Você está na página 1de 2

Teoria Comportamental

A Teoria Comportamental (ou Teoria Behaviorista) da Administração, que surgiu nos
Estados Unidos em 1947, trouxe uma nova direção e um enfoque dentro da teoria
administrativa: a abordagem das ciências do comportamento (behavioral sciences
approach), o abandono das posições normativas e prescritas das teorias anteriores
(Teoria Clássica, Teoria das Relações Humanas e Teoria Burocrática) e a adoção de
posições explicativas e descritivas. A ênfase permanece nas pessoas, mas dentro do
contexto organizacional mais amplo.
Um dos assuntos prediletos dos behavioristas são os estilos de administração. McGregor
traça dois extremos, a Teoria X e a Teoria Y, enquanto Likert propõe quatro sistemas
organizacionais, variando de um sistema autoritário explorador até um sistema
participativo eminentemente democrático.
A Teoria Comportamental enfatiza o processo decisório, onde todo indivíduo é tomador
de decisão, baseando-se nas informações que recebe em seu ambiente, processando de
acordo com suas convicções, assumindo atitudes, opiniões e pontos de vistas em
diversas circunstâncias.
Teoria do Desenvolvimento Organizacional
O Desenvolvimento Organizacional (DO) surgiu em 1962. Seu objetivo era
proporcionar às organizações um modo de introduzir mudanças para permitir o
crescimento das organizações. Alguns fatores contribuíram para o surgimento da DO:
• Dificuldade de aplicação dos vários conceitos das teorias administrativas;
• Avanço dos estudos da motivação humana, com uma nova abordagem nas
organizações;
• Pesquisas do National Training Laboratory (Estados Unidos) sobre comportamento de
grupo;
• Inovação nas organizações, produtos e serviços.
A DO é umaresposta às seguintes necessidades encontradas nas organizações daquela
época:
• Rapidez na transformação do ambiente em que a organização está inserida;
• Aumento do tamanho e complexidade das organizações;
• Alterações no comportamento administrativo (homem que apenas aperta-botões é
considerado um conceito ultrapassado; poder baseado na colaboração e razão; valores
organizacionais baseados em valores humanos e democráticos);
• Fusão do conceito de estrutura com teorias comportamentais.
Inicialmente, a DO se preocupava com a análise e solução de problemas de
relacionamento interpessoal, migrando gradativamente para análise de problemas de
pequenos grupos e, então, organizações. A DO utiliza modelos baseados em 4 variáveis:
ambiente, organização, grupo e indivíduo, explorando a dependência entre estas
variáveis. O objetivo era provocar mudanças que permitiam alcançar objetivos da
organização e pessoais.
Existem várias técnicas de DO para relacionamentos interpessoal, grupal, intergrupal e
organizacional, como treinamento da sensitividade, análise transacional, consultoria de
processos, desenvolvimento de equipes, reuniões de confrontação, etc.
Há também uma variedade de modelos de DO, como o de Blake e Mouton, de
Lawrence & Lorsch e de Reddin. Apesar de parecer uma moda passageira na
administração, o DO é uma alternativa democrática e participativa para a renovação e

administradores.br/do1.com.html Chiavenato. 2006 . – Rio de Janeiro : Elsevier.br/informe-se/artigos/teoria-comportamental/23062/ http://professorwellington. Idalberto Princípios de administração : o essencial em teoria geral da administração / Idalberto Chiavenato.revitalização das organizações.adm. http://www.