais. “As pes-
longe dos colegas de trabalho e dependentes para recuperação. O soas procuram conforto para tudo
dos familiares. apoio da família e do Governo é nas drogas”, diz.i
Hoje, C. busca salvação e acre- muito importante, porque o usuá-
dita que vai alcançá-la. Diante da rio de drogas chega a um ponto em
dificuldade de se livrar das dro- que fica sozinho, se sente solitá-
gas, ele implora apoio das autori- rio. Acho que é por isso que muitos
recorrem às drogas, para preen-
cher alguma coisa que falta na vi-
Leia amanhã:
da”, afirma. líder comunitário
denuncia o tráfico
9.215
furtos em casas rurais
ocorreram em 2008 163
casas foram assaltadas
na roça, no ano passado