Você está na página 1de 14

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS

CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL

Impactos Ambientais do Setor Sucroalcooleiro

Alternativas para uso da vinhaça e torta de filtro

Haroldo José Fogo

Disciplina: Ecologia Geral e Aplicada

Professor: Luiz Antonio Correa Margarido

Tutor: João Paulo Apolari

São José dos Campos - SP

Março de 2011

Sumário:

Conteúdo

Página

Introdução

3

Objetivo

3

Metodologia

4

Breve análise de uma planta de produção de açúcar e álcool

4

Alternativas para a reciclagem de torta de filtro

7

Alternativas para a reciclagem de vinhaça

9

Conclusões

11

Bibliografia

12

Anexo

13

Introdução

A agroindústria sucroalcooleira é um dos negócios mais rentáveis da economia agrícola

brasileira. O Brasil é um dos principais produtores de açúcar e álcool do mundo. O etanol (álcool) é um biocombustível e fonte renovável de energia. A utilização deste hidrocarboneto na matriz energética brasileira chamou a atenção de muitos países interessados na possibilida- de de reduzir a dependência dos derivados de petróleo. Ao mesmo tempo essa utilização reduz as emissões de poluentes, trazendo um duplo benefício. Estudos apontam também que pode haver um ganho na captura de carbono na fase de desenvolvimento da cana, desde que não sejam empregadas técnicas arcaicas como as queimadas. A produção de álcool e açúcar na mesma planta industrial e com baixo custo, traz opções econômicas, flexibilidade e rentabili- dade às empresas do setor.

Todo esse sucesso foi conquistado com enormes custos ambientais e sociais. Práticas sustentáveis precisam ser implantadas no setor sucroalcooleiro, pois, ao mesmo tempo em que a “via do etanol” é bem vista, a produção brasileira enfrenta enormes barreiras com argumen- tos verdadeiros, que justificam práticas protecionistas praticadas pelas nações desenvolvidas. Principalmente por razões de responsabilidade social e também por razões econômicas, a in- dústria sucroalcooleira deve implementar os conceitos de produção socialmente responsável, produção mais limpa e produção agroecológica.

O respeito à mão-de-obra trabalhadora da lavoura canavieira, com implantação de con-

dições de trabalho realmente humanas, constituem-se em medidas urgentes e necessárias. Contudo este assunto não será tratado neste estudo.

A destinação de resíduos da produção de açúcar e álcool, que podem ser poluentes, caso

sejam descartados em cursos d’água ou no solo, ou fertilizantes, com o correto manejo e reci- clagem destes resíduos, é um dos principais itens para uma produção mais limpa de açúcar e

álcool.

Objetivo

Propor alternativas para a reciclagem de torta de filtro e vinhaça, resíduos da indústria sucroalcooleira.

Metodologia

Análise de publicações especializadas sobre a indústria sucroalcooleira para a verifica- ção de correlações e estabelecimento de conclusões sobre a destinação da torta de filtro e vi- nhaça.

Breve análise de uma planta de produção de açúcar e álcool

A cana-de-açúcar é uma planta da família Poaceae, gênero Saccharum L. O gênero cul-

tivado é um híbrido multiespecífico que recebeu a designação de Saccharum spp (WIKIPE- DIA, 2011).

A família Poaceae é composta por muitas outras gramíneas, como o arroz, sorgo, milho,

etc. As principais características são as formas das folhas (longas e afiliadas nas pontas), do caule em colmo e da inflorescência em espigas (WIKIPEDIA, 2011).

O caule da cana é o principal produto do cultivo. Dele retira-se o caldo que vai dar ori-

gem a todos os subprodutos que, quando processados, são transformados em açúcar ou álcool. A Figura 1 mostra um detalhe do caule da cana de açúcar.

Figura 1 – colmo da cana-de-açúcar

da cana de açúcar. Figura 1 – colmo da cana-de-açúcar Fonte: INFOESCOLA, 2011 O plantio do

Fonte: INFOESCOLA, 2011

O plantio do primeiro ano da cana é chamado de “cana planta”. A produção dos demais

anos, antes da reforma do canavial (nova plantação de “cana planta”) é chamada de “cana

soca” e “ressoca” (a partir do terceiro ano). A “soca” é a cana que brota da touceira ou raízes remanescentes após a colheita.

Dentre os resíduos gerados no processo de produção do açúcar e do álcool, são destaca- dos neste estudo a “torta de filtro” e a “vinhaça”.

A torta de filtro, como o próprio nome diz, é um “aglomerado” (parecido com uma tor- ta) proveniente dos filtros rotativos de caldo de cana das moendas (ROSSETTO e SANTIA- GO, 2011). O filtro em questão faz parte do processo de clarificação do caldo (WIKIPEDIA, 2011 e PAIVA e MORABITO, 2007). A Figura 2 demonstra um detalhe da torta de filtro.

Figura 2 – torta de filtro de clarificação de caldo

Figura 2 – torta de filtro de clarificação de caldo Fonte: ALCARDE, 2011 Torta Raspador Na
Figura 2 – torta de filtro de clarificação de caldo Fonte: ALCARDE, 2011 Torta Raspador Na

Fonte: ALCARDE, 2011

de filtro de clarificação de caldo Fonte: ALCARDE, 2011 Torta Raspador Na Figura 2, o raspador

Torta

Raspador

Na Figura 2, o raspador do filtro está fazendo a retirada da torta, conforme assinalado.

Numa das vias produtivas de uma usina (“via açúcar”), 1 (uma) tonelada de cana gera 135 kg de açúcar, 35 kg de torta de filtro, 12 L de álcool e 156 L de vinhaça. A torta de filtro é um resíduo gerado na “via açúcar” de produção da usina (KORNDÖRFER, 2008).

A Figura 3 representa o esquema de produção de uma usina de açúcar e álcool, com as

saídas dos resíduos “torta de filtro” e “vinhaça” assinaladas.

Figura 3 – esquema de produção de uma usina de açúcar e álcool

– esquema de produção de uma usina de açúcar e álcool Fonte: PAIVA e MORABITO, 2007

Fonte: PAIVA e MORABITO, 2007

O Anexo I demonstra um diagrama do setor produtivo da cana-de-açúcar. Está indicada

a possibilidade da reciclagem da torta de filtro e da vinhaça.

A vinhaça é um resíduo gerado fundamentalmente pela produção do álcool. Para cada

litro de álcool são produzidos cerca de 13L de vinhaça. Possui diferentes constituições, a de- pender da formação do mosto (ROSSETTO e SANTIAGO, 2007).

Na “via álcool” de produção numa usina, uma tonelada de cana gera cerca de 80 L de álcool e 1040 L de vinhaça (KORNDÖRFER, 2008).

Alternativas para a reciclagem da torta de filtro

A torta de filtro é uma boa fonte de fósforo, sendo que, 70% deste é prontamente utili- zável. O restante tem uma mineralização mais lenta. Para a “cana planta”, podem ser utiliza- das 80 a 100 toneladas de torta por hectare, a depender das necessidades de fósforo. Para a cana soca, as necessidades variam de 40 a 60 toneladas por hectare (ROSSETTO e SANTIA- GO, 2011).

A dosagem uniforme e devidamente calibrada é importante para não prejudicar o solo. Excesso de torta pode ter o mesmo efeito dos fertilizantes sintéticos (lixiviação) além de pre- judicar o desenvolvimento da planta. A Figura 4 demonstra um processo de aplicação da torta de filtro.

Figura 4 – aplicação da torta de filtro em cultivo de cana

4 – aplicação da torta de filtro em cultivo de cana Fonte: ROSSETTO e SANTIAGO, 2011

Fonte: ROSSETTO e SANTIAGO, 2011

A minimização dos efeitos da compactação do solo pela passagem de máquinas deve ser feita com o adequado espaçamento entre as linhas de plantio. Mas, caso isso não ocorra, pode ser um problema na aplicação da torta pelo método demonstrado na Figura 4.

Dependendo das condições do solo, este pode nem precisar de complementos de nutri- entes. Se forem adotados princípios agroecológicos de cultivo, a torta de filtro é suficiente para repor as necessidades de fósforo.

Em experimento conduzido por NARDIN, não houve significativos aumentos de produ- ção de cana numa lavoura onde se empregou a fertilização com torta de filtro. Contudo a ferti-

lidade do solo pode ser comprovada com o aumento significativo dos teores de cálcio e fósfo- ro. O autor concluiu que é provável a necessidade de variação da época de aplicação da torta para que seus efeitos sejam melhor aproveitáveis.

Segundo ROSSETTO e SANTIAGO, há três formas básicas de utilização da torta de

filtro:

distribuição

nas entrelinhas da cana-soca e incorporações por meio de cultivadores de discos; aplicação

nos sulcos de plantio (Figura 4). (

“Aplicação em superfície total nas áreas de renovação dos canaviais (

);

A torta de filtro por si só não contém todos os nutrientes que a cana precisa. Portanto o cultivo agroecológico, a adubação verde, a agrofloresta, o composto orgânico para adubação são imprescindíveis para que o canavial possa ter o desempenho econômico e ecológico espe- rado.

A Figura 5 mostra os resultados de um canavial que recebeu, entre os nutrientes neces- sários, torta de filtro.

Figura 5 – canavial cultivado com torta de filtro e sem torta de filtro

de filtro. Figura 5 – canavial cultivado com torta de filtro e sem torta de filtro

Fonte: ROSSETTO e SANTIAGO, 2011

Alternativas para a reciclagem da vinhaça

A vinhaça possui grandes concentrações de potássio. É também importante fonte de ni-

trogênio, cálcio, fósforo, magnésio, enxofre e carbono (ROSSETTO e SANTIAGO, 2011).

A vinhaça é um complemento muito bom para uso na cana soca. Também não deve ser

aplicada como única fonte de nutrientes para a cana. Os princípios agroecológicos mais uma vez devem ser observados, sob pena de causar poluição ou não ter uma produção economica- mente viável.

A poluição por vinhaça é causada pela aplicação em excesso desta no solo. Com isso, o

excedente, que não pode ser absorvido, acaba por ser lixiviado para os cursos d’água.

Outra alternativa desastrosa para o meio ambiente é o descarte da vinhaça diretamente nos cursos d’água. O excesso de nutrientes polui as águas e praticamente acaba com estes ecossistemas. Esse tipo de prática foi o destino mais empregado nas práticas antigas de gestão dos resíduos das usinas sucroalcooleiras.

A dosagem de vinhaça deve ser aplicada no solo conforme a saturação de potássio no

cálculo de troca catiônica (ROSSETTO e SANTIAGO, 2011). Pode ser feita de várias manei- ras de fertirrigação. Pode ser feita por “sulcos de infiltração”, “lançamento por caminhão tan- que”, “aspersão convencional por moto bomba”, “aspersão por canhão hidráulico” (ROS- SETTO e SANTIAGO, 2011).

Ainda segundo ROSSETTO e SANTIAGO, há vantagens e desvantagens em cada mé- todo. Contudo, para os conceitos agroecológicos, os melhores métodos são aqueles com o uso de moto bomba ou canhão hidráulico (Figura 6). Nestes evita-se o excesso de vinhaça (sulcos de irrigação), consumo de combustíveis e compactação do solo (caminhão).

Figura 6 – fertirrigação por canhão hidráulico

compactação do solo (caminhão). Figura 6 – fertirrigação por canhão hidráulico Fonte: ROSSETTO e SANTIAGO, 2011

Fonte: ROSSETTO e SANTIAGO, 2011

Segundo SOUZA, as aplicações de vinhaça no Estado de São Paulo são feitas da se- guinte maneira:

Tabela 1 – métodos de aplicação da vinhaça

maneira: Tabela 1 – métodos de aplicação da vinhaça Fonte: SOUZA, 2007 Ainda segundo SOUZA, há

Fonte: SOUZA, 2007

Ainda segundo SOUZA, há limitações econômicas para os usos da fertirrigação por as- persão por canhão e por gotejamento.

Esta constatação de SOUZA pode fazer com que as melhores práticas do ponto de vista agroecológico não sejam aplicadas pelos produtores, porque estes podem fazer uma valoração apenas dos produtos da usina, e não dos serviços ecológicos do ecossistema.

A correta aplicação de vinhaça - de forma controlada - traz os seguintes benefícios:

“Melhoria das propriedades físicas, químicas e biológicas do solo;

Aumento da matéria orgânica e microflora do solo;

Facilita a mineralização do nitrogênio;

Melhoria nas condições gerais de fertilidade do solo;

Aumento do poder de retenção de água;

Aumento da produtividade da cana” (ROSSETTO e SANTIAGO, 2011).

Conclusões

Há alternativas para reciclagem da torta de filtro e da vinhaça. A reciclagem destes dois resíduos traz ganhos ecológicos e econômicos para o produtor rural.

O uso de fatores de manejo mais favoráveis, entre eles a reciclagem da torta de filtro e

vinhaça (combinados com a irrigação, uso de palha, cinzas, etc) podem trazer ganhos econô- micos de 10 a 15% na produtividade da lavoura (ROSSETO et al, 2008).

O uso dos resíduos da torta de filtro e da vinhaça também traz ganhos ecológicos que

poderiam ser mensurados, entre outros, pela combinação dos itens a seguir:

Custos de recuperação de áreas poluídas por estes se fossem lançados indiscri- minadamente no meio ambiente;

Custos de armazenamento e manutenção desses resíduos;

Custos do equivalente em fertilizantes sintéticos substituídos;

Custos dos combustíveis usados na produção de fertilizantes sintéticos substituí- dos;

Custos da eliminação dos poluentes da produção de fertilizantes sintéticos subs- tituídos.

Ou seja, o ganho ecológico, apesar de não mensurado diretamente aqui, também seria de altíssimo valor.

A utilização desses dois resíduos tratados neste estudo pode (e deve) integrar o conjunto

de medidas para produção agroecológica da cana-de-açúcar.

Bibliografia

ALCARDE, A. R. Adubação – resíduos alternativos. EMBRAPA, acesso em 2011.

INFOESCOLA, acesso em 2011.

KORNDÖRFER, G. H., Valor fertilizante da VINHAÇA para a cana de açúcar. Universidade Federal de Uberlândia, 2008.

NARDIN, R. R. Torta de Filtro aplicada em argissolo e seus efeitos agronômicos em duas variedades de cana-de-açúcar colhidas em duas épocas. Universidade de Campinas. Campinas, 2007.

PAIVA, R. P.O de; MORABITO, R. Um modelo de otimização para o planejamento agrega- do da produção em usinas de açúcar e álcool. Universidade Federal de São Carlos. São Carlos, 2007.

ROSSETTO, R.; SANTIAGO, A. D. Adubação – resíduos alternativos. EMBRAPA, acesso em 2011.

ROSSETTO, R.; CANTARELLA, H.; DIAS, F. L. F.; VITTI, A. C.; LANDELL, M. G. A.; Manejo conservacionista e reciclagem de nutrientes em cana-de-açúcar tendo em vista a colheita mecânica. Informações Agroeconômicas n° 124. Dezembro de 2008.

SOUZA, S. A. V. Métodos de utilização e aplicação da vinhaça. Workshop Tecnológico sobre a vinhaça. Jaboticabal, 2007.

UDOP, acesso em 2011. Disponível em:

http://www.udop.com.br/index.php?item=noticias&cod=988

WIKIPEDIA,

acesso

em

2011.

a%C3%A7%C3%BAcar

Disponível

em:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Cana-de-

Anexo I – Diagrama representativo da produção sucroalcooleira (demonstrando a reci- clagem da torta de filtro e da vinhaça)

14