Você está na página 1de 6

Escola EB 2,3 Professor Gonçalo Sampaio

Curso EFA –Secundário

Ficha de trabalho n.º 3


Áreas de Competência - Chave: Cultura Língua e
Comunicação
Núcleo Gerador: Tecnologias de Informação e
Comunicação

CLC (DR3) Tema: Média e Informação


Depois de ter realizado uma visita de estudo a uma Rádio e de ter
compreendido o seu funcionamento, vai visitar o Museu dos
Transportes e Comunicações onde vai poder participar numa oficina
de rádio e outra de televisão. Vai poder, em seguida, resolver a ficha.
Bom Trabalho!

1.Identifique as diferentes modalidades de divulgação de uma


informação ou
acontecimento.

A) Por difusão
-Scriptovisual (imprensa escrita)
-Audio (rádio )
-Audio visual (televisão e cinema)
-Computadores (internet)
-Telemoveis?

B) Por edição
-Scripto (livro)
-Audio (disco)
-Scriptovisual (cartaz e poster)
-Audio visual (documento áudio visual)

2.Estabeleça uma relação entre os vários media.

Resposta:
Os media são técnicas de
linguagem, são tecnologias que
se adaptam ao público pelo seu
discurso, tendo em conta os
diferentes quadros culturais que
pretendem atingir. Os media
tornam-se pertinentes na
Escola EB 2,3 Professor Gonçalo Sampaio
Curso EFA –Secundário

medida em que partilham um elemento de grande cumplicidade, ou


seja, a informação.
De certa forma, acaba por se gerar um ciclo vicioso, na medida em
que os media produzem mensagens para captar a atenção do público
e este último procura o ou os meios de comunicação com o que
melhor se identifica e o que melhor satisfaz as suas necessidades
informativas.
Cada órgão de informação tem um nível de aceitação, de acordo com
a forma que cativa o público.
A rádio foi o primeiro órgão de comunicação social de transmissão
globa.
A rádio trouxe consigo uma diversidade de notícias, informação,
debates e música para as pessoas. E trouxe um novo canal para
comunicações comerciais. A rádio foi o motor que potenciou o
consumo em massa, os conteúdos tornaram-se o trampolim para as
comunicações comerciais. E isto é algo importante para considerar.
A rádio trouxe-nos as novelas como histórias radiofónicas contínuas e
com estas estórias vieram os patrocínios que em muito contribuíram
para a promoção de grandes marcas.
A rádio também fez algo que nunca antes tinha sido possível, a
disseminação rápida de notícias e informação, experimentada ao vivo
enquanto aconteciam. Complementou a análises mais aprofundadas
dos jornais e revistas especializadas.
De repente, a indústria musical reparou que as músicas que os DJ da
rádio metiam tornavam-se êxitos de tabela. Como todas as novas
media, novos talentos eram necessários, e os novos talento
radiofónicos eram os DJ e locutores, jornalistas e outras vozes da
rádio.
Defende-se que é na Rádio que os outros órgãos de comunicação
social encontram o seu modelo mais perfeito pela forma como chega
ao público, com grande facilidade. Como todos sabemos, a sociedade
habitua-se a um certo comodismo e a Rádio serve bem estas regalias.
Desta forma, o Jornal encontra maiores dificuldades para chegar até
aos leitores, enquanto a Rádio está praticamente em todo o lado,
basta premir um botão, é mais
imediata.
Pelo facto de a Televisão usufruir da
imagem, não significa que o público
só seja adepto daquilo que é
visivelmente perceptível, porque
muitas pessoas identificam-se mais
ou menos com o Jornal ou com a
Rádio.
Escola EB 2,3 Professor Gonçalo Sampaio
Curso EFA –Secundário

Mais uma vez, é necessário ter em conta que se trata da cultura do


público. Como tem vindo a ser referido, a Rádio poupa-nos tempo,
conta-nos o que acontece à nossa volta e, assim, temos
conhecimento do essencial. A TV combinou o conceito de emissão da
rádio e o seu modelo de negócio com o impacto visual e multimédia
do cinema. Tal como a rádio e gravações, a TV obrigava que as
audiências comprassem um aparelho de consumo, mas nos anos 50 e
60 os aparelhos televisivos mais baratos eram dez vezes mais caros
do que reprodutores de áudio ou rádios. Mas esta enorme barreira de
preços não tem obstáculos na TV. Foi o primeiro mass media a
substituir física e simbolicamente a lareira como centro familiar da
casa.
Em contraste, a Internet foi a primeira mass
media “quente”, que permite que os
utilizadores criem, avaliem, participem e
disseminem conteúdos de media. Mas, de
todas as instâncias, a Internet foi a primeira
em que um media foi capaz de fazer tudo o
que as anteriores Mass Media podiam fazer.
Além disso, a Internet adicionou dois novos
benefícios nunca antes possíveis nas anteriores: interactividade e
pesquisa.
Conseguiu, isoladamente, demonstrar que o ser humano é uma
espécie de "Nós", uma espécie social e em rede, basta, para isso,
lembrarmo-nos das redes sociais, muito em voga nos dias de hoje,
por exemplo facebooK.
Parece que hoje em dia existe uma necessidade inata, de nos
ligarmos e comunicarmos. Isto muda radicalmente a relação entre a
criação de conteúdos de media e consumo de conteúdos de media. ~
A internet carrega uma ampla variedade de recursos e serviços, incluindo os
documentos interligados por meio de hiperligações da World Wide Web, e a
infraestrutura para suportar correio eletrônico e serviços como comunicação
instantânea e compartilhamento de arquivos.
Po tudo isto, podemos concluir que os órgãos de Comunicação social
trouxeram uma proximidade grande entre as pessoas, permitem uma rápida
informação sobre o que se passa do outro lado do mundo, permite um
“diálogo” com os outros de uma forma rápida e
eficaz, ou seja, o mundo passou a estar mais ao
alcance de todos.
3.Vai escolher uma campanha publicitária de um bem
cultural que esteja a decorrer no momento e a ser feita
em diferentes suportes (Rádio, Televisão e em
Outdoors). Explore o impacto da divulgação dos bens
culturais e artísticos na procura e adesão dos públicos.
Resposta:
Escola EB 2,3 Professor Gonçalo Sampaio
Curso EFA –Secundário

Campanha publicitária – Festas de S. José e feriado Municipal

Está a ser feita uma grande campanha publicitária pelo gabinete de


Comunicação da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso,
direccionado para a população local e arredores, das Festas anuais do
Concelho – Festas de S. José.
Para o efeito, a autarquia levou a cabo uma série de iniciativas para a
melhor promoção deste grande evento, tais como:
• Conferência de Imprensa para apresentação pública do
programa;
• Divulgação do programa na rádio local;
• Divulgação do programa nos principais jornais da região
norte;
• Criação de Outdoors, Brochuras e cartazes.

A campanha publicitária relativa à


Festa de S. José que a autarquia
tem feito sempre funcionou muito
bem e tem chegado a todo o tipo
de público. Verificamos no grande
afluxo o de pessoas que nos
visitam durante todas as
festividades…

4.Elabore um anúncio publicitário de divulgação e promoção do blog


da turma efa que vai ser criado na Actividade Integradora (3 grupos)

Resposta:

EFA -Gonçalo Sampaio: A OPORTUNIDADE CERTA!

5. Esta notícia retirada do sítio do Jornal Público, pela sua actualidade, vem
comprovar que as tecnologias de informação possibilitaram o aparecimento
de um poder equivalente ao legislativo ou ao executivo – o poder mediático.
O poder político, pela importância que este novo poder tem, pode ser
tentado a interferir. Avalie a necessidade ou não da regulação dos Mass
Media através de instituições próprias.
Escola EB 2,3 Professor Gonçalo Sampaio
Curso EFA –Secundário

Resposta:
De uma certa forma, acho que todas as notícias que estiverem
relacionadas com o bem da sociedade e com as entidades públicas
devem ser bem divulgadas para nosso conhecimento.
Já no que diz respeito a notícias mais pessoais, entendo que a
divulgação dessa informação deve ter determinadas regras, isto
porque a vida privada de cada um, só a ele diz respeito.
Contudo, considero que nos dias de hoje os órgãos de informação
exercem um grande poder na sociedade, quer para o bem quer para
o mal. Julgo que é muito fácil hoje em dia denegrir e/ou promover a
imagem do outro através da comunicação social. Os órgãos de
informação são co-responsáveis na formulação de opiniões, na
influência que exercem nos outros, quer através de anúncios que
divulgam, quer através de notícias e campanhas que lançam.
No caso do poder político influenciar ou tentar influenciar os Mass Media,
penso que isso poderá acontecer, pois para isso existem os assessores de
imprensa nas autarquias, no governo, entre outros organismos. Na minha
opinião, existe constantemente a tendência de influenciar os jornalistas
para publicarem tudo o que favoreça em termos de imagem o poder.
Escola EB 2,3 Professor Gonçalo Sampaio
Curso EFA –Secundário

Maria Tinoco