Você está na página 1de 52
Minerais e suas propriedades Prof. Renê Macêdo
Minerais e suas propriedades Prof. Renê Macêdo
Minerais e suas propriedades Prof. Renê Macêdo
Minerais e suas propriedades Prof. Renê Macêdo

Minerais e suas propriedades

Minerais e suas propriedades Prof. Renê Macêdo

Prof. Renê Macêdo

Minerais e suas propriedades Prof. Renê Macêdo
Minerais e suas propriedades Prof. Renê Macêdo
Minerais e suas propriedades Prof. Renê Macêdo
Minerais e suas propriedades Prof. Renê Macêdo

Material de apoio:

• Material de apoio: Apêndice no final do Decifrando a Terra Acervo de Minerais on line

Apêndice no final do Decifrando a Terra

Acervo de Minerais on line da Unesp

www.webmineral.com

Acervo de Minerais on line da Unesp www.webmineral.com http://www.rc.unesp.br/museudpm/banco/grm.html CTG - Dept.

http://www.rc.unesp.br/museudpm/banco/grm.html

de Minerais on line da Unesp www.webmineral.com http://www.rc.unesp.br/museudpm/banco/grm.html CTG - Dept. de Geologia

CTG - Dept. de Geologia

Sumário

Minerais e suas origens;

Propriedades físicas e morfológicas dos minerais;

Propriedades elétricas;

Propriedades magnéticas;

Propriedades químicas;

CTG - Dept. de Geologia

Como se formam os minerais?

Qual a importância dos minerais ao homem?

CTG - Dept. de Geologia

Classificação Sistemática dos Minerais

Agrupados com base no ânion ou radical

aniônico dominante na fórmula química (James

Dana);

Elementos Nativos Sulfetos Sulfossais

Óxidos

Halóides

Carbonatos

Nitratos Boratos Sulfatos e cromatos Fosfatos, arseniatos e

vanadatos

CTG - Dept. de Geologia

Tungstatos e molibdatos Silicatos:

Piroxênios

Anfibólios

Argilominerais

Micas e Talco

Feldspatos

Plagioclásios

Feldspatóides

Quartzo

Substância homogênea, natural com propriedades químicas e físicas definidas em estado sólido; inorgânica, de

Substância homogênea,

natural com propriedades químicas e físicas definidas

em estado sólido;

inorgânica,

de

ocorrência

Tirolita
Tirolita
em estado sólido; inorgânica, de ocorrência • Tirolita Ilmenita Ouro associado a quartzo

Ilmenita

Ouro associado a quartzo

http://www.rc.unesp.br/museudpm/banco/grm.html CTG - Dept. de Geologia

Composição química bem definida: pode ser

representado por uma fórmula química;

definida: pode ser representado por uma fórmula química; Dolomita: CaMg(Co 3 ) 2 Pirita: FeS 2

Dolomita:

CaMg(Co 3 ) 2

Pirita: FeS 2

CTG - Dept. de Geologia

pode ser representado por uma fórmula química; Dolomita: CaMg(Co 3 ) 2 Pirita: FeS 2 CTG

Outros

elemento pode ser total ou parcialmente substituído por outro;

minerais

podem

apresentar

série,

uma

onde

um

Um exemplo seria os piroxênios que não apresentam

composição química definida podendo variar com os elementos

Mg e Fe se substituindo mutuamente em várias proporções na composição do mineral (solução sólida) - (Mg,Fe)SiO 2 ;

(Mg, Fe)SiO 2

Enstatita (Piroxênio)

do mineral (solução sólida) - (Mg,Fe)SiO 2 ; (Mg, Fe)SiO 2 Enstatita (Piroxênio) CTG - Dept.
do mineral (solução sólida) - (Mg,Fe)SiO 2 ; (Mg, Fe)SiO 2 Enstatita (Piroxênio) CTG - Dept.

CTG - Dept. de Geologia

Os minerais podem ser constituídos por um único elemento

químico, tais como o ouro nativo (Au), o antimônio (Sb) e o

diamante (C);

como o ouro nativo (Au), o antimônio (Sb) e o diamante (C); C r i s

Cristal de Bismuto

(C); C r i s t a l d e B i s m u t
(C); C r i s t a l d e B i s m u t

Cristal de Diamante

t a l d e B i s m u t o Cristal de Diamante Cristais

Cristais de Antimônio

CTG - Dept. de Geologia

Cristais de Enxofre

Entretanto, devido à tendência natural que os elementos químicos mais abundantes no universo tem de se combinarem entre si, a maioria dos minerais são compostos formados por dois ou mais elementos;

Pirita FeS 2

por dois ou mais elementos; • Pirita – FeS 2 • Ortoclásio – KAlSi 3 O

Ortoclásio KAlSi 3 O 8

Pirita – FeS 2 • Ortoclásio – KAlSi 3 O 8 • Alguns possuem uma composição

Alguns possuem uma composição mais complexa:

Pumpellyita (Fe 2+ )(Ca 2 (Fe 2+ Fe 3+ )(Al,Fe 3+ ) 2 Si 3 (O,OH) 14 )

CTG - Dept. de Geologia

2 + )(Ca 2 (Fe 2 + Fe 3 + )(Al,Fe 3 + ) 2 Si

Isomorfismo Minerais com diferentes composições

químicas que apresentam mesma estrutura

cristalina.

Ex: Halita (NaCl) e Silvita (KCl).

químicas que apresentam mesma estrutura cristalina. Ex: Halita (NaCl) e Silvita (KCl). CTG - Dept. de
químicas que apresentam mesma estrutura cristalina. Ex: Halita (NaCl) e Silvita (KCl). CTG - Dept. de

CTG - Dept. de Geologia

Solução Sólida - propriedade comum em vários minerais e é controlada pelo intercâmbio de determinados elementos na estrutura cristalina; (íons com valência diferente, mas com raio iônico semelhante; também ocorre pelo controle da

temperatura).

Substâncias

de

composição

intermediária,

comum

em

olivinas. Ex: Forsterita (Mg 2 SiO 4 ) e Faialita (Fe 2 SiO 4 )

comum em olivinas. Ex: Forsterita (Mg 2 SiO 4 ) e Faialita (Fe 2 SiO 4
comum em olivinas. Ex: Forsterita (Mg 2 SiO 4 ) e Faialita (Fe 2 SiO 4

CTG - Dept. de Geologia

Polimorfismo - propriedade de uma substância química se cristalizar em diferentes tipos de arranjos atômicos, ou seja, minerais com mesma composição química mas com estrutura diferente;

que

Pressão

temperatura

são

principais

fatores

e

os

possibilitam o polimorfismo; Ex: Diamante (C) e Grafita (C).

possibilitam o polimorfismo; Ex: Diamante (C) e Grafita (C). • O diamante (+denso) forma-se no manto
possibilitam o polimorfismo; Ex: Diamante (C) e Grafita (C). • O diamante (+denso) forma-se no manto
possibilitam o polimorfismo; Ex: Diamante (C) e Grafita (C). • O diamante (+denso) forma-se no manto
possibilitam o polimorfismo; Ex: Diamante (C) e Grafita (C). • O diamante (+denso) forma-se no manto

O diamante (+denso) forma-se no manto a em condições de alta T e P, enquanto que a grafita (-densa) no interior da crosta;

CTG - Dept. de Geologia

Origem dos Minerais

Se

formam

pela

cristalização

a

partir

do

resfriamento de magmas;

 

Rearranjo

de

íons

em

temperaturas

intermediárias (metamorfismo);

Precipitação de sais pela evaporação de uma solução;

CTG - Dept. de Geologia

Estrutura cristalina: possui

arranjo atômico

geometricamente ordenado;

Arranjo atômico

Halita: NaCl

Na +
Na +

Cristal:

Cl - sólido
Cl -
sólido

homogêneo

com

ordem

interna

regular limitado por faces planas;

Cristal de

Topázio

CTG - Dept. de Geologia

Cl - sólido homogêneo com ordem interna regular limitado por faces planas; Cristal de Topázio CTG
Cl - sólido homogêneo com ordem interna regular limitado por faces planas; Cristal de Topázio CTG

Sempre que sua cristalização se der em condições

ideais, a organização atômica interna do mineral se

manifestará em uma forma geométrica externa com a

consequente formação de vértices, arestas e faces naturais;

Tremolita
Tremolita
Topázio
Topázio

CTG - Dept. de Geologia

Forma

Cristalográfica

Mineralóide: Qualquer sólido ou líquido que ocorre

naturalmente, sem arranjo sistemático de átomos

(estrutura cristalina);

sem arranjo sistemático de átomos (estrutura cristalina); Âmbar Obsidiana Mercúrio • São minerais ou

Âmbar

sistemático de átomos (estrutura cristalina); Âmbar Obsidiana Mercúrio • São minerais ou mineralóides -

Obsidiana

de átomos (estrutura cristalina); Âmbar Obsidiana Mercúrio • São minerais ou mineralóides - Cálculo

Mercúrio

São minerais ou mineralóides - Cálculo renal, rochas

fosfáticas (guano)?

CTG - Dept. de Geologia

O gelo formado nas regiões polares é considerado um

mineral, no entanto, a água em estado líquido, não;

um mineral, no entanto, a água em estado líquido, não; Imagens de microscópio de varredura eletrônica
um mineral, no entanto, a água em estado líquido, não; Imagens de microscópio de varredura eletrônica

Imagens de microscópio de varredura eletrônica (MVE) mostrando cristais de gelo.

CTG - Dept. de Geologia

Rocha:

formado

Agregado

de

um

natural

ou

mais

e

multigranular

minerais

e/ou

mineralóides; Granito (Rocha composta por minerais) Quartzo Biotita Feldspato
mineralóides;
Granito
(Rocha composta
por minerais)
Quartzo
Biotita
Feldspato

(Mineral)

(Mineral)

(Mineral)

CTG - Dept. de Geologia

Minério é um termo usado quando a rocha ou

mineral apresenta importância econômica;

quando a rocha ou mineral apresenta importância econômica; Pechblenda (Uraninita) – rocha rica em Óxido de

Pechblenda (Uraninita) rocha rica em Óxido de Urânio

Pechblenda (Uraninita) – rocha rica em Óxido de Urânio Bauxita – rocha rica em oxi-hidróxido de

Bauxita rocha rica em oxi-hidróxido de

alumínio

CTG - Dept. de Geologia

Propriedades Físicas e Morfológicas dos Minerais

Propriedades Físicas e Morfológicas dos Minerais Identificando os minerais CTG - Dept. de Geologia

Identificando os minerais

Propriedades Físicas e Morfológicas dos Minerais Identificando os minerais CTG - Dept. de Geologia

CTG - Dept. de Geologia

Hábito Cristalino

É

É • a forma geométrica habitual externa do mineral que reflete

a forma geométrica habitual externa do mineral que reflete

o

arranjo atômico interno (estrutura cristalina);

o arranjo atômico interno (estrutura cristalina); • Tipos: 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8.

Tipos:

1.

2.

3.

4.

5.

6.

7.

8.

9.

Prismático (colunar);

Fibroso;

Acicular (agulhas);

Tabular (lâminas);

Equidimensional;

Botroidal (glóbulos em grupo);

Esferoidal;

Pulverulento;

Dendrítico (arborescente);

CTG - Dept. de Geologia

Botroidal (glóbulos em grupo); Esferoidal; Pulverulento; Dendrítico (arborescente); CTG - Dept. de Geologia Magnesita

Magnesita

Alguns minerais tem hábitos cristalinos tão distintos que os

tornam facilmente reconhecíveis;

Magnetita (Fe 3 O 4 ) - Octaedro

reconhecíveis; Magnetita (Fe 3 O 4 ) - Octaedro Calcita (CaCO 3 ) - Romboedro Micas

Calcita (CaCO 3 ) - Romboedro

3 O 4 ) - Octaedro Calcita (CaCO 3 ) - Romboedro Micas - Tabular Limonita

Micas - Tabular

Octaedro Calcita (CaCO 3 ) - Romboedro Micas - Tabular Limonita Fe(OH) 3 - Botroidal CTG
Octaedro Calcita (CaCO 3 ) - Romboedro Micas - Tabular Limonita Fe(OH) 3 - Botroidal CTG

Limonita Fe(OH) 3 - Botroidal

3 ) - Romboedro Micas - Tabular Limonita Fe(OH) 3 - Botroidal CTG - Dept. de

CTG - Dept. de Geologia

Galena (FeS 2 )- Cúbico

3 ) - Romboedro Micas - Tabular Limonita Fe(OH) 3 - Botroidal CTG - Dept. de
CTG - Dept. de Geologia

CTG - Dept. de Geologia

Transparência

É a capacidade de permitir a passagem de luz;

Tipos:

1.

Transparentes não absorvem ou pouco absorvem luz;

2.

Translúcidos absorvem consideravelmente a luz;

3.

Opacos absorvem totalmente a luz;

CTG - Dept. de Geologia

• A transparência pode depender da espessura do mineral. Alguns se tornam transparentes em camadas

A transparência pode depender da espessura do mineral. Alguns se tornam transparentes em camadas delgadas;

CTG - Dept. de Geologia

Brilho

Quantidade de luz refletida pela superfície do mineral;

Tipo:

1.

Metálico reflete > 75% da luz incidente;

2.

Não-metálico reflete < 75% e divide-se em:

- Vítreo (brilho da fratura fresca do vidro);

- Gorduroso (brilho do azeite);

- Sedoso

- Terroso

CTG - Dept. de Geologia

Brilho metálico da Hematita Brilho terroso da Caulinita Brilho vítreo do Quartzo Brilho gorduroso da

Brilho metálico da Hematita

Brilho metálico da Hematita Brilho terroso da Caulinita Brilho vítreo do Quartzo Brilho gorduroso da Esfalerita
Brilho metálico da Hematita Brilho terroso da Caulinita Brilho vítreo do Quartzo Brilho gorduroso da Esfalerita

Brilho terroso da Caulinita

Brilho metálico da Hematita Brilho terroso da Caulinita Brilho vítreo do Quartzo Brilho gorduroso da Esfalerita

Brilho vítreo do Quartzo

Brilho gorduroso da Esfalerita

CTG - Dept. de Geologia

Cor

Resulta da absorção seletiva de parte do espectro que

compõe a luz. Existem alguns fatores que colaboram para

absorção como:

1) elementos de transição (Fe, Cu, Ni, Cr, V) na composição

química do mineral;

(Fe, Cu, Ni, Cr, V) na composição química do mineral; • 2) defeitos na estrutura atômica

2) defeitos na estrutura atômica e;

3) pequenas inclusões de minerais;

Tipos:

1)

Idiocromáticos: Cor característica (enxofre);

2)

Alocromáticos: Cor variada (turmalina, quartzo);

CTG - Dept. de Geologia

Quartzo esfumaçado Quartzo - Alocromático Quartzo rosado Quartzo leitoso Enxofre (Idiocromático) CTG - Dept. de

Quartzo esfumaçado

Quartzo - Alocromático

Quartzo esfumaçado Quartzo - Alocromático Quartzo rosado Quartzo leitoso Enxofre (Idiocromático) CTG - Dept. de Geologia

Quartzo rosado

Quartzo esfumaçado Quartzo - Alocromático Quartzo rosado Quartzo leitoso Enxofre (Idiocromático) CTG - Dept. de Geologia

Quartzo leitoso

Enxofre (Idiocromático)
Enxofre (Idiocromático)

CTG - Dept. de Geologia

Traço

Traço, ou a cor do traço, representa a cor do pó mineral.

Obtêm-se a cor do pó mineral riscando-o sobre uma

superfície branca de porcelana;

Muito útil para identificar tipos de minerais ferrosos e opacos

que apresentam traços de variadas cores (vermelho, marrom,

amarelo, etc.);

traços de variadas cores (vermelho, marrom, amarelo, etc.); C T G - D e p t

CTG - Dept. de Geologia

Traço da Hematita Vermelho acastanhado

Dureza

Resistência que o mineral apresenta ao ser riscado;

Depende do tipo de ligação química;

A escala de dureza foi proposta pelo mineralogista

australiano F. Mohs: Dureza de minerais comuns;

A escala de dureza foi proposta pelo mineralogista australiano F. Mohs: Dureza de minerais comuns; CTG
A escala de dureza foi proposta pelo mineralogista australiano F. Mohs: Dureza de minerais comuns; CTG

CTG - Dept. de Geologia

CTG - Dept. de Geologia
CTG - Dept. de Geologia

CTG - Dept. de Geologia

Fratura

Superfície irregular e curva, após quebra do mineral que é

controlada pela estrutura atômica (maneira como o mineral se

quebra quando a clivagem é ausente);

Tipo:

1. Irregular: superfícies rugosas e irregulares;

2. Conchoidal: superfícies lisas e curvas (forma de concha);

CTG - Dept. de Geologia

Fratura Conchoidal em vidro vulcânico
Fratura Conchoidal em vidro vulcânico
Fratura Conchoidal em vidro vulcânico Fraturas Irregulares em Limonita Fratura Conchoidal em quartzo Fraturas Irregulares

Fraturas Irregulares em Limonita

Fratura Conchoidal em quartzo
Fratura Conchoidal em quartzo
Fraturas Irregulares em Enxofre
Fraturas Irregulares em Enxofre

CTG - Dept. de Geologia

Tendência

Clivagem

do

mineral

se

partir

em

planos

regulares

relacionados com a estrutura cristalina;

Quando o mineral é submetido a esforços externos este pode

romper-se em planos preferenciais;

Todo plano de clivagem é paralelo a uma face cristalina;

Um mesmo mineral pode apresentar mais de um plano de

clivagem;

Nem todos os minerais apresentam clivagem, neste caso, diz-

se clivagem ausente ou não observável;

CTG - Dept. de Geologia

Tipos de clivagem:

Perfeita, boa ou imperfeita; Podem variar em até 3 direções;

Calcita perfeita em 3 direções

A clivagem geralmente atua nos

planos de fraqueza da estrutura

cristalina;

CTG - Dept. de Geologia

em 3 direções • A clivagem geralmente atua nos planos de fraqueza da estrutura cristalina; CTG

Direção dos planos de clivagens:

Perfeita em 1 direção

Perfeita em 2 direções

Perfeita em 3 direções

CTG - Dept. de Geologia

Muscovita

direção;

clivagem

perfeita

em

uma

• Muscovita direção; – clivagem perfeita em uma CTG - Dept. de Geologia

CTG - Dept. de Geologia

Feldspato

direções);

clivagem boa e imperfeita (2

• Feldspato direções); – clivagem boa e imperfeita (2 CTG - Dept. de Geologia

CTG - Dept. de Geologia

Halita clivagem perfeita em 3 direções;

• Halita – clivagem perfeita em 3 direções; CTG - Dept. de Geologia

CTG - Dept. de Geologia

Clivagem ausente em quartzo;

• Clivagem ausente em quartzo; CTG - Dept. de Geologia

CTG - Dept. de Geologia

Densidade Relativa

É defini-se através da razão entre quantas vezes o volume do mineral é mais pesado que o volume da água (H 2 O) expressa em g/cm³;

pesado que o volume da água (H 2 O) expressa em g/cm³; • Maioria dos minerais

Maioria dos minerais formadores de rocha:

2.5 < d < 3.3 g/cm³

Alguns minerais com elementos de maior peso atômico

(Ba, Pb, Sr):

d > 4 g/cm³

CTG - Dept. de Geologia

Geminação

Propriedade

dos

minerais

intercrescimento regular;

apresentarem

Tipos:

1. Simples: dois indivíduos

Geminação simples da Estaurolita

regular; apresentarem • Tipos: 1. Simples: dois indivíduos Geminação simples da Estaurolita CTG - Dept. de

CTG - Dept. de Geologia

2. Múltipla: vários indivíduos polissintética;

2. Múltipla: vários indivíduos – polissintética; Geminação múltipla em Pirita Geminação múltipla em

Geminação múltipla em Pirita

– polissintética; Geminação múltipla em Pirita Geminação múltipla em Cerussita CTG - Dept. de Geologia

Geminação múltipla em Cerussita

CTG - Dept. de Geologia

Tenacidade

Medida de coesão de um mineral, ou seja, sua resistência à quebra, esmagamento, dobragem, etc

Tipos:

1.

Frágil:

quebra

ou

pulveriza

facilmente;

Ex:

maioria

dos

minerais.

 

2.

Séctil: pode ser cortado por uma faca; Ex: Bismuto.

 

3.

Maleável: pode ser transformado em lâminas ao se aplicar

uma força entre placas; Ex: Chumbo, Ouro.

 

4.

Dúctil: pode ser transformado em fios; Ex: Alumínio, Platina.

5.

Flexível: pode ser curvado não retornando à sua forma

original, típico de minerais com estrutura em folha; Ex: Talco e

Clorita ligações de Van der Waals ou pontes de hidrogênio;

6.

Elástico: pode ser curvado retornando à sua forma original; Ex: Micas Ligações iônicas de K ++

CTG - Dept. de Geologia

Propriedades Elétricas

É a capacidade de alguns minerais serem condutores de corrente elétrica;

Não condutores (ligações iônicas e covalentes):

Maioria dos minerais; Bons isolantes;

Condutores (ligações metálicas):

Metais elementos nativos (Au, Ag, Cu);

Semi-condutores (ligações parcialmente metálicas):

Sulfetos (Pirita, FeS 2 )

CTG - Dept. de Geologia

Piezoeletricidade:

Transforma pressão mecânica em carga elétrica.

Ex: Quartzo Relógio de quartzo, Computadores,

etc

Piroeletricidade:

Eletricidade é gerada pelo aumento da

temperatura. O mineral quando aquecido gera corrente elétrica.

Ex: Turmalina Sensores de temperatura.

CTG - Dept. de Geologia

Propriedades Magnéticas

Capacidade de um mineral atrair ferro, metais e

imãs;

Ex: Magnetita (Fe 3 O 4 ) e Pirrotita (Fe 1-x S)

Magnetita (Fe 3 O 4 ) e Pirrotita (Fe 1 - x S) minerais eletromagnético. Únicos

minerais

eletromagnético.

Únicos

que

(Fe 1 - x S) minerais eletromagnético. Únicos que podem ser atraídos por um campo Geralmente

podem

ser

atraídos

por

um

campo

Geralmente estão contidos em rochas ígneas e metamórficas -

importante para estudos de paleomagnetismo terrestre.

CTG - Dept. de Geologia

Propriedades Químicas

Ligações

Forma /Observações

 

Exemplos

Químicas

 
 

União

de

Cátions

e

Halita (NaCl) Na

Iônicas

Ânions

1+ Cl 1-

 

Compartilhamento de elétrons entre átomos

Átomos

de

C

no

Covalentes

diamante

 

Compartilhamento

 

Metais

ou

Metálicas

(elétrons

livres

de

elementos

 

átomo

para

átomo

-

nativos

(Au,

Ag,

nuvens)

Cu, Al)

 

Mais fraca,

une

Grafita: camadas

moléculas e unidades

de átomos de C

Van der

Waals

estruturais neutras.

Rara.

(covalente), unidas entre si

 

CTG - Dept.

(Van der Waals)

de Geologia

estruturais neutras. Rara. (covalente), unidas entre si   CTG - Dept. (Van der Waals) de Geologia
estruturais neutras. Rara. (covalente), unidas entre si   CTG - Dept. (Van der Waals) de Geologia
estruturais neutras. Rara. (covalente), unidas entre si   CTG - Dept. (Van der Waals) de Geologia
estruturais neutras. Rara. (covalente), unidas entre si   CTG - Dept. (Van der Waals) de Geologia

Recapitulando

Como se formam os minerais?

Qual a importância dos minerais ao homem?

CTG - Dept. de Geologia

Próxima Aula

Aula 7 - Rochas

CTG - Dept. de Geologia