Você está na página 1de 14

O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO

DA BIBLIOTECA ESCOLAR
NO CONTEXTO DO
AGRUPAMENTO
Manifesto da Biblioteca Escolar
(UNESCO/IFLA)

Está comprovado que quando


os bibliotecários e os professores
trabalham em conjunto, os alunos
atingem níveis mais elevados de
literacia, de leitura, de
aprendizagem, de resolução de
problemas e competências no
domínio das tecnologias de
informação e comunicação.

Segundo Ross Todd, a marca de uma


biblioteca do século XXI está nas
acções e evidências que mostram que
a biblioteca faz a verdadeira diferença e
contribui, de forma significativa, para o
desenvolvimento da compreensão
humana, logo, faz a construção de
conhecimento.
Introdução
Cada vez mais, a Biblioteca Escolar deve assumir-se como
um espaço privilegiado de construção de saberes e um dos
centros nevrálgicos da Escola.

O Modelo de Auto-Avaliação para as Bibliotecas Escolares foi


criado para aferir sucessos e pontos fracos da biblioteca
escolar e obter orientações acerca das mudanças a introduzir,
sempre com um objectivo: melhorar!

Instrumento pedagógico e orientador, será possível, através


dele, avaliar todo o trabalho desenvolvido e o seu impacto
no funcionamento da Escola e nas aprendizagens dos
alunos.
* Um instrumento criado pela Rede de
Bibliotecas Escolares [RBE].
* Um modelo baseado na recolha de
evidências.
* Envolve os utilizadores e mede os
impactos.

Vai permitir aos professores


bibliotecários e à Direcção
AVALIAR

O impacto desse
A qualidade e trabalho nas
eficácia da BE. O cumprimento da aprendizagens dos
missão e dos alunos e no
objectivos da BE. funcionamento global
da escola.
Objectivos da Biblioteca Escolar
Apoiar e promover os objectivos educativos definidos de acordo com
as finalidades e currículo da escola.
Criar e manter o hábito e o prazer da leitura, da aprendizagem e da
utilização das bibliotecas ao longo da vida.
Proporcionar oportunidades de utilização e produção de informação
que possibilitem a aquisição de conhecimentos, a compreensão, o
desenvolvimento da imaginação e o lazer.
Apoiar os alunos na aprendizagem e na prática de competências de
avaliação e utilização da informação, independentemente da
natureza e do suporte, tendo em conta as formas de comunicação
no seio da comunidade.
Providenciar acesso aos recursos locais, regionais, nacionais e
globais e às oportunidades que confrontem os alunos com ideias,
experiências e opiniões diversificadas.
Organizar actividades que favoreçam a consciência e a
sensibilização para as questões de ordem cultural e social.
Trabalhar com alunos, professores, órgãos de gestão e pais de
modo a cumprir a missão da escola.
Defender a ideia de que a liberdade intelectual e o acesso à
informação são essenciais à construção de uma cidadania efectiva e
responsável e à participação na democracia.
Promover a leitura, os recursos e serviços da biblioteca escolar
junto da comunidade escolar e fora dela..
Avaliação da Biblioteca Escolar

Para quê?

• Determinar se os objectivos definidos estão a ser alcançados ou


não.
• Medir o grau de eficiência dos serviços prestados.
• Aferir sucessos e pontos fracos da biblioteca escolar.
• Contribuir para a afirmação e reconhecimento da BE.

Melhorar a qualidade e a eficácia da BE


C – Projectos,
A – Apoio ao Parcerias e
B – Leitura e D – Gestão da
Desenvolvimento Actividades Livres
Literacias e de Abertura à Biblioteca Escolar
Curricular
Comunidade

A.1. Articulação D.1 Articulação da BE


C.1. Apoio a actividades
curricular da BE com as com a
livres, extra-curriculares
estruturas pedagógicas Escola/Agrupamento.
e de enriquecimento
e os docentes Acesso a serviços
curricular
prestados pela BE

A.2. Desenvolvimento D.2. Condições


da literacia da C.2. Projectos e humanas e materiais
informação parcerias para a prestação dos
serviços

D.3. Gestão da colecção


Etapas de aplicação do modelo
Este modelo, devido ao seu carácter flexível, permite uma adaptação à
realidade de cada escola/agrupamento.
O ciclo completa-se ao fim de quatro anos e deve fornecer uma visão
real e global da BE.

- Escolher um domínio por ano


- Adaptar o modelo à escola e ao PE
- Divulgar o modelo à comunidade
- Recolher evidências
- Aplicar inquéritos (10% professores; 20% alunos)
- Tratar a informação recolhida
- Elaborar o relatório
- Elaborar o plano de melhoria
- Discutir e aprovar o relatório e o plano de melhoria em CP
- Divulgar os documentos elaborados à comunidade
Professor
Bibliotecário
Direcção
Executiva
Equipa da BE
Professores

Conselho Sucesso Alunos


Pedagógico
Educativo
Pais/Enc. de
Educação
Níveis de Desempenho
Nível 4 [Excelente]: A BE é bastante forte neste domínio.
O trabalho desenvolvido é de bastante qualidade e com um
impacto bastante positivo.
Nível 3 [Bom]: A BE desenvolve um trabalho de
qualidade neste domínio mas ainda é possível melhorar alguns
aspectos.
Nível 2 [Satisfatório]: A BE começou a desenvolver
trabalho neste domínio, sendo necessário melhorar o
desempenho para que o seu impacto seja mais efectivo.
Nível 1 [Fraco]: A BE desenvolve pouco ou nenhum
trabalho neste domínio, o seu impacto é bastante reduzido,
sendo necessário intervir com urgência.
Conclusão

«Torna-se de facto relevante objectivar a forma como se está a


concretizar o trabalho das bibliotecas escolares, tendo como pano de fundo
essencial o seu contributo para as aprendizagens, para o sucesso educativo e para a
promoção da aprendizagem ao longo da vida.
Neste sentido, é importante que cada escola conheça o impacto que as
actividades realizadas pela e com a BE vão tendo no processo de ensino e na
aprendizagem, bem como o grau de eficiência e de eficácia dos serviços
prestados e de satisfação dos utilizadores da BE. Esta análise, sendo igualmente
um princípio de boa gestão e um instrumento indispensável num plano de
desenvolvimento, permite contribuir para a afirmação e reconhecimento do papel da BE,
permite determinar até que ponto a missão e os objectivos estabelecidos para a BE
estão ou não a ser alcançados, permite identificar práticas que têm sucesso e que
deverão continuar e permite identificar pontos fracos que importa melhorar. A auto-
avaliação da biblioteca deve ainda ser incorporada no processo de auto-
avaliação da própria escola, dada a sua relação estreita com sua missão e
objectivos.» in Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar (Rede de Bibliotecas Escolares, 12 de Novembro de 2009)