Você está na página 1de 8

INFORMATIVO Nº 01/10

JULGADOS - STF qual ficaria a cargo da autoridade policial e do Ministério


Público. A medida — já adotada em vários outros países —
permitirá desburocratizar o inquérito policial. Para o ministro, o
NOVAS SÚMULAS VINCULANTES juiz não deve acumular funções de policial. Daí a proposta de
criação de um juiz de garantia, cuja competência, durante a
SÚMULA VINCULANTE 25 - É ilícita a prisão civil de fase de investigação, seria tratar das questões relativas ao
depositário infiel, qualquer que seja a modalidade do depósito. respeito dos direitos fundamentais.
Celeridade na prestação da Justiça também é o que busca o
ministro Luiz Fux à frente da reforma do CPC. Seguindo o
SÚMULA VINCULANTE 26 - Para efeito de progressão exemplo bem-sucedido da Comissão de Juristas para a
de regime no cumprimento de pena por crime hediondo, ou elaboração do CPP, o senador José Sarney, presidente
equiparado, o juízo da execução observará a daquela Casa legislativa, instituiu nova comissão de juristas,
inconstitucionalidade do art. 2o da Lei n. 8.072, de 25 de julho dessa vez visando elaborar um novo Código Processual Civil.
de 1990, sem prejuízo de avaliar se o condenado preenche, Presidida pelo ministro Luiz Fux, também do Superior Tribunal
ou não, os requisitos objetivos e subjetivos do benefício, de Justiça, e composta por 11 juristas.
podendo determinar, para tal fim, de modo fundamentado, a Nesse intuito, já na primeira reunião, foram aprovadas
realização de exame criminológico. proposições criando novos institutos e extinguindo outros,
como destaca Fux, considerados ineficientes ao longo do
SÚMULA VINCULANTE 27 - Compete à Justiça tempo. Entre as novidades, o incidente de coletivização dos
estadual julgar causas entre consumidor e concessionária de litígios de massa, como forma de evitar a multiplicação de
serviço público de telefonia, quando a ANATEL não seja demandas. Por intermédio desse instituto, o juiz, diante de
inúmeras causas idênticas, destaca uma representativa,
litisconsorte passiva necessária, assistente, nem opoente.
suspendendo as demais. Isso permitirá ao magistrado proferir
uma decisão com amplo espectro, como explica o presidente
da Comissão.
NOTÍCIAS JURÍDICAS Atualmente, não há limites para a interposição de recursos. A
proposta é que o novo CPC promova uma redução do número
STJ INFLUENCIA CADA VEZ MAIS NA dos recursos existentes. O Agravo e os Embargos Infringentes
seriam eliminados, passando-se a ter, no primeiro grau, uma
ELABORAÇÃO DE LEIS única impugnação da sentença final, ocasião em que a parte
Cabe ao Poder Judiciário aplicar a lei. Ao Superior Tribunal de pode apontar todas as suas contrariedades.
Justiça cabe o papel de uniformizar a interpretação da lei O novo CPC deverá ser dividido em seis livros, visando
federal; por isso a sua função de guardião da lei federal. No simplificá-lo como conjunto de norma. Nele terá destaque a
cumprimento dessa importante missão é que vai se formando conciliação e será prestigiada a força da jurisprudência,
a sua jurisprudência, orientando a direção a seguir na defesa permitindo a criação de filtros às demandas, autorizando o juiz
dos direitos. a julgar seguindo a jurisprudência sumulada e os tribunais a
De acordo com reportagem da Assessoria de Imprensa do adotarem as teses firmadas nos Recursos Repetitivos
STJ, há algum tempo esse papel vem influenciando representativos da controvérsia.
diretamente no arcabouço legal do país. Os ministros da casa Segundo Luiz Fux, a Comissão concluiu ser necessário dotar
têm participado da elaboração de novas normas processuais, o processo e o Judiciário de instrumentos capazes de impedir
tanto na esfera cível quanto na penal. Além do que, a a ocorrência do enorme volume de demandas, de forma a se
jurisprudência da corte é usada para a edição de novas leis. alcançar a duração razoável dos processos. Essa a promessa
Há quase oito anos o Código Civil passou por reformulação, constitucional e ideário de todas as declarações fundamentais
dando origem a uma nova ordem civil. O mesmo se pretende dos direitos do homem e de todas as épocas e continentes,
fazer com os atuais códigos de processo penal e civil, ambos “mercê de propiciar maior qualificação da resposta judicial,
defasados diante da nova carta constitucional, em vigor há realizando o que Hans Kelson expressou ser o mais formoso
mais de 20 anos. sonho da humanidade: o sonho de Justiça”.
A legislação processual penal mereceu estudos por iniciativa Bem de família
do Senado. Uma comissão foi criada para elaborar um novo Além da participação ativa dos ministros Carvalhido e Fux no
ordenamento legal que atendesse às necessidades da aperfeiçoamento e atualização dos códigos, o STJ, por meio
sociedade. Presidida pelo ministro Hamilton Carvalhido e de sua jurisprudência, vem subsidiando o Congresso Nacional
composta por outros 10 juristas, começa a dar ao país uma na elaboração de leis. É o caso do projeto de lei que assegura
legislação que supere o desafio de solucionar o que o aos solteiros o direito à impenhorabilidade de seu único imóvel
Judiciário tem de mais crítico: a morosidade. residencial. A proposição teve início na Câmara dos
O ministro destaca que algumas propostas visam dar Deputados – PLC 104/09 – e altera a Lei 8.009/90, que dispõe
celeridade à Justiça, a exemplo da que trata do fim da sobre a impenhorabilidade do bem de família.
participação dos juízes na tramitação do inquérito policial, o

www.cursofmb.com.br
Desde 2002 a questão está pacificada no STJ. Ao interpretar a paternidade quando o suposto pai se recusa em se submeter
Lei 8.009/1990 a Corte Especial estipulou que a pessoa a exame de DNA ou a qualquer outro meio científico de prova,
solteira tem direito à proteção ao que dispõe o artigo 1º da quando estiver respondendo a processo de investigação de
norma: “O imóvel residencial próprio do casal, ou da entidade paternidade. Este entendimento foi sumulado pelo tribunal em
familiar, é impenhorável e não responderá por qualquer tipo de 2004.
dívida civil, comercial, fiscal, previdenciária ou de outra A sanção da lei ocorreu após o Congresso Nacional aprovar o
natureza, contraída pelos cônjuges ou pelos pais ou filhos que PLC 31/2007, originário da Câmara dos Deputados. A Lei
sejam seus proprietários e nele residam, salvo nas hipóteses 8.560/1992 determina que, em registro de nascimento de
previstas nesta lei”. menor apenas com a maternidade estabelecida, o oficial
Em seu voto, o relator, ministro Humberto Gomes de Barros, remeterá ao juiz certidão integral do registro e o nome e
considerou que a norma não se restringe a resguardar a prenome, profissão, identidade e residência do suposto pai,
família. De acordo com o ministro, seu escopo definitivo é a visando à verificação oficiosa da legitimidade da alegação. Se
proteção de um direito fundamental da pessoa humana: o o suposto pai não atender no prazo de 30 dias a notificação
direito à moradia. “Se assim ocorre, não faz sentido proteger judicial, ou negar a alegada paternidade, o juiz remeterá os
quem vive em grupo e abandonar o indivíduo que sofre o mais autos ao representante do Ministério Público para que intente,
doloroso dos sentimentos: a solidão”, afirmou. havendo elementos suficientes, a ação de investigação de
Para Humberto Gomes de Barros, o fato de uma pessoa estar paternidade.
sozinha não significa que tenha menos direito ao teto que A nova norma acrescenta o artigo 2º-A e seu parágrafo único à
casais, viúvos ou separados, visto que o bem jurídico que a lei Lei 8.560/1992. Os dispositivos receberam a seguinte
visa garantir é o direito do indivíduo à moradia, tendo ou não redação: "Artigo 2º-A Na ação de investigação de paternidade,
família, morando ou não sozinho e seja qual for o seu estado todos os meios legais, bem como os moralmente legítimos,
civil. serão hábeis para provar a verdade dos fatos. Parágrafo
A alteração na lei incluirá o único bem de viúvos, divorciados, único. A recusa do réu em se submeter ao exame de código
separados judicialmente e solteiros na proteção da genético — DNA gerará a presunção da paternidade, a ser
impenhorabilidade. apreciada em conjunto com o contexto probatório”. Também
Concurso público está revogada a Lei 883, de 1949, legislação anterior que
O projeto de lei do Senado Federal (PLS) 122/08 altera a Lei tratava dos filhos considerados ilegítimos, expressão
8.112/90, para determinar o estabelecimento de cronogramas rechaçada pela Carta Magna, que passou a denominá-los
de nomeação nos editais de concursos públicos. Aprovado em “filhos havidos fora do casamento”. Com informações da
decisão terminativa pela Comissão de Constituição, Justiça e Assessoria de Imprensa do Superior Tribunal de Justiça.
Cidadania (CCJ) e encaminhado em seguida para a Câmara, Fisco pode negar CND por divergência entre valores
o projeto torna lei o posicionamento do STJ que assegura ao O Fisco pode se recursar a expedir certidão negativa de débito
candidato aprovado dentro do número de vagas previstas em ou certidão positiva com efeitos de negativa quando a
edital de concurso público direito líquido e certo à nomeação e autoridade tributária verificar divergência entre os valores
à posse. devidos e os valores pagos. O entendimento foi firmado pela
A questão foi pacificada na 3ª Seção do STJ em julgamento 1ª Seção do Superior Tribunal de Justiça em julgamento
que garantiu que uma fonoaudióloga, aprovada em primeiro submetido à Lei dos Recursos Repetitivos (Lei 11.672/2008) e
lugar em concurso público, fosse nomeada para a será aplicado em todos os demais processos com tema
Universidade Federal da Paraíba. O relator, ministro relator semelhante.
Nilson Naves, definiu: “O candidato aprovado em concurso No caso julgado, a Ford Motor Company Brasil recorreu ao
público, dentro do número de vagas previstas em edital, como STJ contra acórdão do Tribunal Regional Federal da 3ª
na hipótese, possui não simples expectativa, e sim direito Região, o qual manteve decisão do gerente executivo do posto
mesmo e completo, a saber, direito à nomeação e à posse”. de arrecadação e fiscalização do INSS em São Bernardo do
A decisão foi majoritária, no mesmo sentido adotado à Campo (SP) que negou o pedido de expedição de CND. Para
unanimidade pela 6ª Turma, colegiado que integra essa Seção a empresa, não estando o débito regularmente constituído
juntamente com a 5ª Turma. Lá, os ministros decidiram que, mediante a lavratura de competente Notificação Fiscal de
estando comprovada a classificação dentro do número de Lançamento de Débito (NFLD), a expedição da certidão não
vagas oferecidas pelo edital, a mera expectativa de direito à pode ser negada, já que a ausência de lavratura de NFLD não
nomeação e à posse no cargo, para o qual se habilitou, constitui em mora o devedor.
converte-se em direito subjetivo. Citando vários precedentes, o ministro Luiz Fux, relator do
Caminho sem volta recurso, reiterou que a entrega de Declaração de Débitos e
Esses e outros temas seguem o mesmo caminho da súmula Créditos Tributários Federais (DCTF), de Guia de Informação
do tribunal que facilitou às pessoas descobrirem sua origem. O e Apuração do ICMS (GIA), ou de outra declaração dessa
verbete afirma: “Em ação investigatória, a recusa do suposto natureza, prevista em lei, é modo de constituição do crédito
pai a submeter-se ao exame de DNA induz presunção juris tributário, dispensando a Fazenda Pública de qualquer outra
tantum de paternidade”. providência destinada à formalização do valor declarado.
No dia 30 de julho, o presidente da República, Luiz Inácio Lula Segundo o relator, nos tributos sujeitos a lançamento por
da Silva, sancionou a Lei 12.004, alterando a Lei 8.560, que homologação, a exigibilidade do crédito tributário se conclui
regula a investigação de paternidade dos filhos havidos fora com a mera declaração efetuada pelo contribuinte, não se
do casamento. A nova norma reconhece explicitamente o que condicionando a ato prévio de lançamento administrativo,
começou a ser delineado em 1998, no julgamento de um razão pela qual, em caso de não-pagamento ou pagamento
recurso especial pela 4ª Turma do STJ: a presunção de parcial do tributo declarado, afigura-se legítima a recusa de

www.cursofmb.com.br
expedição da Certidão Negativa ou Positiva com Efeitos de reiteradamente, tem-se entendido que não se trata de uma
Negativa. relação de consumo”, esclareceu a ministra.
Assim, por unanimidade, a Seção reiterou que o Fisco pode se Laurita Vaz destacou, ainda, jurisprudência do STJ no sentido
recusar a expedir certidão negativa de débito (CND) ou de que o Código de Defesa do Consumidor não é aplicável
certidão positiva com efeitos de negativa (CPEN) quando a aos contratos locatícios, pois estes são regulados por
autoridade tributária verificar a existência de divergências legislação própria. Desta forma, a 5ª Turma do STJ, por
entre as quantias declaradas na guia do FGTS e Informações maioria, negou provimento ao recurso do MP. Com
à Previdência Social (GFIP) e os valores efetivamente informações da Assessoria de Imprensa do STJ.Resp 605.295
recolhidos mediante guia de pagamento (GP).
De acordo com os ministros, as informações prestadas na RESPONDER A AÇÃO NÃO IMPEDE
GFIP servem como base de cálculo das contribuições APROVAÇÃO EM CONCURSO
arrecadadas pelo INSS, por tratar-se de um dos modos de
O simples fato de o candidato responder a inquérito policial ou
constituição dos créditos devidos à Seguridade Social
ainda a ação penal não é suficiente para justificar a sua
conforme estabelecido no artigo 33, parágrafo 7º, da Lei 8.212.
reprovação em exame social de concurso público. A conclusão
Ressaltou, ainda, que a presente hipótese não se identifica
é do desembargador Roberto de Abreu e Silva, da 9ª Câmara
com o mero descumprimento da obrigação acessória de
Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, que aplicou o
informar mensalmente ao INSS, dados relacionados aos fatos
princípio de presunção de inocência e garantiu a aprovação de
geradores da contribuição previdenciária (artigo 32, inciso IV,
um candidato a policial.
e parágrafo 10 da Lei 8.212/91). Com informações da
“O Supremo Tribunal Federal fixou entendimento no sentido
Assessoria de Imprensa do Superior Tribunal de Justiça. REsp
de que a eliminação do candidato de concurso público que
114.309-4
esteja respondendo a inquérito ou ação penal, sem pena
condenatória transitada em julgado, fere o princípio da
MP NÃO PODE ATUAR EM AÇÕES SEM presunção de inocência”, disse o desembargador, citando
INTERESSE COLETIVO decisões dos ministros Eros Grau e Ricardo Lewandowski.
O Ministério Público não tem legitimidade para propor Ação O candidato a policial militar pediu Mandado de Segurança ao
Civil Pública com objetivo de declarar nulidade de cláusulas Judiciário fluminense com o objetivo de garantir a aprovação
abusivas de contratos de locação celebrados apenas com uma em concurso público de admissão ao Curso de Formação de
administradora do ramo imobiliário. Para a 5ª Turma do Soldado da Polícia Militar do Rio e eventual posse no cargo.
Superior Tribunal de Justiça, tal situação configuraria a falta de Ele sustentou que ficou em 289º lugar no concurso que
interesse coletivo, o que tira a legitimidade ativa do Ministério dispunha de duas mil vagas para homens. Disse que o
Público no caso. resultado demonstrou que ele tem capacidade técnica, física e
A matéria foi julgada pela 5ª Turma em Recurso Especial psicológica, mas que foi reprovado na última fase,
ajuizado pelo Mistério Público de Minas Gerais contra acórdão denominada exame social e documental, por contrariar as
do Tribunal de Justiça mineiro. Os desembargadores regras do edital que haviam sido, previamente, estabelecidas.
decidiram pela ilegitimidade do MP para atuar, no caso Já a administração pública argumentou que, na investigação
concreto, extinguindo, assim, o processo sem julgamento do social, foi apurado que o candidato possui “uma passagem”
mérito. pela 13ª Delegacia de Polícia por lesão corporal. Disse que
A ministra Laurita Vaz, relatora do recurso no STJ, citou não havia direito líquido e certo além de que o ato obedecia às
decisão majoritária tomada na Corte Especial, no julgamento regras do edital. Em primeira instância, o juiz da da 2ª Vara da
do Recurso Especial 114.908, na qual foi assegurado que o Fazenda Pública do Rio concedeu a segurança, confirmando
Ministério Público estaria legitimado a defender direitos liminar que havia dado antes ao candidato. O Estado recorreu.
individuais homogêneos, quando tais direitos têm repercussão O desembargador Roberto de Abreu e Silva, ao analisar o
no interesse público. recurso do estado, observou que, de fato, o registro de
Naquela ocasião, destacou a ministra, a Corte Especial ocorrência deu origem a um processo penal, mas que o
concluiu que a questão referente a contrato de locação, mesmo foi arquivado definitivamente. “O fato delituoso em
formulado como contrato de adesão pelas empresas questão originou-se de conflito de vizinhança sem maiores
locadoras, com exigência da taxa imobiliária para inquilinos, consequências”, afirmou o desembargador.
era de interesse público pela repercussão das locações na Autora: Marina Ito
sociedade.
Todavia, a ministra explicou que, no caso examinado, o MP PROTEÇÃO AMBIENTAL - PGR QUESTIONA
pretendeu declarar a nulidade de cláusulas abusivas NORMA SOBRE VEGETAÇÃO EM RESERVA
constantes de contratos de locação celebrados com uma única
O dispositivo que permite aos proprietários rurais a
administradora do ramo imobiliário.
desoneração do dever de manter em sua propriedade
Em seu Recurso Especial, o MP sustentou que a
reservas florestais legais, mediante doação de área localizada
jurisprudência dominante no STJ, baseada no artigo 82, inciso
no interior de unidade de conservação, pendente de
I, do Código de Defesa do Consumidor; nos artigos 1º, incisos
regularização fundiária, está sendo contestado no Supremo
II e IV, e 5º da Lei 7.347/85, o legitima a promover a referida
Tribunal Federal. A procuradora-geral da República em
Ação Civil Pública.
exercício, Sandra Cureau, entrou com uma Ação Direta de
“Como bem asseverado pelo tribunal de origem (TJ-MG), a
Inconstitucionalidade contra o parágrafo 6º do artigo 44 da Lei
espécie não versa sobre direitos difusos ou coletivos, mas
4.771/65, com redação dada pela Lei 11.428, de 22 de
sobre direitos individuais homogêneos, distintos e próprios, de
dezembro de 2006.
uma base contratual relacionada a contrato de locação onde,
3

www.cursofmb.com.br
Para ela, o dispositivo configura verdadeiro retrocesso direito líquido e certo à posse. Também determinou que os
legislativo na proteção do direito fundamental ao meio candidatos fossem nomeados no prazo de 15 dias.
ambiente ecologicamente equilibrado, na medida em que as De acordo com os autos, a Secretaria de Administração
demais modalidades de espaços territoriais especialmente Paraense publicou, em março de 2006, o edital do concurso
protegidos não suprem a função ecológica da reserva legal. para provimento de 115 vagas para motorista do
Ela explica que, com essa alteração legislativa, permitiu-se a Departamento de Trânsito. À época, não houve prorrogação
compensação da reserva legal por outra área já protegida, no do prazo de validade do certame que expirou, em junho de
interior de unidade de conservação. “Ou seja, ao invés de 2008, sem que os candidatos aprovados dentro do número de
recompor, restaurar ou compensar a reserva legal com área vagas fossem nomeados.
semelhante, o proprietário rural poderá adquirir uma área já Os aprovados recorreram ao Tribunal de Justiça do Pará,
protegida, pendente apenas de regularização fundiária”, diz. alegando que somente após a administração não prorrogar o
Ela entende que o mecanismo não gera qualquer benefício prazo de validade do concurso é que surge o direito de entrar
ambiental. Trata-se, diz, de possibilidade criada apenas para com mandado de segurança. E por terem sido aprovados
tentar resolver a inadmissível incapacidade administrativa de dentro do número de vagas têm direito à efetivação no cargo.
fazer a regularização fundiária das unidades de conservação, Afirmaram que o governo chegou a nomear 30 aprovados,
requisito fundamental para que esses espaços territoriais sendo que, destes, cinco desistiram e um foi exonerado.
especialmente protegidos tenham a eficácia necessária. Já a Secretaria de Administração do Estado e o Detran
Cureau explica que a desoneração do dever de manter uma sustentaram que os aprovados no concurso, ainda que no
reserva florestal legal no interior de cada propriedade contraria número de vagas, possuem apenas mera expectativa de
o artigo 225, parágrafo 1º, da Constituição Federal, direito à posse. E explicou que o concurso realizado
especificamente em seus incisos I, II, III e VII, que determinam “superdimensionou” as reais necessidades do Detran e que,
ao poder público e à coletividade o dever de garantir a se nomeá-los, ‘ocorreria o absurdo de a entidade possuir mais
efetividade do direito ao meio ambiente ecologicamente motoristas que a frota de veículos existente’.
equilibrado, prescrevendo obrigações positivas do poder O TJ-PA não concedeu a segurança aos aprovados, sob o
público. fundamento de que, em junho de 2008, o direito líquido e certo
Tais obrigações são preservar e restaurar os processos dos candidatos à nomeação deixou de existir.
ecológicos essenciais e prover o manejo ecológico das Inconformados, os candidatos entraram com recurso ordinário
espécies e ecossistemas; preservar a diversidade e a em mandado de segurança no STJ para que pudesse ser
integridade do patrimônio genético do país e definir, em todas garantido o direito à nomeação. Com informações da
as unidades da Federação, espaços territoriais e seus Assessoria de Imprensa do STJ. RMS 30.459
componentes a serem especialmente protegidos, vedada
qualquer utilização que comprometa a integridade dos PAI DEVE INDENIZAR FILHO POR ABANDONO
atributos que justifiquem sua proteção. AFETIVO
Segundo sustenta, o dispositivo legal questionado também
Não se pode obrigar alguém a amar ou a manter
viola o artigo 186, caput e inciso II, da Constituição Federal,
relacionamento afetivo, mas se o abandono ultrapassa os
que estabelece como requisitos da função social da
limites do desinteresse e causa lesões no direito da
propriedade a utilização adequada dos recursos naturais
personalidade do filho, com atos de humilhações e
disponíveis e a preservação do meio ambiente.
discriminações, cabe, sim, reparação pelo dano moral
Na ADI, a procuradora pede a concessão de medida liminar,
causado. Este foi o entendimento majoritário de uma das
considerando o perigo de danos irreversíveis e a insegurança
câmaras do Tribunal de Justiça de São Paulo para obrigar o
jurídica decorrente da vigência de um mecanismo
pai a pagar indenização ao filho por dano moral num caso em
inconstitucional. A PGR pede, ainda, a declaração de
que se discutia abandono afetivo. A decisão da corte paulista
inconstitucionalidade sem efeitos repristinatórios porque, de
inovou em relação à jurisprudência do Superior Tribunal de
acordo com a procuradora, a previsão normativa anterior
Justiça a respeito da matéria.
também contraria, pelos mesmos motivos, a Constituição
O caso envolveu o drama de um rapaz do interior paulista que
Federal. Com informações da Assessoria de Imprensa do
ingressou com ação de indenização contra o pai por abandono
STF. ADI 4.367
afetivo. Ele fundamentou seu pedido com o argumento de que
o descaso e o repúdio paterno foram resultado de um
CANDIDATOS PODEM ENTRAR COM AÇÃO problema congênito (deformidade na orelha). Em primeira
DEPOIS DE PRAZO instância, a Justiça julgou a ação improcedente com a tese de
Não se caracteriza falta de interesse a ação impetrada quando que o pai foi condenado a reconhecer a paternidade e a pagar
já expirado o prazo de validade do concurso público. Com alimentos, mas não poderia ser coagido a dar um amor que
esse entendimento, a 5ª Turma do Superior Tribunal de não sentia e para o qual não há nenhuma obrigação legal.
Justiça, em decisão unânime, assegurou a nomeação de A decisão, que reformou a sentença de primeiro grau, foi da 4ª
candidatos aprovados em concurso de motorista do Detran do Câmara de Direito Privado, tendo como voto condutor o do
Estado do Pará. desembargador Ênio Zuliani, que também era relator do
A ministra Laurita Vaz, relatora do recurso no STJ, explicou recurso, e a divergência do desembargador Maia da Cunha. O
que a administração publicou o edital para o provimento de relator foi seguido pelo desembargador Fábio Quadros. Zuliani
115 vagas e os concorrentes estavam cientes de que as destacou que o pai não foi solidário com o drama do filho, se
disputariam. Assim, afirmou, os aprovados dentro do número limitou a cumprir a sentença de alimentos e nada fez para
de vagas possuem direito subjetivos à nomeação para os superar a má-formação na orelha do rapaz.
cargos que concorreram. A ministra entendeu que existe o
4

www.cursofmb.com.br
Maia da Cunha entendeu que não havia prova de que o não havia prova de que a distância e o afastamento do pai
defeito físico tenha sido a causa do abandono afetivo de quem tenha se dado por causo do defeito físico.
nunca aceitou a paternidade. O voto divergente apontou como “A questão primordial a ser definida pelo magistrado não é
indevida a presunção de que o caso envolvia discriminação. propriamente se a falta de afeto do pai pode ou não gerar
Na opinião do desembargador, a atitude do pai não passou de problemas psíquicos, o que sempre será respondido de modo
simples falta de afetividade, decorrente de se cuidar de filho afirmativo em relação à possibilidade de sua ocorrência, mas
desconhecido e somente reconhecido judicialmente. se o dano psíquico eventualmente ocorrido pode ou não gerar
Teses jurídicas responsabilidade civil para o pai”, anotou Maia da Cunha. Ele
A matéria que envolve responsabilidade civil por abandono se amparou na tese de que, para se chegar à
afetivo divide e preocupa magistrados, principalmente, por responsabilidade civil seria necessário que dar amor ao filho
conta do risco da banalização, da criação de uma indústria do se constituísse em obrigação legal, prevista na ordem jurídica.
dano moral ou de servir de meio de revanche. Quem defende No entendimento de Maia da Cunha, sem essa imposição
a tese intransigentemente contrária ao dano moral argumenta clara não se poderia cogitar de ato ilícito e, por consequência,
que, não existindo a obrigação legal, não há ato ilícito, ainda de dano moral capaz de gerar indenização.
que da falta de amor resulte algum dano afetivo ao filho. Autor: Fernando Porfírio
O Superior Tribunal de Justiça abraçou essa tese quando se
debruçou sobre o assunto ao julgar um recurso de Minas Fonte: Revista Consultor Jurídico
Gerais, proposto pelo filho que alegava abandono moral pelo
pai. O relator, ministro Fernando Gonçalves, entendeu que
não existe dano moral pela simples e boa razão de que não há NOVIDADES LEGISLATIVAS
meio de obrigar alguém a amar outro, mesmo que seja seu
filho. O ministro César Asfor Rocha, atual presidente do STj,
repudiou o que chamou de tentativa de quantificar o amor com EMENDA CONSTITUCIONAL 62, DE 9 DE
o intuito de conceder indenização. O ministro Aldir Passarinho DEZEMBRO DE 2009.
Júnior salientou que a questão deve ser resolvida no âmbito Altera o art. 100 da Constituição Federal e acrescenta o art. 97
do Direito de família. ao Ato das Disposições Constitucionais Transitórias,
No Tribunal de Justiça de São Paulo, o desembargador Ênio instituindo regime especial de pagamento de precatórios pelos
Zuliani sustentou que o caso apreciado pela corte paulista era Estados, Distrito Federal e Municípios.
diverso daquele apreciado pelo STJ, por envolver hipótese de
filho com deficiência estética e que foi excluído da convivência
com o pai. A posição defendida por Zuliani prestigiou laudo
LEI Nº 12.125, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2009.
Acrescenta parágrafo ao art. 1.050 da Lei no 5.869, de 11 de
psicológico que confirmou o dano psíquico, o que, no seu
janeiro de 1973 (Código de Processo Civil), para dispensar,
entendimento, justifica o arbitramento de um valor para servir
nos embargos de terceiro, a citação pessoal.
de lenitivo à vítima do desamor paterno.
Para Zuliani, embora caiba respeitar a liberdade das pessoas,
inclusive a de não querer amar o filho, é preciso que se LEI Nº 12.126, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2009.
encontre uma solução equilibrada que possa servir de Dá nova redação ao § 1o do art. 8o da Lei no 9.099, de 26 de
instrumento para que pais negligentes se comprometam com a setembro de 1995, que dispõe sobre os Juizados Especiais
responsabilidade familiar. O relator reconheceu que, se a ação Cíveis e Criminais.
de indenização por abandono afetivo está amparada
exclusivamente nos efeitos do desamor, não há mesmo o que LEI Nº 12.133, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2009.
compensar. Dá nova redação ao art. 1.526 da Lei no 10.406, de 10 de
“A turma julgadora considera que o fato de o rapaz ter janeiro de 2002 (Código Civil), para determinar que a
deficiência física ostensiva e que embaraça sua habilitação para o casamento seja feita pessoalmente perante
adaptabilidade muda o enfoque e agrava a conduta do pai o oficial do Registro Civil.
omisso, valendo anotar que de importância alguma terá a
sociedade em proteger as pessoas portadoras de cuidados LEI Nº 12.137, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2009.
especiais se o descaso de familiares age em sentido inverso,
Altera o § 4o do art. 9o da Lei no 9.099, de 26 de setembro de
porque o desinteresse atinge proporções discriminatórias”,
1995, que dispõe sobre os Juizados Especiais Cíveis e
afirmou Zuliani.
Criminais e dá outras providências.
Voto divergente
O desembargador Maia da Cunha, autor do voto divergente,
argumentou que a deformação física na orelha do rapaz não LEI Nº 12.153, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2009.
foi a causa da falta de relacionamento entre pai e filho. Para o Dispõe sobre os Juizados Especiais da Fazenda Pública no
desembargador, o dano psíquico, mesmo quando existe, não âmbito dos Estados, do Distrito Federal, dos Territórios e dos
pode acarretar indenização de quem poderia e não deu afeto e Municípios.
amor.
“A lei pode obrigar o pai a reconhecer legalmente o filho, bem
como a registrá-lo e sustentá-lo financeiramente, mas não
pode ser obrigado a amá-lo”, afirmou o desembargador. Ele
destacou o fato de que o filho foi concebido fora do casamento
e a paternidade só foi reconhecida por força judicial e de que

www.cursofmb.com.br
Cabe abrir um parêntese para registrar que o Supremo
“LEASING” FINANCEIRO - ISS Tribunal Federal possui jurisprudência firmada segundo a qual
a locação de bens móveis, por não configurar uma
obrigação de fazer, e sim de dar, não pode sofrer
O Professor Marcelo Alexandrino faz um comentário sobre incidência do ISS. Vale dizer, nossa Corte Suprema entende
a incidência de ISS em operações de “leasing” financeiro”. que locação não é serviço, nem pode ser equiparada a serviço
pela lei, para efeito de incidência do ISS (RE 116.121/SP, rel.
Trago hoje a notícia de importante julgado do Supremo originário Min. Octavio Gallotti, red. p/ o acórdão Min. Marco
Tribunal Federal acerca da incidência do imposto sobre Aurélio, 11.10.2000).
serviços de qualquer natureza (ISS) sobre as operações de No julgamento que me traz aqui, o Supremo Tribunal Federal
arrendamento mercantil (“leasing”). Os recursos definiu a questão: contrato de “leasing” é um contrato com
extraordinários envolvidos tiveram reconhecida a sua características próprias, não se identificando nem com o
repercussão geral e, portanto, podemos afirmar que a decisão contrato de locação, nem com o de compra e venda, nem com
proferida representa a jurisprudência de nossa Corte Suprema uma operação de crédito. É muito importante frisar que essa
sobre a matéria. decisão do Tribunal Excelso só se aplica ao “leasing”
Façamos, antes, uma rápida recordação. financeiro.
A Constituição Federal, no seu art. 156, III, atribui aos “Leasing” financeiro é a modalidade clássica ou pura de
municípios (e ao Distrito Federal) competência para instituir “leasing” e, na prática, é a mais utilizada. As outras
imposto sobre serviços de qualquer natureza, exceto sobre modalidades, que não foram examinadas pelo STF, são o
aqueles que estão no campo de incidência do ICMS, a saber, “leasing” operacional e o chamado “lease-back”, cujas
os serviços de transporte interestadual e intermunicipal e de características não nos interessam aqui.
comunicação. Na modalidade “leasing” financeiro – repito, a única
Ocorre, entretanto, que esse imposto municipal, o ISS, tem apreciada pelo STF nos recursos que estou comentando –, a
uma peculiaridade que nenhum outro imposto possui: embora chamada “arrendadora” adquire bens de um fabricante ou
o texto constitucional fale em imposto sobre “serviços de fornecedor e entrega seu uso e gozo ao “arrendatário”,
qualquer natureza”, o próprio texto constitucional, logo em mediante pagamento de uma contraprestação periódica; ao
seguida, acrescenta que tais serviços devem ser “definidos em final das prestações, abre-se ao “arrendatário” a possibilidade
lei complementar”. de devolver o bem à “arrendadora”, de renovar o contrato
Nossa jurisprudência, há muito, consagrou o entendimento (para permanecer usando e fruindo o bem sem comprá-lo) ou
que a lei complementar a que se refere a Constituição não de adquirir o bem pelo preço residual combinado no contrato.
deve se limitar a estabelecer uma definição teórica, abstrata, Em resumo, podemos afirmar que a jurisprudência do
meramente conceitual de “serviço”, para efeito de delimitação Supremo Tribunal Federal está firmada quanto à
do potencial campo de incidência do ISS. Diferentemente, é legitimidade da incidência do ISS sobre operações de
absolutamente consagrada no âmbito do Supremo Tribunal “leasing” financeiro, uma vez que tais operações têm regime
Federal a orientação segundo a qual a lei complementar em jurídico próprio, que não se confunde com as normas
foco deve conter uma lista taxativa de serviços aplicáveis isoladamente ao aluguel, à compra e venda ou às
discriminados e são esses os serviços que compõem o operações de crédito (RE 547.245/SC, rel. Min. Eros Grau,
potencial campo de incidência do ISS. 02.12.2009; RE 592.905/SC, rel. Min. Eros Grau, 02.12.2009).
A lei complementar a que se refere o art. 156, III, da Carta da Falta uma pergunta: essa decisão pode ser cobrada nos
República é uma lei complementar da União, de observância concursos da Receita Federal, que ocorrerão nas próximas
obrigatória por parte de todos os municípios que pretendam semanas?
instituir o ISS (cada município que pretenda instituir o ISS em Bem, em tese, poderia. Nada impede a cobrança de
seu território deve editar uma lei ordinária própria, jurisprudência surgida depois do edital (a menos que o edital
discriminando os serviços que sofrerão a incidência do vedasse, mas eu nunca vi isso). Nesse caso, entretanto, eu
imposto, não podendo ir além daqueles que estão na lista da acho que será impossível cobrar, porque imagino que não
lei complementar da União; podem, entretanto, ficar aquém, dará mais tempo de a ESAF incluir nas provas. De todo modo,
ou seja, tributar menos serviços do que os integrantes do quem chegou até aqui neste texto já está sabendo e não
potencial campo de incidência do ISS). errará se, incrivelmente, for cobrado... Aliás, como não havia
Pois bem, o diploma da União que atende a exigência do art. posicionamento anterior do STF, nem existe o risco de
156, III, da Constituição é a Lei Complementar 116/2003. Na conflitos de entendimentos. Se for cobrado, a resposta só
“lista de serviços” anexa a essa lei está, literalmente, no item pode ser: é constitucional a incidência de ISS sobre
15.09, a atividade de “arrendamento mercantil (leasing) de operações de “leasing” financeiro.
quaisquer bens, inclusive cessão de direitos e obrigações, Uma última observação: eu marcaria “verdadeiro” para uma
substituição de garantia, alteração, cancelamento e registro de questão, de qualquer banca, que afirmasse, simplesmente,
contrato, e demais serviços relacionados ao arrendamento que é constitucional a incidência de ISS sobre operações de
mercantil (leasing)”. “leasing”, sem explicitar que se trata de “leasing” financeiro. As
Muitos contribuintes ajuizaram ações alegando a bancas não costumam ser muito cuidadosas com esses
inconstitucionalidade dessa previsão da lei complementar da detalhes e, como dito, o “leasing” financeiro é disparadamente
União segundo a qual o arrendamento mercantil (“leasing”) o mais comum, o mais usado no Brasil!
seria um serviço. Alguns alegavam que, na essência, o
“leasing” seria um contrato de locação e outros argumentavam
que a principal característica do “leasing” seria a de uma
operação de crédito, que estaria sujeita somente ao IOF.
6

www.cursofmb.com.br
Marcelo Alexandrino é Auditor-Fiscal da Receita Federal do sentença devidamente redigida, assim como a dissertação e
Brasil, aprovado na área de Tributação e Julgamento, 10ª as questões, facilitando assim, a visualização dos seus erros,
Região Fiscal, no concurso de 1996 e autor de várias obras bem como da correta forma de elaboração da sentença,
ela Editora Método, entre elas: Direito Tributário na dissertação e das questões subjetivas.
Constituição e no STF, Direito Administrativo Descomplicado,
e Direito Constitucional Descomplicado. RESOLUÇÃO 75/09 CNJ – MATÉRIAS
COMPLEMENTARES PARA MAGISTRATURA
CURSOS IMPERDÍVEIS!!!
O Curso FMB, sempre preocupado com seus alunos, atento
CURSO ESPECÍFICO DE 2ª FASE E SENTENÇA à nova Resolução nº 75/2009, do Conselho Nacional de
Justiça, lançou o Curso Complementar para a Magistratura
O Curso FMB acaba de lançar um Curso Específico de 2ª federal, estadual e trabalhista por DVD, abrangendo as
Fase e Sentença para Magistratura Estadual/ Federal/ seguintes matérias: Sociologia do Direito, Psicologia
Trabalhista - Via Internet (e-mail). Judiciária, Ética e Estatuto Jurídico da Magistratura Nacional,
Filosofia do Direito, Teoria Geral do Direito e da Política e
Aqueles que desejam ingressar na Carreira da Magistratura
Sentença (Cível e Penal).
não podem deixar de fazer esse curso.
A duração do curso será de 12 meses, tendo como objetivo
Para maiores informações acesse o site do Curso FMB ou
principal a elaboração de respostas de questões subjetivas,
ligue para (11) 3329.6705 ou (11) 3329.6706.
dissertações e sentenças.
Neste curso, o aluno receberá por e-mail, a cada 15 dias,
uma prova de 2ª fase e de sentença do referido concurso. O
Aluno deverá enviar a resposta também por e-mail. NOVO SITE DO CURSO FMB
A correção será feita pelo corpo docente do Curso FMB, que
examinará o conteúdo jurídico e a aplicação correta da Língua
Caros leitores,
Portuguesa, respondendo ao aluno no prazo de 5 dias.
Em 2.010 o Curso FMB estará reformulando seu site.
O curso será bastante minucioso, por isso, as vagas serão
Gostaríamos que os alunos participassem dessa
limitadas.
Ficou interessado? Quer saber mais informações? “transformação” nos enviando sugestões:
- O que você gostaria de encontrar em nosso novo site?
Veja abaixo algumas perguntas e respostas que poderão
- Que tipo de informação deve aparecer em destaque?
solucionar possíveis dúvidas:
- Você acha interessante o Curso participar do Twiter, Orkut,
1- O Curso abrange a Magistratura Estadual, Federal e etc? Por quê?
Trabalhista? - O que faria você acessar com habitualidade o site do
Curso FMB?
R: Não. Os cursos são vendidos separadamente, devendo o
Essas são apenas algumas sugestões de temas, fique a
aluno fazer a opção entre Estadual, Federal ou Trabalhista, no
vontade para enviar o que entender interessante para o nosso
ato da matrícula.
NOVO SITE.
2- Quando posso iniciar o curso?
Envie sua sugestão para:
R: O Curso pode ser iniciado a qualquer momento, tendo em
e-mail - tania@cursofmb.com.br
vista que as correções são individualizadas.
assunto: NOVO SITE
3- Que material será enviado pelo Curso?
Participe!!!!
R: Ao ser matriculado, o aluno receberá um roteiro para a
elaboração de sentenças, dissertações e questões subjetivas,
juntamente com os exercícios a serem realizados.

4- As sentenças, dissertações e questões enviadas, serão


extraídas de provas de concursos anteriores ou criadas
pelo Curso?
R: Em regra, as sentenças, dissertações e questões serão
extraídas de concursos anteriores, sem prejuízo da elaboração
de questões e casos práticos de questões atuais e julgadas
relevantes pelo corpo docente do Curso FMB.

5- Como será feita a correção dos trabalhos enviados?


R: A correção consistirá em um relatório final com
apontamentos de erros de conteúdo jurídico, formatação,
correções gramaticais, alertando ainda sobre os pontos que o
aluno deve melhorar.
O aluno receberá ainda, a mesma prova devidamente
solucionada pelo professor responsável, ou seja, receberá a

www.cursofmb.com.br
OTIMISMO & MOTIVAÇÃO

TEMPO CERTO
De uma coisa podemos ter certeza:
De nada adianta querer apressar as coisas; tudo vem ao
seu tempo, dentro do prazo que lhe foi previsto.
Mas a natureza humana não é muito paciente.
Temos pressa em tudo e aí acontecem os atropelos do
destino, aquela situação que você mesmo provoca, por pura
ansiedade de não aguardar o tempo certo.
Mas alguém poderia dizer:
Qual é esse tempo certo?
Bom, basta observar os sinais.
Quando alguma coisa está para acontecer ou chegar até
sua vida, pequenas manifestações do cotidiano enviarão
sinais indicando o caminho certo.
Pode ser a palavra de um amigo, um texto lido, uma
observação qualquer.
Mas, com certeza, o sincronismo se encarregará de colocar
você no lugar certo, na hora certa, no momento certo, diante
da situação ou da pessoa certa.
Basta você acreditar que nada acontece por acaso.
Talvez seja por isso que você esteja agora lendo estas
linhas.
Tente observar melhor o que está a sua volta.
Com certeza alguns desses sinais já estão por perto e você
nem os notou ainda.
Lembre-se, que o universo sempre conspira a seu favor
quando você possui um objetivo claro e uma disponibilidade
de crescimento.

Autor: Paulo Coelho

www.cursofmb.com.br